Quarta-feira, 13 de Janeiro de 2016

EM PORTALEGRE NÃO HÁ VERBAS PARA CONSERVATÓRIO MAS HÁ PARA ESCOLA DE TOUREIO

 

Os professores do Conservatório Regional de Portalegre estão com salários em atraso e “alguns já nem sequer têm dinheiro para ir trabalhar».

 

Em 2014, o Conservatório esteve em risco de fechar, pelo mesmo motivo.

 

Mas para o clube taurino e escola de toureio de Alter do Chão, para as galas taurinas que aí vêem, há verbas que chegam e sobram…

 

PORTALEGRE1.jpg

Em Portalegre, não há verbas para a aprendizagem de música…

 

PORTALEGRE2.jpg

… mas para a aprendizagem da selvajaria tauromáquica as verbas surgem de todos os lados…

 

Que governantes serão os que privilegiam a formação de sádicos torturadores de seres vivos, em detrimento da elevada arte musical?

 

Para Aristóteles, assim como para qualquer ser humano que se preze, «a música é celeste, de natureza divina e de tal beleza que encanta a alma e a eleva acima da sua condição.»

 

Para Mahatma Gandhi, e para todos nós, que amamos os animais, «os que os torturam deveriam recusar-se a viver, se o preço dessa vida é a tortura de seres sensíveis»…

 

Haja racionalidade, senhores governantes!

 

Este novo governo, dito de esquerda, liderado por António Costa, ou é novo e realmente de esquerda, e muda tudo o que é desprezível, que é urgente mudar, ou não se arvore em salvador de uma Pátria, que está a ajudar a afundar-se…

(Origem das imagens: Internet)

 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 16:06

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Quinta-feira, 8 de Janeiro de 2015

ENQUANTO NAS URGÊNCIAS DOS HOSPITAIS DOENTES MORREM POR FALTA DE ASSISTÊNCIA MÉDICA (€€€) A MINORIA TAUROMÁQUICA RECEBE MILHARES DE EUROS PARA TORTURAR BOVINOS E DIVERTIR OS SÁDICOS

 

Não há falta de médicos e enfermeiros em Portugal, o que há é falta de verbas para lhes pagar e evitar que emigrem para o estrangeiro.

 

E para onde vai uma boa fatia do dinheiro dos impostos pagos pelos portugueses?

 

Exactamente: para a tortura de touros.

 

E depois acontece o que aconteceu: cidadãos morrem nas urgências dos hospitais por falta de assistência médica.

URGÊNCIAS FOTO DR.jpg

Fotografia © DR

 

Entretanto, milhares de jovens médicos e enfermeiros licenciados e bem qualificados são obrigados a emigrar, porque os governantes portugueses decidem que apenas duas dezenas de famílias incultas e inúteis para a sociedade “merecem” apoio financeiro para o negócio da tortura e da morte de bovinos.

 

Também por falta de verbas, vários serviços em hospitais públicos foram encerrados.

 

Foram encerrados vários Centros de Saúde no interior do País, onde se encontra a maior percentagem de população envelhecida e mais necessitada de cuidados médicos.

 

Milhares de portugueses estão a ser “empurrados” para fora de Portugal em busca de melhores condições de vida.

 

Milhares de portugueses sofrem e muitos morrem à fome por não poderem alimentar-se e tratar-se como é de seu direito.

 

Muitos estudantes ficam sem bolsas de estudo, tendo de abandonar as escolas.

 

As Artes e as Letras são deitadas ao caixote do lixo como se fossem o rebotalho da sociedade.

 

Enquanto toda esta tragédia acontece, nas herdades de cerca de 24 famílias portuguesas vive-se à tripa-forra, circula-se em carros topo de gama, esbanja-se os dinheiros que deveriam ser canalizados para o essencial da vida dos portugueses, dos outros portugueses, daqueles portugueses que querem apenas o que é de seu direito: trabalho, assistência médica adequada, educação, habitação, enfim, uma vida condiga, que não colide com a existência pacífica dos outros seres vivos.

16milhoes.jpg

Origem da imagem: http://iniciativa-de-cidadaos.blogspot.pt/

 

Dezasseis milhões de euros esbanjados na tauromaquia, não será um atentado contra os direitos mais básicos dos portugueses?

 

Apetece-me gritar como Voltaire:

«Povo, desperta, quebra as tuas cadeias!»

Rejeita o governo que te traz cativo da ignomínia.

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 10:45

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Terça-feira, 6 de Janeiro de 2015

FALTAM VERBAS PARA APOIAR ESCOLAS DE ENSINO ESPECIAL, MAS PARA OS DOZE ANTROS DE TOUREIO OS APOIOS NÃO FALTAM

 

Isto é imoral, é inversão de valores, é privilegiar a violência e a crueldade, é marginalizar crianças inocentes, é capar o futuro.

 

ENSINO ESPECIAL.jpg

(Origem da foto: http://www.publico.pt/sociedade/noticia/colegios-de-ensino-especial-reabrem-sem-dinheiro-1681250

 

É inadmissível que num Estado que se diz de Direito se pratique uma política tão distorcida, tão prejudicial à camada mais frágil da sociedade, ou seja, às crianças dependentes dos adultos para progredirem moralmente e intelectualmente, tanto as que necessitam de um ensino especializado, para poderem viver com dignidade e serem integradas na comunidade, como é de seu direito, como as que são forçadas a entrar numa arena para aprenderem a ser algozes e assassinas de seres vivos para mera diversão de alienados.

 

Que governantes e dirigentes são estes que, deste modo vil, violam a Constituição da República Portuguesa e os mais elementares Direitos das Crianças e permitem que a umas falte o ensino de que necessitam, e a outras lhes incutam sementes de violência e crueldade para que no futuro próximo (já livre da praga da tauromaquia), sejam marginalizadas por continuarem ligadas a um passado sangrento e vergonhoso, que não fará parte desse futuro?

 

O que pretenderão os actuais governantes e dirigentes portugueses com esta postura obscura que não pugna pela evolução da sociedade, muito pelo contrário, enterra-a num passado que o 25 de Abril não conseguiu destruir, porque não foram cortadas pela raiz as ervas daninhas que, durante anos a fio, impediram o crescimento das árvores do conhecimento e da liberdade, que são a base da evolução de um povo?

 

Essas ervas daninhas continuam por aí, infiltradas em partidos políticos com assento na Assembleia da República, lugar onde não se pratica uma Política de Estado, mas uma potiliquice de partidos vendidos a lobbies.

 

E eis-nos chegados a 2015 ainda com cenas do calibre desta que vemos na imagem: uma criança que frequenta o Clube Taurino de Alter do Chão, integrado no Agrupamento de Escolas daquele concelho alentejano, o qual é uma estrutura de “ensino” estatal (não é insólito?), onde cerca de 50 menores, alguns deles com 4/5 anos aprendem as disciplinas da violência, da crueldade, da tortura, da insensibilidade, da desumanidade praticadas contra um bovino bebé, indefeso, inocente e inofensivo, quase tanto como os seus pequenos algozes, a quem não é perguntado se querem ou não querem aquela vida de malfeitores.

 

CRIANÇA DE ALTER DO CHÃO.jpg

Criança de Alter do Chão aprende como maltratar um bovino bebé

(Origem da foto: http://diariotaurino.blogspot.pt/2011/07/alter-do-chao-parrita-ja-e-professor.html

 

Numa época em que por todo o mundo milhares de pessoas contestam esta forma cruel e primitiva de divertir uma minoria ridícula e inculta, e muitas cidades estão a rejeitar este costume bárbaro que envergonha a modernidade, os governantes e dirigentes portugueses teimam em continuar a fomentar e a apoiar antros de tortura de bovinos bebés e a formar monstrinhos para os lançar num futuro sem futuro.

 

E para que se tenha uma ideia de quão ridícula e perniciosa é esta politiquice de apoio a antros de toureio, deixo aqui alguns dos que eles chamam “objectivos” para “moldar a personalidade” de crianças que nada sabem da vida e nunca virão a saber se as condenarem a esta violência e obscuridade, praticados (por exemplo) na Escola de Toureio de Alter do Chão (com dinheiros públicos):

 

- Fazem colóquios e visitas a ganadarias e coudelarias (onde lhes falam de ética e de como devemos respeitar os touros e os cavalos, que também são animais, tanto quanto (agora por lei) devemos respeitar os animais cães e gatos?)

 

- Formar bons aficionados, fomentar o espírito de grupo e o contacto directo com a realidade tauromáquica (onde lhes falam de ser bom aficionado da empatia para com todos os seres vivos? Do espírito de grupo para construírem um futuro onde a violência e a crueldade não têm lugar? Contacto directo com a tortura, o sangue, a dor, o sofrimento dos bovinos nas arenas para divertir sádicos, algo que devem rejeitar veementemente se querem ser gente?)

 

- (Esta é a mais caricata) Melhorar a formação intelectual e social dos jovens, fomentar o espírito de partilha e prestigiar a escola e a comunidade de Alter do Chão (formação intelectual com a leitura de bons livros de Ciências Sociais, História, Literatura, Filosofia, Política? Melhorar a formação social levando as crianças a teatros, ou a visitar museus, exposições de arte? Partilhar conhecimentos e saberes sobre os mais básicos direitos dos Homens, das Crianças e dos Animais? Prestigiar a Escola de Alter do Chão, colocando-a ao nível do Colégio Luso-Francês do Porto, por exemplo?)

 

- Reunião semanal para analisar as notícias taurinas que marcaram os últimos dias e, nesses encontros, são projectadas novas iniciativas a desenvolver em prol da tauromaquia (falar-lhes-ão dos fracassos da tourada, da falta de público, da abolição dessa tragédia bovina em muitas cidades, e dos estropiamentos e das mortes dos toureiros nas arenas? Projectam iniciativas para incutir nas crianças a empatia pelos seres vivos que sofrem como elas, quando são feridas nas suas próprias carnes?)

 

- Um dos momentos altos da vida do clube taurino é a recepção a toureiros na escola (dirão às crianças que os toureiros ou os forcados não passam de cobardes que atacam e torturam animais indefesos para exibirem uma virilidade que não têm? Levarão á escola escritores ou poetas para lhes falarem de palavras benévolas e da poesia das flores?)

 

Francamente!

 

Que futuro pretenderão os governantes e dirigentes portugueses para as crianças portuguesas mais desprotegidas: as portadoras de deficiências e as que são obrigadas a frequentar antros de violência, crueldade e tortura?

Seria pedir muito que respondessem a esta pergunta tão simples?

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 11:51

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Sábado, 8 de Novembro de 2014

EDUARDO JORGE, PARAPLÉGICO, LUTA POR UMA VIDA INDEPENDENTE E POR APOIOS DO ESTADO, MAS O ESTADO OPTA POR APOIAR GANADEIROS

 

É é legítimo perguntarmos: por quê?

 

Eduardo Jorge diz: «Se nada mudar para melhor eu faço greve até morrer»

Vejam a entrevista aqui:

 

http://observador.pt/episodio/se-nada-mudar-para-melhor-eu-faco-greve-ate-morrer/

EDUARDO JORGE.jpg

«Eduardo Jorge, paraplégico, luta por uma vida independente e por apoios do Estado que permitam aos deficientes não serem institucionalizados compulsivamente. Quer ser activo sem se sentir humilhado».

 

Mas o Estado Português não tem verbas para apoiar os deficientes.

 

O Estado Português não tem verbas para apoiar a Educação, o Ensino, a Cultura, as Artes, os Velhos ou as Crianças com fome (que segundo as estatísticas rondam os 30%).

O Estado Português não tem verbas para o essencial.

 

O Estado Português não tem verbas para apoiar a Vida.

Mas o Estado Português tem verbas para apoiar duas dezenas de famílias de ganadeiros que fomentam a selvajaria tauromáquica.

 

Vejam aqui onde o Estado Português gasta as verbas que faltam para o essencial:

http://apodrecetuga.blogspot.pt/2012/05/agora-vai-saber-verdadeira-razao-porque.html#.VF5iV08qWmw

 

E as autarquias também

 

SUBSÍDIOS PARA A CRUELDADE.jpg

 

Mas para apoiar os deficientes não há verbas.

Vejam mais neste link:

http://apodrecetuga.blogspot.pt/p/dos-crimes-de-corrupcao.html#.VF5jtE8qWmw

 

Isto revolta-nos.

Isto insulta-nos.

Isto é ou não uma imoralidade, uma afronta, uma insanidade?

 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 18:49

link do post | Comentar | Ver comentários (4) | Adicionar aos favoritos
Domingo, 14 de Outubro de 2012

NA MANIFESTAÇÃO CULTURAL OCORRIDA ONTEM NÃO VIMOS REPRESENTANTES DA “CULTURA E ARTE TAUROMÁQUICAS”...

 

Das duas uma:

Ou

A tauromaquia não é Arte nem Cultura, e então é totalmente ridículo andar sempre com essas palavras na boca quando se refere o tauricídio...

Ou

A tauromaquia, sendo “arte” e “cultura” não está em crise, porque recebe chorudos subsídios do governo português e da comunidade europeia, disfarçados de “APOIOS À AGRICULTURA”, ao contrário das outras artes: Música, Dança, Pintura, Escultura, Literatura, Teatro e Cinema, para as quais NUNCA há verbas, e portanto os representantes de tais “artes tauricidas” não precisam de sair à rua para protestar...

Que espécie de governantes temos nós?

TODOS PARA A RUA, JÁ!

Web site desta imagem

Manifestação cultural decorre na Praça de Espanha. Manuel de Almeida/Lusa

expresso.sapo.pt

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 16:39

link do post | Comentar | Ver comentários (4) | Adicionar aos favoritos

Mais sobre mim

Pesquisar neste blog

 

Julho 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Posts recentes

EM PORTALEGRE NÃO HÁ VERB...

ENQUANTO NAS URGÊNCIAS D...

FALTAM VERBAS PARA APOIAR...

EDUARDO JORGE, PARAPLÉGIC...

NA MANIFESTAÇÃO CULTURAL ...

Arquivos

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

DIREITOS

© Todos os direitos reservados Os textos publicados neste blogue têm © A autora agradece a todos os que os divulgarem que indiquem, por favor, a fonte e os links dos mesmos. Obrigada.
RSS

ACORDO ORTOGRÁFICO

Em defesa da Língua Portuguesa, a autora deste Blogue não adopta o Acordo Ortográfico de 1990, devido a este ser inconstitucional, linguisticamente inconsistente, estruturalmente incongruente, para além de, comprovadamente, ser causa de uma crescente e perniciosa iliteracia em publicações oficiais e privadas, nas escolas, nos órgãos de comunicação social, na população em geral, e por estar a criar uma geração de analfabetos escolarizados e funcionais.

COMENTÁRIOS

Este Blogue aceita comentários de todas as pessoas, e os comentários serão publicados desde que seja claro que a pessoa que comentou interpretou correctamente o conteúdo da publicação. Serão eliminados os comentários que contenham linguagem ordinária e insultos, ou de conteúdo racista e xenófobo. Em resumo: comente com educação, atendendo ao conteúdo da publicação, para que o seu comentário seja mantido.

CONTACTO

isabelferreira@net.sapo.pt