Sábado, 1 de Fevereiro de 2014

PELOS TOUROS, PELOS CAVALOS, PELAS PESSOAS…

 

Por Vasco Reis

(Médico Veterinário)

 

Será possível que os adeptos da tauromaquia não sabem que os touros e os cavalos sentem e sofrem de maneira semelhante aos humanos?

 

É quase impossível que possam estar em tal estado de ignorância!

 

É mais provável que saibam, mas que desprezem esse conhecimento, despidos que estão de escrúpulos e dominados que estão por outros condicionantes (sadismo, especismo, sobranceria, tribalismo, vício, seguidismo, vaidade marialva, exibicionismo) e interesses (postos de trabalho, negócios, ganância, protagonismos literários, artísticos, profissionais, ambições políticas, buscas de popularidade e de apoios, etc. e sei lá que mais).

 

Oxalá que se compenetrem quão errados estão nessa senda e evoluam para serem integrados numa sociedade pacífica, respeitadora de valores científicos, éticos e sentirem, no sentido de Arthur Schopenhauer quão benfazeja e admirável é a compaixão.

 

A verdade é que valores como conhecimento científico, compaixão, ética, parecem estar ausentes.

 

Aliás, parece que o mundo está a ser progressivamente dominado e escravizado por gente/grupos/redes/instituições gananciosas e sem escrúpulos.

 

Os Valores estão a ser ignorados.

 

Queixemo-nos, o que é compreensível, mas isso não basta!

 

Divulguemos ciência, compaixão, ética, demos exemplo de solidariedade, de compaixão, de ética, de lealdade, de coragem.

 

Devemos incidir numa bem organizada mensagem aos jovens.

 

Vasco Reis

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 18:52

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Terça-feira, 28 de Janeiro de 2014

FESTA BRAVA OFERECE «ESCOLA DE VIDA»????

 

Como diz um açoriano culto: «Uma escola de vergonha, de deseducação e de incentivo à violência e ao desrespeito pela vida, ao mesmo tempo que envergonha os Açores e o seu povo. Haja vergonha na cara

 

 

 

Fonte:

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=790748714273057&set=gm.774650975896365&type=1&theater

 

***

É preciso ter muito descaramento, nenhuma vergonha na

cara e muitos ZEROS abaixo de Zero de lucidez e bom senso.

 

Como é possível, alguém no seu juízo perfeito dizer que os “valores” da tauromaquia são um “exemplo” na sociedade actual?

 

Bem, esses valores deverão ser os monetários, que enchem os bolsos de poucos. Do mal, o menor.

 

Quanto ao “exemplo” só se for de estupidez.Não há outro modo de classificar esta total inversão de valores.

 

***

«Enquanto o The Guardian dá destaque ao que verdadeiramente atrai o turista de qualidade aos Açores, lá vem a nódoa vergonhosa das touradas, estragar essa imagem e afugenta-los como aconteceu o ano passado com 50 ingleses e outros mais, que não toleram essas barbaridades, incompreensivelmente apoiadas com dinheiro dos nossos impostos.» (José Melo)

 

Abrir o link:

http://natur-mariense.blogspot.pt/2014/01/the-guardian-destaca-os-acores-como.html

 

 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 19:38

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Sexta-feira, 24 de Janeiro de 2014

A ORGANIZAÇÃO DO III FÓRUM DA “CULTURA” TAURINA DIZ QUE É PRECISO DEFENDER A TRADIÇÃO E A “CULTURA” TAUROMÁQUICA

 

Em causa estão os crescentes protestos contra as corridas de touros.

 

Os “valores” da tauromaquia é o tema do fórum.

 

De acordo com a organização, esses valores são económicos, educativos, culturais e, sobretudo, ecológicos.

 

 

É esta “cultura” que se vê na imagem que é preciso defender?

 

Que valor educativo, cultural e sobretudo ecológico tem esta “atitude” perante o bovino?

 

Os valores económicos sabemos que vão para os bolsos de alguns...

 

Mas gostaríamos de saber o que é que a tortura de um bovino manso e herbívoro tem de cultural ou educativo ou ecológico para merecer "defesa" num fórum, onde se gasta 90.000 Euros?

 

Podem fazer o favor de responder a estas questões?

 

Se nos responderem racionalmente, prometemos retirar a crítica que fizemos a este “evento”.

 

Fica aqui o desafio.

 

(O vídeo da defesa da tortura dos bovinos)

http://www.rtp.pt/acores/?article=35131&visual=3&layout=10&tm=7
publicado por Isabel A. Ferreira às 19:02

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Sábado, 4 de Janeiro de 2014

IVO MARGARIDO – UM INOCENTE PROCESSADO

 

Mais um caso insólito contra cidadãos que denunciam violações de leis, por parte de certas entidades, e são molestados pela justiça, com processos-crime.

 

Uma vergonhosa inversão de valores que não dignifica em nada a justiça (á) portuguesa.

 

 

Ivo Margarido diz: «Não me sinto e não sou criminoso... questionei várias entidades estatais sobre vários assuntos que me lesam a mim e toda a sociedade e não obtive respostas a nenhum deles ... houve uma clara violação da lei por parte dessas entidades ... a condenarem-me terão também que condenar os responsáveis por essas entidades ...

Vai ser interessante esta audiência..

 

***

APROVEITE PARA DESMASCARAR O QUE TEM DE SER DESMASCARADO, IVO MARGARIDO.

 

AINDA ESTAMOS NUM ESTADO DE DIREITO… SE BEM QUE A CAMINHO DE UMA DITADURA FASCISTA.

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 16:12

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Quinta-feira, 26 de Setembro de 2013

A TOURADA É UM ACTO DE CRUELDADE E COBARDIA

 

«A tourada é um acto de crueldade e cobardia de animais racionais que incapazes de se comportarem como Homens, enfrentam ou usam animais para enfrentar outro animal previamente e violentamente enfraquecido e torturado.

 

É a completa ausência de valores e de princípios. Nada que seja digno de se chamar arte e cultura. A arte dignifica o Homem, eleva-o ao estatuto de criador e a cultura mantém esse estatuto ao longo do tempo».  (Cândido Coelho)

 

 

Quem ousará contradizer esta verdade?

 

Desafio os aficionados a fazê-lo.

 
publicado por Isabel A. Ferreira às 17:24

link do post | Comentar | Ver comentários (2) | Adicionar aos favoritos
Terça-feira, 21 de Setembro de 2010

Ideias, Ideais e Ideologias...

 

 

Vou andando, por aí, em busca de um lugar onde possa sentar-me. Talvez à beira de um riacho, para ouvir o burburinho das suas águas límpidas e calmas, que me acalmam...

 

 

Nunca digo “não sei”, quando posso dizer “vou tentar saber”.

 

 Ideias, ideais e ideologias, cada um com as suas.

 

A não ser que te destruam o cérebro ou sejas cremado e as tuas cinzas lançadas aos ventos, o teu pensamento e o espaço ocupado pelo teu corpo, no Universo, são os únicos bens verdadeiramente só teus. De ninguém mais.

 

 Isto é uma das minhas ideias. Tu podes ter outra ideia.

 

Vou andando por aí em busca de um lugar onde possa sentar-me. Talvez à beira de um riacho, para ouvir o burburinho das suas águas límpidas e calmas, que me acalmam, e à hora em que o Sol, já cansado de me olhar, se afundar no oceano, trocar algumas impressões sobre a natureza das coisas, com o sábio mocho.

 

Este é um dos meus ideais. Tu podes ter outro ideal, tão válido quanto o meu.

 

Vou andando por aí e vou pensando... Que mais poderei fazer? Tantas coisas!... Não sou rei, não sou súbdito. Não sou pobre, nem sou rico. Não mando, também não desmando. Tenho ideias. Tenho ideais. Não sou pau, nem pedra. Nem cera que se derrete. Sou um simples ser humano. Respeito o meu semelhante. Considero de igual modo os meus irmãos animais, as minhas irmãs plantas. O ar, a água, a terra. Até as pedras dos caminhos...

 

Faço versos às águas do mar. Finjo que canto com as sereias, em noites de lua cheia, porque dou valor ao sonho.

 

Mas grito a minha indignação, quando tenho de gritar.

 

Choro, quando tenho de chorar.

 

Gosto de aprender. Nunca digo “não sei”, quando posso dizer “vou tentar saber”, uma vez que, deste modo, cresço, na minha própria consideração.

 

Abomino a violência, a covardia, a maldade, a tortura, o ódio, a inveja, a injustiça, a vingança, a raiva. Para mim, coisas menores, de seres ainda menores.

 

Não faço a guerra, simplesmente porque prezo a minha liberdade.

 

Sou corpo. Sou também espírito. E, embora talvez não te interesse, Cristo, Buda, Confúcio, Maomé fazem parte do meu mundo. Uso a rosa amarela como símbolo da minha espiritualidade. Gosto de sonhar e de brincar à maneira das crianças. Conheço o valor da amizade. Tenho um rato, uma cadela, um gato e três pequenas gatas entre os meus maiores amigos.

 

Venero os valores humanos, mas as leis dos homens nada me dizem. A minha lei é a Lei Natural. Além disso, não fui eu quem inventou a política.Esta é a minha ideologia. A tua ideologia é outra?

 

Óptimo! Eu sei ser tolerante. Aceitá-la-ei com todo o respeito que te devo.

 Afinal, desprezo apenas a malvadez dos que são apenas “omens”.

 

 Isabel A. Ferreira

 in «Manual de Civilidade» - Texto e foto © Isabel A. Ferreira

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 15:38

link do post | Comentar | Ver comentários (4) | Adicionar aos favoritos

Mais sobre mim

Pesquisar neste blog

 

Março 2021

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Posts recentes

PELOS TOUROS, PELOS CAVAL...

FESTA BRAVA OFERECE «ESCO...

A ORGANIZAÇÃO DO III FÓRU...

IVO MARGARIDO – UM INOCEN...

A TOURADA É UM ACTO DE CR...

Ideias, Ideais e Ideologi...

Arquivos

Março 2021

Fevereiro 2021

Janeiro 2021

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Direitos

© Todos os direitos reservados Os textos publicados neste blogue têm © A autora agradece a todos os que os divulgarem que indiquem, por favor, a fonte e os links dos mesmos. Obrigada.
RSS

Acordo Ortográfico

Em defesa da Língua Portuguesa, a autora deste Blogue não adopta o Acordo Ortográfico de 1990, devido a este ser inconstitucional, linguisticamente inconsistente, estruturalmente incongruente, para além de, comprovadamente, ser causa de uma crescente e perniciosa iliteracia em publicações oficiais e privadas, nas escolas, nos órgãos de comunicação social, na população em geral, e por estar a criar uma geração de analfabetos escolarizados e funcionais.

Comentários

Este Blogue aceita comentários de todas as pessoas, e os comentários serão publicados desde que seja claro que a pessoa que comentou interpretou correctamente o conteúdo da publicação. Serão eliminados os comentários que contenham linguagem ordinária e insultos, ou de conteúdo racista e xenófobo. Em resumo: comente com educação, atendendo ao conteúdo da publicação, para que o seu comentário seja mantido.

Contacto

isabelferreira@net.sapo.pt