Terça-feira, 8 de Março de 2016

BOAS NOTÍCIAS PARA OS TOUROS PORTUGUESES

 

«(…) Foram divulgadas as estatísticas oficiais da Inspecção Geral das Actividades Culturais que nos dizem que as touradas perderam, mais uma vez, público em 2015.

Os números indicam ainda que só nos últimos 5 anos (2010-2015) as touradas perderam 42% do público em Portugal! É uma excelente notícia que temos muito gosto em partilhar convosco e que pedimos que divulguem o mais possível. É muito importante que a sociedade portuguesa perceba que isto está mesmo a acabar. Obrigado

 

TOURADA1.png

Fonte:

https://www.facebook.com/Basta.pt/photos/a.472890756075069.108951.143034799060668/1124375224259949/?type=3&theater

 

***

QUEIMA DAS FARPAS EM COIMBRA

 

TOURADA2.png

 

«Cerca de 1.500 bilhetes vendidos ao público em geral em 2015. Mesmo que todos fossem estudantes, esse número representaria menos de 4% do universo total. Fará sentido o dinheiro de todos pagar os vícios de alguns?

 

Coimbra tem mais encanto sem garraiada na despedida.»

 

Assinem a petição:

 http://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=QueimaDasFarpas

Fonte:

https://www.facebook.com/Queima.das.Farpas/photos/a.1585670385007976.1073741828.1568326173409064/1699649516943395/?type=3&theater

 

 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 18:27

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Terça-feira, 31 de Março de 2015

«Por que gosto gosto dos animais não-humanos»...

 

 

417892_332486713462226_1401357821_n[1].jpg

 

Texto de Josefina Maller

 

«Todos sabem (os meus leitores, claro!) que eu sou uma defensora acérrima dos animais (de qualquer animal, seja doméstico ou selvagem, do cão, do gato, da formiga ao hipopótamo), dos seus direitos, e de como os considero meus irmãos, porque somos seres da mesma Criação, com quem partilho o mesmo Planeta e a mesma Vida: respiramos o mesmo ar; bebemos da mesma água; alimentamo-nos do que a Natureza nos dá; temos as mesmas necessidades vitais, fome, sede, sono; sofremos as mesmas dores; somos fustigados pelo mesmo Vento; ilumina-nos o mesmo Sol; vela-nos a mesma Lua; abrasa-nos o mesmo Fogo; somos atingidos pelos mesmos flagelos da Natureza, pelas mesmas doenças, pelos mesmos martírios que nos infligem os animais humanos.

 

Porém, nem todos saberão porquê.

 

in «A Hora do Lobo», livro de Josefina Maller

 

Gosto dos animais não-humanos porque:

 

- São-nos fiéis em qualquer circunstância: nos bons e nos maus momentos; na fartura e na miséria; na saúde e na doença. 

 

- Não têm vícios, não se embebedam, não se drogam...

 

- Não são rancorosos.

 

- Não usam da violência para maltratar os da sua espécie, a não ser em legítima defesa ou por uma questão de sobrevivência...

 

- Não matam por prazer.

 

- Não são cruéis.

 

- Não sentem ódio, nem escárnio.

 

- Não massacram.

 

- Não são terroristas.

 

- Não desprezam os seus.

 

- Não poluem as águas, o ar, o solo, o ambiente...

 

- Não fazem guerras.

 

- Não são bombistas suicidas.

 

- Não destroem o seu meio ambiente.

 

- Não inventam armas mortíferas.

 

- Não sequestram os seus.

 

- Não violam os seus.

 

- Não torturam os seus.

 

- Não impingem o seu modo de vida a ninguém.

 

- Não são intolerantes.

 

- Não mentem nunca.

 

- São afectuosos.

 

- São pacifistas.

 

- Não são hipócritas, nem cínicos.

 

- São amorosos, perspicazes, laboriosos, inteligentes.

 

- Não agridem, se não os agredirem.

 

- Não são ladrões.

 

- Não são corruptos.

 

- Não são vigaristas.

 

- Não são traficantes de droga, nem de armas, nem dos seus.

 

- Respeitam as leis da Natureza e da Sobrevivência.

 

- Não andam no mundo só por ver andar os outros: intuem o verdadeiro sentido da vida, porque a vivem de acordo com a Lei Natural... que é forma mais inteligente de viver...

 

Que motivos terei eu para não respeitar ou não gostar dos animais não-humanos ou de considerá-los inferiores a mim?»

 

Josefina Maller

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 15:36

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Segunda-feira, 23 de Setembro de 2013

CARTA AOS AUTARCAS QUE SE CANDIDATAM ÀS CÂMARAS MUNICIPAIS, DOS MUNICÍPIOS QUE APOIAM A TORTURA DE BOVINOS E OS MAUS TRATOS A ANIMAIS

 

Senhores candidatos:

 

O meu nome não importa.

 

Sou uma cidadã comum. De nacionalidade portuguesa. Faço parte do povo. Sou livre pensadora. Tenho os meus direitos e tenho os meus deveres.

 

Um dos meus direitos é votar.

 

E um dos meus deveres é denunciar os governantes que, tendo sido eleitos para servir o povo, servem-se a si mesmos e aos lobbies aos quais se vergam como uns lacaios.

 

Ainda estou indecisa. Votar ou não votar eis a minha questão, porque estou farta desta democracia podre. Estou farta das leis bastardas que uns legisladores, que nada percebem de leis, fazem aprovar, para depois não serem cumpridas.

 

Temos uma Constituição. E sabem o que descobri? Que nenhum governante neste país cumpre a Constituição. Nenhum.

 

Por que então o povo tem de cumprir leis bastardas e mal feitas e que são a vergonha do país?

 

Não li todos os programas políticos dos partidos concorrentes, mas não tenho dúvidas de que todos, de uma forma geral, mostrarão preocupações muito parecidas no que diz respeito às necessidades básicas da sociedade.

 

Falácias.

 

Será transversal a todos os partidos políticos que as preocupações e os objectivos prioritários sejam as crianças; os idosos; os desempregados; os mais frágeis; as questões sociais; saúde; a educação; a energia; o ambiente; enfim, tudo o que faz parte do quotidiano de uma sociedade que se quer harmoniosa, civilizada e evoluída.

 

Mas isto é transversal apenas nos discursos da campanha eleitoral.

 

Depois de eleitos fazem tudo ao contrário. A isso chama-se trapaça. E eu, como cidadã livre, e com direitos consignados na Constituição Portuguesa, não tenho de ser cúmplice dessa trapaça.

 

Portugal não tem caminhado para o futuro no que respeita a determinadas áreas, atrás referidas, como deveria ser normal, uma vez que está inserido na Comunidade Europeia. Não! Estamos na cauda da Europa. Um povinho pobre, a pedir uma esmolinha à Alemanha, e esta a colocar as suas mãozorras em cima de nós.

 

Enquanto isso os autarcas que se candidatam a estas eleições nos municípios taurinos gastam milhares de Euros a apoiar a actividade medieval da tauromaquia, algo que um povo evoluído rejeita. E o povo que passe fome. E as crianças que não tenham escolas. E os idosos que não tenham assistência. Que lhes interessa isso? O que importa é o lucro que a tortura dá a uns poucos.

 

Além de o nosso país estar atrasado em relação a muitas dessas aéreas, existe uma em que Portugal está integralmente atrás dos países mais desenvolvidos e evoluídos da Europa e do mundo: a falta de respeito e ética em relação aos animais não humanos.

 

Portugal resolveu parcialmente os seus problemas de racismo, de xenofobia, de sexismo, mas tem esquecido e ficado para trás na resolução do especismo, que ainda grassa na sociedade.

 

Somos um país da U. E. onde em pleno século XXI se continuam a praticar, a aplaudir e a apoiar costumes bárbaros, como as mais variadas modalidades de tortura de bovinos; a permitir circos com animais enclausurados; onde são abatidos milhares de cães e gatos todos os anos nos espaços de recolha municipais, apenas porque não existem leis que regulem os nascimentos descontrolados dos animais (que curiosamente fica mais barato que os abates); onde segundo o código civil, os animais estão equiparados a coisas (um animal será o mesmo que uma cadeira?); onde os touros e cavalos foram nesciamente excluídos do Reino Animal; onde é permitido o tiro aos Pombos, a luta de Cães, a caça e a pesca desportivas, enfim uma infinidade de crimes contra a Natureza, o chamado ecocídio, que estigmatiza o nosso país e coloca-o no rol dos países terceiro-mundistas.   

 

Existem muitos candidatos às Câmaras Municipais taurinas cujo único objectivo é dar continuidade a esta política carniceira (que até dá os seus lucros) e servir os lobbies a ela ligada.

 

Outros já têm teias de aranha, e todos os vícios de quem está no poder há bastante tempo, como segundos...


Outros ainda, foram condenados por abuso de poder (como é o caso do candidato pelo PSD à Câmara Municipal da Póvoa de Varzim), outros por corrupção, mas continuam a insistir... E a lei permite que um cidadão, que tem o Certificado de Registo Criminal sujo, seja candidato a um cargo político...?

Estes candidatos não têm nada para oferecer ao povo, nem aos animais não humanos que vivem nos seus municípios. Apenas se impõem servir a si próprios e aos vários lobbies implantados nos municípios.  

 

Dito isto, devo acrescentar que este é o momento de dizer NÃO aos candidatos que não se interessam pelo povo e pelos seus problemas.

 

Senhores candidatos, os senhores não podem ganhar estas eleições, porque se ganham, será o atraso de vida, a ignorância, um passado com cheiro a mofo e a violência que regressará o poder.

 

E esse poder podre, não o quero para o meu País.

 

Por isso o meu voto irá para as urtigas, são mais úteis do que os autarcas que se candidatam para servir lobbies.

 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 19:52

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Mais sobre mim

Pesquisar neste blog

 

Julho 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Posts recentes

BOAS NOTÍCIAS PARA OS TOU...

«Por que gosto gosto dos ...

CARTA AOS AUTARCAS QUE SE...

Arquivos

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Direitos

© Todos os direitos reservados Os textos publicados neste blogue têm © A autora agradece a todos os que os divulgarem que indiquem, por favor, a fonte e os links dos mesmos. Obrigada.
RSS

Acordo Ortográfico

Em defesa da Língua Portuguesa, a autora deste Blogue não adopta o Acordo Ortográfico de 1990, devido a este ser inconstitucional, linguisticamente inconsistente, estruturalmente incongruente, para além de, comprovadamente, ser causa de uma crescente e perniciosa iliteracia em publicações oficiais e privadas, nas escolas, nos órgãos de comunicação social, na população em geral, e por estar a criar uma geração de analfabetos escolarizados e funcionais.

Comentários

Este Blogue aceita comentários de todas as pessoas, e os comentários serão publicados desde que seja claro que a pessoa que comentou interpretou correctamente o conteúdo da publicação. Serão eliminados os comentários que contenham linguagem ordinária e insultos, ou de conteúdo racista e xenófobo. Em resumo: comente com educação, atendendo ao conteúdo da publicação, para que o seu comentário seja mantido.

Contacto

isabelferreira@net.sapo.pt