Segunda-feira, 25 de Fevereiro de 2013

AS TOURADAS ESTÃO COM O PÉ NA COVA TANTO NA ILHA TERCEIRA COMO NAS RESTANTES REGIÕES ONDE A CIVILIDADE AINDA NÃO CHEGOU

 

Isto para responder aos comentários do Luís Soares, e ao responder a ele, respondo a todos os que, infelizmente, vivem num desconhecimento total do que é o mundo tauromáquico, porque o que lhes “passaram” como certo é a maior das mentiras.

 

 

 

Se isto que acabámos de ver é arte e emoção, rasguemos todos os livros e atiremos a humanidade contra um muro cravado de punhais.  

 

 

Luis Soares disse sobre “INVESTIGADOR” DA UNIVERSIDADE DOS AÇORES, JOÃO PEDRO BARREIROS, DEFENDE QUE AS GANADARIAS DA ILHA TERCEIRA SÃO “RESERVAS BIOLÓGICAS”na Segunda-feira, 25 de Fevereiro de 2013 às 13:13:

 

 

«\" Na Ilha Terceira a vegetação endémica sempre existiu, existe e existirá mesmo depois da abolição das Touradas, que estão já com os pés na cova.\" . Bem, eu sou da Terceira, e felizmente, que posso dizer que não, não estão de pé para a cova... Chega a haver mais que uma no mesmo dia. É sem dúvida dos locais no mundo, onde há maior culto ao touro. Basta ver que temos o maior monumento feito ao touro, no mundo! Uma estátua de três touros com as suas investidas características. O segundo está no México. Não sei se já veio cá alguma vez. Espero que sim, senão todo este texto perde o seu sentido. Mas se veio, não acredito que não tenha sentido toda esta aficion do povo terceirence… terminou um dos seus posts com imagens a definir o que é arte. Convido lhe a ir ao dicionário pesquisar o significado de arte. Uma tourada é sem dúvida! Arte, emoção! Com os melhores cumprimentos,»

 

***

Pois Luís Soares, garanto-lhe que essa diversão sórdida, digna apenas de gente malformada e de maus instintos, está moribunda, apesar de dizer que chega a haver mais do que uma no mesmo dia. Isso só diz da doença de que sofrem.

 

A tourada está a morrer. Com os pés já dentro da cova. É só mais um empurrãozinho e lá vai tudo.

Mas a Ilha Terceira alguma vez foi evoluída?

 

O que disse só DESPRESTIGIA uma terra com belezas naturais e um povo muito, muito, muito desinformado (para não dizer coisa pior).

 

O facto de ser um dos locais do mundo onde há o maior “culto” ao Touro significa que é uma das terras mais atrasadas do mundo. Não é capaz de se aperceber disso?

 

Culto de morte? Culto de violência? Culto de estupidez?

 

Reveja o vídeo.

 

A afición do povo terceirense é uma DOENÇA MENTAL. Não vos traz nenhum prestígio. Pelo contrário. O turista culto não visita a Ilha Terceira.

 

Estátuas a Touros, para celebrar a tortura de que são alvo? Só mesmo numa terra onde a CIVILIDADE ainda não chegou.

 

Arte e emoção? A tourada?

 

Luís Soares, veja e reveja o vídeo que ilustra o que que lhe quero transmitir, e depois diga-me se é capaz de ver arte onde o sangue roja aos borbulhões de um corpo vivo, em grande sofrimento, diante de um povo completamente ensandecido.

 

***

 

Luis Soares disse sobre GRUPO DE FORCADOS ACADÉMICOS DE LEIRIA NÃO ENVERGONHEM UMA JUVENTUDE QUE SE QUER ÚTIL À SOCIEDADE na Segunda-feira, 25 de Fevereiro de 2013 às 13:27:

 

«Mais uma vez... Acho que estão a falar sem conhecimento de causa. O forçado covarde? Como é possível dizerem isso?... Dizem que é covarde porque pega um touro já sem forças, (coisa que claro q não é verdade, mas que eu não vou argumentar), mas sim perguntar então, o que é que São os forcados que vão pegar ao Canada, em que o touro tem proteções e mais proteções, nao pode sangrar nem um pouco pois será logo recolhido. Quanto ao Numero de países, pois claro q são poucos, é uma questão de cultura e história dos próprios países... Só Portugal é que tem Fado... Porque será? Deviamos \"evoluir\"? O pop é que é! Só um país?... Q estranho... :

 

 

Veja-se o Touro cheio de bandarilhas nas costas. O sangue a escorrer, e o Touro já quase nem se aguenta em pé. Está moribundo. Para se defender, reúne todas as suas derradeiras forças e investe contra um bando de covardes, que o agarram, que o torcem, que o molestam, puxam-lhe o rabo, fazem-no andar às voltas… e o sangue a escorrer daquele corpo já massacrado, já quase esvaído… A isto, em qualquer parte do mundo civilizado, chama-se COVARDIA.

 

 

Quem é que está a falar sem conhecimento de causa?

 

Como é possível dizerem isso?

 

Basta ver o vídeo.

 

Pois vou dizer-lhe o que é um forcado, porque ninguém nunca vos disse o que era um forcado.

Um forcado, dentre todos os covardes que torturam o Touro,  antes e depois de ir para a arena, é o mais COVARDE.

 

É isto que é um forcado. Um COVARDE. Um sujeito com maus instintos. Malformado. Ignorante. Patético.

 

Gostava que lhe fizessem o mesmo, estando o Luís com umas tantas facadas enfiadas no corpo? A esvair-se em sangue? Cheio de dores? E vinha um bando de sete ou oito metidos a valentes para cima de si e o torciam, e o agarravam… Gostava?

 

Ponha-se no lugar de quem é assim tão barbaramente torturado.

 

Os países onde esta prática primitiva e ignorante é permitida são poucos, e são todos latinos. E por serem poucos significa que os restantes evoluíram e estes não.

 

«Só Portugal é que tem Fado... Porque será? Deviamos "evoluir"? O pop é que é! Só um país?... Q estranho..»

 

Eu NEM ACREDITO!

 

Esta não tem resposta possível!

 

E hoje não me apetece dizer aqueles adjectivos todos que bem definem uma pessoa que escreve uma frase destas…

 

Enfim… Veja o vídeo, Luís Soares…

 

E se não vir ali COVARDIA, é porque é cego mental. Desculpe lá esta.

publicado por Isabel A. Ferreira às 18:47

link do post | Comentar | Ver comentários (15) | Adicionar aos favoritos
Domingo, 6 de Janeiro de 2013

“INVESTIGADOR” DA UNIVERSIDADE DOS AÇORES, JOÃO PEDRO BARREIROS, DEFENDE QUE AS GANADARIAS DA ILHA TERCEIRA SÃO “RESERVAS BIOLÓGICAS”

 

 

 

 

 

Isto é uma ANEDOTA?

 

Desde quando as ganadarias da Ilha Terceira são “reservas biológicas”, “senhor investigador”?

 

O “senhor investigador” investiga o quê? Os interesses económicos de quem?

 

O “senhor investigador” por acaso sabe que não existe “touros bravos” na Natureza?

 

Como podemos estudar e monitorizar a sagrada “vida selvagem” numa ganadaria onde FABRICAM touros para serem torturados nas ruas, puxados por uma corda, com o objectivo de encherem os bolsos dos ganadeiros e uns tantos satisfazerem os seus instintos sádicos?

 

Como pode o “senhor investigador” estar convencido do que quer que seja, se não sabe o mais básico: o que é um Touro?

 

Touro bravo? Touro de lide? Que espécie será esta que não consta dos catálogos biológicos?  

 

Na Ilha Terceira a vegetação endémica sempre existiu, existe e existirá mesmo depois da abolição das Touradas, que estão já com os pés na cova.

 

Os seus interesses de “investigador” são os mesmos que movem os interesses dos ganadeiros, dos aficionados, dos que sadicamente se divertem a ver torturar um ser vivo, com um ADN semelhante ao do ser humano?  

 

Tem a certeza do que anda a “investigar”?

 

Não acha que isso só desprestigia a Universidade dos Açores?

 

É uma vergonha que Artur Machado, “professor” responsável pelo Centro de Biotecnologia dos Açores venha a público defender que "quase tudo o que é hoje o interior da Terceira deve-se ao touro bravo" e que "a preservação destes animais é fundamental na protecção da natureza e ao mesmo tempo ajuda-nos a definir a nossa identidade".
 
O interior da Ilha Terceira sempre foi o que foi. Qual touro bravo? Que protecção da Natureza? Atente bem no disparate que proferiu, senhor “professor”. Estar a falar para tauricidas, é uma coisa. Eles engolem toda a parvoíce que se diz em relação a Touros. Agora vir a público espalhar esses desconchavos como se todos fossem muito ignorantes, é outra coisa.

 

Que “identidade” é que se pretende definir com a tortura de Touros? Não é com certeza a identidade de uma Ilha linda e com História. Será apenas a “identidade” de uns poucos papalvos que, apesar de toda a informação, optam pela ignorância.

 

E o “historiador” Francisco Maduro-Dias disse bem: «Ver um grupo de touros, ao longe, na paisagem, sobretudo naquelas montanhas mais escalavradas que temos no interior da Terceira é sempre uma imagem de que gostamos, que nos consola, que nos faz sentir identificados, localizados e estabilizados», mas esqueceu-se de acrescentar que esses Touros têm de ser TOUROS, e não os fabricados “touros bravos ou touros de lide”, que não existem no estado natural, e só servem para TORTURAR.

 

Arlindo Teles, o presidente da “tertúlia tauromáquica terceirense” vai ainda mais longe com os disparates. Diz, PASME-SE, que o "culto ao touro dá-se na Terceira como em mais nenhum lugar do mundo".

 

Não é possível! “Culto ao touro”? Como naquela antiguidade muito antiga? A Ilha Terceira não EVOLUIU NADA? Mesmo nada? Parou no tempo?

 

E esta “anedota” que veio da Universidade dos Açores (QUE VERGONHA!) acaba com um professor da dita cuja, a dizer o maior disparate do mundo: «Há uma relação de respeito e seriedade na sociedade terceirense face aos elementos naturais»

 

DEIXO-VOS AQUI O RESPEITO E A SERIEDADE TERCEIRENSE FACE AOS ELEMENTOS NATURAIS (?), NOMEADAMENTE O TOURO E A CONSCIÊNCIA AMBIENTAL DE QUE FALAM

 

 

 

 

TENHAM VERGONHA!

 

 «As ganadarias da ilha são verdadeiras "reservas biológicas", defende o biólogo e professor da Universidade dos Açores, João Pedro Barreiros. A ideia é explorada num dos vídeos disponíveis numa página da Internet criada no portal SIARAM, dedicada ao toiro bravo da Terceira.
 
Do ponto de vista de João Pedro Barreiros as ganadarias são espaços onde existe todo o interesse em estudar e monitorizar a vida selvagem.
 
O biólogo considera que há uma relação importante entre os lugares onde são criados toiros de lide, com a vegetação espontânea, endémica, da ilha Terceira: "A preservação de manchas florestais endémicas, uma vez que estas ilhas foram colonizadas no século XV, resulta de dois acasos. Sobraram regiões de difícil acesso, como Caldeira de Santa Bárbara, ou lugares, como as ganadarias, onde se produziram animais que se adaptaram a locais menos desejáveis para a agropecuária. Sem contar com os lugares altos, estou convencido que, se não houvessem toiros, não estava preservada grande parte da vegetação endémica que ainda sobrevive".
 
Pode-se ficar também a conhecer as visões de personalidades como Francisco Maduro-Dias, historiador, José Parreira, arquiteto e aficionado, ou Arlindo Teles, presidente da Tertúlia Tauromáquica Terceirense.
 
De acordo com o portal, Artur Machado, professor da Universidade dos Açores responsável pelo Centro de Biotecnologia dos Açores, sustenta que "quase tudo o que é hoje o interior da Terceira deve-se ao touro bravo" e que "a preservação destes animais é fundamental na proteção da natureza e ao mesmo tempo ajuda-nos a definir a nossa identidade".
 
"Ver um grupo de touros, ao longe, na paisagem, sobretudo naquelas montanhas mais escalavradas que temos no interior da Terceira é sempre uma imagem de que gostamos, que nos consola, que nos faz sentir identificados, localizados e estabilizados", afirma, por seu turno, Francisco Maduro-Dias.
 
José Parreira acredita que "preservar este animal nesta ilha é também garantir a preservação de um determinado ecossistema ambiental onde ele está integrado". 
 
Arlindo Teles defende que o "culto ao touro dá-se na Terceira como em mais nenhum lugar do mundo".

 

Consciência ambiental 
 
Para Eduardo Dias, professor da Universidade dos Açores e responsável pelo GEVA (Grupo de Ecologia Vegetal Aplicada), o toiro acaba por ser o catalisador de uma cultura ligada à natureza na ilha. "Dá-se uma determinada leitura, através do toiro, da própria natureza. Sendo o toiro o símbolo da natureza e tendo um conjunto de propriedades de nobreza e de valentia, então esses valores passam a ser, simbolicamente, projetados sobre o resto da natureza. Há uma relação de respeito e seriedade na sociedade terceirense face aos elementos naturais", argumenta.»

 

Os vídeos podem ser consultados em: http://siaram.azores.gov.pt/patrimonio-cultural/touro-bravo/_intro.html

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 16:20

link do post | Comentar | Ver comentários (4) | Adicionar aos favoritos

Mais sobre mim

Pesquisar neste blog

 

Abril 2021

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

Posts recentes

AS TOURADAS ESTÃO COM O P...

“INVESTIGADOR” DA UNIVERS...

Arquivos

Abril 2021

Março 2021

Fevereiro 2021

Janeiro 2021

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Direitos

© Todos os direitos reservados Os textos publicados neste blogue têm © A autora agradece a todos os que os divulgarem que indiquem, por favor, a fonte e os links dos mesmos. Obrigada.
RSS

Acordo Ortográfico

Em defesa da Língua Portuguesa, a autora deste Blogue não adopta o Acordo Ortográfico de 1990, devido a este ser inconstitucional, linguisticamente inconsistente, estruturalmente incongruente, para além de, comprovadamente, ser causa de uma crescente e perniciosa iliteracia em publicações oficiais e privadas, nas escolas, nos órgãos de comunicação social, na população em geral, e por estar a criar uma geração de analfabetos escolarizados e funcionais.

Comentários

Este Blogue aceita comentários de todas as pessoas, e os comentários serão publicados desde que seja claro que a pessoa que comentou interpretou correctamente o conteúdo da publicação. Serão eliminados os comentários que contenham linguagem ordinária e insultos, ou de conteúdo racista e xenófobo. Em resumo: comente com educação, atendendo ao conteúdo da publicação, para que o seu comentário seja mantido.

Contacto

isabelferreira@net.sapo.pt