Quinta-feira, 21 de Junho de 2018

A PÓVOA DE VARZIM DECLARA-SE ANTI-TOURADA E A "prótoiro" PRETENDE PROCESSAR O MUNICÍPIO POR TAL ACTO EVOLUTIVO

 

E se isto não fosse ridículo até dava para rir…

Ao que leva o desespero!

As touradas estão a dar o berro. São práticas selváticas, nada adequadas aos tempos modernos.

A Póvoa de Varzim libertou-se das trevas que obscurecia a cidade.

Mas a prótoiro não quer, como se a prótoiro mandasse na cidade!

 

PRAÇA.png

 

 

A prótoiro - federação portuguesa de tauromaquia garantiu hoje que vai avançar com uma queixa em tribunal contra a Câmara da Póvoa de Varzim, por esta ter decidido proibir a realização de touradas no concelho, considerando esta decisão do executivo poveiro "um ataque feroz à legislação, principalmente à Constituição da República Portuguesa", esquecendo-se a prótoiro que a tauromaquia não é, nem nunca foi e jamais será cultura popular portuguesa, porque nem sequer é português este costume bárbaro. Herdado dos espanhóis (já cansa repetir isto, mas não há meio de eles aprenderem).

 

A prótoiro acha, e acha bem, que “nem os municípios, nem nenhum outro órgão, têm poderes para proibir a cultura, a não ser que vivêssemos numa ditadura". Correcto. Proibir a Cultura é algo inconcebível. Mas estamos a falar da proibição da Cultura Culta e Cultura Popular. Na verdade, é das ditaduras proibir tais manifestações culturais.

 

Também é verdade que, segundo a prótoiro, "qualquer decisão tomada no sentido de limitar ou proibir o acesso a um espectáculo cultural é ilegal e inconstitucional". É verdade.

 

No entanto de que fala a prótoiro, quando fala de cultura ou de espectáculo cultural? Fala obviamente de tortura de tTuros e Cavalos para divertir psicopatas e sádicos e encher os bolsos a uns poucos ganadeiros. E isto não é cultura, nem em Portugal, nem no planeta mais deserto, dos confins do mundo.

 

A prótoiro acha que «a decisão da Câmara é altamente danosa para a cidade e a região, aludindo a alegadas declarações de Aires Pereira em 2014, em que o autarca sublinhava a importância das touradas para o município em termos de turismo e garantia que elas continuariam a ser realizadas na Póvoa de Varzim».

 

Ora tanto quanto se sabe, as touradas na Póvoa de Varzim, como aliás em qualquer outro município atrasado civilizacionalmente, onde ainda se mantém esta prática de broncos, não trazem benefício nenhum às localidades, nem sequer ao turismo ou economia, muito pelo contrário, só trazem prejuízos e muito má fama.

 

E se em 2014 Aires Pereira prestou tais declarações, hoje, em 2018, diz não se lembrar delas, contudo, se as fez, «qualquer pessoa está sempre a tempo de mudar de opinião», referiu, ou seja, qualquer pessoa está sempre a tempo de EVOLUIR.

 

Foi o que aconteceu. E nenhum tribunal poderá condenar um autarca por ter evoluído e abandonado uma prática que, além de desprestigiar a cidade, não confere dignidade à pessoa humana, por ser uma prática cruel, violenta e desadequada aos tempos modernos.

 

Isabel A. Ferreira

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 16:55

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Quinta-feira, 3 de Maio de 2018

A TOURADA É UMA PRÁTICA TROGLODITA QUE NADA TEM A VER COM DEMOCRACIA

 

Tauromaquia rima com monarquia, e foi o passatempo dos alienados desse tempo e do tempo da ditadura fascista.

 

Contudo, tourada não rima com Democracia.

 

Mas nós viveremos em Democracia?

 

A esmagadora maioria do povo português não se revê nesta prática medievalesca, e ainda assim, “democraticamente”, a esmagadora maioria dos deputados da Nação não ouve o povo, mas dá ouvidos à minoria troglodita.

 

TOURADA.png

 Um “festival” tauromáquico, realizado em 2018, para uma multidão… de assentos vazios…

 

 Li, num lugar onde se divulga esta prática medievalesca, o seguinte título numa crónica: «Legislação portuguesa encerra debate e protege touradas».

 

Isto é algo que jamais leríamos num país civilizado e evoluído. Lemos isto em Portugal, que ainda é um país muito atrasado civilizacionalmente.

 

E a crónica diz o seguinte:

 

«Está encerrado o debate. A tauromaquia está protegida pela legislação portuguesa e o Estado tem de garantir o acesso de todos à tourada, enquanto actividade cultural integrante do património português.

 

A crónica não vem assinada. Desconheço quem a escreveu, mas por esta aragem, vê-se quem vai na carruagem: alguém que vive mergulhado nos tempos medievais, envolto na mais tenebrosa ignorância e alienação.

 

Que, embora inacreditavelmente, nos tempos que correm, século XXI D.C., a legislação portuguesa proteja tauromaquia, é verdade. Agora que o Estado tem de garantir o acesso de todos (quem serão esses todos? os que se vêem na imagem acima?) à tourada, é a alucinação de um alienado. O Estado tem de garantir o acesso à educação, à saúde, ao bem-estar, à segurança, enfim, a algo mais premente do que o acesso à selvajaria tauromáquica. E se lhe juntarmos a pretensão de que a tourada é uma actividade cultural, passamos da alucinação para a insanidade, e ao chamar à tortura de um ser vivo património português, então entra-se num estádio de profunda demência.

 

E a crónica prossegue:

 

«A ideia levantada pelo jornal Público, de que as touradas podem ser proibidas, em função das recentes alterações ao Código Civil, cai por terra pela força da própria Lei, bastando para isso a leitura do nº 2, do artigo 3º da Lei 92/95: “As touradas são autorizadas nos termos regulamentados". O Decreto-Lei nº 89/2014, que aprova o Regulamento do Espectáculo Tauromáquico, define que a "tauromaquia é, nas suas diversas manifestações, parte integrante do património da cultura popular portuguesa".

 

 

E alguma vez, uma lei obtusa, como é a lei que autoriza a tortura de seres vivos para divertir sádicos, pode sobrepor-se às leis que protegem a Vida e os Seres Vivos? E alguma vez uma prática cruel e violenta contra seres vivos é “espectáculo”? E alguma vez a bem da verdade, tal selvajaria é património da cultura popular portuguesa? Isto até pode estar nesta lei abjecta que suja o nome dos legisladores portugueses, mas tal não significa que seja algo racional ou digno da humanidade.

 

E os absurdos continuam:

 

«Também o Decreto-Lei nº 23/2014, que aprova o regime de funcionamento dos espectáculos de natureza artística, protege a realização de touradas: "Integram o conceito de espectáculos de natureza artística, nomeadamente, as representações ou actuações nas áreas do teatro, da música, da dança, do circo, da tauromaquia e de cruzamento artístico".

 

Repare-se como a tauromaquia, ou melhor, a selvajaria tauromáquica é aqui metida à força, por quem não tem a mínima noção do que é a natureza artística. Comparar o teatro, a música, a dança, o circo (os que não usam animais, porque os outros são tão selvagens como a tauromaquia) todas estas artes elevadas, com a tortura de seres vivos indefesos, é de uma incomensurável ignorância. E enchem a boca com isto, e acham que falam bem e que têm razão. Se soubessem o que esta comparação realmente significa, teriam vergonha de a alardear, porque fazem figura de parvos.

 

E então o cronista conclui:

 

«Só isto seria suficiente para impedir que formadores de Justiça incitassem os seus formandos à 'desobediência legislativa' com base em interpretações pessoais. A intenção do legislador, que promoveu as alterações ao Código Civil, não visa nem abre caminho à proibição da actividade tauromáquica pois isso seria inconstitucional.»

 

Como se engana o cronista. Entre uma lei baseada na crueldade e ignorância, e outra lei baseada em valores humanos e de protecção à vida animal, o legislador, se tiver um pingo de racionalidade, optará pela segunda. Por outro lado, os legisladores, ardilosos, como são, deixam sempre uma nesguinha, para que possam levar a água suja para o moinho dos trogloditas.

 

Mas um bom interpretador de leis, competente e inteligente, saberá como dar a volta ao texto, e privilegiar a Vida, a Evolução, a Civilização, e não a crueldade e a violência medievalescas.

 

E o cronista, ignorantemente, vai à CRP, apelar para artigos, que nada têm a ver com apoio à crueldade, à violência e à brutalidade contra seres vivos indefesos, para divertir sádicos:

 

«A Constituição da República Portuguesa é clara. Refere o nº 2 do artigo 43º da CRP: "O Estado não pode programar a educação e a cultura segundo quaisquer directrizes filosóficas, estéticas, políticas, ideológicas ou religiosas". O nº 1 do artigo 73: "Todos têm direito à educação e à cultura". E os nºs 1 e 2 do artigo 78: "Todos têm direito à fruição e criação cultural, bem como o dever de preservar, defender e valorizar o património cultural" e "Incube ao Estado (…) Promover a salvaguarda e a valorização do património cultural, tornando-o elemento vivificador da identidade cultural comum".»

 

Senhor cronista, realmente a CRP é muito clara, e nestes artigos que citou nada abona a favor da selvajaria tauromáquica.

 

Para que a selvajaria tauromáquica estivesse abrangida nestes artigos seria necessário que a crueldade e a violência intrínsecas à prática tauromáquica fossem do domínio da Educação e da Cultura; fossem património cultural e fizessem parte da identidade cultural comum. Mas não fazem.

 

Acontece que os aficionados de touradas até podem achar que a tauromaquia é isso tudo. Estão no seu direito. Mas o senso comum diz o contrário. E o senso comum tem mais força do que a vontade de uma minoria alienada.

 

E o cronista termina deste modo hilariante:

 

«Significa isto, preto no branco, que, por Lei e nos termos da Constituição da República Portuguesa, as touradas devem ser protegidas e o Estado deve garantir o acesso de todos os cidadãos – se estes assim o quiserem – às touradas

 

Pois engana-se redondamente. Significa isto, preto no branco, que jamais a crueldade, a violência e a tortura de seres vivos farão jurisprudência num tribunal, se para as rebater existir uma outra legislação, mais condizente com a dignidade e valores humanos e com a defesa da Vida.

 

A selvajaria tauromáquica está condenada à extinção.

 

Isabel A. Ferreira

 

Fonte da crónica:

http://www.touradas.pt/noticia/legislacao-portuguesa-encerra-debate-e-protege-touradas

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 14:23

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Quinta-feira, 19 de Outubro de 2017

TREZE MEDIDAS QUE PODERÃO REDUZIR OS INCÊNDIOS EM 95%

 

Uma sugestão de Jorge Campos Macedo

Ao cuidado dos Partidos Políticos responsáveis pelo estado caótico em que Portugal se encontra no que diz respeito a incêndios, caso único no mundo…

 

ARIPG1OF.jpg

 O Pinhal de Leiria morreu. Quem o matou?

Fonte da imagem

http://24.sapo.pt/atualidade/artigos/incendios-visita-ao-pinhal-de-leiria-com-o-homem-que-avisou-que-isto-ia-acontecer

Diz o Jorge Campos Macedo

 

«Fazer como os suecos

 

No nosso Código Penal atear um fogo não é um crime grave.

Sabiam?

 

1 - Então mude-se o Código Penal e escreva-se " Quem atear de forma deliberada um fogo e for considerado culpado em tribunal, sofre uma pena nunca inferior a 15 anos de prisão efectiva, e plantar a área ardida.

 

2- Toda a madeira resultante de incêndios não pode ser vendida abaixo do preço da verde.

 

3- As celuloses não podem comprar ou utilizar madeira ardida.

 

4- Os municípios são convidados a criar unidades de produção eléctricas que será abastecida com a limpeza das matas etc., a chamada biomassas

 

5- A Força Aérea Portuguesa passará a ter aviões de combate aos incêndios sendo estes combatidos exclusivamente por ela.

 

6- Todos os cabos eléctricos, e de comunicação que estejam perto de grandes áreas florestais passarão a estar enterrados, obrigatoriamente.

 

7- Todos os postos de vigilância estarão ocupados entre Março a Novembro.

 

8- Será criada uma unidade de intervenção rápida na Força Aérea para combater nos primeiros 30 minutos qualquer fogo.

 

9- O exército será chamado a intervir quando se verifique que o fogo comece a atingir grandes proporções.

 

10- Quem atear um fogo de forma negligente, terá de fazer um curso de instrução e limpar a área ardida como trabalho comunitário.

 

11- A coordenação do posto de comando será uma força especializada.

 

12- Fica proibido plantar eucaliptos.

 

13 - Serão plantadas outras espécies de árvores, como o carvalho, castanheiro, sobreiro, etc.

 

Façam isto e vão ver que os incêndios reduzem em 95%.

Jorge Campos Macedo»

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 19:40

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Quinta-feira, 4 de Setembro de 2014

UMA COISA É TER AUTORIZAÇÃO PARA MONTAR A ARENA DA SELVAJARIA TAUROMÁQUICA, OUTRA COISA É REALIZAR A SELVAJARIA TAUROMÁQUICA EM VIANA DO CASTELO ILEGALMENTE

ATENÇÃO IGAC! ATENÇÃO ASAE! ATENÇÃO ORDEM DOS VETERINÁRIOS! ATENÇÃO GNR!

 

ATENÇÃO AUTARCAS VIANENSES!

 

JOSÉ MARIA COSTA NÃO FOI DERROTADO

 

SÓ É DERROTADO QUEM NÃO TEM RAZÃO

 

 

A MONTAGEM DE UMA ARENA EM DARQUE (VER IMAGEM) NÃO OFERECE AS CONDIÇÕES NECESSÁRIAS PARA A REALIZAÇÃO DA BARBÁRIE

 

FISCALIZAÇÃO PRECISA-SE NO LOCAL!

 

 

 

QUEM ASSINOU ESTE "DOCUMENTO" QUE VEIO A PÚBLICO?

 

Este despacho, com a devida vénia, não se encaixa no Regulamento do “Espectáculo” Tauromáquico (RET), nem em parte alguma...

 

O que os bárbaros do sul chamam de “autoritarismo” da CM de Viana do Castelo não é mais do que o CUMPRIMENTO DA LEI.

 

ATENÇÃO AUTORIDADES!

 

A entidade que despachou a autorização para a instalação de uma arena não deu razão a quem quer que seja, apenas permitiu a um grupo que VIVE à custa da tortura de bovinos, MONTAR UMA ARENA (sabe-se lá porque carga d’água!). Monta-se a arena… e faltará TUDO O RESTO, PREVISTO NO RET…

ATENÇÃO FISCALIZAÇÃO!

 

É muita pretensão dos bárbaros do sul dizerem que o Dr. José Maria Costa é DESMASCARADO pelo tribunal.

 

Não, não é. Muito pelo contrário.

 

Isto só demonstra outra situação que todos nós sabemos qual é, mas não dizemos em público.

 

AGORA CABE ÀS AUTORIDADES COMPETENTES REPOR A LEGALIDADE,  OU SEJA, FAZER CUMPRIR O TAL REGULAMENTO DO “ESPECTÁCULO” TAUROMÁQUICO E FISCALIZAR O LOCAL DA SELVAJARIA

 

PORQUE A LIBERDADE NADA TEM A VER COM ILEGALIDADE E COM MANOBRAS “CURIOSAS”…

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 10:02

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Segunda-feira, 19 de Agosto de 2013

AS CERIMÓNIAS FÚNEBRES DAS TOURADAS TIVERAM INÍCIO ONTEM, EM VIANA DO CASTELO…

 

Temos de agradecer à prótoiro, que fez tudo o que não devia ter sido feito, para IMPOR a sua IMBECILIDADE aos vianenses; ao tribunal que segue leis antiquadas, ultrapassadas e inadequadas ao progresso e à evolução de uma cidade premiada pela sua civilidade; e à polícia de choque que, tal como a prótoiro, recorreu à VIOLÊNCIA para coagir manifestantes pacíficos.

 

 

Ontem em Viana do Castelo: uma imagem que diz da condição terceiro-mundista da prática tauromáquica imposta por invasores bárbaros, através da força policial contratada para o efeito

 

Mas o futuro começou ontem.

 

Um futuro sem tortura de seres vivos.

 

Um futuro limpo, onde as crianças não tenham de corromper-se no sangue de seres inocentes e inofensivos.

 

Arsénio Pires, um activista e verdadeiro vianense, faz uma sugestão, com a qual concordo, e aproveito para convidar todos os anti-taurinos a terem em conta o que diz o Arsénio.

 

É preciso destruir o mal.

 

***

Arsénio Pires, deixou um comentário ao post UM VEEMENTE NÃO ÀS TOURADAS NAS FESTAS DA SENHORA D’AGONIA (VIANA DO CASTELO) GRITADO POR CRIANÇAS às 09:54, 2013-08-19.

 

 Comentário:

 

«Isabel, tenho pensado muito sobre a melhor maneira de lutarmos contra esta barbaridade das touradas. Eu sei que as manifestações, como a de ontem, não surtem grande efeito: os tauricidas e aficionados só se "converterão" post mortem! No entanto, elas servem para alertar quem lá não vai e, eventualmente, está a "dormir".

 

O certo é que, após o que aconteceu ontem, bem ou mal serve para se discutir o tema a nível nacional. Mas a nossa luta tem que dirigir-se também para outros lados. As Câmaras pouco ou nada podem fazer devido à lei geral que lhes ata as mãos.

 

Sugiro:

 

1- Iniciarmos um Movimento Nacional para uma Petição à Assembleia da República para que cada Câmara possa legislar se permite ou não as touradas. Se a de Barrancos pode matar touros, as outras devem ter o mesmo direito de poder proibir que se sacrifiquem e matem touros.

 

2- Uma petição à Câmara de Viana do Castelo para que transforme a antiga Praça de Touros (que é propriedade sua) num Museu sobre o horror das touradas onde se mostre claramente o historial e atrocidade deste espectáculo bárbaro. Esta decisão depende só da Câmara. As pessoas, crianças e jovens, não fazem ideia do horror deste espectáculo. As visitas a esse Museu contariam, por imagem e texto, toda a verdade. É pela educação das crianças e jovens que poderemos "matar" este horrendo espectáculo. Aqui ficam estas duas sugestões.»

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 16:16

link do post | Comentar | Ver comentários (20) | Adicionar aos favoritos
Quarta-feira, 31 de Julho de 2013

A prótoiro ANDA DESESPERADA A TENTAR INFILTRAR-SE EM DARQUE (VIANA DO CASTELO) ONDE É INDESEJADA, MAS DESTA VEZ VAI TER UMA SURPRESA

 

Ninguém é obrigado a cumprir LEIS PARVAS.

A DESOBEDIÊNCIA a leis parvas é um DEVER (adaptado de uma ideia de Gandhi)

 

 

 

«Mais uma Ameaça dos Terroristas-Tauromáquicos da “Prótoiro”

 

Por PRÓTOURO

 

O grupelho terrorista-tauromáquico “Prótoiro”, entregou um pedido de licenciamento na Câmara Municipal de Viana do Castelo, para a instalação de uma praça de touros portátil em Darque. Este pedido de licenciamento mais não é que uma nova provocação ao autarca da edilidade e ao povo vianense.

 

Diogo Monteiro, após a entrega do pedido, afirmou ao jornal “Público” : “Se ele indeferir nós actuaremos em consonância”.

 

Ou seja, se o edil de Viana, não se vergar à máfia da “Prótoiro”, eles entrarão com uma providência cautelar acreditando que o resultado será o provimento da mesma tal como aconteceu em 2012.

 

Ora bem, qual é o real valor das providências cautelares? E até que ponto é que as decisões resultantes das mesmas são cumpridas?

 

O que é que aconteceria se o tribunal aceitasse a providência e o autarca de Viana desrespeitasse essa decisão? Perderia o mandato?

 

Em teoria sim na prática nim.

 

Senão vejamos:

 

Quantas providências cautelares foram interpostas contra os touros de morte em Barrancos? Muitas. Quantas foram respeitadas pelo Sr. Tereno? Nenhuma.

 

O Sr. Tereno perdeu o mandato? Não.

 

Tendo em conta que à época os touros de morte eram proibidos por lei, o Sr. Tereno ao desrespeitar várias decisões judiciais, não só deveria ter perdido o mandato como deveria ter sido preso.

 

Nada disso aconteceu, bem pelo contrário ainda hoje é autarca de Barrancos.

 

No caso de Viana, a Câmara tem poder decisório para emitir ou não licenças para espectáculos itinerantes, portanto, se negar a licença para a instalação da praça portátil, não está a violar nenhuma lei.

 

Assim sendo, caso o Sr. Presidente da Câmara de Viana, desrespeite uma decisão judicial o que é que lhe acontece a menos de dois meses de eleições autárquicas? Perde o mandato?

 

A julgar pelo caso Barrancos/Tereno não.

 

Não volta a ganhar as eleições? A julgar pelas sondagens, não só ganhará como terá maioria.

 

É caso para dizer, que neste país, quem respeita as leis/decisões judiciais é penalizado e quem as desrespeita é premiado.

 

Prótouro
Pelos touros em liberdade
»

 

Fonte:

 

http://protouro.wordpress.com/2013/07/31/mais-uma-ameaca-dos-terroristas-tauromaquicos-da-protoiro/comment-page-1/#comment-1664

 

 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 12:13

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Segunda-feira, 1 de Julho de 2013

AFICIONADOS, OLHEM A MINHA CARA DE MEDO...

 
 
 

Vamos ajudar Nuno Carvalho nesta mais que justa pretensão...

Digo eu : "Essa gaja não pode ficar impune..."

PALAVRAS DO NUNO :"Vou processar a senhora que escreveu isto! Não é a primeira vez que fala no meu nome e que se dirige a minha pessoa de forma indecente e com palavras barbaras...será que nem respeitam uma morte???! Ajudem me e levar esta senhora a tribunal.


Sera que não se lembram que uma pessoa tem família e amigos que ficam fragilizados e brutalmente ofendidos ao lerem este tipo de coisas na Internet..."

  Leiam este trecho da postagem dessa doente...   "E agora que José Maria Cortes morreu, é chegado o momento de REVEREM o que andam cá a fazer os forcados.

Nada vai trazer de volta este jovem, que optou livremente por ser forcado.
Morrem. Ficam tetraplégicos. Valerá a pena?

A melhor homenagem que poderiam fazer ao falecido era ACABAREM COM ESTA VIOLÊNCIA de uma vez por todas, pois de toda a tourada (que já é um asco) a parte dos forcados é a mais violenta, porque atacam covardemente um Touro moribundo. E isso é demasiado macabro.

A violência sempre gerou violência. E o resultado foi o que se viu nessa rixa, onde correu muito álcool (que é outra praga na tauromaquia)..."

http://sortesdegaiola.blogspot.com/2013/07/vamos-ajudar-nuno-carvalho-nesta-mais.html

 


***

 

PROCESSEM À VONTADE, MAS, POR FAVOR, NÃO VÃO TORTURAR MAIS TOUROS PARA ANGARIAR DINHEIRO PARA PAGAR OS ADVOGADOS

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 19:00

link do post | Comentar | Ver comentários (7) | Adicionar aos favoritos
Domingo, 19 de Agosto de 2012

HOJE, EM VIANA DO CASTELO, GANHOU A INCOMPETÊNCIA, A IGNORÂNCIA, A ILEGALIDADE, E A ESTUPIDEZ, POR ORDEM DE UM TRIBUNAL PORTUGUÊS

 

 

UMA LEI INJUSTA, NÃO É UMA LEI (Santo Agostinho)

 

A lei das touradas em Portugal é INJUSTA, porque exclui os Touros e os Cavalos do REINO ANIMAL, fazendo deles “excepções”, para poderem ser TORTURADOS para DIVERTIR SÁDICOS e ENCHER OS BOLSOS a uns POUCOS TAURICIDAS.

 

Logo, tal lei, sendo INJUSTA, e NÃO SENDO LEI, não tem de ser cumprida.

 

Hoje, em Viana do Castelo, ganhou a INCOMPETÊNCIA, a IGNORÂNCIA, A ESTUPIDEZ.

 

A prótoiro teve de DAR bilhetes (pois vendidos foram apenas uns poucos) para que a arena tivesse alguma gente.

 

A esmagadora maioria dos Portugueses sente-se DEFRAUDADA, ENGANADA, ENVERGONHADA com o que aconteceu CONTRA A VONTADE DO POVO: UMA INVASÃO DE BÁRBAROS.

 

Veja-se esta sondagem, que diz da EFECTIVA REALIDADE das Touradas em Portugal:

 

 


HOJE COMEÇOU O VERDADEIRO FIM DAS TOURADAS NO NOSSO PAÍS.

 

A partir de hoje acontecerá uma descida a pique.

 

OS MOVIMENTOS INTERNACIONAIS ESTÃO CONNOSCO.

 

APESAR DE TUDO, A VITÓRIA FOI NOSSA, E SEIS BELOS TOUROS NÃO FORAM SACRIFICADOS EM VÃO.

 

Realizou-se uma tourada ILÍCITA, com crianças menores a assistir, e os organismos de Protecção à criança, NADA FAZEM.

 

HÁ QUE DIZER BASTA, A ESTA VERGONHOSA IGNORÂNCIA E VIOLAÇÃO DE LEIS.

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 18:40

link do post | Comentar | Ver comentários (8) | Adicionar aos favoritos
Sábado, 18 de Agosto de 2012

Um recadinho a D. Anacleto Oliveira, bispo da Diocese de Viana do Castelo

 

 

D. Anacleto Oliveira

 

Senhor D. Anacleto Oliveira, eu li, se me dissessem, eu não acreditaria, se bem que já nada me espante no que vem da Igreja Católica Portuguesa.

 

O que li foi isto, e aqui:

 

http://radiogeice.com/geicefm/index.php/noticias/5940-romaria-dagonia-d-anacleto-oliveira-diz-que-se-calhar-o-conflito-sobre-a-possivel-tourada-ate-contribui-para-alegrar-mais-as-festas

 

«O bispo da diocese de Viana do Castelo, D. Anacleto Oliveira, diz estar “fora” das polémicas sobre a possível realização da tourada, a acontecer no domingo das festas, mas lá vai dizendo que “se calhar até contribui para alegrar mais as festas”, porque os “conflitos” podem entusiasmar as pessoas.

 

Questionado pela Geice, o bispo analisou de forma curiosa esta polémica.

Polémicas à parte, o bispo acredita que a possível realização da tourada não vai manchar a romaria deste ano

 

«Se calhar o conflito sobre a possível tourada até contribui para alegrar mais as festas»... Porque o “conflitos” podem entusiasmar as pessoas, e o sangue que será derramado na arena, proveniente da TORTURA de SERES VIVOS NÃO MANCHARÁ a romaria...???????

 

O quê, Sr. D. Anacleto Oliveira?????

 

Acha mesmo que TORTURAR SERES VIVOS, ANIMAIS COMO NÓS, PARA DIVERTIR SÁDICOS, contribui para alegrar mais as festas em honra de NOSSA SENHORA D’AGONIA, e NÃO VAI MANCHAR a romaria?

 

Pode imaginar o que Jesus Cristo diria se estivesse a escrever este recadinho?

 

Pois eu digo-lhe.

 

Primeiro excomungava-o. Convidava-o a despir a batina de padre, imediatamente. Delicadamente, como é de um ser superior.

 

Depois dir-lhe-ia que será mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha do que um falso representante de Deus na Terra entrar no Reino dos Céus, por proferir TAMANHA BLASFÉMIA, e o Sr. D. Anacleto Oliveira teria de ficar a penar à porta do Céu, porque ir para o Inferno não iria, pois já está nele.

 

E Nossa Senhora, que já é d’Agonia, o que pensará de tudo isto?

 

Pois eu também lhe digo.

 

Estará, com certeza ainda mais agoniada, com esta FALTA DE RESPEITO para com as coisas sagradas.

 

Sim, porque TORTURAR CRIATURAS, QUE TAMBÉM SÃO DE DEUS, para simples divertimento, é desrespeitar a VIDA que Deus deu a todos, e não é com DESRESPEITO e SANGUE que se festejam os SANTOS.

 

O que tem a Igreja Católica para ENSINAR aos IGNORANTES que não sabem que TOUROS e CAVALOS são SERES VIVOS, são ANIMAIS que SOFREM, e que também têm ALMA, SENSIBILIDADE e uma VIDA?

 

Infelizmente tem um GRANDE VAZIO de ESPIRITUALIDADE, que faz toda a diferença entre quem ama os animais não-humanos, e quem os considera umas simples “coisas”, como a Igreja Católica considera.

 

“Coisas”, Senhor Bispo, são os que se dizem “seres humanos” mas não têm alma. São os que sadicamente aplaudem a TORTURA e o SOFRIMENTO de ANIMAIS SENCIENTES.

 

E se o Sr. Bispo não sabe o que é um animal senciente, permita-me remetê-lo para este link:

 

http://pt.wikipedia.org/wiki/Senci%C3%AAncia

 

Pode ser que da próxima vez que for entrevistado, não diga blasfémias, e, desse modo, Deus Nosso Senhor, de quem se diz representante na Terra, possa perdoá-lo.

 

Eu por mim, como não sou Deus, só o perdoarei, quando desdisser aquilo que disse.

 

Sabe, Senhor D. Anacleto, neste País tem de haver alguém com bom senso para ACABAR com a IGNORÂNCIA que por aí corre como um fogo descontrolado.



E são as AUTORIDADES (quaisquer que sejam) que têm o DEVER de DAR O BOM EXEMPLO. Para mau exemplo já basta o do Tribunal Administrativo de Braga.

 

E o exemplo que dão é de uma IGNORÂNCIA crassa.


Isabel A. Ferreira

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 14:07

link do post | Comentar | Ver comentários (20) | Adicionar aos favoritos

Mais sobre mim

Pesquisar neste blog

 

Setembro 2021

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
17
18
19
20
22
23
24
25
26
27
28
29
30

Posts recentes

A PÓVOA DE VARZIM DECLARA...

A TOURADA É UMA PRÁTICA T...

TREZE MEDIDAS QUE PODERÃO...

UMA COISA É TER AUTORIZAÇ...

AS CERIMÓNIAS FÚNEBRES DA...

A prótoiro ANDA DESESPERA...

AFICIONADOS, OLHEM A MINH...

HOJE, EM VIANA DO CASTELO...

Um recadinho a D. Anaclet...

Arquivos

Setembro 2021

Agosto 2021

Julho 2021

Junho 2021

Maio 2021

Abril 2021

Março 2021

Fevereiro 2021

Janeiro 2021

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Direitos

© Todos os direitos reservados Os textos publicados neste blogue têm © A autora agradece a todos os que os divulgarem que indiquem, por favor, a fonte e os links dos mesmos. Obrigada.
RSS

Acordo Ortográfico

Em defesa da Língua Portuguesa, a autora deste Blogue não adopta o Acordo Ortográfico de 1990, devido a este ser inconstitucional, linguisticamente inconsistente, estruturalmente incongruente, para além de, comprovadamente, ser causa de uma crescente e perniciosa iliteracia em publicações oficiais e privadas, nas escolas, nos órgãos de comunicação social, na população em geral, e por estar a criar uma geração de analfabetos escolarizados e funcionais.

Comentários

Este Blogue aceita comentários de todas as pessoas, e os comentários serão publicados desde que seja claro que a pessoa que comentou interpretou correctamente o conteúdo da publicação. 1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome. 2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas". 3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias. Serão eliminados os comentários que contenham linguagem ordinária e insultos, ou de conteúdo racista e xenófobo. Em resumo: comente com educação, atendendo ao conteúdo da publicação, para que o seu comentário seja mantido.

Contacto

isabelferreira@net.sapo.pt