Quinta-feira, 4 de Junho de 2020

«Não haverá apoios extraordinários à tauromaquia» garante António Costa, primeiro-ministro de Portugal

 

Em resposta à questão de André Silva, deputado do PAN - Pessoas - Ambiente - Animais, o primeiro-ministro António Costa, deixou claro que o Governo não tenciona dar nenhum apoio extraordinário à tauromaquia, apesar das tentativas infrutíferas desta indústria e das reuniões secretas com o Presidente da República! 🙌

 

Todos nós, que pugnamos por uma sociedade mais humana, mais culta, mais civilizada, onde a violência e a crueldade contra animais não-humanos não tenham lugar, ficaremos atentos, esperando que o nosso primeiro-ministro mantenha a palavra. E, já agora, não basta não dar apoios extraordinários (até porque os ordinários continuam a ser dados) é preciso abolir, definitivamente, esta prática onde a brutalidade impera, para que não se continue a violentar os bovinos, privadamente, como a seguir se contará.

 

(Ver, mais abaixo, o vídeo onde André Silva questiona António Costa).

 

TENTA.png

Tentas ilegais privadas

 

Pedimos desculpa pela imagem, mas há ainda quem pense que os touros têm uma vida de luxo no campo, o que não é verdade. Esta imagem foi captada numa "tenta" realizada na Herdade Monte Cadema no passado dia 30 de Maio de 2020, onde vários animais foram sujeitos às agressões de bandarilhas e da vara dos picadores. Todos os anos, à porta fechada, os criadores de touros de lide fazem este tipo de práticas na ilegalidade e longe dos olhares do público. A isto juntam-se os treinos dos cavaleiros [montadores de cavalos] tauromáquicos, bandarilheiros e forcados.

 

É mentira que estes animais sejam muito bem tratados no campo como nos tentam fazer crer.

Uma vergonha para Portugal e para o mundo(Plataforma BASTA)

(fonte: Farpas blogue)

https://www.facebook.com/Basta.pt/photos/a.472890756075069/3251608991536551/?type=3&theater

 

Para complementar a informação, sugere-se a consulta deste link, onde o médico-veterinário, Dr. Vasco Reis, conta os horrores desta prática bárbara:

https://arcodealmedina.blogs.sapo.pt/a-tourada-vista-por-um-medico-814909


Esta é "fresquinha":

 

Tenta ilegal.jpg

 

Fonte: https://www.facebook.com/photo.php?fbid=3266240090076828&set=p.3266240090076828&type=3&theater

 

 

 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 16:54

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Quarta-feira, 27 de Novembro de 2019

«A Concentração dos Subsídio-Dependentes»

 

«Quem eram afinal os tipos que se concentraram no passado dia 22 no Terreiro do Paço em defesa do mundo rural?

Trabalhadores rurais? Não.

Todos os que compareceram mais não eram que a escumalha que vive à pala de subsídios tais como ganadeiros de touros de lide, galgueiros, caçadores etc.»

Fonte:

 Prótouro

Pelos touros em liberdade

https://protouro.wordpress.com/2019/11/26/a-concentracao-dos-subsidio-dependentes/

 

concentração 1.jpg

 

Concentração 2.jpg

 

«Os verdadeiros defensores do mundo rural aqueles que não torturam animais e não são subsídio-dependentes permaneceram nos seus locais de trabalho.

 

O mundo rural existe e tem que ser ajudado mas esse não esteve na concentração no Terreiro do Paço bem pelo contrário.

 

Todos os presentes mamam na teta do estado e não querem perder os chorudos subsídios que lhes são dados através dos nossos impostos.

 

Os autarcas que apoiaram esta obscenidade são aqueles que desbaratam dinheiros públicos para apoiar estes parasitas e que depois se justificam com a tradição e a cultura das regiões.

 

A tradição e a suposta cultura neste país serve sempre para justificar o injustificável, ou seja, que os animais existem para serem objecto de abuso e de tortura em espectáculos abomináveis.

 

Enquanto os partidos com maioria sentados no parlamento continuarem vendidos aos lobbies destes sociopatas este país no que respeita aos direitos dos animais jamais passará da cepa torta!»

 

Prótouro
Pelos touros em liberdade

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 12:12

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Segunda-feira, 13 de Julho de 2015

O Touro é um animal simples e dócil por natureza

 

 

 

«O touro é um animal simples e dócil por natureza, ao contrário do que os aficionados das touradas nos querem fazer acreditar.

 

Para se tornarem mais reactivos têm de ser criados em sistema extensivo e picados pelo ser humano até aos 4 anos, idade em que serão torturados, até à morte, nas arenas ou no matadouro, sem o menor respeito pela sua dignidade e sofrimento.

 

Este vídeo mostra touros, ditos bravos ou touros de lide, criados em sistema extensivo, e vejam como são "maus" e "agressivos".

 

Partilho também o link de um vídeo de um touro, dito bravo, resgatado de um ganadeiro espanhol, mas que ao contrário dos criados em regime extensivo, foi criado próximo de humanos e tratado com amor tal como tratamos os nossos animais de estimação. Vejam o resultado e pensem se é justo o que lhes fazem nas touradas.»

Cláudia Vantacich

 

 

 

Será o touro um animal selvagem? Este Touro foi criado como um animal de estimação e o resultado está à vista.

 

O Touro não é um animal selvagem.  Selváticos são os que os torturam nas arenas, e os que aplaudem, apoiam e promovem essa tortura.  

 

Não existem Touros "bravos" na natureza. Os Touros só são "bravos" quando torturados, como acontece com qualquer animal, seja humano ou não-humano. Eu fico brava quando me atacam, tão brava que sou capaz de meter o atacatante debaixo de uma mesa, a tremer de medo (como já aconteceu). O Touro embravece unicamente para se defender dos seus carrascos, quando é atacado por eles.

 

Mais palavras para quê? Este vídeo deita por terra os "argumentos" falaciosos usados pelos defensores da selvajaria tauromáquica.

Chega de mentiras. 

 

Isabel A. Ferreira

 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 19:43

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Sexta-feira, 11 de Outubro de 2013

O QUE SÃO 8.600 TAURICIDAS AFASTADOS DA TORTURA DE BOVINOS E CAVALOS NUMA VASTIDÃO DE QUASE UM MILHÃO DE DESEMPREGADOS POR TODO O PAÍS?

 
 
 

Em Julho de 2013, recebi de uma aficionada ou aficionado, não sei bem (eles trocam muito de nome, de sexo) um comentário que me deixou perplexa. E guardei-o para publicá-lo e responder à letra, numa ocasião que me parecesse ideal.

 

Penso que chegou o momento certo de responder à “Daniela” que me parece ser um “Daniel” que não assume a sua sexualidade, e que enviou o seguinte comentário. (A linguagem está no original).

 

Daniela disse sobre A ABOLIÇÃO DA TOURADA ACONTECERÁ EM 2013 – PORQUÊ? AS RAZÕES SERÃO CONHECIDAS BREVEMENTE… na Segunda-feira, 15 de Julho de 2013 às 19:32: 

 

"A ABOLIÇÃO DA TOURADA ACONTECERÁ EM 2013 – PORQUÊ? AS RAZÕES SERÃO CONHECIDAS BREVEMENTE…"

«pergunto a mim mesma se a Senhora tem noção do que diz e escreve neste blog. pergunto-me ainda se a Senhora tem uma pequena noção só do que é realmente uma tourada, e ainda me pergunto se a Senhora por acaso conhece verdadeiramente a forma como um toiro bravo, um toiro de lide é tratado até chegar ao seu destino, quer seja tourada, largada

 

Resposta: Se não tivesse a noção do que digo e escrevo neste Blog, se não tivesse a noção exacta do que é uma tourada e do que os bovinos sofrem desde que nascem, para se transformarem em “touros bravos”, não escreveria, simplesmente porque não pertenço ao rol dos que andam no mundo só por ver andar os outros, e também não sou daquelas que emprenham pelos ouvidos, ou seja, não sou uma pessoa que acredita piamente na primeira patranha que lhe contam, sem questionar a veracidade da mesma.  

 

«Citando o que disse: "ficionados, tauricidas, forcados, “cavaleiros” tauromáquicos, ganadeiros, bandarilheiros, emboladores, torcionários, picadores, e outros que tais afins…"
tem noção da quantidade de pessoas que necessitam das touradas para viver? que é o seu ganha-pão?»
 
RespostaComo? Percebi bem? Se tenho a noção da quantidade de pessoas que necessitam de TORTURAR Bovinos e Cavalos para viver? Ganha-pão? Assim como os carrascos que guilhotinavam, enforcavam, vergastavam presos políticos, escravos, ladrões, assassinos e principalmente gente inocente em praça pública, num tempo em que as leis eram bastardas, irracionais, anti-ética e desumanas como a Lei n.º 92/95 de 12 de Setembro, pela qual os tauricidas se regem?

 

«Ora bem, cada ganadaria emprega cerca de 100 trabalhadores.. vejamos existem cerca de 86 Ganadarias em Portugal, ou seja, existem arredondadamente cerca de 8600 postos de trabalho.
Isto só nas Ganadarias.. mas não se esqueça, que ainda temos as coudelarias, bandarilheiros, picadores " e outros tais afins.. “. Agora faças as contas

 

Resposta- Que contas tenho eu de fazer? Por acaso os governantes, ou os tauricidas têm alguma consideração pelos milhares de desempregados que existem no nosso país, e que perderam empregos HONESTOS e LIMPOS, sem que tivessem torturado ninguém? E alguém se importa?

«Mas continuando, ora bem, pelo que vi do seu blog, a Senhora é completamente a favor da Vida, tanto do ser humano como do ser não-humano (e não a critico por isso, até acho muito bem). Mas sabia o toiro de lide, o toiro bravo é uma especie reproduzida essencialmente para as touradas? Ora bem.. se abolirem as touradas, acha que vai ser necessário que se reproduza tantos toiros bravos como acontece actualmente? ora bem, a resposta é Obvia: Não. Se isto acontece, com o passar do tempo, a especie passa a entrar em vias de extinção, os tais 100 empregados das ganadarias começam a ser despedidos porque não são necessários tantos.. a taxa de desemprego em portugal aumenta, e a taxa de reprodução de uma espécie diminui.

 

Resposta - Eis um raciocínio brilhante. Primeiro (e pela enésima vez repito), não existe touros bravos ou de lide na natureza, por isso, nunca se extinguiriam. Mais depressa se extinguirão os aficionados do que os bovinos que são massacrados para a tortura na arena, desde que nascem. Segundo, na tauromaquia, ninguém fica desempregado. Os ganadeiros têm o deles garantido nos bancos. Os 100 empregados que refere, se os deixarem, continuarão a trabalhar nas hortas e pomares que as pastagens permitem. Portanto, nem a taxa de desemprego aumenta com 100 desempregados, nem a taxa de reprodução de espécie nenhuma diminui, porque não existe essa “espécie”.

 

«Agora outro ponto, não faço ideia se é vegetariana ou não, mas sabia que aquela carne comprada em supermercados passou por muito mais, e sofreu muito mais do que um toiro? pois bem, o toiro desde o momento em que nasce até entrar dentro de uma praça, é tratado nas melhores condições, com as melhores rações, nos melhores pastos e ao ar livre. e a sua "tortura" como você lhe chama são uns míseros 15min. Já para não falar que o touro de lide não sente a dor como nós humanos a sentimos, já para não falar que ele dentro de uma praça está com adrenalina, o que ainda ameniza mais a dor. Mas enquanto aquela carninha que gostam tanto de comprar num supermercado, é criada em cativeiro, para a "engorda" e cheia de quimicos para crescer mais rápido.

 

Resposta – Primeiro, nunca justifique uma estupidez (neste caso a tortura de bovinos para diversão de alienados mentais) com outra estupidez (a tortura de bovinos para alimentação). Mas mesmo aqui existe uma diferença: os que comem carne (eu não como carne de espécie nenhuma há muito tempo) não vão divertir-se para a porta dos matadouros dizer “olés” ao ver os bovinos a sofrer e aos berros. Quanto à DOR e SOFRIMENTO experimente levar com umas farpas nos costados, e depois diga-me se dói ou não dói. Mas para se instruir sobre esta questão, deixo-lhe este link, leia-o com atenção, para não perder pitada:

 

http://arcodealmedina.blogs.sapo.pt/338161.html

 

«Agora deixo-lhe um ultimo ponto: suponho que toma banho, ou seja, lava o cabelo, o corpo. sabia que o seu gel e o seu shampoo são testados em animais?
se não sabia, agora que sabe, diga-me.. vai deixar dos utilizar


RespostaSó um ignorante é que não sabe que tudo é testado em animais. Eu procuro os produtos que NÃO são testados em animais. Tenho esse cuidado. Ou acha que sou Defensora de Animais de meia tigela? E que vinha para aqui dizer uma coisa e fazer outra? Que moral teria eu para defender os meus irmãos animais?

 

«Para acabar, sabia que em 2011 mais de 50% das pessoas assistiram as corridas passadas na tv

 

RespostaComo disse? Em 2011? O que interessa 2011? Nós estamos em 2013, e o que importa são os números de 2013.Veja-os aqui:

 

http://arcodealmedina.blogs.sapo.pt/339609.html

 

«é muito simples, não gosta, não vê. é um espectaculo pago, e as praças de toiros até são altas, nem sequer vê o que lá se passa. Quanto as da tv, tem bom remédio, muda de canal».

 

RespostaNão, engana-se. A TORTURA não é um melão, para se gostar ou não gostar. A TORTURA é uma questão de educação, de cultura, de ética, de lucidez, de bom senso, de civilização, de evolução… Não tem nada com o gostar ou não gostar. Quanto à TV, nem sequer a sintonizo, mas sou obrigada a pagar do meu bolso uma taxa (que agora até vai ser aumentada) para NÃO VER algo que envergonha o País e serve apenas uma minoria de gente inculta. Uma injustiça injustificável.

«Agora acho triste mencionar nomes de forcados que tiveram pouca sorte ao fazerem o que gostam para justificar a sua tese.»
Sem mais assunto, uma aficcionada.»

 

RespostaPois eu acho muito mais triste a iliteracia dos aficionados, que não SABEM INTERPRETAR o que se escreve. Primeiro, não justifiquei tese alguma, porque não estou aqui a fazer teses. Segundo, tenho todo o direito, em nome dos bovinos e dos cavalos sacrificados, criticar e abominar os cobardes que vão para uma arena torturar seres vivos inocentes e indefesos, que sentem a dor e sofrem terrivelmente, tal como todos os seres sencientes (se é que sabe o que isso é), para se divertirem irracionalmente. 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 16:25

link do post | Comentar | Ver comentários (12) | Adicionar aos favoritos
Segunda-feira, 25 de Fevereiro de 2013

«A INDÚSTRIA TAUROMÁQUICA E A FALÁCIA DA PERDA DE EMPREGOS»

 

 

Apenas a maioria dos deputados da Assembleia da República não sabe, e se não sabe, não está lá a fazer nada, se não está lá a fazer nada, é o atraso de vida do País, e vive à custa dos nossos impostos…

 

 

«Um dos argumentos da indústria tauromáquica reside na afirmação de que se as touradas acabassem, milhares de postos de trabalho perder-se-iam!

 

Não são milhares e a maioria, nem sequer pode ser considerada como verdadeiros postos de trabalho.

 

Muitos desses postos de trabalho são sazonais e quem os ocupa tem outro tipo de trabalho, caso contrário como é que sobreviveria o resto do ano?

 

De acordo com um “parecer” da “prótoiro” entregue no princípio deste ano (2012) na Assembleia da República, para organizar uma tourada são precisas 175 pessoas que vão desde o pessoal dos curros, bilheteiros, banda, bombeiros, polícia e trabalhadores dos bares.

 

O pessoal dos curros, os bilheteiros, a banda e os trabalhadores dos bares, só trabalham quando há espectáculos, ou seja muitas vezes aos fins-de-semana, se estes fossem os seus únicos postos de trabalho, morreriam de fome.

 

Quanto aos bombeiros e à polícia é totalmente absurdo a sua inclusão neste “parecer”. Porque enquanto estes elementos são desviados para dar cobertura a esta actividade, deixam de estar onde são realmente precisos. Combate à criminalidade e ajuda a pessoas vítimas de acidentes ou combate a incêndios.

 

Mas continuemos a analisar o dito “parecer”.

 

“Existem 14 delegados técnicos tauromáquicos e 15 veterinários taurinos”. Uma vez mais todas estas pessoas não vivem disto, têm outros postos de trabalho.

 

«37 cavaleiros, 24 cavaleiros praticantes, 6 matadores de touros, 86 bandarilheiros, 15 bandarilheiros praticantes, 20 moços de espada e 30 emboladores».

 

Cavaleiros, toureiros, etc, a maioria deles têm outras fontes de rendimento, tal como ganadarias onde criam outros animais à parte dos touros de lide. Isto para não falar dos subsídios que recebem por essa actividade.

 

«Existem 48 grupos de forcados que totalizam 1.440 moços de forcado». Esta actividade, não é um emprego, todos eles têm outros postos de trabalho e mais, segundo eles nem sequer recebem nada por pegar touros.

 

«Existem 120 promotores de espectáculos tauromáquicos».

 

Uma vez mais nem todos eles vivem exclusivamente dessa “profissão”, muitos deles têm outras e mesmo que só vivessem desse trabalho, poderiam em vez de ser empresários de espectáculos tauromáquicos, ser empresários de actividades que não envolvam a exploração e tortura de animais.

 

«Finalmente as 110 ganadarias existentes empregam 350 pessoas».  No entanto, estas ganadarias não criam exclusivamente touros de lide, portanto se as touradas acabassem essas pessoas não perderiam os seus empregos.

 

Contas feitas onde é que estão os milhares de postos de trabalho!

 

Milhares de pessoas neste país perderam os seus verdadeiros empregos e a taxa de desemprego aumenta a uma velocidade impressionante.

 

Se as touradas fossem abolidas amanhã, nenhum posto de trabalho se perderia.

 

Esta é tão só uma das muitas mentiras que os aficionados apregoam

 

Fonte:

http://protouro.wordpress.com/2012/07/16/a-industria-tauromaquica-e-a-falacia-da-perda-de-empregos/

 

***

Ou seja, um panorama de cerca de 2332 indivíduos, que em vez de maltratar touros e cavalos, passariam a cavar batatas, o que é uma profissão bastante mais digna de um ser humano.

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 11:48

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Mais sobre mim

Pesquisar neste blog

 

Julho 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Posts recentes

«Não haverá apoios extra...

«A Concentração dos Subsí...

O Touro é um animal simpl...

O QUE SÃO 8.600 TAURICIDA...

«A INDÚSTRIA TAUROMÁQUICA...

Arquivos

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Direitos

© Todos os direitos reservados Os textos publicados neste blogue têm © A autora agradece a todos os que os divulgarem que indiquem, por favor, a fonte e os links dos mesmos. Obrigada.
RSS

Acordo Ortográfico

Em defesa da Língua Portuguesa, a autora deste Blogue não adopta o Acordo Ortográfico de 1990, devido a este ser inconstitucional, linguisticamente inconsistente, estruturalmente incongruente, para além de, comprovadamente, ser causa de uma crescente e perniciosa iliteracia em publicações oficiais e privadas, nas escolas, nos órgãos de comunicação social, na população em geral, e por estar a criar uma geração de analfabetos escolarizados e funcionais.

Comentários

Este Blogue aceita comentários de todas as pessoas, e os comentários serão publicados desde que seja claro que a pessoa que comentou interpretou correctamente o conteúdo da publicação. Serão eliminados os comentários que contenham linguagem ordinária e insultos, ou de conteúdo racista e xenófobo. Em resumo: comente com educação, atendendo ao conteúdo da publicação, para que o seu comentário seja mantido.

Contacto

isabelferreira@net.sapo.pt