Terça-feira, 8 de Novembro de 2022

PACMA [Partido Animalista] denuncia o governo da Espanha à ONU por não proteger as crianças das touradas

 

[O mesmo se passa em Portugal, e o PAN, como um Partido voltado para este tema, deveria fazer o mesmo que o PACMA fez  - Isabel A. Ferreira]. 

 

Apresentámos um relatório ao Comité dos Direitos da Criança da ONU em que denunciamos o incumprimento por parte do Governo, ao expor os menores à violência das touradas.

PACMA.png

 

O governo da Espanha passou anos a ignorar deliberadamente as recomendações da ONU sobre proteger os menores da violência extrema das touradas. Do PACMA, apresentamos um relatório ao Comité dos Direitos da Criança da ONU para denunciar o que consideramos violações constantes e repetidas da Convenção sobre os Direitos da Criança. A Convenção, ratificada pela Espanha em 1990, estabelece que os Estados Partes devem adoptar todas as medidas possíveis para abolir as práticas tradicionais prejudiciais à saúde das crianças.

 

Como órgão encarregado de supervisionar a aplicação da Convenção nos Estados Partes, o Comité dos Direitos da Criança, na sua última investigação a Espanha, em 2018, incluiu as touradas entre os "principais motivos de preocupação relacionados com a violência contra crianças", e obrigou o país a proibir crianças de assistir a touradas e a  participação de menores de 18 anos em actividades tauromáquicas. 

 

Como denunciámos no nosso relatório ao Comité, a Espanha não está apenas a não cumprir a Convenção, como também o Governo ignorou deliberadamente as recomendações. No ano passado, o Executivo apresentou o Projecto da Lei Orgânica 8/2021, de 4 de Junho, finalmente aprovada, sobre a protecção integral de crianças e adolescentes contra a violência, Lei que, como o próprio título indica, deve proteger as crianças contra a violência de forma integral, mas não faz uma única menção à sua exposição e participação nas práticas violentas que ocorrem no nosso país.

 
 

Tudo isto apesar de, para além do Comité, muitas entidades dedicadas à protecção das crianças terem solicitado formalmente ao Governo que proibisse, na referida Lei, a presença e participação de menores nestas práticas tauromáquicas.

 

 

Em 2023, a Espanha voltará a ser examinada pelo Comité, razão pela qual apresentámos agora este relatório, intitulado "Falta de protecção das crianças contra a violência das touradas em Espanha". Nele, afirmamos que apenas nas Ilhas Baleares é proibida a assistência de menores nas touradas. Na Galiza é proibido a menores de 12 anos e, nas restantes comunidades, qualquer criança, de qualquer idade, pode assistir a estas práticas e ver como se exerce a violência extrema contra os animais. Quanto à sua participação nas festividades tauromáquicas, apenas na Cantábria é proibida a participação de menores. Nas restantes podem participar a partir dos 16 anos e, em algumas, até a partir dos 14 anos.

 

No que diz respeito às escolas tauromáquicas, Andaluzia, Aragão e País Basco estabelecem, respectivamente, a idade mínima de 10 e 12 anos para poder frequentá-las. Nas demais comunidades não há idade mínima para começar a ser instruído na "arte" de matar. Além disso, menores de 14 anos já podem participar de aulas práticas, nas quais são utilizadas armas como puyas, banderillas, estoques ou puntillas com os animais.

 

Cinco anos se passaram desde que o Comité advertiu a Espanha de que deveria proteger os menores da violência das touradas, e não só não foi proibido, como essas práticas estão  a ser cada vez mais incentivadas entre as crianças das instituições e administrações públicas, com actividades como convites a escolas, corridas de touros infantis, acampamentos tauromáquicos... para cujo desenvolvimento as câmaras municipais, as câmaras municipais e as administrações regionais e governos autónomos colaboram, cedendo instalações, concedendo subsídios ou, directamente, organizando-os.

 

O PACMA considera intolerável que os poderes públicos continuem não só a permitir, mas também  a promover uma prática em que a violência é exercida sobre os animais; ais, entre as crianças, desrespeitando a Lei Orgânica de Protecção Jurídica de Menores, que estabelece que todas as disposições legais relativas a menores devem ser interpretadas de acordo com a Convenção sobre os Direitos da Criança, e que os poderes públicos devem garantir o respeito pelos seus direitos e adequar as suas acções à mesma, incluindo, entre os princípios norteadores que devem reger a sua actuação à protecção dos menores, contra todas as formas de violência.

 

Fonte: 

https://pacma.es/pacma-denuncia-al-gobierno-de-espana-ante-la-onu-por-no-proteger-a-los-ninos-de-la-tauromaquia/

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 17:02

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Segunda-feira, 26 de Setembro de 2022

Governo e ministro da (in)Cultura portugueses desprezam a protecção das crianças quanto à violência e crueldade das touradas, dizendo que para eles isto NÃO é prioritário??????

 

O ministro da Cultura considera que o aumento da classificação etária das touradas não é uma prioridade, depois do diploma ter sido aprovado em Conselho de Ministros, em 14 de Outubro de 2021, no qual se anunciou, num comunicado do Conselho de Ministros a aprovação do Decreto-lei que altera a classificação etária para que crianças e adolescentes sejam poupadas à crueldade e violência da tortura de seres vivos, vulgo, touradas, fixando-a para maiores de 16 anos, como se a estupidez tauromáquica não fosse imprópria a maiores de 17, de 30, de 70 ou de 100 anos.

 

A estupidez tauromáquica é imprópria para qualquer idade, muito menos será para crianças, adolescentes e jovens que ao ver banalizada a tortura de animais, desenvolvem mentes deformadas e serão os sádicos do futuro.


Numa época em que a selvajaria tauromáquica já devia estar extinta, porque não tem mais cabimento nos tempos modernos, e por ser um “divertimento” de trogloditas, de broncos, de criaturas completamente desprovidas de empatia, o sentimento mais nobre do ser humano, ainda se discute se as crianças devem ou não ser sujeitas a esta actividade cruel? E isto NÃO é sequer prioritário???????

Se um governo não é capaz de PROTEGER as suas crianças, RUA com ele.

Nem a maiores de 16, nem a maiores de 100 anos, esta crueldade macabra, absurda, fruto de uma estupidez desmedida, deve ser permitida.


Como é possível estar-se a discutir um assunto destes, em 2022 DEPOIS de Cristo, e não a ABOLIÇÃO desta prática inaceitável nos tempos que correm??????

 

Que tipo de ministro será este? Da CULTURA NÃO É COM TODA A CERTEZA.

 

Veja-se esta imagem, de um acidente com uma CRIANÇA numa tourada:

 

Basta de Touradas.png

Foto: Basta de Touradas

 

O Comité dos Direitos da Criança das Nações Unidas, de 27 de Setembro de 2019, em vez de censurar Portugal, por permitir a exposição de crianças à crueldade e violência da selvajaria tauromáquica (touradas, largadas de touros e escolas de toureio) simplesmente advertiu o Estado Português a estabelecer a idade mínima de 18 anos – sem excepção – para a participação e assistência a touradas, largadas e escolas, bem como a sensibilizar os funcionários do Estado, a imprensa e a população em geral sobre efeitos negativos nas crianças, inclusive como espectadores, da violência associada às touradas e largadas de touros.

 

Quando o certo seria aconselhar a ABOLIÇÃO desta prática bárbara.

 

Perante esta advertência, o governo limitou-se a impor o limite de 16 anos, para praticar e assistir a esta barbárie.

 

E vem agora o ministro da (in)cultura dar o dito pelo não dito, desvalorizando algo tão grave como expor crianças à crueldade e à violência, e ainda tem o desplante de em declarações à imprensa vir dizer que o assunto “não é uma prioridade”????????



Então qual é a prioridade? Apoiar os ganadeiros, para que vivam à grande e à francesa à custa dos impostos dos portugueses?
 

E pensar que o ministro da (in)cultura fez estas declarações quatro meses depois da morte de um jovem de apenas 15 anos numa largada de touros na Moita, o qual foi perfurado na garganta por um Touro, num violentíssimo acidente, de madrugada (duas horas da manhã) tendo sido levado para o Hospital do Barreiro, onde acabou por morrer, algo que NÃO impediu que a selvajaria tauromáquica continuasse nos dias seguintes. E isto só podia acontecer na Moita, uma localidade troglodita, onde a selvajaria está acima da vida humana.

Segundo a notícia, o ministério da (in)cultura e a Comissão Nacional de Promoção dos Direitos e Protecção das Crianças e Jovens passaram por esta morte como cão por vinha vindimada. O que é a morte de uma criança, para um governante ou para uma comissão? NADA.

 

Conclusão: o ministro da (in)cultura e o governo português estão-se nas tintas para o superior interesse das crianças portuguesas.

E isto é uma vergonha. É pernicioso. É imoral.

DEMITA-SE senhor ministro. Não tem competência para ocupar o cargo. Um Ministro da Cultura não compactua com a barbárie, nem desvaloriza o interesse de crianças que vivem à mercê de progenitores e de governantes que não querem saber delas para nada.

 

Entretanto o PAN emitiu um comunicado onde diz que este partido quer a protecção de crianças e jovens da violência da tauromaquia e proibição de menores de 16 anos nas touradas.

 

Assim nunca mais lá chegaremos.

 

Inês de Sousa Real, se quer pedir alguma coisa, se quer proteger as crianças, peça a ABOLIÇÃO definitiva desta prática bronca, e a destruição de TODAS as arenas de Portugal,  porque enquanto ela for permitida por lei, num país onde as leis NÃO SÃO CUMPRIDAS, no que diz respeito à selvajaria tauromáquica, as crianças, que estão à guarda de trogloditas, serão atiradas às ruas e às arenas de tortura, porque esses trogloditas, sejam eles progenitores ou governantes, jamais tomarão a iniciativa de as PROTEGER.


Isabel A. Ferreira

 

Fonte:

https://basta.pt/governo-e-ministro-da-cultura-ignoram-protecao-das-criancas-da-violencia-das-touradas/

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 18:37

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Terça-feira, 9 de Agosto de 2022

A morte, instigada pela ESTUPIDEZ, ameaça a Humanidade, e, na MALVEIRA e noutros lugares barbáricos, essa mesma estupidez instiga a que se torturem seres vivos para divertir trogloditas

 

Ó senhores da Malveira e do Livramento e de outros lugares barbáricos, ponham os olhos em Vila do Conde que, no passado mês de Julho, NÃO permitiu que a barbárie tauromáquica se instalasse no seu território, porque o tempo é de mudança, é de evolução! E tortura e morte temos nós que baste, nas guerras insanas que indivíduos insanos lançam a um mundo que já evoluiu e já anda farto de ver tanto sofrimento e sangue derramado em nome da ESTUPIDEZ.

 

Existe uma lei que permite torturar seres vivos, em Portugal?

EXISTE.

Mas isso NÃO significa que a TORTURA de Touros e de Cavalos, que são tão animais como todos nós, tenha algo a ver com ÉTICA, CIVILIZAÇÃO, EVOLUÇÃO e CULTURA, e também NÃO significa que essa lei não seja uma lei PARVA, elaborada por trogloditas, em nome da ESTUPIDEZ que o deus pecunia, diabolicamente, instiga naqueles seres que ainda NÃO evoluíram.

 

Deixo-vos com uma iniciativa do Movimento Marinhenses Anti-Touradas, esperando que aceitem contribuir para um acto civilizacional, evitando que seres vivos indefesos, inocentes e inofensivos sejam torturados barbaramente, para que um punhado de trogloditas se divirta à custa do sofrimento atroz de Touros e Cavalos.

 

Tortura de Cavalo e Touro.jpeg

É isto que os trogloditas, e apenas os trogloditas, apoiam, aplaudem e promovem

 

 

Acção de Envio de Mensagens por E-mail | Touradas:

DENÚNCIA e Pedido de Cancelamento, Fiscalização e Investigação

 

Por favor, enviem esta mensagem, que visa o cancelamento de uma tourada na Malveira, e de uma outra no Livramento, bem como constituir uma chamada de atenção para a falta de condições para a realização de touradas nas praças de touros ambulantes (com vista a contribuir para a proibição de realização das mesmas). 

 

Assunto: Touradas: Denúncia e Pedidos de Cancelamento, Fiscalização e Investigação

 

Para:

geral@cm-mafra.ptassembleia@cm-mafra.ptgeral@uf-malveira-alcainca.pt

executivo@uf-malveira-alcainca.ptassembleia@uf-malveira-alcainca.pt
igacespetaculos@igac.ptigacgeral@igac.ptdirgeral@dgav.pt

70esquadra.lisboa@psp.ptct.lsb.dmfr.pmlv@gnr.ptinvestigacao@sic.pt

linhadafrente@rtp.ptrelacoes.publicas@tvi.pt

 

Cc:

marinhenses.antitouradas@gmail.com

 

Exmo. Sr. Presidente da Câmara Municipal de Mafra,
Exmos. Srs. Vereadores da Câmara Municipal de Mafra,
Exmo. Sr. Presidente da Assembleia Municipal de Mafra,
Exmos. Srs. Deputados Municipais,
Exmo. Sr. Presidente da União das Freguesias de Malveira e São Miguel de Alcainça,
Exmos. Srs. Membros da Assembleia de Freguesia,
Inspecção-Geral das Actividades Culturais (IGAC),
Direcção-Geral de Alimentação e Veterinária (DGAV),
PSP Loures,
GNR Malveira,
RTP,
SIC,
TVI

Excelências,

Está a ser anunciado um “espectáculo” tauromáquico para o dia 14/08/2022 na Malveira, que conta, de acordo com uma menção no respectivo cartaz, com o vergonhoso apoio da União das Freguesias de Malveira e São Miguel de Alcainça. Esta tourada, com início marcado para as 18:00 num recinto ambulante, tem como promotor a entidade António Pedro de Sousa Vasco, Unipessoal Lda., com o NIF 514666315, e como fornecedor de touros a ganadaria Eng.º Jorge Carvalho

http://farpasblogue.blogspot.com/2022/08/proximo-domingo-toiros-regressam.html

As touradas implicam maus-tratos aos Animais, o que faz com que sejam muito, e cada vez mais, contestadas, tornando-se difícil de entender que beneficiem de apoios públicos, como o da Junta de Freguesia referida. E, se estes eventos cruéis ainda vão tendo lugar em Portugal, com o argumento de que, embora incluam violências contra Animais, são lícitos nos termos regulamentados, a verdade é que se vai sabendo que o Regulamento do Espectáculo Tauromáquico [RET] em vigor tem vindo a ser violado, pelo menos no que se refere às touradas que decorrem em praças ambulantes.

 

[E isto é um facto mais do que comprovado]

Com efeito, ficando aqui, desde já, uma denúncia às entidades competentes, no passado dia 24 de Julho, numa tourada decorrida em Loures promovida por António Pedro de Sousa Vasco, Unipessoal Lda., com o NIF 514666315, os touros da ganadaria Eng.º Jorge Carvalho (uma das duas ganadarias presentes, conforme se pode perceber em 

 

https://tauronews.com/fotogaleria-de-24-de-julho-em-loures/ 

http://farpasblogue.blogspot.com/2022/07/havia-quem-nao-quisesse-mas-promoveu-se.html

 

que, em violação da alínea f) do artigo 22.º do Decreto-Lei n.º 89/2014, de 11 de Junho, nem sequer estava mencionada no cartaz 

 

https://infocul.pt/corrida-de-touros-em-loures-a-24-de-julho/

 

(1) chegaram às imediações da praça de touros depois das 16:00, não tendo tido tempo suficiente para descanso até ao início da lide/tourada (tourada com início às 18:00); (2) já vinham embolados; (3) saíram directamente da viatura de transporte para a lide na arena (sem entrarem primeiro em curros instalados na praça ou junto à praça); (4) foram encaminhados de volta à viatura de transporte imediatamente após a respectiva lide; (5) foram desembolados com os pés (sujeitos a levarem, mesmo que eventualmente sem intenção [???] pontapés na cara, nos olhos e/ou na cabeça); e entraram na viatura de transporte com ferragens colocadas e sem terem sido lavados e tratados.

A chegada ao parque de estacionamento/zona de acesso à praça de touros da viatura que transportou os bovinos da ganadaria Eng.º Jorge Carvalho aconteceu, de facto, a menos de duas horas do início da tourada. Facilmente se percebe que assim foi, pois decorria uma manifestação que se iniciou às 16:00. O carro fez-se anunciar com buzinadelas. Está tudo documentado a partir do minuto 2:30, em

 

 https://www.facebook.com/ricardo.silva.activista/videos/1090223578286305

 

e em

 

https://www.facebook.com/100000732690773/videos/1009913283019826/

 

A retirada da viatura de um touro que já estava embolado é evidente em

 

https://www.facebook.com/100000732690773/videos/pcb.5688051777895856/797240184635769

 

A tentativa falhada de retirada de uma bandarilha de um touro acabado de lidar (mais especificamente, do primeiro touro lidado – preto com ferragens vermelhas e brancas

 

http://farpasblogue.blogspot.com/2022/07/ribatejo-moita-e-arruda-as-7-pegas-de.html 

 

e

 

https://farpasblogue.blogspot.com/2022/07/moura-sonia-david-gomes-e-diogo.html

 

a desembolação do mesmo com os pés, e a sua entrada, com as ferragens por retirar, na viatura de transporte, algo que aconteceu enquanto a tourada continuava dentro da praça (conforme se pode perceber pelo barulho de fundo que inclui aplausos a Sónia Matias) são ocorrências que podem ser constatadas em

 

https://www.facebook.com/ricardo.silva.activista/videos/3293324227578599/ 

 

e

 

https://www.facebook.com/antitouradas/posts/pfbid0ivLaXrwnpwALchXmni4ZMnFo8ap9AL6u5vBLp6vizdA7QjpMjzyrH9MHU8Hb8zaul

Na tourada decorrida em Loures (do mesmo promotor da que está a ser anunciada para a Malveira) violaram-se, pois, vários artigos do Decreto-Lei n.º 89/2014, de 11 de Junho (que aprovou o Regulamento do Espectáculo Tauromáquico actualmente em vigor), nomeadamente: o número 1 do artigo 38.º (“1 - As reses destinadas à lide, incluindo as de reserva, devem ser pesadas ou avaliadas e inspeccionadas pelo médico veterinário, na presença do director de corrida, até três horas antes do início do sorteio”); todos os números (o 1 e o 2) do artigo 43.º (“No final do sorteio, as reses são isoladas em curros fixos ou móveis, nos quais é afixado, por determinação do director de corrida, o número de ordem de lide, estabelecido pelos artistas ou seus representantes” e “É expressamente proibida a permanência das reses nos veículos de transporte”); o artigo 47.º (“Depois de isoladas, as reses permanecem em descanso até à hora do espectáculo, sendo proibida a entrada de qualquer pessoa na zona dos curros, salvo as entidades fiscalizadoras, os delegados técnicos tauromáquicos ou pessoa autorizada pelo director de corrida, desde que acompanhada pelo médico veterinário e por representante da ganadaria”); o número 3 do artigo 31.º (“Nas praças fixas e ambulantes, as reses são descarregadas para os curros (...)”); a alínea f) do artigo 8.º (Incumbe ao médico veterinário (...) “Assistir, na presença do director de corrida, ao trabalho de despontar das hastes e de embolador”); e a alínea f) do artigo 7.º (Incumbe ao director de corrida (...) “Verificar, na presença do médico veterinário, o trabalho de despontar das hastes e de embolação e o desempenho do pessoal do curro, certificando-se de que a saída das reses à arena está marcada pela ordem estabelecida no sorteio”).



Perante o que acabo de expor, esperando que a denúncia que acabo de fazer seja analisada, registada e devidamente tratada pelas entidades competentes, parece-me altamente provável que também na tourada que está a ser anunciada para decorrer numa praça de touros ambulante na Malveira no próximo dia 14, mantendo-se o promotor Pedro de Sousa Vasco, Unipessoal Lda. (NIF 514666315) e a ganadaria Eng.º Jorge Carvalho, se venham novamente a violar disposições do Regulamento do Espectáculo Tauromáquico, caso esta tourada não seja previamente cancelada. Aliás, basta atentar no cartaz da tourada que está a ser divulgado em sítios tauromáquicos para se perceber que já se está a verificar uma violação de um dos artigos do Decreto-Lei n.º 89/2014, de 11 de Junho, mais especificamente, a alínea b) do número 1 do artigo 22.º que prevê que a publicidade, nos cartazes, dos espectáculos tauromáquicos deve incluir a indicação “Do tipo de espectáculo”, o que não se verifica no atinente ao cartaz em questão  

http://farpasblogue.blogspot.com/2022/08/proximo-domingo-toiros-regressam.html

 

Estes são, pois, motivos acrescidos para deixar também os seguintes pedidos:



- Que não haja nenhum apoio público destinado à tourada na Malveira;


- Que o Município de Mafra não conceda as licenças necessárias à concretização da tourada que está anunciada para a Malveira, nem de uma outra que o mesmo promotor pretende realizar em Setembro no Livramento

 

http://www.touroeouro.com/article/view/24931/touros-no-livramento-a-25-de-setembro

 

 nem de outras;


- Que, desta vez, se a tourada não for, entretanto, cancelada, haja uma fiscalização exemplar por parte de todas as entidades com competências na matéria (para que não se repita o que aconteceu em Loures ou se verifiquem outros incumprimentos);


- Que alguma estação de televisão faça uma reportagem sobre o LADO OCULTO da tauromaquia, e sobre as excepções e violações da Lei em torno da actividade.



Com os melhores cumprimentos,

 

Isabel A. Ferreira

 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 15:25

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Sexta-feira, 17 de Junho de 2022

A barbárie tauromáquica no seu melhor

 

Por Campanha contra as touradas no mundo

 

Recolha de um touro depois das "esperas/largadas"

 

Isto acontece em Vila Franca [de Xira] TODOS os anos para GÁUDIO do povo!

Depois das "esperas de toiros" nas ruas, os touros são recolhidos e voltam para a praça de touros para serem enjaulados e voltarem para o campo. Até que isso aconteça, vejam o CARINHO com que os campinos, supostos guardiões dos touros, os tratam. São PICADOS cruelmente com o pampilho, vara com aguilhão na ponta.

 

E O TOURO NÃO SOFRE??

NÃO SENTE DOR??

ENTÃO AS INVESTIDAS SÃO DE ALEGRIA!?!!!!!!?!!

A barbárie no seu melhor!!!

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 17:08

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Terça-feira, 14 de Junho de 2022

«Juiz proíbe touradas na maior praça de touros do mundo»: Plaza México

 

«Um juiz mexicano proibiu a realização de touradas na Plaza México, que é maior praça de toiros do mundo. Segundo o jornal espanhol El País, a decisão do juiz federal Jonathan Bass foi tomada sexta-feira, 10 de Junho, na sequência de uma queixa da associação cívica “Justicia Just”, que alega que a forma degradante como são tratados os touros, viola o direito a um meio ambiente são.

 

Na sentença, com mais de cinquenta páginas, o juiz federal desmonta os argumentos dos defensores da tauromaquia e detalha, um por um os danos emocionais e físicos que sofrem os animais durante as corridas, baseando-se num documento da PAOT, organismo de protecção animal do Governo da Cidade do México.

 

Depois de concluir que se trata de uma actividade recreativa em que se fere, tortura e mata um animal, Bass conclui que a sociedade está interessada em que se respeite a integridade física e emocional de todos os animais porque são seres vivos que integram os ecossistemas e contribuem com serviços ambientais essenciais para o ser humano

 

PLAZA MÉXICO.png

Origem da imagem : Wikipédia

 

A empresa “Tauro Plaza México” e Governo da Cidade do México têm dez dias para impugnar a decisão mas, segundo o jornal, durante o tempo que durar o processo judicial, que pode arrastar-se por meses, as actividades taurinas estão suspensas.

 

O gerente da Plaza México, Mario Zulaica, realça que a suspensão só estará em vigor durante o tempo que demorar a decisão sobre o recurso e lembra que não foi declarada a inconstitucionalidade das touradas.  Rebate também o argumento de que os espectáculos taurinos causem danos ao meio ambiente, como é dito na sentença.

 

“O touro bravo vive e é criado para as corridas e extinguir-se-ia se as mesmas acabassem. Aí sim, haveria dano para o ecossistema”.

 

Fonte:

https://omirante.pt/internacional/juiz-proibe-touradas-na-maior-praca-de-touros-do-mundo/

 

 ***

Esquecem-se de dizer que o Touro dito bravo NÃO existe na Natureza

 

Esquecem-se os tauricidas de que o Touro dito bravo NÃO EXISTE NA NATUREZA. É um simples bovino não capado, herbívoro manso, que, ainda bezerro, é retirado à sua progenitora VACA, e que os ganadeiros torturam para avaliar a sua “raça”: se reage mal, temos Touro “bravo”, se aceita as sevícias sem estrebuchar, regressa ao curral.

 

O bezerro escolhido é então frequentemente torturado, para se tornar “bravo” e ser sacrificado na arena. Quando as touradas acabarem, os TOUROS continuarão a existir, com a diferença de que existirão em PAZ. E o ecossistema valorizar-se-á com os Touros a viverem em PAZ, nos campos, como é da NATUREZA deles.


Os únicos animais que se extinguirão, quando as touradas acabarem, são o animal-toureiro e todos os que o acolitam. E não fazem cá falta nenhuma.

 

Isabel A. Ferreira


publicado por Isabel A. Ferreira às 17:48

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Terça-feira, 7 de Junho de 2022

El País elimina a secção de toureio da sua edição impressa

 

[Em Portugal dá-se parangonas a esta barbárie. A EVOLUÇÃO, aqui, ainda é uma miragem - Isabel A. Ferreira]

publicado por Isabel A. Ferreira às 11:28

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Domingo, 5 de Junho de 2022

Carta Aberta à Ministra Ana Catarina Mendes

 

Ana Catarina Mendes.png

 

Exma. Senhora Ministra,

Li numa notícia intitulada Ministra Ana Catarina Mendes critica "azedume e ressentimento" de Cavaco Silva :

que «a ministra Adjunta e dos Assuntos Parlamentares considera que o ex-Presidente da República Cavaco Silva revela "azedume e ressentimento" perante o país e defende que um ataque à interrupção voluntária da gravidez atinge os valores civilizacionais

Desde quando MATAR filhos no ventre materno, um santuário de vida, é um “valor civilizacional”?

 

Os filhos têm de ser desejados. É um facto. Quando desejados, os progenitores fazem tudo para que a fecundação aconteça, e quando acontece, vangloriam-se de que estão à espera de um FILHO, que só é FILHO se é desejado. Se NÃO é desejado, mas o DESEJO sexual fala mais alto, e a fecundação acontece, aqui-d' el-rei que o resultado da fecundação NÃO é um filho, portanto, há que MATAR a "coisa" que apareceu no santuário de vida -  o útero de todas as fêmeas, e os progenitores que se DESEJARAM, mas NÃO desejaram o filho, acham que têm o DIREITO de matar o ser humano INDEFESO, fruto do desejo SEXUAL deles, e que se fosse desejado, seria chamado de FILHO, logo à primeira semana.



Matar os filhos no ventre materno NÃO é um valor civilizacional. É um acto cobarde. É um assassinato, como outro qualquer. E isto nada tem a ver com religiões, as religiões só atrapalham,  mas tão-só com a ÉTICA, com valores morais, valores maternais, valores humanos.


Pense nisso. O caminho não é MATAR o filho indesejado, mas fazer sexo protegido.

 

E é isso que se deve passar às cidadãs, e não a permissão de se MATAR seres vivos indefesos, crianças humanas, dentro do ventre materno, algo que só a fêmea da espécie humana faz.

 

Um cidadão, a propósito de um texto meu, anti-tourada, enviou-me o seguinte comentário:
«Assinei a petição contra o aborto e eutanásia. O PAN é contra as touradas, mas favorece a morte de seres humanos. VAMOS TODOS APOIAR as touradas



Ele pensou que eu fosse militante do PAN, e eu, que sou apartidária, mas não apolítica, portanto,  sou LIVRE, respondi-lhe o seguinte:

«Saiba que NÃO é da inteligência, nem do bom senso, nem do senso comum, justificar uma BARBÁRIE (touradas) com outra BARBÁRIE (matar filhos no ventre materno, ou matar seres humanos em estado terminal de vida, quando existem cuidados paliativos).

 

MATAR ou TORTURAR seres vivos INDEFESOS, seja em que circunstância for, é um acto BÁRBARO, cruel, violento, desumano e INDIGNO de seres que se dizem HUMANOS.

 

Saiba também que o PAN NÃO representa a HUMANIDADE.

Portanto, os apoiantes de touradas tratem de EVOLUIR.

 

E os que são a favor de MATAR os FILHOS dentro do Santuário da VIDA, que é o ÚTERO de qualquer fêmea na Natureza (mas apenas as fêmeas que se dizem da espécie humana é que o fazem), ou MATAR (porque a eutanásia é efectuada por um terceiro, fazendo desse terceiro um assassino) seres humanos, já no fim da vida, como quem DESCARTA algo que já não presta, NÃO estão a praticar um acto HUMANO.

 

A “CULTURA DA MORTE” é algo que não pertence aos Valores HUMANOS. E isto nada tem a ver com religião, mas com a essência de um ser humano evoluído, algo que está a esvair-se pelos canos de esgoto, como se fosse um excremento.

 

Se tem substância cinzenta dentro do seu crânio, pense nisto!»



Gostaria que a Senhora Ministra também pensasse nisto, porque no rol dos Valores Civilizacionais, MATAR seres vivos indefesos, NÃO tem nenhuma alínea.

 

Com os meus cumprimentos,

Isabel A. Ferreira

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 16:58

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Quinta-feira, 19 de Maio de 2022

Pinhal Novo em vez de progredir quer recuar à barbárie tauromáquica

 

Porque Portugal precisa livrar-se da praga tauromáquica, assinem esta petição, por favor, ou enviem os vossos protestos para: 

geral@cm-palmela.pt ; j.f.palmela@gmail.com 

PINHAL NOVO.png

Petição contra a corrida de touros a realizar no dia 11 de Junho de 2022 na freguesia de Pinhal Novo por ocasião das suas festas populares

Para: Ex.mo Senhor Presidente da Câmara Municipal de Palmela, Álvaro Manuel Balseiro Amaro e Ex.mo Senhor Presidente da Junta de Freguesia de Pinhal Novo, Carlos Jorge Antunes de Almeida

 

 

Somos um grupo de residentes, domiciliados e amigos da freguesia de Pinhal Novo que, embora reconhecendo que as touradas são permitidas e reguladas por lei, pretende contestar o regresso das corridas de touros a esta localidade, requerendo que o evento seja excluído da programação das festas populares.

Desde 2016 que não são realizadas corridas de touros no Pinhal Novo. Durante 6 anos celebrámos as festas populares anuais da nossa localidade num ambiente de paz e sossego sem qualquer necessidade de inclusão daqueles espectáculos na lista de eventos.

A tauromaquia é um espectáculo que divide a sociedade portuguesa, algo que deve exigir aos representantes públicos eleitos a adopção de uma posição neutra, que passe por não apoiar, directa ou indirectamente, o regresso das actividades tauromáquicas ao Pinhal Novo. Ao permitirem e promoverem o regresso das corridas de touros, os representantes da população estarão a agir de uma forma que consideramos lamentável e que apenas podemos reportar com uma cedência inaceitável ao lobby tauromáquico.

Pelo exposto, vimos requerer a V. Ex.as que assumam uma posição neutral e mantenham as festas da nossa terra um evento convidativo para todos e não apenas para alguns, retirando para o efeito do programa de festas todo e qualquer evento tauromáquico.


 
 
publicado por Isabel A. Ferreira às 16:03

link do post | Comentar | Ver comentários (2) | Adicionar aos favoritos
Quinta-feira, 7 de Abril de 2022

Nenhum animal merece este martírio. Nenhum.

 

Campanha contra as touradas no mundo

 

«Nenhum dos animais merece e a sociedade não precisa, para nada, de tauromaquia. BASTA!

 

Basta de permissão a abusos crónicos.


Nenhuma outra forma de prática cultural ou espectáculo recebe a contestação que merece o sector tauromáquico, com os seus caracteres traumáticos, tão evidentes, com os seus rituais sanguinários, com todo o desrespeito demonstrado contra os animais designados,  #toiros#cavalos e outros. E é para mais uma esponja a sugar dinheiros, incluindo muito despesismo e gestão danosa, vergonhosa, da parte de alguns Poderes Públicos, que ainda desviam, podem ainda desviar, dos fundos públicos, para #touradas da seita obscura! Têm regulamentos de lei. Ao menos esses cumprem? Nem isso!»

 

Cavalo torturado.png

Fonte:

https://www.facebook.com/CampanhaContraTouradasMundo/photos/1098025566914593

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 17:49

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Terça-feira, 29 de Março de 2022

Vamos pedir ao Centro Infantil Nossa Senhora da Saúde, do Redondo (Évora), que não aceite DINHEIRO SUJO do sangue de Animais inocentes, indefesos e inofensivos, que irão ser TORTURADOS numa tourada

 

Que mensagem este Centro Infantil pretende passar às crianças, aceitando DINHEIRO SUJO do sangue de seres vivos sencientes, a quem elas carinhosamente tratam por vaquinhas, boizinhos, bezerrinhos? Que espécie de educação estão a dar às crianças? (Isabel A. Ferreira)

 

***

Após a Cruz Vermelha ter feito saber que, ao contrário do que chegou a ser anunciado, não irá aceitar dinheiro proveniente de uma tourada, que decorrerá no dia 2 de Abril no Redondo, e após ter chegado a existir um beneficiário “fantasma” para a tourada em causa, eis que surge hoje o anúncio de que a entidade beneficiária da tourada será o Centro Infantil Nossa Senhora da Saúde, do Redondo!

 

Por favor, peçam ao Centro Infantil Nossa Senhora da Saúde, do Redondo, que não aceite dinheiro manchado de sangue de Animais inocentes. Façam-no na respectiva página no Facebook ou por e-mail. Obrigado.

 

Uma CIBER-ACÇÃO encetada pelo Movimento Marinhenses Anti-touradas

 

————————————

 

Mensagem sugerida mais abaixo, para envio por e-mail:

 

Para: centroinfantil2@sapo.pt

Cc: marinhenses.antitouradas@gmail.com

 

REDONDO.png

 

Exmos. responsáveis pelo Centro Infantil Nossa Senhora da Saúde do Redondo,

 

Está a ser anunciada para 02 de Abril uma tourada a favor do Centro Infantil Nossa Senhora da Saúde do Redondo (Évora).

https://tauronews.com/festival-no-coliseu-de-redondo-ja-no-proximo-sabado/

após a Cruz Vermelha Portuguesa ter desistido de ser beneficiária desse cruel evento.

 

Em cada tourada, seis ou sete bovinos são humilhados e torturados quase até à morte (havendo também, frequentemente, cavalos que ficam feridos ou morrem). São-lhes cravados ferros que lhes provocam severas hemorragias. É-lhes provocado um elevado nível de sofrimento físico e psicológico. Horas depois, os inocentes animais são, na sua quase totalidade, abatidos, após um longo período de agonia.

 

A violência que a tauromaquia implica é de tal ordem que, desde de 2014, o Comité dos Direitos das Crianças da Organização das Nações Unidas (ONU) tem vindo a demonstrar a sua preocupação com o bem-estar físico e mental das crianças envolvidas em actuações em touradas, bem como com o bem-estar mental e emocional das crianças enquanto espectadoras que são expostas à violência das touradas”

vide s.f.f. pág. 10 em:

https://www.refworld.org/docid/52f89eb84.html

Em 2019, a ONU recomendou a Portugal que proíba as crianças e jovens menores de 18 anos de participarem em touradas ou assistirem a touradas (vide s.f.f. pág. 7 de https://undocs.org/CRC/C/PRT/CO/5-6

 

Naturalmente, a tauromaquia tem vindo a ser alvo de uma enorme e crescente contestação social e, cada vez mais, a generalidade das organizações optam por se distanciar ao máximo desta cruel actividade por razões de ordem ética. É incompreensível que o Centro Infantil Nossa Senhora da Saúde do Redondo apareça como beneficiário da tourada em causa.

 

O Centro Infantil Nossa Senhora da Saúde do Redondo ainda está a tempo de não compactuar com um evento de desrespeito que implica violência extrema contra Animais sencientes indefesos. Será uma boa medida, que poderá ser apresentada como um contributo para o enriquecimento afectivo das crianças dessa Instituição.

 

Perante o exposto, peço a V. Exas. que essa Instituição não se deixe instrumentalizar, e se dissocie da tourada em causa, nunca aceitando dinheiro manchado de sangue de Animais inocentes.

 

Na expectativa de uma resposta positiva, apresento os meus melhores cumprimentos,

 

Isabel A. Ferreira

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 15:08

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Mais sobre mim

Pesquisar neste blog

 

Janeiro 2023

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
15
16
17
19
20
21
22
23
24
26
28
29
30
31

Posts recentes

PACMA [Partido Animalista...

Governo e ministro da (in...

A morte, instigada pela E...

A barbárie tauromáquica n...

«Juiz proíbe touradas na ...

El País elimina a secção ...

Carta Aberta à Ministra A...

Pinhal Novo em vez de pro...

Nenhum animal merece este...

Vamos pedir ao Centro Inf...

Arquivos

Janeiro 2023

Dezembro 2022

Novembro 2022

Outubro 2022

Setembro 2022

Agosto 2022

Junho 2022

Maio 2022

Abril 2022

Março 2022

Fevereiro 2022

Janeiro 2022

Dezembro 2021

Novembro 2021

Outubro 2021

Setembro 2021

Agosto 2021

Julho 2021

Junho 2021

Maio 2021

Abril 2021

Março 2021

Fevereiro 2021

Janeiro 2021

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Direitos

© Todos os direitos reservados Os textos publicados neste blogue têm © A autora agradece a todos os que os divulgarem que indiquem, por favor, a fonte e os links dos mesmos. Obrigada.
RSS

Acordo Ortográfico

Em defesa da Língua Portuguesa, a autora deste Blogue não adopta o Acordo Ortográfico de 1990, devido a este ser inconstitucional, linguisticamente inconsistente, estruturalmente incongruente, para além de, comprovadamente, ser causa de uma crescente e perniciosa iliteracia em publicações oficiais e privadas, nas escolas, nos órgãos de comunicação social, na população em geral, e por estar a criar uma geração de analfabetos escolarizados e funcionais.

Comentários

Este Blogue aceita comentários de todas as pessoas, e os comentários serão publicados desde que seja claro que a pessoa que comentou interpretou correctamente o conteúdo da publicação. 1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome. 2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas". 3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias. Serão eliminados os comentários que contenham linguagem ordinária e insultos, ou de conteúdo racista e xenófobo. Em resumo: comente com educação, atendendo ao conteúdo da publicação, para que o seu comentário seja mantido.

Contacto

isabelferreira@net.sapo.pt