Segunda-feira, 19 de Abril de 2021

«Crueldade... Realidade das Touradas»

 

Centenas de touros sendo sacrificados por diversão!

Até que ponto o ser humano chega?

 

Chega ao ponto de não ser mais humano.

 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 19:01

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Terça-feira, 6 de Abril de 2021

«Morreu [o Touro] Marismero. Mataram-no aos poucos…»

 

É difícil viver num País onde esta barbárie ainda é permitida por governantes trogloditas e  pela igreja católica.

 

MARISMERO.jpg


Marinhenses Anti-touradas

 

 «MORREU O MARISMERO. MATARAM-NO AOS POUCOS!»

Já ouviram dizer que aqueles touros que depois das touradas não seguem para o matadouro, mas para a ganadaria de origem, vivem muitos anos e são muito felizes para sempre? Esqueçam.

Sim, há meia dúzia de touros em Portugal que depois das touradas não seguem para o matadouro, porque os seus proprietários querem fazer mais umas experiências com eles e eventualmente passar a utilizá-los para padrear. E era este o destino que foi idealizado para o Marismero.

Acontece que o Marismero veio comprovar que um touro que passa pelos horrores de uma tourada fica ferido, debilitado e com a sobrevivência comprometida.

O Marismero nunca recuperou do que lhe fizeram na arena do Campo Pequeno em Agosto de 2020. E numa altura em que ainda estava extremamente debilitado por causa da tourada (com as suas capacidades físicas e as suas defesas abaixo do que seria normal se não tivesse sido toureado), foi corneado, ainda em Agosto de 2020, por outro touro.

Talvez porque o Marismero já tivesse anteriormente sido notícia mais de uma vez, e havia muita gente curiosa relativamente ao seu percurso, o Marismero teve direito a uma intervenção cirúrgica logo após a cornada mencionada, e as fotos da cirurgia vieram a público – acompanhadas de legendas como “Esta é a Ética das Touradas”.

Desde então, vários aficionados da tauromaquia foram perguntando pelo Marismero na página do Facebook da ganadaria. No entanto, pelo menos pela mesma via, nunca nenhum obteve resposta.

Quase 8 meses depois, foi hoje notícia a morte o Marismero.

Imaginamos o sofrimento deste indivíduo desde o dia em que foi carregado para uma tourada, em Agosto de 2020, até à data da sua morte – que se presume (?) que seja a de ontem.

Descansa finalmente em paz, Marismero. Desculpa!

(Notícia de hoje sobre a morte do Marismero em:

https://farpasblogue.blogspot.com/2021/04/morreu-o-toiro-marismero-de-murteira.html?fbclid=IwAR0YISU5JmtItwXm7_ObWf6oxhKriwCh-TMUDBJrspHXVGGTv9WQWCy3IWo

 

Fonte:

https://www.facebook.com/antitouradas/photos/a.215152191851685/4131657476867784/

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 14:52

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Sexta-feira, 12 de Fevereiro de 2021

«“Corridas”: de Touros e de Lebres a Corricão»

 

Quando pensamos que já vimos tudo o que há para ver no submundo do homem-predador, surge-nos coisas que nos surpreendem, porque inimagináveis. Só mesmo cérebros mindinhos conseguem chegar a tais actos de extrema crueldade.

 

CORRIDAS DE DOIDOS.jpg

 

Touradas (“Corridas de Touros”)

Nas touradas, o animal acossado é um bovino. Este é atacado por um toureiro e seguidamente quase sempre morto, ou pelo próprio toureiro, nas touradas à espanhola, ou num matadouro, nas touradas à portuguesa.

Na modalidade de toureio mais praticada em Portugal,  o toureiro   actua montado num cavalo ou numa égua. O equídeo sofre não só durante as touradas, como em treinos muito violentos.

 

Sobre esta matéria consultar este link:

 A tauromaquia esmiuçada através da Ciência Médico-Biológica

(Um excelente texto do Dr. Vasco Reis, Médico-Veterinário, que esmiúça o sofrimento atroz de Touros e Cavalos nas touradas)

***
 
Corridas de Lebres a corricão (“corridas de Galgos a campo” “largadas de Lebres, ou “caça à lebre a corricão”)   


Nas corridas de lebres a corricão, o animal perseguido é uma lebre (viva). É perseguida, num espaço vedado com rede com muito poucas escapatórias, durante longos minutos, por uma parelha de cães, que lhe vão tocando, provocando-lhe ferimentos. Mesmo correndo muito e mudando frequentemente de direcção, acaba por ser, na maioria dos casos, agarrada por um dos cães participantes e morta pelo próprio ou pelos dois.

Além das lebres, também os cães (machos ou fêmeas) sofrem horrores, quer durante estas provas quer nos treinos.

Em cada prova, os canídeos perdem muito peso (chegam a perder 5 kg), ficam desidratados e com alguns ferimentos, e terminam à beira da exaustão. Em 2012, o então vice-presidente da Federação Nacional de Galgueiros, Luís Lourenço, disse ao Correio da Manhã que houve uma prova disputada num dia de muito calor na qual morreram seis cães por exaustão.

Nos treinos, à semelhança do que se passa nos que visam a preparação para as simples corridas de cães, os protagonistas das corridas de lebres a corricão são obrigados a correr diariamente quilómetros e quilómetros. Sabe-se que há quem os amarre a carros e/ou passadeiras rolantes, bem como quem utilize noras circulantes, conforme admitido perante a TVI em 2019 por Nuno Ferreira da Silva, então presidente da mesa da Assembleia Geral da Federação Nacional de Galgueiros. As divisórias das noras dão choques eléctricos e/ou pancadas nos animais que correm mais devagar do que o pretendido. São muito frequentes as fracturas de ossos dos membros superiores e inferiores e as lesões musculares. Há cadelas/cães que morrem durante os treinos.

A ligação


Além de haver um enorme desrespeito quer pelas vítimas das touradas quer pelas das corridas de lebres a corricão, e muitas semelhanças entre estes vergonhosos eventos de entretenimento, uma grande parte dos concorrentes e do público está ligada a ambas as práticas. Entre os concorrentes nos campeonatos de lebres a corricão, não faltam (…) toureiros, ganadeiros, e familiares destas pessoas.



A imagem desta publicação inclui uma foto do (…)  montador tauromáquico João Moura Caetano a actuar numa tourada, e uma outra foto onde o mesmo segura um troféu e um dos seus cães, de rabo entre as pernas (um sinal de medo e/ou desconforto), junto a alguém que segura uma lebre morta pelo cão, em dia de corrida.

 

Texto obtido do seguinte link:

https://www.facebook.com/antitouradas/photos/a.215152191851685/3982148535152013

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 16:55

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Quarta-feira, 10 de Fevereiro de 2021

Site tauromáquico avança com a notícia de que a Praça de Touros de Albufeira vai fechar definitivamente

 

Isto a ser verdade é fantástico!

 

As touradas em Albufeira eram a nódoa negra daquela região, frequentada por estrangeiros, mas também por Portugueses, que se estão nas tintas para esta prática troglodita que, ao contrário do que se lê na imagem, em nada servia os jovens, mais inclinados que estão para os festivais de música de Verão, e muito menos os turistas que frequentam as belas praias de Albufeira, e não vão enfiar-se num antro, para ver torturar Touros e Novilhos.

 

Albufeira não perde absolutamente nada.  Muito pelo contrário, Albufeira ganha muito mais prestígio por se ter livrado deste costume bárbaro, e por dar lugar à evolução.  Albufeira só tem a ganhar com este passo em direcção à civilização.

 

Até que enfim!

 

Muito se deve ao médico-veterinário Dr. Vasco Reis e ao seu grupo de activistas, que sempre se bateram por uma Albufeira livre de crueldade e violência e mais civilizacionalmente avançada.

 

Quanto a mim, já não terei o trabalho (eu e o meu pequeno grupo) de andar a rasgar e a pôr no lixo os panfletos de propaganda às touradas, que eram largados no chão, aos magotes, nos parques de estacionamento de acesso às praias e lugares turísticos, e junto aos restaurantes,  gerando lixo na via pública, e insultando a inteligência dos transeuntes e a sensibilidade das crianças com imagens de grande violência.

 

Também já não terei (eu e os meus netos) de fazer-de-conta que vomitamos sempre que passamos diante deste mono de tortura que desfeia aquela estância balnear do Algarve.

 

Melhores ares se respirarão em Albufeira, tal como já se respira em Viana do Castelo e Póvoa de Varzim, sem aquele fedor bafiento a urina, a bosta, a suor e a álcool, que empestava as redondezas.

 

Isabel A. Ferreira

 

Praça de Touros de Albufeira.jpg

Fonte:  https://www.facebook.com/antitouradas/photos/a.215152191851685/3977140465652820/

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 10:51

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Terça-feira, 9 de Fevereiro de 2021

Site tauromáquico avança com a notícia de que a Praça de Touros de Albufeira vai fechar definitivamente

 

Isto a ser verdade é fantástico!

 

As touradas em Albufeira eram a nódoa negra daquela região, frequentada por estrangeiros, mas também por Portugueses, que se estão nas tintas para esta prática troglodita que, ao contrário do que se lê na imagem, em nada servia os jovens, mais inclinados que estão para os festivais de música de Verão, e muito menos os turistas que frequentam as belas praias de Albufeira, e não vão enfiar-se num antro, para ver torturar Touros e Novilhos.

 

Albufeira não perde absolutamente nada.  Muito pelo contrário, Albufeira ganha muito mais prestígio por se ter livrado deste costume bárbaro, e por dar lugar à evolução.  Albufeira só tem a ganhar com este passo em direcção à civilização.

 

Até que enfim!

 

Muito se deve ao médico-veterinário Dr. Vasco Reis e ao seu grupo de activistas, que sempre se bateram por uma Albufeira livre de crueldade e violência e mais civilizacionalmente avançada.

 

Quanto a mim, já não terei o trabalho (eu e o meu pequeno grupo) de andar a rasgar e a pôr no lixo os panfletos de propaganda às touradas, que eram largados no chão, aos magotes, nos parques de estacionamento de acesso às praias e lugares turísticos, e junto aos restaurantes,  gerando lixo na via pública, e insultando a inteligência dos transeuntes e a sensibilidade das crianças com imagens de grande violência.

 

Também já não terei (eu e os meus netos) de fazer-de-conta que vomitamos sempre que passamos diante deste mono de tortura que desfeia aquela estância balnear do Algarve.

 

Melhores ares se respirarão em Albufeira, tal como já se respira em Viana do Castelo e Póvoa de Varzim, sem aquele fedor bafiento a urina, a bosta, a suor e a álcool, que empestava as redondezas.

 

Isabel A. Ferreira

 

Praça de Touros de Albufeira.jpg

Fonte:  https://www.facebook.com/antitouradas/photos/a.215152191851685/3977140465652820/

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 15:05

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Sexta-feira, 29 de Janeiro de 2021

«Por um Campo Pequeno sem touradas, sem violência e sem sangue»

 

Porque nós não desistimos, o PAN solicitou, através da Assembleia da República, a cópia do contrato de concessão assinado entre a Casa Pia e o empresário Álvaro Covões para saber quais as condições para continuarem a ser promovidas touradas no Campo Pequeno!



Relembramos que em 2019 conseguimos que o Presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina, desobrigasse a Casa Pia de realizar touradas no Campo Pequeno e que a esmagadora maioria da população de Lisboa não tem qualquer interesse na tauromaquia e não concorda com a promoção de touradas naquele equipamento (cerca de 70% dos lisboetas, de acordo com sondagem da Universidade Católica em 2018).


O nosso desígnio é mais do que transparente e sem rodeios: terminar com esta prática anacrónica, bárbara e violenta!  Podes consultar a pergunta em
 https://bit.ly/38RQxp4


#CampoPequenosemtouradas #Rumoàabolição #Lisboasemtouradas 

 

TOURADAS.jpg

Fonte:  https://www.facebook.com/pan.lisboa/photos/a.335086443205559/3586323604748477/

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 17:18

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos (1)
Domingo, 10 de Janeiro de 2021

Vitorino Silva (Tino de Rans) um candidato à Presidência da República, a não desperdiçar

 

Vitorino Silva.png

 

Genuíno. Inteligente. Trabalhador. Perspicaz. Um Humanista de primeira água, para quem as pessoas importam. Um verdadeiro filósofo popular. Tem a sabedoria do Povo. Adoro as suas metáforas e parábolas. Conhece o Portugal profundo. Não tem os vícios nocivos dos políticos “profissionais”, que nada têm de novo, para nos dizer. É alguém em quem se pode confiar.

 

Como cidadão português tem todo o direito de se candidatar a Presidente da República. Afinal, não são os canudos universitários que fazem um bom presidente. Já todos tivemos oportunidade de o comprovar. Ser calceteiro não seria o impedimento maior.

 

Não sei se aderiu ao AO90. Não sei o que pensa sobre isso e sobre as touradas, mas sei que gosta de animais e é bastante carinhoso com eles. Não tive tempo de lhe escrever, e questioná-lo sobre estes dois temas, que, para mim e milhares de Portugueses, são cruciais, e ninguém debate. Mas de uma coisa eu tenho a certeza: de todos os candidatos, o Vitorino Silva seria o único a dar-me a honra de uma resposta, algo que Ana Gomes e Marcelo Rebelo de Sousa não fizeram.

 

Tenho visto todos os debates televisivos, e querem saber? O Vitorino Silva, com a sua genuína humildade, tem sido o candidato que mais me tem cativado. É o único que representa o Povo – a Democracia, no seu significado mais puro. E isto para mim é o que importa. Os outros representam INTERESSES.  Gosto do que ele diz e de como o diz. Não se arrasta atrás daqueles lugares-comuns cansativos e vazios e hipócritas que os outros repetem até à exaustão, e que, espremidos, não têm a força de me CATIVAR.

 

Vitorino Silva imprime uma força cativante aos seus discursos, sem ódio pelo adversário, sem segundas intenções.

 

E querem saber? Estou tão desiludida com os outros candidatos que tinha decidido votar em branco, até aparecer Vitorino Silva. Vou votar nele. Não, não será um voto útil. Nem um voto de protesto. Será um voto por convicção. O voto num Homem para o futuro, porque o futuro precisa de Homens, não de robots. 

 

Tenho certeza de que daria um bom presidente, se o preconceito não fosse maior do que a condescendência.  

 

Não, não estou a brincar. Estou a falar muito a sério.

 

Isabel A. Ferreira

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 17:11

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos (2)
Sexta-feira, 8 de Janeiro de 2021

«A “Prótoiro” É Perita em Dar Tiros nos Pés»

 

O novo delírio dos desesperados "prótoiros".

Isabel A. Ferreira

 

prótoiro.jpg

 

«A “Prótoiro” É Perita em Dar Tiros nos Pés»

 

«O ano mal começou e os aficionados já andam às turras. Tudo porque a federação da treta gastou uma pipa de massa num outdoor posicionado em frente da Assembleia da República com a foto de António Costa e André Silva com a afirmação “Já conheces os novos pais dos teus filhos? “

 

A provocaçãozinha tem a ver com o facto da eventual proibição de menores de 18 anos assistirem ou participarem em espectáculos bárbaros vulgo touradas.

 

A “prótoiro” achou que a ideia era genial, no entanto, esqueceu-se que quem os alimenta poderia não gostar.

 

E a prova  é que o gestor do Campo Pequeno veio a terreno chamar-lhes idiotas porque abusaram da imagem do Primeiro-Ministro considerando que a tauromaquia não tem a ver com política e que devido a tal facto a empresa que o mesmo gere deixa de fazer parte da APET-Associação Portuguesa de Empresários Tauromáquicos.

 

Uma vez mais se prova que a “prótoiro” é uma anedota que só existe para sugar dinheiro aos aficionados.

 

Pela nossa parte só podemos dizer que os abolicionistas agradecem à “prótoiro” a publicidade dada ao PAN!

 

Prótouro
Pelos touros em liberdade

 

Fonte:  https://protouro.wordpress.com/2021/01/07/a-protoiro-e-perita-em-dar-tiros-nos-pes/

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 14:56

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos (1)
Sexta-feira, 4 de Dezembro de 2020

Açores: acabou-se o reinado do PS, entrou o reinado do PSD, o que para a tauromaquia vai dar ao mesmo…

 

Mudaram as cores políticas, mas não, as políticas, e tudo continuará como dantes…

 

Padre açoriano2.jpg

Este é Ricardo Tavares, o padre que em 2017 acabou com as touradas nas Festas do Senhor Bom Jesus dos Aflitos, em Fenais da Luz, e agora, em 2020, como Director Regional da “cultura” (?) está à disposição da selvajaria tauromáquica.

(Origem da imagem: Internet)

 

Mal o novo governo dos Açores se instalou, instalou-se também a polémica: para novo Director Regional da Cultura, que preside a Comissão Regional de tauromaquia, órgão consultivo em matérias de tauromaquia nos Açores, foi nomeado o Padre Ricardo Tavares, que em 2017 acabou com sete anos de Touradas, em nome de Deus, nas Festas do Senhor Bom Jesus dos Aflitos, porque considerava que a «tauromaquia era uma prática sádica, anticivilizacional e que queima verbas».

 

A notícia pode ser recordada aqui:

Acabam-se sete anos de Touradas em nome de Deus

 

Logo que esta nomeação saiu, os tauricidas puseram-se em pé de guerra e fizeram uma petição pública com o objectivo de demover o Governo Regional de nomear o Padre Ricardo Tavares por ser um assumido anti-touradas.

 

Porém, quando o Padre Ricardo Tavares teve conhecimento da petição, temendo, talvez, perder o “tacho”, apressou-se a ter esta espantosa atitude, numa carta dirigida a um tal Sr. Filipe, suponho que seja o autor da petição:

 

Como já lhe referi, a minha opinião é pessoal e não passa disso. A partir do momento que sou nomeado Director Regional da Cultura, meto de lado as minhas opiniões e trabalho ao serviço das tradições culturais da Região, qualquer que ela seja.

Pode esperar de mim respeito e apoio efectivo a todas as manifestações da Ilha Terceira, até porque a tauromaquia contribui em boa medida para a economia da Ilha.

Se tem amor e respeito pela verdade, não deve esconder esta minha visão.

Com os melhores cumprimentos,

Ricardo Tavares

***

Será que temos aqui  alguém que deixou de ser padre para ser pau-mandado?

 

Acabam-se sete anos de touradas em nome de Deus, e agora, como bom pau-mandado, põe-se ao serviço da selvajaria tauromáquica, em nome de qual “senhor”?

 

Já não se fazem Padres como antigamente, que serviam um só SENHOR.

 

Quais tradições é que o novo Director Regional da “cultura” (?) quer manter: a de se bater nas mulheres, a de se possuir escravos, ou a de se queimar pessoas nas fogueiras da inquisição?

 

Que se saiba as touradas não são uma tradição, em parte alguma do Universo. São, isso sim, uma prática bárbara, herdada dos bárbaros espanhóis que andaram pelos Açores.

 

É lamentável que assim seja, uma vez que as localidades açorianas que ainda praticam esta selvajaria do tempo dos bárbaros, continuarão a travar a evolução do Arquipélago dos Açores!

 

Dhuaahhhhh!!! estamos no século XXI d. C.!!!!  

EVOLUAM, em nome da HUMANIDADE!

 

Isabel A. Ferreira

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 16:13

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Segunda-feira, 30 de Novembro de 2020

Barrancos quer criancinhas nos Touros de morte, mas do QUERER ao TER vão milhares de anos luz…

 

Touradas? Só para maiores de 120 anos.

Touradas de morte? Só para maiores de 300 anos.

Esperemos que vença a lucidez, o bem senso, a racionalidade, e que as crianças de Barrancos (e as das outras localidades trogloditas) sejam poupadas a tamanha atrocidade, e à irracionalidade dos barranquenhos adultos.

Isabel A. Ferreira

 

BARRANCOS.jpg

 

Por   Marinhenses Anti-touradas

 

 BARRANCOS É VERGONHA NACIONAL

Todos os anos se torturam e matam bovinos nas Festas de Agosto em Barrancos. Aconteceu durante anos e anos enquanto a morte dos animais era proibida, até quando era considerada crime, nunca tendo havido punições. Acontece agora ao abrigo de uma incompreensível excepção na Lei
[outorgada pelo então presidente da República Jorge Sampaio].

Claro que entre as pessoas que assistem à horrenda morte das vítimas há crianças de todas as idades.

A Câmara de Barrancos aprovou, ontem, por unanimidade, uma moção que visa que os menores de idade continuem a poder assistir a touradas, inclusive às de morte.


Ainda bem que em Portugal nem todos os municípios ficaram presos no passado como o de Barrancos. Esperemos que, desta vez, vença o bom-senso e que as touradas passem a ser classificadas para maiores de 16 ou 18 anos, em todo o país.»


Moção: http://www.cm-barrancos.pt/autarquia/cmb/actas/2020/Moção%20pela%20Defesa%20da%20Tauromaquia%20–%20Património%20Cultural%20Imaterial%20de%20Barrancos.pdf 

Fonte:

https://www.facebook.com/antitouradas/photos/a.215152191851685/3786393338060868/?type=3&theater

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 15:29

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Mais sobre mim

Pesquisar neste blog

 

Abril 2021

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
13
16
17
18
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

Posts recentes

«Crueldade... Realidade d...

«Morreu [o Touro] Marism...

«“Corridas”: de Touros e...

Site tauromáquico avança ...

Site tauromáquico avança ...

«Por um Campo Pequeno sem...

Vitorino Silva (Tino de ...

«A “Prótoiro” É Perita em...

Açores: acabou-se o reina...

Barrancos quer criancinha...

Arquivos

Abril 2021

Março 2021

Fevereiro 2021

Janeiro 2021

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Direitos

© Todos os direitos reservados Os textos publicados neste blogue têm © A autora agradece a todos os que os divulgarem que indiquem, por favor, a fonte e os links dos mesmos. Obrigada.
RSS

Acordo Ortográfico

Em defesa da Língua Portuguesa, a autora deste Blogue não adopta o Acordo Ortográfico de 1990, devido a este ser inconstitucional, linguisticamente inconsistente, estruturalmente incongruente, para além de, comprovadamente, ser causa de uma crescente e perniciosa iliteracia em publicações oficiais e privadas, nas escolas, nos órgãos de comunicação social, na população em geral, e por estar a criar uma geração de analfabetos escolarizados e funcionais.

Comentários

Este Blogue aceita comentários de todas as pessoas, e os comentários serão publicados desde que seja claro que a pessoa que comentou interpretou correctamente o conteúdo da publicação. Serão eliminados os comentários que contenham linguagem ordinária e insultos, ou de conteúdo racista e xenófobo. Em resumo: comente com educação, atendendo ao conteúdo da publicação, para que o seu comentário seja mantido.

Contacto

isabelferreira@net.sapo.pt