Terça-feira, 19 de Março de 2019

ISTO É A “CULTURA” QUE OS GOVERNANTES OFERECEM A UM POVO QUE AINDA NÃO EVOLUIU

 

NEM EVOLUIRÁ NUNCA, ENQUANTO HOUVER UMA LEI QUE LEGITIMA A TORTURA E A ESTUPIDEZ

(Tourada à corda na Ilha Terceira (Açores)

(Legenda do vídeo: «Gosto quando o Touro se diverte...)

 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 17:16

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Quarta-feira, 6 de Março de 2019

VÍDEO: «QUAL A TUA OPINIÃO SOBRE AS TOURADAS?»

 

Publicado no YouTube por

Fábio Soares

Para ver, ouvir e reflectir.

15252995_tJE8j[1].jpg

 

Neste vídeo vais ver algumas opiniões sobre touradas. Mais uma vez as respostas foram feitas sem oportunidade de grande tempo para reflexão, mas no fundo a resposta é unânime, a abolição total de tais práticas seria o comportamento adequado a uma civilização que quer ser vista como mais evoluída. Se ainda apoias touradas peço-te que repenses os teus valores morais e repenses essa decisão. Nenhum ser capaz de sentir deve ser submetido a sofrimento desnecessário. Tourada é tortura, é morte. Obrigado a todos que participaram no vídeo.

Partilha o vídeo, comenta e subscreve.

(Fábio Soares)

 

in

https://blogcontraatauromaquia.wordpress.com/2019/03/06/qual-a-tua-opiniao-sobre-touradas/

***

Ficamos a aguardar um vídeo, realizado por aficionados, que apresente argumentos RACIONAIS a favor da selvajaria tauromáquica, e a contradizer tudo o que os que colaboraram neste vídeo de Fábio Soares argumentaram. (I.A.F.)

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 14:28

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Quinta-feira, 27 de Dezembro de 2018

«TOURADA NÃO MOVE PESSOAS NOBRES»

 

Porque já estou farta de tanta estupidez e tanta ignorância, pensei seriamente em abandonar esta Causa.
 
Porém, numa viagem que fiz por estes dias, passei por um prado à beira da estrada, onde vários magníficos bovinos pastavam tranquilamente, como é da natureza deles. Observei-os, por uns momentos, tão indefesos, à mercê de indivíduos que ainda não evoluíram.

Então, ao imaginar que alguns deles estão destinados a ser barbaramente torturados numa arena, para que um bando de sádicos se divirtam, fui invadida por um sentimento profundo e estranho, que me fez recuar. Não, não posso abandoná-los a um destino tão bárbaro. Infelizmente, eles ainda precisam da minha voz, para gritar por eles, porque os BRUTOS andam por aí, apoiados por  governantes que também ainda não evoluíram...

 

TOURO.jpgFonte da imagem:

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=790566481281466&set=a.270984846572968&type=3&theater

 

A tourada é uma hipocrisia nacional

 

(...) A crueldade tem muitas vertentes económicas e a gente não aceita a crueldade. (...) A minha ideia de civilização e a minha ideia da evolução dos costumes não passa nem pela violência entre marido e mulher e violência caseira que também é tradicional, não passa pelos comportamentos em relação às crianças e as violências que também eram tradicionais, não passa por muitas outras coisas que também são tradicionais e também não passa por achar bem um espectáculo em que um animal é sujeito para gáudio colectivo a espetarem-lhe facas e a torturá-lo.”

 

- Pacheco Pereira, Quadratura de Círculo, SIC Notícias

***

Tourada não é liberdade de “gosto”

 

Tourada não é coragem, é cobardia.

Tourada não é grandiosidade, é ser-se muito diminuto.

Tourada não é dia festa. É dia de luto.

Tourada não é cultura. É um atentado à civilização.

Tourada não é dignificar. É humilhar e maltratar inocentes.

Tourada não move pessoas nobres. Move psicopatas.

Tourada não é arte. Não se pinta com sangue.

Tourada não é tradição. Já passou à história.

Tourada não é progresso. É um retrocesso da humanidade.

Tourada não é liberdade de gosto. O touro não escolheu a sua.

Tourada não é mais nada do que uma ironia da sociedade, uma hipocrisia, uma prática obsoleta e violenta que é romantizada até por "poetas" deste país que vivem nos armazéns das suas próprias mentes mesquinhas que comparam livros a manchas de sangue como se a tinta deles fosse a mesma.

 

Cláudia Sousa

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 16:03

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Sexta-feira, 14 de Dezembro de 2018

RTP2 NO SEU PIOR, NAS COMEMORAÇÕES DOS 50 ANOS DAQUELE CANAL TELEVISIVO

 

Em Portugal não se vive em estado de graça…

 

GRAÇA.jpg

Texto de Prótouro – Pelos Touros em Liberdade

https://protouro.wordpress.com/2018/12/13/ministra-da-cultura-continua-a-ser-alvo-a-abater/

 

Ministra da Cultura Continua a ser Alvo a Abater

 

Na comemoração dos 50 anos da RTP 2 Graça Fonseca foi recebida no átrio do Cine-Teatro Capitólio com um paso doble.

 

Perante tal facto Graça Fonseca afirmou e citamos:

 

“Quando entrei até me assustei porque receei que me estivessem a levar para uma tourada.”

 

Tal foi o bastante para que o aficionado Joaquim Letria ripostasse afirmando:

 

“Quero acreditar que a senhora ministra disse o que disse por graça ou terá de aprender o que é um Paso Doble.”

 

Joaquim Letria afirmou ainda e citamos: “Quem a escolheu deve ter-lhe dito que a linha política do Governo é anti-tourada, senão ela não pensaria como pensa.”

 

Tocar um estilo musical espanhol na comemoração dos 50 anos de uma televisão portuguesa é de mau gosto e fazê-lo no preciso momento em que a ministra entrava no Cine-Teatro cheira a provocação, portanto, não é de espantar a inteligente e irónica afirmação da ministra.

 

E não, a ministra não cometeu nenhuma gafe já que embora o paso doble seja usado em marchas militares, hoje em dia é usado sobretudo em touradas e é conhecido pela sua associação à tauromaquia e não a marchas militares.

 

Portanto o aficionado jornalista Joaquim Letria perdeu uma boa ocasião para ficar calado primeiro porque demonstrou que o inculto é ele e segundo porque só mesmo um arrogante convencido poderia afirmar que a ministra faz o que lhe mandam e não tem cabeça para pensar por si própria.

 

Prótouro
Pelos touros em liberdade»

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 11:01

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Sexta-feira, 23 de Novembro de 2018

OS (POUCOS) QUE DEFENDEM AS TOURADAS NÃO CONSEGUIRAM ALCANÇAR A ELEVAÇÃO DOS QUE AS REJEITAM

 

A propósito do IVA nas touradas, mal sabia a Ministra da Cultura que, ao dizer que as touradas não são uma questão de gosto, mas de civilização, estaria a dar uma oportunidade aos Portugueses de mostrarem isso mesmo:

que as touradas são uma questão de civilização.

Nunca, como nestas últimas semanas, borbulharam por aí textos e programas pró e contra as touradas, numa esgrima em que os contra, com os seus argumentos racionais, claramente venceram os pró que, como argumentos, apresentaram as maiores irracionalidades de que há memória.

Deixo-vos com mais um excelente texto que mostra o quanto os aficionados estão longe da Civilização.

 

10672303_321310218051754_539359176133699365_n[1].j

É assim, majestoso e belo, pastando pacificamente no prado, ao pôr-do-sol, que o Touro deve ser estimado…

 

O PÚLPITO DOS CHARLATÕES

 

ANTÓNIO.png

Texto de António Guerreiro

 

Na passada segunda-feira vi o programa Prós e Contras, na RTP 1, e a conclusão a que cheguei, no final, é que há assuntos sobre os quais a televisão, seja pelas características e exigências actuais deste medium, seja pela profunda ignorância e filistinismo dos autores e apresentadores dos programas, presta um serviço fraudulento de desinformação, presta-se a ser o veículo de ideias que não deveriam poder ser difundidas e amplificadas num estação pública, em programas que se reclamam do estatuto de serviço público. O nível da abjecção e da total ausência de pudor é diariamente atingido naqueles programas da manhã e da tarde que supõem a existência de um público lobotomizado. Mas aqui, nos Prós e Contras, apesar da deriva demagógica do título, indiciando que há muita probabilidade de as coisas não correrem bem, supõe-se que é um programa para uma classe de espectadores bem informados, que esperam muito mais do que um serão de entretenimento.

***

Livro de recitações

 

Os movimentos a favor dos animais, ou melhor, os movimentos contra a crueldade com os animais, fazem parte da tradição humanista dos séculos XIX e XX.”
José Pacheco Pereira, PÚBLICO, 17/11/2018

 

José Pacheco Pereira escreveu uma crónica a defender o fim das touradas, intitulada Os que “amam” muito os touros e os torturam e matam. Há uma passagem dessa crónica, acima citada, que gostaria de refutar. A tradição humanista, seja ela de que século for, é precisamente a ideologia que está na base das convicções acerca dos homens, dos animais, da natureza e da técnica que servem ainda de argumento para quase tudo, inclusivamente para apoiar as touradas. O nazismo foi um humanismo (como foi dito por um filósofo que escreveu sobre o assunto). Até na globalização há um humanismo integral. Na nossa época, impôs-se em certos domínios a noção de pós-humano, mas o humanismo é muito perseverante. Não é fácil alguém declarar-se anti-humanista. Pensa-se logo que é um misantropo e não alguém que recusa a máquina antropológica que nega a verdadeira fractura do homem.

***

O último Prós e Contras era sobre as touradas, sobre as razões que levam uns a defender que elas devem ser mantidas e sobre as razões que levam outros a defender que elas deviam ser abolidas. Como sabemos, este debate está instalado entre nós com bastante virulência e já se percebeu que ele é extremamente incómodo para alguns partidos políticos e para o Governo, que quer fugir dele como o diabo da cruz. É preciso dizer que ele não deve ser desvalorizado, com aquele argumento de que há coisas muito mais importantes e esta não passa de algo inócuo. O que está aqui em jogo, a discussão de fundo, é algo fundamental que se inscreve no cerne da biopolítica contemporânea. A ideia de que está em curso ou já se consumou um animal turn, uma viragem animal, convoca-nos hoje seriamente através de uma bibliografia imensa que se tem produzido nos últimos anos sobre o assunto, vinda sobretudo dos lados da filosofia. O que descobrimos quando frequentamos esta vasta bibliografia é que a questão animal, nas suas mais variadas dimensões (morais, antropológicas, legais, etc.), incluindo a questão maior de saber se eles podem e devem ser sujeitos de direito, está presente nas grandes obras de filosofia, desde Aristóteles a Heidegger, de Derrida e Martha Nussbaum.

 

Está longe, portanto, de ser uma questão exclusiva do nosso tempo. Daí que seja chocante ouvir pessoas que são chamadas a falar sobre o assunto porque lhes é conferida, por qualquer razão, autoridade para tal, mas discorrem sobre ele com a maior das ignorâncias.

 

Neste último Prós e Contras destacou-se neste exercício de desinformação e de ignorância um aficionado chamado Luís Capucha, imbuído de filosofia das Lezírias que nem dá para comentar neste espaço. Mas vale a pena revisitar um dos seus argumentos, o de que regime nazi foi muito amigo dos animais e fez legislação que o comprova, para dizer que esse mito com origem na propaganda (“O nosso Führer ama os animais”) já foi longamente desmentido, em primeiro lugar por Victor Klemperer, o autor de LQI. A Linguagem do III Reich. E, no início dos anos 90, em França, Luc Ferry publicou um livro onde transmitia essa mensagem (e onde traduzia documentos da legislação nazi) que foi muito contestado e deu origem a uma enorme polémica. Ora, o que se passa entre nós é que alguém (na circunstância, um professor universitário de Sociologia) pode dar-se ao luxo de fazer afirmações na televisão como se fossem verdades irrefutáveis, desconhecendo ou fazendo que desconhece a contestação e a polémica que elas suscitaram. Este dispositivo retórico, propagandístico e inimigo do saber e da ciência porque é usado com fins exclusivamente ideológicos é o do discurso político, em relação ao qual já criámos muitas defesas, mas não pode ser a regra numa discussão na televisão pública, sobre um assunto sério, para o qual se convida, para o debate, “especialistas”, gente a quem se confere uma qualquer autoridade. O sociólogo, o aficionado, o propagandista e o inimigo do saber, tudo na mesma pessoa, só na televisão é que é possível. 

 

(As passagens a negrito são da responsabilidade da autora do Blogue)

Fonte:

https://www.publico.pt/2018/11/23/culturaipsilon/opiniao/pulpito-charlatoes-1851805?fbclid=IwAR216JTauFAgeduLRT37kGH2fsgDbZCw-AtmWMg6SLzThATtb6SCe102oWI

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 16:02

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Quarta-feira, 7 de Novembro de 2018

«GENTE CIVILIZADA TEM DE DEFENDER A EXTINÇÃO DAS TOURADAS…»

 

«… a bem dos animais, dos contribuintes e da evolução da sociedade». 

 

vip-pt-15623-noticia-joana-amaral-dias-fala-da-gra

 

Por

Joana Amaral Dias

 

A tourada deve ser proibida porque cravar ferros num touro é torturar um animal por entretenimento. Pois, pois é, há uma tradição. Mas se a tradição fosse escritura em pedra, ainda hoje havia escravatura, etc. Tesourar o lombo de um bicho por diversão não é cultura. É sadismo. Que, ainda por cima, vive à conta dos dinheiros públicos, dos cofres dos municípios, da RTP que transmite e que a promove em horário nobre. Se os contribuintes não pagassem esta arena, possivelmente ela já teria desaparecido. Aliás, o Estado não pode nem deve patrocinar a violência, seja ela qual for. Portanto, a Ministra da Cultura não tem nada que manter ou deixar de manter o IVA desta barbárie. O Bloco não tem que pugnar pelo aumento do imposto. Gente civilizada tem é que defender a extinção dessas corridas. Mais nada. A bem dos animais, dos contribuintes e da evolução da sociedade. Por fim, não deixa de ser incrível que o deputado do PAN vote favoravelmente este orçamento quando ele mantém a normalização e a institucionalização da tourada.

 

 

Contudo, não esquecer de que o PAN caminha sobre estilhaços de vidro. Tem de ter cuidado. Os sedentos não devem ir demasiado depressa ao pote da água.
O PAN, com esta atitude de uma no cravo, outra na ferradura, tem dado um grande avanço à causa animal.
E isso é o que mais sobressai, e também importa...
 
 
"Que não se tenha pressa, mas que não se perca tempo.
O tempo vale ouro para os que tem vontade de viver."

(Miriam Lewer)
 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 12:03

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Quinta-feira, 11 de Outubro de 2018

TOURADA = TORTURA VERGONHOSA

 

PROTESTO ABOLICIONISTA EM ALBUFEIRA

12 DE OUTUBRO, 6ª FEIRA, DAS 17 ÀS 20 HORAS!

Ponto de encontro - Parque de estacionamento junto à

Rotunda da Corcovada às 17 horas!

 

ALBUFEIRA.jpg

 

As nossas manifestações pretendem denunciar a publicidade enganosa que, para atrair turistas, nega a crueldade da tourada. Pretendemos informar objectivamente e exercer pressão, com a intenção de ajudar à evolução das mentalidades e das atitudes!

 

Apelamos a que sejam cada vez mais fortes e com mais participantes, ou seja, pessoas conscientes, generosas e activas, que se juntam solidariamente para clamarem pelo respeito devido a touros e cavalos, animais tão sacrificados nas touradas.

 

Representamos muita gente que, além disso, quer pôr fim a essa actividade, que desprestigia Albufeira, o Algarve e todo o Portugal e a qualidade da oferta turística.

 

O nosso protesto é pacífico!

 

Temos o acompanhamento da GNR.

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 15:29

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Segunda-feira, 27 de Agosto de 2018

«AS BANDARILHAS DA VERGONHA I 2018»

 

Um excelente texto de André Filipe Marques, Membro de Açores Global e Respeito pelos Animais, para se reflectir sobre a iniquidade das touradas.

 

(Os excertos a negrito são da minha responsabilidade (IAF)

 

TOURADA.jpg

 Origem da imagem: Internet

Texto de

André Filipe Marques

 

«A tourada que decorre numa espécie de santuário público, no qual toureiros e cavaleiros estimulam um touro bravo a lutar até à morte, forma parte de um espectáculo bárbaro, próprio de quem não é polido, cortês, por todo o mundo, em todo o mundo.

 

Numa época em que habitamos um país que apela à civilização, ao respeito recíproco, à merda de um simples cumprimentar, a tudo o que é relativo a mutualismos, o planeta continua a acreditar - inocente ou não - que a tourada é um meio exequível, que pode ser um espectáculo feito de forma transparente, um meio de transporte de segurança para a cultura de um povo, ou de novas gerações.

 

Agasta-me a farsa abundante e patenteada no rosto dos que produzem movimentos de desconsideração perante um animal que está irremediável perdido, os cornos presos por um fio, a falta de escrúpulos ligada a uma violência desmedida que mais não é um acto presunçoso de enaltecimento, elevado às nuvens.

 

Assusta-me verdadeiramente o capítulo principal da tourada. Custa-me, de morte, assistir à preparação de um final inglório; de um animal privado de comida, de água, de vida. Da simples vida, o tal direito pertencente. O suportar de uma cessação produzida, devidamente caracterizada, com roupas finas e sapatos caros. Efectivamente, um ser humano que está preparado para matar, e vê no acto a fórmula sem erros de viver, é capaz de cometer outras mais atrocidades contra a vida existente, com olhos vermelhos de raiva e boca a salivar, desejosa.

 

Infelizmente somos um povo de estrangeirismos, um povo de injecções, um povo de pouca ou nenhuma originalidade, competência. A Espanha o que é devido, por favor. A Portugal o que é de Portugal, por favor.

 

O deputado André Silva afirma à Agência Lusa que "O nível de rejeição é enorme por este espectáculo que vive da tortura. Estamos prontos, enquanto sociedade e país evoluído e progressista, para rejeitar que mutilar e rasgar a carne de um animal, fazê-lo cuspir sangue, seja uma tradição cultural."

 

Reforço, uma e outra vez, que um ser humano que está preparado para matar, e vê no acto a fórmula sem erros de viver, é capaz de cometer outras mais atrocidades contra a vida existente, com olhos vermelhos de raiva e boca a salivar, desejosa.»

 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 16:32

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Domingo, 19 de Agosto de 2018

TOURADAS: QUANDO OS PINCÉIS SÃO LÂMINAS

 

BULLFIGHT.jpg

 

This is part of the "art" of a bullfight. Where the brushes are blades, the canvas is live flesh, organs, muscles and nerves and the ink is shed blood. The masterpiece is the shredding of a being until it turns him into a dying mass.

Until when?

 

Isto faz parte da "arte" de uma tourada. Onde os pincéis são lâminas, a tela é carne viva, os órgãos, músculos e nervos e a tinta é sangue derramado. A obra-prima é a destruição de um ser até ser transformado numa massa moribunda.

Até quando?

 

Até quando? Até que o povo decida não votar em trogloditas.

 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 17:21

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Quinta-feira, 16 de Agosto de 2018

APELO À PRESENÇA NO PROTESTO SOLIDÁRIO CONTRA A TOURADA EM ALBUFEIRA A 17 DE AGOSTO!

 

No passado dia 9 de Agosto, o Peter Janssen, o Artur Nascimento e o Helder Silva saltaram, interventiva e completamente indefesos e sem qualquer comportamento violento, para a arena da Praça de Touros de Albufeira, antes da largada do 3º touro. Foram maltratados e presos e, apesar de já algemados, continuaram a ser maltratados por tipos da organização e do público, sem que a GNR se tivesse oposto a isso. Isto foi filmado.

 

Agressores foram elementos da equipa de tauromáquicos e gente do público e agente da GNR. Foi filmado e testemunhado.

 

Notável a cobardia dos que atacaram os 3 heróicos abolicionistas e ainda a Carla Sananda e a Mónica Gaspar.

 

 

 

Por amor aos touros, cavalos e pessoas solidárias, eles arriscaram sofrimento e integridade física, exposição para o seu futuro e cadastro.

 

Com a nossa presença, vamos também demonstrar que reconhecemos a sua atitude e vamos render-lhes homenagem.

 

Apelamos a uma grande presença para que a PRESSÃO para o encerramento desta Praça de Touros / lugar de tortura / se torne avassaladora e vitoriosa e para que o conhecimento científico, a compaixão, a empatia, a ética, que obrigam ao respeito pelos touros e cavalos (seres sencientes, conscientes, dotados de emoções e sentimentos muito semelhantes aos dos seres humanos) vençam a luta contra o mau hábito, a cruel "tradição" e a negociata defendida por aficionados, lobistas e seus apoiantes à custa do sofrimento dos animais e provocando imensa indignação em pessoas conscientes.

 

A manifestação será pacífica e está autorizada pela Câmara Municipal de Albufeira e vai ter acompanhamento da GNR.

 

Vamos informar sobre o sofrimento dos animais; vamos denunciar a publicidade enganosa e que nega o sofrimento na tourada; vamos lastimar que os turistas sejam assim enganados e atraídos; vamos afirmar a nossa indignação e oposição e exigir a abolição; vamos apelar a não assistirem àquele espectáculo de tortura; vamos estar disponíveis para conversar com quem o desejar.

 

É uma oportunidade para pessoas respeitadoras dos direitos dos animais se reunirem numa atmosfera de generosidade e solidariedade!

 

A nossa argumentação não será agressiva contra os turistas!

 

Ponto de encontro - pelas 20 h 30 m no parque de estacionamento da Corcovada. Às 21 horas partiremos de ali para estarmos em frente da Praça de Touros, como de costume.

 

Vasco Reis,

Aljezur

 

ALBUFEIRA1.jpg

ALBUFEIRA2.jpg

ALBUFEIRA3.jpg

ALBUFEIRA4.jpg

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 15:02

link do post | Comentar | Ver comentários (2) | Adicionar aos favoritos (1)

Mais sobre mim

Pesquisar neste blog

 

Maio 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
14
16
17
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Posts recentes

ISTO É A “CULTURA” QUE OS...

VÍDEO: «QUAL A TUA OPINIÃ...

«TOURADA NÃO MOVE PESSOAS...

RTP2 NO SEU PIOR, NAS COM...

OS (POUCOS) QUE DEFENDEM ...

«GENTE CIVILIZADA TEM DE ...

TOURADA = TORTURA VERGONH...

«AS BANDARILHAS DA VERGON...

TOURADAS: QUANDO OS PINCÉ...

APELO À PRESENÇA NO PROTE...

Arquivos

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

DIREITOS

© Todos os direitos reservados Os textos publicados neste blogue têm © A autora agradece a todos os que os divulgarem que indiquem, por favor, a fonte e os links dos mesmos. Obrigada.
RSS

ACORDO ORTOGRÁFICO

Em defesa da Língua Portuguesa, a autora deste Blogue não adopta o Acordo Ortográfico de 1990, devido a este ser inconstitucional, linguisticamente inconsistente, estruturalmente incongruente, para além de, comprovadamente, ser causa de uma crescente e perniciosa iliteracia em publicações oficiais e privadas, nas escolas, nos órgãos de comunicação social, na população em geral, e por estar a criar uma geração de analfabetos escolarizados e funcionais.

COMENTÁRIOS

Este Blogue aceita comentários de todas as pessoas, e os comentários serão publicados desde que seja claro que a pessoa que comentou interpretou correctamente o conteúdo da publicação. Serão eliminados os comentários que contenham linguagem ordinária e insultos, ou de conteúdo racista e xenófobo. Em resumo: comente com educação, atendendo ao conteúdo da publicação, para que o seu comentário seja mantido.

CONTACTO

isabelferreira@net.sapo.pt