Sexta-feira, 16 de Fevereiro de 2018

EM PORTUGAL EXISTE UMA LEI QUE PERMITE AOS PSICOPATAS TORTURAREM EM PÚBLICO UM SER VIVO

 

Como se isto por si só já não fosse uma anormalidade desmedida, existe ainda um regulamento tauromáquico,  que nos remete para um passado muito, muito remoto, caracterizado por uma descomunal ignorância, que pretende atirar areia aos olhos de quem os tem abertos para a modernidade.

 

 

Esta é a máscara da crueldade

 

Um destes dias ouvi um psiquiatra forense caracterizar um psicopata deste modo: uma criatura que não tem empatia pelo outro, pelo sofrimento do outro, e pior do que isso, sente um prazer mórbido com o sofrimento do outro.

 

Isto a propósito do psicopata inglês que assassinou brutalmente, cruelmente, com todos os requintes de malvadez (inclusive filmando os estertores de dor da vítima, enquanto a massacrava), um português que sofria de esquizofrenia “passiva”, isto é, um ser humano que não reagia agressivamente a coisa nenhuma.

 

Pois este “outro” pode ser um ser humano ou um ser não-humano. A psicopatia é a mesma.

 

Os psicopatas tauromáquicos (os que praticam, os que aplaudem, os que legislam e os que promovem e apoiam esta selvajaria) não têm empatia pelos seres vivos, nem pelo sofrimento atroz que se inflige aos seres vivos, e pior do que isso, sentem um prazer patológico com o sofrimento dos seres vivos torturados (neste caso os bovinos e os cavalos), excluídos do Reino Animal, não se sabe bem a que propósito.

 

Estes psicopatas tauromáquicos são portadores de uma desordem de personalidade, caracterizada por um comportamento anti-social, uma diminuição da capacidade de sentir empatia/remorso e um baixo controlo comportamental. E estão-se nas tintas para a dor dos outros. São extremamente egoistas. E o que interessa são eles, eles e depois eles.

 

Dito isto, e sabendo que estes psicopatas podem fazer o que fazem publicamente, protegidos por uma lei parva e ilegal, mas aprovada na Assembleia da República e (ainda) vigente, como podemos respeitar ou aceitar uns governantes que transformam a psicopatia em algo viável socialmente?

 

Isto não é de doidos?

 

***

TOURADAS COM NOVO REGULAMENTO A MEIO DA ÉPOCA OU O DESPUDOR LEGISLATIVO

 

Abram o link e leiam

http://expresso.sapo.pt/touradas-com-novo-regulamento-a-meio-da-epoca=f885674

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 11:15

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Segunda-feira, 11 de Maio de 2015

CÃO AMARRADO À PARTE TRASEIRA DE UM TOURO DURANTE UMA TOURADA CAUSA INDIGNAÇÃO MUNDIAL

 

EM HONRA DA VIRGEM MARIA

Até onde vai a demência destes psicopatas tauromáquicos!

Mas a culpa é dos governantes que permitem que estas aberrações ainda existam no país.

SHAME ON PERU

 

 

Isto aconteceu numa vilazinha muito atrasada chamada Chalhuani, incrustada na região de Apurimac, a qual, tal como acontece em todas as localidades que não evoluíram, celebram os Santos católicos, com tortura de seres vivos, como se os Santos católicos fossem ANORMAIS.

 

Pois esta celebração foi em honra da Virgem Maria.

 

Ataram um cão às costas de um touro e fizeram uma tourada.

 

E isto com o objectivo IRRACIONAL de castigar o cão, porque este se PORTOU MAL.

 

Imaginem!

 

O que se deve então fazer a estas repugnantes e irracionais criaturas que assim se comportam tão aberrantemente com animais RACIONAIS, como são o Cão e o Touro?

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 15:48

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Quinta-feira, 5 de Fevereiro de 2015

O ARQUIPÉLAGO DOS AÇORES TEM DE SAIR URGENTEMENTE DO ATRASO CIVILIZACIONAL EM QUE ESTÁ AFUNDADO

 

O Arquipélago dos Açores, se quer entrar para a rota de um turismo de qualidade (tem muito potencial paisagístico para tal) terá forçosamente de abolir os costumes bárbaros tauromáquicos que o mantém paralisado no tempo das trevas.

É necessário sair urgentemente do atraso civilizacional que o caracteriza.

 

If Azores Islands want to get the route of quality tourism (landscape has much potential to do so) it will have to abolish bullfighting barbaric customs that keeps it paralyzed in time of darkness.

It is necessary and urgent leave the civilizational backwardness that characterizes it.

 

 

A group of members of the Azorean parliament is trying to approve, for the third time, a law that legalizes bullfighting by means of ‘sorte de varas’ or ‘corrida picada’ (multiple stabbing on the bull’s neck in order to weaken it) in the Azores. Because it is a clear attempt on the physical integrity of the animals, and an attitude that indicates a civilizational step backwards for the Azores, and because we think there is no consensus among the Azorean people concerning this matter, we repudiate this standpoint of the parliament members and urge everyone to join us in our campaign.

Please, sign the petition: 

Por favor assinem e divulguem a petição para evitar que aumente a tortura aos touros e cavalos nos Açores. 

http://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=PT75986

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 14:35

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Quarta-feira, 27 de Agosto de 2014

A MARAVILHOSA ARTE DE TOUREAR

  

Isto é o futuro próximo...brevemente numa qualquer arena… perto  dos maluquinhos tauromaníacos…

 

Governantes, invistam os 16 milhões de Euros do erário público, que anualmente dilapidam na selvajaria tauromáquica, na compra destas engenhocas CIVILIZADAS.

 

E poupem os SERES VIVOS da vossa incivilidade!

 

 

 

Qualquer cidadão anti-tourada adoraria ir a esta festa brava, onde os torcionários de meias cor-de-rosa e fatinho de ballet poderiam exibir a sua delicadinha arte de tourear…

 

E dizer que se sujeita um país a ser alvo da escárnio dos que já evoluíram, ao ponto de “fabricarem” um touro mecânico!

 

Será que os marialvas que estão no poder não têm um mínimo de brio pessoal (já não digo profissional, porque ser Governante (dos verdadeiros) não é uma profissão: É UM DEVER)?

 

O instinto bárbaro dos tauricidas talvez só morra quando o último tauricida morrer. Até lá podem picar latas de sumo de tomate para matarem a sua sede vampiresca de sangue…

Fonte:

http://blogcontraatauromaquia.wordpress.com/2014/08/26/pois-e-e-pensam-eles-que-nao-existem-alternativas-ao-touro-sensivel/comment-page-1/#comment-76

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 09:24

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Segunda-feira, 9 de Junho de 2014

«ESTE É O ROSTO DO SADISMO E DA PSICOPATIA» TAUROMÁQUICOS EM OLIVEIRA DO BAIRRO

  

E o que tem a dizer o povo de Oliveira do Bairro que há sete anos consecutivos elege quem assim tão maltrata seres sencientes?

 

Serão cúmplices da barbárie?

 

Porque há os que não são (IF)

 

 

 

«Este é o rosto do sadismo e psicopatia!

 

Presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Bairro, Mário João Oliveira, desde há 7 anos consecutivos, apoiou e financiou com dinheiro do erário público e foi o responsável por a humilhação, massacre, tortura e chacina de 43 touros inocentes, em praça pública!

 

Quando aqui na zona, as crianças não têm condições escolares, idosos não tem dinheiro para medicamentos, nem transporte de doentes... e numa zona onde já existe muita fome e pessoas a passar mal, e sobretudo numa época de acentuada crise!

 

Este presidente é uma vergonha para os Portugueses e para Portugal, perante os países civilizados e evoluídos. Peço a todos os meus amigos e activistas, que mostrem o vosso repúdio contra este presidente que apoia e financia espectáculos sanguinários, violentos, macabros, hediondos e demoníacos

Fonte

https://www.facebook.com/vitor.loureiro.587/posts/729546613772540?comment_id=729586683768533&notif_t=comment_mention

 

***

Então Senhor Presidente?  Oliveira do Bairro precisa de evoluir.

 

Não pode ficar parado num passado primitivo a cheirar ao mofo.

 

E de certeza que o Senhor não quererá ficar para a História como o mau da fita.

 

Tenha a hombridade de elevar Oliveira do Bairro a cidade anti-tourada e trazê-la para o século XXI depois de Cristo, que é, não sei se já reparou, o tempo em que nós vivemos.

 

Um tempo de modernidades, e não de bárbaros medievalismos.

 

Isabel A. Ferreira

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 19:18

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Quinta-feira, 30 de Janeiro de 2014

A NEGAÇÃO DA CRUELDADE TAUROMÁQUICA É UMA DAS JOGADAS DOS AFICIONADOS AÇORIANOS NUMA TENTATIVA DESESPERADA DE DEFENDER O QUE ELES SABEM NÃO SER MAIS POSSÍVEL DEFENDER

 

Esta será de certa forma (porque poderão vir aí verdades mais contundentes) a resposta do Médico Veterinário, Dr. Vasco Reis, a este comentário do Luís Ferreira (abrir link):

http://arcodealmedina.blogs.sapo.pt/vamos-falar-de-tauromaquia-e-das-380555

e também aos comentários impublicáveis (por conterem a já habitual linguagem rasca de aficionado, a que não vou submeter o meu companheiro de luta)  de outros aficionados que não sabem distinguir um boi de um palácio)

 

 

Esta é uma visão geral do primeiro dia do Fórum da Incultura Taurina que colocou o Arquipélago dos Açores na boca do mundo, pelos piores motivos. Em primeiro plano vê-se uma cara bastante conhecida…. 

***

«A negação da crueldade tauromáquica é uma das jogadas na tentativa desesperada de defesa dos tauromáquicos.

 

Outra jogada é o recurso a textos/opiniões de profissionais, pensadores, artistas, escritores, poetas etc. aficionados (Illera, Picasso, Hemingway, Garcia Lorca, etc., gente desprovida de conhecimento cientifico, de compaixão, de ética, de carácter. Illera é um aldrabão pseudo cientista e vendido aos interesses da tauromaquia.

 

O senhor Luís Ferreira deve ter ficado muito admirado com o meu texto, pois andaria hipnotizado pela alarvice da ilha tauromáquica açoriana. Quem sabe se o choque o vai pôr a pensar!

 

Talvez eu responda, mencionando-lhe algumas opiniões e o meu currículo, por exemplo de 3 anos e 1/2 de estadia na Praia da Vitória como médico veterinário municipal obrigado a assistir às touradas, a zelar pelo "bem-estar" e "respeito" pelos touros, (como se fantasia), a retirar as bandarilhas e a suturar a ferida de pele, músculo e pleura parietal aberta por uma bandarilha cravada entre 2 costelas, triste episódio que na Terceira, Praia da Vitória, ainda há gente que o presenciou, bem como a minha intervenção que salvou o touro.

O tom será delicado e compreensivo (como se faz perante gente mal informada e crédula para o que lhe apregoam).

 

Claro que não aceitarei a acusação de desconhecer o assunto e de mentir, mas não espero desculpas.» (Vasco Reis)


Origem da foto:

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=714341658600223&set=a.714341531933569.1073741851.118555858178809&type=1&permPage=1 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 15:59

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Sábado, 15 de Junho de 2013

A TAUROMAQUIA VISTA POR UM MÉDICO VETERINÁRIO DEDICADO À CAUSA DA ABOLIÇÃO DAS TOURADAS

 

(Um excelente texto que dedico ao barranquenho que me escreveu levado por uma ignorância de que não tem culpa. Mas depois de ler as palavras que se seguem, já não tem desculpa)

 

 

Quanta ternura! Quanta beleza! Quanta dignidade! Por que têm de ser torturados em nome dos prazeres mórbidos de gente desprezível?

 

TAUROMAQUIA I

 

Na Tourada à Portuguesa, importa mencionar: o terrível sentimento de claustrofobia e pânico que o touro sofre desde que é retirado violentamente da campina e transportado em aperto e confinado; o maltrato antes da lide na arena com a finalidade de o enfraquecer física e animicamente; a provocação e a tortura durante a lide e no fim desta, com a retirada sempre violenta e muito dolorosa das bandarilhas; após a lide, metido no transporte e no curro onde fica esgotado, deprimido, ferido, dorido e febril, em acidose metabólica horrível que o maldispõe e intoxica, até que, dias depois, a morte o liberte de tanto sofrimento.

 

O cavalo sofre esgotamento e terrível tensão psicológica ao ser usado como veículo, sendo dominado, incitado e lançado pelo cavaleiro e obrigado a enfrentar o touro, quando a sua atitude natural seria a de fuga e de pôr-se a uma distância segura.

 

À força de treino, de esporas que o magoam e ferem, de ferros na boca e corrente à volta da mandíbula, que o magoam e o subjugam, o cavalo arrisca morte por síncope/paragem cardíaca, ferimentos mais ou menos graves, até a morte na arena.

 

É difícil, senão impossível, acreditar que toureiros e aficionados amem touros e cavalos, quando os submetem a violência, risco, sofrimento.

Importa reconhecer que em todas as actividades tauromáquicas, mais ou menos cruentas, o sofrimento da captura, claustrofobia e pânico da prisão, do transporte, do curro, estão sempre presentes.

 

TAUROMAQUIA II

 

Aqui umas noções concisas de ciência a quem interessar:

 

Sistema nervoso, mais ou menos evoluído, é algo comum aos animais.

 

Plantas não têm sistema nervoso, não têm sensibilidade, não têm consciência.

 

Não têm a capacidade de fugir ao perigo, à agressão, por exemplo, ao corte, à seca, ao fogo.

 

Animais humanos e não humanos são seres dotados de sistema nervoso, mais ou menos desenvolvido, que lhes permitem sentir e tomar consciência do que se passa em seu redor e do que é agradável, perigoso e agressivo e doloroso. Estes seres experimentam sensações, emoções e sentimentos muito semelhantes. Este facto leva-os a utilizar mecanismos de defesa e de fuga para poderem sobreviver. Sem essas capacidades não poderiam sobreviver. Portanto, medo e dor são essenciais e condição de sobrevivência.

 

Afirmar-se que nalguma situação não medicada, algum animal possa não sentir medo e dor se for ameaçado ou ferido, é testemunho da maior ignorância ou intenção de negar uma verdade vital. Alguém acha que isso é possível aos humanos?

 

A ciência revela que o esquema anatómico, a fisiologia e a neurologia do touro, do cavalo e do homem e de outros mamíferos são extremamente semelhantes.

 

As reacções destas espécies são análogas perante a ameaça, o susto, o ferimento.

 

O senso comum apreende e a ciência confirma isto. Portanto, homem, cão, gato, touro, cavalo, coelho, porco, ovelha, cabra, etc, sentem e sofrem de maneira semelhante, seja privação da liberdade, tensão de transporte, sede e fome, medo e pânico, cansaço, agressão, ferimento.

 

Depois desta explicação, imaginem o sofrimento horrível que uma pessoa teria se fosse posta no lugar de um touro capturado e conduzido ao “calvário” de uma tourada.

 

Conclusão comportamental ética?

 

Seres humanos (tauromáquicos) não devem infligir a outros seres de sensibilidade semelhante (touros e cavalos), sofrimentos a que os próprios infligidores (tauromáquicos) não aceitariam ser submetidos.

 

TAUROMAQUIA III

 

E porque se permite a Tauromaquia, actividade que assenta na violência e no sofrimento público de animais, legalizado e autorizado por lei e até apreciado, aplaudido e glorificado por alguns?

 

Para perpetuar uma tradição cruel e retrógrada, que sacrifica animais, prejudica a sociedade e o relacionamento com outros seres nossos companheiros da Terra, embota a sensibilidade, deseduca a juventude para uma vida pacífica e compassiva?

 

Para que se cumpra uma lei que permite a tortura, lei essa que é contra a Lei de Protecção dos Animais?

 

Para satisfazer algumas poucas pessoas entusiastas da Tauromaquia, actividade indissociável de violência e de sofrimento?

 

Para exibicionismo e proventos para os artistas que violentam os animais (touros e cavalos) ou que se aproveitam deles depois destes estarem feridos e esgotados?

 

Para sustentar alguns postos de trabalho à custa do sofrimento dos touros e cavalos?

 

Para permitir negócios à custa do sofrimento de touros e cavalos?

 

Para atraírem turistas incautos ao engano? Na sua maioria estes saem das praças incomodados e indignados com o espectáculo?

 

Embora esta actividade contribua para dissuadir a vinda a Portugal de muitos turistas, porque abominam a tauromaquia e evitam este país de arenas de tortura?

 

Embora indignem, revoltem e envergonhem imensos portugueses conscientes e compassivos, por este massacre se passar no nosso país?

 

Embora se comprometa a reputação de Portugal pelo desrespeito cruel pelos animais, ao contrário do que aqui devia ser princípio?

 

É claro, que uma verdadeira democracia não permite e legaliza a tortura.

 

Por estas razões apelamos a que não assistam a touradas e afirmem e divulguem o vosso repúdio por esta cruel actividade.

 

Vasco Reis, 13.6.13.

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 20:01

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Segunda-feira, 18 de Março de 2013

«O PAÍS REAL E OS AFICIONADOS»

 

 

A TRISTE REALIDADE

(Sem comentários) 

 

 

 

«“Mãe deixa de comer para alimentar criança”: Notícia publicada no “Correio da Manhã” em 15 de Março.

 

“HOJE TODOS À MOITA, TODOS PELO NUNO HOJE ELE AMANHA PODEMOS SER NÓS A PRECISAR DE AJUDA”: Notícia publicada em 16 de Março num blogue tauromáquico.

 

Na primeira, temos uma mãe sem emprego que não tem dinheiro para alimentar o filho. O marido também está desempregado. A família não tem como ajudar. Nenhum deles contribuiu para esta situação e pelo meio há um menor que só come graças à “greve” de fome forçada dos pais.

 

Noutra temos um forcado que se pôs à frente de um touro moribundo e com essa contribuição acabou numa cadeira de rodas.

 

Entretanto, o dinheiro dos contribuintes vai pagando os tratamentos deste homem. A verdade é só uma doa a quem doer, num país real, este homem não só pagaria os tratamentos do seu bolso como ainda seria processado por ter posto a sua vida em risco desnecessariamente.

 

No país da treta, o tipo aparece em televisões, dá entrevistas, o Estado paga os tratamentos e os aficionados desdobram-se em todo o tipo de angariação de fundos para ajudar quem não merece ser ajudado.

 

Podem existir muitos culpados nesta situação, mas em última análise, a culpa é dele, foi ele que se pôs à frente de um touro, foi ele que contribuiu para a situação em que se encontra e já que não existe lei que o possa processar pela sua irresponsabilidade, então que arque com a consequência dos seus actos.

 

A realidade é que enquanto milhares de pessoas neste país passam fome, não têm como pagar as suas necessidades básicas, como água, luz, renda, etc, os aficionados esses seres tão “solidários”, recolhem tampinhas e compram bilhetes para touradas para ajudarem este indivíduo!

 

Prótouro

Pelos touros em liberdade»

http://protouro.wordpress.com/2013/03/16/o-pais-real-e-o-pais-dos-aficionados/

 

***

 

«A “VALENTIA” DOS “ARTISTAS” TAUROMÁQUICOS» 

http://protouro.wordpress.com/2013/03/18/a-valentia-dos-artistas-tauromaquicos/comment-page-1/#comment-1217

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 10:19

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Quinta-feira, 24 de Janeiro de 2013

«A MINISTRA DA AGRICULTURA PENSA QUE OS PORTUGUESES SÃO UMA CAMBADA DE IMBECIS»

 

Fêmea Brava de lide

 

«A Ministra da Agricultura, do Mar, do Ambiente e do Ordenamento do Território, afirma que não existem subsídios para fins tauromáquicos, em resposta a várias perguntas feitas pelo Bloco de Esquerda.

 

Eis a resposta do Ministério da Agricultura:

 

“Para além do “Prémio por vaca em aleitamento”, o Governo concede o “Prémio complementar à manutenção de raças autóctones” que “é atribuído às fêmeas de raças autóctones – Alentejana, Mertolenga e Brava de Lide, que a 1 de junho sejam exploradas em linha pura, estejam inscritas no Livro de Adultos como reprodutoras da raça, tenham parido nos 18 meses anteriores, e cujo parto seja uma cria inscrita no Livro Genealógico”. “Não existem apoios públicos para fins tauromáquicos”, mas sim “regimes de apoio direto ao setor animal, nomeadamente o prémio por vaca em aleitamento e o pagamento complementar à manutenção de raças autóctones, bem como uma medida de apoio aos produtores pecuários de raças autóctones”.

 

Oh minha senhora haja santa paciência! Sabe o que é uma fêmea Brava de Lide? Pois pelos vistos não sabe. A fêmea brava de lide é a mãezinha do touro de lide. É que os touros de lide não nascem por obra e graça do Espírito Santo, têm mães, as fêmeas bravas de lide e que são exactamente as que recebem os subsídios. E saberá a senhora onde se encontra inscrita a brava de lide? Pois nós dizemos-lhe, no livro genealógico da Associação Portuguesa de Criadores de Toiros de Lide.

 

Esclarecida? Então agora explique lá ao povo português como é que os touros de lide usados nas touradas não recebem subsídios?

 

Sra. Ministra, os touros só são usados em espectáculos tauromáquicos e como as mãezinhas destes recebem subsídios, é inútil V. Exa negar que os subsídios não existem.

 

Os políticos só enganam quem se quer deixar enganar e esta resposta mais não é que lixo tóxico.

 

Após esta declaração da Ministra o grupelho fascistóide e ditador que dá pelo nome de “prótoiro”, teve o descaramento de ameaçar os anti-touradas com a seguinte afirmação: “Casos os mesmos persistam na calúnia e não assumam a mentira, pedindo desculpa aos ganadeiros e aficionados pela mesma, a PRÓTOIRO fará com que sejam judicialmente responsabilizados.”

 

Se ainda tinham um bocadinho de máscara a tapar a cara, com esta afirmação mostram quem são e o que querem, ou seja impôr à maioria os seus gostos perversos e se não for a bem é a mal.

 

É uma chatice que ninguém acredite nem no que vocês dizem, nem no que diz a Ministra não é verdade?

 

O vosso problema e daí as vossas ameaças é que vocês sabem perfeitamente que enquanto milhares de portugueses vivem actualmente na miséria, milhões são destinados a dinastias que se dedicam a criar animais para espectáculos de tortura, o que é escandaloso especialmente na actual conjuntura em que o país vive. Para quem se diz defensor dos direitos humanos, vocês provam que se estão nas tintas para esses direitos. Os únicos direitos com os quais vocês se preocupam são os de enriquecerem à custa da tortura animal.

 

As vossas ameaças meus “senhores” caem em saco roto porque jamais conseguirão intimidar e calar aqueles que verdadeiramente lutam pelos direitos humanos e pelos direitos dos animais.

E agora vão para o recreio e quando terminar a hora da brincadeira, toca a ir estudar para aprenderem a ser seres humanos íntegros com capacidade para discernir entre o que é moral e o que é imoral.

 

Prótouro

Pelos touros em liberdade»

 

http://protouro.wordpress.com/2013/01/24/a-ministra-da-agricultura-pensa-que-os-portugueses-sao-uma-cambada-de-imbecis/

 

***

MUITO BOM, PRÓTOURO.

EXCELENTE RABECADA.

FAÇO MINHAS AS VOSSAS PALAVRAS.

 

(Texto enviado à ministra da Agricultura, Mar, Ambiente e Ordenamento do Território, Assunção Cristas, jurista, professora e política – o que perceberá esta jurista de bovinos? - e a todos os escravos governamentais dos ganadeiros mercenários). 

 

 ***

 

(Este texto, que fará parte d’ «O Livro Negro da Tauromaquia em Portugal», o qual perpetuará todos os que participaram, apoiaram, subsidiaram e foram cúmplices desta demência, até ao final de 2013, ano/limite para que tenham oportunidade de reverter a atitude tauricida, foi enviado à senhora ministra Assunção Cristas).

 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 09:19

link do post | Comentar | Ver comentários (6) | Adicionar aos favoritos
Quarta-feira, 23 de Janeiro de 2013

A GRANDE MENTIRA: A FRANÇA É UM PAÍS DEMOCRÁTICO

 

 

Manuel Valls (ministro socialista) fotografado com o tauricida El Juli na praça de touros de Nîmes

 

Liberté, Egalité, Fraternité (Liberdade, Igualdade, Fraternidade) foi o lema da Revolução Francesa, que sobreviveu e tornou-se o grito dos activistas em prol da democracia e da derrubada de governos opressores e tiranos de todo o tipo.   

Diz-se que a França é uma espécie de DEMOCRACIA (uma espécie, porque uma DEMOCRACIA VERDADEIRA ouve o Povo, e a França faz ouvidos de mercador a esse Povo).

 

MENTIRA! ERA!

 

Já não é mais. A França entrou para o rol dos países OPRESSORES.

 

E o lema «Liberdade, Igualdade, Fraternidade» CAIU como um fruto PODRE, com a acção idiota do ministro socialista Manuel Valls.

 

Mas quem precisa de fazer manifestações, se a tourada está quase, quase morta?

 

Lacaios, servos, escravos dos ganadeiros mercenários. São estes os ministros, os presidentes e os legisladores dos oito países tauricidas terceiro-mundistas, da Europa e dos países latino-americanos.

 

As manifestações foram proibidas perto das arenas, mas não foram proibidas junto ao palácio do governo. Então? Qual o problema, se a solução não está dentro da arena, mas dentro do palácio do governo?

 MORRA A TOURADA!

 

MORRA A FRANÇA OPRESSORA!

 

MORRA A PARVOÍCE!

 

***

 

EM FRANÇA A LIBERDADE DEIXOU DE EXISTIR

 

Por PRÓTOURO

 

«Artigo 2º da Constituição da República Francesa: Divisa da República: Liberdade, Igualdade e Fraternidade.

 

No entanto, em França, a liberdade acabou quando o governo através do Ministro do Interior decidiu proibir todas as manifestações anti-touradas que se realizem em frente a praças de touros. Essas manifestações só poderão ser realizadas a 1 km de distância.

 

Esta decisão foi tomada após uma reunião com o lobby tauromáquico francês representado pela união das vilas taurinas e pelo observatório nacional das culturas taurinas.

 

Uma vez que o Ministro do Interior, Manuel Valls é aficionado, esta decisão não nos espanta, no entanto, é espantoso que o mesmo seja socialista!!! Este homem está no partido errado, porque claramente não acredita em democracia e muito menos em liberdade.

 

Coartar a liberdade de manifestação num país que se clama democrático é totalmente inaceitável. Assim como é inaceitável que um ministro se deixe pressionar por lobbies tauromáquicos e obedeça às suas ordens.

 

Prótouro

Pelos touros em liberdade»

 

Fonte:

http://protouro.wordpress.com/2013/01/23/em-franca-a-liberdade-deixou-de-exisitir/

 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 12:19

link do post | Comentar | Ver comentários (2) | Adicionar aos favoritos

Mais sobre mim

Pesquisar neste blog

 

Novembro 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
15
16
17
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

Posts recentes

EM PORTUGAL EXISTE UMA LE...

CÃO AMARRADO À PARTE TRAS...

O ARQUIPÉLAGO DOS AÇORES ...

A MARAVILHOSA ARTE DE TOU...

«ESTE É O ROSTO DO SADISM...

A NEGAÇÃO DA CRUELDADE TA...

A TAUROMAQUIA VISTA POR U...

«O PAÍS REAL E OS AFICION...

«A MINISTRA DA AGRICULTUR...

A GRANDE MENTIRA: A FRANÇ...

Arquivos

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Direitos

© Todos os direitos reservados Os textos publicados neste blogue têm © A autora agradece a todos os que os divulgarem que indiquem, por favor, a fonte e os links dos mesmos. Obrigada.
RSS

Acordo Ortográfico

Em defesa da Língua Portuguesa, a autora deste Blogue não adopta o Acordo Ortográfico de 1990, devido a este ser inconstitucional, linguisticamente inconsistente, estruturalmente incongruente, para além de, comprovadamente, ser causa de uma crescente e perniciosa iliteracia em publicações oficiais e privadas, nas escolas, nos órgãos de comunicação social, na população em geral, e por estar a criar uma geração de analfabetos escolarizados e funcionais.

Comentários

Este Blogue aceita comentários de todas as pessoas, e os comentários serão publicados desde que seja claro que a pessoa que comentou interpretou correctamente o conteúdo da publicação. Serão eliminados os comentários que contenham linguagem ordinária e insultos, ou de conteúdo racista e xenófobo. Em resumo: comente com educação, atendendo ao conteúdo da publicação, para que o seu comentário seja mantido.

Contacto

isabelferreira@net.sapo.pt