Quarta-feira, 19 de Abril de 2023

Caso Lula-Ucrânia: ouvi um social-democrata dizer que Portugal deve respeitar a soberania do Brasil. E o Brasil NÃO deve respeitar a soberania de Portugal?

 

Uma coisa é respeitar a soberania de um País, outra coisa é andar a dizer que-sim-que-sim a tudo o que esse País quer impor a outro País que talvez não seja tão soberano como diz ser.


Os Portugueses Pensantes já andam fartos de ver determinados governantes portugueses a mostrar os dentinhos e a abanar o rabinho diante do Brasil e dos Brasileiros.

Porquê? O que estará por detrás desta subserviência canina?

 

Sabemos que Lula da Silva já andou por aí a dizer que «o atraso da educação no Brasil se devia à colonização Portuguesa» (obviamente, descartando a incompetência dos governantes brasileiros pós-1822); e, recentemente, prestou-se ao papel de ser o porta-voz dos russos e chineses, quanto à absurda invasão russa à Ucrânia, menosprezando os Países da Nato (e nós somos um deles). Agora vem dizer o dito, pelo não-dito, mas não se safa do que já disse.

Porém, que importa essa desconsideração aos olhos dos actuais governantes portugueses, que vêem nisto algo muito normal, do foro das opiniões diferentes, que têm de ser respeitadas. Enfim... como se a guerra que Rússia impôs à Ucrânia, um país livre e soberano,  tivesse alguma coisa a ver com opiniões.

E nós, Portugueses, NÃO temos de ser respeitados?


Em vésperas de Lula da Silva ser recebido na Assembleia da República de Portugal, com pompa e circunstância, é bom que os Portugueses abram os olhos para o que se está a passar nos bastidores, e que os média portugueses estão proibidos de dizer.


Existe um Blogue denominado Apartado 53 que, sem papas na língua ou medo de ser taxado de xenófobo ou racista (estas designações são para outro tipo de gente, gente que NÃO DEFENDE a Língua, a Cultura e a História Portuguesas) põe todos os pontos nos is e denuncia abertamente o que o Brasil e Portugal andam a tramar nas nossas costas.

Este Blogue é um poço de informação comprovada, demonstrada, credível, e que merece toda a atenção.

 

Facto: existe um conluio luso-brasileiro.

A última publicação do Apartado 53  Cronologia crónica , cuja leitura vivamente recomendo, dá-nos uma ideia exacta do que se anda a tramar, desde há muito, e porquê.

Mas há muito mais para ler, neste Blogue, e só não lê quem NÃO quer estar informado.

 

É absolutamente inacreditável o que se lê na imagem abaixo reproduzida.

REGRAS DO STF.PNG

 

O texto completo pode ser lido aqui

 

I...NA...CRE...DI...TÁ...VEL!!!!!!!!

 

Os que NÃO tiverem espinha dorsal que aplaudam, que se verguem, que se subjuguem a um País que NÃO respeita a soberania portuguesa.

 

E quem quiser saber de toda a tramóia, tirem um tempinho, não o perderão, para lerem as seguintes notícias, proibidas em Portugal, e  muito mais que aqui não refiro para não cansar os leitores, mas que podem encontrar no  Apartado 53

 

«Portugal, um Estado brasileiro na Europa»

Três mil e cem por dia

O elefante e a formiga brincam às reciprocidades

Ex-Portugal

 

ACORDAI gente entorpecida! ACORDAI!!!!!!

 

 Isabel A. Ferreira

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 16:59

link do post | Comentar | Ver comentários (8) | Adicionar aos favoritos
Terça-feira, 3 de Maio de 2022

«Portugal deve ser o único País, do Mundo, que coloca Russos, nas Autarquias, a receber Ucranianos refugiados»

 

Este é o Portugal dos pequeninos e dos toinos.

 

Se Dom Afonso Henriques soubesse ao que Portugal iria chegar, não teria fundado o País, porque mais vale não existir, do que existir VERGONHOSAMENTE, DESONROSAMENTE e ter gente MEDÍOCRE a (des)governá-lo.

 

Vejamos o que nos diz, a este respeito, Manuel Damas.

 

Isabel A. Ferreira

 

O TOINO.jpg

Texto de Manuel Damas

 

«Portugal deve ser o único País, do Mundo, que coloca Russos, nas Autarquias, a receber Ucranianos refugiados.
Inclusive Russos que nem sequer são funcionários das Autarquias.
E escrevi Autarquias e não Autarquia.
Porque não é apenas Setúbal.
Mas também Aveiro e Gondomar. E Portimão.
E suspeito que a lista de Autarquias envolvidas ainda não terminou.
Russos a receber Ucranianos?!...
Os mesmos Russos que invadiram a Ucrânia. E que torturaram e assassinaram Ucranianos...
E a fotocopiar documentos de identificação pessoal...prática proibida por Lei.

Aliás...


Também neste aspecto a "Lei" funciona à portuguesa ou seja...de socas...de madeira...
Ao contrário do que muitas notícias veiculadas na "imprensa" afirmam, não é proibido pedir a fotocópia do Cartão de Cidadão.
O que a lei diz, no n.º 2 do artigo 5.º, é que é ...
“interdita a reprodução do Cartão de Cidadão em fotocópia ou qualquer outro meio sem consentimento do titular”.
Ou seja, ninguém pode tirar uma cópia do seu Cartão de Cidadão... sem lhe pedir primeiro. Apenas...


Por isso a AR gasta, anualmente, milhões de euros com Sociedades de Advogados.
Para fazerem "leis"...mas com buracos. Convenientemente.
Buracos que só eles conhecem. E entre si traficam...sempre que necessário.
Posto isto...


Todo este tema tem sido gerido com artesanal falta de profissionalismo.
Por desfaçatez debochada. Por leviandade.
Provavelmente por os russos serem aqueles que, disponíveis, falavam ucraniano.
E assim se resolveu, com absoluta falta de profissionalismo, com evidente "nacional-parolismo", as eventuais dificuldades de comunicação.
Mas não justifica!


Há tradutores/intérpretes. Oficiais. Formais.
A estupidez bacoca e parola não pode justificar práticas ordinárias e levianas. Nomeadamente em serviços oficiais!
Porque se as Autarquias têm verba para pagar viagens ao Dubai aos seus gordos e anafados autarcas...tem que haver dinheiro para prestar serviços oficiais com qualidade e profissionalismo!
Colocar russos a receberem ucranianos...


Mas numa abordagem mais profunda o tema levanta outras questões. Mais "complexas"...
Os "Serviços Secretos Portugueses" não sabiam da existência de "associações" ilegais de russos em Portugal?
Não receberam concomitantes informações, a preceito, de congéneres Serviços Secretos Internacionais, que não fazem de conta que brincam aos bandidos e aos ladrões?
Ou foram informados e nada fizeram?


É que os ditos "serviços secretos" ainda que à portuguesa, recebem uma avultada verba, especificada em Orçamento de Estado anual, para existirem e funcionarem...ou, pelo menos, para fingirem que funcionam...
E se souberam, reportaram às devidas entidades, nomeadamente ao Ministério da Administração Interna e, em simultâneo, às Autarquias envolvidas?
Este assunto tresanda...


Mas merece ser acompanhado se, entretanto, não for "convenientemente apagado" da "imprensa" lusa...
Olhando-se para Portugal, cada vez mais fica a sensação de taberna...rasca e à rasca!
Oh Toino...serve aí mais um copito, home. É prá viagem!»

 

Fonte:    https://www.facebook.com/photo/?fbid=5253409458014307&set=a.133659383322699

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 15:56

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Quarta-feira, 9 de Março de 2022

O discurso de Volodymyr Zelenski ao Povo Russo, horas antes do ataque de Putin à Ucrânia

 

Um discurso brilhante que só os GRANDES HOMENS (reparem que não disse políticos) conseguem fazer, cheio daquela humanidade que vem da alma de um POVO.



Um discurso que talvez os Russos não tivessem ouvido, mas é um discurso que deve ser partilhado por todo o mundo.



Traduzi, das legendas em Castelhano, todo o discurso de Zelenski, que transcrevo depois do vídeo.


 
Slava Ukraini

Isabel A. Ferreira

 

 

Zelenski.png

 

- Hoje, telefonei ao presidente da Federação Russa.

- E qual foi o resultado? o silêncio.

- Todavia, o silêncio deveria estar em Donbass.

- Por isso, hoje, faço um apelo a todos os cidadãos da Rússia.

- Não como presidente. Mas como cidadão da Ucrânia.

- Partilhamos mais de 2.000 quilómetros de fronteira.

- Nela se encontra o nosso exército. Quase 200 mil soldados. Milhares de unidades.

- E o vosso líder deu luz verde para que avancem até nós.

- Até ao território de outro país.

- Este pode ser o primeiro passo para uma grande guerra na Europa.

- Em todo o mundo fala-se do que pode acontecer a qualquer momento.

- Qualquer provocação, qualquer fagulha que acabe incendiando tudo.

- Disseram-vos que essa chama trará liberdade ao Povo da Ucrânia.

- Mas o Povo da Ucrânia já é livre.

- Recordam o seu passado, estão a construir o seu futuro.

- Constroem-no, não o destroem, como vos dizem através da televisão.

- A Ucrânia que aparece nas vossas notícias e a realidade são diferentes.

- A diferença mais importante é que a nossa é verdadeira.

- Dizem-vos que somos nazis.

- Como podem chamar nazi a uma Nação que sacrificou oito milhões de vidas para acabar com o nazismo?

-Como posso ser um nazi, quando o meu Avô resistiu à guerra como membro da infantaria soviética,

- e morreu como Coronel de uma Ucrânia independente?

- Disseram-vos que odiamos a Cultura da Rússia. Como se odeia a Cultura?

- Os nossos vizinhos enriqueceram-nos culturalmente.

 - Isso não nos converte numa única entidade, tão-pouco nos separa.

- Somos diferentes, mas isso não é razão para sermos inimigos.

- Queremos construir a nossa própria História. pacificamente. Honestamente.

- Dizem-vos que dou ordem de atacar Donbass. Disparar sem perguntar.

 - Há duas perguntas afazer: disparar contra quem? Bombardear a quem?

 - Donetst? Onde já estive dezenas de vezes? Onde vi os seus rostos?

- Artema, onde estive andando com os meus amigos?

- O Estádio de Donbass? Onde apoiei a Selecção durante o Campeonato Europeu?

- O Parque Shcherbakova, onde fomos beber depois da derrota?

- Lugansk? O lar da melhor amiga da minha Mãe?

- Onde o seu Pai está enterrado?
- Estou a falar Russo.

- Ainda que ninguém na Rússia entenda o que estes nomes significam,

- estas ruas, estes acontecimentos.

- Tudo isto é desconhecido para vós. é a nossa terra, , a nossa história.

- Contra o que lutais? Contra quem?

- Muitos de vós, haveis visitado a Ucrânia, muitos têm família na Ucrânia.

- Alguns de vós, haveis estudado nas nossas universidades, feito amizades,

 - conheceis o nosso carácter, o nosso Povo, os nossos princípios.

- Sabeis que é o que mais apreciamos.

- Ouvi o vosso íntimo, o senso comum. Ouvi as nossas vozes.

- O Povo da Ucrânia quem Paz. As autoridades da Ucrânia querem Paz.

- Queremos Paz e fazemos tudo o que podemos.

- Não estamos sós. Muitos países apoiam a Ucrânia. Porquê?

- Porque não falamos na “paz a qualquer preço”.

- Falamos de Paz, Princípios, Justiça. O direito de decidir o nosso futuro, a segurança, e o direito de viver sem ameaças.

- Tudo isto é importante para nós. é importante para a Paz.

- Também é importante para vós.

- Temos a certeza de que não queremos uma guerra. Nem fia, nem quente, nem híbrida.

- Se nos ameaçam, se alguém tenta apoderar-se do nosso país, da nossa liberdade,

- das nossa vidas, das vidas dos nossos filhos… defender-nos-emos.

- Não atacaremos. Defender-nos-emos.

 - Se nos atacais, vereis o nosso rosto, não as nossas costas.

- A guerra implica pagar um enorme preço, em todos os sentidos.

- O Povo perde dinheiro, reputação, qualidade de vida, liberdade e a sua família.

- Perdem-se a si mesmos.

- Na guerra faltam muitas coisas.

- Mas o que há de sobra é dor, sujidade, sangue, morte.

- Milhares, dezenas de milhares de mortes.

- Dizem-vos que a Ucrânia é uma ameaça para a Rússia.

- Não era verdade antes, não é agora, nem será no futuro.

- Quereis garantias de segurança da NATO. Nós também.

- Queremos estar seguros de vós, da Rússia e de outras Nações.

- Não fazemos parte de nenhuma aliança de segurança.

- A segurança da Ucrânia depende da segurança dos nossos vizinhos.

 - Por isso, agora falamos da segurança de toda a Europa.

- Mas o nosso objectivo principal é a Paz na Ucrânia,

- a segurança dos nossos cidadãos, dos Ucranianos.

- Fazemo-lo saber a todos e avós também.

- A guerra acaba com todas as garantias. Ninguém terá segurança.

- Quem vai sofrer mais? É o Povo.

- Quem quer que isto pare, mais do que ninguém? É o Povo.

- Quem pode prevenir que isto se passe? O Povo.

- É certo que estas pessoas estão entre vós.

- Músicos, actores, atletas, cientistas, doutores, bloggers, comediantes, tiktokers…  

- Gente normal, gente sensível.

- Homens, mulheres, velhos, jovens, pais, e mais importante, mães,

- tanto quanto o Povo da Ucrânia, por muito que vos digam o contrário.

- Sei que este discurso não sairá na televisão russa,

-mas os cidadãos da Rússia têm que vê-lo. Têm que saber a verdade.

- A verdade é que isto tem de parar, antes que seja demasiado tarde.

- E se as autoridades da Rússia não querem falar connosco… talvez queiram falar convosco.

- O Povo da Rússia quer a guerra?

- Oxalá que pudesse responder a isto.

- A resposta depende de vós,

- cidadãos da Federação Russa.

- Obrigado.

 

 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 19:15

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Mais sobre mim

Pesquisar neste blog

 

Junho 2024

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
12
13
15
17
18
19
21
22
23
24
26
27
28
29
30

Posts recentes

Caso Lula-Ucrânia: ouvi u...

«Portugal deve ser o únic...

O discurso de Volodymyr Z...

Arquivos

Junho 2024

Maio 2024

Abril 2024

Março 2024

Fevereiro 2024

Janeiro 2024

Dezembro 2023

Novembro 2023

Outubro 2023

Setembro 2023

Agosto 2023

Julho 2023

Junho 2023

Maio 2023

Abril 2023

Março 2023

Fevereiro 2023

Janeiro 2023

Dezembro 2022

Novembro 2022

Outubro 2022

Setembro 2022

Agosto 2022

Junho 2022

Maio 2022

Abril 2022

Março 2022

Fevereiro 2022

Janeiro 2022

Dezembro 2021

Novembro 2021

Outubro 2021

Setembro 2021

Agosto 2021

Julho 2021

Junho 2021

Maio 2021

Abril 2021

Março 2021

Fevereiro 2021

Janeiro 2021

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Direitos

© Todos os direitos reservados Os textos publicados neste blogue têm © A autora agradece a todos os que os divulgarem que indiquem, por favor, a fonte e os links dos mesmos. Obrigada.
RSS

AO90

Em defesa da Língua Portuguesa, a autora deste Blogue não adopta o Acordo Ortográfico de 1990, nem publica textos acordizados, devido a este ser ilegal e inconstitucional, linguisticamente inconsistente, estruturalmente incongruente, para além de, comprovadamente, ser causa de uma crescente e perniciosa iliteracia em publicações oficiais e privadas, nas escolas, nos órgãos de comunicação social, na população em geral, e por estar a criar uma geração de analfabetos escolarizados e funcionais. Caso os textos a publicar estejam escritos em Português híbrido, «O Lugar da Língua Portuguesa» acciona a correcção automática.

Comentários

Este Blogue aceita comentários de todas as pessoas, e os comentários serão publicados desde que seja claro que a pessoa que comentou interpretou correctamente o conteúdo da publicação. 1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome. 2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas". 3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias. Serão eliminados os comentários que contenham linguagem ordinária e insultos, ou de conteúdo racista e xenófobo. Em resumo: comente com educação, atendendo ao conteúdo da publicação, para que o seu comentário seja mantido.

Contacto

isabelferreira@net.sapo.pt