Segunda-feira, 2 de Fevereiro de 2015

«Sorte de varas ou teimosia azarada?»

 

 

Sorte de varas.jpeg

 

Por José Manuel Santos Narciso

 

Mais uma vez, está na primeira linha das preocupações de milhares de cidadãos dos Açores a questão da “sorte de varas”, mais comumente chamada de “touradas picadas”. É já a terceira tentativa, em pouco mais de dez anos, para legalizar nos Açores aquilo que muitos consideram de retrocesso civilizacional e de barbárie contra os touros.

 

Tudo pode ter a força de uma opinião. Os interesses económicos e a luta de poderes e satisfação de caprichos estão no seu direito de apresentar as propostas que quiserem. Desta feita contavam fazê-lo de forma sub-reptícia, intercalando uma excepção sempre negada num projecto abrangente em que ela (a excepção da sorte de varas) iria aparecer disfarçadamente e disfarçadamente poderia ser aprovada.

 

Mas, felizmente, os tempos mudaram muito, desde 2002 e mesmo desde 2009. Se em 2002, e como muito bem se lê na peça jornalística a este propósito publicada pelo Diário dos Açores, foi o Tribunal Constitucional que obstou a consumação de tal sorte, em 2009 terá pesado a opinião do então presidente do Governo regional.

 

Agora, os deputados que quiserem deixar o seu nome ligado a tão polémica decisão, terão de confrontar-se com um fenómeno novo, ou pelo menos com muito mais força, que são as redes sociais e os movimentos de cidadania que envolvem sensibilidades suprapartidárias e que não podem ser esquecidas ou desprezadas, sob pena de graves consequências e sequelas.

 

Para os defensores do NÃO, a questão que se põe é fundamentalmente a do respeito pelos animais, neste caso, o touro, por sinal constante dos símbolos heráldicos da Região. Num momento em que por todo o Ocidente se intensifica a luta anti-taurina, torna-se no mínimo inoportuno este novo esboçar de retrocesso que pretendem introduzir.

 

Mas há uma coisa mais grave que tudo isto. Uma eventual aprovação de excepção da sorte de varas para os Açores seria uma machadada mortal na aspiração de inscrever as touradas à corda na lista do património mundial da Unesco. Independentemente de se concordar ou não com tal classificação, uma coisa são as touradas à corda, essas sim essencialmente populares e outra é querer fazer valer aquilo que se pode considerar de “pseudo-arte, falsa cultura e inventada tradição”.

 

Mesmo que surja a proposta, mesmo que não seja aprovada, ou sendo, seja chumbada pelo Tribunal Constitucional, com os mesmos argumentos com que o foi em 2002, para os ambientalistas, para os defensores dos direitos dos animais e para o bom nome dos Açores, ficará sempre o labéu consubstanciado nesta pretensão. Há coisas que o evoluir da mentalidade e da sensibilidade humana não perdoa. Uma delas é a forma como se pode usar o sofrimento de outros seres vivos para gáudio dos humanos, cobrindo-os com a capa da tradição ou da cultura. A luta, a bravura e arte do ser humano perante a nobreza de um animal como o touro não devem fazer-se com o sofrimento do animal, porque é possível fazê-lo de forma diferente.

 

Manda a evolução que muitas coisas aceitáveis há séculos passados hoje sejam repudiadas, como execráveis e abjectas. E é nesta visão humanista que esperamos o bom-senso que venha fazer arrepiar caminho neste processo que iria criar clivagens muito profundas e perigosas na sociedade açoriana, porque isto não é questão de uma ilha, e se calhar, nem é de uma Região. Aqui estamos perante o dilema de ser ou não consequentes com o que pensamos sobre o direito dos animais em que se inclui o do não sofrimento. E todas as formas que ainda existem de os fazer sofrer não são justificação para a criação ou retorno de mais uma. Seria uma teimosia muito azarada!

 

Santos Narciso

Fonte

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=841483969250242&set=gm.1441296362827491&type=1&theater

Corridas picadas" nos Açores Nunca

 

 

 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 17:53

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Domingo, 17 de Agosto de 2014

A RTP CONTINUA NO SEU PIOR, A ESBANJAR O ERÁRIO PÚBLICO (QUE SOMOS OBRIGADOS A DESEMBOLSAR) CONTRIBUINDO PARA O RETROCESSO CIVILIZACIONAL

 

E foi do modo mais anticristão que a RTP celebrou o dia de Nossa Senhora da Assunção

 

Não podemos calar-nos perante esta SELVAJARIA que a RTP, que tinha o DEVER PROFISSIONAL de COMBATER, não combate e ainda ajuda à missa da igreja católica, que faz vista grossa a estes festejos de Santos com tortura e sangue, bem à moda dos primitivos pagãos.

 

Simplesmente repugnante!

 

 

 

Quanta iniquidade RTP!

 

«Hoje, 6ª feira (15 de Agosto) a Televisão Pública portuguesa - RTP - irá contribuir activamente para o retrocesso civilizacional ao gastar o dinheiro dos contribuintes no patrocínio e transmissão de uma tourada.

 

A maioria da população portuguesa, que não concorda com esta prática torturante e anacrónica, terá de suportar financeiramente e através dos seus impostos, 3 horas de tortura.

 

«Tortura essa que foi amplamente difundida inclusivamente através dos murais de Facebook dos programas que compõem a grelha de programação, conforme se pode constatar pela imagem.

 

O PAN não pode aceitar que uma prática violenta e cruel para com os animais como esta seja subsidiada com o dinheiro de todos nós.

 

Porque a evolução passa pela abolição, vamos dizer não às touradas e a todos os espectáculos com touros.

 

Assinem e divulguem a nossa petição:

http://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=010basta

 

PAN Abolição

Fonte

https://www.facebook.com/partidoanimaisnatureza/photos/a.180028595374551.41970.137689042941840/816459178398153/?type=1&theater

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 18:11

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Terça-feira, 11 de Junho de 2013

Apenas os broncos utilizarão a agência de viagens TopAtlântico para ir aos Açores, assistir à tourada de Touros, nas festas Sanjoaninas

 

A Agência de Viagens TopAtlântico https://www.facebook.com/topatlantico está a promover as touradas integradas nas Sanjoaninas 2013, que se realizarão em Angra do Heroísmo.

 

Um erro crasso, pois serão muitos os que começarão a boicotar esta agência que promove a estupidez.

 

 

Ora como se sabe, as touradas, para além de serem um divertimento de bárbaros para bárbaros, constituem um péssimo cartão-de-visita para uma região como os Açores, que têm belas paisagens, mas cheias de nódoas repugnantes a denegri-las.

 

Pois foi com muita perplexidade que soubemos que esta agência de viagens está a prestar um péssimo serviço aos turistas estrangeiros, cultos e amigos da Natureza e dos Animais, que vão ao engano até aos Açores, pensando que irão assistir a espectáculos de um nível cultural elevado e, de súbito, sai-lhe a estupidez pelo caminho, ficando, desse modo, os promotores desacreditados aos olhos desses turistas, com a promoção da insensibilidade e desrespeito pelos animais não-humanos.

 

Como potencial turista, que não visitará nem recomendará aos seus amigos estrangeiros uma visita aos Açores enquanto esta “festa de broncos” se mantiver, além de vir repudiar veementemente esta atitude da TopAtlântico, apelo para que reconsiderem o vosso apoio a uma prática que só descredibiliza um povo e quem a promove e apoia.

 

Os Açores não precisam do contributo de organismos que propagam o retrocesso civilizacional.

 

Há que evoluir. Há que promover o que de Bem, Bom e Belo existe nas Ilhas dos Açores, e não esta palermice primitiva e grosseira perpetrada por broncos, para broncos.

 

 Isabel A. Ferreira

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 10:44

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Mais sobre mim

Pesquisar neste blog

 

Fevereiro 2024

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
17
18
19
21
22
23
25
26
27
28
29

Posts recentes

«Sorte de varas ou teimos...

A RTP CONTINUA NO SEU PIO...

Apenas os broncos utiliz...

Arquivos

Fevereiro 2024

Janeiro 2024

Dezembro 2023

Novembro 2023

Outubro 2023

Setembro 2023

Agosto 2023

Julho 2023

Junho 2023

Maio 2023

Abril 2023

Março 2023

Fevereiro 2023

Janeiro 2023

Dezembro 2022

Novembro 2022

Outubro 2022

Setembro 2022

Agosto 2022

Junho 2022

Maio 2022

Abril 2022

Março 2022

Fevereiro 2022

Janeiro 2022

Dezembro 2021

Novembro 2021

Outubro 2021

Setembro 2021

Agosto 2021

Julho 2021

Junho 2021

Maio 2021

Abril 2021

Março 2021

Fevereiro 2021

Janeiro 2021

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Direitos

© Todos os direitos reservados Os textos publicados neste blogue têm © A autora agradece a todos os que os divulgarem que indiquem, por favor, a fonte e os links dos mesmos. Obrigada.
RSS

AO90

Em defesa da Língua Portuguesa, a autora deste Blogue não adopta o Acordo Ortográfico de 1990, nem publica textos acordizados, devido a este ser ilegal e inconstitucional, linguisticamente inconsistente, estruturalmente incongruente, para além de, comprovadamente, ser causa de uma crescente e perniciosa iliteracia em publicações oficiais e privadas, nas escolas, nos órgãos de comunicação social, na população em geral, e por estar a criar uma geração de analfabetos escolarizados e funcionais. Caso os textos a publicar estejam escritos em Português híbrido, «O Lugar da Língua Portuguesa» acciona a correcção automática.

Comentários

Este Blogue aceita comentários de todas as pessoas, e os comentários serão publicados desde que seja claro que a pessoa que comentou interpretou correctamente o conteúdo da publicação. 1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome. 2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas". 3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias. Serão eliminados os comentários que contenham linguagem ordinária e insultos, ou de conteúdo racista e xenófobo. Em resumo: comente com educação, atendendo ao conteúdo da publicação, para que o seu comentário seja mantido.

Contacto

isabelferreira@net.sapo.pt