Segunda-feira, 4 de Novembro de 2019

Em Redondo: até quando o governo e os deputados da Nação, que deviam ser civilizados, mas não são, vão permitir estas cenas degradantes, que não dignificam Portugal nem a Humanidade?

 

Mais um cavalo colhido, há pouco, no Redondo, Portugal. Acaba assim, a última tourada da temporada de 2019!

 

Enquanto em Portugal se permitir esta violência, esta crueldade, este gosto mórbido por sangue, esta apetite pela tortura de seres vivos, teremos uma sociedade tacanha, onde a violência é lugar comum, porque quem é violento para com animais não-humanos, é igualmente violento para com animais humanos. Ou não pertençamos, uns e outros, ao denominado Reino Animal.

 

BASTA desta coisa abominável, indigna de seres civilizados.
Depois não gostam que lhes chamem trogloditas, se não são outra coisa!

 

Cavalo colhido.jpg

 

Fonte:

https://www.facebook.com/antitouradas/photos/a.215152191851685/2761192120581000/?type=3&theater&ifg=1

 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 10:30

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Sexta-feira, 22 de Março de 2019

«É ASSIM QUE OS SERES HUMANOS TRATAM OS SERES MAIS INDEFESOS E INOCENTES DO NOSSO PLANETA»

 

«This is how the human beings treat the most helpless and innocent beings of this planet. »

Seres humanos”?

Não os considero da espécie HOMO. São uns MONSTROS de outra espécie qualquer, abaixo de todas as espécies. Estão no patamar mais baixo do Reino Animal.

 

55696246_2361328087418643_8063332994049376256_n.jp

Fonte da imagem:

https://www.facebook.com/2138905762994211/photos/a.2140326252852162/2361328080751977/?type=3&theater

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 18:52

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Segunda-feira, 18 de Setembro de 2017

A INSANIDADE MORAL DOS AFICIONADOS DE SELVAJARIA TAUROMÁQUICA

 

Sete traços de personalidade que adeptos de touradas e psicopatas têm em comum.

 

Procurei uma resposta para a minha desmedida perplexidade: por que motivo um professor universitário, um ministro, um escritor enfim…. gente que teve a oportunidade de evoluir mentalmente, não evoluiu e é aficionada de selvajaria tauromáquica?

 

Encontrei a resposta em estudos psiquiátricos: o indivíduo pode ter predisposição para os transtornos de personalidade, mas o problema do carácter está ligado ao ambiente em que ele vive quando criança. Os traços formam-se na infância, mas devem ser bem analisados na adolescência. Todas as “personalidades” aficionadas que conhecemos viveram a infância a ver touros (“coisas”) a serem brutalmente torturados. E aquilo para eles era tão “normal” que os tornou insanos.

 

BESTIALIDADE.jpg Observe-se a bestialidade estampada na expressão daqueles que riem perante o sofrimento de um bezerro desnutrido, acossado numa arena… Isto não é coisa de anormais?

 

A psicopatia caracteriza-se por uma falta de consciência e transtorno de personalidade, que no caso da tauromaquia se traduz num transtorno antissocial, pois eles são indiferentes aos sentimentos alheios (humanos e não humanos) podem ter comportamentos cruéis, não obedecem a normas e obrigações (não cumprem as leis), têm baixa tolerância à frustração (por isso vingam-se nos Touros e Cavalos),e cometem facilmente actos violentos. Os que têm este tipo de transtorno violam os direitos dos outros seres vivos e não sentem remorsos pelo que fazem.

 

Depois há o transtorno fanático. Hitler, Mussolini e Kadafi foram os exemplos dados pelo psiquiatra forense Guido Palomba, para este tipo de transtorno. E o que são os aficionados, senão uns fanáticos por sangue, violência e crueldade? Segundo Palomba, o condutopata fanático é movido por ideias fixas (a de achar, por exemplo, que os touros não sofrem) que podem levá-lo a cometer crimes, biocídio, homicídio e até a tirar a própria vida.

 

Jon Ronson, um afamado jornalista e documentarista do País de Gales, no livro "The Psychopath Test" (O Teste do Psicopata) refere que «os psicopatas são diferentes dos seres humanos. Faltam-lhes coisas que fazem de nós humanos: a empatia, o remorso, a bondade» tudo o quem não existe nos torturadores de Touros e nos que os aplaudem e apoiam.

 

Ainda de acordo com o psiquiatra forense Guido Palomba, os indivíduos com transtorno de personalidade têm vários defeitos básicos: são altamente egoístas; não se arrependem dos actos que cometem; têm valores morais distorcidos; gostam ou não se incomodam com o sofrimento alheio. «Aparentemente, a pessoa é normal e lúcida, mas tem uma conduta deformada», refere o psiquiatra.

 

Isto explica porque, por exemplo, tantos senhores (as) doutores (as) cá do nosso burgo, que se sentam nos bancos da Assembleia da República ou são professores universitários, ou pintores, ou escritores, ou fadistas… ou simplesmente marialvas são aficionados de touradas e têm um ar aparentemente normal… mas uma conduta deformada

 

Este problema, refere Palomba, foi descrito pela primeira vez em 1835, como insanidade moral (...) e ao longo dos anos, já foi chamado de psicopatia, sociopatia, condutopatia e transtorno de personalidade…

 

De acordo com a psiquiatra e psicanalista da Sociedade Brasileira de Psicanálise, Leda Beolchi Spessoto, o indivíduo pode ter predisposição para os transtornos de personalidade, mas o problema está ligado ao ambiente em que ele vive quando criança. Os traços formam-se na infância, mas devem ser bem analisados na adolescência. O que no caso dos nossos “ilustres” senhores (as) doutores (as) não aconteceu, e eles passaram à fase adulta adulterados.

 

Todos os “diplomados” aficionados de tauromaquia, desde escritores, pintores políticos, professores, cresceram no ambiente violento e cruel das touradas. Iam com o avô, com o pai, e para eles o touro era uma “coisa”, e de tanto ouvirem dizer que o touro era uma “coisa” e que não sofria nada, isso passou a ser uma verdade, e cresceram com valores morais distorcidos, e hoje não reconhecem essa distorção, por muito que os alertemos. O carácter deformado já está formado.

 

E o tratamento é difícil, pois, «quando uma pessoa tem um transtorno de personalidade, dificilmente assume o problema. E se assume, não quer pôr em cheque que está com o transtorno. E procurar ajuda profissional já é um terceiro passo», salienta a psiquiatra. Segundo ela, o tratamento da doença comportamental fica ainda mais difícil nos casos mais graves, como dos criminosos em série, os ditos serial killers.

 

CRUELDADE.jpg

A cara da crueldade…

 

Aqui ficam sete traços que psicopatas e aficionados de selvajaria tauromáquica têm em comum:

 

1 - Falta de empatia: os psicopatas são incapazes de sentir empatia, entender os sentimentos e experiências dos outros (humanos ou não humanos). A falta de compaixão é atávica.

 

2 - Egotismo: os psicopatas e os aficionados tendem a falar muito bem de si próprios, e de se exacerbarem a si próprios, como se ninguém mais existisse. Só eles. E eles.

 

3 - Charme superficial: uns e outros são lisonjeiros e manipuladores, têm uma predisposição para explorar os outros e uma visível falta de consciência.  

 

4 - Falta de Remorsos: os psicopatas e aficionados mostram pouco ou nenhum remorso quando as suas acções prejudicam os outros e tendem a culpar os outros.

 

5 - Egoísmo: um extremado e estranho egoísmo cega os psicopatas e aficionados, não os deixando ver o mal que provocam nos outros (humanos ou não humanos).

 

6 - Comportamento anti-ético: os psicopatas e as pessoas de classe alta são mais propensas a ter comportamentos pouco éticos do que pessoas de classes mais baixas. As pessoas mais ricas tendem a violar a lei durante a condução, roubar, mentir durante uma negociação ou aprovar comportamentos anti-éticos, por isso, os políticos portugueses têm a crueldade e a violência contra Touros e Cavalos legisladas, e esses seres vivos excluídos do Reino Animal.

 

7 - Tendência para o tédio: Os psicopatas e os aficionados gostam de viver em constante perigo e emoção. Muitos deles cometem crimes ou magoam os outros (humanos e não humanos) apenas para a própria emoção, satisfação e prazer.

 

***

Por tudo isto é urgente que se coloque em cima da mesa a Lei da Abolição das Touradas, para que Portugal possa respirar o ar inconspurcado da evolução.

Apoiar a psicopatia é uma demonstração de insanidade moral.

 

 

Fontes:

http://saude.terra.com.br/doencas-e-tratamentos/saiba-as-caracteristicas-que-marcam-um-psicopata,c0398c3d10f27310VgnCLD100000bbcceb0aRCRD.html

 

http://visao.sapo.pt/sete-tracos-de-personalidade-que-ricos-e-psicopatas-tem-em-comum=f815223

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 10:13

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Segunda-feira, 16 de Novembro de 2015

QUE CULTURA? QUE CIVILIZAÇÃO?

 

Um dos meus textos mais lidos neste Blogue é CULTURA E CIVILIZAÇÃO, um pequeno ensaio sobre o que aprendi na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra sobre estes dois conceitos

 

periodo-paleolitico-caracteristicas-2 PRIMITIVO.jp

 

Hoje recebi este comentário que decidi partilhar mais alargadamente, porque me intrigou aquele “ar fresco” que a Sofia refere.

 

(Para reverem o texto, se quiserem, abram o link incluído no comentário)

 

Sofia, deixou um comentário ao post CULTURA E CIVILIZAÇÃO às 00:17, 2015-11-16.

 

Comentário:

 

Que lufada de ar fresco ler algo tão claro numa altura tão sombria. Obrigada.

 

***

O pior é que a Humanidade já conheceu um grau muito mais elevado de Cultura e Civilização, e está a regredir tão consideravelmente, tão perigosamente, tão irracionalmente, tão irreversivelmente, tão assustadoramente...

 

E se assim continuar, regressaremos ao tempo das cavernas, completamente despidos da humanidade que já fomos.

 

E só pergunto: porquê? O que é que está a falhar na aldeia global em que se transformou o mundo, e se até conseguimos ir a Marte, procurar uma água que não serve para matar a sede dos que morrem nos desertos da Terra?

 

Já tive a esperança e o sonho que John Lennon, tão utopicamente, nos deixou na sua memorável canção “IMAGINE”.

 

Mas hoje, infelizmente, o retrocesso é tanto que esta humanidade não tem mais salvação.

 

E perdi a esperança. E os sonhos esfumaram-se.

 

Daqui a umas poucas gerações, a humanidade estará metida numa caverna a raspar pedras.

 

E eu já não estarei cá para ver.

 

Mas morrerei com a consciência tranquila: eu fiz a minha parte.

 

Tentei mudar as coisas, para que as gerações que vierem a suceder-me pudessem viver num mundo onde a Cultura e a Civilização dessem mais dignidade à vida do Homem, que tem o DEVER de zelar pelo Planeta e pelos reinos que nele existem: o Reino Animal (ao qual todos nós também pertencemos, não esquecer este detalhe importante), o Reino Vegetal e o Reino Mineral.

 

Mas se não consegui alcançar essa sublimidade, sei que a culpa não foi minha.

 

Esqueci-me de mim, para ser e dar valor ao outro…

 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 16:38

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Quarta-feira, 14 de Outubro de 2015

A PROPÓSITO DOS PORCOS QUE TRIUNFARAM PELA PENA DE UM “JORNALISTA”

 

(Aproveito para recomendar a leitura deste livro na Língua Portuguesa original, ou na Língua Inglesa de origem)

 

leitura-16-638[1].jpg

O que mudou desde 1945? O nosso idealismo não estará, nos dias que correm, a ser traído pelo poder, pela corrupção e pelas mentiras que os políticos pretendem impingir-nos?

 

António, deixou um comentário ao post OS PORCOS SÃO MUITO MAIS DIGNOS… DO QUE ALGUNS “JORNALISTAS”… às 02:11, 2015-10-14.

 

Comentário:

É óbvio que o programa eleitoral do PAN é um total disparate, porque enquanto elenca um conjunto de valores éticos que visam a protecçao dos animais e do ecossistema, não passa dum conjunto de medidas completamente descabidas sem exequibilidade nenhuma. As propostas do PAN para a política social são uma coisa de fugir - não fazem o menor sentido nenhum. O plano de economia e finanças do PAN é de doidos e impossível de implementar. De resto, a única coisa que sobra são as medidas sem sentido e sem utilidade tipo incluir os animais no agregado familiar, e coisas do género. É um partido cheio de medidas e alternativas sobre como tratar os animais, e como proteger a natureza, mas no que toca a governar um país, não fazem a menor ideia do que estão a fazer. Percebe-se o artigo jornalístico.

 

***

(Antes de responder a este comentário devo lembrar que sou militantemente apartidária, mas não apolítica).

 

***

António, é óbvio que o programa eleitoral do PAN, um programa projectado para o futuro, não é entendível por mentalidades estagnadas.

 

É óbvio que o PAN sabe, tal como Mahtama Gandhi sabia e dizia, que a nobreza de um povo, a grandeza de uma nação e o seu progresso moral, o grau de civilização de uma determinada sociedade podem ser avaliados pela forma como são tratados os seus membros mais vulneráveis, crianças, deficientes, velhos, pobres e naturalmente os animais não-humanos, que fazem parte integrante de uma sociedade constituída pelos Reinos Animal, Vegetal e Mineral.

 

Não é verdade?

 

Pois os governantes portugueses que até agora se sentaram nas bancadas do poder não fizeram nada, absolutamente nada, pelas crianças, pelos deficientes, pelos velhos, pelos pobres e pelos animais não-humanos, até porque as crianças, os deficientes, a maioria dos velhos e pobres e os animais não humanos NÃO VOTAM. Então para quê perder tempo com eles?

 

Não é o que pensam os políticos vulgares?

 

O plano de economia e finanças do PAN não é de doidos nem difícil de implementar, António.

 

Simplesmente é impossível os doidos implementá-lo, por uma razão absolutamente óbvia: incompetência.

 

Só um indivíduo desprovido de sensibilidade e bom senso dirá que o PAN tem medidas sem sentido e sem utilidade «tipo incluir os animais no agregado familiar, e coisas do género»…

 

Pois fique sabendo, António, que em Portugal, para as mentalidadezinhas mesquinhas, estas medidas podem parecer sem sentido, mas nos países evoluídos e civilizados elas já estão implementadas.

 

Dizer que o PAN é um partido cheio de medidas e alternativas sobre como tratar os animais, e como proteger a natureza, mas no que toca a governar um país, não fazem a menor ideia do que estão a fazer, é não saber absolutamente nada da política vigente e dos políticos fixados no poder com supercola.

 

Pois diga-me lá, António, no que toca a governar o país, o que é que os governantes, que até agora governaram, fizeram pelas camadas mais frágeis da sociedade portuguesa? O que é que eles têm feito para proteger a sua fauna humana e não-humana, a sua flora, o seu meio ambiente, as suas florestas, os seus rios? Ou será que isto não tem a menor importância para o País?

 

O António acha que o PAN deveria ter políticas de como encher os bolsos à custa dos impostos dos Portugueses? De como esbanjar dinheiros públicos em coisas absolutamente inúteis, insignificantes e indignas do ser humano?

 

É isso que pretende do PAN?

 

Não, não se percebe o artigo “jornalístico” que deu origem a este comentário.

 

Primeiro porque o artigo não é “jornalístico”. Se fosse jornalístico deveria obedecer à Ética Jornalística, e não obedece.

 

Segundo, porque criticar, apenas por criticar uma filosofia, um modo de estar no mundo global, com olhos postos no futuro, e que as mentezinhas estagnadinhas não compreendem, é altamente pernicioso, contraproducente e não dignifica o jornalismo de opinião.

 

Quem pretende ousar o jornalismo de opinião (e não foi o caso) deve, no mínimo, ter algum conhecimento sobre a matéria que vai opinar, de outro modo corre o risco de fazer triunfar os porcos errados.

 

E atenção! Ao contrário do que os mais “distraídos” acham, os Porcos, são animais bastante inteligentes, por isso, merecem toda a minha consideração e respeito, ao contrário de muitos indivíduos, que andam por aí a armar-se em chico-espertos.

 

144 PORCOS.jpg

 

Ler artigo completo neste link:

https://vista-se.com.br/porcos-os-animais-domesticados-mais-inteligentes-do-mundo/

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 15:23

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Quinta-feira, 16 de Abril de 2015

CRUELDADE ANIMAL SERÁ CONSIDERADA “CRIME CONTRA A SOCIEDADE” PELO FBI

 

Existem coisas que são tão óbvias para um ser humano minimamente racional que não necessitariam de estudos científicos, para serem provadas.

Mas neste caso, por acaso, até existem estudos…

Porém, em Portugal, há uma lei que exclui alguns animais do Reino Animal, e os psicopatas podem “treinar” nesses indefesos seres os seus instintos assassinos.

Depois é a violência que vemos contra os mais indefesos: crianças, mulheres e idosos que, diariamente, são assassinados, maltratados, torturados…

 

 

Este texto vai ao cuidado das autoridades portuguesas

 

310[1] CÃO.jpg

(Foto: Divulgação)

 

A partir de 2016, as pessoas que cometerem actos de maus-tratos contra os animais serão agrupadas na mesma categoria dos assassinos nos Estados Unidos. O FBI anunciou esta semana que o abuso de animais receberá uma nova categorização, sendo tipificado como “crime contra a sociedade”. As informações são do site Dog Heirs.

 

Essa nova categorização provavelmente ajudará as leis a favor dos animais e será uma melhor forma de rastrear os crimes de crueldade animal, já que actualmente eles são colocados na categoria “outros”, dificultando o rastreamento.

 

«A atividade criminal e informação de grupo será expandida para incluir quatro tipos de abusos», lê-se num comunicado oficial do FBI.

 

Haverá quatro categorias de abuso: a negligência simples, abuso intencional e tortura, abuso organizado e abuso sexual.

 

Segundo o FBI, o conceito de crueldade encaixa-se na “execução intencional, com conhecimento de causa ou de forma imprudente de uma acção que maltrate ou mate qualquer animal sem justa causa, tal como a tortura, mutilação, atormentação, envenenamento ou abandono”.

 

Essa nova classificação trará dois efeitos imediatos, como afirma o director de políticas de abuso contra animais da Sociedade Humana da América. O primeiro será o de mostrar a todas as agências policiais que esse problema deve ser encarado com seriedade, devido à sua gravidade. O segundo será a monitorização em tempo real de casos de abuso animal nos 50 estados norte-americanos, compilados em relatórios mensais pelas autoridades locais.

 

Estudos mostram que crianças que torturam ou matam animais podem repetir essa violência contra as pessoas quando crescerem. Sendo assim, enquadrar os crimes contra animais no mesmo nível de assassinatos é uma forma de agir com mais rigor contra quem maltrata animais e, indirectamente, impedir que essa pessoa aja com violência contra algum ser humano.

 

O director de aplicação da lei para o Monmouth County SPCA, Victor “Buddy” Amato, afirmou que o FBI está a caminhar para um próximo nível e que as pessoas estão a levar o combate à crueldade animal mais a sério. “Um crime violento, e se não for controlado, leva a coisas maiores”, disse.

 

Estudos comprovam

 

Segundo estudos do FBI cerca de 80% dos psicopatas começam os seus crimes cometendo abusos contra os animais. Como já foi mostrado pela jornalista colaboradora da ANDA, Fátima Chuecco, na série “Matadores de Animais”, que aborda o universo dos serial killers, são inúmeros os exemplos, dentre eles o conhecido Caso Dalva, no Brasil, e casos como o dos assassinos Edmund Kemper e Edward Leonski, dos Estados Unidos.

 

Dalva Lima da Silva viveu 10 anos da sua vida fazendo-se passar por protectora de animais, e durante esse tempo, matou-os fazendo uso da injecção letal, até que, em 2012, foi apanhada em flagrante, tentando desfazer-se dos corpos de 37 cães e gatos. O laudo pericial atestou que todos os animais estavam saudáveis, inclusive uma cadela que teve a sua região peitoral perfurada 18 vezes numa tentativa cruel de localizar o coração para injectar o líquido que a mataria de forma extremamente dolorosa.

 

Edmund Kemper foi condenado à prisão perpétua pelo assassinato de oito mulheres, dentre elas, a sua avó. No entanto, antes de começar a matar pessoas, ele já praticava actos de extrema crueldade contra os animais, decapitando gatos e atirando em pássaros quando tinha apenas 13 anos de idade.

 

Já Edward Leonski foi condenado à forca, em 1942, por ter estrangulado três mulheres, crimes justificados por ele como uma forma de conseguir as vozes delas. Mas, assim como Kemper, ele também treinou os seus actos de psicopatia em animais, utilizando agulhas para cegar pássaros na infância, acto que pode ter ligação com o canto das aves.

 

De acordo com a jornalista Fátima Chuecco, os alvos predilectos dos psicopatas são “criaturas frágeis, ingénuas, indefesas, fáceis de enganar, capturar e manter sob o seu domínio – e os animais enquadram-se em todos os itens, assim como as crianças, mulheres e idosos que, numa segunda etapa da vida de um psicopata, podem tornar-se seus alvos”.

 

Sendo assim, é preciso olhar para essa questão de outra forma, tendo consciência da necessidade de punir severamente quem comete abusos contra animais e, além disso, ver essa punição como uma prevenção que impede posteriores vítimas humanas.

 

Fonte:

http://www.anda.jor.br/06/04/2015/crueldade-animal-sera-considerada-crime-sociedade-fbi

(Este texto foi transcrito para a Língua Portuguesa)

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 17:52

link do post | Comentar | Ver comentários (7) | Adicionar aos favoritos (1)
Domingo, 12 de Abril de 2015

É ESTA ESPÉCIE DE “CIDADÃOS” QUE O GOVERNO PORTUGUÊS FABRICA COM O APOIO QUE DÁ À SELVAJARIA TAUROMÁQUICA

 

De uma virada recebi estes dois comentários, que dizem do mundo rasteiro que é o da tauromaquia, e que o governo português motiva com a sua falta de lucidez política, e da qual faço questão de destacar.

 

Chega!

 

TOLERÂNCIA ZERO PARA ESTA ESCUMALHA DA SOCIEDADE PORTUGUESA!

 

frase-que-nojo-o-mundo-este-jardim-de-ervas-daninh

 

Alexandre, deixou um comentário ao post ESTE É O SILVÉRIO. O SILVÉRIO ACABOU AGORA MESMO DE SER TORTURADO EM LISBOA às 04:12, 2015-04-12.

 

Comentário:

Peço desculpa mas eu acho este espetaculo do melhor que existe no nosso país. A escumalha como refere a Sra. Oliveira só pode ser ela e os entes queridos. Ninguem aqui insulta ninguem, pelo menos acho que se devem respeitar as opinioes. Toros Alle, para sempre.

 

***

 

Alexandre, pois eu não vou pedir desculpa para o que vou dizer: há indivíduos que nascem com vocação para a estupidez, e o Alexandre é um desses indivíduos.

 

Basta esse seu “achar” a tortura de seres vivos o “melhor espectáculo que existe no nosso país”, para o confirmar.

 

Mas a culpa não é sua. Ou melhor, é sua, porque poderia estar disponível para evoluir e não está, mas também é do Estado Português que mantém um povinho nesta ignorância de meter dó às pedras, por motivos asquerosos.

 

 

A Sra. Oliveira até foi muito delicada ao chamar ESCUMALHA aos que praticam, aplaudem e apoiam a carnificina de bovinos para se divertirem.

 

Vocês são mais do que escumalha, vocês são o que de pior existe no Reino Animal. Estão abaixo da escala animal. Mais abaixo do que os animais rastejantes. Nenhum outro animal na Natureza tortura um outro ser por prazer, nem sequer um verme o faz.

 

E isto não é insultar ninguém. Isto é dizer a pura VERDADE. Isto é relatar um FACTO.

 

 

E dizer as verdades e relatar factos nunca foram insultos em parte alguma do Planeta civilizado.

 

E nós não temos de RESPEITAR uma coisa que não é do domínio da OPINIÃO, mas tão-só do domínio da ESTUPIDEZ.

 

Por isso, MORRA A ESTUPIDEZ. Para sempre.

 

Ah! E vá enfiar a sua carcaça vazia, com forma humana, numa poça de lama e deixe-se lá estar… por uns tempos. Pode ser que aprenda que viver na lama não é a melhor escolha para quem pretende elevar-se à condição humana.

 

***

José, deixou um comentário ao comentário ESTE É O SILVÉRIO. O SILVÉRIO ACABOU AGORA MESMO DE SER TORTURADO EM LISBOA às 21:21, 2015-04-11.

 

Comentário:

és mas e uma grandessissima puta! Viva aos TOIROS! NUNCA VAI ACABAR ESTE ESPECTACULO EXTRAORDINARIO!

 

***

Como a paciência tem limites, aí vai: parece que este José se sentou à frente da senhora sua mãe e decidiu passar para o computador o que lhe disse a ela, como desabafo, e enganou-se no destinatário, ao enviar "isto" para aqui.

 

 

Pois MORRAM os ESTÚPIDOS, que não fazem falta nenhuma ao Planeta, porque a selvajaria tauromáquica, essa, já está com os pés na cova, e só os parvos é que não vêem.

 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 10:37

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Segunda-feira, 2 de Fevereiro de 2015

«O GRANDE CIRCO MÍSTICO» E A PERMISSIVIDADE DO ESTADO PORTUGUÊS

 

Do Brasil, recebi uns comentários, a pedir uma informação sobre o Circo em Portugal.

 

E a minha resposta não poderia ser outra senão questionar a permissividade da legislação portuguesa, que exclui os animais usados e abusados no Circo, do Reino Animal.

 

Porquê? É uma pergunta para a qual os governantes não têm uma resposta racional.

 

vegetarianismo circo com animais[1].jpg

 

Marli Delucca, deixou um comentário ao post LISBOA ESTÁ A UM PASSO DE PROIBIR CIRCOS COM ANIMAIS às 12:38, 2015-02-01.

Comentário:

 

Olá Izabel estou no Brasil escrevendo sobre 'O Grande Circo Místico' filme que será rodado em um circo em Portugal, de um conhecido abusador de animais, agradeceria se pudesse me escrever para que pudesse me explicar sobre a legislação portuguesa diante dessa deliberação, abraços.

 

***

Olá Marli,

 

A legislação em Portugal quanto a Circos, Caça, Touradas e Luta de Animais é do pior que existe, porque não existe, podendo-se torturar, matar e estropiar todas as espécies animais, desde os domesticados, aos que vivem livres na Natureza, além de permitir manter escravizados e confinados a jaulas, animais que deviam estar na selva, como ursos, elefantes, leões, tigres, entre outros; e no mar, como golfinhos e tubarões; e no Ártico como os pinguins, enfim, em Portugal, só os CÃES e os GATOS são considerados ANIMAIS, e têm protecção legislativa, sendo que os cães, utilizados nos circos, NÃO SÃO ANIMAIS. Apenas os que as pessoas têm como "animais” de estimação.

 

De resto, bovinos, cavalos, raposas, cães, galos, pombos, entre muitos outros animais, são barbaramente torturados, com o aval do Estado português.

 

Por isso, esse “senhor” que pretende vir para Portugal filmar “O Grande Circo Místico” tem as portas abertas. Portugal é o paraíso da TORTURA dos animais não humanos, e o paraíso dos CARRASCOS. Mas nós, os Defensores dos Animais, estamos absolutamente contra essa filmagem, contra os Circos com Animais, contra a caça desportiva, contra a batida às raposas, o tiro aos pombos, a luta de cães, de galos e outros animais, e estamos também CONTRA o governo português que TEIMA em manter uma legislação que permite a TORTURA de animais para DIVERTIR os SÁDICOS. E é isto que tenho a dizer, Marli, com muita mágoa.

 

***

Marli Delucca, deixou um comentário ao comentário LISBOA ESTÁ A UM PASSO DE PROIBIR CIRCOS COM ANIMAIS às 21:10, 2015-02-01.

 

Comentário:

 

Olá Izabel, agradeço pela pronta resposta e entendo perfeitamente sua frustração, mas lhe peço paciência, se somos poucos a lutar pelos animais, tenhamos foco em nossas batalhas, para salvarmos o que pudermos. Mas voltando ao filme, vi que a câmara de Lisboa aprovou a recomendação

(http://www.am-lisboa.pt/302000/1/001481,000075/index.htm)

Veja que nesse link não consta que o filme será filmado no circo.

(http://www.cm-lisboa.pt/noticias/detalhe/article/filme-brasileiro-rodado-em-lisboa)

 

Agora lhe pergunto a deliberação diz não emitir novas licenças - saberia dizer qual o período de uma licença - já que essa deliberação foi em novembro e houve apresentação do circo no natal...

 

***

Bom dia, Marli,

 

A minha frustração prende-se essencialmente pelo facto de em 2015 da era Cristã, ainda termos de andar a lutar pela abolição de tantas coisas que já deveriam estar extintas há muito, em nome da evolução.

 

Quanto ao primeiro link que a Marli refere (o da recomendação do PAN) note que é apenas uma recomendação, que ainda não foi levada a discussão, para ser aprovada. E é muito provável que tal recomendação não seja aprovada, devido às mentes retrógradas de alguns “políticos” instalados na Câmara e na Assembleia Municipais de Lisboa (a começar pelo presidente da Câmara que é aficionado de touradas, atribui medalhas municipais a carrascos tauromáquicos, mostrando uma insensibilidade gélida no que respeita ao sofrimento dos animais).

 

No segundo link, na verdade, não é referido explicitamente que o filme vá ser filmado nos circos. Mas raciocine comigo: qual o interesse do Cacá em vir a Lisboa filmar as ruas da cidade, para um filme que aborda o circo? Poderia ir ao Rio de Janeiro, se não é para filmar nos circos. Não?

 

É que em Portugal é hábito da comunicação social omitir os detalhes menos civilizados quando se trata de noticiar ocorrências que envolvam a tortura de animais, sejam em circos, em touradas, ou em qualquer outra carnificina, que existem por todo o país.

 

É preciso conhecer o espírito mesquinho e castrador de alguns “políticos” e dos lobbies mafiosos que os manipulam para entender esta camuflagem.

 

A recomendação do PAN refere que não sejam emitidas licenças a espetáculos circenses que incluam a exibição ou utilização de animais.

 

Essas licenças, devido à condição itinerante dos circos, são emitidas de cada vez que um circo quer apresentar-se num determinado local, e têm a duração do tempo em que o circo se mantiver nesse local, o que poderá ser por uma semana, quinze dias, um mês…

 

Por isso, Marli, o Cacá Diegues poderá vir a Lisboa, mas, com toda a certeza, não é para filmar as belas ruas desta cidade que, segundo a lenda popular e romântica foi fundada pelo herói mítico Ulisses, e incluí-las no Grande Circo Místico, até porque não estou a ver Lisboa como uma arena de circo, a não ser sob o ponto de vista político.

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 15:42

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Segunda-feira, 5 de Janeiro de 2015

BEM-VINDOS A 2015

 

Com a esperança de que os governantes e dirigentes portugueses sintam o apelo do Bem, do Bom e do Belo

 

1461085_733020963378665_1760368714_n[2] BEMM-VINDO

 

Depois de um interregno que me levou a lugares imaginários, longe do rebuliço mundano, onde não encontro alimento para o espírito, sempre desassossegado, sempre ávido do Bem, do Belo e do Bom, regresso a este meu lugar de passagem para a inquietude do verde, para dar continuidade à minha luta contra as ignomínias que me esmagam a existência.

 

Certo dia, um sábio ancião, que sabia da vida e das coisas da vida, lançando-me um olhar que entrevia para além de mim, disse-me que eu era um ser do futuro e nunca encontraria a paz e a felicidade tão desejadas, uma vez que nascera precocemente num tempo que não era o meu.

 

Esta sentença, proferida na penumbra do átrio de um hotel, onde havia marcado um encontro com aquele desconhecido, que desejava conhecer-me pessoalmente, pois apenas me intuía através das crónicas e contos que então escrevia para um jornal (estava eu ainda no início de uma carreira sobre a qual não sabia se tinha futuro) desconcertou-me, perturbou-me, amedrontou-me, porque na realidade, aquele ancião que eu nem sabia que existia e que, em princípio, nada devia saber de mim, conhecia-me melhor do que eu jamais poderia imaginar, através apenas daquilo que eu escrevia.

 

Este episódio mudou, por completo, a minha vida.

 

Até então eu desconhecia o poder das palavras.

 

É certo que, desde muito jovem, habituara-me a escrever contos em Inglês, para o jornal de parede da Escola Inglesa que frequentava, e o meu professor considerava amazing aquelas minhas digressões pelo imaginário. Contudo, nunca projectei fazer da escrita uma profissão. Escrevia aqueles contos apenas para exercitar a Língua de Shakespeare.

 

Bem… tudo isto para dizer que aquele encontro com o ancião que sabia da vida e das coisas da vida, levou-me a compreender o poder das palavras, colocando-as ao serviço de causas justas, uma vez que aqueles que se consideram superiores aos outros seres vivos que connosco partilham o mesmo Planeta e que a ele chegaram muito antes dos hominídeos que vieram dar origem ao presunçoso Homo Sapiens Sapiens, demonstram uma descomunal incapacidade, como mais nenhum outro ser demonstra, para gerir o normal fluir da existência dentro de parâmetros racionais e lógicos, obrigando os que vêem para além do visível a uma permanente luta para fazer valer os direitos mais óbvios e naturais de tudo e de todos os que se movem debaixo do Sol.

 

E naquele fim-de tarde, na penumbra do átrio de um hotel, depois de ouvir o ancião falar da força das palavras e de um futuro ao qual pertenço, decidi fazer delas a minha arma e colocá-las ao serviço dos menos privilegiados, dos que não têm voz para se defenderem, dos que são esmagados pela ignorância dos que deveriam ser sábios, dos indefesos que caem nas mãos de cobardes, pertençam à espécie humana ou a qualquer outra espécie.

 

No dia 31 de Dezembro de 2014 ficou concluída (com enorme sucesso) a primeira etapa da luta contra os algozes que mantém Touros e Cavalos fora do Reino Animal, para que duas dezenas de famílias portuguesas usufruam de privilégios que ninguém mais usufrui em Portugal.

 

Bem-vindos ao ano de 2105, ano em que terá início a segunda etapa do plano que conduzirá à Abolição da Tauromaquia.

 

A fonte de inspiração será Voltaire, um Homem que com uma só frase podia aniquilar um político, um Homem que transformou a sua época na Era da Razão.

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 12:01

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Terça-feira, 7 de Outubro de 2014

NÃO ESQUECER QUE A UNIÃO EUROPEIA É CÚMPLICE DO CRUEL E DEPRAVADO MALTRATO ANIMAL A QUE SÃO SUBMETIDOS OS BEZERROS E OS TOUROS EM ESPANHA, FRANÇA E PORTUGAL

 

QUE O PARLAMENTO EUROPEU PROÍBA A CRUEL E SANGUINÁRIA SELVAJARIA TAUROMÁQUICA

 

Toda a política da União Europeia no que respeita ao bem-estar animal cai por terra quando permite que se cometam semelhantes atrocidades em países europeus.

 

E isto é possível porque ao elaborar o Tratado da União, o lobby tauromáquico (uma minoria inculta) pressionou a Europa para que se introduzisse uma excepção à política de protecção animal, excluindo Touros e Bezerros, ao mencionar “o respeito pelas tradições e costumes dos Estados…”

 

Quanta hipocrisia! Quanta ignorância optativa!

 

Javier Elorza (com o título nobiliárquico de marquês de Nerva), representante de Espanha na União Europeia de então, em entrevista publicada no La Vanguardia, a 2 de Junho de 1999, diz a seguinte parvoíce:

 

«Queriam proibir os touros. E eu sou taurino até ao tutano. Desse modo (custou-me um par de festins) maquinei um estratagema com um grande jurista comunitário, no qual onde se dizia “zelará pelo bem-estar dos animais” acrescentámos “respeitando as tradições culturais”, e assim acautelámos os touros».

 

(Aqui fica provado toda a estupidez desta manigância, uma vez que a tortura de seres vivos nunca foi, em parte alguma e tempo algum, uma “tradição cultural”, e a União Europeia mostrou toda a sua ignorância no que respeita a esata matéria, ao ceder ao tacanho estratagema do marquês).

 

Concretamente, o artigo 13 do Tratado de Funcionamento da União Europeia, ficou redigido do seguinte modo: «ao formular e aplicar as políticas da União em matéria de agricultura, pesca, transporte, mercado interior, investigação e desenvolvimento tecnológico e do espaço europeu, a União e os Estados membros terão plenamente em conta as exigências no que respeita ao bem-estar dos animais como seres sensíveis, respeitando ao mesmo tempo as disposições legais ou administrativas e aos costumes dos Estados membros relativas, em particular a ritos religiosos, tradições culturais e património regional»

 

(Isto é descaradamente uma política vergonhosa do género «all animals are equal, but some animals are more equal than others», ou seja, todos os animais são iguais, mas alguns animais são mais iguais do que outros - in «Animal Farm», de George Orwell, facto que deveria envergonhar os deputados europeus, se eles tivessem um pingo de sensibilidade e bom senso).

***

A política de bem-estar animal da União Europeia, pode ser consultada neste link:

 

http://ec.europa.eu/food/animal/welfare/index_es.htm

 

O obsceno Sr. marquês Elorza na entrevista ao La Vanguardia, vangloriando-se da sua desavergonhada “façanha”, pode ser visto aqui:

http://hemeroteca.lavanguardia.com/preview/1999/06/02/pagina-84/34488133/pdf.html

 

Assinem esta petição ao Parlamento Europeu para que este reveja a sua política de bem-estar animal, e na qual passe a incluir os bezerros e os touros, que também fazem parte do Reino Animal.

https://www.change.org/p/a-la-comisión-de-peticiones-del-parlamento-europeo-que-el-parlamento-prohíba-los-crueles-y-sanguinarios-festejos-taurinos-2

 

Fonte:

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=730667517007204&set=a.730667497007206.1073741844.100001918882195&type=1&theater

 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 15:28

link do post | Comentar | Ver comentários (2) | Adicionar aos favoritos

Mais sobre mim

Pesquisar neste blog

 

Dezembro 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Posts recentes

Em Redondo: até quando o ...

«É ASSIM QUE OS SERES HUM...

A INSANIDADE MORAL DOS AF...

QUE CULTURA? QUE CIVILIZA...

A PROPÓSITO DOS PORCOS QU...

CRUELDADE ANIMAL SERÁ CON...

É ESTA ESPÉCIE DE “CIDADÃ...

«O GRANDE CIRCO MÍSTICO» ...

BEM-VINDOS A 2015

NÃO ESQUECER QUE A UNIÃO ...

Arquivos

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Direitos

© Todos os direitos reservados Os textos publicados neste blogue têm © A autora agradece a todos os que os divulgarem que indiquem, por favor, a fonte e os links dos mesmos. Obrigada.
RSS

Acordo Ortográfico

Em defesa da Língua Portuguesa, a autora deste Blogue não adopta o Acordo Ortográfico de 1990, devido a este ser inconstitucional, linguisticamente inconsistente, estruturalmente incongruente, para além de, comprovadamente, ser causa de uma crescente e perniciosa iliteracia em publicações oficiais e privadas, nas escolas, nos órgãos de comunicação social, na população em geral, e por estar a criar uma geração de analfabetos escolarizados e funcionais.

Comentários

Este Blogue aceita comentários de todas as pessoas, e os comentários serão publicados desde que seja claro que a pessoa que comentou interpretou correctamente o conteúdo da publicação. Serão eliminados os comentários que contenham linguagem ordinária e insultos, ou de conteúdo racista e xenófobo. Em resumo: comente com educação, atendendo ao conteúdo da publicação, para que o seu comentário seja mantido.

Contacto

isabelferreira@net.sapo.pt