Segunda-feira, 6 de Maio de 2013

OUVI DIZER QUE UM BANDO DE BRONCOS CRUÉIS, COVARDES E INÚTEIS, DA UNIVERSIDADE DO PORTO, VAI INVADIR A PÓVOA DE VARZIM, NO DIA 12 DE MAIO PARA TORTURAR JOVENS BOVINOS, NUM ACTO SELVAGEM E INDIGNO DE ESTUDANTES DO ENSINO DITO “SUPERIOR”

 

Mas não acreditei!  

 

 

Esta é a arena da morte da Póvoa de Varzim. Como é possível esta estupidez que se vê na imagem estar ligada à Universidade do Porto? Nunca estaria ligada às melhores Universidades Europeias… Só mesmo em Portugal, onde a ignorância criou raízes… Mas isto é passado… O dia 12 de Maio de 2013 é futuro…

 

 

Não acredito que no próximo domingo esse grupo de broncos venham à Póvoa de Varzim derramar a sua estupidez e crueldade porque, como disse um amigo meu, José Costa: os estudantes da Universidade do Porto «têm um sentido de Humanidade, de Modernidade Civilizacional, de Pedagogia para as acções de elevação do Espírito e Pensamento Humano… E estes jovens não terão, onde ocupar de forma muito mais edificante, o seu tempo livre?! Por exemplo nas artes, no desporto, em actividades para o bem comum?!»   

 

Pois claro. São estudantes do ENSINO SUPERIOR. Não iriam baixar o nível com um acto bronco, parolo, imbecil, como é o de se embebedarem e andarem a torturar um pobre ser inofensivo, inocente e indefeso, dentro de uma arena, com uma assistência sádica a aplaudir.

 

Impensável!

 

Além disso, temos um facto novo.

 

Seria um desrespeito monumental pelo Marlon, o jovem estudante que morreu ao serviço da Academia (que não teve a hombridade de suspender os festejos, perdesse o que perdesse).

 

Pelo menos suspendam o acto de violência, que consta no programa “académico”. Mais um, não! A morte do Marlon foi o limite dessa violência!

 

***

 

O outro motivo pelo qual não acredito que um bando de broncos, que se dizem “estudantes do ensino superior”, venha à Póvoa de Varzim torturar tourinhos para se divertirem, prende-se com o facto de na Câmara Municipal desta cidade existir um pelouro da Cultura, dirigido pelo vereador professor Luís Diamantino, o qual nunca iria permitir um espectáculo degradante como este, numa cidade que se diz do “Lazer e da CULTURA”.

 

É preciso que haja consciência e lucidez.

 

Não estamos a falar de gente que não teve acesso a uma Universidade.

 

Estamos a falar de gente que tem ou irá ter um diploma universitário, e isto, só por si, devia ser o suficiente para que a Ética se sobrepusesse à estupidez que é uma garraiada.

 

Faço votos que tal baixeza não se concretize, para não ter de incluir a Universidade do Porto e a Câmara Municipal da Póvoa de Varzim no Livro Negro da Tauromaquia.

 

E o limite é o ano de 2013. Todos os actos macabros referentes à tauromaquia que se realizarem durante este ano, ficarão para sempre registados no livro que será a memória da época dos desiluminados.

 


***

 

COMENTÁRIO DE JOSÉ COSTA A ESTE TEXTO, NO FACEBOOK:

 

«Que pena, uma Universidade tão prestigiada e com toda a justiça aliás, estar ligada a atos de barbárie. As universidades que, devem ser bastiões de Modernidade, de elevação e avanço do Pensamento Humano e ao contrário, promovem ou pelo menos permitem que, membros seus, se degradem em espetáculos que vão ao arrepio do que, com tanto custo, se tem conquistado ao longo dos tempos com recuos é certo, mas com incomparáveis avanços de Modernidade Civilizacional. Este é mais um recuo que, se torna muito mais grave, já que, os protagonistas, são jovens universitários que deveriam ser pela sua formação, paga por todos nós aliás, um exemplo de cidadania e ao invés, vão participar em práticas próprias de seres sem sensibilidade e humanidade. Por muito doutores e engenheiros que venham a ser, ah, pobres serão em valores humanos..

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 14:38

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Terça-feira, 19 de Fevereiro de 2013

Carta Aberta ao Professor Luís Diamantino, vereador do Pelouro da Educação e Cultura da Câmara Municipal da Póvoa de Varzim

 
 
 

Senhor Professor Luís Diamantino, Vereador do Pelouro da Educação e Cultura da Câmara Municipal da Póvoa de Varzim

 

 

Exmo. Senhor Doutor Luís Diamantino:

 

Dirijo-me ao senhor, porque o conheço há bastante tempo. Sei do que é capaz. E também sei do que não é capaz. Sei que é uma pessoa culta e aprecia a Cultura Culta.

 

Começarei por congratular-me pela construção das novas instalações do que decidiram chamar CROAC (Centro de Recolha Oficial de Animais de Companhia) em vez de “canil”, o horroroso e tristemente famoso canil da Póvoa de Varzim, onde muitos animais foram maltratados, massacrados, mortos à paulada, sob a orientação de um "veterinário" (que também tão bem conheço).

 

Li que as «novas instalações foram devidamente certificadas e que foram já vistoriadas pela Direcção-Geral de Veterinária (o que não merece grande confiança, uma vez que também são adeptos de touradas). Está localizado nas instalações do Horto Municipal, tem 14 celas, uma parte para os infecto-contagiosos e ANIMAIS PERIGOSOS, a zona do gatil e o local onde estará o nosso veterinário residente, José Carlos Guimarães».

 

O animal mais perigoso do mundo que conheço, Senhor Professor Luís Diamantino, é o animal homem-predador. Não há animais perigosos na Natureza. Muito menos Cães perigosos, os donos é que são perigosos.

 

Sabe-se que na Póvoa de Varzim existem lutas de cães, e que há animais humanos-predadores que transformam cães mansos em cães imbuídos dos maus instintos dos donos. Serão esses os “perigosos”?

 

Pois, congratulo-me com esta iniciativa, que espero traga mais DIGNIDADE ao tratamento destes seres (cães e gatos) que são tão fiéis aos homens, e merecem todo o nosso carinho.

 

 
 
 

Professor Luís Diamantino na inauguração do CROAC (à direita)

 

Aproveitando este PASSO EM FRENTE da Câmara Municipal da Póvoa de Varzim, gostaria de pedir publicamente ao Dr. Luís Diamantino, que interferisse em dois acontecimentos que trarão o MAIOR DESPRESTÍGIO para a Póvoa de Varzim: o primeiro é o CAMPEONATO DE TIRO AOS POMBOS (aliás proibido), que poderá muito bem ser substituído pelo Tiro aos Pratos – lembre-se da Pomba da Paz…dos Encontros pela Paz, tão bonitos, tão acarinhados por si… Então? Onde fica a coerência? A cultura? O humanismo? Essa Paz de que tanto fala?

 
 
 
 Como é possível fazer campeonatos com tiros a estes seres tão belos e mansos, em pleno voo de liberdade? Isto é de uma crueldade inenarrável.

 

Não só poupariam a vida de tão magníficos seres, como ajudariam a indústria da cerâmica, com o fabrico dos pratos.

 

O segundo é «a terrível e venal “arte” de torturar e matar animais em público», de acordo com a UNESCO, e que tenho certeza de que o Senhor Professor Luís Diamantino não aprova.

 

É essa idiotice que quer deixar de herança à sua filha?

 

Então porquê não declarar a Póvoa de Varzim “Cidade Anti-Tourada” e transformar a actual arena da tortura num MONUMENTAL CENTRO DE ARTES NOBRES?

 

Vou aqui transcrever duas cartas escritas por jovens, e dirigidas ao governo central, os quais pensam tal como eu, mas são mais politicamente correctos do que eu, porque eu já estou farta, há mais tempo, de tanta carnificina.

 

«Exmos. Senhores,

 

O Homem evolui em muitas coisas, mas insiste em manter outras.

 

Nas touradas há interesses instalados. Normal.

 

Touradas são actos próprios de uma época medieval, em que não havia sensibilidade nem conhecimento científico.

 

Não será o caso, no tempo actual. Todos sabem do sofrimento dos animais.

 

Mas há aqueles que fazem de conta que não vêem. Tudo porque têm interesses, ou não querem pôr em causa os tais interesses instalados.

 

Estes, se não tiverem influência no poder, são meras marionetas que se limitam a vegetar na sociedade. Sem causas, sem valores, sem respeito pelo sofrimento. São seres humanos que servem apenas de estrume à sociedade deixando um cheiro pestilento de neutralidade.

 

Mas os que têm influência no poder e nada fazem para alterar esta questão – como será o vosso caso – esses, se nada fizerem para alterar esta realidade, o que serão? Com que consciência vivem? O que conta para eles? Será apenas o aplauso de uma minoria que trata o sofrimento de forma descartável que lhes enche o ego? Não conseguem ter causas, para não afrontar os interesses instalados?

 

Por favor, reflictam e ajam conforme o valor que, de facto, tendes.

 

Cumprimentos,

 

 

 

***

 

«Exmos. Senhores,

 

Venho apelar à vossa sensibilidade para que termine a tourada no nosso país. Além do dinheiro público ter fins bem mais dignos do que apoiar esta barbárie, é importante que duma vez por todas este país entenda que torturar animais inocentes não é forma de divertimento.

 

Como não se pode mudar mentalidades de um dia para o outro, pelo menos que existam leis que proíbam esta carnificina. As leis existem aliás unicamente porque o ser humano não respeita os valores fundamentais.

 

Não vinga já a questão da tradição, uma vez que tal não pode aplicar-se a algo absolutamente imoral. Tradição era a escravatura de seres humanos, a pena de morte ou a mulher não ter direitos.

 

Há tradições que são cultura e há outras, como a tourada, que remontam a estádios de vivências pré-históricas de que o homem civilizado se deve envergonhar e não deve transmitir aos seus descendentes (aliás este é o significado de tradição).

 

Peço apenas para que defendam o direito à vida e a não sofrer maus tratos que todos temos na lei, inclusive os outros animais (não percebo porquê a distinção entre eles e os touros e cavalos intervenientes nas touradas). Esta excepção aliás, parece-me tudo menos ética.

 

O que está em causa na tourada é a tortura lenta e sádica de seres vivos como nós, capazes de sentir dor como todos os seres humanos, os cães e os gatos que temos em casa.

 

A vós, que tendes o poder de alterar a lei para que esta tortura tenha um fim, apelo para que não continuemos a ser a vergonha dos países civilizados da Europa. Vários já nos excluíram das suas rotas de turismo enquanto tivermos este espectáculo degradante!

 

Têm aqui uma oportunidade de fazer História e os vossos nomes ficarem lembrados como aqueles que aboliram a tourada em Portugal.

 

Agradeço a vossa atenção e reflexão.

 

 

 

***

 

Faço minhas as palavras do Pedro e da Lígia.

 

A Póvoa de Varzim não pode fazer leis? Não pode ultrapassar a lei? Mas poderá dizer NÃO à carnificina, como outros municípios já fizeram. Poderá dizer NÃO também aos circos que utilizam animais.

Professor Luís Diamantino, sabe melhor do que eu (porque eu sei) como se pode contornar as LEIS PARVAS.

 

Não queiram os autarcas poveiros ficar no «Livro Negro da Tauromaquia» (que estou a escrever) como aqueles que tiveram oportunidade de dizer NÃO à estupidez, e recusaram-se.

 

 
 
Contemple a beleza, a dignidade e a nobreza deste ser, e pondere: é de HOMENS INTEIROS torturá-lo até à morte, por diversão e interesses económicos escusos, Dr. Luís Diamantino? 

 

 

Por fim, queria acrescentar que para a Póvoa de Varzim poder receber COM DIGNIDADE E PROPRIEDADE o excelente evento que dá pelo nome de «CORRENTES D’ESCRITAS», que ocorrerá já esta semana, de 21 a 23 de Fevereiro, terá forçosamente de abandonar as práticas primitivas e sanguinárias a que vem dando apoio, ou estarão a meter no mesmo saco tauricidas, assassinos de pombos, e escritores, o que não dará prestígio algum ao evento literário.

 

Pelo animais aqui referidos, mas também pelo prestígio da Póvoa de Varzim (onde um dia talvez seja bom viver, sem carnificina) espero que o Senhor Professor Luís Diamantino tenha em consideração estas palavras, para que se cumpra a CULTURA CULTA no

 

 

 

 

De outro modo, tudo não passará de um grande equívoco.

 

Com os meus mais respeitosos cumprimentos,

 

Isabel A. Ferreira

 

(Carta enviada ao destinatário)

 

 
publicado por Isabel A. Ferreira às 18:43

link do post | Comentar | Ver comentários (4) | Adicionar aos favoritos

Mais sobre mim

Pesquisar neste blog

 

Junho 2024

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
12
13
15
17
18
19
21
22
23
24
26
27
28
29
30

Posts recentes

OUVI DIZER QUE UM BANDO D...

Carta Aberta ao Professo...

Arquivos

Junho 2024

Maio 2024

Abril 2024

Março 2024

Fevereiro 2024

Janeiro 2024

Dezembro 2023

Novembro 2023

Outubro 2023

Setembro 2023

Agosto 2023

Julho 2023

Junho 2023

Maio 2023

Abril 2023

Março 2023

Fevereiro 2023

Janeiro 2023

Dezembro 2022

Novembro 2022

Outubro 2022

Setembro 2022

Agosto 2022

Junho 2022

Maio 2022

Abril 2022

Março 2022

Fevereiro 2022

Janeiro 2022

Dezembro 2021

Novembro 2021

Outubro 2021

Setembro 2021

Agosto 2021

Julho 2021

Junho 2021

Maio 2021

Abril 2021

Março 2021

Fevereiro 2021

Janeiro 2021

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Direitos

© Todos os direitos reservados Os textos publicados neste blogue têm © A autora agradece a todos os que os divulgarem que indiquem, por favor, a fonte e os links dos mesmos. Obrigada.
RSS

AO90

Em defesa da Língua Portuguesa, a autora deste Blogue não adopta o Acordo Ortográfico de 1990, nem publica textos acordizados, devido a este ser ilegal e inconstitucional, linguisticamente inconsistente, estruturalmente incongruente, para além de, comprovadamente, ser causa de uma crescente e perniciosa iliteracia em publicações oficiais e privadas, nas escolas, nos órgãos de comunicação social, na população em geral, e por estar a criar uma geração de analfabetos escolarizados e funcionais. Caso os textos a publicar estejam escritos em Português híbrido, «O Lugar da Língua Portuguesa» acciona a correcção automática.

Comentários

Este Blogue aceita comentários de todas as pessoas, e os comentários serão publicados desde que seja claro que a pessoa que comentou interpretou correctamente o conteúdo da publicação. 1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome. 2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas". 3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias. Serão eliminados os comentários que contenham linguagem ordinária e insultos, ou de conteúdo racista e xenófobo. Em resumo: comente com educação, atendendo ao conteúdo da publicação, para que o seu comentário seja mantido.

Contacto

isabelferreira@net.sapo.pt