Terça-feira, 17 de Novembro de 2015

QUANDO SE NASCE NO MEIO TAUROMÁQUICO…

 

Um texto de cortar a respiração, sobre a realidade tauromáquica, por quem já a viveu… (I.A.F.)

 

TOURO.jpg

 


«Não me venham com a treta de argumento que "quando se nasce num meio tauromáquico" entende-se a nobreza do cavaleiro ou do forcado e o sofrimento do Touro passa a segundo plano em relação á demonstração de coragem por parte do homem...

 

Não me venham dizer que "odeio" os que fazem vida dos touros e que considero que são todos más pessoas porque isso é falso - ninguém é perfeito.

 

O que já não consigo tolerar, para que fique claro, é que em 2015 se manifeste tamanho desrespeito pela vida animal, que se permita um "espectáculo" nas televisões públicas que passa pela tortura de um animal numa praça, e que a cada ferro que entra no corpo de um animal confuso e tornado bravo com os ataques que sofre em "palco" exista uma multidão a gritar "bravo" e "olé".

 

Coragem?

 

Coragem é tirar o cu da cadeira e ir alimentar uma família carenciada; coragem é tirar um animal da rua e arranjar-lhe um lar; coragem é agarrar não um touro mas a vida pelos cornos para mudar o mundo para melhorar nem que seja no nosso prédio ou rua ou bairro; coragem é dizer "basta" quando todos parecem cegos pela barbárie deixando os seus sentimentos controlarem a razão de que todos somos dotados.

 

Eu quero um mundo sem touradas sim, acredito num mundo sem touradas e pessoalmente vou fazer o que estiver ao meu alcance para que um mundo sem touradas exista - ponto.

 

Como em quase tudo na vida há os que sem estratégia por vezes fazem mais mal que bem, por muita razão que possam ter, há os que insultam quando deviam falar e os que discutem quando deviam ouvir, se alguém é contra o que acreditamos - que seja por capricho ou ignorância - não é por partir o assunto aos bocados que ele melhor lhe vai passar na garganta, errado está o tolo que acha que é com ira que se conquista algo - nunca foi, nunca será.

 

Tive familiares toureiros que infelizmente já não se encontram neste mundo, um deles com problemas, grande parte da sua vida devido a uma cornada que o deixou em coma 6 meses.

 

Não sou um ignorante das touradas, sei o que é uma choça, um ferro violino, uma bandarilha e um capote, um Condessa de Sobral e um cavalo Lusitano, passaria melhor não sabendo mas contra isso nada posso fazer.

 

Fui a touradas, vi ao vivo, abstraía-me olhando os cavalos, chocava-me o ódio latente pelo animal negro no meio da tourada e não me venham com as merdas do costume que existe respeito pelo animal porque até gajos a espumar da boca vi como se possessos estivessem a pedirem mais ferros, mais tortura e até morte ali na praça mesmo em Portugal onde é ilegal.

 

Para o sofrimento que vem a seguir onde os ferros são arrancados e muitas vezes dois dias são passados antes do abate, eu se fosse touro, preferia morrer na praça com uma muleta espetada até ao coração e se isso não bastasse com o descabelo no cérebro, é mais digno do que o que não se vê após a saída do touro de praça - mas uma vez mais, a nossa hipocrisia leva-nos a fechar os olhos com uma viga enquanto apontamos para o cisco do vizinho.

 

Lembro-me de uma saída de touro numa praça pequena e desmontável para dentro do transporte onde já se encontravam se não estou em erro outros dois animais - o touro não se conseguia mexer, creio que tinha algum membro partido, os homens de cima da carrinha picavam o touro que ficava a meio da rampa recusando-se a entrar...quando digo picar estou a falar de varas com ferros na ponta que fazem uma bandarilha passar por alfinete...tanto picaram o animal que ele lá arranjou forças para conseguir subir os dois metros da rampa…"sobes ou não sobes grande cabrão" e os restantes riram-se a caminho de irem buscar mais um monte de carne viva para carregar... isto não é cruel!?!?

 

É o quê então?

 

Sei que tudo isto se assimilou na nossa cultura e descaradamente passou por debaixo do inexistente radar da moral e se passou a denominar de tradição - mas terão que arranjar um argumento melhor para continuar a montar um circo baseado no divertimento de muitos com o sacrifício de um boi, chamem-lhe toiro as vezes que quiserem, é um animal ruminante, um mamífero, um ser vivo e não, não foi certamente criado para isto.»

 

Fonte:

https://www.facebook.com/MonsantoACavalo/photos/a.298789390232383.65666.298771186900870/827582994019684/?type=3&theater

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 18:51

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Sexta-feira, 11 de Setembro de 2015

MORREU A “FESTA” EM PORTALEGRE?

 

 

BRAVO!

E em Portalegre não se passa só isto... Há mais... mas eles não dizem... A tauromaquia por aqueles lados está a ser ESMAGADA!

Este é apenas o princípio do triste fim que terá a festa parva…

 

photomica_com[1].jpg

 A crónica diz: «Não há corrida de touros em Portalegre».

 

Aquela que se realizava sempre por ocasião da Feira das Cebolas, que deveria decorrer no próximo fim-de-semana e não vai acontecer…

 

Não, não fica a aguardar melhores dias, porque os dias das touradas estão contados.

 

E também não, não é triste a sina da arena de Portalegre que se estiver activa só diz do atraso civilizacional da localidade.

 

Assim, sem a função de torturar touros, quem sabe, se Portalegre não se eleva a uma cidade ao nível europeu?

 

Não seria mais civilizado?

 

O escândalo maior é torturar seres vivos indefesos para divertir sádicos.

 

E não é preciso muitos estudos para se saber que um sádico é aquele que sente prazer com o sofrimento de um animal, quer seja humano ou não humano.

 

Os empresários da tortura hoje são apupados pela Cultura Crítica dos que evoluíram. Não se sentirão diminuídos?

 

E a normalidade não é torturar bovinos. A normalidade é assistir aos festivais de música que agregam milhares de jovens, e as touradas nem as moscas as vão ver… Apenas uns poucos que já nasceram velhos e assim continuarão até á morte, porque se recusam a evoluir.

 

Pois… quando se afirma que a “festa” a que os pró-touradas chamam “brava”, mas que na realidade não passa de uma festa parva vai morrer é verdade… é a mais pura verdade, por culpa daqueles que andam no seu seio, também é verdade, porque tal actividade é tão ridícula, tão ridícula, com aquelas bailarinas de meias cor-de-rosa a pavonearem-se e a exibirem os “frutos da horta” (por ser a única maneira de chamarem a atenção para a virilidade que lhes falta), E em verdade, em verdade é um triste espectáculo que já não tem cabimento nos tempos modernos.

 

Pois é!

 

Sem a tortura de touros, na Feira das Cebolas, a arena de tortura de Portalegre eloeva-se, e na realidade é o que é: "mal-amada", ou o "patinho feio" da festa parva que ali se realizava, e está em extinção.

 

Que um raio parta o recinto e o reduza a escombros. Não faz falta nenhuma a Portalegre, pelo contrário, sem aquele mamarracho do tempo das trevas, a cidade ficaria mais limpa e arejada.

 

A velhinha "José Elias Martins" (pobre coitado que tem o nome ligado a tal calamidade) merece, sim, este tipo de desconsideração, este tipo de desprezo, porque o único sentimento que a tauromaquia inspira em todo o mundo civilizado é esse mesmo: o desprezo, e uma imensurável repulsa, pelo tipo de actos cruéis e sanguinários que lá se praticam.

 

Na opinião do articulista, «trata-se de um escândalo que deveria envergonhar quem anda na “festa”», mas não. Não deviam envergonhar-se. Deviam agradecer às forças cósmicas que estão a laborar para que esta nódoa que mancha Portugal vá para o diabo que a carregue.

 

Onde é que isto já se viu?

 

Está a ver-se em Portalegre, onde estão a acontecer coisas bastante importantes no sentido da abolição da selvajaria tauromáquica.

 

A arena de tortura de uma capital de distrito encerrada na sua data mais importante?

 

Esta é a melhor notícia para o povo da terra, que deste modo, pode sair das trevas e ver a luz.

 

Pois até podem lá viver as maiores figuras do toureio e ganadeiros, que isso só desprestigia Portalegre.

 

Se lá vivessem pessoas como Gandhi, como Leonardo DiCaprio. como Sting, enfim… HOMENS que lutam por ideais nobres, Portalegre não estaria no mapa das cidadezinhas foleiras.

 

«Onde é que já se viu uma praça deste género encerrada, quando a sua região conta com uma forte percentagem de grupos de forcados, para não falar dos forcados que são naturais daquela região, mas que vestem a jaqueta de outros grupos para lá das fronteiras do distrito de Portalegre?», questiona o cronista.

 

Pois é! Onde é que já se viu? Não se viu em lado nenhuma a não ser ali. E todos esses indivíduos só desprestigiam Portalegre. Deviam emigrar, de preferência para uma ilha deserta, para que Portalegre possa respirar civilização.

 

E o cronista insiste: já imaginaram as “festas” do barrete verde de Alcochete sem selvajaria tauromáquica?

 

Sim, claro, todas as pessoas evoluídas imaginam uma festa de barretes verdes sem tortura de animais indefesos. Isso é bastante fácil de imaginar. É da civilização.

 

Portalegre não está a viver nenhum pesadelo.

 

Portalegre está a evoluir. E que assim continue, para que possa granjear uma Estrela de Ouro.

 

Portalegre merecia mais respeito, merecia mais consideração?

 

Pois claro que merecia.

 

A selvajaria tauromáquica retira-lhe todo o respeito e consideração.

 

Pode ser que com o fim dessa actividade primitiva e obscura a cidade possa merecer respeito.

 

E o cronista, muito indignado, questiona: «A praça de Portalegre, a arena dos grandes êxitos dos Mouras, dos Caetanos e dos Bastinhas... encerrada

 

E os Mouras, os Caetanos e os Bastinhas lá dão prestígio a alguma coisa? Vivem à custa dos impostos dos portugueses, torturam seres vivos para os sádicos se divertirem, e isso é lá coisa de gente civilizada?

 

Triste fado... triste fim…?

 

Sim, senhor Hugo Teixeira.

 

É o que merece a actividade que lucra com a tortura de seres vivospara divertir sádicos: um triste e rotundo fim.

 

Fonte:

http://farpasblogue.blogspot.pt/2015/09/hugo-teixeira-morreu-festa-em-portalegre.html

(Congratulo-me com o Farpas Blog por não ter aderido ao aborto ortográfico 1990)

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 19:49

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Quinta-feira, 13 de Fevereiro de 2014

ESTÁ QUASE! ELES JÁ PAGAM PARA TOUREAR…

 

Pedrito de Portugal preparava-se para matar mais uns bovinos ao som de olés numa “famosa” tourada em Espanha.

 

Propôs pagar ele os animais, e comprar os bilhetes que ninguém comprasse. Uns quantos aficionados portugueses, iriam daqui em excursão para ajudar a encher a praça!

 

Mas a proposta de Pedrito foi recusada! Talvez outros toureiros tenham apresentado propostas melhores...

 

No Facebook de Pedrito de Portugal, pode ler-se: “Enfin, asi va la fiesta de los toros, y pienso que, si sigue asi, estará mas cerca de acabar, que el muro de berlin cayó en su dia”.

Fontes:

  Foto e informação sobre a compra dos touros e bilhetes por Pedrito:

http://farpasblogue.blogspot.pt/2014/02/manager-destapa-pedrito-revelando-que.html

 

  Afirmações de Pedrito:  

https://www.facebook.com/permalink.php?story_fbid=806051616076264&id=111355762212523&stream_ref=10]

 

Post

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=712470665453166&set=a.215152191851685.58389.215151238518447&type=1&theater

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 14:26

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Segunda-feira, 28 de Outubro de 2013

EM RODILHAN (SUL DE FRANÇA) MANIFESTANTES PACÍFICOS BRUTALMENTE ESPANCADOS QUANDO PROTESTAVAM CONTRA A TORTURA DE SERES INDEFESOS NESTA PRAÇA SEM PÚBLICO

 

UMA VERGONHA PARA A FRANÇA OBSCURANTISTA

 

 

 

A tourada está morta em todo o mundo . Mas os tauricidas insistem, e os governos são cegos, e os polícias são brutos…

Isto é o prenúncio do fim de uma era   

VER FOTOS DO ESPANCAMENTO NESTE LINK

http://www.elnuevoherald.com/2013/10/27/1600774/protesta-contra-las-corridas-de.html

 

***

MAIS NOTÍCIAS NESTE LINK:

 

http://protouro.wordpress.com/2013/10/28/violencia-policial-contra-manifestacao-anti-touradas-em-rodilhan-franca/

 

***

 O VÍDEO DA VERGONHA 

 
publicado por Isabel A. Ferreira às 18:32

link do post | Comentar | Ver comentários (9) | Adicionar aos favoritos
Quinta-feira, 26 de Setembro de 2013

CORRIDAS DE TOUROS EXPLICADAS DESDE O ALÉM…

 

Leiam esta, porque esta é mesmo demência pura, crua e dura…

 

«Era o que faltava: no debate relacionado com a tauromaquia, agora entra o argumento espírita da reencarnação (e do prazer sexual).

 

Quem diz ter sido touro numa vida passada, é agora uma aficionada que claramente padece das suas faculdades mentais

 
 
 

Teresa Rubio Lozana diz (no Facebook): «Enganas-te ao dizer que o touro sofre nas touradas, é precisamente o contrário, ele desfruta de uma forma semelhante a um orgasmo contínuo num ser humano. Digo-te isto, por experiência, pois já reencarnei várias vezes num touro bravo, e fiquei com a recordação dessa grata experiência de morrer de prazer numa praça

 

Isto é ou não é demência?

 

A tauromaquia é como uma droga alucinatória, que se entranha nas veias dos aficionados e catapulta-os para um mundo de delírios que abeiram a insanidade.

 

Ou será  álcool a mais?

 

O grande problema dos tauro-aficionados é uma mal resolvida vida sexual. Por isso, tudo o que fazem e dizem anda à volta disso... 

 

 Fonte:

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=661916990499834&set=a.207652535926284.54329.207575415933996&type=1&theater

 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 09:32

link do post | Comentar | Ver comentários (2) | Adicionar aos favoritos

Mais sobre mim

Pesquisar neste blog

 

Abril 2021

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
13
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

Posts recentes

QUANDO SE NASCE NO MEIO T...

MORREU A “FESTA” EM PORTA...

ESTÁ QUASE! ELES JÁ PAGAM...

EM RODILHAN (SUL DE FRANÇ...

CORRIDAS DE TOUROS EXPLIC...

Arquivos

Abril 2021

Março 2021

Fevereiro 2021

Janeiro 2021

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Direitos

© Todos os direitos reservados Os textos publicados neste blogue têm © A autora agradece a todos os que os divulgarem que indiquem, por favor, a fonte e os links dos mesmos. Obrigada.
RSS

Acordo Ortográfico

Em defesa da Língua Portuguesa, a autora deste Blogue não adopta o Acordo Ortográfico de 1990, devido a este ser inconstitucional, linguisticamente inconsistente, estruturalmente incongruente, para além de, comprovadamente, ser causa de uma crescente e perniciosa iliteracia em publicações oficiais e privadas, nas escolas, nos órgãos de comunicação social, na população em geral, e por estar a criar uma geração de analfabetos escolarizados e funcionais.

Comentários

Este Blogue aceita comentários de todas as pessoas, e os comentários serão publicados desde que seja claro que a pessoa que comentou interpretou correctamente o conteúdo da publicação. Serão eliminados os comentários que contenham linguagem ordinária e insultos, ou de conteúdo racista e xenófobo. Em resumo: comente com educação, atendendo ao conteúdo da publicação, para que o seu comentário seja mantido.

Contacto

isabelferreira@net.sapo.pt