Sexta-feira, 5 de Julho de 2019

EM PORTUGAL: «AFINAL OS GALGOS NÃO SÃO CÃES!»

 

Apesar dos incontáveis apelos que se fizeram, o Parlamento português rejeitou, hoje, os dois projectos do PAN e do BE que pretendiam proibir as corridas de cães, especialmente de Galgos, em Portugal.

Os diplomas foram rejeitados com votos contra do PS, do PSD, do PCP e do CDS-PP. A favor votaram, além do PAN e do Bloco de Esquerda, o Partido Os Verdes e 12 deputados, a maioria da bancada socialista.

 

Prova-se, uma vez mais, que o Parlamento português está cheio de mofo. Cheira mal. Precisa de ser arejado. Esperemos que nas próximas eleições esse arejo aconteça.

Portugal merece coisa melhor. Merece governantes mais racionais, mais humanos, mais sensíveis, mais responsáveis, mais civilizados, mais evoluídos. Menos servis a grupos económicos de baixo nível moral e cultural.

 

Deixo-vos com o excelente texto de Teresa Botelho, no seu Blogue «Retalhos de Outono», fazendo minhas todas aas suas palavras.

 

jaen-galga-abandonada-kgEG-U70489010561tfE-624x385

O Parlamento português acaba de condenar os Galgos a este miserável destino.

Origem da imagem:

https://www.ideal.es/jaen/jaen/mundial-galgo-animal-20190201123146-nt.html

 

Texto de Teresa Botelho

 

«Afinal os galgos não são cães»

 

«Conseguiu-se finalmente em Portugal, uma legislação que defende alguns animais e permite que se explorem outros, porque pelos vistos, tal como acontece com o povo desta terra, nem todos merecem ser bem tratados!

 

"O cão é o melhor amigo do homem", mas não é assim que pensam alguns deputados da nossa Assembleia e por incrível que pareça, são sempre os mesmos carrascos insensíveis, cujos interesses pessoais se sobrepõem às leis e à visão honesta de certas situações condenáveis, sujas e mais que evidentes.

 

Sempre me pareceu que um Galgo era um cão com necessidades semelhantes a qualquer outro, cuja constituição física tem limites, mas cujo abuso da sua resistência, lhes limita a saúde, o bem-estar e a própria vida.

 

Quando um cão é abusado pelo seu detentor, chama-se a polícia, coisa que nesta terra de impunidades pouco resolve na maior parte dos casos, mas para certas classes altas, amigas do poder e cujas responsabilidades se perderam no lodo da corrupção e do compadrio, os Galgos não são cães, mas sim objectos úteis à especulação das apostas ilegais e dos interesses de minorias abastadas, interesseiras e das já bem conhecidas e frequentes trocas de favores.

 

No secretismo dos "clubes" de caça que agora também viram o proveitoso furo de treinarem cães para corridas, vale tudo, mas se os ditos "atletas", não cumprirem os objectivos, não aguentando os choques eléctricos, drogas e todas as "técnicas" desumanas de que são alvos, deixam de prestar e tornam-se pouco rentáveis, tal como acontece aos mais "incompetentes" das matilhas de caça que por aí se vão encontrando mortos, ou espalhados a monte por terras de ninguém.

 

Assim funcionam os "representantes" de um povo amorfo, analfabeto e alheio a tudo o que não sejam os seus umbigos, mas que ao contrário dos cães, faz gosto nos treinos a que o sujeitam!

 

Assim se compôs, com a colaboração deste povo cego e domesticado, a tal Casa da "Democracia" que há muito exige reforma e assim perduram e sobrevivem os dinossauros que dão lustro a certas bancadas, espoliando os nossos já parcos recursos e enxovalhando descaradamente, toda uma nação!

 

Fonte:

https://retalhosdeoutono.blogspot.com/

 

***

FIM DAS CORRIDAS DE GALGOS - REJEITADO

Fonte:

https://www.facebook.com/PANpartido/photos/a.920439104683852/2409375119123569/?type=3&theater

 

65763378_2409375132456901_8122951645538549760_n.jp

 


Contra – PCP, PSD, CDS e PS (menos 12 deputados que votaram a favor)

Apesar do reconhecimento de um novo estatuto para os animais, que pretendeu robustecer a protecção e bem-estar destes seres sencientes, a maioria dos partidos fecham os olhos à brutalidade desta actividade, que não tem tradição em Portugal, com motivações puramente económicas e de entretenimento.

Sim, queríamos que acabasse este vergonhoso e cruel processo de selecção, manutenção, treino e destino dos galgos usados na competição profissional.

Diploma a diploma, a máscara vai caindo aos partidos que pretendem ter uma agenda de protecção animal. Não por sensibilidade, não por equidade, não por bondade, mas apenas para ganhar mais uns votos.

Consulta aqui o nosso Projecto de Lei:

https://www.parlamento.pt/ActividadeParlamentar/Paginas/DetalheIniciativa.aspx?BID=43361
 

publicado por Isabel A. Ferreira às 14:12

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Quarta-feira, 3 de Julho de 2019

PROJECTO PAN – PELO FIM DAS CORRIDAS DE GALGOS EM PORTUGAL, VOTADO ESTA SEXTA-FEIRA

 
A ver vamos como se comportam os deputados da Nação!

Sabemos que o PS, PSD, PCP e CDS/PP não consideram os Touros e os Cavalos  animais, mas consideram que os Cães e os Gatos são animais.

 A ver vamos se consideram que os GALGOS não são CÃES!
 

Os portugueses sabem que para o PS, o PSD, o PCP e CDS/PP o bem-estar animal não tem lugar no Parlamento. Talvez por isso, e cada vez mais, esses partidos sejam candidatos a também não terem lugar no Parlamento.  Algo que será contabilizado, e tido em conta, nas próximas eleições.

 

A ver vamos se os Galgos são ou não são CÃES, para os deputados dos partidos referidos!

 

Galgos.jpg

Indústria das corridas de galgos continua a matar milhares de animais

Origem da foto, onde pode ler-se um texto sobre a maldição que caiu sobre estes nobres cães:

https://www.doglink.pt/noticias/industria-das-corridas-de-galgos-continua-a-matar-milhares-de-animais

 

 Intervenção de André Silva

 

«Apesar do reconhecimento de um novo estatuto para os animais em geral, e de protecção penal para os cães em particular, tem-se verificado que continuam a aparecer actividades, como a corrida de galgos, com motivações puramente lucrativas, que perpetuam a exploração dos animais, que os sujeitam a treinos particularmente difíceis, que sujeitam ao abandono e a condições de vida indignas.

 

Os animais são sujeitos a treinos violentos, doping e são utilizadas coleiras electrificadas. Também é comum o recurso a esteróides para que se verifique aumento de massa muscular e mais energia durante as corridas.


Quando o "espectáculo" acaba, os animais que já não suportam mais as corridas ou não são suficientemente bons devido às mazelas provocadas pelas brutalidades da actividade, são muitas vezes abandonados ou mortos.

 

E nesta actividade, nem sequer têm a desculpa esfarrapada da tradição.

 

"A tendência mundial é, portanto, para se ir proibindo este tipo de actividades. Tendência essa a que Portugal não deve ficar alheio, especialmente porque esta nem sequer é uma actividade que se diga fortemente implementada em Portugal nem tão pouco que seja uma actividade tradicional", defende André Silva.

 

O diploma do PAN que determina a proibição das corridas de cães mais conhecidas por corridas de galgos, será votado esta sexta-feira.

 

O diploma pode ser consultado aqui: https://bit.ly/325zUkC

 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 16:02

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Terça-feira, 2 de Julho de 2019

CAÇADORES FURTIVOS ESPANHÓIS SENTAM-SE NO BANCO DOS RÉUS

 

Para quando o mesmo em Portugal?

Cá dão-lhes uma medalha e convidam-nos para deputados, como alerta, e muito bem, a minha amiga Teresa Botelho.

O Partido Animalista PACMA conseguiu sentar no banco dos réus os caçadores furtivos de Palencia, denunciados junto ao FAPAS, há um ano (hemos conseguido sentar en el banquillo de los acusados a los cazadores furtivos de Palencia)

 

CAÇA.png

 

O Partido Animalista PACMA conseguiu sentar no banco dos réus os caçadores furtivos de Palencia, denunciados junto ao FAPAS, há um ano (hemos conseguido sentar en el banquillo de los acusados a los cazadores furtivos de Palencia )

 

Estes caçadores dedicavam-se a caçar javalis, lobos e até ursos pardos ilegalmente, no Parque Natural de Fuente Carrionas e Fuente Cobre (Palencia).

 

Graças a umas imagens gravadas pelos membros do Fundo para a Conservação dos Animais Selvagens (FAPAS) pôde-se demonstrar que grupos organizados de caçadores dedicavam-se a massacrar lobos e javalis, utilizando cães para os destroçar (se dedicaban a masacrar lobos y jabalís, utilizando perros para destrozarlos).

 

A perseverança do PACMA para acabar com a caça não abranda. Com este novo marco, conseguiram que um tribunal analise o atentado contra a fauna, cometido por caçadores furtivos, que todos esperamos sejam condenados.

 

Mas, acima de tudo, trata-se de mais um passo em frente para que o PACMA consiga a proibição legal da caça.

 

Aguardemos o resultado deste julgamento, que se realizará dentro de alguns meses. Enquanto isso, o PACMA continuará a trabalhar todos os dias, em todos os lugares, para defender os animais.

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 16:31

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Segunda-feira, 24 de Junho de 2019

PAN INCENTIVA À SEPARAÇÃO DE RESÍDUOS EM LISBOA

 

A oferta de ecopontos domésticos à população residente em Lisboa é uma das medidas propostas pelo Grupo Municipal do PAN

 

COLECTA.png

 

O Grupo Municipal do PAN apresentou na Assembleia Municipal de Lisboa, uma recomendação por um incentivo a uma maior separação selectiva de resíduos urbanos na cidade.

 

De acordo com esta proposta, que propõe a distribuição gratuita de ecopontos domésticos à população residente, para além da recolha porta-a-porta de resíduos indiferenciados e recicláveis que já existe em algumas zonas da cidade, devem ser criadas condições para que as pessoas façam a adequada separação dos resíduos dentro das suas casas, o que nem sempre acontece, por falta de equipamentos, de espaço, de conhecimento ou de tempo.

 

Acreditamos que a Economia Circular é possível e estamos cientes de que é preciso apostar sobretudo no “R” da Redução, pois só assim Portugal irá atingir a neutralidade carbónica até 2050, conforme assumiu. Porém, há outros passos e outras medidas igualmente importantes, nomeadamente perceber os resíduos como recursos e sensibilizar a população para a importância da sua separação e reaproveitamento”, afirma a deputada municipal, Inês de Sousa Real.

 

Esta recomendação visa, assim, aumentar as campanhas de sensibilização da população para a importância da separação dos resíduos e para a reciclagem, bem como sobre o concento de Economia Circular, promover a oferta de ecopontos domésticos à população do concelho de Lisboa e, por fim, aumentar o número de ecopontos ou escolhas junto a jardins, parques urbanos e parques de merendas, como por exemplo nas zonas de merendas do Parque Florestal de Monsanto.

 

De acordo com as directivas aprovadas pela Comissão Europeia para aumentar os níveis de reciclagem e reduzir a deposição em aterros, 65% das embalagens terão de ser recicladas até 2025 (papel, plástico, vidro, metais e madeira) e a quantidade de resíduos urbanos depositados em aterros não poderá ultrapassar os 10% em 2035, sendo que em Portugal esse valor atinge ainda os 29%.

 

Paralelamente, a separação selectiva sofre de alguns problemas, como a fraca adesão da população, separação incorrecta, deposição indevida das embalagens e dos resíduos ou presença de contaminantes nos equipamentos de deposição.

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 14:47

link do post | Comentar | Ver comentários (2) | Adicionar aos favoritos
Domingo, 23 de Junho de 2019

PARLAMENTO DISCUTE PROIBIÇÃO DE CORRIDAS DE CÃES NO PRÓXIMO DIA 2 DE JULHO

 

A Assembleia da República vai discutir, no dia 2 de Julho, dois projectos de lei apresentados pelo Bloco de Esquerda e pelo PAN  (Pessoas-Animai- Natureza), com o objectivo de proibir as corridas de cães, prevendo pena de prisão e multa para quem o fizer.

 

galgos.jpg

É assim que acabam os Galgos depois de não servirem  mais para corridas. Imagem: Internet

 

O projecto do deputado único do partido Pessoas-Animais-Natureza (PAN) quer proibir as corridas de cães “em todo o território nacional, independentemente da sua raça” e prevê sanções para quem promova, divulgue, venda ingressos, forneça instalações, preste auxílio material ou “qualquer outra actividade dirigida à sua realização”.

 

Quem o fizer, poderá ser “punido com pena de prisão até dois anos ou com pena de multa” e quem “participar, por qualquer forma, com animais em corridas é punido com pena de prisão até um ano ou com pena de multa”, refere o texto que será debatido no dia 02 de Julho, e que acrescenta que também as tentativas de levar a cabo um evento destes são puníveis.

 

No texto, André Silva salienta que “a dignidade dos animais não humanos, designadamente do seu direito à vida e à integridade física, psicológica e mental, constitui um facto incontestável e tem vindo a ser reconhecida de forma transversal na sociedade” e que esse reconhecimento “implica a criação de um quadro jurídico adaptado às suas especificidades e, em particular, à necessidade de medidas vocacionadas para a sua protecção”.

 

“Apesar do reconhecimento deste novo estatuto para os animais em geral, e de protecção penal para os cães em particular, tem-se verificado que continuam a aparecer ou a persistir actividades, como a corrida de galgos, que perpetuam a exploração dos animais, que os sujeitam a treinos particularmente difíceis, que sujeitam ao abandono e a condições de vida indignas”, acrescenta.

 

O PAN explica que estes eventos costumam ter um isco vivo, como por exemplo, lebres e os incluem a administração de ‘doping’ aos cães, com “substâncias como efedrina, arsénico, estricnina e, às vezes, cocaína”, podendo levar ao abandono ou morte dos animais.

 

O partido refere também que as corridas de cães ainda são práticas “em 28 países em todo o mundo”, existindo pistas profissionais e pistas amadoras, como é o caso de Portugal, e que a tendência mundial é “para se ir proibindo este tipo de actividades”.

 

Na óptica de André Silva, essa é uma tendência à qual “Portugal não deve ficar alheio, especialmente porque esta nem sequer é uma actividade que se diga fortemente implementada em Portugal nem tão pouco que seja uma actividade tradicional”.

 

Também o BE lembra que as corridas de galgos “existem em vários países”, envolvem inclusivamente apostas, e são acompanhadas de “treinos violentos”.

 

“Em vários casos, as corridas de galgos decorrem sem qualquer licença e sem as mínimas estruturas de apoio à assistência e aos animais”, aponta o partido.

 

Por isso, os bloquistas querem “proibir as corridas de galgos e outros cães”, considerando “que são necessárias políticas de protecção do bem-estar animal, para garantir a não promoção de apostas ilegais, para a limitação de actividades que ligadas abandono animal decorrente de lesões e desadequação às corridas e dado que as corridas decorrem sem qualquer enquadramento, nomeadamente de protecção dos animais”.

 

Apesar de proibir “a realização de corridas de galgos e outros cães”, o projecto de Lei do Bloco de Esquerda não antecipa punições para quem o fizer, ao contrário do documento do PAN.

 

No dia 02 será também apreciada uma petição, que reuniu mais de 4.500 assinaturas, e que pede ao parlamento a “criação de legislação para proibir as corridas de galgos em Portugal”.

 

Fonte:

https://blogcontraatauromaquia.wordpress.com/2019/06/23/parlamento-discute-proibicao-de-corridas-de-caes-a-2-de-julho/

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 14:10

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Sábado, 22 de Junho de 2019

PONTE DE LIMA: ÚLTIMO REDUTO DA BARBÁRIE TAUROMÁQUICA, NO NORTE DE PORTUGAL

 

Ponte de Lima é uma vila portuguesa, situada no Norte de Portugal, a qual ficou parada no ano de 1646. Não evoluiu absolutamente nada, civilizacionalmente, e nem dignifica a Humanidade, Portugal  e a igreja católica portuguesa.

 Uma vila a boicotar. Obviamente.

 

 

A INFAME VACA DAS CORDAS

 

No passado dia 19 de Junho, este belo Touro, de 450 quilos, serviu de divertimento à população troglodita de Ponte de Lima e os “turistas" trogloditas de sempre, sempre os mesmos, que vão àquela localidade em excursões pagas pelas autarquias também trogloditas.

 

O Touro veio de uma ganadaria de Montalegre, onde viveu poucos anos - no máximo quatro - quando podia ter vivido 20 anos.

 

As ganadarias não são um paraíso para os Touros. Até podem estar nos campos a pastar tranquilamente, mas não livremente, porque são criados unicamente para serem entregues à tortura que os leva a uma morte lenta, para que bandos de cobardes sádicos e psicopatas possam divertir-se e sentirem-se machos à custa do sofrimento de um animal inofensivo, indefeso e inocente, numa prática cruel a que chamam de “festividade”, nas ruas e touradas de praça. Os desventurados Touros são traídos por quem “cuida” deles não com afecto, mas com um interesse repugnante, assente num negócio obscuro, que envolve muito dinheiro, o que torna esta prática numa coisa ainda mais asquerosa.

 

O divertimento humano não se pode sobrepor à vida e ao bem-estar animal!

 

Neste vídeo, podemos ver a chegada do Touro, já amarrado a cordas, num visível estado de pânico, tentando, sem êxito, libertar-se dos seus carrascos. Depois foi arrastado pelas ruas de Ponte de Lima por bandos de trogloditas alcoolizados, e passou sede, sentiu medo e esteve sempre em pânico, tendo sido obrigado a dar três voltas à igreja onde o regaram com vinho, algo que nunca falta nestas práticas diabólicas.

 

Depois de várias horas em que os trogloditas andaram a babar-se e a mostrar toda a invirilidade que os caracteriza, foi abatido no dia seguinte, 20 de Junho, e vendido a um talho para ser comido como se de um troféu se tratasse, e não porque a população estava faminta.

 

Esta prática medievalesca, a que teimam em chamar “tradição”, é absolutamente fóssil e cruel e sádica, numa época em que existem várias alternativas SAUDÁVEIS e CIVILIZADAS, para as populações destas terrinhas mais atrasadas se divertirem, sem ser à custa do sofrimento de um animal senciente.

 

A origem desta prática cruel remonta a 1646, véspera da “festa católica” do Corpo de Deus, algo que devia ser considerado blasfémia, por se tratar de uma acção diabólica, em que os ditos “humanos” se transformam em verdadeiros demónios, e atacam desalmadamente, cobardemente um ser indefeso, amarrado a cordas, sem a mínima possibilidade de fuga, para se “divertirem” como broncos que são. Alogo que mete ASCO.

 

Esta prática tem origem numa lenda local que refere que a Igreja Matriz (por que é que estas práticas bárbaras estão sempre ligadas à IGREJA CATÓLICA?) da primitiva vila (que continua tão primitiva como em 1646) era um templo pagão (e continua a ser, porque cristão não é), onde se venerava uma deusa sob a forma de uma vaca. Quando o templo pagão foi transformado em igreja, pelos "cristãos", a imagem bovina da deusa foi retirada do nicho onde era venerada e, presa por cordas, foi arrastada pelas ruas da vila, até serem completadas três voltas ao templo, sendo depois arrastada pelas ruas da povoação com "aprazimento" de todos os habitantes. E a partir de então, os limianos acharam por bem manter a prática, e substituíram a IMAGEM por um animal VIVO.

 

A partir de então, a igreja católica decide manter esta prática medievalesca (existem práticas MEDIEVAIS dignas de serem ainda realizadas sem agredir a sensibilidade dos seres humanos), ligada a um ser vivo, o Touro ou uma Vaca, amarrados a cordas e arrastados pelas ruas, por um bando de bêbados.

 

Estamos em 2019 depois de Cristo, e nada justifica dar continuidade a uma prática troglodita e cruel, porque o dinheiro que aqui está em causa, é um dinheiro SUJO, que SUJA as celebrações de um CORPO que NÃO É de Deus, mas do DIABO.

 

Portanto, BASTA desta NÓDOA NEGRA a SUJAR a igreja católica e a dignidade humana, e basta de denegrir a imagem de Portugal no mundo.

 

DIZ NÃO À VACA DAS CORDAS

 

Assina e partilha a petição, pela dignidade dos animais:

 https://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=PT89816

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 15:18

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Sexta-feira, 21 de Junho de 2019

PORTUGUESES, PONHAM OS OLHOS EM HONG KONG E SAIAM ÀS RUAS

 

 

Milhões de pessoas saíram às ruas em protesto contra a lei da extradição. E Hong Kong tem cerca de 7,5 milhões de pessoas. Portugal tem cerca de 10 milhões. O que se passa com os Portugueses?

Precisamos de mudar Portugal. Precisamos de protestar. Exigir mudanças radicais. Precisamos de entupir as ruas.

A minha amiga Idalete Giga faz, a seguir,  uma grande análise sobre esta inércia dos portugueses, a qual subscrevo, em absoluto. E o pior é que os "poderosos" assentam todo o seu poder nessa inércia. (Isabel A. Ferreira)

ACORDEM!

 

880x495_282810.jpg

Foto: Internet

 

«O povo português, em geral, gosta é de futebol e merdas de programas idiotas em praticamente todos os canais de televisão, incluindo os públicos que andamos a pagar a peso de ouro. ganha isto, ganha aquilo, ganha aqueloutro. É só apelar ao ter, ter, ter e não há um único programa televisivo que apele ao SER - ser honesto, ser verdadeiro, ser competente, ser respeitador, ser amigo do seu amigo, ser HUMANO!!!!! O povo português está completamente ALIENADO, ESTUPIDIFICADO(!). O povo português, em geral, é escravo da OLIGARQUIA PULHÍTICA que se traveste de democracia todos os dias(!). O povo português não percebe que estamos a criar uma sociedade de MONSTROS que continuarão a desgovernar Portugal até à sua destruição total. Os senhores bilderberguianos só dão valor aos cifrões. Nunca houve, na História de Portugal, tanta escravatura(!!!!) A escravatura do século XXI é sofisticadíssima (!!!!!!) (Idalete Giga)

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 16:51

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos (1)
Terça-feira, 11 de Junho de 2019

DISCURSO DE JOÃO MIGUEL TAVARES NO DIA 10 DE JUNHO 2019

 

Muito bom, João Miguel Tavares. Não esperava outro discurso vindo de quem vem. Portugal precisa de mais gente como o Miguel, que esteja atenta e não tenha medo de falar, para que os governantes ouçam e saibam e apreendam que nem todos, no país, andam a dormir.

 

 

Os discursos que  João Miguel Tavares proferiu nas celebrações do Dia 10 de Junho não agradaram às hostes políticas.

 

Porém, nos tempos que correm, onde a Partidocracia domina, e a Democracia é uma falácia, o João disse umas boas verdades, que incomodaram os que nada fizeram e os que nada continuam a fazer para cumprir a Revolução de Abril.

 

Não podemos, nem devemos regressar ao passado, ao antes do 25 de Abril. Obviamente. Não devemos.


Mas também não podemos, nem devemos viver eternamente neste caos, que actualmente está instalado em Portugal. Não há uma Cultura Política. A política não é exercida com ética, com dignidade, com verdade.


Precisamos de um vislumbre de FUTURO, e não o temos.


O João limitou-se a AGITAR as águas, demasiado estagnadas.

De vez em quando é preciso OUSAR. E ele OUSOU.

Por isso, merece o meu aplauso.

Isabel A. Ferreira

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 18:41

link do post | Comentar | Ver comentários (1) | Adicionar aos favoritos
Quinta-feira, 6 de Junho de 2019

EM PORTUGAL (BARRANCOS) DIVERTEM-SE A MATAR BOVINOS COM SUBSÍDIOS DO ESTADO (DE TODOS NÓS!)

 

Tanta preocupação com os Cães e Gatos, mas tanta CRUELDADE com os Bovinos e outros animais domésticos (porcos, galinhas, coelhos, perus, ovelhas, cabras etc.).

 

VAMOS TODOS REPUDIAR A VIOLÊNCIA E A CRUELDADE QUE ESTA IMAGEM REPRESENTA, E EXIGIR QUE ESTA BARBÁRIE TENHA UM FIM, PENALIZANDO OS PARTIDOS POLÍTICOS QUE A APOIAM.

 

61776126_10211586178490515_2077309276862283776_n.j

Fonte:

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10211586178450514&set=a.3422684266334&type=3&theater

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 14:43

link do post | Comentar | Ver comentários (10) | Adicionar aos favoritos
Quarta-feira, 5 de Junho de 2019

TODOS SOMOS POUCOS PARA FAZER PORTUGAL EVOLUIR ACABANDO COM A BARBÁRIE

 

Há nove anos isto era assim...

Hoje, isto ainda é assim, o que significa que Portugal NÃO AVANÇOU nem um milímetro! Continua parado no tempo e medievalescamente incivilizado.

Há que penalizar os partidos políticos que viabilizam a barbárie tauromáquica.

 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 17:55

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Mais sobre mim

Pesquisar neste blog

 

Julho 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Posts recentes

EM PORTUGAL: «AFINAL OS G...

PROJECTO PAN – PELO FIM D...

CAÇADORES FURTIVOS ESPANH...

PAN INCENTIVA À SEPARAÇÃ...

PARLAMENTO DISCUTE PROIBI...

PONTE DE LIMA: ÚLTIMO RED...

PORTUGUESES, PONHAM OS OL...

DISCURSO DE JOÃO MIGUEL T...

EM PORTUGAL (BARRANCOS) D...

TODOS SOMOS POUCOS PARA F...

Arquivos

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

DIREITOS

© Todos os direitos reservados Os textos publicados neste blogue têm © A autora agradece a todos os que os divulgarem que indiquem, por favor, a fonte e os links dos mesmos. Obrigada.
RSS

ACORDO ORTOGRÁFICO

Em defesa da Língua Portuguesa, a autora deste Blogue não adopta o Acordo Ortográfico de 1990, devido a este ser inconstitucional, linguisticamente inconsistente, estruturalmente incongruente, para além de, comprovadamente, ser causa de uma crescente e perniciosa iliteracia em publicações oficiais e privadas, nas escolas, nos órgãos de comunicação social, na população em geral, e por estar a criar uma geração de analfabetos escolarizados e funcionais.

COMENTÁRIOS

Este Blogue aceita comentários de todas as pessoas, e os comentários serão publicados desde que seja claro que a pessoa que comentou interpretou correctamente o conteúdo da publicação. Serão eliminados os comentários que contenham linguagem ordinária e insultos, ou de conteúdo racista e xenófobo. Em resumo: comente com educação, atendendo ao conteúdo da publicação, para que o seu comentário seja mantido.

CONTACTO

isabelferreira@net.sapo.pt