Segunda-feira, 10 de Outubro de 2016

A NOMEAÇÃO DE GUTERRES PARA A ONU ORGULHA PORTUGAL, E PORTUGAL ORGULHARÁ GUTERRES?

 

É o que vamos esmiuçar

 

AG-1[1] GUTERRES.jpg

 

Penso que serão poucos, aqueles que não se sentirão orgulhosos da nomeação de António Guterres, ocorrida no passado dia 6 de Outubro, para Secretário-geral da ONU (Organização das Nações Unidas).

 

Da direita à esquerda, a unanimidade, perante esta aclamação, parece-nos inequívoca.

 

António Guterres é dos poucos portugueses que passaram pela política sem nódoas negras a manchar-lhe o nome e a reputação.

 

Como Alto-comissário das Nações Unidas para os Refugiados reuniu consensos e prestigiou Portugal nas suas atitudes serenas e sensatas, ao contrário de outros portugueses que nos envergonham e arrastam o nome de Portugal pela lama…

 

A sua candidatura a Secretário-geral da ONU foi transparente e, apesar da pouca cristalina entrada de Kristalina Georgieva, já no final da “corrida” ao cargo, com pretensões menos claras, a aclamação de António Guterres foi absolutamente cristalina. Disso ninguém tem dúvidas.

 

Portugal intumesceu de tanto orgulho. Nunca um português chegou tão alto em cargos da governação do mundo.

 

Então, no mundo, quem não sabia, ficou a saber que António Guterres é oriundo de Portugal, um pequeno país europeu, situado na ponta mais ocidental da Península Ibérica.

 

Portugal é agora falado no mundo inteiro. Parece estar na berlinda. Na mó de cima.

 

Mas estará?

 

Os mais curiosos pretenderão saber que país é este, de onde é oriundo o novo Secretário-geral da ONU, uma organização que integra 193 estados-membros.

 

Que país será o país de Guterres?

 

É um país com um bom clima. Muito sol. É Lisboa. É o Porto. É o Algarve. É a Ilha da Madeira. As boas praias. Os passeios pelo Douro. Os bons vinhos. A boa gastronomia. Os excelentes e premiados hotéis. É a Arquitectura. O rio Tejo, onde aportam os maiores cruzeiros do mundo…

 

Mas isto é o Portugal dos turistas, que aqui vêm trazidos pela propaganda, pelo sol e pelo clima de tranquilidade que, por cá e por enquanto, ainda se vive, longe da mira dos terroristas.

 

E deste Portugal todos nós nos orgulhamos. Mas este Portugal representa apenas uma pequena parcela dos 92.090 km² do total do seu território.

 

Existe um outro Portugal. O Portugal das mentes mirradas, que se esconde dos turistas, para não parecer mal. Mas isto acontece em quase todos os países do mundo. Mesmo naqueles mais civilizados. Um turista é levado a ver apenas o que a propaganda quer que vejamos. Já me aconteceu a mim, em vários países. Sei como é. Mas como sou curiosa, não me fico pelo que me querem mostrar. Vou sempre muito mais além, Nem que vá às escondidas.

 

Deste Portugal das mentes mirradas, aposto que nem António Guterres, nem nenhum português que se preze de o ser, sente qualquer orgulho. Eu não sinto.

 

Vejamos:

 

Portugal é um país fragmentado. Venderam-no aos Brasileiros, aos Angolanos, aos Chineses, aos Espanhóis… e são estes povos que praticamente “mandam” no país.

 

Há ainda cerca de meio milhão de analfabetos em Portugal, segundo dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), com base no Censos de 2011. Não se aposta na Educação (e quando o Ministro desta tutela pede aos professores para não chumbarem os alunos, estará tudo dito), no Ensino, na Cultura Culta. Aos políticos convém manter o povo no banho-maria da ignorância para que ele seja mais facilmente manobrado.

 

Ainda um destes dias ouvi falar na geração Nem, Nem, aquela que nem estuda, nem trabalha, e só atrapalha a evolução do país. Mas interessará aos políticos fazer evoluir o País, acabando com esta geração Nem, Nem?

 

A desigualdade e a pobreza em Portugal são alarmantes. Portugal é dos países mais pobres e desiguais da OCDE. A pobreza aumentou para níveis do início do século. Existem ainda muitas crianças a passar fome em Portugal. A pobreza alastra-se como uma lepra. No entanto, a gastronomia portuguesa faz o deleite dos turistas.

 

O Sistema Nacional de Saúde é um caos. Faltam médicos. Faltam enfermeiros. Faltam condições nos hospitais públicos. Existem listas de espera para tudo. Ainda se morre sem a assistência adequada e atempada. 52,3% da população tem colesterol elevado; 36% sofre de hipertensão arterial; a obesidade atinge 28,7%; e a diabetes afecta cerca de 13% da população.

 

E agora pretendem taxar os produtos nocivos à saúde pública, para se angariar mais proventos para o Estado. Sim, porque em Portugal estão à venda, para consumo, produtos nocivos à saúde pública, e em vez de se suprimir esses produtos nocivos, taxam-se, porque há sempre alguém que os adquire e contribui para o aumento do colesterol, da hipertensão, da obesidade, da diabetes… e entope os hospitais públicos.

 

Da União Europeia, os Portugueses são dos cidadãos com menores taxas de participação em actividades culturais (cultas), segundo o relatório do Eurobarómetro. Esta miséria cultural em que Portugal está mergulhado deve-se à falta de investimento no sector, à débil aposta na Educação e ao baixo poder de compra dos portugueses, dizem vários especialistas e responsáveis por estas matérias.

 

Portugal é um país onde a corrupção existe ao mais alto nível e é generalizada entre os mais ricos e poderosos. Não existe corrupção entre os pobres e os não poderosos.

 

Legisla-se para se protegerem uns aos outros, e uma boa parte das leis não é cumprida, nem existe quem as faça cumprir. Impera uma camuflada ilegalidade em várias frentes. E a Justiça tem duas caras.

 

Não se cumpre a Constituição da República Portuguesa.

 

Não há uma política ambiental que proteja as florestas, os rios, os recursos e parques naturais, a fauna e a flora portuguesas.

 

A inexistência de políticas que elevem a Cultura, a Educação, a Moral e a Ética é gritante.

 

O que existe é uma política que promove, apoia e premeia, também ao mais alto nível, a mediocridade, a imbecilidade, a ignorância, a estupidez, a crueldade e a violência (que até estão legisladas).

 

Não existe uma política de protecção às crianças.

 

Existem doze escolas, financiadas com dinheiros públicos, onde se ensinam crianças a desenvolver instintos sádicos e psicopatas.

 

Um terço dos municípios portugueses vive ainda num patamar civilizacionalmente muito atrasado, medieval, primitivo, cujos governantes aprovam as mais hediondas crueldades contra animais não humanos, nos matadouros, na tauromaquia (em todas as suas impiedosas modalidades, e na qual se esbanjam milhares de euros do erário público), nas corridas de galgos e de cavalos, na luta de cães e de galos, no tiro aos pombos, nos circos que usam animais, em jardins zoológicos e zoo marines, na caça e pesca desportivas, nas batidas à raposa, na caça furtiva aos animais selvagens, nos festivais de matança de porcos ao vivo, na inacreditável queima de gatos, enfim… apenas alguns cães e alguns gatos gozam do estatuto de animais em Portugal. Todos os outros são apenas “coisas”.

 

E já dizia Mahatma Gandhi que o grau de civilização de um povo mede-se pelo modo como ele trata os seus animais. E neste aspecto Portugal está no grau Zero.

 

Nestas actividades cruéis está envolvida uma população inculta, encruada, bastante ignorante, desinstruída, analfabeta, mas também letrados mal formados e sem carácter, porque a boa formação e o bom carácter não se aprendem nas universidades.

 

E para culminar, Portugal, que é um dos mais antigos países da Europa, e que até há bem pouco tempo podia gabar-se de ter uma Língua culta e europeia, bem estruturada e das mais belas e ricas, lexicalmente falando, hoje, devido a uma desmedida e incompreensível cegueira mental, à incultura, à ignorância e a interesses económicos (entre outros) obscuros, anda por aí vulgarizada uma ortografia terceiro-mundista, cientificamente desestruturada, inútil, funesta, grotesca, inconstitucional, ilegal e inculta rejeitada por milhares de portugueses, cultos e menos cultos, a que continuam a chamar inadequadamente Português, que os políticos estão a tentar impingir aos Portugueses e ao mundo.

 

Ainda agora na China, António Costa, primeiro-ministro de Portugal, referiu a necessidade de difundir a nossa Língua, a 5ª mais falada no mundo e que até está difundida na Internet… esquecendo-se António Costa de que o que está difundida na Internet é a versão inculta e desenraizada de uma ortografia que envergonha Portugal, e nada tem a ver com o verdadeiro símbolo da Identidade Cultural Portuguesa.

 

A Língua Portuguesa não é um símbolo da Identidade do Brasil. O Brasil adoptou-a como língua oficial, mas não se identifica com ela, por isso, desenraizou-a, afastando-a das suas origens europeias. Mas os Portugueses não são obrigados a ceder a esta proposta indecente que é substituir a Língua Portuguesa pelo AO90.

 

Será com esta ortografia terceiro-mundista, (mal) engendrada no outro lado do Atlântico e que nada tem a ver com as raízes cultas das línguas europeias, que o novo Secretário-geral das Nações Unidas começará a comunicar-se com o mundo?

 

O Engenheiro António Guterres tem duas opções: ou rejeita liminarmente esta ortografia parva, que os governantes portugueses escrevem e querem impingir ao povo, e preserva a Identidade Cultural Portuguesa, a dignidade e a verticalidade com que até hoje regeu as suas atitudes, como figura pública, ou entra no jogo inquinado dos políticos, e mancha o seu nome e a sua reputação, arrastando o nome de Portugal pelo chão.

 

Pesando os prós e os contras, que aqui foram expostos, penso que o Engenheiro António Guterres não tem motivo algum para se orgulhar de Portugal, enquanto este panorama terceiro-mundista se mantiver.

 

E se quiser que Portugal mantenha o orgulho que nos deu a sua nomeação para Secretário-geral da ONU, António Guterres terá de fazer a opção certa, e talvez recomendar aos governantes portugueses que se dignem entrar no século XXI D.C. e abandonem o primitivismo em que ainda se encontram, e façam Portugal crescer como nação integrada numa Europa evoluída, que mantém as suas Línguas cultas e intactas, e que há muito deixou as práticas medievais que envergonharam um passado que já passou, avançando para o futuro.

 

Isabel A. Ferreira

 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 15:38

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Segunda-feira, 4 de Abril de 2016

ESTRELA DE FERRO PARA LOCALIDADES PORTUGUESAS COM SIGNIFICATIVO ATRASO CIVILIZACIONAL

 

Tendo em conta a densidade populacional do Norte do País, onde se encontram os municípios aos quais foi atribuída a Estrela de Ouro da Evolução, é fácil concluir onde está instalado o maior atraso civilizacional de Portugal

 

19416725_N92ie[1] FERRO E OURO.jpg

 

Eis os municípios portugueses que envergonham Portugal:

 

Abiul (Pombal), Alandroal, Albufeira, Alcácer do Sal, Alcochete, Aldeia da Ponte (Sabugal), Alfeizerão (Alcobaça), Almeirim, Alpalhão (Nisa), Alter do Chão, Amarante, Amareleja (Moura), Angra do Heroísmo, Arraiolos, Arronches Arruda dos Vinhos, Azambuja.

Baião, Barrancos, Barreiro, Beja, Benavente, Bencatel (Vila Viçosa), Bombarral, Benedita.

Caldas da Rainha, Calheta (Açores), Campo Maior, Cartaxo, Casével (Santarém) Castelo Branco, Cuba.

Elvas, Estarreja, Estremoz, Évora.

Figueira da Foz, Foz do Sisandro.

Garvão, Golegã.  

Idanha-a-Nova, Ilha Terceira.

Leiria, Lisboa.  

Messejana (Aljustrel), Moita, Monforte, Montemor-o-Novo, Montemor-o-Velho, Montijo, Moura, Mourão.

Nazaré, Nisa.

Óbidos, Odemira, Oliveira do Bairro.

Palmela, Pinhal Novo (Palmela), Pinhel, Pombal, Ponte de Lima, Portalegre, Portel, Póvoa de Varzim (que, entretanto, se declarou anti-tourada)

Redondo, Reguengos de Monsaraz, Rio Maior.

Sabugal, Salvaterra de Magos, Samora Correia (Benavente), Santana da Serra, Santarém, São João da Pesqueira, São Manços, São Marcos do Campo, Serpa, Setúbal, Sobral de Monte Agraço, Sousel.

Tomar.    

Viana do Alentejo, Vila Franca de Xira, Vila Nova da Barquinha, Vila Nova de Mil Fontes (Odemira), Vila Viçosa.  

Urros (Mogadouro.)

 

Estas são as localidades portuguesas às quais foi atribuída a Estrela de Ferro da Involução, do retrocesso, da perda de qualidades benéficas (como força e inteligência), do retorno a um estado primitivo, pela prática bárbara da selvajaria tauromáquica ainda enraizada nos hábitos dessa populações que se recusam a evoluir.

 

Como pode ver-se, as Estrelas de Ferro concentram-se nos concelhos situados mais a sul do País, a esmagadora maioria portadores de um atraso civilizacional bastante acentuado, os quais, à excepção de Lisboa, uma capital que se diz europeia, mas ainda deve uma boa quantia à evolução (pois aqui estão concentrados os maiores defensores das touradas: os GOVERNANTES), são bastante menos populosos do que os concelhos mais a norte que evoluíram e deram as costas a este costume antigo e bárbaro, herdado dos espanhóis que assentaram arraiais em território português em 1580, com o Rei Filipe I de Portugal (II de Espanha).

 

Em 1640, porém, a monarquia espanhola foi expulsa do nosso país, mas deixou-nos de herança o lixo tauromáquico que a monarquia portuguesa e mais tarde os republicanos mantiveram por mera ignorância e interesses económicos, e que os actuais ditos governantes de esquerda continuam a manter pelos mesmos motivos.

 

Nada parece ter mudado em relação à mentalidade retrógrada que caracterizou o tempo da monarquia, e depois o dos republicanos que se diziam melhores do que os anteriores, contudo, continuaram a ser retrógrados, ao impingirem-nos uma ditadura.

 

Depois de longos anos de escuridão, a esperança surgiu numa manhã de Abril, mas foi sol de pouca dura, porque passado o momento do entusiasmo que a miragem da liberdade, arrastando uma promissora mudança de Poder, proporcionou, o tempo das trevas regressou, fantasiado de democracia, pois se nem um governo, (agora) dito de esquerda, consegue afastar o lixo, não só tauromáquico, mas também outros lixos herdados dos regimes retrógrados anteriores!!!

 

***

E eis-nos chegados ao ano de 2016, ainda enlaçados na conspurcada herança dos monarcas espanhóis, e na política salazarista de manter o povo ignorante e submisso.

 

***

No norte do País, à excepção de Ponte de Lima  e um ou outro concelho que pontualmente se verga à máfia tauromáquica, os municípios evoluíram e aboliram do seu território a selvajaria tauromáquica, mas apenas Viana do Castelo se declarou anti-tourada.

 

Por isso, às localidades implantadas nesse território, livre do lixo tauromáquico, foi atribuída a Estrela de Ouro da Evolução.

 

Isabel A. Ferreira

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 16:15

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Sexta-feira, 29 de Maio de 2015

MUNICÍPIOS PORTUGUESES COM ACTIVIDADE TAURINA NO ANO DE 2015

 

O texto que podem ler neste link

http://arcodealmedina.blogs.sapo.pt/219883.html

é de 2013…

 

Estamos em 2015.

Nada, nem ninguém evoluiu… entretanto…

 

O problema está no facto de não estarmos a lidar com seres humanos inteligentes, mas tão-só com criaturas que nasceram com o cérebro já formatado e mirrado, onde nada entra, nem sai…

 

Estes são os municípios (entre outros) aos quais vai ser atribuída a

Estrela de Ferro

VIRÁ UM DIA....jpg

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 16:31

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Domingo, 20 de Janeiro de 2013

MUNICÍPIOS PORTUGUESES COM ACTIVIDADE TAURINA NO ANO DE 2013

 
 

 

Apesar da diferença de séculos, Leonardo da Vinci era muito mais EVOLUÍDO do que este indivíduo do século XXI... 
 

 

Dos 308 municípios portugueses, apenas 41 (uma minoria) são tauricidas.

 

E querem os responsáveis por estas terrinhas "supercivilizadas", dirigidas por verdadeiros "génios" da governação, que a tortura de Touros e Cavalos seja a coisa mais importante da vida desses municípios...

 

Ora, nem em Portugal, nem em parte nenhuma do Universo, a TORTURA é e jamais será património cultural imaterial de coisa alguma.

 

Mas o que fazer, se a mentalidade dos tauricidas não dá para mais?

 

Dizem eles que a GRANDE MAIORIA dos portugueses é pró-tourada!

 

Mas nem em Portugal, nem em parte alguma do Universo o povo do mundo é pró-tourada.

 

A falta de instrução, de educação, de orientação, de vivência é tão grande que nem sequer conseguem ler os números, que são verdadeiramente óbvios.

 

"Grandes" mentes, essas!

 

"Grandes" municípios que não evoluíram... Continuam parados no tempo, envoltos nas  trevas medievais…  

 

Gente "fabulosa", mas que não se aperceberam ainda de que já estamos no SÉCULO XXI d. C.

 

Aqui fica, para a posteridade, o nome dos municípios com actividades taurinas.

 

Daqui por pouco tempo  já não terão esse rótulo, mas serão, com toda a certeza, a VERGONHA dos vindouros.

 

 

 

 

1 » Alandroal

2 » Alcácer do Sal

3 » Alcochete

4 » Almeirim

5 » Alter do Chão

6 » Angra do Heroísmo

7 » Arruda dos Vinhos

8 » Azambuja

9 » Barrancos

10 » Beja

11 «Benavente

12 » Calheta (Açores)

13 » Cartaxo

14 » Coruche

15» Fronteira 

16 » Cuba

17 » Golegã

18 » Lagoa (Algarve)

19 » Lisboa

20 » Moita

21 » Montijo

22 » Moura

23 » Pombal

24 » Portalegre

25 » Póvoa de Varzim

26  » Redondo »

27 Praia da Vitória

28 » Reguengos de Monsaraz

29 » Sabugal

31 » Santa Cruz da Graciosa

32 » Santarem

33 » Setúbal

34 » Sobral de Monte Agraço

35 » Sousel

36 » Tomar

37 » Velas

38 » Viana do Alentejo

39 » Vila Franca de Xira

40 » Vila Nova da Barquinha

41 » Vila Nova de Poiares

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

   

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Destacamos ainda os municípios de PONTE DE LIMA e TERRAS DE BOURO, que não constam nesta lista oficial, mas mantém um "divertimento" grosseiro e primitivo, que dá pelo nome de “VACA DAS CORDAS».

 

Toda esta actividade tauricida primitiva tem os seguintes cúmplices:

 

Primeiro-ministro de Portugal

 

Assembleia da República Portuguesa

 

Presidente da República Portuguesa

 

Igreja Católica Portuguesa

 

Faculdades de Medicina Veterinária 

 

Ordem dos Médicos Veterinários Portugueses

 

Dom Duarte Pio de Bragança (com as Touradas Reais)

 

E os portugueses, que com os seus IMPOSTOS, subsidiam esta TORTURA e CALAM-SE.

 

E é toda esta gente que ENVERGONHA PORTUGAL, a par dos POLÍTICOS CORRUPTOS…

 

Isabel A. Ferreira

publicado por Isabel A. Ferreira às 14:53

link do post | Comentar | Ver comentários (6) | Adicionar aos favoritos
Quarta-feira, 17 de Outubro de 2012

A PRÓTOIRO E AS SUAS FALSAS “ESTATÍSTICAS”, FRUTO DE UM DELÍRIO

  

 

Brevemente os tauricidas estarão assim, sozinhos, nas arenas, vazias de público, e nesse dia, ouvirão apenas o eco dos aplausos do mundo civilizado...

 

 

Ricardo, deixou um comentário ao post PORTUGAL EM DIRECTO NA ANTENA1: 32 MUNICÍPIOS PORTUGUESES DECLARARAM A TAUROMAQUIA PATRIMÓNIO CULTURAL, IMATERIAL DA HUMANIDADE às 21:45, 2012-10-16.

 

Vejamos o que diz Ricardo:

 

«Isabel, essa "famosa" estatística de 89% a favor da tauromaquia provém de um estudo de sondagem encomendado pela Prótoiro (só podia...).

 

Tive o prazer de ter sido brindado com essa pérola de documento numa das últimas discussões que tive com esses senhores na sua página do Facebook (antes de ser bloqueado lá está).

 

Eu apresentei-lhes as várias sondagens feitas nos últimos anos pelos mais diversos meios e todas elas se encontravam num ponto comum: a causa abolicionista vencia expressivamente em qualquer uma. Como contra-argumento, a prótoiro apresentou-me este documento:

 

http://issuu.com/protoiro/docs/estopiniao_protoiro_marco11

 

Qualquer pessoa com um mínimo de conhecimentos de matemática, ou que pelo menos já tenha analisado estudos de opinião, fica logo desconfiada. O logótipo da prótoiro em cada página obriga logo a levantar o sobrolho.

 

Numa das páginas é dito que 76,6% dos inquiridos já assistiu ou assiste regularmente a touradas na televisão. Ora tendo em conta que as audiências da última tourada no Campo Pequeno nem chegam a 5% da população total, surge logo aqui uma dúvida crítica: ou os telefonistas tiveram muita sorte com os inquiridos ou houve aqui uma clara manipulação da amostra populacional.

 

A partir desta premissa, o resto do estudo torna-se inválido pois é claramente tendencioso. Aliás, após anos e anos de sondagens e estudos de opinião, sempre com a causa abolicionista na frente (por vezes com uma margem bem expressiva) e do nada surge um estudo que coloca 89% da população como aficionada?

 

Escusado será dizer que quando confrontei os "senhores" da prótoiro com esta hipótese, não só não obtive resposta como fui prontamente bloqueado de voltar a comentar.»

 

***

Uma vez mais, obrigada, Ricardo.

Eu também estou bloqueada na prótoiro.

E o que importa isso?

Dialogar com aquela gente é o mesmo que falar para as paredes.

Não há interesse algum em estarmos desbloquedaos.

 

Quanto às "estatísticas" falsas da prótoiro, ainda que a maioria dos portugueses gostasse de tourada, esta NUNCA deixaria de ser uma actividade macabra, primitiva, abominável, asquerosa, cruel, inculta, incivilizada, sádica, e impraticável por GENTE CIVILIZADA.

publicado por Isabel A. Ferreira às 11:00

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Segunda-feira, 18 de Junho de 2012

CÂMARAS QUEREM QUE TOURADAS SEJAM «PATRIMÓNIO CULTURAL DE PORTUGAL»????????

 

 

Vejam o que os responsáveis por quinze municípios portugueses querem para «Património Cultural de Portugal»...

 

DEMITAM-SE! SÃO A VERGONHA DO PAÍS!

 

Isto pode ler-se aqui:

 

http://p3.publico.pt/actualidade/sociedade/3461/camaras-querem-que-touradas-sejam-patrimonio-cultural-de-portugal

 

«Quinze municípios entendem que “há matéria suficiente” para que a tauromaquia seja classificada pelo Estado como “Património Cultural de Portugal”...»

 

Isto só pode ser uma anedota de muito mau gosto.

 

ISTO É A ANEDOTA DO ANO DE 2012!

 

Isto seria o fim da credibilidade de um País.

 

Isto colocaria o Estado Português no caixote do lixo.

 

Que falta de LUCIDEZ, DE INTELIGÊNCIA, DE BOM SENSO...!

 

A esmagadora maioria dos Portugueses QUER a ABOLIÇÃO do TAURICÍDIO.

 

Por outro lado,  como diz um cidadão português lúcido: «O povo português - excepto uma minoria - gosta de tudo o que é rasca, por isso elege quem é  mais rasca do que eles».

 

Ora aqui está uma grande verdade.


Por que carga de água o Estado Português haveria de ser cúmplice de uma ESTUPIDEZ inominável?

Mas esta gente que está à frente destes municípios terá mesmo a pretensão de ver a TORTURA DE SERES VIVOS classificada de Património Cultural de Portugal?

 

Só podem estar com o grão na asa. Só podem.

 

Essa barbaridade será quando muito Património “COLTURAL”, para condizer com a “coltura” dos autarcas.

 

Não são capazes de fazer um raciocínio LÓGICO?

 

Tenham VERGONHA! Perderão as eleições todos aqueles que estão a favor do tauricídio.

 

Os Portugueses estão a abrir os olhos.

O tauricídio é uma tradição DECADENTE.

 

DEMITAM-SE! DÊEM LUGAR A GENTE CULTA!

 

VOCÊS SÃO A VERGONHA DE PORTUGAL...

publicado por Isabel A. Ferreira às 16:02

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Quinta-feira, 31 de Maio de 2012

O MUNICÍPIO DA MAIA MOSTROU SER CIVILIZADO E UM EXEMPLO PARA AQUELES MUNICÍPIOS QUE AINDA VIVEM NA IDADE MÉDIA

 

 

MUNICÍPIOS PORTUGUESES,

 

AUTARCAS PORTUGUESES,

 

PONHAM OS OLHOS NA MAIA...

 

USEM A VOSSA INTELIGÊNCIA.

 

SEJAM CIVILIZADOS...

publicado por Isabel A. Ferreira às 15:00

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Terça-feira, 1 de Maio de 2012

UMA TRAIÇOEIRA ESTIRPE DO VÍRUS DA INSCIÊNCIA ESTÁ A ATACAR VÁRIOS MUNICÍPIOS DE NORTE A SUL DO PAÍS

 

 

Barrancos: eis o Património Cultural Imaterial de Interesse Municipal. Pobre terra se é só isto que tem de «interesse” municipal para mostrar ao mundo, sim, porque têm a pretensão de que seja “património da Humanidade”

 

 

A notícia pode ler-se aqui:

 

http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/lazer/cultura/-municipios-de-norte-a-sul-do-pais-declaram-tauromaquia-patrimonio-cultural-e-imaterial

 

«Sete municípios portugueses já declararam a tauromaquia como Património Cultural e Imaterial de Interesse Municipal, uma medida que promete ser seguida por vários autarcas de norte a sul do país.

 

30/04/2012

 

O primeiro concelho a tomar a decisão foi o de Vila Franca de Xira (Lisboa), seguindo-se os municípios de Sabugal (Guarda), Barrancos (Beja), Pombal (Leiria), Alter do Chão, Monforte e Fronteira (Portalegre).

 

O próximo município a avançar com a declaração será o de Alcochete (Setúbal), no decorrer de uma reunião de câmara marcada para o dia 9 de maio, adiantou esta segunda-feira à Agência Lusa o presidente da câmara, Luís Franco.

 

"Trata-se do reconhecimento formal daquela que é uma característica ou um elemento integrante da nossa identidade local. A tauromaquia faz parte do quotidiano das gentes de Alcochete", justificou.

 

De acordo com o autarca, o processo vai ser também desenvolvido durante o mês de maio nos restantes concelhos que integram a secção dos municípios com actividade taurina, departamento que está aliado à Associação Nacional de Municípios Portugueses (ANMP).

 

A secção de municípios com actividade taurina foi criada em Setembro de 2001 e congrega 40 municípios de norte a sul do país.

 

"O que ficou acordado decidir nas câmaras foi assumir a tauromaquia como Património Cultural e Imaterial Municipal, durante o mês de maio, para depois, em Junho, as assembleias municipais poderem também deliberar no mesmo sentido", explicou.

 

Considerando que a tauromaquia no concelho de Alcochete constitui uma "tradição secular", Luís Franco recordou que os primeiros registos históricos existentes da relação da população local com o toiro remontam a um período anterior à fundação do próprio município, que em 2015 comemora 500 anos de existência.

 

"Em Alcochete, existem dois grupos de forcados. O toiro é o elemento central em todas as festas populares do município, em particular nas Festas do Barrete Verde e das Salinas, o ex-líbris das festas populares existentes", sublinhou.

 

Ao tornar-se o primeiro concelho do país a "blindar" a cultura tauromáquica, o município de Vila Franca de Xira tem como objectivo, à semelhança dos restantes concelhos que já decidiram a medida, dar a conhecer a decisão às autoridades competentes para apreciação do Inventário Nacional do Património Cultural e Imaterial (INPCI) de Portugal.

 

Após essa apreciação, o município vai apresentar uma candidatura para que as manifestações taurinas sejam declaradas Património Imaterial da Humanidade, pela Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO).»

 

***

 

Bem, se isto não estivesse escrito, eu não acreditaria. De tão surrealista que é. E o pior é que isto está a acontecer em PORTUGAL. No MEU país.

 

Os municípios taurinos estão a apodrecer com esta irracional estirpe do vírus da insciência e ninguém lhes acode.

 

Vão afundar-se no lodo, sem que se apercebam da figura parva que fazem.

 

Mas o que poderemos exigir de mentes tão trancadas? Pouco ou nada.

 

Mas isto de Património Cultural e Imaterial de Interesse Municipal vale ZERO para o mundo. ZERO.

 

Não traz prestígio nenhum aos municípios. Pelo contrário. Diz apenas da sua MESQUINHEZ.

 

 

 

 

A tourada é um “património cultural imaterial” tão "valioso" quanto o que se vê nesta imagem: uma marca do “civismo” português nas estradas.

publicado por Isabel A. Ferreira às 15:53

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Mais sobre mim

Pesquisar neste blog

 

Junho 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

Posts recentes

A NOMEAÇÃO DE GUTERRES PA...

ESTRELA DE FERRO PARA LOC...

MUNICÍPIOS PORTUGUESES CO...

MUNICÍPIOS PORTUGUESES CO...

A PRÓTOIRO E AS SUAS FALS...

CÂMARAS QUEREM QUE TOURAD...

O MUNICÍPIO DA MAIA MOSTR...

UMA TRAIÇOEIRA ESTIRPE DO...

Arquivos

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Direitos

© Todos os direitos reservados Os textos publicados neste blogue têm © A autora agradece a todos os que os divulgarem que indiquem, por favor, a fonte e os links dos mesmos. Obrigada.
RSS

Acordo Ortográfico

Em defesa da Língua Portuguesa, a autora deste Blogue não adopta o Acordo Ortográfico de 1990, devido a este ser inconstitucional, linguisticamente inconsistente, estruturalmente incongruente, para além de, comprovadamente, ser causa de uma crescente e perniciosa iliteracia em publicações oficiais e privadas, nas escolas, nos órgãos de comunicação social, na população em geral, e por estar a criar uma geração de analfabetos escolarizados e funcionais.

Comentários

Este Blogue aceita comentários de todas as pessoas, e os comentários serão publicados desde que seja claro que a pessoa que comentou interpretou correctamente o conteúdo da publicação. Serão eliminados os comentários que contenham linguagem ordinária e insultos, ou de conteúdo racista e xenófobo. Em resumo: comente com educação, atendendo ao conteúdo da publicação, para que o seu comentário seja mantido.

Contacto

isabelferreira@net.sapo.pt