Segunda-feira, 10 de Fevereiro de 2014

NÚMERO DE TOURADAS EM PORTUGAL FOI O MAIS BAIXO DE SEMPRE EM 2013

 

Todas as sondagens, todos os inquéritos, todas as abordagens realizadas em Portugal (e por todo o mundo, aliás) foram unânimes: mais de 94% dos cidadãos civilizados REJEITAM AS  TOURADAS.

 

Por isso, elas foram já oficiosamente abolidas, ou seja, o povo aboliu as touradas, seguindo um instinto natural.

 

Para quando a Abolição Oficial, para que os governantes portugueses não façam má figura perante o mundo?

 

BOAS NOTÍCIAS!

 DADOS OFICIAIS CONFIRMAM QUE AS TOURADAS PERDERAM QUASE 40% DE PÚBLICO NOS ÚLTIMOS 10 ANOS!

 

Os últimos dados oficiais, publicados pela Inspecção Geral das Actividades Culturais, confirmam uma tendência clara para uma diminuição significativa do interesse dos portugueses por estes eventos. Além de um decréscimo no número de touradas realizadas, há uma forte diminuição de público nas praças de touros entre 2003 e 2013.

Fonte:

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=717707958260013&set=a.472890756075069.108951.143034799060668&type=1&theater

 

 

«Acentuado Decréscimo das Touradas na Televisão – Um Contributo para a Abolição

 

Numa fase em que a tauromaquia só vai sobrevivendo com apoios como a emissão televisiva de touradas, é muito bom verificarmos que no espaço de dois anos se assistiu a uma quebra de 80% na quantidade de touradas televisionadas. De 15 touradas transmitidas em 2011, passámos para 3 em 2013. A TVI esteve muito bem, pois pela primeira vez em muitos anos não emitiu qualquer tourada. Excelentes sinais»

 

Fonte https://www.facebook.com/photo.php?fbid=659785994054967&set=a.215152191851685.58389.215151238518447&type=1&theater

 

***

Lemos que as corridas de touros continuam a ser o principal espectáculo realizado no país, representando mais de dois terços dos eventos taurinos realizados… As novilhadas populares têm expressão muito reduzida no conjunto dos “espectáculos”.

 

Não será bem assim… Há leituras e LEITURAS.

 

Mas ainda que fosse… Realizam-se corridas de touros para uma bancada de gente: família dos torcionários e um ou outro aficionado, daqueles que não têm a mínima hipótese de evoluírem… e para os “convidados” , as borlas dos organizadores… Só assim…

 

As arenas estiveram praticamente vazias em 80 e tal % das tais “corridas”, no ano de 2013. Por todo o mundo, arenas encerraram. Cidades tornaram-se anti-taurinas. O povo diz um grande  NÃO ao acto bárbaro de torturar bovinos.

 

Além disso, a tauromaquia é uma actividade SUBSIDIADA com DINHEIROS PÚBLICOS. Não fosse isso, já tinha sido enterrada definitivamente.

 

E então, o que há para esta actividade sanguinária, NÃO HÁ para o Teatro, para o Cinema, para o Bailado, para as Artes Plásticas, para a Literatura, enfim, para a VERDADEIRA CULTURA.

 

Todos os artistas se queixam da falta de apoios para as iniciativas que dão o pão ao espírito.

 

Reformados, doentes, famintos, idosos, enfim… são tantas as queixas… Não há dinheiro… Cortam-se salários, pensões… Mas para a tauromaquia esbanjam-se milhares de Euros.

 

E é como se deitassem esse dinheiro ao lixo, porque é no LIXO TAUROMÁQUICO que o dinheiro é gasto.

 

Mas os nossos governantes optam por apoiar a vulgaridade, a mediocridade, a estupidez, o biocídio, e nós sabemos muito bem porquê…

 

Também lemos que o número de espectáculos tauromáquicos realizados no ano passado em Portugal foi o mais baixo desde o ano 2000, segundo dados da Inspecção-geral das Actividades Culturais (IGAC), que registou em 2013 um total de 241 eventos.

 

Eventos? A carnificina de bovinos para divertir sádicos será um evento?

 

Continuando…

 

De acordo ainda com o Relatório da Actividade Taurina 2013, também o número de espectadores*** que assistem a “espectáculos” com touros foi o mais baixo em 14 anos, passando de 620 mil registados em 2000 para 441 mil no ano passado.

 

Ora este número também não corresponderá bem à verdade.

 

Serão 441 mil, contando sempre com os mesmos, nos vários “espectáculos”, pois as camionetas vão e vêm com o mesmo povo, daqui para ali… Algo muito mal contado…  

 

Dizem também que a redução mais significativa ocorreu entre 2011 e 2012, com uma diminuição de quase 130 mil espectadores***, uma queda de 21%. O número será maior… Depende da objectividade.

 

***

 

*** Espectadores – No texto original, que segue o novo acordo ortográfico,  lê-se ESPETADORES. Ora, ainda que se utilize o novo acordo ortográfico, nunca um “espectador” (pronuncia-se o C) seria um “espetador”, a não ser que quisessem referir-se aos espetadores de bandarilhas, o que condiz com a carnificina.

 

Enfim… em todo este mundinho tauromáquico, carniceiro e de baixo nível moral e social, nada se aproveita…

 

***

O certo, certo, é que a esmagadora maioria do povo civilizado rejeita todas as modalidades da tauromaquia, que já está morta (só os envolvidos não querem ver, preferem andar com um cadáver de lábios pintados, às costas… por aí… coitadinhos!, por isso o número destas actividades degradantes baixou consideravelmente, e continuará a baixar vertiginosamente… agora que as autoridades portuguesas, para não passarem vergonha perante o mundo, terão de rever a sua posição em relação às “escolas de tortura” e à menoridade (que vai até aos 18 anos) para se ingressar ou assistir à violência das touradas, ADMITIDA pela ONU.  

Fontes:

http://www.ionline.pt/artigos/portugal/numero-touradas-portugal-foi-mais-baixo-sempre-2013

 

***

http://www.anda.jor.br/08/02/2014/numero-de-touradas-em-portugal-foi-o-mais-baixo-desde-2000?utm_source=rss&utm_medium=rss&utm_campaign=numero-de-touradas-em-portugal-foi-o-mais-baixo-desde-2000

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 16:54

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Quarta-feira, 5 de Fevereiro de 2014

ONU QUER LIMITAR PARTICIPAÇÃO DE CRIANÇAS PORTUGUESAS EM TOURADAS

 

Uma “preocupação” pouco alicerçada, uma vez que a ONU não considera a menoridade (que vai desde o nascimento até aos 18 anos) como uma fase primordial para um desenvolvimento integral do ser

 

Isto é um passinho, mas um passinho manquinho…

 

ooo

Elementos do Grupo de Forcados Femininos de Benavente / Arquivo Lusa

É isto que um adolescente de 13 anos poderá fazer legalmente?

 

O Comité dos Direitos das Crianças da ONU aconselha Portugal a criar legislação que restrinja a participação de crianças em touradas, quer como participantes quer como espectadores, mostrando preocupação com os efeitos na saúde física e mental dos menores.

 

«O Comité está preocupado com o bem-estar físico e mental das crianças envolvidas em treino para touradas, bem como com o bem-estar mental e emocional das crianças enquanto espectadores que são expostas à violência das touradas», refere um relatório hoje divulgado por aquele organismo das Nações Unidas.

 

(ESTE COMITÉ ESTARÁ VERDADEIRAMENTE PREOCUPADO COM OS EFEITOS DA VIOLÊNCIA NA SAÚDE FÍSICA E MENTAL DOS MENORES? VEJAMOS…)

 

Por isso, é recomendado que Portugal tome medidas legislativas para proteger todas as crianças envolvidas em touradas, «tendo em vista uma eventual proibição».

 

(“EVENTUAL”? PORQUÊ EVENTUAL E NÃO EFECTIVA?)

 

O Comité sugere que uma das medidas seja aumentar a idade mínima para mais de 12 anos para treino ou frequência de escolas de tauromaquia e para mais de 6 anos para assistir a espectáculos com touros.

 

(ESTA SUGESTÃO DE “IDADES” É ABSOLUTAMENTE CARICATA: PRIMEIRO, PORQUE A LEI JÁ PREVÊ QUE AS CRIANÇAS MAIORES DE SEIS ANOS PODEM VER TOURADAS (MAS NINGUÉM CUMPRE ESTA LEI, NEM AS AUTORIDADES A FAZEM CUMPRIR);

 

SEGUNDO, A FASE MAIS VULNERÁVEL (A DA ADOLESCÊNCIA, A PARTIR DOS 12 ANOS) CONTINUARÁ EXPOSTA AOS RISCOS DA VIOLÊNCIA QUE A TOURADA TRANSMITE.

 

O COMITÉ, PARA SER COERENTE COM A “PREOCUPAÇÃO” QUE DIZ TER, DEVIA SUGERIR (PARA SER CUMPRIDO) NÃO SÓ O AUMENTO DE IDADE ATÉ AOS 18 ANOS, QUANDO O JOVEM JÁ ESTÁ PRATICAMENTE PREPARADO PARA DIZER: “EU NÃO QUERO ISTO”… COMO O ENCERRAMENTO DESTES ANTROS DE VIOLÊNCIA E TORTURA QUE SÃO AS ESCOLAS DE TOUREIO).

 

«O Comité também exorta o Estado para empreender medidas de sensibilização e conscientização sobre a violência física e mental associada às touradas e o seu impacto nas crianças», refere o relatório hoje apresentado.

 

Esta questão sobre a participação das crianças em touradas ou escolas de tauromaquia foi apenas um dos aspectos analisados pelo Comité da ONU sobre a situação portuguesa no que respeita aos direitos das crianças.

 

(E ESTES DIREITOS NÃO ESTÃO AQUI DE TODO SALVAGUARDADOS, COM ESTA SUGESTÃO QUE FICOU A MEIO DO CAMINHO. FOI UMA NO CRAVO, OUTRA NA FERRADURA.

QUAL O MEDO DE PROIBIR A EXPOSIÇÃO DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES À VIOLÊNCIA DAS TOURADAS ATÉ AOS 18 ANOS, E MANDAR ENCERRAR AS ESCOLAS DE TORTURA?)


A próxima avaliação de Portugal será feita em Outubro de 2017.

 

(ESTAMOS EM 2014… ATÉ LÁ AS TOURADAS TÊM DE ESTAR ABOLIDAS OFICIALMENTE, UMA VEZ QUE OFICIOSAMENTE ELAS JÁ ESTÃO ABOLIDAS.)

 

Lusa

Fonte

http://sicnoticias.sapo.pt/pais/2014/02/05/onu-quer-limitar-participacao-de-criancas-portuguesas-em-touradas

 

***

Texto enviado para a ONU:

direitoshumanos@gddc.pt

Director

JOANA GOMES FERREIRA

 Procuradora da República

joana.ferreira@gddc.pt

mail@gddc.pt

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 19:02

link do post | Comentar | Ver comentários (2) | Adicionar aos favoritos

Mais sobre mim

Pesquisar neste blog

 

Maio 2021

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Posts recentes

NÚMERO DE TOURADAS EM POR...

ONU QUER LIMITAR PARTICIP...

Arquivos

Maio 2021

Abril 2021

Março 2021

Fevereiro 2021

Janeiro 2021

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Direitos

© Todos os direitos reservados Os textos publicados neste blogue têm © A autora agradece a todos os que os divulgarem que indiquem, por favor, a fonte e os links dos mesmos. Obrigada.
RSS

Acordo Ortográfico

Em defesa da Língua Portuguesa, a autora deste Blogue não adopta o Acordo Ortográfico de 1990, devido a este ser inconstitucional, linguisticamente inconsistente, estruturalmente incongruente, para além de, comprovadamente, ser causa de uma crescente e perniciosa iliteracia em publicações oficiais e privadas, nas escolas, nos órgãos de comunicação social, na população em geral, e por estar a criar uma geração de analfabetos escolarizados e funcionais.

Comentários

Este Blogue aceita comentários de todas as pessoas, e os comentários serão publicados desde que seja claro que a pessoa que comentou interpretou correctamente o conteúdo da publicação. Serão eliminados os comentários que contenham linguagem ordinária e insultos, ou de conteúdo racista e xenófobo. Em resumo: comente com educação, atendendo ao conteúdo da publicação, para que o seu comentário seja mantido.

Contacto

isabelferreira@net.sapo.pt