Segunda-feira, 11 de Abril de 2016

O CERCO APERTA-SE CONTRA AS TOURADAS EM PORTUGAL E NO MUNDO

 

A Marcha Animal, realizada em Lisboa no passado sábado, foi um estrondoso sucesso. Milhares de pessoas (mais de duas mil) compareceram.

Por vezes, duas ou três pessoas fazem uma manifestaçãozinha contra uma coisinha qualquer e as televisões estão lá… a fazer parangonas.

Não me lembro de ter visto a notícia desta Marcha nos noticiários televisivos, com destaque.

Os motivos sabemos que são a subserviência dos media ao Poder instalado. Mas isto só fica mal a quem não cumpre o dever de informar.

 

 

Marcha ANIMAL 2016 - Vídeo cortesia de Vera Loureiro

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 11:47

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Sexta-feira, 8 de Abril de 2016

A MARCHA ANIMAL É JÁ AMANHÃ (SÁBADO, DIA 9 DE ABRIL)

 

Traga a sua voz para as ruas e mostre que somos cada vez mais pelos animais!

 

MARCHA.png

 

A Marcha da ANIMAL será a 9 de Abril.

 

Este ano terá co-organização da LA TORTURA NO ES CULTURA // TORTURE IS NOT CULTURE e virão várias ONG's internacionais.

 

O mote deste ano será "A tortura não é cultura". Este é um ano importantíssimo, vão discutir-se em breve as nossas petições da campanha Enterrar Touradas e todo o apoio será pouco.

 

Claro que a Marcha será - como sempre - por todos os animais e contra qualquer tipo de exploração e abuso, mas, numa altura como esta, não podemos esquecer este importante ângulo.

 

Se a vossa ONG, grupo formal ou informal, plataforma, partido político, etc. quer apoiar a Marcha e estar presente, enviem-nos o vosso logotipo para info@animal.org.pt ara que possamos incluí-lo num cartaz a divulgar mais à frente. Contamos convosco, sejam cidadãs/os independentes ou façam parte de um colectivo, seja ele de defesa dos animais ou de qualquer outra luta pela justiça e direitos fundamentais.

 

A Marcha é de todas/os. Juntem-se!

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 15:14

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Terça-feira, 15 de Abril de 2014

AUTOCARROS DA VERGONHA, PAGOS COM DINHEIROS PÚBLICOS, PARA LEVAREM AFICIONADOS DE TOURADA EM TOURADA…

 

Os da prótoiro, é sabido, não têm vergonha na cara, se tivessem, não andavam por aí a choramingar disparates

 

 

Nesta imagem vêem-se autocarros de terrinhas portuguesas taurinas, estacionados à porta do campo pequeno, e aqui os dinheiros já não são públicos?

 

É hábito, mais do que conhecido, as autarquias que apoiam o circo da tortura de bovinos, cederem autocarros, pagos com o erário público, para levarem aficionados de umas touradas para outras, porque é o modo que os tauricidas têm de terem alguma plateia nas arenas, e até para terras de Espanha.

 

Ora agora vêm os da prótoiro choramingar que a Câmara Municipal de Faro cedeu um autocarro para trazer daquela cidade, defensores dos animais, até Lisboa, para a Grande Marcha Animal, num acto pacífico e cívico de grande envergadura, e não de tortura.

 

Pois vamos enviar os nossos e-mails de congratulações por o autarca de Faro ter tido uma atitude condizente com ao teor da missão: ajudar a construir algo positivo pela sociedade e pelos animais e não a destruir, como fazem os aficionados, que torturam seres vivos.

 

Deste modo, a Câmara Municipal de Faro colaborou para uma justa causa, e não para os grupos de aficionados (esses sim, fascizantes, por tudo o que representam) os quais atacam touros e conspurcam a cultura portuguesa, com suor, bosta e urina, e cerceiam o direito à liberdade dos bovinos de viverem a vida tranquilamente como merecem e é da sua natureza.

 

Enviem o vosso mail de agradecimento para:

 presidente@cm-faro.ptam@cm-faro.pt

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 17:15

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Segunda-feira, 14 de Abril de 2014

MARCHA ANIMAL 2014 – UM SUCESSO VERSUS OS ENORMES FIASCOS DAS TOURADAS REALIZADAS ESTE ANO EM PORTUGAL E NO MUNDO

Muitas mais pessoas estiveram presentes nesta Marcha do que as que têm assistido à tortura de bovinos, nas arenas.

 

Apesar disso, as televisões calaram-se.

 

O que significa que estas iniciativas incomodam o sistema caduco vigente, e não querem que Portugal saiba.

Mas o mundo saberá desta vitória sobre a ignorância.

 

 

 

 

 

 

Não foram poucos… mas milhares…

 

Magnífica reportagem fotográfica de Carlos Ricardo para ver neste link:

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=825344667494258&set=a.825343327494392.1073741837.100000561979422&type=1&theater

 

***

Por Bianca Santos

 

Lá fomos nós mais um ano à Marcha Animal.

 

Se os animais fossem respeitados e não estivessem todos os dias sujeitos a um sofrimento atroz e a uma VIDA sem qualquer significado para a sociedade, que não o de serem meras "coisas" para não nosso bel-prazer, não precisávamos de lá estar.

 

Se os canis e gatis não estivessem a abarrotar e com fila de espera para o abate semanal, os animais não fossem largados na rua desprotegidos, a terem ninhadas consecutivas que só vêm ao mundo para sofrer e morrer e as pessoas não continuassem a encomendar novos rebentos aos "criadeiros" apenas pelo capricho de escolherem um bebé com a dita "raça" sem quererem saber o que acontece aos seus irmãos ou aos seus progenitores, não precisávamos de lá estar.

 

Se já tivéssemos uma legislação moderna e actualizada, à semelhança dos restantes países vizinhos, que os protegesse e proporcionasse melhorias para o seu bem-estar, acusasse de CRIME e punisse efectivamente os culpados, também não precisávamos de lá estar.

 

Se as touradas e os circos com animais estivessem já ao nível da proibição da escravatura humana, dos circos romanos, da segregação racista, da inferiorização da mulher ou da discriminação de homossexuais, não precisávamos de lá estar.

 

Se as pessoas finalmente admitissem que o que comem não vem de um porquinho ou de uma vaquinha feliz dos prados verdejantes e que para aparecerem apetitosos nos pratos passaram uma vida de verdadeiro inferno, de maus-tratos e abusos e sucumbiram a uma matança sanguinária num matadouro à margem da sociedade que se recusa a ver o verdadeiro terror de um ser que sente a DOR, chora enquanto espera pela sua vez na fila para a morte e morre SÓ, em profunda dor, sem defesa e sem nunca ninguém saber da sua triste existência, não precisávamos de lá estar.

 

A descrição do sofrimento poderia continuar e continuar e continuar...em todas as formas intermináveis de exploração animal.

 

Se não fosse assim não precisávamos de lá estar na Marcha Animal, não precisávamos de lembrar o Governo, a AR, o país, os nossos amigos, colegas e familiares que estes animais não só sofrem hoje, como sofrem TODOS os 365 dias do ano.

 

Marchamos porque acreditamos que por eles podemos fazer muito mais juntos e melhor, e quem não está faz sempre falta. Por eles. Marchamos pois pelo menos neste dia fazemos saber, quer queiram ou não, que eles existem e que vamos continuar a marchar e a lutar. Por eles.

 

Fonte do texto:

https://www.facebook.com/permalink.php?story_fbid=10154215312985107&id=740080106

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 16:38

link do post | Comentar | Ver comentários (2) | Adicionar aos favoritos
Quarta-feira, 9 de Abril de 2014

MARCHA ANIMAL 2014

 

Às Associações de Protecção de Animais, Grupos e Plataformas formais ou informais, e Cidadãs/os:

 

Mais um ano, mais uma marcha pela protecção dos animais em Portugal.

 

A ANIMAL juntamente com outras associações começou a fazer as marchas em 2000 e este ano não será excepção.

 

A concentração terá início pelas 15h no Campo Pequeno e a Marcha começará às 16h em direcção ao Parlamento.

 

Chegados ao Parlamento teremos alguns eventos musicais e também uma stand up comedy.

 

Pedimos a vossa presença e o vosso esforço apenas um dia por ano para nos ajudarem a dar voz aos animais e mostrar ao resto do país - principalmente a quem menoriza esta Causa - que somos cada vez mais pelos animais.

 

Tragam também os vossos cartazes e banners e promovam assim o vosso Grupo/Associação.

 

***

 

OPINIÃO SOBRE MANIFESTAÇÕES, NOMEADAMENTE, A “MARCHA ANIMAL” A 12 DE ABRIL DE 2014

 

Por Dr. Vasco Reis (Médico Veterinário)

 

Um BRAVO SOLIDÁRIO a quem tem a possibilidade de se manifestar contra a exploração e massacre de animais e o faz.

 

Comprova consciência, compaixão, sentido de ética, convicção, coragem, frontalidade, espírito de missão, disponibilidade.

 

Demonstra ali a quem passa e aos MEDIA, ao país e ao mundo, que se está contra tal barbaridade.

 

Alerta os, até então, distraídos, distantes, indiferentes a tomarem atenção e a aderirem à causa.

 

Até, quem sabe, pode conseguir iluminar ignorantes ou empedernidos e fazê-los arrepiar caminho, ou não são eles, afinal, também seres pensantes com algum poder de sentir e de raciocinar?

 

Manifestações são ponto de encontro de gente solidária e generosa e fortalecem e elevam o espírito de missão.

 

Talvez seja prudente optar-se por manifestações relativamente silenciosas, em frente de locais onde e quando se realizam touradas.

 

Se forem silenciosas junto a aficionados, não devem exacerbar tanto a agressividade dessa gente, podem provocar menos críticas do público e serão bem-vindas das autoridades.

 

Devem ser apresentados cartazes também com afirmações concisas de ordem científica, logo irrefutáveis e didácticas.

 

Convém serem cartazes de muito impacto e importa esmerar-se no comportamento pacífico.

 

Noutras manifestações para o público, para entidades e para divulgação pelos MEDIA, aí sim, convém soarem muitas mensagens, também por vozes bem audíveis.

 

A luta abolicionista da tauromaquia desenvolve-se por imperativo de consciência, por compaixão contra o massacre de touros e cavalos, que são seres sencientes, conscientes, inteligentes, emotivos, com sentimentos, seres susceptíveis ao sofrimento psicológico e físico, de modo muito semelhante ao dos humanos. 

 

Visa também aliviar as imensas pessoas que se indignam e sofrem solidariamente com os animais.

 

Pretende acabar-se com essa enorme vergonha nacional.

 

A desculpa de que seja tradição nalgumas regiões, não pode justificar a aceitação de uma actividade tão cruel e tão degradante.

 

A luta abolicionista é muito forte na vizinha Espanha e no sul da França, também muito atingidas por esta praga.

 

É grande a solidariedade destes movimentos pela luta que se trava em Portugal.

 

Desejam-nos um grande sucesso e esperam que muitos milhares de pessoas conscientes estejam nesta MARCHA.

 

Vamos mostrar o que queremos e do que somos capazes?

 

“Eia avante Portugueses, eia avante sem temer... “, repetindo o entusiasmo de outros tempos e de outras lutas?

 

Vamos mostrar que, mesmo em tempos muito difíceis, portugueses são capazes de expressar a sua vontade em recuperar o respeito pelos animais e pela ética e em acabar com a sua tortura?

 

Eu alinho com a ANIMAL e demais animalistas em manifestações pacíficas e vou estar na Marcha ANIMAL deste 12 de Abril às 15 horas no Campo Pequeno em Lisboa.

 

Um abraço animalista e abolicionista!

 

Vasco Reis

 

 

http://youtu.be/jbEk0WzUk4w

 

 

 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 18:27

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Mais sobre mim

Pesquisar neste blog

 

Novembro 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
15
16
17
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

Posts recentes

O CERCO APERTA-SE CONTRA ...

A MARCHA ANIMAL É JÁ AMAN...

AUTOCARROS DA VERGONHA, P...

MARCHA ANIMAL 2014 – UM S...

MARCHA ANIMAL 2014

Arquivos

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Direitos

© Todos os direitos reservados Os textos publicados neste blogue têm © A autora agradece a todos os que os divulgarem que indiquem, por favor, a fonte e os links dos mesmos. Obrigada.
RSS

Acordo Ortográfico

Em defesa da Língua Portuguesa, a autora deste Blogue não adopta o Acordo Ortográfico de 1990, devido a este ser inconstitucional, linguisticamente inconsistente, estruturalmente incongruente, para além de, comprovadamente, ser causa de uma crescente e perniciosa iliteracia em publicações oficiais e privadas, nas escolas, nos órgãos de comunicação social, na população em geral, e por estar a criar uma geração de analfabetos escolarizados e funcionais.

Comentários

Este Blogue aceita comentários de todas as pessoas, e os comentários serão publicados desde que seja claro que a pessoa que comentou interpretou correctamente o conteúdo da publicação. Serão eliminados os comentários que contenham linguagem ordinária e insultos, ou de conteúdo racista e xenófobo. Em resumo: comente com educação, atendendo ao conteúdo da publicação, para que o seu comentário seja mantido.

Contacto

isabelferreira@net.sapo.pt