Quinta-feira, 3 de Maio de 2018

A TOURADA É UMA PRÁTICA TROGLODITA QUE NADA TEM A VER COM DEMOCRACIA

 

Tauromaquia rima com monarquia, e foi o passatempo dos alienados desse tempo e do tempo da ditadura fascista.

 

Contudo, tourada não rima com Democracia.

 

Mas nós viveremos em Democracia?

 

A esmagadora maioria do povo português não se revê nesta prática medievalesca, e ainda assim, “democraticamente”, a esmagadora maioria dos deputados da Nação não ouve o povo, mas dá ouvidos à minoria troglodita.

 

TOURADA.png

 Um “festival” tauromáquico, realizado em 2018, para uma multidão… de assentos vazios…

 

 Li, num lugar onde se divulga esta prática medievalesca, o seguinte título numa crónica: «Legislação portuguesa encerra debate e protege touradas».

 

Isto é algo que jamais leríamos num país civilizado e evoluído. Lemos isto em Portugal, que ainda é um país muito atrasado civilizacionalmente.

 

E a crónica diz o seguinte:

 

«Está encerrado o debate. A tauromaquia está protegida pela legislação portuguesa e o Estado tem de garantir o acesso de todos à tourada, enquanto actividade cultural integrante do património português.

 

A crónica não vem assinada. Desconheço quem a escreveu, mas por esta aragem, vê-se quem vai na carruagem: alguém que vive mergulhado nos tempos medievais, envolto na mais tenebrosa ignorância e alienação.

 

Que, embora inacreditavelmente, nos tempos que correm, século XXI D.C., a legislação portuguesa proteja tauromaquia, é verdade. Agora que o Estado tem de garantir o acesso de todos (quem serão esses todos? os que se vêem na imagem acima?) à tourada, é a alucinação de um alienado. O Estado tem de garantir o acesso à educação, à saúde, ao bem-estar, à segurança, enfim, a algo mais premente do que o acesso à selvajaria tauromáquica. E se lhe juntarmos a pretensão de que a tourada é uma actividade cultural, passamos da alucinação para a insanidade, e ao chamar à tortura de um ser vivo património português, então entra-se num estádio de profunda demência.

 

E a crónica prossegue:

 

«A ideia levantada pelo jornal Público, de que as touradas podem ser proibidas, em função das recentes alterações ao Código Civil, cai por terra pela força da própria Lei, bastando para isso a leitura do nº 2, do artigo 3º da Lei 92/95: “As touradas são autorizadas nos termos regulamentados". O Decreto-Lei nº 89/2014, que aprova o Regulamento do Espectáculo Tauromáquico, define que a "tauromaquia é, nas suas diversas manifestações, parte integrante do património da cultura popular portuguesa".

 

 

E alguma vez, uma lei obtusa, como é a lei que autoriza a tortura de seres vivos para divertir sádicos, pode sobrepor-se às leis que protegem a Vida e os Seres Vivos? E alguma vez uma prática cruel e violenta contra seres vivos é “espectáculo”? E alguma vez a bem da verdade, tal selvajaria é património da cultura popular portuguesa? Isto até pode estar nesta lei abjecta que suja o nome dos legisladores portugueses, mas tal não significa que seja algo racional ou digno da humanidade.

 

E os absurdos continuam:

 

«Também o Decreto-Lei nº 23/2014, que aprova o regime de funcionamento dos espectáculos de natureza artística, protege a realização de touradas: "Integram o conceito de espectáculos de natureza artística, nomeadamente, as representações ou actuações nas áreas do teatro, da música, da dança, do circo, da tauromaquia e de cruzamento artístico".

 

Repare-se como a tauromaquia, ou melhor, a selvajaria tauromáquica é aqui metida à força, por quem não tem a mínima noção do que é a natureza artística. Comparar o teatro, a música, a dança, o circo (os que não usam animais, porque os outros são tão selvagens como a tauromaquia) todas estas artes elevadas, com a tortura de seres vivos indefesos, é de uma incomensurável ignorância. E enchem a boca com isto, e acham que falam bem e que têm razão. Se soubessem o que esta comparação realmente significa, teriam vergonha de a alardear, porque fazem figura de parvos.

 

E então o cronista conclui:

 

«Só isto seria suficiente para impedir que formadores de Justiça incitassem os seus formandos à 'desobediência legislativa' com base em interpretações pessoais. A intenção do legislador, que promoveu as alterações ao Código Civil, não visa nem abre caminho à proibição da actividade tauromáquica pois isso seria inconstitucional.»

 

Como se engana o cronista. Entre uma lei baseada na crueldade e ignorância, e outra lei baseada em valores humanos e de protecção à vida animal, o legislador, se tiver um pingo de racionalidade, optará pela segunda. Por outro lado, os legisladores, ardilosos, como são, deixam sempre uma nesguinha, para que possam levar a água suja para o moinho dos trogloditas.

 

Mas um bom interpretador de leis, competente e inteligente, saberá como dar a volta ao texto, e privilegiar a Vida, a Evolução, a Civilização, e não a crueldade e a violência medievalescas.

 

E o cronista, ignorantemente, vai à CRP, apelar para artigos, que nada têm a ver com apoio à crueldade, à violência e à brutalidade contra seres vivos indefesos, para divertir sádicos:

 

«A Constituição da República Portuguesa é clara. Refere o nº 2 do artigo 43º da CRP: "O Estado não pode programar a educação e a cultura segundo quaisquer directrizes filosóficas, estéticas, políticas, ideológicas ou religiosas". O nº 1 do artigo 73: "Todos têm direito à educação e à cultura". E os nºs 1 e 2 do artigo 78: "Todos têm direito à fruição e criação cultural, bem como o dever de preservar, defender e valorizar o património cultural" e "Incube ao Estado (…) Promover a salvaguarda e a valorização do património cultural, tornando-o elemento vivificador da identidade cultural comum".»

 

Senhor cronista, realmente a CRP é muito clara, e nestes artigos que citou nada abona a favor da selvajaria tauromáquica.

 

Para que a selvajaria tauromáquica estivesse abrangida nestes artigos seria necessário que a crueldade e a violência intrínsecas à prática tauromáquica fossem do domínio da Educação e da Cultura; fossem património cultural e fizessem parte da identidade cultural comum. Mas não fazem.

 

Acontece que os aficionados de touradas até podem achar que a tauromaquia é isso tudo. Estão no seu direito. Mas o senso comum diz o contrário. E o senso comum tem mais força do que a vontade de uma minoria alienada.

 

E o cronista termina deste modo hilariante:

 

«Significa isto, preto no branco, que, por Lei e nos termos da Constituição da República Portuguesa, as touradas devem ser protegidas e o Estado deve garantir o acesso de todos os cidadãos – se estes assim o quiserem – às touradas

 

Pois engana-se redondamente. Significa isto, preto no branco, que jamais a crueldade, a violência e a tortura de seres vivos farão jurisprudência num tribunal, se para as rebater existir uma outra legislação, mais condizente com a dignidade e valores humanos e com a defesa da Vida.

 

A selvajaria tauromáquica está condenada à extinção.

 

Isabel A. Ferreira

 

Fonte da crónica:

http://www.touradas.pt/noticia/legislacao-portuguesa-encerra-debate-e-protege-touradas

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 14:23

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Sábado, 12 de Novembro de 2016

«OS ANIMAIS SÃO TODOS IGUAIS, MAS UNS SÃO MAIS IGUAIS DO QUE OUTROS” (*)

 

«ANIMAIS DE PECUÁRIA

 

"Eu gostaria de lhe dizer que o deputado do PAN não é mais amigo dos animais do que aqueles que neste momento exercem funções de máxima responsabilidade no Ministério da Agricultura", disse a André Silva o Ministro da Agricultura, durante a audição da passada quarta-feira.

 

Guardem bem as palavras de Luís Capoulas Santos que irão ouvir/ler neste vídeo, porque infelizmente e muito proximamente teremos que lembrar o Ministério das atrocidades que continuam a ser cometidas juntos dos ditos animais de produção.

 

Em todo o Orçamento do Estado não encontramos nenhuma vez qualquer expressão relativa a bem-estar animal ou protecção animal. Nem uma. E, para que conste, os problemas com os animais de pecuária não se resolvem depois de terem acontecido. Os problemas devem ser antecipados, e daí a importância que o Orçamento do Estado tem também nesta matéria.

 

PAN - A causa de tod@s»

 

 

Concordo plenamente com esta intervenção do PAN.

 

Existe um vazio deplorável na AR no que diz respeito a esta matéria. Os deputados (a esmagadora maioria) estão-se nas tintas para o bem-estar dos portugueses, muito mais estarão para o bem-estar dos animais não-humanos.

 

Para os legisladores, os únicos animais considerados animais são os Cães (excepto os do circo, os das lutas e os das corridas que não são considerados animais) e os Gatos.

 

Na realidade é urgente colocar na AR mais vozes como as do André Silva.

 

Capoulas Santos é aficionado de touradas. Por isso, o que disse, na intervenção que ouvimos no vídeo, não me diz nada.

 

(*) George Orwell in «Animal Farm»

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 16:16

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Sexta-feira, 22 de Maio de 2015

NUM PAÍS ONDE A VIOLÊNCIA CONTRA SERES VIVOS ESTÁ CONSIGNADA NA LEGISLAÇÃO, O QUE ESPERAR DO CIDADÃO COMUM?

 

 

O exercício que constava num livro escolar de Físico-Química pedia a alunos do 9º ano (portanto, a crianças de pouca idade) que fizessem um cálculo baseado nesta formulação: «O Diogo largou um gato da varanda do seu quarto, situada a cinco metros do solo»

(Supõe-se que o Diogo seja um menino).

 

A Areal Editores (responsável pela publicação deste livro) já pediu desculpa por esta irracionalidade, que não deveria ter acontecido, mas aconteceu, e diz que já retirou este exercício do livro.

A Razão, a Moral, a Ética e a Civilização agradecem.

 

f6978cee1d2baafea2eb8eb6af13ebc0-783x450 GATO.jpg

heatherw / Flickr

 

A formulação pedia às crianças que indicassem qual a intensidade da força aplicada durante a queda e o valor da velocidade se atirassem um gato a uma altura de cinco metros.

 

Um gato?

 

Por que será que ao autor deste exercício não ocorreu atirar pela varanda uma outra “coisa” qualquer? Sim outra “coisa”, porque um gato em Portugal ainda é considerado uma “coisa”, se bem que uma “coisa” viva e senciente. Por que escolheu um gato, que até poderia ser de porcelana, de barro, de qualquer outro material, mas… ao que parece era um gato, assim… de carne e osso, sangue quente, sistema nervoso central, mamífero, como o autor do exercício?

O que fica a pairar no ar é que o autor deste exercício já o praticou e fez os cálculos dele, baseados na queda do gato.

 

E a culpa? De quem é a culpa de “isto” poder acontecer, num país onde a violência contra seres vivos está consignada na legislação?

 

Os legisladores portugueses não têm os conhecimentos mais básicos de Biologia, e quando isto acontece com os que mandam… os que são mandados não têm bases para serem melhores.

 

Na notícia que circula, diz-se que um dos responsáveis da Editora, Diogo Santos, referiu que «este exercício não vai constar da versão destinada aos alunos».

 

Pois seria este o Diogo que atirou o gato da varanda? Ou é apenas coincidência?

 

E o exercício não vai constar da versão destinada aos alunos? E constará na versão não destinada aos alunos?

 

Eu recuso-me a creditar nisto.

 

Esta é uma versão que nem sequer deveria ter passado pela cabeça de alguém que tem a seu cargo a criação de “livros escolares”, e não deve definitivamente constar em qualquer outra versão, nem de alunos, nem de não alunos.

 

Portanto o Diogo Santos deveria ter dito, e com muita humildade, que este exercício deverá ser eliminado definitivamente de qualquer versão. Assim é que é.

 

Mas há algo mais grave: de acordo ainda com Diogo Santos, o livro «foi revisto por três pessoas e ninguém se apercebeu da situação».

Como é que isto é possível?

 

Atirar um gato de uma varanda, a cinco metros de altura, será assim tão comum, para que ninguém se tivesse apercebido de que estavam a referir-se a um gato, a um ser vivo, e não a um objecto?

 

E o mais perturbador é o que a fonte do Ministério da Educação e Ciência (MEC) salientou ao jornal Público.

 

«Os cadernos de actividades, contrariamente aos manuais escolares, não passam pelo aval do MEC, e este não se identifica com o teor do exercício apresentado, do qual não tinha conhecimento».

 

E acrescentou: “O exercício não respeita os valores fundamentais da nossa sociedade”.

 

Como disse?

 

Que “valores fundamentais” da nossa sociedade o exercício do gato atirado da varanda não respeitou? Quando sabemos que o governo português (incluindo o MEC) apoia a violência e a crueldade contra seres vivos, em touradas, em circos, em “escolas” (leia-se antros) de toureio para crianças, e em muitas outras circunstâncias, considerando os animais ditos não humanos simples máquinas, que estando “oleadas” (comidas e bebidas) e a funcionar é o quanto basta!

 

Deixem de ser hipócritas!

 

Este caso insólito, absolutamente absurdo, deste exercício de físico-química, é o resultado de uma política deturpada, em que a violência e a crueldade contra seres vivos, não estão devidamente acauteladas, como deveriam estar, numa sociedade do século XXI da era cristã.

 

Este episódio grotesco não me surpreendeu, apenas aumentou a minha indignação, por tudo o que está a passar-se no meu pobre País, que anda à deriva, um País sem eira nem beira…

 

Fonte:

http://zap.aeiou.pt/editora-retira-de-livro-escolar-rapaz-que-atirava-o-gato-da-varanda-69162#comment-132429

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 15:56

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Terça-feira, 5 de Maio de 2015

GATO VIVE AMARRADO A UMA CASOTA EM LISBOA E NADA PODE SER FEITO?

 

A nova Lei de Protecção dos Animais será uma INUTILIDADE?

Desde que este Gato tenha água e comida, para os legisladores BASTA, porque são apenas "coisas".

Haviam de estar eles (os legisladores) amarrados a uma casota apenas com água e comida durante uns tempos, e talvez legislassem de um outro modo… mais racional.

 

GATO AMARRADO.jpg

Isto acontece em Lisboa, numa transversal à Rua Gomes Freire muito perto do hospital Júlio de Matos (zona da Estefânia/Paço da Rainha), na Rua Cruz da Carreira 62 r/c.

 

O animal está nas condições que se vê, sujeito ao frio, ao calor... sozinho. Mia e incomoda os vizinhos. Não se vê água...

 

Se as “pessoas” não têm condições de ter um animal, ou não sabem o que é um animal de estimação ou de companhia, ou não querem que o animal partilhe a vida da casa, simplesmente não o tenham.

 

Ninguém é obrigado a ter um Gato (ou um Cão) em casa. Não há lei nenhuma que o obrigue. Então por que ter gatos e cães nestas condições desumanas?

 

Então por que fazem questão de serem carrascos de animais de estimação e de companhia, indefesos, inofensivos e inocentes?

 

A dona deste infeliz GATO pode dá-lo a alguém que goste, estime e tenha condições de o acolher, e sobretudo a alguém que saiba o que é um GATO.

 

Qual a intenção desta dona, ao manter deste modo um GATO?

 

É que um Gato é um ser quase divino… quase humano…

 

Saibam o que é um GATO neste link:

http://arcodealmedina.blogs.sapo.pt/o-gato-e-a-espiritualidade-506595

***

Soubemos que uma associação de defesa animal está a contactar as autoridades, uma vez que as negociações, ao telefone, com a dona do GATO se revelaram infrutíferas.

 

A dona não compreende a privação a que está a sujeitar o animal e responde convicta de que o animal é a sua "coisa" e que nas "coisas" dela manda ela.

 

Esta "coisificação" dos animais leva à incapacidade de entender as necessidades de bem-estar físico e psicológico deles.

 

Enquanto a Lei não deixar de considerar os animais não humanos “coisas”, estas cenas macabras repetir-se-ão por todo o lado.

 

É que a ignorância vem de cima.

 

E quando os donos da "coisa" não entendem que aquela "coisa" é um ser vivo, com necessidades também psicológicas, temos nós de actuar.

 

Não podemos pactuar com isto.

 

Fonte:

http://margaridaeosanimais.blogspot.pt/2015/05/gato-vive-amarrado-casota-em-lisboa-e.html

 

ÚLTIMAS INFORMAÇÕES


Já falaram com a dona, já lá foi o SEPNA e este considerou que o animal estava bem acomodado

Agora digam de vossa justiça.

Chegou-me também a notícia de que os miados do gato já não se ouvem.
O que lhe terá acontecido?

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 15:11

link do post | Comentar | Ver comentários (10) | Adicionar aos favoritos
Sábado, 16 de Agosto de 2014

A TOURADA EM VIANA DO CASTELO NÃO VAI REALIZAR-SE PORQUE NÃO CUMPRIRÁ TODOS OS REQUISITOS LEGAIS EXIGIDOS PELO REGULAMENTO TAUROMÁQUICO

 

Logo, o socialista José Maria Costa terá o dever de indeferir o pedido de licenciamento para esta selvajaria.

 

No Norte mandam os Nortenhos.

 

Em Viana do Castelo mandam os Vianenses.

 

Repudiamos os falsos vianenses.

 

Aqui fica o link para consulta do regulamento tauromáquico vigente:

 

https://dre.pt/pdf1sdip/2014/06/11100/0308003096.pdf

 

E agora digam-me se a tourada poderá ser licenciada sem se cometer uma violação da lei.

 

 

Este é o cartaz da selvática iniciativa, mandado elaborar pelos bárbaros do sul, e a frase que é obrigatória ler-se nele está praticamente invisível a olho nu.

 

E o que diz a frase (escrita no lado direito na vertical – quem a conseguir ler ganha um prémio)?

 

«Este espectáculo pode ferir a susceptibilidade dos espectadores».

 

Como????

 

Mas que estupidez é esta? Mais outra?

 

Isto é pornografia mental? Violência pura e dura?

 

E os espectadores que vão assistir a esta SELVAJARIA lá têm susceptibilidade para ser ferida?

 

Só os sádicos entram numa arena de tortura. Só os insensíveis. Só os inumanos. Só os psicopatas. Só os irracionais.

 

Que ferir susceptibilidade?

 

Quem tem susceptibilidade não vai a “isto”.

 

Eu nem acredito!

 

A que ponto chegou a alienação mental dos legisladores do meu País!

 

Esta obrigatoriedade é mais uma PARVOÍCE LEGAL para fazer de conta.

 

Francamente!

 

 Socorro! Lucidez! precisa-se urgentemente!

 

Tenham vergonha, senhores autarcas e governantes e políticos e legisladores de Portugal!

Tenham vergonha!

publicado por Isabel A. Ferreira às 17:34

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Sexta-feira, 27 de Dezembro de 2013

É POR ISSO QUE OS NOSSOS LEGISLADORES NÃO CONSEGUEM VER QUE OS TOUROS E CAVALOS SÃO ANIMAIS

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 18:44

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Segunda-feira, 16 de Dezembro de 2013

PELOS TOUROS E CAVALOS! AFINAL SÃO TODOS ANIMAIS!

Temos de levar isto adiante e com força.

É UMA VERGONHA.

Que raça de legisladores temos nós que não sabem reconhecer um ANIMAL?

Oficiosamente a tauromaquia acabou, mas temos de tornar este acto OFICIAL

publicado por Isabel A. Ferreira às 19:24

link do post | Comentar | Ver comentários (1) | Adicionar aos favoritos
Quarta-feira, 9 de Outubro de 2013

CAROS (AS) COMPANHEIROS (AS) ABOLICIONISTAS

 
 
 

É chegada a hora de colocarmos um BASTA naquilo que todos consideramos uma ignomínia, uma desumanidade, uma aberração protegida por uma lei irracional, que não temos a obrigação de aceitar.

 

E não aceitamos.

 

Em Portugal existe uma infinidade de associações que se dizem defensoras dos animais e que, unidas, chegam a milhares de nomes.

 

Pois o momento certo para agir é este, com estes milhares de pessoas.

 

Como todos já sabem, a Assembleia da República agendou para o próximo dia 25 de Outubro, a discussão de uma Nova Lei de Protecção dos Animais, proposta pela Associação ANIMAL, cujo projecto-lei implica não só o fim da tauromaquia, como também uma protecção mais eficaz para os animais e mais gravosa para  os prevaricadores.

 

O sucesso desta discussão e a aprovação desta nova lei depende de todos nós.

 

Não vamos mais permitir que o lobby tauromáquico (e a sua minoria insciente) continue a mandar na Assembleia da República, porque já estamos fartos da política de subserviência dos “deputados” que se candidatam apenas para servir este lobby, e nós sabemos bem porquê.

 

Não vamos mais permitir que os dinheiros públicos (o dinheiro dos nossos impostos), continuem a ser gastos a apoiar a tortura institucionalizada de seres vivos.

 

Não vamos mais permitir que uma minoria de tauricidas imponha algo que raia a debilidade mental a uma maioria idónea.

 

Não vamos mais permitir que os legisladores continuem, a prestar um mau serviço ao país, com leis bastardas, irracionais, anti-ética e desumanas.

 

Não vamos mais permitir que este abuso de poder continue a agredir e a insultar a nossa sociedade, que é constituída por seres humanos, que têm o dever de zelar pelo bem-estar dos seres não humanos, que connosco partilham o Planeta.

 

Não vamos mais permitir que quem pratica biocídio permaneça impune.

 

Não vamos mais permitir que o nosso País seja conspurcado por uma prática primitiva que envergonha as sociedades humanas contemporâneas.

 

Por isso vamos todos exigir aos deputados da Assembleia da República, que no próximo dia 25 de Outubro discutirão algo que nem sequer devia ser discutido, por ser demasiado óbvio e fazer parte da essência humana, aprove o projecto-lei apresentado pela Associação ANIMAL, e, desse modo, fazê-los entrar para o rol dos políticos civilizados.

 

É que já estamos fartos de tanta mediocridade, em todas as áreas governamentais.

 

Chegou o momento de os deputados da nação darem um salto para o Século XXI depois de Cristo, e saírem da Idade das Trevas, onde a maioria ainda vive.

 

Rejeitaremos qualquer solução que não passe pela abolição das touradas e da dignificação dos Direitos de TODOS os Animais, incluindo Touros e Cavalos, excluídos do Reino Animal, por legisladores completamente desatinados.

 

A hora é de agir.

 

(Texto enviado para todas as autoridades governamentais)

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 14:58

link do post | Comentar | Ver comentários (2) | Adicionar aos favoritos

UMA ABERRAÇÃO CHAMADA TAUROMAQUIA, PROTEGIDA POR UMA LEI IRRACIONAL

 

Isto acontece em Portugal, porque os legisladores não servem os interesses do povo, mas os do obscuro lobby tauromáquico.

 

BASTA!

 

EXIGIMOS A ABOLIÇÃO DESTA ALIENAÇÃO MENTAL

 

 

Por Dr. Vasco Reis (Médico Veterinário)

 

«Praticamente, toda a actuação sobre os touros no âmbito da criação e na tauromaquia é de violência, até para provocar, embravecer e manter a aversão dos animais pelos humanos, o que é aproveitado para que, na lide, o animal ataque “artistas” torcionários a pé ou a cavalo, “colaborando” no espectáculo.

 

A violência atinge a sequência mais forte com a captura no campo ou ganadaria; na contenção e no transporte aterrorizante e claustrofóbico; em privações e maltratos; no corte muito doloroso e angustiante dos cornos e embolação; na longa exposição sob o sol de verão em caixas de transporte e contenção; na lide na provocação, esgotamento, ferimentos dolorosíssimos por bandarilhas=arpões, sangria; depois da lide no arrancar das bandarilhas, facilitado por cortes sem anestesia; até ser libertado do sofrimento por um abate violento terá que suportar por mais uns dias mais contenção, transporte, condução em estado febril de exaustão, depressão, intoxicação metabólica, ferimentos dolorosos a infectar.

 

É óbvio que touros poderosos, provocados, hostilizados, embravecidos, só podem ser dominados e conduzidos na “via-sacra” tauromáquica com enorme violência.

 

O vídeo mostra o aparato da captura e transporte deste touro, provavelmente moribundo, “generosamente” indultado, para fora da arena.

 

Serve para confirmar quão abominável é a tauromaquia!»

 

http://www.ideal.es/videos/granada/noticias/2668462568001-esperpentica-manera-sacar-toro-indultado-plaza-toros-baza.html

 

(Repare-se como as bancadas da arena estão vazias… E ainda teimam em continuar a fingir que são muitos…)

publicado por Isabel A. Ferreira às 10:37

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Terça-feira, 1 de Outubro de 2013

A BRUTALIDADE DA TOURADA

 

NÃO PODEMOS SER CÚMPLICES DESTA CARNIFICINA

 


 

 

E É ISTO QUE TEMOS DE MOSTRAR AOS LEGISLADORES

 


 

publicado por Isabel A. Ferreira às 19:01

link do post | Comentar | Ver comentários (2) | Adicionar aos favoritos

Mais sobre mim

Pesquisar neste blog

 

Julho 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Posts recentes

A TOURADA É UMA PRÁTICA T...

«OS ANIMAIS SÃO TODOS IGU...

NUM PAÍS ONDE A VIOLÊNCIA...

GATO VIVE AMARRADO A UMA ...

A TOURADA EM VIANA DO CAS...

É POR ISSO QUE OS NOSSOS ...

PELOS TOUROS E CAVALOS! A...

CAROS (AS) COMPANHEIROS (...

UMA ABERRAÇÃO CHAMADA TAU...

A BRUTALIDADE DA TOURADA ...

Arquivos

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

DIREITOS

© Todos os direitos reservados Os textos publicados neste blogue têm © A autora agradece a todos os que os divulgarem que indiquem, por favor, a fonte e os links dos mesmos. Obrigada.
RSS

ACORDO ORTOGRÁFICO

Em defesa da Língua Portuguesa, a autora deste Blogue não adopta o Acordo Ortográfico de 1990, devido a este ser inconstitucional, linguisticamente inconsistente, estruturalmente incongruente, para além de, comprovadamente, ser causa de uma crescente e perniciosa iliteracia em publicações oficiais e privadas, nas escolas, nos órgãos de comunicação social, na população em geral, e por estar a criar uma geração de analfabetos escolarizados e funcionais.

COMENTÁRIOS

Este Blogue aceita comentários de todas as pessoas, e os comentários serão publicados desde que seja claro que a pessoa que comentou interpretou correctamente o conteúdo da publicação. Serão eliminados os comentários que contenham linguagem ordinária e insultos, ou de conteúdo racista e xenófobo. Em resumo: comente com educação, atendendo ao conteúdo da publicação, para que o seu comentário seja mantido.

CONTACTO

isabelferreira@net.sapo.pt