Sexta-feira, 9 de Fevereiro de 2024

Legislativas 2024 - Movimento Acção Ética (MAE) interpela candidatos à Assembleia da República

 

MAE.PNG

 

Nos últimos anos, lamentavelmente, a Assembleia da República tem aprovado várias leis que representam um retrocesso ético e civilizacional, a começar pela da eutanásia e a terminar com o pacote legislativo implementador da ideologia de género.

 

A realização de eleições torna-se um bom momento para os partidos políticos, ao invés do que tem sucedido habitualmente, esclarecerem os eleitores sobre os respectivos programas em matérias de incidência ética. Por só o voto esclarecido ser verdadeiramente livre e a democracia substancialmente democrática, o Movimento Acção Ética interpela as candidaturas que se apresentam às eleições à Assembleia da República a 10 de Março a responderem a um conjunto de perguntas.

 

1 - Que tipo de cuidados deve o Estado prestar às pessoas em fim de vida?

Aprovada já a legalização da eutanásia, há partidos políticos que proponham a revogação desta lei? Como pensam os partidos implementar uma rede nacional de cuidados paliativos?

Para o MAE, em vez de colocar o Serviço Nacional de Saúde a financiar a morte de doentes, o Estado deveria criar uma rede eficiente e universal de cuidados paliativos.

 

2 - Quais as medidas para aumentar a natalidade e reverter o envelhecimento demográfico?

Sendo Portugal um país com baixa taxa de fecundidade, insusceptível de contrariar o envelhecimento populacional e, por essa via, comprometendo, a curto e a médio prazo, o crescimento económico e a sustentabilidade do Estado social, como pensam os partidos políticos responder ao desafio?

O MAE alerta para a urgência de medidas que incentivem a natalidade, pois uma sociedade envelhecida e sem crianças é uma sociedade sem futuro.

 

3 - Que soluções devem ser implementadas para acelerar a justiça, reduzindo a burocracia, e mantendo um equilíbrio com um sistema judicial garantístico?

Num país sem celeridade na justiça, sem condições dignificantes para os agentes da justiça exercerem a suas funções, favorecendo expedientes dilatórios e uma floresta de leis ao sabor de oportunismos de agenda política, quais as medidas que os partidos políticos propõem implementar para a reforma do sistema judicial?

O MAE sublinha que sem leis justas, sem um efectivo processo equitativo e sem dignificação dos agentes da justiça não há verdadeiro Estado de Direito – tudo será uma ficção meramente nominal.

 

4 - Como se alcança o equilíbrio entre a educação pública e a liberdade de educar pelos pais e o exercício autónomo da medicina e da psicologia?

Num país com problemas estruturais no ensino, ante uma Assembleia da República que se preocupa com o “nome neutro” e a imposição da ideologia de género nas escolas, incluindo a criminalização de terapias de conversão cuja lei foi promulgada pelo Presidente da República, como pensam os partidos políticos resolver os verdadeiros problemas do ensino em Portugal? Têm alguma proposta concreta de revogação desta lei criminalizadora? Entendem retomar os diplomas vetados politicamente pelo Presidente da República»

O MAE considera que o Estado não pode impor uma ideologia nas escolas, nem perseguir ou atemorizar os médicos e os psicólogos no exercício da sua actividade clínica. É seu dever educar as crianças, promovendo a tolerância, respeitando os valores indicados pelos pais e aceitar o livre acompanhamento clínico das situações de disforia de género, por profissionais de saúde competentes e certificados, sem interferências ideológicas.

 

5 - O SNS deve ser gerido em exclusividade pelo Estado?

Não obstante os bons resultados sociais da gestão privada dos hospitais públicos, ante governos que rejeitam parcerias público-privadas nos hospitais públicos, apesar da falência operacional e técnica do SNS, como pensam os partidos políticos resolver o problema da saúde?

O MAE entende que é eticamente condenável que o Estado, por razões ideológicas, rejeite modelos de gestão privada no SNS ou protocolos de cooperação com o sector privado, prejudicando deste modo os cuidados de saúde a prestar à população.

 

6 - Que medidas devem ser implementadas para proteger a família e favorecer a conciliação trabalho-família?

Em tempos de ataque ao modelo tradicional de família, enquanto base estruturante da sociedade, que propostas têm os partidos político para proteger e apoiar as famílias? Como vão procurar melhorar a conciliação entre trabalho e família?

O MAE defende que cabe ao Estado criar as condições sociais que permitam que as famílias possam viver dignamente, prosperem, tenham os filhos que desejarem, conciliando o trabalho e a vida familiar. 

 

7 - Como prevenir e combater a corrupção e o tráfico de influência?

Num país assolado com investigações judiciais e escândalos de corrupção e tráfico de influência, envolvendo também titulares de cargos públicos, como pensam os partidos políticos concretizar efectivas medidas de combate? Devem ser reforçados os meios de investigação do Ministério Público? E no plano intra-partidário, como entendem conciliar a presunção de inocência e a garantia de idoneidade dos seus candidatos a cargos públicos?

 

O MAE, partindo do entendimento de sem uma ética de serviço público não existe efectiva responsabilidade dos titulares de cargos públicos, sublinha que o exercício de funções públicas não é um privilégio do seu titular, antes traduz uma vinculação ao bem comum da colectividade.

 

 ***

MAE – MOVIMENTO ACÇÃO ÉTICA

Fundado a 1 de Janeiro de 2021, por António Bagão Félix (economista), Paulo Otero (jurista), Pedro Afonso (médico psiquiatra) e Victor Gil (médico cardiologista), o Movimento de Acção Ética apresentou-se publicamente a 10 de Março desse ano. Sob a divisa “Vida, Humanismo e Ciência”, o MAE é uma iniciativa cívica que visa propor abordagens, reflexões, estudos e contributos em torno das questões éticas actuais, propondo uma ética centrada na pessoa e na valorização da vida humana, combatendo a indiferença e o relativismo ético, desejando contribuir para uma maior consciencialização dos imperativos éticos e para uma ética do futuro que não seja uma ética para o futuro, mas para hoje.

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 16:03

link do post | Comentar | Ver comentários (2) | Adicionar aos favoritos
Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2023

Blogue «Identidade de Género - Ideologia ou ciência? - O que se está a fazer às crianças é criminoso»

 

DECLARAÇÃO:

Não apoio nenhum partido político. Sou convictamente apartidária, mas não, apolítica. Não concordo com a partidocracia  instalada em Portugal, o que me dá o privilégio de poder aproveitar o que cada partido apresenta de racional, para fazer evoluir a sociedade. Leram bem: fazer evoluir. E voto em pessoas, mas NUNCA, em bandeiras. E se nenhuma pessoa merecer o meu voto, voto em branco. Por isso, dou-me o direito de partilhar a publicação do Blogue da Ana Maria Costa, porque comungo da ideia de que o que estão a fazer com as nossas crianças é criminoso, até porque já fui (digo já fui, porque lhe perdi o rasto, não sei se é vivo ou morto) a melhor amiga de um transexual brasileiro, e o sofrimento dele  fez-me doer a alma.

 

E mais: concordei, na íntegra, com o discurso  da "Política da Retrete", da Deputada da Assembleia da República, Rita Matias. Já temos demasiados tarados e violadores à solta por aí. Não queiram os políticos ser coniventes com este tipo de crimes. Este é um assunto demasiado sério, para ser tratado levianamente por gente, que, sem a mínima competência na matéria, com certeza, gostaria de ver o circo a arder. As crianças e os jovens portugueses merecem RESPEITO


Aproveito para deixar aqui um link para o excelente artigo de Teresa de Melo Ribeiro sob o título «A promoção da ideologia de género nas escolas e o abuso de menores -  A legalização da imposição e promoção da (totalitária) Ideologia de Género nas escolas portuguesas constitui um inadmissível abuso da especial fragilidade e vulnerabilidade das crianças e dos jovens», com o qual estou inteiramente de acordo:

https://observador.pt/opiniao/a-promocao-da-ideologia-de-genero-nas-escolas-e-o-abuso-de-menores/

 

O que pretendem os deputados da Nação? Castrar as nossas crianças e jovens, ou haverá gato escondido com o rabo de fora, nesta ingerência na vida pessoal e familiar das crianças e jovens portugueses?

Isabel A. Ferreira

***

 

Dezembro 18, 2023

Maria Helena Costa

Todos os alunos e professores estão a levar com políticas ideológicas de género que anulam protecções baseadas no sexo ao dar prioridade aos sentimentos em vez da biologia.

Estreou ontem, às 21h, a apresentação do documentário "No Way Back" legendado em Português [*] com importantes testemunhos, não só de "detransicionados" como de profissionais de saúde. Numa altura em que vemos aprovadas, nas nossas costas, leis que promovem a confusão de crianças e prevêem a perseguição aos pais que questionem isto, urge ver este documentário e fazê-lo chegar ao maior número de pessoas possível.

Maria Helena Costa

 

Este documentário sobre "detransição" conta com a participação de 05 pacientes, 12 especialistas e 45 artigos médicos académicos. Uma onda de arrependimento está a vir na nossa direcção. Estará a nossa sociedade equipada para enfrentar os danos dos chamados cuidados de afirmação de género e para reconhecer o que a classe médica tem feito aos detransicionistas? Saiba pelo que estas almas corajosas passaram e como pode ajudar. Veja o nosso filme "No Way Back: A Realidade dos Cuidados de Afirmação de Género", anteriormente conhecido como "Affirmation Generation". Este documentário é uma produção independente, com recurso à boa vontade de voluntários e de pessoas que fizeram pequenos donativos. Não houve qualquer subsídio estatal nem apoio institucional. Muita gente trabalhou arduamente de forma gratuita ou por um valor simbólico. A distribuição do filme foi deveras difícil porque em vários cinemas a exibição chegou a ser cancelada depois de violentos protestos de transactivistas. A larga maioria das pessoas responsáveis por este filme são elas mesmas consideradas parte daquilo que se chama "comunidade lgbt+" e que se horrorizam com o alcance que a Ideologia e Género está a ter na vida de tanta gente. A maré está a mudar! Mais informação em: nowaybackfilm.com

***

[*]  O documentário está legendado em Português híbrido: ora grafia portuguesa, ora grafia brasileira. O texto de apresentação do documentário, igualmente. Neste caso, «O Lugar da Língua Portuguesa» accionou a correcção automática, conforme consta na componente AO90, no lado esquerdo do Blogue. (Isabel A. Ferreira)

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 16:06

link do post | Comentar | Ver comentários (2) | Adicionar aos favoritos
Quinta-feira, 17 de Setembro de 2020

Ideologia de Género nas Escolas Portuguesas

 

Uma vergonhosa lavagem cerebral às indefesas crianças, a quem lhes são induzidas as "ideias" que são denunciadas neste vídeo, sem que elas percebam porquê.

 

O que pretende o "lobby" que está por trás disto?

É que isto faz parte de regimes totalitários. Não, de regimes democráticos.

 

O que pretende o Ministério da Educação? Robotizar as crianças portuguesas?

 

A sociedade portuguesa está a ser atacada por uma espécie de esquerdalha, que só desprestigia a esquerda, fazendo catapultar uma espécie de direitalha, que desacredita a direita. Cuidado! Já há quem esteja a esgueirar-se por esta brecha…   

Não tenham receio de abordar este tema e de dizerem ALTO o que pensam baixinho.

 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 18:12

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Mais sobre mim

Pesquisar neste blog

 

Junho 2024

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
12
13
15
17
18
19
21
22
23
24
26
27
28
29
30

Posts recentes

Legislativas 2024 - Movim...

Blogue «Identidade de Gén...

Ideologia de Género nas E...

Arquivos

Junho 2024

Maio 2024

Abril 2024

Março 2024

Fevereiro 2024

Janeiro 2024

Dezembro 2023

Novembro 2023

Outubro 2023

Setembro 2023

Agosto 2023

Julho 2023

Junho 2023

Maio 2023

Abril 2023

Março 2023

Fevereiro 2023

Janeiro 2023

Dezembro 2022

Novembro 2022

Outubro 2022

Setembro 2022

Agosto 2022

Junho 2022

Maio 2022

Abril 2022

Março 2022

Fevereiro 2022

Janeiro 2022

Dezembro 2021

Novembro 2021

Outubro 2021

Setembro 2021

Agosto 2021

Julho 2021

Junho 2021

Maio 2021

Abril 2021

Março 2021

Fevereiro 2021

Janeiro 2021

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Direitos

© Todos os direitos reservados Os textos publicados neste blogue têm © A autora agradece a todos os que os divulgarem que indiquem, por favor, a fonte e os links dos mesmos. Obrigada.
RSS

AO90

Em defesa da Língua Portuguesa, a autora deste Blogue não adopta o Acordo Ortográfico de 1990, nem publica textos acordizados, devido a este ser ilegal e inconstitucional, linguisticamente inconsistente, estruturalmente incongruente, para além de, comprovadamente, ser causa de uma crescente e perniciosa iliteracia em publicações oficiais e privadas, nas escolas, nos órgãos de comunicação social, na população em geral, e por estar a criar uma geração de analfabetos escolarizados e funcionais. Caso os textos a publicar estejam escritos em Português híbrido, «O Lugar da Língua Portuguesa» acciona a correcção automática.

Comentários

Este Blogue aceita comentários de todas as pessoas, e os comentários serão publicados desde que seja claro que a pessoa que comentou interpretou correctamente o conteúdo da publicação. 1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome. 2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas". 3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias. Serão eliminados os comentários que contenham linguagem ordinária e insultos, ou de conteúdo racista e xenófobo. Em resumo: comente com educação, atendendo ao conteúdo da publicação, para que o seu comentário seja mantido.

Contacto

isabelferreira@net.sapo.pt