Quarta-feira, 13 de Novembro de 2019

Ainda a confrontação, na TVI, entre Civilização (José Pacheco Pereira) e Obscurantismo (Miguel Sousa Tavares) a propósito de touradas...

 

Uma douta intervenção do Dr. Vasco Reis, Médico-Veterinário, num comentário no Facebook, a propósito da aludida confrontação entre Civilização e Obscurantismo.

 

Touros.jpg

E pensar que os Touros são bovinos mansos, porque herbívoros, que se os deixarem em paz, pastam tranquilamente nos prados, como cordeirinhos...

Origem da imagem:

https://olhares.sapo.pt/touros-no-pasto-foto3442125.html

***

 

E pensar que é a isto que os reduzem, para satisfazer o “gosto” dos miguéis sousas tavares do mundinho tauromáquico…

 

 Touro monsaraz.jpeg

Massacre ilegal de Touro em Monsaraz, com crianças envolvidas, algo permitido pelas autoridades e governantes portugueses.

 

Vasco Reis Bravo ao José Pacheco Pereira pela sua argumentação tão correcta, corajosa e com muito sentido de ética. Creio que se deve reconhecimento a este digno cidadão abolicionista e agradecimento à sua tomada de posição pública, manifestando-se e argumentando contra a praga tauromáquica. Toda a solidariedade é importante para aqueles que o fazem!

 

É bom que se conheça o que o Miguel Sousa Tavares diz acerca de touros e de touradas, uma série de erros e de falácias, que os defensores da tauromaquia impingem como de costume e que não têm qualquer reconhecimento científico e nenhum sentido de ética. É democraticamente inaceitável a opinião que defende sobre a liberdade de se permitir a crueldade intrínseca da tourada, montra de maltrato animal, que antes, durante e após este "tradicional" evento representa de sofrimento psicológico e físico. Uma ideia vergonhosa de democracia para se continuar com a barbárie!

 

Talvez, o comentador em questão, que define o touro como animal de luta, sempre ao ataque, pudesse imaginar-se na situação do animal e viesse a mudar de mentalidade, se tivesse capacidade para tal. Pois, o animal é criado e habituado a um ser humano (pastor) ameaçador e tal, até com varapaus de comprimento imponente; apartado e transportado em pânico e em cubículo claustrofobizante; "preparado" para a lide com requintes e de maneira a perder força e capacidade; empurrado para a arena vindo da escuridão e ofuscado pelo sol; assustado pelo alarido; provocado pelos "artistas" a pé e a cavalo; esgotado; cravado de arpões, que tão cruelmente como foram espetados, assim são retirados. Seguem-se horas e dias depois deste "calvário" a sofrer acidose, febre e dores provocadas pelos ferimentos das bandarilhas, confinado e novamente transportado em pânico, até que uma morte sofrida lhe ponha termo a tanto sofrimento.

 

E porquê tudo isto? Para que haja negócio e porque gente como o aficionado Miguel Sousa Tavares adora esta luta, aliás (para ele "bailado"), que acha tão bela e tão valorosa e que importa manter esta tradição, que não considera cruel. A iniciativa deste frente a frente por parte da estação televisiva foi importante e contribui para conhecimento de argumentação pró tourada (que é indefensável) e de argumentação contra a tourada! (que é irrefutável)! Que malvadez para touros e cavalos, que prejuízo civilizacional para a sociedade e que desprestígio para Portugal.

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 16:15

link do post | Comentar | Ver comentários (2) | Adicionar aos favoritos
Quinta-feira, 10 de Maio de 2018

MORREU O TOURO SUFOCADO NO SEU CAIXÃO…

 

… quando ia a caminho de uma tourada...

 

Isto é o mundo bruto da tauromaquia, onde os Touros, bovinos, herbívoros mansos e sencientes, indefesos e inofensivos,   vão morrendo aos poucos, pelos caminhos que têm de percorrer entre o campo e a arena.

 

E alguns morrem antes de chegar à arena. Sufocados, confinados dentro de camiões.

 

E dizem que isto faz parte da tradição, da arte, da cultura dos países (oito terceiro-mundistas países) onde esta prática grosseira ainda persiste.

 

 

Repare-se na bestialidade desta "gente" grosseira, e em tudo o que envolve o que se vê na imagem. Os Touros são levados para a arena, fechados num cubículo, às escuras, onde mal cabem e respiram, e quando sobrevivem a esta tortura, e são largados nas arenas, ao que se passa imediatamente a seguir  - a reacção à luz, aos berros histéricos dos sádicos, ao lugar estranho, que não é o meio ambiente deles  - os tauricidas chamam "bravo" , e quando são atacados pelos cobardes toureiros, reagem com toda a coragem, num acto de legítima autodefesa, e os tauricidas chamam ao bovino que assim se defende "touro bravo".

Pudera! Qualquer animal humano ou não-humano, ficará bravo depois de passar o que estes desventurados Touros passam no caminho do campo à arena, enfiados e vilipendiados num cubículo, onde por vezes morrem asfixiados.

E há quem se pele todo a defender esta crueldade!

 

E o pior, acham que quem defende os animais não-humanos e a Vida, são doentes e precisam de psiquiatra, não tendo a menor noção de que eles é que são os psicopatas e os sádicos!

 

Isabel A. Ferreira

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 16:56

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Terça-feira, 13 de Março de 2018

«ANIMAIS EM RESTAURANTES?»

 

Um lúcido texto de Teresa Botelho, publicado no Blogue «Retalhos de Outono»

Faço também minhas todas as palavras da Teresa

CÃES.jpg

Legenda: cães aceitam-se; banqueiros interditos, excepto se pagarem uma taxa de entrada de 70.000 Euros

 

Texto de Teresa Botelho

 

«Não estava nos meus planos comentar este tema, porque tais celeumas não passam de canções de embalar de sociedades rústicas, atrasadas, míopes, desocupadas, egocêntricas e acostumadas a certas mediocridades que daqui a algum tempo se dissipam e entram nas nossas rotinas, porque a presença de um animal dentro de um espaço fechado ou numa esplanada cheia de gente, pouca ou nenhuma diferença faz... 

 

Quando como em casa, eles estão ao meu lado, mas o meu prato é para eles tão meu, como as taças onde cada um deles come, mas se por acaso eu cometer alguma gafe na qualidade ou quantidade de alimentos que lhes coloco e que só é reparada enquanto eles comem, peço-lhes licença e corrijo o erro, sem zangas nem ressentimentos, porque as rotinas criaram essa confiança que só a convivência e a comunicação nos conseguem dar.

 

Falei de comunicação?

 

Claro que sim, porque até uma criança que não aprendeu ainda a verbalizar as suas vontades, consegue comunicar com quem a quiser entender...   

 

É tão fácil saber se um animal está ou não confortável, se se sente à vontade no meio de nós, se o medo o faz fugir, ou o torna agressivo que só quem não estiver atento, poderá negar todos esses sinais e achar que está apenas perante qualquer pedregulho insensível, entalado algures numa falésia batida pela chuva e sacudida pelo vento...

 

Porque razão será que o arcaico egocentrismo humano, inventa espaços que considera só seus e não os pode partilhar com as espécies que humanizou? 

 

Sem dúvida que o termo "humanizar" serve de desculpa para críticas, mas porque razão se domesticaram alguns animais, roubando-os à Natureza, para que nos servissem para os melhores e para os piores fins?                                                             

 

Porque razão o cão, o gato e alguns outros, se dedicam incondicionalmente a quem os trata e sofrem com a sua ausência?

 

Se os traumas que residem em muitos humanos são justificados, porque razão num animal não o são?

 

 

A lei que permite a entrada de animais de companhia em espaços de restauração, foi sem dúvida um ultraje ao "status humanóide" de muitos ignorantes que nada mais são do que provincianos obtusos e mal informados, tal como o é a discriminação de que são vítimas aquelas "aves já não tão raras", que por opção própria, não se alimentam dos nacos de carne que satisfazem os outros da sua espécie. 

 

Perante tais desigualdades e constrangimentos, proponho que os velhos dísticos de proibição de animais, passem também a incluir "humanos herbívoros", porque discriminação por discriminação, pelo menos que se assumam estas, já que outras há que ficarão apenas pelos bastidores dos preconceituosos...

      

Confesso que me sinto envergonhada com tanta resistência à evolução, mas sempre fomos assim, por isso, já que os cães que vejo atados à porta do supermercado aguardando a chegada dos seus tutores, perante o entra e sai de tantos  estranhos e dos carrinhos de compras, com ar de abandono, se comportam melhor que as criancinhas que correm e perturbam lá dentro com as suas birras e atropelos, merecem não só entrar em qualquer espaço comercial, como em todos os lados e só questiono o porquê de tanto falatório...

 

Pelo menos os animais, comem sem mostrar aos outros o conteúdo que mastigam, não bebem em excesso nem criticam ninguém e a poluição sonora que sinto em muitos restaurantes ao fim de semana, talvez fosse menor se as pessoas tivessem a educação de muitos cães...

 

Prometera a mim mesma, não ver mais alguns programas que a RTP transmite, porque a falta de isenção dos "dinossauros" que os apresentam me agride, mostrando-me a degradação da ética jornalística instaurada, mas perante tantos comentários que li, a curiosidade fez-me ir às gravações e novamente me vi no meio de um chorrilho de idiotices e de ignorantes... 

 

Ora como sou obrigada a pagar uma taxa para sustentar a TV pública, era ainda preciso chamarem ao debate um certo doutorzinho Taxa, para vomitar as suas diarreias mentais através de trágicas cenas de terror a tirar para o cómico?           

 

É evidente que abandalhar um tema sério que nada tem de extraordinário em outros países, é a técnica dos broncos que precisam manter o país na penumbra da estupidez para se conseguirem destacar, mas se outros aplaudiram as baboseiras do sr. Taxas, a apresentadora parece ter gostado, porque ao dar-lhe tempo de antena, confirma o seu próprio prazo de validade vencido e a necessidade de engraxar quem lhe paga, para que lho prolonguem ...

 

Esquecendo agora as taxas, os jornalistas em saldo, mais as críticas a uma lei que incomoda tanta gente porque segundo alguns, "há coisas mais importantes a debater", parece-me que algo aqui se esqueceu, já que puxar pela cabeça está cada vez mais caro por cá. 

Nos tempos que correm, a temática animal, como tão bem foi dito e talvez menos ouvido no referido programa, tem várias vertentes e atrevo-me a acrescentar, como educadora que fui que a mais importante é a pedagógica, logo, a presença de animais no nosso dia a dia e a observação das suas posturas e comportamentos em sociedade, faz parte dessa aprendizagem. 

 

Quem pinta cenas de ataques a travessas, a mesas e às pessoas, está apenas a passar um atestado de irresponsabilidade e estupidez a quem integrou os seus animais na família, sociabilizando-os e confiando neles ao ponto de os levar de passeio ou de férias (que o digam os estrangeiros que nos visitam), sem ter que os condenar ao stress de um carro fechado ou de uma trela atada à porta.

 

Sejamos, portanto, sensatos e aceitemos com lucidez os novos tempos, porque não são só as tecnologias que ditam o progresso, a ética faz parte dele, se o quisermos equilibrado e justo.»  

 

Fonte:

https://retalhosdeoutono.blogspot.pt/2018/03/animais-em-restaurantes.html

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 09:56

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Sábado, 16 de Setembro de 2017

OS TOUROS SÓ INVESTEM SE FOREM TORTURADOS!

 

Mais um mito tauromáquico destruído pela realidade.

 

Os Touros, como herbívoros que são, só investem para se defenderem dos carrascos que o atacam cobardemente: toureiros, bandarilheiros, forcados…

 

Os tauricidas e afins vivem num mundo de mentiras, criadas para sustentarem uma prática selvática, que apenas serve interesses económicos obscuros e os maus instintos de quem a pratica, a aplaude, a promove, a apoia…

 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 11:05

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Segunda-feira, 24 de Julho de 2017

A GRANDE MENTIRA DA TAUROMAQUIA

 

Apenas os ignorantes acham que os touros são carnívoros e animais da selva, para atacarem outros animais, incluindo o homem.

 

Os Touros são animais herbívoros, mansos por natureza.

 

O que os faz "bravos" é a crueldade com que os seus carrascos os tratam. E eles, os Touros, quando "atacam", estão simplesmente a defender-se, como qualquer humano faria.

 

Tudo na tauromaquia é uma grande mentira.

Tudo na tauromaquia é fruto da mais profunda estupidez.

 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 10:42

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Terça-feira, 11 de Novembro de 2014

«Os Touros são animais herbívoros de natureza pacífica»

 

«Toureiros - assassinos em série que causam devastadores danos às suas vítimas e à nossa sociedade.

Deve acabar-se urgentemente com esta brutalidade»

 

10734208_359318917578494_2591218507110904329_n[1].

 Fonte

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=359318917578494&set=a.256198751223845.1073741830.100005011658706&type=1&theater

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 10:14

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Quinta-feira, 20 de Fevereiro de 2014

TOURADAS? UMA QUESTÃO DE TEMPO… BREVE… MUITO BREVE…

 

É só uma questão de tempo para que estes actos aberrantes terminem, e os touros sejam livres de viver as suas vidas em paz, tranquilamente, como é da sua natureza de herbívoros.

ooo

ooo
publicado por Isabel A. Ferreira às 10:07

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Sexta-feira, 24 de Janeiro de 2014

III FÓRUM MUNDIAL DA TORTURA TAURINA NOS AÇORES

 

OS VALORES MONETÁRIOS DO “DIVERTIMENTO” DOS SÁDICOS: 90.000 EUROS, 60.000 DOS QUAIS DESBARATADOS PELO GOVERNO REGIONAL DE UM ARQUIPÉLAGO MAL FALADO EM TODO O MUNDO

 

 

(Num universo de cerca de 196 países existentes em todo o mundo, repare-se nas oito bandeirinhas dos oito tristes países terceiro-mundistas que ainda mantém este ritual diabólico num tempo em que o homem já colocou os pés na Lua)

 

(Notícia recebida via e-mail)

Eis a interpretação do texto enviado:

 

Numa altura em que, localmente, os valores monetários voltaram à ribalta, eis-nos às portas de mais um evento com contornos únicos e obscuros, onde facilmente se podem identificar traços próprios das gentes primitivas e incultas destas terras: o gosto pela tortura, a resistência à evolução, o prazer mórbido de conviver e de partilhar atitudes desumanas e uma clara apetência para o sadismo, nos seus mais diversos desconchavos...  

 

Também nestas características herodianas, os aficionados açorianos querem ser únicos, e francamente abertos às más influências... Pelos valores monetários esbanjados numa iniciativa tão desprestigiante para o Arquipélago dos Açores.

 

 

 

O 3º Fórum Mundial da Cultura Taurina junta, na Ilha Terceira, cerca de 120 aficionados estrangeiros e promete partilhar conhecimentos perversos e experiências desumanas com a afición local, sendo a terceira vez que a Tertúlia Tauromáquica Terceirense leva a cabo esta iniciativa degradante para o povo açoriano.

 

Mais de 250 pessoas devem (devem, não é certo) participar nos trabalhos e actividades, que se iniciam esta manhã, na Praia da Vitória, que num universo de milhões de amigos dos Touros de todo o mundo, este número é uma gotinha no oceano.

 

Ao menos isso!

 

Para a edição deste ano, a comparticipação do Governo Regional desceu de 75 para 60 mil euros, pelo que o orçamento, de cerca de 90 mil euros, foi reduzido. Mas é esperado o mesmo nível de capacidade maquiavélica das edições anteriores.

 

Trata-se de mais um acontecimento que funciona como contributo para a despromoção da Ilha Terceira no exterior e que, para além das várias conferências e mesas redondas que abordarão os métodos da crueldade a aplicar a mansos bovinos, inclui um forte programa social de comes e bebes, mais bebes do que comes, como é habitual nestes encontros de torturadores de bovinos mansos e herbívoros.

 

Segundo um representante da entidade organizadora, o Fórum vai procurar "fazer sobressair todos os valores monetários que a tauromaquia usufrui em detrimento do desenvolvimento social, cultural e educacional da Ilha, e que normalmente não estão presentes nas preocupações das autoridades locais, mas estão enraizados na observância do espectáculo degradante que é a tauromaquia.”

 

Olé, para mais este encontro tosco que, novamente, conspurcará o nome da Ilha Terceira, por esse mundo fora.

 

E orgulham-se eles, de tão vergonhosa façanha!

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 13:54

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Segunda-feira, 20 de Janeiro de 2014

«O MUNDO TAURINO SEMPRE ME PARECEU REPUGNANTE E FRAUDULENTO» DIZ UMA DAS MENTES MAIS LÚCIDAS DO NOSSO TEMPO

 

O que faz falta em Portugal são HOMENS como Jesús Mosterín, dispostos a dar a cara, o prestígio e o saber por uma causa em está em causa a Ética e a Lógica da Vida.

 

 

«O mundo taurino sempre me pareceu repugnante e fraudulento.

Fui e sou crítico desse mundo tanto por razões morais como intelectuais.

A corrida de touros é uma mera farsa, um simulacro de combate onde não há combate algum.

O touro é um típico ruminante que só deseja que o deixem pastar e ruminar em paz.

Não quer lutar.

Por isso, atiram-no para a arena, uma espécie de inferno de que ele não pode fugir; castigam-no por ser o que é, um ser herbívoro pacífico, e torturam-no com a lança e a “puya” do rojoneador, e as bandarilhas, para que aparente ser o que não é – um animal feroz

Jesús Mosterín

 

***

Jesús Mosterín (Bilbao, 1941) é com toda a probabilidade, uma das mentes mais lúcidas do nosso tempo.

 

Filósofo, Catedrático de Lógica e Filosofia da Ciência, da Universidade de Barcelona, professor de investigação no Instituto de Filosofia da CSIC, membro do Centro de Filosofia e Ciência de Pittsburgh, da Academia Europeia de Londres, do Instituto Internacional de Filosofia de Paris e da Academia Internacional de Filosofia e Ciência, é, além disso, um magnífico conversador, preciso, honesto. Homem do mundo, viajado, pode fazer gala de uma sensatez sem brechas, e tem um grande sentido de humor.

 

***

«ÉTICA, ANIMAIS E DIREITOS»

 

Jesús Mosterín, Hugo van Lawick e Félix Rodríguez de la Fuente em África em 1969.

 

O interesse de Mosterín pela natureza selvagem levou-o já em tempos a colaborar com o famoso naturalista e documentalista Félix Rodríguez de la Fuente, num esforço por estender primeiro a Espanha e depois ao resto do mundo, o conhecimento e o valor da natureza viva e em especial dos animais selvagens, o qual culminou com a publicação da enciclopédia Fauna.

 

Opositor dos espectáculos cruéis, Mosterín tem tomado frequentemente uma posição pública contra as corridas de touros e o maltrato animal.

Contribuiu decisivamente para o debate que conduziu à abolição de corridas de touros na Catalunha em Julho de 2010.

 

Posteriormente publicou um estudo em que critica esta “tradição” argumentando contra quem a justifica.

 

Como presidente honorário do Projecto “Gran Simio” em Espanha, colaborou com Peter Singer na promoção dos direitos legais para os hominídeos não humanos (chimpanzés, bononos, gorilas e orangotangos).

 

Mosterín não aceita a existência de direitos naturais intrínsecos ou metafísicos (nem humanos nem dos animais em geral), contudo, pensa que uma sociedade politicamente organizada pode criar os direitos que considere oportunos através da acção legislativa do Parlamento, e que às vezes fazê-lo é preciso para evitar sofrimentos e desgraças desnecessárias.

 

Seguidor de Hume e Darwin, e levando em conta as deduções de Rizzolatti sobre os neurónios espelho, Mosterín considera que a nossa capacidade congénita para a compaixão, reforçada pelo contacto, pelo conhecimento e pela empatia constituem uma base mais sólida para o respeito moral a ter para com os animais não humanos, do que a mera e abstracta apelação aos direitos inerentes à natureza animal, inverificáveis.

 

Isto encaixa com a relevância que Mosterín atribui às emoções morais (como a compaixão) na Ética, em parte comparável ao papel desempenhado pelas percepções na ciência empírica

(Fonte Wikipédia)

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 19:33

link do post | Comentar | Ver comentários (2) | Adicionar aos favoritos
Terça-feira, 27 de Novembro de 2012

O RESPONSÁVEL PELOS INOCENTES BOVINOS DE IDANHA-A-NOVA JÁ FOI DETIDO, RESPONSABILIZADO E VAI SER CONDENADO COMO MERECE?

 

 

A pergunta colocada no título é o que importa, depois da matança.

 

Recebi dois comentários, sobre as “preocupações” do povo de Idanha-a-Nova, com o facto de terem consentido que se ABATESSE A TIRO inocentes bovinos, que pagaram pelo CRIME do dono deles, o que me parece que anda o povo de Idanha-a-Nova com PESO NA CONSCIÊNCIA.

 

Nada do que o José João e o João Pedro disseram, JUSTIFICA o ABATE A TIRO, ainda mais por GNRS com fraca pontaria, de animais que não têm culpa do ABANDONO a que foram votados.

 

Mas quem as diz bem é o meu amigo CARLOS RICARDO:

 

«A DGAV já demonstrou várias vezes (p. ex. canis municipais não licenciados por não terem condições, mas que continuam a albergar e matar cães e gatos à revelia desta Direcção) que não prima pela defesa dos animais, dando SEMPRE A DESCULPA DE SE TRATAR DA DEFESA DA SAÚDE PÚBLICA.

 

Infelizmente, e não sei se legalmente, utilizou uma força de segurança (GNR) para esta operação. GNR cuja história ao longo dos tempos demonstra ser uma força mais repressiva que de segurança das populações e bens.

 

Os elementos da GNR, que têm actuado nesta matança, têm falhado muitos tiros, já que em alguns vídeos se vêm animais feridos a correr pelo mato fora. Isto significa que não só não resolveram a situação como causaram enorme sofrimento aos animais.

 

Quanto ao indivíduo morto, ainda não foi provado que a sua morte foi provocada pela investida dum desses animais!!!
 
A finalizar e tendo em conta o ponto 8 da resposta da DGAV, desafio esta Direcção a demonstrar que o proprietário já foi detido, responsabilizado e VAI SER PUNIDO, como merece

 

Carlos Ricardo

 

***

 

Só me resta dizer umas coisinhas ao José e ao João.

 

JOSÉ JOÃO, deixou um comentário ao post EM IDANHA-A-NOVA PREVALECE A LEI DA SELVAJARIA: DISPARA-SE CONTRA BOVINOS, ALVEJA-SE GUARDAS DA GNR… E O EXEMPLO “VEM DE CIMA”…  

 

«Respeito a sua opinião. Gostaria apenas que pensasse da seguinte forma: A sua mãe, uma senhora de oitenta e tal anos, residente na aldeia de Segura, que gosta de ir á sua horta, buscar e regar a sua pequenina cultura, dá de caras com um boi de 500 e tal quilos, em puro estado selvagem e não manso, como a cara senhora descreve... animal que anda há aproximadamente uma década, à solta, sem vacinação contra absolutamente nada, tão só porque o dono dos animais originais, ou seja os primeiros, sendo ele veterinário, os meteu numa cerca (terras dele), para receber um subsídio, e os abandonou ao seu destino durante mais de dez anos. Como resolvia a senhora jornalista (freelancer) este problema? Ia lá apanhar os animais mansinhos?»

 

*

 

Pois o que tenho a dizer-lhe José, é que não posso, de modo algum, pensar da forma como sugeriu. Por uma simples razão: se a minha mãezinha de oitenta e tal anos tivesse uma hortinha na aldeia de Segura, e se andassem (e ainda por cima isto já tem UMA DÉCADA) uns bovinos abandonados pelos campos ao derredor, EU como filha da senhora idosa, teria MOVIDO CÉUS E TERRA para RESOLVER o problema dos bovinos, e consequentemente, o problema da minha mãe, para que ela pudesse andar na hortinha dela, sem ter de ver pela frente um boi com 500 quilos, que se estivesse bem tratado, até nem poria em perigo a vida dela.

 

Teria feito tudo para meter o dono dos bovinos na CADEIA.

 

Eis como a senhora jornalista (freelancer) resolveria este problema.

 

O que é que o João José fez?

 

O que é que fez a Câmara Municipal?  

 

O que é que fez a DGAV, nesta última DÉCADA quanto a estes bovinos?

 

Contactaram o dono? Vedaram o terreno? Trataram dos animais?

 

Não mexeram UMA PALHA.

 

E agora vem para aqui tentar justificar uma atitude que não tem justificação possível.

 

***

 

João Pedro, deixou um comentário ao post EM IDANHA-A-NOVA PREVALECE A LEI DA SELVAJARIA: DISPARA-SE CONTRA BOVINOS, ALVEJA-SE GUARDAS DA GNR… E O EXEMPLO “VEM DE CIMA”…  

 

«Talvez devesse saber que os "bovinos mansos e inocentes" já mataram uma pessoa e perseguiram e mataram outras. Já várias vezes os tentaram apanhar mas não conseguiram. Os animais já andam à solta há anos, tornaram-se selvagens e agressivos, muitos deles apresentam sintomas de demência e são um perigo para as pessoas e para a saúde pública. E aquilo é uma região desertificada e com poucos meios. Por isso de mansos não têm nada, antes andam a espalhar o terror pela zona. Que queria que lhes fizessem?»

 

Pois, João Pedro eu já sei dessa SUPOSIÇÃO, gostaria que me provasse que os “bovinos mansos e inocentes” já mataram uma pessoa e perseguiram e mataram outras…

 

Estamos a falar de BOVINOS HERBÍVOROS. Não estamos a falar de MAMÍFEROS CARNÍVOROS, que atacam o homem quando têm fome. E APENAS quando têm fome ou são provocados.

 

Um bovino também pode marrar em autodefesa. Com todo o seu direito. E conheço muita gente que gosta de maltratar os animais desprotegidos, e depois QUEIXAM-SE.

 

Os animais já andam à solta há anos… Pois é. E o João Pedro fez alguma queixa contra o abandono destes INOCENTES E MANSOS ANIMAIS? Fez alguma coisa pelo bem deles?

 

Tornaram-se selvagens? Não seria o contrário? As gentes de Idanha-a-Nova é que se tornaram selvagens em relação a eles?

 

Estamos a falar de BOVINOS.

 

Andaram a espalhar o terror pela zona? Como? Com panos pretos pela cabeça?

 

O único ser que “espalha terror” é o homem predador.

 

O que fizeram aos pobres animais?

 

ABATÊ-LOS A TIRO (com fraca pontaria) foi o modo mais fácil.

 

Não, o povo de Idanha-a-Nova nada fez nesta DÉCADA para resolver o problema civilizadamente, como era sua obrigação.

 

Os bovinos são animais pacíficos. Mas ainda que não fossem, tinham todo o direito à sobrevivência.

Agora mata-se por tudo e por nada.

 

O homem destrói o habitat dos animais. Estes, levados pela fome, procuram comida onde ela existe, e são corridos à bala.

 

Quem são os criminosos?

 

Respondam-me.

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 19:16

link do post | Comentar | Ver comentários (4) | Adicionar aos favoritos

Mais sobre mim

Pesquisar neste blog

 

Dezembro 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Posts recentes

Ainda a confrontação, na ...

MORREU O TOURO SUFOCADO N...

«ANIMAIS EM RESTAURANTES?...

OS TOUROS SÓ INVESTEM SE ...

A GRANDE MENTIRA DA TAURO...

«Os Touros são animais h...

TOURADAS? UMA QUESTÃO DE ...

III FÓRUM MUNDIAL DA TORT...

«O MUNDO TAURINO SEMPRE M...

O RESPONSÁVEL PELOS INOCE...

Arquivos

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Direitos

© Todos os direitos reservados Os textos publicados neste blogue têm © A autora agradece a todos os que os divulgarem que indiquem, por favor, a fonte e os links dos mesmos. Obrigada.
RSS

Acordo Ortográfico

Em defesa da Língua Portuguesa, a autora deste Blogue não adopta o Acordo Ortográfico de 1990, devido a este ser inconstitucional, linguisticamente inconsistente, estruturalmente incongruente, para além de, comprovadamente, ser causa de uma crescente e perniciosa iliteracia em publicações oficiais e privadas, nas escolas, nos órgãos de comunicação social, na população em geral, e por estar a criar uma geração de analfabetos escolarizados e funcionais.

Comentários

Este Blogue aceita comentários de todas as pessoas, e os comentários serão publicados desde que seja claro que a pessoa que comentou interpretou correctamente o conteúdo da publicação. Serão eliminados os comentários que contenham linguagem ordinária e insultos, ou de conteúdo racista e xenófobo. Em resumo: comente com educação, atendendo ao conteúdo da publicação, para que o seu comentário seja mantido.

Contacto

isabelferreira@net.sapo.pt