Sábado, 3 de Agosto de 2013

TERRAS DE BOURO ANULOU A "VACA DAS CORDAS” DO PROGRAMA DAS FESTAS CONCELHIAS/2013

 
 

GENTES DE PONTE DE LIMA, PONHAM OS OLHOS NESTE EXEMPLO DE EVOLUÇÃO

 

 

 

 

 

As ruas de Terras de Bouro coloriram-se, deixando para trás a brutalidade de um costume bárbaro sem qualquer tradição no concelho

 

Por Luzia Ferreira Teixeira

 

«Terras de Bouro libertou a "Vaca das Cordas" para dar lugar a um Programa Cultural e Recreativo!

 

Hoje, dia 3, pelas 16:00 horas, a "Vaca das Cordas" foi substituída pela “Tarde Quinhentista”.

 

O município de Terras de Bouro está de parabéns pela digna postura do Sr. Presidente da Câmara, Dr. Joaquim Cracel Viana.

 

Ele que também é contra esta prática de tauromaquia, apesar de a ter aprovado e dado continuidade nas festas concelhias nos anos de 2010 e 2012.

 

Mas, este ano de 2013, mesmo já depois de a ter aprovado e estar contemplada no programa inicial, analisou a questão, e quase a uma semana da sua realização, tomou a decisão certa, com coerência e bom senso.

 

Anulou o espectáculo que não tinha qualquer tradição em Terras de Bouro, substituindo-o por uma "Tarde Quinhentista" relativa às comemorações dos «500 anos do foral, dado pelo rei D. Manuel I, que concedeu a Carta de Foral a Terras de Bouro, a 20 de Outubro de 1514, reconhecendo a importância destes povos e desta região.»

 

Uma Efeméride digna de comemorações anuais aquando das festas concelhias.

 

Assim, Terras de Bouro libertou "a Vaca das Cordas" para dar lugar a um programa Medieval Cultural e Recreativo.

 

Mesmo contando com a censura e pressões dos poucos aficionados, o autarca manteve a sua posição em relação a esta alteração que para além de não ser possível conseguir fazer um "seguro", o município de Terras de Bouro tem outros e fortes motivos para reprovar e não querer dar continuidade a esta barbárie.

 

Sim, libertou "a vaca das cordas e das atrocidades dos aficionados" dando lugar a um programa Cultural e alusivo ao município, com os animais em liberdade...

 

Anulou algo sem qualquer tradição nem sentido em Terras de Bouro, e que estava a denegrir a imagem do Município e a honra dos Terra-bourenses.

Porque o significado dessa prática, para além dos maus tratos aos animais, é maquiavélico, um sacrilégio e uma blasfémia dos Cristãos para molestar as divindades e cultos Pagãos, práticas do município de Ponte de Lima, cuja origem e significado certamente muitos dos actuais munícipes aficionados desconhecem.

 

Os Terra-bourenses são um povo de origem e tradição Celta e Romana, também com culto religioso, e nunca molestaram as divindades pagãs que ainda preservam e estão bem narradas nos nossos contos, lendas, tradições e cultura.

 

Os Terra-bourenses são um povo íntegro, que convive em conformidade com a Natureza e preserva os Animais em liberdade no PNPG (Parque Nacional da Peneda-Gerês) e por todo o município.

 

Por isso, foi um erro ter-se introduzido essa prática sem ter sido bem analisada, e não fazia qualquer sentido aprovar e dar continuidade a algo que não faz parte da cultura local.

 

Todos os Terra-bourenses, simpatizantes da terra, todas as comunidades anti touradas, protectores e amigos dos Animais, que se manifestaram contra, concordam plenamente com a alternativa, congratulando e apoiando o Sr. Presidente Joaquim Cracel Viana, pela decisão tomada.»

 

***

 

Faço minhas as palavras da Luzia.

 

E também felicito o Sr. Presidente da Câmara de Terras de Bouro, Dr. Joaquim Cracel Viana, por ter tido a coragem de acabar com um costume bárbaro que em nada dignificava um município de gente trabalhadora e fiel a uma cultura que exclui a tortura de animais.

 

Espero que outras localidades, especialmente Ponte de Lima, ponham os olhos em Terras de Bouro, que acaba de dar uma grandiosa lição de civilidade aos autarcas que teimam em não evoluir e optam por oferecer ao povo algo degradante e indigno de seres humanos.

 

Terras de Bouro está de parabéns.

 

E os animais que iriam ser sacrificados agradecem.

 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 21:34

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Terça-feira, 25 de Junho de 2013

TERRAS DE BOURO VOLTA A TER “VACA DAS CORDAS” NO PROGRAMA DAS FESTAS CONCELHIAS? AINDA NÃO DESPERTARAM PARA A MODERNIDADE?

 
 
 
   

ISTO QUE VEJO AQUI É BRONQUICE CRÓNICA!

 

Não posso acreditar!

 

 

Então, DOUTOR Joaquim Cracel Viana? O estatuto de V. Exa. não permite acabar com esta violência primitiva e grosseira?

  

Serão assim tão BRONCAS as gentes de Terras de Bouro?

 

É difícil entender que essa é uma prática de gente inculta e primitiva, e que não se adequa aos tempos modernos?

 

V. Exa. não pretende que Terras de Bouro venha no mapa das terras civilizadas, governadas por gente também civilizada?

 

Pelo que vejo não… E é lamentável…

 

 

Vamos enviar um recado, ao Exmo. DOUTOR Joaquim Cracel Viana para que reconsidere esta posição, que não condiz com o  título que sustenta o seu nome.

 

 

SUGESTÃO de MENSAGEM:

 

Assunto: Evolução precisa-se com urgência

 

Exmo. Senhor Dr. Joaquim José Cracel Viana

Digníssimo Presidente da Câmara Municipal de Terras de Bouro

 

Uma vez mais, lamento ter de escrever a V. Exa, pelo mesmo motivo que me levou a escrever no ano passado: o bárbaro costume da “vaca das cordas”, assunto que esperava já ter sido suplantado, e ficado num passado que não queremos mais para Terras de Bouro e voltar a ver nas Festas Concelhias.   

 

Como destino turístico por excelência, Terras de Bouro deve-se pautar por iniciativas de dignifiquem o concelho, que o façam distinguir entre muitos, e que o tornem como um destino apetecido por milhares. Terras de Bouro têm sido um exemplo de dinamismo e empenho na melhoria das condições de vida dos seus habitantes e tem-se esforçado em oferecer bons serviços a quem o visita, porém, teima em manter esta nódoa negra, que só lhe traz desprestígio.

 

Não se compreende, pois, a insistência na realização de uma pseudo-diversão, denominada “vaca das cordas”, na qual um pobre animal é torturado psicológica e fisicamente também, sob o falso pretexto de se tratar de uma “tradição” no concelho, e que mais não é do que um antiquado costume de broncos, que gerações de broncos passaram umas às outras. É chegado o momento de evoluir.  

 

Sendo um concelho que se orgulha de possuir no seu território um verdadeiro santuário de protecção animal, a realização deste acto bárbaro em nada o dignifica, nem mesmo as suas gentes. Este é um espectáculo cruel que somente é realizado por influências externas ao concelho de Terras de Bouro, por parte de uma indústria embusteira, já bastante decadente e desacreditada no nosso país.

 

Não sei como ainda existem autarcas que caem na lábia desse rebotalho da Humanidade.

 

Deste modo, e tendo em conta o gosto pessoal de Vª Exª. pela Natureza, venho por este meio sugerir que reconsidere a autorização que terá sido dada para a realização deste acto de violência para com um animal, que com toda a certeza não levará até Terras de Bouro os turistas cultos que, com outro tipo de atitude da parte das autoridades locais, até poderiam deslocar-se durante todo o ano a essa terra tão aprazível, quanto medieval nos seus hábitos de diversão.

 

Agradecendo antecipadamente a atenção de V. Ex.ª e ficando na expectativa de uma resposta a esta mensagem, que espero seja positiva,

Com os melhores cumprimentos,

 

Isabel A. Ferreira

 

***

http://terrasbouro.blogspot.pt/2013/06/programa-das-festas-concelhias-de.html

 

Envie um e-mail para o Presidente da Câmara, Dr. Joaquim Cracel Viana, que certamente terá uma palavra a dizer sobre as autorizações para tal violência.

 

Para: jcracel@cm-terrasdebouro.pt;geral@cm-terrasdebouro.pt

Com CC: campanhasantitouradas@gmail.com

 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 16:11

link do post | Comentar | Ver comentários (4) | Adicionar aos favoritos

Mais sobre mim

Pesquisar neste blog

 

Julho 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Posts recentes

TERRAS DE BOURO ANULOU A...

TERRAS DE BOURO VOLTA A T...

Arquivos

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Direitos

© Todos os direitos reservados Os textos publicados neste blogue têm © A autora agradece a todos os que os divulgarem que indiquem, por favor, a fonte e os links dos mesmos. Obrigada.
RSS

Acordo Ortográfico

Em defesa da Língua Portuguesa, a autora deste Blogue não adopta o Acordo Ortográfico de 1990, devido a este ser inconstitucional, linguisticamente inconsistente, estruturalmente incongruente, para além de, comprovadamente, ser causa de uma crescente e perniciosa iliteracia em publicações oficiais e privadas, nas escolas, nos órgãos de comunicação social, na população em geral, e por estar a criar uma geração de analfabetos escolarizados e funcionais.

Comentários

Este Blogue aceita comentários de todas as pessoas, e os comentários serão publicados desde que seja claro que a pessoa que comentou interpretou correctamente o conteúdo da publicação. Serão eliminados os comentários que contenham linguagem ordinária e insultos, ou de conteúdo racista e xenófobo. Em resumo: comente com educação, atendendo ao conteúdo da publicação, para que o seu comentário seja mantido.

Contacto

isabelferreira@net.sapo.pt