Domingo, 7 de Agosto de 2016

TORTURA DE TOUROS E CAVALOS DEMONSTRAM O GRANDE ATRASO CIVILIZACIONAL DOS SERES PRÉ-HUMANOS

 

É urgente rever o conceito de Ser Humano. Os que evoluíram não podem ser metidos no mesmo saco dos que não evoluíram.

 

Existe uma abismal diferença moral, cultural e humana entre uns e outros

 

CORRIDAS DE TOUROS À CORDA

 

TOURADA À CORDA1.jpg

É a ignorância (e não o sonho da poesia de António Gedeão) que comanda a pobre e podre vidinha desta gentinha que assim brinca aos parvos com um ser senciente amarrado a uma corda...

 

«Estão do lado dos que erram os que afirmam que os touros utilizados nas corridas à corda não são vítimas de maus-tratos. Claro que o são pela ansiedade e pânico que sofrem na captura e afastamento do campo e da manada; pela violenta contenção da corda; pela excitação provocada pelo ruído e pela multidão ululante; pelo esgotamento e frequentes quedas e ferimentos e até mortes que acontecem aos touros» (Dr. Vasco Reis – Médico Veterinário)

 

É deplorável a ignorância e a irracionalidade dos que defendem a cruenta corrida de touros à corda.

 

***

OS CAVALOS NÃO PRECISAM DE MEDALHA!

 

«Obviamente, até o mais inculto dos homens concluiria que o cavalo, ou qualquer outro animal explorado, nunca escolheria, por vontade própria, uma vida de subserviência aos humanos» (Direitos dos Animais)

 

 

Esta é outra barbaridade, outro crime, outra imbecilidade da criatura pré-humana.

 

A subjugação e exploração animal são eticamente erradas. Os animais não existem para servir o animal humano.

 

***

ASSIM DEVEM VIVER OS MAGNÍFICOS SERES QUE SÃO OS CAVALOS: LIVRES NA NATUREZA

 

 

 


 

publicado por Isabel A. Ferreira às 14:23

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Quinta-feira, 25 de Fevereiro de 2016

QUEIMA DAS FARPAS - VAMOS FAZER OUVIR A VOZ DA CIDADANIA

 

«Queremos que a partir de 2016 a Queima das Fitas de Coimbra deixe de estar manchada pelo divertimento à custa de sofrimento e exploração animal»

 

QUEIMA DAS FARPAS.png

 

«É MUITO IMPORTANTE mostrar que na academia, na sociedade coimbrã e na sociedade portuguesa em geral, a maioria não concorda com a inclusão da garraiada na Queima das Fitas e por isso apelamos que enviem uma mensagem às entidades responsáveis.

 

(p.f. sejam cordiais)

 

Vamos fazer ouvir a voz da cidadania».

 

---------------------------------

Destinatários:

geral@academica.pt,cveteranos@gmail.com,geral@queimadasfitascoimbra.pt

Cc: info@queimadasfarpas.pt

 

***

(Mensagem sugerida)

 

Caríssimos,

 

A única tradição de que a Universidade deve orgulhar-se e pela qual deve lutar acerrimamente, é a do seu papel como baluarte do conhecimento e da ética.

 

É por isso que deve questionar regularmente as suas práticas e os seus valores para que estes sejam sempre consentâneos com o papel de charneira que a sociedade lhe imputa.

 

Pelo seu percurso histórico, a Universidade de Coimbra, (a minha Universidade)  tem neste campo uma responsabilidade acrescida e não pode, assim, continuar a permitir-se promover actividades que violam o princípio básico de não provocar sofrimento desnecessário.

 

Devemos contribuir para a difusão de valores como a ética, a solidariedade, a excelência académica, não precisamos nem devemos vitimizar animais em garraiadas e actividades similares para celebrarmos os nossos sucessos.

 

Por estes motivos manifesto a minha total solidariedade com o movimento Queima das Farpas e apelo a que não seja incluída na maravilhosa festa estudantil que é a Queima das Fitas uma actividade anacrónica e cruel como a garraiada.

 

Com os melhores cumprimentos e elevada consideração,

 

Isabel A. Ferreira

***

Coimbra tem mais encanto sem sangue na despedida.

Assinem a petição, por favor:

http://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=QueimaDasFarpas

 

‪#‎QueimaDasFarpas ‪#‎Abolição ‪#‎Garraiada ‪#‎Coimbra ‪#‎rumoaoTRI ‪#‎queimadasfitascoimbraAssina a petição: http://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=QueimaDasFarpas #QueimaDasFarpas #Abolição #Garraiada #Coimbra #rumoaoTRI #queimadasfitascoimbra

 

Fonte:

https://www.facebook.com/Queima.das.Farpas/photos/a.1585670385007976.1073741828.1568326173409064/1696552830586397/?type=3&theater

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 19:30

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Sábado, 20 de Fevereiro de 2016

FIM DA GARRAIADA NA QUEIDA DAS FITAS DO PORTO (2016)

 

Para:

Federação Académica do Porto e Associações de Estudantes da Universidade do Porto

 

80016_1 PETIÇÂO UP.jpg

 

Perante a possibilidade de a garraiada voltar a estar incluída no programa da Queima das Fitas no Porto, duas jovens, Joana Rocha e Sónia Marques decidiram fazer uma petição, com o objectivo de impedir esta prática desadequada a estudantes universitários.

 

Reconhecendo tal prática como um acto de tortura e exploração animal, as jovens pretendem que a Federação Académica do Porto ouça os estudantes e restante comunidade e impeça que a garraiada manche as tradições académicas da Queima das Fitas, até porque o sofrimento de animais sencientes não é diversão para seres que se dizem humanos.

 

Joana e Sónia consideram que esta petição não se destina exclusivamente a membros da Universidade do Porto, podendo ser assinada por qualquer pessoa que não se reveja na utilização de animais não humanos para entretenimento humano.

 

De acordo com o teor da petição, a «Federação Académica do Porto e respectivas Associações de Estudantes não podem continuar a demitir-se de representar a comunidade estudantil. Não podem continuar a ignorar quer os direitos dos animais, quer a vontade da grande maioria dos estudantes que, claramente, não se sente representada nesta actividade, nem dá o seu consentimento para que tal seja realizada

 

Ainda de acordo com o texto da petição, «é uma vergonha que se gaste anualmente mais de 4 mil euros a financiar um “evento” que nada tem a ver com a missão que guia as associações de estudantes. A garraiada não pode constar mais um ano no programa da Queima das Fitas do Porto, mantendo-se um embaraço para toda a Academia.»

 

Posto isto, Joana e Sónia apelam a todos para que assinem esta petição «para que a Queima das Fitas seja reconhecida pela diversão que proporciona e não pelo sofrimento que causa a animais inocentes e indefesos.

 

Porque:

É necessário mudar mentalidades. É necessário mudar atitudes.

 

 

ASSINEM A PETIÇÃO AQUI, POR FAVOR

http://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=fimdagarraiadaporto

 

***

 

PETIÇÃO.jpg

(Foto: Artur Machado/Global Imagens (in JN)

 

Estas são as duas jovens responsáveis por esta iniciativa.

Parabéns Joana Rocha e Sónia Marques.

 

A vossa acção é de louvar. Demonstram que nem tudo está perdido, no mundo académico.

 

Há os que evoluem, e os que, já nascendo velhos, nunca evoluirão.

 

Vós sois duas jovens modernas, que evoluíram e sabem honrar o Ensino Superior.

 

E as mais de cinco mil assinaturas na petição dizem-nos que os que já nasceram velhos são uma minoria.

 

Esta prática imbecil tem os dias contados.

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 19:47

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Segunda-feira, 21 de Outubro de 2013

«DIREITOS HUMANOS VERSUS DIREITOS DOS ANIMAIS»

 

Um texto a enviar aos deputados da Nação, para que possam reflectir (se é que a maioria consegue fazer esse exercício mental) sobre este assunto, antes do próximo dia 25 de Outubro, quando terão de decidir se querem pertencer ao rol dos animais humanos racionais, ou ao rol dos animais humanos irracionais

 
 

Por PRÓTOURO

 

«Se bem que o mundo tenha evoluído desde o aparecimento do animal humano no planeta Terra, ainda assistimos hoje em dia a resquícios de primitividade próprios da era cavernícula. Resquício, esses, que se traduzem, na forma como os chamados seres racionais se comportam face aos chamados seres irracionais, ou seja os animais não humanos.

 

A arrogância de certos humanos não conhece limites. E se no passado, consideravam certos animais humanos seres inferiores devido por exemplo à cor da sua pele, hoje em dia classificam como seres inferiores aqueles que não têm voz.

 

É comum, ler enormidades, tais como os animais não têm direitos porque não têm deveres!

 

Se a questão passa pelo facto de que para ter direitos é imperativo ter deveres, então, pessoas em coma profundo só para citarmos um exemplo, não podem ter direitos: é um facto e afirmar o contrário é uma falácia dos que se julgam superiores.

 

Os abusadores de animais, tentam por todos os meios intoxicar a opinião pública com argumentos quer patéticos, quer obscenos tais como os animais existem para nos servir, não experienciam dor, não têm sentimentos, etc.

 

Entre duas gerações, novos e velhos, os primeiros, estão hoje em dia dotados de conhecimentos que os segundos, nunca tiveram oportunidade de ter.

 

As gerações mais velhas, foram nadas e criadas acreditando que os animais existem para os servirem, que não sofrem e por aí fora e se bem que existam excepções, muitos deles nunca irão mudar a sua maneira de pensar ou os seus hábitos.

 

Já os mais novos, com toda a parafernália de informação ao alcance de um clique, só podem acreditar nessas barbaridades por dois motivos: quer porque são animais humanos irracionais ou porque têm instintos cruéis.

 

Enquanto que os outros animais matam por uma questão de sobrevivência, alguns animais humanos matam por prazer e divertimento (touradas, caça, etc.).

 

Estes animais humanos são aqueles, que a todo o custo, tentam impedir a evolução porque a mesma, retirar-lhes-ia os lucros que lhes advêm da exploração de animais não humanos.

 
 

São eles, que tentam a todo o custo, impedir que se legisle no sentido de dar direitos aos animais e são eles que compram políticos para garantir o status quo e fazem-no porque sabem que neste mundo de trampa em que vivemos, qualquer político sem escrúpulos está à venda!

 

Prótouro

Pelos touros em liberdade»

Fonte:

http://protouro.wordpress.com/2013/10/21/direitos-humanos-versus-direitos-dos-animais/comment-page-1/#comment-1919

 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 10:20

link do post | Comentar | Ver comentários (3) | Adicionar aos favoritos
Quarta-feira, 16 de Outubro de 2013

«Os tauricidas são vítimas da sua própria estupidez»

 

 

Será que eles merecem morrer ou ficar inutilizados para o resto das suas vidas? A resposta é simples, não o desejamos a ninguém nem nos regozijamos com isso, mas daí a lamentá-lo, se acontecer…

 

Eis um exemplo de um indivíduo que pôs a sua vida em risco:

 
 

 

Por Prótouro

 

«Quando um toureiro é ferido durante uma tourada, alguns abolicionistas afirmam: é bem feito ou devia ter morrido. Este tipo de afirmações, são segundo os aficionados, a prova que nós somos fundamentalistas e que damos mais valor à vida dos animais que à vida dos humanos.

 

Na verdade, muitos dos que fazem essas afirmações, fazem-no porque simplesmente estão fartos de verem animais serem torturados em nome do divertimento e fartos de ver as autoridades comportarem-se como Pôncio Pilatos. É um desabafo de muitos que lutam há anos pela abolição e continuam a não ver nada a não ser estagnação.

 

No entanto, isso não significa, que façam uma valoração entre vidas, antes pelo contrário. Os abolicionistas defendem vidas e é exactamente por isso, que querem que as touradas sejam abolidas e é exactamente por isso, que querem ver todas as formas de exploração animal (animais humanos e animais não humanos), abolidas.

 

A título de exemplo, assim como lutamos contra a tauromaquia, também lutamos contra a exploração infantil porque não existe diferença entre a exploração de animais e a exploração de crianças. E no entanto, verificamos, que aqueles que exploram animais também exploram crianças.

A indústria tauromáquica, actua sobre as duas vertentes, exploração animal para obter lucros e exploração infantil para fomentar novos aficionados.

 

 

Um bebé a ser esfregado na cara de um bezerro torturado: se não vai a bem... vai a mal... mas a criança tem de ser tauricida...à força!

 

Ambas as vertentes são criminosas e são estes factos, que fazem com que alguns abolicionistas desejem o pior do mundo aos tauricidas.

 

Será que eles merecem morrer ou ficar inutilizados para o resto das suas vidas? A resposta é simples, não o desejamos a ninguém nem nos regozijamos com isso, mas daí a lamentá-lo… Porque é aqui que reside o cerne da questão: a morte ou a incapacidade permanente dos tauricidas, reside, unicamente numa escolha feita pelos próprios. Portanto, o que lhes acontece numa praça de touros, deriva dessa escolha e decisão. Pelo contrário, os touros e os cavalos, graças às leis que permitem esta aberração não têm escolha.

 

O que possa ocorrer a estas pessoas que deliberadamente põem as suas vidas em risco é triste, mas daí a lamentar, vai um grande passo.

 

O que nós na realidade deploramos, é que ainda existam países e governos, que permitem que estas pessoas, ponham deliberadamente em risco as suas vidas num espectáculo primitivo em que as únicas vítimas são os animais. Os toureiros, esses, quando são corneados são vítimas colaterais da sua própria estupidez e podem agradecer aos governos o facto de lhes darem carta-branca para serem corneados.

 

Prótouro

Pelos touros em liberdade»

 

Fonte:

http://protouro.wordpress.com/2013/10/16/os-tauricidas-sao-vitimas-da-sua-estupidez/comment-page-1/#comment-1886

 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 11:37

link do post | Comentar | Ver comentários (2) | Adicionar aos favoritos

Mais sobre mim

Pesquisar neste blog

 

Fevereiro 2021

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
14
15
18
20
25
26
28

Posts recentes

TORTURA DE TOUROS E CAVAL...

QUEIMA DAS FARPAS - VAMOS...

FIM DA GARRAIADA NA QUEID...

«DIREITOS HUMANOS VERSUS ...

«Os tauricidas são vítima...

Arquivos

Fevereiro 2021

Janeiro 2021

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Direitos

© Todos os direitos reservados Os textos publicados neste blogue têm © A autora agradece a todos os que os divulgarem que indiquem, por favor, a fonte e os links dos mesmos. Obrigada.
RSS

Acordo Ortográfico

Em defesa da Língua Portuguesa, a autora deste Blogue não adopta o Acordo Ortográfico de 1990, devido a este ser inconstitucional, linguisticamente inconsistente, estruturalmente incongruente, para além de, comprovadamente, ser causa de uma crescente e perniciosa iliteracia em publicações oficiais e privadas, nas escolas, nos órgãos de comunicação social, na população em geral, e por estar a criar uma geração de analfabetos escolarizados e funcionais.

Comentários

Este Blogue aceita comentários de todas as pessoas, e os comentários serão publicados desde que seja claro que a pessoa que comentou interpretou correctamente o conteúdo da publicação. Serão eliminados os comentários que contenham linguagem ordinária e insultos, ou de conteúdo racista e xenófobo. Em resumo: comente com educação, atendendo ao conteúdo da publicação, para que o seu comentário seja mantido.

Contacto

isabelferreira@net.sapo.pt