Terça-feira, 26 de Março de 2024

Num acto de pura canalhice, Aguiar-Branco não foi eleito para Presidente da Assembleia da República

 

José Pedro Aguiar-Branco, deputado do PSD,  falhou a primeira eleição para presidente da Assembleia da República com 89 votos a favor, 134 brancos e 7 nulos, na primeira sessão plenária da XVI Legislatura.

Esta Legislatura começou mal e, por este andar, poderá acabar mal. Se já estávamos instáveis, mais instáveis ficámos depois desta demonstração infantil por parte dos deputados da Nação (salvo as raras excepções) que votaram em branco, embora tivessem a liberdade de o fazer. Contudo, não era expectável, devido ao estado caótico da Nação?

Surpreendidos?

Da minha parte não me surpreendi, porque desde que foram conhecidos os resultados destas últimas eleições que os partidos políticos, que obtiveram assento na dita Casa da Democracia,  não fizeram outra coisa senão porem obstáculos para que este governo não pudesse ser viável. Salvaguardadas aqui algumas as excepções.

Os de esquerda, numa atitude anti-democrática, foram bastante claros ao dizer que não viabilizariam um governo à direita, se bem que essa fosse a vontade do Povo que o elegeu. Nem sequer puseram a hipótese de uma colaboração democrática, entre todos os partidos, para que Portugal pudesse ser governável, pois ser governável é o melhor para Portugal, num momento em que Portugal está virado do avesso.

O que me dá o direito de pensar que estes portugueses, que se prestaram a ser candidatos ao XVI Governo, e que se comportaram como catraios, nesta eleição do Presidente da AR, estão ali para garantirem o seu lugar ao sol,  no Parlamento, e não para tentarem pôr Portugal nos trilhos, o qual um governo de esquerda, com a maioria absoluta, fez descarrilar.

Portugal está no meio de um caos em quase todos os sectores. O governo de António Costa falhou redondamente. O Povo português, bem ou mal, quis uma viragem à direita. Os da esquerda estrebucharam. Como podem viabilizar um governo da direita? E se existe um governo da direita às más políticas da esquerda o devem.

 

E quanto mais estes lamentáveis episódios acontecerem, mais afundam Portugal no CAOS.

 
Ninguém está interessado em governar Portugal, mas apenas garantir tachos. Vá, nem todos estarão. Tenho a liberdade de pensar assim, porque os deputados da Nação, com estes 134 votos brancos,  demonstraram uma lamentável infantilidade. Não estamos diante de gente adulta, mas de catraios a brincar aos politicozinhos.

Estou absolutamente desiludida com todos os partidos políticos com assento no Parlamento.

Os interesses de Portugal devem estar acima dos interesses dos partidos políticos.


Isto que se passou hoje na Assembleia da República é uma vergonha para Portugal, é um  insulto para a Democracia, e é uma desilusão para os Portugueses (quer sejam de esquerda ou de direita ou de banda nenhuma, como eu).


A Democracia, hoje, falhou, a pouco tempo da celebração dos 50 anos do "25 de Abril".

O que teremos para celebrar?

A ver vamos.

 

Isabel A. Ferreira

 

Patrlamento.png


 

publicado por Isabel A. Ferreira às 17:12

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Quarta-feira, 28 de Outubro de 2020

OE2021: Bloco de Esquerda desertou da esquerda para a direita?

 

Dr. António Costa, e quando o Partido Socialista deserta da esquerda para a direita e se associa ao Chega, à Iniciativa Liberal, ao CDS/PP, ao PSD e ao PCP (outro que deserta da esquerda para a direita) para apoiar as touradas?

 

OE2021.png

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 18:29

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Quinta-feira, 8 de Novembro de 2018

LÊ-SE NO JORNAL i: «OS SOCIALISTAS DISTANCIAM-SE DA MINISTRA DA CULTURA»

 

Os socialistas distanciam-se da Ministra da Cultura? E daí? A esmagadora maioria dos Portugueses aproximaram-se da Ministra da Cultura.

E a quem interessa ser próximo de trogloditas?

Antes só do que mal-acompanhada.

 

E a direita está muito caladinha, mais o PCP, com medo de perderem mais votos do que aqueles que sabem que vão perder. Estão todos caladinhos também para que o PS se enterre cada vez mais e perca votos, que todos sabemos que vai perder. E isso só ajuda o PAN a subir. Porque os Portugueses já estão demasiado fartos de políticas carniceiras, e de ver o nome de Portugal enxovalhado no mundo civilizado, à conta da barbárie (e não só).

 

Ministra.jpg

 Graça Fonseca (Manuel de Almeida/Lusa)

Fonte da notícia:

https://ionline.sapo.pt/632623?source=social&fbclid=IwAR188HKSXUqU6jo6EsXcRnNJkMDLu8sDXFyPGQepUzXGqGPk4DgK34mEtuc

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 16:44

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Segunda-feira, 18 de Setembro de 2017

VOTAREMOS APENAS EM CANDIDATOS QUE NÃO ESTEJAM COMPROMETIDOS COM A SELVAJARIA TAUROMÁQUICA

 

Proponho-me a reproduzir aqui o precioso  testemunho de uma ribatejana, publicado no Facebook, a qual não se identifica com a barbárie que caracteriza o Ribatejo.

Estas eleições autárquicas poderão servir para penalizar todos os candidatos que, à direita e à esquerda, por todo o país, apoiam a selvajaria tauromáquica, que tortura e mata animais não humanos e tira a vida e estropia animais humanos…

 E nenhum destes candidatos merece o nosso voto…

 

AUTÁRQUICAS17.png

 

Texto de Isabel Faria

 

«Aprendi a rejeitar as touradas, por uma questão de classe. Os donos dos touros eram sempre, nas minhas certezas juvenis, os latifundiários. Os mesmos que iam para a Praça do Mercado escolher os trabalhadores agrícolas para trabalhar à jorna, recusar dar trabalho a trabalhadores agrícolas, ou chamar a GNR para os reprimir.

 

Os toureiros eram deles. Os forcados eram os filhos dos capatazes das suas terras. Os que ambicionavam ser deles.

 

Possivelmente com alguma análise mais adulta, a equação não seria assim tão linear... mas ainda faltava muito para análises adultas.

 

Só com o tempo, juntei à questão da barricada, o marialvismo reaccionário, a barbárie do espectáculo, o sofrimento infringido aos animais, a desumanidade de ir para as bancadas vibrar com o sofrimento e aplaudir o sangue.

 

Por isso tudo, sou claramente a favor do fim das touradas. Por isso tudo, e voltando, de relance, às autárquicas, seria incapaz de votar num candidato ou num programa que as protegesse, impulsionasse, sequer, acriticamente, aceitasse.

 

Morreram dois jovens em pouco mais de uma semana, em arenas de Praças de Touros em Portugal. A morte é sempre uma tragédia. Os acidentes têm sempre responsáveis e culpados.

 

Estes acidentes são fruto de uma "tradição" bárbara e sem nenhum sentido, que massacra animais e mata homens.

 

À Esquerda devia ser uma linha vermelha intransponível, mantê-la ou apoiá-la.»

 

Fonte:

https://www.facebook.com/josegmatias/posts/10203611412161876?comment_id=10203611523204652&notif_t=comment_mention&notif_id=1505674632260339

 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 14:34

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Quinta-feira, 9 de Julho de 2015

POLÍTICOS PORTUGUESES, OUÇAM ESTE VEREADOR BRASILEIRO E APRENDAM ALGUMA COISA SOBRE HUMANIDADE

 

É lamentável que da direita à esquerda, passando pelo centro e arredores não haja nenhum político português com a competência humanística que emana deste Homem

 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 18:32

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Sexta-feira, 19 de Abril de 2013

ISTO É JUSTO: O DA DIREITA PÔDE OPTAR POR ESTAR ALI OU NÃO; O DA ESQUERDA FOI FORÇADO…

 

 

 

 

Não dói nada, torcionário. O Touro que o diga. Ambos têm os mesmos órgãos. Ambos têm sistema nervoso central. Ambos têm as mesmas necessidades vitais. Ambos sentem a dor.

 

Mas não dói nada, torcionário. Nada. Aguenta, que o Touro também aguentou.

 

Tu estás na arena porque quiseste.

 

O Touro não.

 

Tu podias ter fugido.

 O Touro não.

 

A marrada que sofreste não é nada, à beira da tortura que já infringiste ao Touro.

 

Essa é a única diferença.

 

 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 16:24

link do post | Comentar | Ver comentários (2) | Adicionar aos favoritos

Mais sobre mim

Pesquisar neste blog

 

Abril 2024

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
14
15
16
17
18
19
20
21
23
24
25
26
27
28
29
30

Posts recentes

Num acto de pura canalhic...

OE2021: Bloco de Esquerda...

LÊ-SE NO JORNAL i: «OS SO...

VOTAREMOS APENAS EM CANDI...

POLÍTICOS PORTUGUESES, OU...

ISTO É JUSTO: O DA DIREIT...

Arquivos

Abril 2024

Março 2024

Fevereiro 2024

Janeiro 2024

Dezembro 2023

Novembro 2023

Outubro 2023

Setembro 2023

Agosto 2023

Julho 2023

Junho 2023

Maio 2023

Abril 2023

Março 2023

Fevereiro 2023

Janeiro 2023

Dezembro 2022

Novembro 2022

Outubro 2022

Setembro 2022

Agosto 2022

Junho 2022

Maio 2022

Abril 2022

Março 2022

Fevereiro 2022

Janeiro 2022

Dezembro 2021

Novembro 2021

Outubro 2021

Setembro 2021

Agosto 2021

Julho 2021

Junho 2021

Maio 2021

Abril 2021

Março 2021

Fevereiro 2021

Janeiro 2021

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Direitos

© Todos os direitos reservados Os textos publicados neste blogue têm © A autora agradece a todos os que os divulgarem que indiquem, por favor, a fonte e os links dos mesmos. Obrigada.
RSS

AO90

Em defesa da Língua Portuguesa, a autora deste Blogue não adopta o Acordo Ortográfico de 1990, nem publica textos acordizados, devido a este ser ilegal e inconstitucional, linguisticamente inconsistente, estruturalmente incongruente, para além de, comprovadamente, ser causa de uma crescente e perniciosa iliteracia em publicações oficiais e privadas, nas escolas, nos órgãos de comunicação social, na população em geral, e por estar a criar uma geração de analfabetos escolarizados e funcionais. Caso os textos a publicar estejam escritos em Português híbrido, «O Lugar da Língua Portuguesa» acciona a correcção automática.

Comentários

Este Blogue aceita comentários de todas as pessoas, e os comentários serão publicados desde que seja claro que a pessoa que comentou interpretou correctamente o conteúdo da publicação. 1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome. 2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas". 3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias. Serão eliminados os comentários que contenham linguagem ordinária e insultos, ou de conteúdo racista e xenófobo. Em resumo: comente com educação, atendendo ao conteúdo da publicação, para que o seu comentário seja mantido.

Contacto

isabelferreira@net.sapo.pt