Terça-feira, 24 de Janeiro de 2017

Bem-estar animal em Portugal tem dois pesos, duas medidas e pouca ou nenhuma aplicação

 

No Parlamento português aprovam-se leis e decretos a fingir que se está muito preocupado com o bem-estar dos animais não humanos, mas na prática eles continuam a ser maltratados a todos os níveis, incluindo os “protegidos” e considerados mais animais do que outros: os Cães e os Gatos.

 

Só que as Cinco Liberdades, para que possamos considerar que existe bem-estar animal, não são minimamente cumpridas, nem quem as faça cumprir em Portugal.

 

BEM ESTAR.jpg

 

Isto vem a propósito de uma notícia que anda a circular no Facebook, mas já tem umas barbinhas brancas: «Marcelo impede abate de animais».

 

A notícia informa que Marcelo Rebelo de Sousa promulgou um diploma que estabelece medidas para a criação de uma rede de centros de recolha oficial de animais que, por maldade humana ou descuido, vivem abandonados nas ruas das cidades, vilas e aldeias de Portugal, proibindo deste modo o abate como forma de controlo da população, privilegiando a esterilização.

 

Este diploma, aprovado por unanimidade em votação final global a 9 de Junho de 2016, é um texto de substituição apresentado pela Comissão de Ambiente, mas tem por base um projecto de lei do PCP e uma iniciativa de cidadãos.

 

Sobre isto, e como Defensora dos Direitos de Todos os Animais (Humanos e Não Humanos) tenho a dizer o seguinte:

 

Espero que o senhor presidente da República Portuguesa, em sintonia com a Assembleia da República e com o PCP, promulgue, muito brevemente, o diploma da Abolição das Touradas, demonstrando que já não é aficionado dessa prática bárbara, até porque não condiz nada com o “presidente dos afectos” que diz ser, e que é coerente com a sua postura, pois, como todos sabemos, nenhum animal é mais animal ou menos animal do que o outro.

 

Também espero que as leis e decretos sobre o bem-estar animal englobe todos os animais, e não só os Cães e os Gatos, até porque, por unanimidade, os deputados da Nação reconheceram há pouco tempo que os animais não humanos já não são “coisas”.

 

Também espero que o PCP não funcione com dois pesos e duas medidas quanto a esta matéria, e considere os Touros e os Cavalos animais sencientes e não “coisas” para divertimento dos sádicos. É que é o único partido que se diz de esquerda, (e mais uns tantos socialistas) que vota com a direita esta matéria.

 

Portugal precisa de EVOLUIR em relação ao modo como trata todos os seus animais não- humanos, porque o grau de civilização de um povo mede-se por esta bitola, e quem o diz não sou eu: é Mahatma Gandhi, aquele que era um ser cósmico e, por o ser, tinha uma Alma Grande.

 

Isabel A. Ferreira

 

Fonte da notícia:

http://www.tuga.press/marcelo-impede-abate-animais/

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 16:07

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Segunda-feira, 17 de Fevereiro de 2014

O PINGUE-PONGUE DO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA EM RELAÇÃO À REACTIVAÇÃO DA ESCOLA DE TOUREIO DA GOLEGÃ

  

 

Crianças toureiro feridas em espectáculos tauromáquicos.

Fonte da imagem: http://pelostourosvivos.blogspot.pt/2013/10/tauromaquia-arte-de-torturar-bovinos-ou.html

 

No passado dia 16 de Janeiro enviei ao Senhor Ministro da Educação e Ciência, Dr. Nuno Crato o seguinte e-mail:

 

Assunto:

 

NA GOLEGÃ AS AUTORIDADES MUNICIPAIS AO PRETENDEREM REACTIVAR A ESCOLA DE TOUREIO SERIAM ACUSADAS POR CORRUPÇÃO MORAL DE MENORES SE ESTIVÉSSEMOS NA COLÔMBIA…

 

Mensagem:

 

Exmo. Senhor Ministro, diga-me que isto não está a acontecer…

 

Com os meus cumprimentos,

 

 

http://arcodealmedina.blogs.sapo.pt/na-golega-as-autoridades-municipais-ao-375591

 

Isabel A. Ferreira

 

***

O senhor Ministro Nuno Crato enviou então esta minha mensagem para outro lado:

 

De: Gab Ministro da Educação e Ciência

 

Enviada: quinta-feira, 16 de Janeiro de 2014 17:14

 

Para: Gab Sec Est Ensino Básico e Secundário

 

Assunto: FW: NA GOLEGÃ AS AUTORIDADES MUNICIPAIS AO PRETENDEREM REACTIVAR A ESCOLA DE TOUREIO SERIAM ACUSADAS POR CORRUPÇÃO MORAL DE MENORES SE ESTIVÉSSEMOS NA COLÔMBIA…

 

***

O que faz o Gab Sec Est Ensino Básico e Secundário?

 

Faz isto:

 

Gab Sec Est Ensino Básico e Secundário  

 

17 de jan

 

para director-geral, mim

 

Exmo. Senhor Director Geral,

Junto remeto a mensagem de email infra, encarregando-me o Sr. Chefe do Gabinete de solicitar que promova, por favor, a análise do seu conteúdo e dirija resposta à interessada.

Muito obrigada pelo seu cuidado,

O Secretariado

 

***

Conforme podemos deduzir, o e-mail infra é o meu, e a interessada sou eu.

 

Isto passou-se a 17 de Janeiro de 2014. Portanto, precisamente há um mês.

 

Ainda continuo à espera da resposta.

 

Não sei se um mês é muito ou pouco tempo para analisar algo que nem sequer teria razão de existir se vivêssemos num País em que um Ministério da Educação se preocupasse realmente com a educação dos menores de 18 anos.

 

Uma “escola” de toureio, ou seja, uma “escola” onde se promove junto desses menores a violência e a tortura gratuitas sobre seres vivos, ainda bebés, não será propriamente algo que diga respeito à Educação, mas à incultura, logo não haveria muito o que pensar: estas escolas não deviam sequer existir, quanto mais serem reactivadas.

 

Penso que a resposta ainda virá.

 

E claro, só poderá ser a do encerramento dos 12 antros de violência e tortura existentes no País que atiram crianças e adolescentes, menores de 18 anos (idade limite da menoridade), para a prática da violência e tortura, o que contraria a obrigação do Estado Português em proteger esses menores de idade.

 

Neste processo é importantíssimo sublinhar a negligência visível dos progenitores, que dão o seu consentimento para que os filhos frequentem esses antros, com o intuito de perpetuarem algo que já bateu no fundo e é rejeitado pelo mundo civilizado.

 

Por muito menos, já vi Senhores Juízes a retirarem os filhos aos pais.   

 

Que espécie de protecção o Estado Português dá a estes menores?

 

Senhor Ministro da Educação e da Ciência, Dr. Nuno Crato, continuo a aguardar uma resposta racional para algo que se mostra altamente prejudicial ao pleno desenvolvimento mental e físico das nossas crianças, menores de 18 anos.

 

Sou uma cidadã portuguesa, pago os meus impostos, não devo nada ao Estado (o Estado é que me deve a mim), não sou de ficar a ver passar o vento sem entrar na tempestade, vivo os problemas do meu País com grande intensidade e, sobretudo, sou defensora acérrima dos Direitos das Crianças, dos Direitos dos Homens, dos Direitos dos Animais e dos Direitos da Natureza.

 

Por isso, sinto-me lesada na minha cidadania, ao ver que os governantes do meu País não cumprem as leis, não cumprem os decretos, não cumprem as convenções, e exigem-me que seja uma cidadã exemplar?

 

***

Para mais notícias sobre escolas de toureio em Portugal abram, por favor, este link:

http://www.iwab.org/portpor.html

 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 16:39

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Mais sobre mim

Pesquisar neste blog

 

Fevereiro 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
12
16
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29

Posts recentes

Bem-estar animal em Portu...

O PINGUE-PONGUE DO MINIST...

Arquivos

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Direitos

© Todos os direitos reservados Os textos publicados neste blogue têm © A autora agradece a todos os que os divulgarem que indiquem, por favor, a fonte e os links dos mesmos. Obrigada.
RSS

Acordo Ortográfico

Em defesa da Língua Portuguesa, a autora deste Blogue não adopta o Acordo Ortográfico de 1990, devido a este ser inconstitucional, linguisticamente inconsistente, estruturalmente incongruente, para além de, comprovadamente, ser causa de uma crescente e perniciosa iliteracia em publicações oficiais e privadas, nas escolas, nos órgãos de comunicação social, na população em geral, e por estar a criar uma geração de analfabetos escolarizados e funcionais.

Comentários

Este Blogue aceita comentários de todas as pessoas, e os comentários serão publicados desde que seja claro que a pessoa que comentou interpretou correctamente o conteúdo da publicação. Serão eliminados os comentários que contenham linguagem ordinária e insultos, ou de conteúdo racista e xenófobo. Em resumo: comente com educação, atendendo ao conteúdo da publicação, para que o seu comentário seja mantido.

Contacto

isabelferreira@net.sapo.pt