Sexta-feira, 4 de Dezembro de 2020

As palavras são uma arma, podem ferir mais do que punhais

 

E no Arco de Almedina, aplicadas adequadamente às circunstâncias toscas da tauromaquia, INCOMODAM. E é esse o principal objectivo: incomodar e agitar as mentes entorpecidas.

 

 

Esta imagem vale mais do que mil palavras, mas se utilizar as palavras terei de dizer que quem fez isto é um cobarde, psicopata, tauricida, mau carácter, com muito maus instintos.

 

Há gente que critica a linguagem directa que utilizo para dizer das coisas rastaqueras da tauromaquia.

 

Confundem OPINIÃO com FACTOS.

 

Não percebem o que está escrito nas linhas, muito menos o que vai nas entrelinhas (o mais importante).

 

Falar sobre a COBARDIA DA TAUROMAQUIA não é falar de opiniões. É falar de FACTOS, comprováveis pelas imagens degradantes que existem aos milhares, e dizem mais do que mil palavras.

 

Opiniões, cada um tem as suas. Podemos concordar ou não com elas.

 

Já a TORTURA DE TOUROS E CAVALOS perpetrada por COBARDES foge ao âmbito das opiniões, porque ninguém tem o direito de torturar ninguém, e isto não é uma opinião, é um facto INDIGNO de seres humanos. Logo, quem o pratica será tudo menos humano, e tem de ser classificado com as palavras certas.

 

A forma correcta de lidar com a ESTUPIDEZ é chamá-la pelo próprio nome, ou seja, ESTUPIDEZ, para que quem leia compreenda o que se quer dizer. E mesmo assim, é uma desgraça. Impera por aqui uma iliteracia estarrecedora.

 

Agora vou usar um jargão de aficionado: quem não gosta do que lê neste Blogue, não LEIA.

 

Não vou mudar a minha linguagem quanto a algo que envergonha a Humanidade, só porque os aficionados e meia dúzia de falsos moralistas não gostam.

 

Aprendi que as palavras são para ser utilizadas conforme as circunstâncias. Se elas existem no dicionário são para classificar atitudes desprezíveis e adjectivar criaturas que andam no mundo a atormentar seres que não têm culpa da psicopatia de que sofrem os seus carrascos (poderia dizer algozes, agressores, verdugos, carrasqueiras).

 

Uma vez que se incomodam tanto com a linguagem que utilizo, digam-me como se adjectiva um cobarde (poderia dizer, medroso, poltrão, fraco); um torcionário (poderia dizer torturador); um psicopata (poderia dizer indivíduo clinicamente perverso com desvio comportamental); um sádico (poderia dizer cruel, depravado, mau, malvado); um bronco (poderia dizer, tosco, grosseiro, rude, obtuso); um bêbado (poderia dizer borrachão, ébrio); um tauricida (poderia dizer matador de touros) enfim… Digam-me como classificar toda esta gente que faz parte do mundo imundo e rasca (poderia dizer sujo, sebento, surrento, reles, ordinário) da tauromaquia, com palavras poéticas?  

 

Se não estavam habituados a esta linguagem sem papas na língua, paciência! Ela reflecte simplesmente a realidade da tauromaquia, que é assim mesmo. Não há outro modo de qualificá-la.

 

Já chega de DOURAR A PÍLULA.

 

Os que vêm a este Blogue, já tiveram mil e uma oportunidades de aprender alguma coisa sobre este mundo medíocre (poderia dizer rasca, reles, ordinário) da tauromaquia, com textos que apenas denunciam as crueldades tauromáquicas, com provas científicas e vídeos que valem mais do que mil palavras.

 

Mas não aprenderam nada.

 

E já não há pachorra.

 

O pior ignorante é aquele que tendo oportunidade de deixar de ser ignorante, NÃO QUER.

 

As palavras são uma ARMA. Podem ferir mais do que punhais. Estamos numa “guerra” e é legítimo utilizá-las.

 

Dentro do dicionário, elas não servem para nada.

 

Aqui, aplicadas ADEQUADAMENTE às circunstâncias toscas da tauromaquia, INCOMODAM. E é esse o meu principal objectivo: incomodar e agitar as mentes entorpecidas.

 

E está a resultar.

 

Por exemplo, os forcados não sabiam que eram grandes COBARDES.

Agora já sabem.

 

Isabel A. Ferreira

 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 10:50

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Quarta-feira, 26 de Junho de 2013

«Forcados, um símbolo de vergonha nacional»

 

Pois, se os forcados são suficientemente cobardes para se atirarem com fúria para cima de um Touro torturado, ferido, a sangrar, em grande sofrimento, já moribundo, são capazes de todas as violências.

 

São eles próprios uma violência ambulante.

 

E consideram-se eles "símbolos" da identidade portuguesa!

Bela identidade!

 

 

 

Por Prótouro (Pelos touros em liberdade)

 

«A “prótoiro” num dos seus ataques de diarreia verbal e mental, acusa a SIC de associar o forcado, símbolo de Portugal, a comportamentos impróprios.

 

A megalomania da “prótoiro” não conhece limites! O forcado até pode ser um símbolo do mundinho tauromáquico, mas jamais será um símbolo de Portugal.

 

Bem pelo contrário, os forcados são pessoas violentas que vivem num mundo violento e que se destacam por comportamentos impróprios de pessoas civilizadas. Quando o afirmamos, não o fazemos de modo gratuito, mas sim baseados em factos concretos:

 

- 2003 uma largada de vacas no concelho de Montemor-o-Novo acaba em cena de pancadaria, na origem de tudo está uma agressão de elementos dos forcados de Montemor. A violência foi de tal ordem, que o presidente da junta de freguesia de Lavre, Fernando Monteiro, afirmou o seguinte ao jornal “Público” : “Foram eles que provocaram tudo. São uns arruaceiros. Onde quer que vão armam violência e são protegidos por serem filhos das famílias influentes da zona: os Vacas de Carvalho, os Veiga, os Malta, os Barata Freixo. Acho que já é tempo de serem punidos”.

 

- 2009 os forcados de Montemor, envolvem-se numa cena de pancadaria com os seguranças da discoteca “Praxis” em Évora.

 

- 2011 vários forcados envolvem-se à pancada nas bancadas do Campo Pequeno.

 

- 2012 forcados do Ramo Grande, Ilha Terceira, envolvem-se em cenas de desacatos com seguranças da discoteca “Kapital”.

 

- 2013 forcados de Montemor envolvidos em rixa em Alcácer do Sal.

 

Estes são alguns dos casos que foram relatados pela imprensa, quantos outros existirão que o não foram? Apostamos que casos como estes são mais que muitos, o que prova que o forcado é sem dúvida um símbolo que envergonha Portugal.

 

Se existisse uma taça, que premiasse os forcados envolvidos em desacatos e rixas, essa iria para o grupo de forcados de Montemor.

 

Prótouro

Pelos touros em liberdade»

 

Fonte:

http://protouro.wordpress.com/2013/06/26/forcados-um-simbolo-de-vergonha-nacional/comment-page-1/#comment-1467

 

***

Comentário:

Mas essas cenas de violência já vêm de longe. Quem não se lembra do grupo do Salvação Barreto que nos anos 60 (séc XX) andava pelas noites de Lisboa a destruir tudo que lhe aparecia pela frente? (Carlos Ricardo)

 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 10:20

link do post | Comentar | Ver comentários (29) | Adicionar aos favoritos
Sexta-feira, 31 de Maio de 2013

«VAMOS À VACA, VAMOS À VACA… QUE BELA VACA…» É ASSIM QUE CANTAM OS BRONCOS DE PONTE DE LIMA PARA CELEBRAREM O DIA DO CORPO DE DEUS

E o mundo civilizado só pode lamentar tanta parolice!

 

O Presidente do Município, é um triste coitado, pois não tem saber, nem lucidez, nem poder para pôr fim a um evento tão grosseiro, que arrasta o nome de Ponte de Lima para a lama, como se vê neste vídeo que promove esta diversão idiota.

 


Não fica tudo dito?

 

E nem sequer o município tem a noção da figura ridícula que faz ao promover publicamente tamanha parvoíce.

 

 

É isto a “Vaca das Cordas”: um bando de bêbados covardes a puxar pelas ruas um animal manietado com cordas, ofegante, de língua de fora, cornos embolados (até nisso são covardes, pois nem sequer deixam ao animal a oportunidade de defender-se com as suas próprias armas).

 

E anda esta gente inútil, pelas ruas, a fazer figura de parva e a celebrar o CORPO DE DEUS…

publicado por Isabel A. Ferreira às 11:14

link do post | Comentar | Ver comentários (6) | Adicionar aos favoritos
Quinta-feira, 30 de Maio de 2013

A ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL PORTUGUESA (AIP) ESTÁ A PROMOVER UM “WORKSHOP SOBRE FESTA BRAVA” E UMA SESSÃO PRÁTICA DE TAUROMAQUIA NA COMPANHIA DE LEZÍRIAS

 

Que vergonha AIP! Que desprestígio!

 

O que levará uma Associação como a AIP a promover um evento de tão baixo nível cultural e ético e que desmoraliza os associados, que ficarão conotados com a barbárie e a tortura para divertimento de sádicos?

 

 

Torturar bebés bovinos é de gente covarde e sem carácter algum, e a AIP sendo conivente com tal crime contra a VIDA, iguala-se na covardia aos psicopatas tauricidas.

 

Link da foto: https://www.facebook.com/photo.php?fbid=585224718175005&set=a.472890756075069.108951.143034799060668&type=1&ref=nf

 

Diz-se que esta iniciativa (anormal) destina-se a associados da AIP, os quais, mediante o pagamento de 50€ podem “desfrutar", ou seja GOZAR SADICAMENTE esta actividade que inclui a lide de animais jovens considerada (IMAGINE-SE) "um verdadeiro desafio para os mais corajosos"…

 

Desafio para os mais CORAJOSOS?

 

LIDAR inocentes e inofensivos BEZERRINHOS será de GENTE?

 

Isto não é coisa de HOMENS INTEIROS!

 

Isto é coisa de COVARDES PREDADORES.

 

TORTURAR TOUROS é já uma covardia monstruosa. Mas torturar animais jovens ultrapassa tudo o que possamos imaginar.

 

Serão todos os associados da AIP a favor de tão primitivo e bárbaro entretenimento?

 

Veremos quantos associados quererão passar por primitivos, bárbaros  e sádicos.

 

É já no dia 1 de Junho. Sábado. Dia em que se celebra o Dia Mundial da Criança.

 

Não poderia a AIP organizar um evento que pudesse AJUDAR AS CRIANÇAS MAIS DESFAVORECIDAS E QUE ESTÃO A PASSAR FOME EM PORTUGAL?

 

Não seria isso mais CIVILIZADO e ÚTIL do que TORTURAR POBRES BEZERROS para entreter sádicos?

 

Aqui deixo o meu veemente REPÚDIO e INDIGNAÇÃO por mais este evento de BRONCOS, que só serve para fazer fretes ao desprezível lobby tauromáquico.

http://goo.gl/0upQL

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 16:09

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Quarta-feira, 15 de Maio de 2013

Aficionados acabaram à batatada nas bancadas da arena de Moura, onde se realizou tortura de Touros com casa meio vazia

 

É assim o mundinho da tauromaquia: violência na arena, violência nas bancadas, violência em casa, violência nas ruas, enfim… é um fartar de violência…

 

E que outra coisa se pode esperar de gente que nasceu com a brutalidade a correr-lhe nas veias?

 

 

 

No passado sábado, dia 11 de Maio, nesta arena alentejana de Moura (que em breve ficará para sempre vazia) realizou-se uma tourada que acabou mal, com os aficionados à batatada, nas bancadas, numa cena de pancadaria “à antiga”, diz a fonte, sem mortos, mas com feridos que tiveram de ser levados ao hospital (e nós é que pagamos a conta).

 

 

 
Violência  nas bancadas...

 

E tudo por o último Touro não ter sido pegado pelo grupo de cobardes, perdão, forcados “de serviço”.

 

Uns entenderam que aquilo era um escândalo, outros entenderam outra coisa, e vá que, como se já não bastasse a violência na arena, a “tourada” continuou nas bancadas com os sádicos aos chutos, socos e pontapés.

 

Triste cena, com um significado específico: o fim apróxima-se à velocidade de um soco.

 

Já estamos em contagem decrescente.

 

Isabel A. Ferrreira

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 10:33

link do post | Comentar | Ver comentários (8) | Adicionar aos favoritos
Segunda-feira, 13 de Maio de 2013

A JUVENTUDE TAURINA PORTUGUESA NÃO CONHECE O CONCEITO DE LIBERDADE NEM DE DEMOCRACIA

 

Um cartaz que só demonstra a ignorância de quem confunde liberdade com tortura

 

 

A liberdade desses “outros” termina quando começa a liberdade de os Touros terem direito à sua própria vida.

 

Não temos de estar todos de acordo (nas opiniões).

 

De acordo.

 

Acontece que no que se refere a touradas, não falamos de opiniões, mas de factos, atitudes covardes e sádicas, sem ética, nem moral, nem inteligência.

 

Podridão e psicopatia.

 

E a liberdade não assenta na premissa da TORTURA.

 

Vocês não defendem a liberdade.

 

Defendem a tortura, a violência e a estupidez.

 

Isto nada tem a ver com democracia, porque esta também não tem nada a ver com tortura.

 

Perderam uma boa oportunidade de estar calados e não fazer figura de parvos.

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 15:02

link do post | Comentar | Ver comentários (2) | Adicionar aos favoritos
Terça-feira, 7 de Maio de 2013

As palavras são uma arma, podem ferir mais do que punhais

 

E no Arco de Almedina, aplicadas adequadamente às circunstâncias toscas da tauromaquia, INCOMODAM. E é esse o principal objectivo: incomodar e agitar as mentes entorpecidas.

 

 

Esta imagem vale mais do que mil palavras, mas se utilizar as palavras terei de dizer que quem fez isto é um cobarde, psicopata, tauricida, mau carácter, com muito maus instintos.

 

Há gente que critica a linguagem directa que utilizo para dizer das coisas rastaqueras da tauromaquia.

 

Confundem OPINIÃO com FACTOS.

 

Não percebem o que está escrito nas linhas, muito menos o que vai nas entrelinhas (o mais importante).

 

Falar sobre a COBARDIA DA TAUROMAQUIA não é falar de opiniões. É falar de FACTOS, comprováveis pelas imagens degradantes que existem aos milhares, e dizem mais do que mil palavras.

 

Opiniões, cada um tem as suas. Podemos concordar ou não com elas.

 

Já a TORTURA DE TOUROS E CAVALOS perpetrada por COBARDES foge ao âmbito das opiniões, porque ninguém tem o direito de torturar ninguém, e isto não é uma opinião, é um facto INDIGNO de seres humanos. Logo, quem o pratica será tudo menos humano, e tem de ser classificado com as palavras certas.

 

A forma correcta de lidar com a ESTUPIDEZ é chamá-la pelo próprio nome, ou seja, ESTUPIDEZ, para que quem leia compreenda o que se quer dizer. E mesmo assim, é uma desgraça. Impera por aqui uma iliteracia estarrecedora.

 

Agora vou usar um jargão de aficionado: quem não gosta do que lê neste Blogue, não LEIA.

 

Não vou mudar a minha linguagem quanto a algo que envergonha a Humanidade, só porque os aficionados e meia dúzia de falsos moralistas não gostam.

 

Aprendi que as palavras são para ser utilizadas conforme as circunstâncias. Se elas existem no dicionário são para classificar atitudes desprezíveis e adjectivar criaturas que andam no mundo a atormentar seres que não têm culpa da psicopatia de que sofrem os seus carrascos (poderia dizer algozes, agressores, verdugos, carrasqueiras).

 

Uma vez que se incomodam tanto com a linguagem que utilizo, digam-me como se adjectiva um cobarde (poderia dizer, medroso, poltrão, fraco); um torcionário (poderia dizer torturador); um psicopata (poderia dizer indivíduo clinicamente perverso com desvio comportamental); um sádico (poderia dizer cruel, depravado, mau, malvado); um bronco (poderia dizer, tosco, grosseiro, rude, obtuso); um bêbado (poderia dizer borrachão, ébrio); um tauricida (poderia dizer matador de touros) enfim… Digam-me como classificar toda esta gente que faz parte do mundo imundo e rasca (poderia dizer sujo, sebento, surrento, reles, ordinário) da tauromaquia, com palavras poéticas?  

 

Se não estavam habituados a esta linguagem sem papas na língua, paciência! Ela reflecte simplesmente a realidade da tauromaquia, que é assim mesmo. Não há outro modo de qualificá-la.

 

Já chega de DOURAR A PÍLULA.

 

Os que vêm a este Blogue, já tiveram mil e uma oportunidades de aprender alguma coisa sobre este mundo medíocre (poderia dizer rasca, reles, ordinário) da tauromaquia, com textos que apenas denunciam as crueldades tauromáquicas, com provas científicas e vídeos que valem mais do que mil palavras.

 

Mas não aprenderam nada.

 

E já não há pachorra.

 

O pior ignorante é aquele que tendo oportunidade de deixar de ser ignorante, NÃO QUER.

 

As palavras são uma ARMA. Podem ferir mais do que punhais. Estamos numa “guerra” e é legítimo utilizá-las.

 

Dentro do dicionário, elas não servem para nada.

 

Aqui, aplicadas ADEQUADAMENTE às circunstâncias toscas da tauromaquia, INCOMODAM. E é esse o meu principal objectivo: incomodar e agitar as mentes entorpecidas.

 

E está a resultar.

 

Por exemplo, os forcados não sabiam que eram grandes COBARDES.

Agora já sabem.

 

Isabel A. Ferreira

 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 14:46

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Quinta-feira, 4 de Abril de 2013

TURISTAS CULTOS NÃO VÃO AO campo pequeno VER COVARDES A TORTURAR TOUROS E CAVALOS

 

Isto não faz parte dos roteiros turísticos de qualidade

 

 

 

 

Na página da prótoiro lê-se o seguinte:

 

«O jornal inglês Daily Telegraph recomenda uma ida às touradas no Campo Pequeno como uma das atracções obrigatórias para os turistas que visitem Lisboa

 

O artigo onde se faz esta “recomendação” foi escrito por Guyan Mitra, que, com certeza, nunca foi a uma tourada, e disse o que disse porque ouviu dizer (o sublinhado é meu):   

 

«Num artigo intitulado "As atrações de Lisboa: o que ver e fazer na Primavera", o jornal britânico Daily Telegraph sugere diversos lugares e eventos a não perder, nos próximos meses, na capital portuguesa.

 

O jornalista Guyan Mitra começa por referir que Lisboa é um destino que se pode visitar em qualquer altura do ano, já que "nunca faz demasiado frio ou demasiado calor”.

 

"Tendo como pano de fundo o sempre presente oceano Atlântico, esta delicada cidade beijada pelo sol vive numa espécie de conto de fadas latino" onde ainda há "costumes e tradições antigas", salienta Guyan Mitra, na introdução do artigo.

 

A feira internacional Arte Lisboa, que decorre em Maio na Fil, o festival de cinema IndieLisboa, a Feira do Livro e o festival Rock in Rio são apenas alguns dos eventos recomendados a quem visitar a cidade nesta Primavera.

 

Guyan Mitra sugere ainda uma visita às touradas do Campo Pequeno, avisando que em Portugal o touro não é morto na praça e que, goste-se ou odeie-se, "esta é uma das tradições da cidade".

 

Entre as sugestões do roteiro, o jornalista recomenda vários hotéis como o "charmoso" Bairro Alto Hotel, o Hotel Florida que considera "divertido" com o seu tema dedicado a Hollywood, o LX Boutique à beira do rio, o contemporâneo Jeronimos 8 ou o incontornável Lapa Palace.

 

No perfil do jornalista Guyan Mitra pode ler-se que o colaborador do Daily Telegraph tem laços fortes com a cidade de Lisboa que já visitou diversas vezes desde os seus 17 anos. Guyan considera que Lisboa faz um "casamento mais perfeito entre a praia e a cidade do que qualquer outro destino", incluindo o Rio de Janeiro

 

***

 

Pois!

 

Acontece que um turista culto inglês sabe perfeitamente o que é uma tourada, e matando ou não matando o touro na arena, o ritual é do mesmo modo sangrento e nada recomendável.

 

É sabido que quando algum turista vai a uma tourada por engano, sai de lá ao primeiro touro, e a chorar, horrorizado, com tamanha carnificina.

 

Vão esperando, vão, os turistas cultos, fazem turismo culto. Não lhes interessando o que de mais baixo há numa cidade.

 

Isto é um facto.

 

Só vai ao campo pequeno ver touradas, gente pequena… do cérebro.

 

Não tenham qualquer dúvida.

 

http://bit.ly/YxV2uJ

 

 

***

A respeito deste artigo, o mesmo Daily Mail escreveu há uns anos atrás como as famílias de Inglaterra estavam descontentes por "colaborar" com o barbarismo das touradas. 

 

Vale a pena a leitura.

 

 

http://www.dailymail.co.uk/news/article-1034484/How-family-Britain-paying-alive-barbarism-bullfighting.html

 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 17:16

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

campo pequeno ESPERA CERCA DE 5 MIL SÁDICOS NA ABERTURA DA TEMPORADA DA TORTURA DE TOUROS E CAVALOS

 

 

Este ritual degradante contará com os habituais covardes, que irão sacrificar 6 magníficos Touros, previamente maltratados, para entrarem na arena já bastante enfraquecidos, sem visão, sem cornos, e estraçalhados por dentro.

 

Os covardes tauricidas farão tudo, isto é, usarão de todas as armas tauromáquicas sobre seres indefesos, inocentes e fragilizados apenas para mostrarem uma “virilidade” que nem com uma lupa consegue ver-se.

 

Enfim, não terão casa cheia, porque está mais do que visto que em Portugal só os sádicos, os bêbados, os necrófilos, os destrambelhados mentais (e não serão tantos assim) é que vão assistir e aplaudir um ritual sanguinário, que vem do tempo das bruxarias.

 

Se a comunicação social cumprisse a sua função, esta “coisa” que se anuncia no jornal Correio da Manhã como um acontecimento social de “elevado nível” seria noticiado como a festa ridícula de marialvas ridículos, que já estão fora de prazo.

 

Desejo que tudo corra bem para os 6 magníficos Touros e que eles possam enfrentar estes covardes com a dignidade dos seres superiores que são, muito mais do que os seus ridículos carrascos. O seu sacrifício não será em vão. Todas estas mortes serão um dia desagravadas da maneira mais atroz.

 

Para os carrascos desejo que tudo corra mal.

 

Porquê?

 

Porque já estamos todos fartos de tanta ESTUPIDEZ!

 

http://www.cmjornal.xl.pt/detalhe/noticias/lazer/cultura/campo-pequeno-espera-cerca-de-5-mil-aficionados

 

 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 14:54

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Segunda-feira, 1 de Abril de 2013

PRÓTOIRO NO SEU PIOR: «UM POR TODOS E TODOS POR UM…»

 

Vejam o que eles consideram “amizade” e “camaradagem”


 

 

E o que vemos nós aqui? Um bando de covardes contra um inocente, debilitado e indefeso tourinho.

 

Além de grandes covardes, os conceitos deles são nivelados pelo que de mais baixo existe à face do planeta Terra.

 

Valentia, mas valentia a sério, era ver esta espécie de “homens” numa arena a enfrentar o maior leão da selva esfomeado.

 

Isso é que demonstrava a valentia deste grupelho.

 

Agora, tantos, para um só tourinho fragilizado?

 

Tenham vergonha nessas caras!|

 

Vão brincar com carrinhos e bolinhas de sabão.

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 15:42

link do post | Comentar | Ver comentários (2) | Adicionar aos favoritos

Mais sobre mim

Pesquisar neste blog

 

Dezembro 2022

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Posts recentes

As palavras são uma arma,...

«Forcados, um símbolo de ...

«VAMOS À VACA, VAMOS À VA...

A ASSOCIAÇÃO INDUSTRIAL P...

Aficionados acabaram à b...

A JUVENTUDE TAURINA PORTU...

As palavras são uma arma,...

TURISTAS CULTOS NÃO VÃO A...

campo pequeno ESPERA CERC...

PRÓTOIRO NO SEU PIOR: «UM...

Arquivos

Dezembro 2022

Novembro 2022

Outubro 2022

Setembro 2022

Agosto 2022

Junho 2022

Maio 2022

Abril 2022

Março 2022

Fevereiro 2022

Janeiro 2022

Dezembro 2021

Novembro 2021

Outubro 2021

Setembro 2021

Agosto 2021

Julho 2021

Junho 2021

Maio 2021

Abril 2021

Março 2021

Fevereiro 2021

Janeiro 2021

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Direitos

© Todos os direitos reservados Os textos publicados neste blogue têm © A autora agradece a todos os que os divulgarem que indiquem, por favor, a fonte e os links dos mesmos. Obrigada.
RSS

Acordo Ortográfico

Em defesa da Língua Portuguesa, a autora deste Blogue não adopta o Acordo Ortográfico de 1990, devido a este ser inconstitucional, linguisticamente inconsistente, estruturalmente incongruente, para além de, comprovadamente, ser causa de uma crescente e perniciosa iliteracia em publicações oficiais e privadas, nas escolas, nos órgãos de comunicação social, na população em geral, e por estar a criar uma geração de analfabetos escolarizados e funcionais.

Comentários

Este Blogue aceita comentários de todas as pessoas, e os comentários serão publicados desde que seja claro que a pessoa que comentou interpretou correctamente o conteúdo da publicação. 1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome. 2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas". 3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias. Serão eliminados os comentários que contenham linguagem ordinária e insultos, ou de conteúdo racista e xenófobo. Em resumo: comente com educação, atendendo ao conteúdo da publicação, para que o seu comentário seja mantido.

Contacto

isabelferreira@net.sapo.pt