Sábado, 5 de Março de 2016

OS GATOS DE ISTAMBUL

 

Um curioso documentário sobre como é ser um Gato de rua em Istambul…

 

Os Gatos que, para mim, são seres divinos…

 

 

Nesta cidade, os Gatos vivem uma vida extraordinária.

 

Em Istambul o Gato é mais do que um simples Gato.

 

O Gato encarna o caos indescritível, a cultura e a singularidade de Istambul.

 

Eles não são vadios, nem Gatos domésticos.

 

Assim como tu reparares no Gato, o Gato reparará em ti, reciprocamente, como um espelho.

 

Istambul é a cidade deles. Por onde eles vagueiam, livremente.

 

Dizem que os gatos sabem que Deus existe. Eles sabem que somos apenas os intermediários.

 

Experimenta o que é ser um gato em Istambul.

 

O amor dos animais é uma espécie diferente de amor.

 

Se tu não amas os animais, também não poderás amar as pessoas.

 

***

(Se em Portugal pudéssemos chegar a este nível!)

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 18:39

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Sexta-feira, 8 de Agosto de 2014

A PÓVOA DE VARZIM, UMA VEZ MAIS, SORRI PARA A IMBECILIDADE TAUROMÁQUICA

 

Os autarcas desta cidade, cotada abaixo de lixo, por ser uma das mais carniceiras do país, uma vez mais, mostram a sua incapacidade e falta de sensibilidade e bom senso.

Homenageiam os emigrantes com sangue e tortura.
Apesar dos grandes fiascos destas iniciativas idiotas. 

 

Amanhã, a Póvoa de Varzim vai receber os broncos. É entre eles que esta cidade se mostra tal como é: uma estância balnear de quinta categoria.

 

 

É assim que ficam os bovinos depois de torturados. Será isto cultura? Arte? Um divertimento saudável e de qualidade?

Esconjurados sejam aqueles que praticam e aplaudem e apoiam tal barbaridade.

publicado por Isabel A. Ferreira às 19:12

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Quinta-feira, 24 de Julho de 2014

OS BRONCOS ESTARÃO NOVAMENTE NA PÓVOA DE VARZIM PARA MAIS UMA TORTURA DE BOVINOS

 

 

Apesar dos fiascos destas iniciativas, incivilizadas e toscas, a autarquia poveira e a RTP continuam a apoiar a tortura de bovinos, transformando a Póvoa de Varzim num antro a cheirar a ontem…

 

Amanhã, dia 25 de Julho, a arena de tortura abrirá novamente as suas portas para psicopatas e sádicos se divertirem à custa do tormento de seres vivos.

 

Esta gente não tem um mínimo de auto-estima. Não se importa nada de ser bronca, desde que encha os bolsos.

 

 

O CIRCO DOS TUBARÕES

 

 

Este será o lugar apropriado para Pinguins (amestrados à força)?

 

Como se a tortura de bovinos não bastasse para colocar a cidade poveira abaixo de lixo, a autarquia permite a entrada no seu território, de um Cardinali com um “verdadeiro circo dos tubarões” (segundo os panfletos).

 

Chamam-lhe “Aquático Show”, e apresentam Tubarões do OCEANO PACÍFICO, Focas do ALASCA, e Pinguins do PÓLO NORTE, todos enfiados num aquário, na Póvoa de Varzim, a muitas milhas do habitat natural deles, os quais vivem escravizados e confinados a um espaço exíguo, sim, porque um aquário de 30.000 litros de água não é o Oceano Pacífico, nem o Alasca ou o Pólo Norte, imensos…

 

Este é um daqueles casos cujo dono do circo devia ser encarcerado, para sentir o mesmo que sentem estes animais, e obrigado a devolvê-los ao habitat natural deles.

 

Isto pertence ao foro do Biocídio.

 

Mas o que fazem as autoridades?

 

São cúmplices deste malfazer.

 

A Póvoa de Varzim continua na senda da incultura e da incivilização.

 

Uma cidade a não constar nos roteiros turísticos de qualidade.

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 15:25

link do post | Comentar | Ver comentários (2) | Adicionar aos favoritos
Domingo, 6 de Julho de 2014

VIANA DO CASTELO NÃO MERECE SER PROFANADA COM UMA TOURADA

 

Um excelente texto do Dr. Defensor Moura, escrito em 17 de Agosto de 2012, e que devia estar arquivado, como um precioso documento de um tempo que passou, e, infelizmente, em 2014, continua actualíssimo…

 

O que se passa na Câmara Municipal de Viana do Castelo?

 

 

Texto de DEFENSOR MOURA

 

Depois de uma década e meia de profunda requalificação urbana e ambiental, com preservação e valorização dos recursos naturais, Viana do Castelo desenvolveu um modelo de cidade com estilos de vida saudável em perfeito equilíbrio com o privilegiado ecossistema envolvente.

 

O respeito pelos direitos dos animais e a decisão de declarar “Viana do Castelo Cidade anti-touradas” foram consequências naturais da evolução civilizacional da comunidade vianense, com aprovação da esmagadora maioria dos cidadãos e escassíssimas manifestações de oposição, como aliás o demonstraram os proprietários da Praça de Touros (que a venderam sabendo que acabariam as touradas) e, até, do centenário clube taurino da cidade que há muitos anos se dedica tranquilamente à prática de bilhar e xadrez.

 

Em Viana do Castelo não há touros, nem toureiros, nem forcados e as touradas nada tinham a ver com a Romaria d’Agonia, dedicada às belezas vianenses – o traje, o ouro, as danças e os cantares, o cortejo, as procissões e o fogo-de-artifício que atraem muitas centenas de milhares de forasteiros anualmente.

 

Ninguém sentiu a falta da tourada nos últimos três anos da romaria e Viana viveu tranquilamente a sua festa maior sem acolher no seu seio o bárbaro espectáculo onde os pobres touros, que vinham de fora, para aqui sofrerem torturas sanguinárias de toureiros, que também vinham de fora, para mórbido prazer de umas centenas de aficionados que, igualmente, de outras paragens chegavam à cidade!

 

Mas “Viana anti-touradas” é um símbolo da luta pelos direitos dos animais que os, cada vez menos aficionados, não desistem de abater. Esperava-se que, mais tarde ou mais cedo, a indústria tauromáquica investisse sobre Viana.

 

Foi este ano que o poderoso lobby das touradas apareceu, com uma proposta da federação Prótoiro para instalação de um redondel provisório em terrenos agrícolas na periferia da cidade, com o propósito de esmagar exemplarmente a vontade da cidade que simbolicamente se ergueu contra a barbárie.

 

Esbarraram na firme determinação da Autarquia que indeferiu o pedido, por se manter orgulhosamente como “Cidade anti-touradas” e por rejeição do local de instalação da praça provisória. Inesperadamente o Tribunal Administrativo de Braga desautorizou a Câmara Municipal e viabilizou a proposta de realização do sanguinário espectáculo. INACREDITÁVEL!!!

 

E se, no que se refere ao próprio espectáculo, a contraditória legislação que condena a violência sobre os animais … e parece excepcionar as touradas (!), pode admitir a controversa decisão judicial, era bem dispensável a insensível citação da tauromaquia como manifestação cultural equivalente ao teatro e à música.

 

Inesperada, porém, foi a decisão judicial de autorizar a instalação de uma praça de touros num terreno agrícola junto ao mar! Sem ouvir a Câmara Municipal, nem a Comissão de Coordenação Regional, nem o Instituto Hidrográfico, nem o Instituto de Conservação da Natureza que tutelam aquela área protegida, o Tribunal autorizou a instalação daquela arena de tortura num terreno onde o próprio agricultor não é autorizado a construir um pequeno casebre para guardar os utensílios agrícolas. ESCANDALOSO!!!

 

Além de um grave atropelo à legislação vigente, o poder judicial desautorizou publicamente a Autarquia de Viana do Castelo e afrontou desnecessariamente a população vianense que, por esmagadora maioria, reprova e rejeita as sanguinárias torturas tauromáquicas.

 

Afinal, se em Viana não há touros nem toureiros e os escassos aficionados, se existem, apenas precisam de se deslocar duas dezenas de quilómetros para satisfazerem a sua sede (de sangue) de cultura taurina, PORQUE NÃO NOS DEIXAM EM PAZ???

 

Porque não deixam os vianenses e os milhares de visitantes fruir alegremente a maior Romaria de Portugal, não manchando a beleza multicolor que a caracteriza com o sangue do sacrifício dos touros inocentes.

 

É evidente que, na enxurrada da gravíssima crise social que atravessamos, com desemprego, fome e perda de direitos no trabalho, na saúde e na escola pública, este bárbaro atentado aos direitos dos animais é apenas mais um alarmante sinal do retrocesso ético e civilizacional que inunda a nossa sociedade e é preciso denunciar e rejeitar quotidianamente.

 

Por isso me solidarizo com os vianenses e os amigos dos animais que se vão juntar no domingo, a partir das 16 horas, junto ao Castelo Velho da Praia Norte e na própria Veiga da Areosa, para protestar contra este grave atentado aos direitos dos animais e, simultaneamente, denunciar a escandalosa desautorização dos legítimos representantes autárquicos de Viana do Castelo.

 

Defensor Moura

 

17.Agosto.2012

publicado por Isabel A. Ferreira às 19:00

link do post | Comentar | Ver comentários (2) | Adicionar aos favoritos
Segunda-feira, 23 de Junho de 2014

AUTARCAS DA PÓVOA DE VARZIM E CAÇADORES DA ESTELA CONVIDAM O POVO INCULTO PARA UMA SESSÃO DE TORTURA DE BOVINOS

 

Uma manifestação de nível inferior, organizada por indivíduos inumanos, onde a crueldade se junta à mediocridade.

Porquê?

Porque onde há interesses económicos e sanguinários, não há lugar para a Dignidade, para a Honra e para a Humanidade.

 

E eles dizem que “vão aos toiros” … Pois vão… porque não são Portugueses.

 

 

A Câmara Municipal da Póvoa de Varzim (o edifício que se vê na imagem) fica situada na Praça do Almada, ou seja, na “sala de visitas” da cidade.

 

Pois é precisamente nesta “sala” e diante da Casa Maior (como era denominado o edifício) que os autarcas poveiros permitiram colocar o “convitepara a carnificina que vai ter lugar na arena da morte (uma estrutura urbana que, só por si, diz do atraso civilizacional da cidade) no próximo dia 11 de Julho, um dia para boicotar o turismo nesta localidade tauricida.

 

Ora juntaram-se três forças do mal: os matadores do Clube de Caça da Estela, os tauricidas do costume e os autarcas poveiros, para oferecerem a uns poucos sádicos, momentos de verdadeira barbárie, acentuada pela cobardia dos intervenientes, principalmente dos forcados que, cobardemente atacarão os touros já moribundos.

 

Nunca é demais dizer o que é uma tourada, porque este tipo de indivíduos, não consegue compreender logo à primeira, o significado deste costume bárbaro, que não tem nada a ver com Portugal (pois foi importado de Espanha, no tempo dos Filipes):

 

«A Tauromaquia é a terrível e venal arte de torturar e matar animais em público, segundo determinadas regras. Traumatiza as crianças e adultos sensíveis. A tourada agrava o estado dos neuróticos atraídos por estes espectáculos. Desnaturaliza a relação entre o homem e o animal, afronta a moral, a educação, a ciência e a cultura» UNESCO, 1980.

 

Pois é esta terrível e venal arte de torturar animais em público, que os autarcas poveiros têm para oferecer aos broncos que se dispuserem a aceitar este convite macabro.

 

Um detalhezinho importante, para as pessoas que residem na Póvoa de Varzim e não se identifiquem com esta aberração e quiserem boicotar quem a apoia: na Rua da Junqueira (o corredor comercial que desemboca na Praça do Almada) o único estabelecimento que aderiu a esta iniciativa parva foi a Sapataria Tony.

 

***

Sobre a tauromaquia, já se sabe: tortura-se um bovino, previamente enfraquecido, para os cobardes torcionários poderem “mostrar” a sua visível invirilidade, fingindo que são muito “machos”.


E a caça? O que será a caça?

 

 

O caçador é acima de tudo um COBARDE, além de possuir uma mentalidade primitiva, da Idade da Pedra.

 

«Ainda bem que os animais de outras espécies não têm o costume bárbaro de caçar.

 

Ainda não vemos cabeças humanas penduradas nas tocas dos animais. Ainda não vemos peles humanas a ser vendidas nas florestas onde habitam os animais.

 

Continuamos a ser a vergonha das espécies, que mata por diversão, ganância, inveja e ódio

 

Fonte

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=434073046660718&set=a.288849604516397.64455.100001740791934&type=1&theater

 

***

Pois no próximo dia 11 de Julho, na  cidade tauricida da Póvoa de Varzim, vão juntar-se os cobardes, que torturam e matam seres indefesos, apoiados por leis irracionais e anti-naturais e por autarcas que poderiam elevar a cidade ao nível da de Vila do Conde, que é uma cidade europeia (isto para não ir mais longe) transformando a arena da tortura num “Palácio de Cristal”, para eventos cultos e civilizados.

 

Propostas não faltam.

 

***

 

COMENTÁRIO DE UM MÉDICO VETERINÁRIO

 

 

Facto nojento da “luta” claramente desigual entre o animal e o "homem", um torcionário, espectáculo cruel, sangrento, repugnante, de que algumas pessoas se orgulham na sociedade, com a aprovação, cumplicidade das instituições públicas e líderes pré-históricos, mas importantes, por terem poder. Até quando??? São campeões de tortura e assassinato hipócrita, mascarado de "bem de interesse cultural. (Dr. Vasco Reis – Médico Veterinário).

 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 17:52

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Domingo, 22 de Junho de 2014

A CORRIDA DO PORCO PRETO, NO SÃO JOÃO DE BRAGA, ATIROU A CIDADE PARA O NÍVEL ABAIXO DE LIXO

 

Quiseram desenterrar costumes bárbaros medievais, e o retorno a um passado onde a ignorância e a crueldade imperavam manchou a ex-moderna cidade de Braga.

 

A estupidez medieval aconteceu. Espera-se que pela última vez.

 

 

Foto: Ana Barros in https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10202294374460583&set=a.10202294292538535.1073741922.1227891809&type=1&permPage=1

 

Este é o infeliz Libório, que foi retirado do seu habitat e, em pânico, com o barulho dos bombos e dos foguetes, foi perseguido e maltratado por um bando de gente histérica.

 

***

 

(Para verem este vídeo têm de carregar onde diz YouTube, no canto direito, em baixo.) 

 

REGRESSO AO PASSADO

 

Por Noémia Pinto

 

(Subscrevo integralmente este magnífico texto - I.A.F.)

 

«Parece que ontem, dia 20 de Junho, se cumpriu uma «tradição» em Braga, manchando a festa alegre que se pretende que o S. João seja. Uma tradição que não era cumprida há 98 anos. Saudosa, portanto!

 

Diz quem viu e até faz (má) locução na TV Minho que foi «um momento bonito». Eu olho para aquelas imagens e ocorrem-me vários adjectivos. Nenhum deles será bonito. Bonito, bonito seria deixarem o Libório no seu cantito.

 

Foi-me garantido, ainda na véspera de tão fantástica ressurreição, por um amigo próximo que estava na organização de tamanha crueldade, que o animal não sofreria qualquer dano. Eu, conhecedora do comportamento humano quando em «matilha» e frequentemente em estado de pouca sobriedade, imaginava o que por aí viria.

 

Infelizmente, pelo que li de relatos de quem viu o acontecimento e foi mais imparcial do que o magnífico repórter da TV Minho e pelo que vi nas imagens, a realidade foi mais ou menos como eu a imaginara.

 

O pobre porco, assustado com toda a confusão, medo que terá sido também agravado pelo disparo de morteiros, recusou-se a sair do veículo de transporte, pelo que foi puxado pelas orelhas e pela cauda para sair. Como insistia em não fazer o gosto à populaça, foi pontapeado. Aterrado, lá saiu da carrinha, desatando a correr. Como por vezes corria em sentido oposto àquele em que era suposto que corresse, era arrastado pelas orelhas e pela cauda.

 

Para quem garantia que ninguém poderia tocar no porco, algo falhou aqui, não? E depois desta vergonha, vão continuar a dizer que o animal não sofreu nada? Pelo menos sejam honestos e digam que não querem saber se o animal sofre ou não porque todos se consideram superiores a ele. Ou estão agora com medo dos tais «jeitosos que andam a chatear»?

 

Que o povo triste, ignorante, que mal ganha para a côdea goste destes acontecimentos, que representam o ponto alto nas suas vidas sem cor, até percebo. O que não percebo é que, mais uma vez, os estudantes estejam ligados a uma prática bárbara. Os estudantes devem ser motor de mudança dos países e suas sociedades. Os estudantes devem desenvolver o seu espírito crítico e a sua humanidade, libertando-se ou afastando-se da boçalidade e da barbárie. O que aqui aconteceu foi o oposto. Os estudantes ajudaram a que a barbárie e a crueldade se instalassem.

 

Para terminar, quero partilhar convosco o que descobri na página aberta de Facebook de um dos magníficos organizadores das fantástica e nada cruel «corrida»: um desenho do dito senhor a perseguir o porquito, utilizando uma linguagem que só por si ajuda a apelar ao que de mais baixo o ser humano tem dentro de si.

 

Para mim, a crise maior é esta, a perda de valores tão elementares como o respeito pelos outros, quer sejam os outros humanos, quer sejam outros animais. Convivemos todos neste espaço redondo, cada vez mais estragado, o mínimo que podemos fazer é respeitarmos o outro. Seja ele quem for. O regresso de tradições cruéis só nos fica mal.»

Fonte:

http://aventar.eu/2014/06/21/regresso-ao-passado-3/#more-1216916

 

***

BRAGA ENVERGONHADA NA RTP

(Ver o vídeo)

http://www.rtp.pt/noticias/index.php?article=746839&tm=8&layout=122&visual=61

 

«Durante os serviços noticiários de hoje, Braga, a NOSSA CIDADE, é retratada como um palco de atrasados mentais que querem vivem na Idade Média.

 

 Estas imagens não foram invejadas em lado algum de Portugal, provocaram sim estupefacção dos portugueses (mesmo os que estão no estrangeiro) pelo facto de não se tratar de imagens de uma terra recôndita e com atraso civilizacional, mas sim da 3ª CIDADE DO PAÍS!

 

Os que estiveram presentes na "Corrida do Porco Preto" não são os que não estiveram lá, são uma minoria da cidade.

 

Grande parte dos que, movidos pela curiosidade, se deslocaram ao local, ficaram chocados e sem reacção, um sentimento estranho e inexplicável diante de alguns que até se divertiam com a vida deste animal, transformada em miserável, sem dignidade, sem apreço, sem nada

 

Fonte:

https://www.facebook.com/photo.php?v=258337511018502&set=vb.252006934984893&type=2&theater

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 15:53

link do post | Comentar | Ver comentários (2) | Adicionar aos favoritos
Segunda-feira, 3 de Fevereiro de 2014

OLVERA (CÁDIZ) DECLARA-SE O PRIMEIRO MUNICÍPIO ANTITAURINO DE ANDALUZIA

 

Em Portugal realizam-se Fóruns onde a tortura taurina é esmiuçada até ao tutano, como se fosse algo construtivo, educativo, cultural e civilizado… em pleno século XXI depois de Cristo.

 

Coisas de broncos, que só vêem €€€€€€€ à frente do nariz.

 

 

 « Olvera (Cádiz) declara-se o primeiro municipio antitaurino de Andaluzia. 

 

“Em pleno século XXI não «se pode consentir o maltrato animal em geral e do Touro em particular. Enquanto o IU governar a cidade será assim” referiu José Luis Del Rio Cabrera, Presidente da Câmara de Olvera

  

 Fonte

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=692516884132184&set=a.450989738284901.115127.449817305068811&type=1&theater

***

POR CÁ... IMPERA A ESTUPIDEZ!

POR ONDE ANDARÁ A LUCIDEZ?

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 10:21

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Quinta-feira, 4 de Abril de 2013

TURISTAS CULTOS NÃO VÃO AO campo pequeno VER COVARDES A TORTURAR TOUROS E CAVALOS

 

Isto não faz parte dos roteiros turísticos de qualidade

 

 

 

 

Na página da prótoiro lê-se o seguinte:

 

«O jornal inglês Daily Telegraph recomenda uma ida às touradas no Campo Pequeno como uma das atracções obrigatórias para os turistas que visitem Lisboa

 

O artigo onde se faz esta “recomendação” foi escrito por Guyan Mitra, que, com certeza, nunca foi a uma tourada, e disse o que disse porque ouviu dizer (o sublinhado é meu):   

 

«Num artigo intitulado "As atrações de Lisboa: o que ver e fazer na Primavera", o jornal britânico Daily Telegraph sugere diversos lugares e eventos a não perder, nos próximos meses, na capital portuguesa.

 

O jornalista Guyan Mitra começa por referir que Lisboa é um destino que se pode visitar em qualquer altura do ano, já que "nunca faz demasiado frio ou demasiado calor”.

 

"Tendo como pano de fundo o sempre presente oceano Atlântico, esta delicada cidade beijada pelo sol vive numa espécie de conto de fadas latino" onde ainda há "costumes e tradições antigas", salienta Guyan Mitra, na introdução do artigo.

 

A feira internacional Arte Lisboa, que decorre em Maio na Fil, o festival de cinema IndieLisboa, a Feira do Livro e o festival Rock in Rio são apenas alguns dos eventos recomendados a quem visitar a cidade nesta Primavera.

 

Guyan Mitra sugere ainda uma visita às touradas do Campo Pequeno, avisando que em Portugal o touro não é morto na praça e que, goste-se ou odeie-se, "esta é uma das tradições da cidade".

 

Entre as sugestões do roteiro, o jornalista recomenda vários hotéis como o "charmoso" Bairro Alto Hotel, o Hotel Florida que considera "divertido" com o seu tema dedicado a Hollywood, o LX Boutique à beira do rio, o contemporâneo Jeronimos 8 ou o incontornável Lapa Palace.

 

No perfil do jornalista Guyan Mitra pode ler-se que o colaborador do Daily Telegraph tem laços fortes com a cidade de Lisboa que já visitou diversas vezes desde os seus 17 anos. Guyan considera que Lisboa faz um "casamento mais perfeito entre a praia e a cidade do que qualquer outro destino", incluindo o Rio de Janeiro

 

***

 

Pois!

 

Acontece que um turista culto inglês sabe perfeitamente o que é uma tourada, e matando ou não matando o touro na arena, o ritual é do mesmo modo sangrento e nada recomendável.

 

É sabido que quando algum turista vai a uma tourada por engano, sai de lá ao primeiro touro, e a chorar, horrorizado, com tamanha carnificina.

 

Vão esperando, vão, os turistas cultos, fazem turismo culto. Não lhes interessando o que de mais baixo há numa cidade.

 

Isto é um facto.

 

Só vai ao campo pequeno ver touradas, gente pequena… do cérebro.

 

Não tenham qualquer dúvida.

 

http://bit.ly/YxV2uJ

 

 

***

A respeito deste artigo, o mesmo Daily Mail escreveu há uns anos atrás como as famílias de Inglaterra estavam descontentes por "colaborar" com o barbarismo das touradas. 

 

Vale a pena a leitura.

 

 

http://www.dailymail.co.uk/news/article-1034484/How-family-Britain-paying-alive-barbarism-bullfighting.html

 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 17:16

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Quinta-feira, 21 de Junho de 2012

JÁ NÃO VAI HAVER TOURADA EM CHAVES

 

 

 

A famosa Ponte de Trajano, sobre o Rio Tâmega, é um monumento romano que ainda persiste, emprestando a Chaves uma atmosfera extremamente romântica...

 

Acabámos de saber que a tourada prevista para o mês de Julho, na cidade de Chaves, já não vai realizar-se.

 

Por que haveria uma terra, tranquila e bela, como Chaves, ir conspurcar-se com um espectáculo degradante, que só lhe traria má fama?

 

Felicitamos os responsáveis por esta atitude INTELIGENTE, que salvaguardou o prestígio que sempre teve a Aquæ Flaviæ, designação romana da actual cidade de Chaves, que teve uma importância relevante na província romana da Galécia. Foi centro administrativo de um vasto território que ia do Douro até às nascentes do Rio Tâmega, dominando a exploração de importantes jazidas de ouro.

 

A cidade terá sido fundada a partir de uma mansio (edifícios construídos à margem das estradas romanas para albergar os oficiais), da via XVII do Itinerário de Antonino e ligava Bracara Augusta (actual cidade de Braga) a Asturica Augusta, (actual Astorga) tendo-se desenvolvido em torno de um importante balneário termal e centro religioso dedicado às Ninfas.

 

Foram encontrados vestígios deste balneário termal, no Largo do Arrabalde, que, pela sua monumentalidade, demonstram a importância deste centro religioso e terapêutico, que terá persistido até aos finais do século IV d.C.

 

A famosa Ponte de Trajano, sobre o Rio Tâmega, é um monumento romano que ainda persiste, emprestando a Chaves uma atmosfera extremamente romântica.

 

Claramente, uma tourada realizada num lugar com uma História tão rica como Chaves possui, seria desonrar os antepassados, que tanto fizeram para que a cidade mantivesse o prestígio de outrora.

 

O povo do Norte NÃO QUER ser invadido por rituais primitivos, programados por gente inculta, que como está a perder terreno no Sul, anda a “esticar-se” por terras nortenhas, numa tentativa de introduzir o TAURICÍDIO, onde ele não tem o mínimo cabimento.

 

CHAVES poderá, deste modo, continuar a ser uma cidade límpida e bela como sempre foi, erguida nas margens do Rio Tâmega, onde correm águas tranquilas...

publicado por Isabel A. Ferreira às 15:17

link do post | Comentar | Ver comentários (6) | Adicionar aos favoritos

Mais sobre mim

Pesquisar neste blog

 

Junho 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

Posts recentes

OS GATOS DE ISTAMBUL

A PÓVOA DE VARZIM, UMA VE...

OS BRONCOS ESTARÃO NOVAME...

VIANA DO CASTELO NÃO MERE...

AUTARCAS DA PÓVOA DE VARZ...

A CORRIDA DO PORCO PRETO,...

OLVERA (CÁDIZ) DECLARA-SE...

TURISTAS CULTOS NÃO VÃO A...

JÁ NÃO VAI HAVER TOURADA ...

Arquivos

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Direitos

© Todos os direitos reservados Os textos publicados neste blogue têm © A autora agradece a todos os que os divulgarem que indiquem, por favor, a fonte e os links dos mesmos. Obrigada.
RSS

Acordo Ortográfico

Em defesa da Língua Portuguesa, a autora deste Blogue não adopta o Acordo Ortográfico de 1990, devido a este ser inconstitucional, linguisticamente inconsistente, estruturalmente incongruente, para além de, comprovadamente, ser causa de uma crescente e perniciosa iliteracia em publicações oficiais e privadas, nas escolas, nos órgãos de comunicação social, na população em geral, e por estar a criar uma geração de analfabetos escolarizados e funcionais.

Comentários

Este Blogue aceita comentários de todas as pessoas, e os comentários serão publicados desde que seja claro que a pessoa que comentou interpretou correctamente o conteúdo da publicação. Serão eliminados os comentários que contenham linguagem ordinária e insultos, ou de conteúdo racista e xenófobo. Em resumo: comente com educação, atendendo ao conteúdo da publicação, para que o seu comentário seja mantido.

Contacto

isabelferreira@net.sapo.pt