Quarta-feira, 20 de Agosto de 2014

RIO MAIOR, OUTRO MUNICÍPIO CLASSIFICADO ABAIXO DE LIXO, POR ADERIR À SELVAJARIA TAUROMÁQUICA

 

Portugal está cheio de autarcas que se deixam manipular como marionetas nas mãos de bárbaros primitivos e ignorantes.

 

Como é que isto ainda é possível, em pleno século XXI depois de Cristo, senhora Presidente da Câmara Municipal de Rio Maior, Isaura Morais?

 

 

Esta é a imagem que queremos perpetuar do ser senciente e belo, que é o Bovino.

 

Está prevista para o dia 30 de Agosto, em Rio Maior, uma sessão de selvajaria tauromáquica, junto ao Pavilhão Multiusos.

 

Esta localidade (que nem merece o nome de cidade) não realiza tal barbárie, há vários anos, e foi com o habitual enorme repúdio que tomei conhecimento do regresso deste costume bárbaro, herdado de um tempo em que predominava uma ignorância perversa, que ao que parece, a “senhora” autarca de Rio Maior pretende recuperar.

 

Como todos sabem, excepto o executivo camarário de Rio Maior, qualquer iniciativa tauromáquica é uma ofensa ética e moral que degrada socialmente, moralmente e psicologicamente quem pratica, quem aplaude e quem apoia tal imbecilidade.

 

Exma. Senhora Isaura Morais, Presidente da Câmara Municipal de Rio Maior,  

 

Manifesto deste modo, a minha mais profunda indignação e o meu mais veemente repúdio, como cidadã portuguesa, que tem o dever, consignado na Constituição Portuguesa, de denunciar as impolíticas dos que foram eleitos para fazer progredir as localidades, e fazem-nas recuar séculos, enterrando-as nos charcos de águas fétidas de antanho.

 

É que torturar animais sencientes, inofensivos, inocentes e indefesos em nome de uma diversão tão parola quanto cruel, é uma prática eticamente condenável e repudiada por milhões de seres humanos em todo o mundo civilizado.

 

A imagem negativa a nível ético, moral, social e até mesmo educativo que liga Rio Maior à selvajaria tauromáquica está a ser transmitida, por várias vias, a todo esse mundo, que tem os olhos postos nos oito países terceiro-mundistas que ainda mantém este rebotalho do passado.

 

Por isso, senhora Isaura Morais, penso que seria o momento oportuno de reflectir bem na sua posição em relação à permissão desta barbárie em Rio Maior, uma vez que ao permitir tal “coisa” estará a dar aval à violência, à crueldade e à incultura que os rio-maiorenses não querem.

 

E tendo em conta que a ciência reconhece inquestionavelmente os animais mamíferos, incluindo Touros e Cavalos (pois ao contrário do que diz a lei portuguesa estes são também animais) como seres sencientes, capazes de sentir dor e prazer, tanto físicos como psicológicos, bem como sentimentos de medo, angústia, stress e ansiedade, a selvajaria tauromáquica, vulgo tourada, ofende gravemente os sentimentos e a sensibilidade, e insulta a inteligência da esmagadora maioria da população portuguesa, e contribui para a degradação moral de quem obtém prazer estético e psicológico com o sofrimento dos animais;


Tendo em conta que esta selvajaria expressa uma cultura envolvida na insensibilidade e na violência que degrada quem a pratica, aplaude e promove: vários estudos e especialistas concordam que a prática e a aceitação da violência contra os animais predispõe para a prática e a aceitação da violência contra os Homens (e em Portugal temos demasiados exemplos dessa violência gratuita sobre pessoas indefesas, crianças, velhos, mulheres…)


Tendo ainda em conta que o progressivo abandono de costumes retrógrados e opostos a um sentido humanista de cultura, como o que contribui para nos tornar melhores seres humanos, é o que caracteriza a evolução mental e civilizacional das sociedades e melhor corresponde à sensibilidade contemporânea;


Venho sugerir à senhora presidente da Câmara de Rio Maior, Isaura Morais, o cancelamento desta iniciativa selvagem (no mau sentido da palavra, porque na selva nem tudo é mau), bem como não haja mais incentivos e apoios para a continuidade destas práticas violentas e anormais contra animais sencientes, as quais tanto rebaixam todos os que nela estão envolvidos. 


Com a minha mais veemente indignação,

 

Isabel A. Ferreira

 

***

Abram este link, por favor, e adiram:

www.facebook.com/events/506724246129631

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 16:07

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Comentários:
De André a 24 de Agosto de 2014 às 00:04
Minha querida, lamento imenso que existam pessoas que não merecem respostas terem tempo de antenas em blog. Quando falar de Rio Maior, lembre-se que não voltou a uma ditadura porque houve bravas pessoas que se dignaram a proteger o que restava do pais e do volte face. Mas presumo que para vossa excelência este tema não seja do seu agrado uma vez que as palas nos olhos não lhe permitem ver mais do que aquilo que acha ser o correcto. Rio Maior é uma cidade como poucas em Portugal e que devia ser tratada como exemplo. Você não é nada nem ninguém, apesar de ter um blog, para atacar gratuitamente uma cidade que desde cedo defendeu a liberdade. Continue a sua demagogia barata mas sem ofender uma terra a quem de certeza de forma indirecta voce também deve algo. Se tem algo para dizer, diga na cara. Apareça em Rio Maior numa feira que é centenária que nos sabemos como bem receber.

Continuação de boa demagogia barata e de uma luta que não é a sua mas que é moda.

E não se esqueça, não consegue acabar com as touradas, quando muito vai torná-las elitistas ao fazer com que elas aconteçam dentro dos espaços de cada um.
De Isabel A. Ferreira a 24 de Agosto de 2014 às 19:53
PRIMEIRO: não sou sua querida, VADE RETRO SATANÁS! Prefiro ser QUERIDA de um verme.

SEGUNDO: Rio Maior, enquanto permitir a TORTURA entro do seu território (o 25 de ABRIL fez-se TAMBÉM para acabar com a TORTURA) será uma localidade classificada ABAIXO DE LIXO, gostem ou não.

TERCEIRO: PALAS usam aqueles que no século XXI AINDA se vergam ao lixo da tauromaquia; aplaudem a TORTURA (que o 25 de Abril não conseguiu ELIMINAR porque os FASCISTAS E OS NAZISTAS ANDAM POR AÍ); e apoiam um COSTUME BÁRBARO, HERDADO DE IGNORANTES.

QUARTO: EU SOU UMA CIDADÃ portuguesa, COM PLENO DIREITO À INDIGNAÇÃO e com o DEVER de DENUNCIAR o que CONSPURCA o MEU PAÍS. A GRANDE MISSÃO do jornalista não é o DIREITO à informação, mas sim a CAPACIDADE DE DENUNCIAR. Certo? APRENDA!

QUINTO: Não tenho medo de AMEAÇAS DE COBARDES. SE eu aparecer em Rio Maior, quem FUGIRÁ de mim são os cobardes que por aí pululam. Tenha certeza DISTO.

SEXTO: Pois a MINHA LUTA CONTINUARÁ até que a ÚLTIMA BESTA HUMANA se EXTINGA.

SÉTIMO: EU, SOZINHA, não conseguirei ACABAR COM A SELVAJARIA TAUROMÁQUICA, mas COMIGO ESTÃO MILHÕES DE PESSOAS DE TODO O MUNDO CIVILIZADO, e esta SELVAJARIA tem os DIAS CONTADOS, como DOIS E DOIS SEREM QUATRO.
De Mel a 25 de Agosto de 2014 às 12:27
Bom dia Isabel,

no evento que criei, para o envio de mensagens contra a tourada em Rio Maior, reparei que publicou a sua postagem e decidi não comentar nada porque sou apologista da liberdade de expressão e porque, até agora, não tive tempo para tal. Todavia, e esperando que não fique ofendida com o que vou afirmar, não estou contente com a avaliação que fez à minha cidade: apesar de Rio Maior ser uma artéria do coração ribatejano, acredite que MUITOS munícipes são contra as touradas e que várias queixas, das quais tenho conhecimento, foram já aplicadas. A Isabel não pode cair neste género de falácias de generalização precipitada e deitar a cidade no mesmo saco quando o erro parte exclusivamente da Presidente da Câmara Municipal e associados. Nós, como riomaiorenses, não temos culpa que a Presidente da Câmara Municipal não ofereça quaisquer respostas para as nossas reclamações: acredite que a situação arrasta-se há anos para bastantes situações e andamos todos cansados disso. Cheguei a falar pessoalmente com o Presidente da Junta de Freguesia e, até com ele, a Câmara Municipal dá respostas curtas e rudes.
Não vou exigir que apague o seu texto porque, como referi, a Isabel tem todo o direito de expressar a sua opinião, mas alerto-a que já recebi comentários de riomaiorenses muito ofendidos, tendo em conta que a cidade num todo foi atacada: peço-lhe, simplesmente, que reflicta se é desta forma que vai ajudar a mudar mentalidades ou se, pelo contrário, não criou uma maneira de desenvolver desacatados sociais.
Rio Maior é uma cidade simples mas com um património histórico que não merece ser classificado 'abaixo de lixo': um dia passe por lá e encante-se com as salinas, as ruínas romanas e a imponente serra D'Aire e Candeeiros.
Por favor, Isabel, não tenha e não ofereça uma imagem negativa da minha cidade só porque a Presidente tomou uma decisão errada. Não é nada justo :(
Também sou obrigada a pedir-lhe que não ofenda os indivíduos que têm uma visão diferente da sua dentro do evento referido: sem paciência não criamos virtudes e não despertamos a compaixão que acredito estar adormecida na maioria de quem ainda não vê o que vemos.
Lembre-se que estamos juntas na mesma causa e, precisamente, não se aborreça comigo. Não nos conhecemos pessoalmente mas tenho bastante respeito por si e não desejo que veja o meu comentário como um ataque.

Um beijo.
De Isabel A. Ferreira a 25 de Agosto de 2014 às 12:45
Primeiro: Cara Mel, não SOU EU que classifico as localidades que estão ABAIXO DE LIXO, por aderirem ao lixo tauromáquico. São as autarquias, elas próprias, que automaticamente se auto classificam deste modo, ao vergarem-se ao lobby da selvajaria.

Segundo: responder-lhe-ei com as palavras que deixei escritas no meu post, no Evento: não só não concordo com as touradas, como não concordo com as autarquias que se vendem ao lixo tauromáquico, como também não concordo com o povo que ELEGE uma tal gentinha sem senso, nem consciência para gerir os interesses de um município.

Ora que eu saiba, ao município de Rio Maior não interessará algo que o CONSPURCA, logo estará abaixo de lixo, automaticamente, e isto não é OFENDER a terra. É dizer a verdade sobre a terra. É CRITICA. Pura e Dura. Se os rio-maiorenses (rio-maiorense - adjectivo (isto por que até já me criticaram por escrever MAL este adjectivo)
http://www.portaldalinguaportuguesa.org/advanced.php?action=lemma&lemma=80237)
não gostam, o problema não é meu.

Uma terra não é civilizada SE alinha com a conspurcação tauromáquica ou outra do mesmo género.

Se existe alguém com quem deve REFILAR é com a presidente da Câmara. Não comigo.

Eu só faço a minha parte: DENUNCIO e CRITICO.

Portugal, o NOSSO tão amado país, está muitas vezes classificado ABAIXO DE LIXO, por questões económico-financeiras, e temos de dar razão a quem o coloca a esse nível, ou não seremos BONS PORTUGUESES.

Se não quisermos estar abaixo de lixo, EVOLUAMOS.

E um filho da terra que não sabe identificar o "lixo" da terra, não ama verdadeiramente a sua terra.

AMAR A TERRA é também SABER CRITICAR o que nela existe de ignominioso, e denunciar.

O mesmo é AMAR UMA PESSOA. Se a amamos, criticamo-la quando ela não está a fazer a coisa certa. Correcto? Por isso a AMAMOS.

Ninguém está aqui para ofender ninguém, Mel.
Quem se sente OFENDIDO é porque é cúmplice da selvajaria tauromáquica.

AJUDEM RIO MAIOR A SAIR DO NÍVEL «ABAIXO DE LIXO».

CRITIQUEM QUEM A MANTÉM A ESSE NÍVEL, NÃO QUEM TENTA ABRIR OS OLHOS A QUEM OS MANTÉM FECHADOS, POR OPÇÃO.

A propósito, conheço Rio Maior.

Comentar post

Mais sobre mim

Pesquisar neste blog

 

Novembro 2019

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
15
16
17
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

Posts recentes

«O laxismo nacional – Do ...

António Costa diz que que...

Ainda a confrontação, na ...

Debate sobre touradas na ...

«Álvaro Covões Acha que a...

Escolas de toureio: é o m...

Um significado da palavra...

Francisco Guerreiro (PAN)...

Numa carta aberta, 11 mil...

«O som do silêncio»

Arquivos

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Direitos

© Todos os direitos reservados Os textos publicados neste blogue têm © A autora agradece a todos os que os divulgarem que indiquem, por favor, a fonte e os links dos mesmos. Obrigada.
RSS

Acordo Ortográfico

Em defesa da Língua Portuguesa, a autora deste Blogue não adopta o Acordo Ortográfico de 1990, devido a este ser inconstitucional, linguisticamente inconsistente, estruturalmente incongruente, para além de, comprovadamente, ser causa de uma crescente e perniciosa iliteracia em publicações oficiais e privadas, nas escolas, nos órgãos de comunicação social, na população em geral, e por estar a criar uma geração de analfabetos escolarizados e funcionais.

Comentários

Este Blogue aceita comentários de todas as pessoas, e os comentários serão publicados desde que seja claro que a pessoa que comentou interpretou correctamente o conteúdo da publicação. Serão eliminados os comentários que contenham linguagem ordinária e insultos, ou de conteúdo racista e xenófobo. Em resumo: comente com educação, atendendo ao conteúdo da publicação, para que o seu comentário seja mantido.

Contacto

isabelferreira@net.sapo.pt