Quarta-feira, 23 de Outubro de 2019

Quando um Touro é um animal selvagem na imaginação dos aficionados…

 

 

Recebi este comentário no Blogue, cujo conteúdo não será muito diferente de muitos outros que costumo receber, à excepção da linguagem utilizada. Depois de ser bombardeada por uma enxurrada de ordinarices, ler este comentário do António, na sua ingenuidade de aficionado (que acha que não é) pareceu-me estar no paraíso.

 

Destaco-o aqui, por esse motivo, mas também para poder levar mais longe o que tenho para dizer ao António Estrela.

 

TOURO.jpg

Eis o belo e poderoso “animal selvagem” que, se não fossem as touradas, o António Estrela nunca teria oportunidade de ver… assim...

 

 ANTONIO ESTRELA comentou o post A CRUELDADE ESCONDIDA DA TAUROMAQUIA às 22:49, 25/09/2017 :

 

Eu não gosto de touradas, mas sou grato a quem as vê. Pois sem elas não teria podido ver um belo animal, como o touro. Um animal selvagem poderoso. Que desde sempre foi venerado em lutas iguais. pelo homem. Só haveria chocas, ou simplesmente hambúrgueres . Vale a pena lutar por uns centímetros a mais nas gaiolas das galinhas ou pela melhoria dos transportes de gado. Mas o que me choca realmente, é o conceito de biodiversidade dos limousines, dos charoleses, dos BBB ou dos bois da raça zebuína com cupim enorme.

 

***

António Estrela,

 

Vamos lá esmiuçar o seu comentário. Começa por dizer esta coisa espantosa:

 

«Eu não gosto de touradas, mas sou grato a quem as vê».

 

Isto significa tão-só que o senhor GOSTA de touradas, mas não sabe, e é cúmplice dos sádicos e psicopatas, mas também não sabe.

 

«Pois sem elas não teria podido ver um belo animal, como o touro. Um animal selvagem poderoso».

 

Pois digo-lhe que se NÃO HOUVESSE touradas, o senhor PODERIA VER o belo animal, que é um Touro, nos prados, a pastar tranquilamente, como é da sua natureza. E JAMAIS, em tempo algum, veria um ANIMAL SELVAGEM chamado Touro, porque os Touros não são animais selvagens. São herbívoros, de natureza mansa e extremamente pacífica. Mas para saber isto é preciso estudar BIOLOGIA. Portanto, sugiro-lhe que nunca se meta a falar do que não sabe.

«Que desde sempre (o touro) foi venerado em lutas iguais, pelo homem».

 

Desde sempre o Touro foi venerado como um deus, por exemplo, no antigo Egipto. O Touro, na cultura micénica, foi venerado, NÃO para lutas, mas para acrobacias, sem sangue, sem sofrimento, sem tortura. JAMAIS o homem o venerou em LUTAS IGUAIS. À medida que a humanidade foi avançando, em vez de se avançar também no respeito a ter pelos magníficos animais que são os Touros, regrediu-se irracionalmente, e o animal homem-predador começou a utilizá-los, a explorá-los para LUTAS ABSOLUTAMENTE DESIGUAIS, onde os Touros vão para as arenas completamente desfeitos, quase cegos, já bastamente mortificados, e os homens-predadores, armados de bandarilhas e espadas, mais não fazem do que demonstrarem a sua DESCOMUNAL COBARDIA diante de um animal MAGNÍFICO, sim, mas completamente arrasado, indefeso, inocente, inofensivo e confinado a auma arena sem saída.

 

«Só haveria chocas, ou simplesmente hambúrgueres».

Só haveria chocas, ou simplesmente hambúrgueres nas alucinações de quem apenas consegue ver carne de cadáveres para se alimentar, quando na Natureza existe tudo o que é necessário à alimentação do homem, sem necessidade de recorrer à morte dos animais que connosco partilham o Planeta, não para que o homem os coma ou os explore para tortura ou trabalhos forçados, mas porque foram criados para servirem unicamente a Natureza.

Isto de chocas e hambúrgueres está desactualizadíssimo. Tente actualizar-se, António Estrela. Até porque chocas sem Touros não existiriam. E vice-versa.

Por fim, o senhor diz isto:

«Vale a pena lutar por uns centímetros a mais nas gaiolas das galinhas ou pela melhoria dos transportes de gado. Mas o que me choca realmente, é o conceito de biodiversidade dos limousines, dos charoleses, dos BBB ou dos bois da raça zebuína com cupim enorme».

Não se trata de lutar por uns centímetros a mais nas gaiolas das galinhas ou pela melhoria dos transportes de animais.

Trata-se de retirar as galinhas das gaiolas, e de acabar com o transporte de gado vivo. O conceito de que os animais nasceram para servir o homem está ultrapassadíssimo. Deu-se um passo gigantesco a este respeito. Mas há os que ficaram para trás e ainda estão no século XXI antes de Cristo.

 

Quanto ao que o choca realmente não me surpreende. Gosta de touradas, e de ver os magníficos Touros estraçalhados nas arenas, mas o mais chocante, para si é a diversidade das raças bovinas.

A mim também me ofende bastante a manipulação genética.

 

Porém, a tortura de magníficos bovinos, mansos, indefesos e inofensivos, para divertir um punhado de sádicos e satisfazer os maus instintos de psicopatas; o martírio de seres vivos, que só investem se forem atacados pela besta humana, esmaga-me a alma.

Por conseguinte, da próxima vez que queira comentar sobre esta matéria, senhor António Estrela, venha munido de Saber. Dê uma vista de olhos, por este Blogue. Estão aqui todas as informações necessárias, provas científicas, depoimentos de cientistas, desmistificações, enfim, tudo o que é preciso saber para sair do obscurantismo em que a tauromaquia tem mergulhado os seus aficionados.

É que já estou farta de estar sempre a repetir a mesma coisa.

 

Isabel A. Ferreira

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 09:34

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Comentários:
De ANTONIO ESTRELA a 26 de Setembro de 2017 às 19:19
Estou arrasado. Fui demolido e sepultado pelo arremesso de milhares de argumentos científicos.

Não me mexo, sinto-me um auroque.

Mas cicio: NÃO GOSTO DE VER TOURADAS E DETESTO AS FARPELAS DOS PARTICIPANTES.

Disso sou eu que determino e não uma Isabel, que nem conheço.

Quando comentei, nem pensei seriamente, que o seu blog tivesse por missão a proibição das touradas.
Respondi-lhe, naquele tom de que há muito pior que as touradas ..... e nem sequer falei dos gansos cirrosos para o foie gras, dos tubarões e as barbatanas para a sopa, .....

Sinceramente, não me excito, com a visão dum touro a ser espetado e até fico muito incomodado com o picador das touradas espanholas. Acuso-me, porque acho interessante as pegas de caras ou de cernelha, mas isso é coisa de homem.

Do que gosto, é de ver o touro solto,já que é um animal imponente, viril e selvagem, que se veja isso por Picasso, que melhor do que eu o venerou. Sempre que posso fico parado a contemplar essas manadas, quer no Alentejo ou no Ribatejo, bem diferentes das manadas de limousines, que substituíram as nossas mertelengas, alentejanas, barrosãs ... Já para não falar do cavalo Lusitano.

MAS, SE EXISTEM TOUROS E CAVALOS LUSITANOS, nas planícies das ganadarias alentejanas e ribatejanas, deve-se às touradas.

Na tourada, há cultura? isso há. Vou à feira da Golegã, de Santarém ou Sevilha e vejo isso. (Devemos respeitar a cultura das minorias)


Confesso-lhe, que não iria sentir a falta das touradas, se por decreto fossem proibidas, mas penso que devemos deixar extinguir-se, por falta de publico. Não acredito, que aquele circo, vá subsistir sem apostas e neste jogo o Touro perde sempre.

Para finalizar, deixe-me esclarecer, que sou omnívoro, como a natureza da evolução determinou e não acho graça em perder a capacidade para metabolizar diferentes classes alimentos. Sinto-me melhor, com esta dieta variada do que com as dietas restritivas dos carnívoros ou dos herbívoros.
AE
PS: Vou visitar o seu blogue, com mais tempo.
De Isabel A. Ferreira a 27 de Setembro de 2017 às 11:48
Senhor António Estrela,

Vamos lá esmiuçar este seu novo comentário.

Não vê a contradição do seu depoimento anterior? Não gosta de touradas, mas agradece que elas existam.
O que é isto? Uma piada?

O meu Blog começou por ser um Blog Literário, mas dada a loucura selvática em que o meu País está mergulhado, transformei-o na voz dos que não têm voz, para gritar o atroz sofrimento a que os sujeitam para divertir sádicos e psicopatas.

Não, não há muito pior do que as touradas. As touradas são uma prática abominável pela filosofia intrínseca: DIVERTIMENTO À CUSTA DO SOFRIMENTO.

É óbvio que existem coisas igualmente horrorosas, no mundo dos animais não humanos. O caso dos gansos, e de todos os outros animais barbaramente explorados para a alimentação do homem.

Pelo que me conta, costuma VER TOURADAS, uma vez que diz não “se excitar com a visão de um touro a ser espetado», e acha «interessantes as pegas de caras ou de cernelha, mas isso é COISA DE HOMEM». É coisa de homem? É coisa de HOMEM COBARDE, dos MAIS COBARDES, porque os das pegas, ATACAM um Touro já MORIBUNDO, e isso é da COBARDIA. Uma vez que frequenta touradas, repare no estado do Touro quando os COBARDES FORCADOS o atacam. Um bando para um touro moribundo. E chama isso coisa de homem? Não, um verdadeiro HOMEM não é isso.

Engana-se, Picasso não venerava os Touros. Picasso era um homem cruel. Perturbado. Um sádico. E isto é dito pela família. Por isso, babava-se com a tortura de Touros. Tinha uma mente doentia. Deturpada. Não é bom exemplo para ninguém.

Sim, o Touro é um animal imponente, VIRIL (coisa que os toureiros, bandarilheiros, forcados e ganadeiros NÃO SÃO) mas NÃO É SELVAGEM (o que é que não entendeu no meu texto?)

Diz o senhor: «MAS, SE EXISTEM TOUROS E CAVALOS LUSITANOS, nas planícies das ganadarias alentejanas e ribatejanas, deve-se às touradas».

Isto só pode ser anedota!!!!!
Isto é maior PARVOÍCE que existe no mundinho tauromáquico. Demonstra uma profunda ignorância e estupidez, por parte de quem faz disto uma verdade.

Mas depressa se extinguem os tauricidas, com o fim das touradas, do que os Cavalos lusitanos e os Touros.

Aconselho-o a ler este texto (mas há mais no meu Blog):

A BARBÁRIE DOS TAURICIDAS: O FILÓSOFO JESÚS MOSTERÍN DESMONTA O MITO DO “TOURO BRAVO”

http://arcodealmedina.blogs.sapo.pt/284704.html

Na tourada há cultura? Sim, há a CULTURA dos BRONCOS, dos IMBECIS.

Chamar à TORTURA CULTURA só mesmo uma mente imbecil. Desculpe.

Leia, este texto para saber o que é CULTURA.

CULTURA E CIVILIZAÇÃO

http://arcodealmedina.blogs.sapo.pt/22410.html

Devemos respeitar a cultura das minorias, quando a cultura das minorias é CULTURA, e não “COLTURA”, onde predomina a mais profunda ignorância e estupidez.

O senhor dá uma no cravo, outra na ferradura. Mas este seu comentário tem um rótulo: AFICIONADO.

Tenha a certeza de que as touradas têm os dias contados. Já está moribunda. Os tauricidas estão a preparar-se para EXPLORAR outro animal. Mas não vão ter sorte.

Com o fim das touradas o Touro ver-se-á livre dos seus CARRASCOS.

Para finalizar… o senhor diz que é OMNÍVORO. Tem a certeza? Tem mesmo a certeza de que é OMNÍVORO? Não que me surpreenda. Os omnívoros são predadores. Só que achei piada.

E sim, aconselho-o a visitar o meu Blog, com mais tempo. Está aqui tudo o que há para saber sobre o mundinho rasteiro da tauromaquia.
De ANTONIO ESTRELA a 27 de Setembro de 2017 às 16:01
Deixe-me que elogie a sua escrita.
É fluída, mas no entanto é frágil, pois escreve com raiva e essa raiva que cega o touro e não permite que acertar no toureiro. Se fosse uma pacassa, que ataca de olhos abertos, já a conversa seria diferente, teríamos de substituir os toureiros e não os touros, nas proscritas touradas.

Vi o video do Jesus e fiquei a saber, que sou careca naturalmente e uso cabelo curto por cultura. O Napoleão mandava rapar o cabelo dos seus exércitos, por uma questão de piolhos- Isso seria cultura ou simplesmente natural - Os piolhos são naturais. (Brinco)

Agora, rotulou-me de aficionado. Como se diz no Príncipezinho, é preciso, ser-se cativado e não se ser etiquetado.

AE
De Isabel A. Ferreira a 27 de Setembro de 2017 às 19:21
António Estrela,

Vai permitir-me que dispense os seus elogios. Não gosto de ser elogiada por quem não sabe interpretar um texto.

Para começar:

O senhor vê RAIVA onde devia ver INDIGNAÇÃO, que é algo a que tenho direito, um direito consignado na Constituição da República Portuguesa. INDIGNAÇÃO! Fixe esta palavra e não torne a confundi-la com RAIVA.

Rotulei-o de aficionado, e volto a rotular. E quer saber porquê? Porque o seu discurso é exactamente IGUAL ao de todos os aficionados, centenas, que já passaram por aqui. Sem tirar uma vírgula. E quem não quer ser aficionado, não lhe vista a pele. E o senhor, não só vestiu a pele como a alma, e, a não ser que mude o seu discurso, mas principalmente a sua postura perante a VIDA, será eternamente aficionado.

Não pretendo, nem nunca pretendi cativar ninguém. A minha missão aqui é agitar consciências, obviamente, a quem a tem.

Comentar post

Mais sobre mim

Pesquisar neste blog

 

Julho 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Posts recentes

Até breve!

O esperado aconteceu: PS,...

Ainda sobre o crime urban...

«A Indústria Tauromáquica...

Os trogloditas do costume...

Os trogloditas do costume...

Debate na TVI sobre proib...

Morreu Ennio Morricone, c...

Fim de subsídios público...

Depois da saída do PAN, p...

Arquivos

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Direitos

© Todos os direitos reservados Os textos publicados neste blogue têm © A autora agradece a todos os que os divulgarem que indiquem, por favor, a fonte e os links dos mesmos. Obrigada.
RSS

Acordo Ortográfico

Em defesa da Língua Portuguesa, a autora deste Blogue não adopta o Acordo Ortográfico de 1990, devido a este ser inconstitucional, linguisticamente inconsistente, estruturalmente incongruente, para além de, comprovadamente, ser causa de uma crescente e perniciosa iliteracia em publicações oficiais e privadas, nas escolas, nos órgãos de comunicação social, na população em geral, e por estar a criar uma geração de analfabetos escolarizados e funcionais.

Comentários

Este Blogue aceita comentários de todas as pessoas, e os comentários serão publicados desde que seja claro que a pessoa que comentou interpretou correctamente o conteúdo da publicação. Serão eliminados os comentários que contenham linguagem ordinária e insultos, ou de conteúdo racista e xenófobo. Em resumo: comente com educação, atendendo ao conteúdo da publicação, para que o seu comentário seja mantido.

Contacto

isabelferreira@net.sapo.pt