Quinta-feira, 5 de Fevereiro de 2015

QUAL A DIFERENÇA ENTRE O HOMEM DE NEANDERTAL E UM TOUREIRO?

O homem de Neandertal é uma espécie extinta, do género Homo, que habitou a Europa e partes do oeste da Ásia, desde cerca de 350. 000 até aproximadamente 29.000 antes da era cristã, tendo coexistido com o Homo Sapiens.

 

Na sua época, o Homem de Neandertal dava os primeiros passos para entrar na Humanidade e no Futuro

 

379886[2].png

 A réplica do rosto de um Homem de Neandertal, onde se vislumbra um rasgo de dignidade e humanidade

 

Passados milhões de anos, em pleno século XXI da era cristã, o toureiro, uma criatura muito menos evoluída do que o Homem de Neandertal, está cristalizado num mundo ainda mais primitivo do que aquele em que viveram os humanóides, que caçavam animais apenas para se alimentarem e vestirem as suas peles, e desconhecendo, por completo, o sentimento da crueldade, matavam-nos pelo instinto natural de sobrevivência.

 

216827_208935292469112_161142187248423_717133_3227

Esta é a expressão diabólica de um toureiro do século XXI da era cristã, onde não se vislumbra o mínimo rasgo de dignidade nem de humanidade, mas tão-só um olhar diabólico e de ódio por um ser vivo indefeso, inocente e inofensivo que ele barbaramente tortura, e depois matará com todos os requintes de malvadez.

 

Por motivos de sobrevivência?

Não.

 

Apenas para divertimento dele próprio e de uma plateia de sádicos.

 

Quanto mais dignos e humanos e civilizados eram os Homens de Neandertal!

 

E naquela época ainda não existiam governantes.

 

E o mundo era muito mais humano.

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 19:46

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Comentários:
De RH a 6 de Fevereiro de 2015 às 05:51
Espere lá, deixe ver se percebi: então na época do homem de Neandertal, éramos mais evoluídos do que agora? Quando nem havia o conceito de injustiça? Quer voltar à época dos uga-buga? Habilita-se a morrer brutalmente com uma paulada nos cornos. Quer? Veja lá. Não acha que desta vez passou mesmo o risco da sanidade mental?
De Isabel A. Ferreira a 6 de Fevereiro de 2015 às 10:34
Não, obviamente que na época do Homem de Neandertal NÃO ÉRAMOS mais evoluídos do que agora. Não percebeu nada, pois não, RH de muitos nomes…?

ELES, os HOMENS DE NEANDERTAL é que ERAM MAIS EVOLUÍDOS do que APENAS (e APENAS) os tauricidas, aficionados, toureiros, forcados, ganadeiros, rabejadores, governantes e religiosos católicos que apoiam esta “coisa” que nem sequer existia entre os mais primitivos povos da Terra, que era a CRUELDADE pela CRUELDADE, que dá pelo nome de tauromaquia.

Não havia conceito de justiça?

Havia, sim. Até era um conceito mais apurado do que o que existe entre os tauricidas, aficionados e afins do século XXI da era cristã.

E não… EU não preciso de voltar à época dos uga-buga, porque EU vivo no século XXI da era cristã. Mas se quer saber, preferia viver entre os uga-buga, do que estar rodeada por bárbaros carrascos de bovinos indefesos, inocentes e inofensivos. Estes últimos metem-se ASCO. Os uga-buga não. Têm toda a minha simpatia, pois com menos meios conseguiram EVOLUIR.

Os tauricidas, aficionados e afins é que precisam dar um salto para o século XXI da era cristã. Coitados! Estão ainda para além da época dos uga-buga. Quem lhes dera terem a racionalidade que tinham os uga-buga, que conseguiram EVOLUIR. Coisa que os tauricidas, aficionados e afins não conseguem… apesar de toda a informação que nós lhes damos. Estão completamente cristalizados nas funduras de um tempo anterior aos uga-buga. E nada! Não conseguem, AVANÇAR.

E não sou eu que me habilito a morrer com uma “paulada nos cornos”, de acordo com esse linguajar próprio dos tauricidas, aficionados e afins, porque não sou eu que tenho cornos. São os TOUROS que os tauricidas, aficionados e afins torturam cortando-lhes os cornos, para que fiquem mais ”amansados” para poderem torturá-los mais tranquilamente. Por vezes as coisas correm mal para os tauricidas, pois… mas os Touros têm toda a legitimidade de se defenderem dos seus carrascos.

E não… não passei do risco da sanidade mental, porque não sou eu que TORTURO TOUROS nem aplaudo ou promovo a TORTURA DE TOUROS para me divertir.

Ouça com que me divirto:

https://www.youtube.com/watch?v=39DNaNAMKAU

ESQUECE-SE QUE EU DEFENDO OS TOUROS?

Quem passa do risco da sanidade mental, muito para além do razoável, é quem os TORTURA e APLAUDE ESSA TORTURA e PROMOVE ESSA TORTURA.
Conseguiu perceber a diferença entre os HOMENS DE NEANDERTAL e os tauricidas, aficionados e afins, RH de muitos nomes?

Se não percebeu… diga, porque explico mais detalhadamente.
De Arsénio Pires a 6 de Fevereiro de 2015 às 12:21
Isabel, excelente resposta ao sr. tauricida ou coisa parecida.
Mas,por favor, não esbanje pérolas por cima de tal "gente"! Não lhes dê Beethoven porque os obriga a ir à Wikipédia e vão ficar na mesma. Já só lá vão com lobotomia! A psicopatia dos tauricidas e afins não tem controlo e, muito menos, cura com fármacos ou terapia de grupo! Só a cirurgia!
De Isabel A. Ferreira a 6 de Fevereiro de 2015 às 14:34
Pois eu sei, Arsénio Pires. Só com cirurgia, e mesmo assim, seria difícil.

Mas este senhor RH, tauricida ou lá o que é, é recorrente. De vez em quando aparece por aqui a dizer assim umas coisas, mas também diz que é muito intelectual.

Ora se é muito “cultivado” suponho que saberá quem é Beethoven, e se não souber, ficará na verdade na ignorância, se consultar a Wikipédia.

Mas tenho sempre a remota esperança de recuperar uma alminha perdida no tempo anterior ao do Homem de Neandertal, por isso vou-lhes lançando umas perolazinhas de vez em quando.

Comentar post

Mais sobre mim

Pesquisar neste blog

 

Maio 2024

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
14
15
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Posts recentes

«Entre o “respeito” e o “...

Dr. Basílio Horta, usar e...

«Bicadas do meu Aparo: “A...

Carta da cidadã Olímpia T...

Os Portugueses celebram a...

«Carta ao (ainda) Preside...

«A História feita crime»

«Marcelo excedeu-se ou a ...

As declarações de Marcelo...

No dia 25 de Abril de 197...

Arquivos

Maio 2024

Abril 2024

Março 2024

Fevereiro 2024

Janeiro 2024

Dezembro 2023

Novembro 2023

Outubro 2023

Setembro 2023

Agosto 2023

Julho 2023

Junho 2023

Maio 2023

Abril 2023

Março 2023

Fevereiro 2023

Janeiro 2023

Dezembro 2022

Novembro 2022

Outubro 2022

Setembro 2022

Agosto 2022

Junho 2022

Maio 2022

Abril 2022

Março 2022

Fevereiro 2022

Janeiro 2022

Dezembro 2021

Novembro 2021

Outubro 2021

Setembro 2021

Agosto 2021

Julho 2021

Junho 2021

Maio 2021

Abril 2021

Março 2021

Fevereiro 2021

Janeiro 2021

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Direitos

© Todos os direitos reservados Os textos publicados neste blogue têm © A autora agradece a todos os que os divulgarem que indiquem, por favor, a fonte e os links dos mesmos. Obrigada.
RSS

AO90

Em defesa da Língua Portuguesa, a autora deste Blogue não adopta o Acordo Ortográfico de 1990, nem publica textos acordizados, devido a este ser ilegal e inconstitucional, linguisticamente inconsistente, estruturalmente incongruente, para além de, comprovadamente, ser causa de uma crescente e perniciosa iliteracia em publicações oficiais e privadas, nas escolas, nos órgãos de comunicação social, na população em geral, e por estar a criar uma geração de analfabetos escolarizados e funcionais. Caso os textos a publicar estejam escritos em Português híbrido, «O Lugar da Língua Portuguesa» acciona a correcção automática.

Comentários

Este Blogue aceita comentários de todas as pessoas, e os comentários serão publicados desde que seja claro que a pessoa que comentou interpretou correctamente o conteúdo da publicação. 1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome. 2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas". 3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias. Serão eliminados os comentários que contenham linguagem ordinária e insultos, ou de conteúdo racista e xenófobo. Em resumo: comente com educação, atendendo ao conteúdo da publicação, para que o seu comentário seja mantido.

Contacto

isabelferreira@net.sapo.pt