Quarta-feira, 10 de Fevereiro de 2021

PAN pede suspensão imediata de todas as montarias

 

O Grupo Parlamentar do PAN - Pessoas-Animais-Natureza submeteu hoje uma iniciativa legislativa que recomenda ao Governo a suspensão imediata das montarias em todo o território nacional, no seguimento dos recentes acontecimentos na Herdade da Torre Bela que resultaram na morte de 540 animais de grande porte.

 

MIRANTE.jpg

 

Este não foi um evento isolado em Portugal, estando já agendados vários eventos do género para este ano, apesar das limitações impostas pela crise sanitária. No entender do PAN, importa ver esclarecidas várias questões, nomeadamente no que diz respeito à organização e fiscalização destes eventos, bem como ao impacto que têm na salvaguarda da biodiversidade.

 

Acresce ainda o facto de estar a decorrer um inquérito e processo judiciais para apurar responsabilidades relativamente ao caso na Torre Bela.

 

[ Esperamos que os culpados pelo massacre da Herdade da Torre Bela sejam severamente punidos, porque esta culpa não pode morrer solteira – I.A.F.].

 

O projecto de resolução do Grupo Parlamentar do PAN visa, assim:

  1. Determinar a suspensão imediata de todas as montarias previstas para o território nacional, até regulamentação deste modo de caça e garantias de capacidade de fiscalização;
  2. Proceder ao levantamento e divulgação pública de todas as zonas de caça que albergam animais cujas espécies são consideradas como “caça maior”;
  3. Proceder ao levantamento e divulgação pública de todas as explorações, incluindo agrícolas, que desenvolvem actividade cinegética através de cercos ou cercões.

Consultar a iniciativa legislativa na íntegra aqui.

 

 ***

PAN quer educação para protecção e bem-estar animal obrigatória na disciplina de cidadania

 

Está prevista a discussão no próximo dia 18 de Fevereiro (quinta-feira) uma iniciativa legislativa do Grupo Parlamentar do PAN – Pessoas Animais-Natureza – que insta o Governo a rever a Estratégia Nacional de Educação para a Cidadania e incluir o “Bem-Estar Animal” nos domínios de carácter obrigatório em todos os ciclos de estudos do ensino básico.

 

Porquinho.png

Não esquecer que todos os animais, sem excepção, gostam de se sentir bem, tal como nós. Eles merecem o melhor, tal como nós. Porque eles são animais, tal como nós. (Isabel A. Ferreira)

 

Presentemente este domínio é de carácter opcional e está inserido no 3º grupo da disciplina de Cidadania e Desenvolvimento. Com esta iniciativa, o PAN pretende também que seja desenvolvido um Referencial de Educação para o Bem-Estar Animal autónomo e independente do Referencial de Educação Ambiental para a Sustentabilidade, dando cumprimento à Lei que proíbe o abate de animais errantes como forma de controlo da população, cuja aplicação tem sido insuficiente, nomeadamente no cumprimento do artigo que define “a integração de preocupações com o bem-estar animal no âmbito da Educação Ambiental, desde o 1.º Ciclo do Ensino Básico”.

 

Para tal, o PAN propõe que seja criado um Grupo de Trabalho que integre profissionais e cidadãos relevantes das áreas da Educação, Psicologia, Medicina Veterinária, Etologia, entre outras, assim como especialistas em bem-estar e comportamento animal, incluindo representantes de Associações de Protecção Animal, cujas conclusões devem ser apresentadas até ao final do ano escolar de 2020/2021, para que sejam implementadas com urgência.

 

Bebiana Cunha, deputada do PAN defende que «o Governo está a falhar na educação para a protecção e bem-estar animal, desde logo por considerá-la opcional. O que propomos é que este tema entre na lista de domínios que têm carácter obrigatório na disciplina de Cidadania e Desenvolvimento e que se criem referenciais pedagógicos específicos para esta temática, garantindo o cumprimento da legislação, uma vez que já passaram mais de quatro anos desde a aprovação deste dever do Estado. Esta omissão da parte do Governo é incompreensível face à evidência de que os maus-tratos e o abandono de animais são um flagelo em todo o país, sendo disso exemplo episódios recentes de massacres ambientais e contra os animais, como os sucedidos em Santo Tirso e na Torre Bela”.

 

Ainda no entender do PAN, “a protecção e bem-estar animal” foi desvalorizada ao ser incluída parcialmente no Referencial de Educação Ambiental para a Sustentabilidade que, apesar de apresentar conceitos e conhecimentos de bem-estar animal, não os aborda de forma profunda nem com a especificidade que se exige para sensibilizar para os deveres dos detentores e combater o flagelo dos maus tratos e abandono. 

 

Bebiana Cunha conclui que «abordar a protecção da vida animal num contexto ambiental, de preservação das espécies ou numa perspectiva ecológica ou da zoologia não é o mesmo que educar para o fim dos maus-tratos e do abandono ou para os deveres de cuidados para com os animais. Só com Referencial autónomo, não-opcional e alargado a todo o ensino básico se poderá prevenir fenómenos de criminalidade nesta área. Para prevenir é fundamental educar. Este referencial para se tornar eficiente deve ser elaborado por uma equipa transdisciplinar e especializada em bem-estar e protecção animal».

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 17:05

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos (1)
Comentários:
De João-Afonso Machado a 10 de Fevereiro de 2021 às 18:02
As montariras contninuarão para manter o equilíbrio dos javalis e das populações.
Quem soubesse um bocadinho de história e de ecologia, sabereria que os javalis causam danos imensos nas culturas do Interior que irão ao deserto se nao houver esse controlo.

quem - COMO EU - defende a preservação dos lobos confronta-se todos os dias com o dizimar dos rebanhos.

Não falem os citadinos, mas os que estão no local!!!

Cumprimentos,
João-Afonso Machado
De Isabel A. Ferreira a 10 de Fevereiro de 2021 às 18:52
Sr. João-Afonso Machado, todos nós sabemos que as montarias servem apenas para os caçadores darem gosto ao dedo no gatilho. Unicamente para isto. Viu-se o PRAZER deles no massacre da Herdade da Torre Bela. Todos os animais massacrados estavam a comer rebanhos e lobos e a estragar as hortas quando foram barbaramente assassinados! Então não estavam?

O equilíbrio dos javalis e das populações NÃO passa por matá-los.
Só quem NÃO sabe História, Ecologia, Zoologia, e outras ciências que tais, é que pode achar que MATAR os javalis é a solução. Mas definitivamente NÃO É.

Já lhe disse aqui há tempos que o problema dos javalis é o homem ter INVADIDO o habitat deles. Se o habitat dos animais não for invadido pelo homem, o habitat do homem não será invadido pelos animais ESFOMEADOS. Lá virá o dia em que os animais comerão os homens e os homens comer-se-ão uns aos outros devido a esse espírito assassino que o homem MENOS EVOLUÍDO ainda carrega em si, destruindo, ele próprio, a Natureza.
A desculpa esfarrapada de que os javalis causam danos imensos nas culturas do interior já não pega, sr. João-Afonso Machado. É a justificação de quem já não vive ser dar o gosto ao dedo no gatilho. E muitos caçadores, se não têm caça, atiram nos humanos. Os crimes que por aí são perpetrados com caçadeiras, são da responsabilidade de caçadores.

O senhor NÃO defende a preservação dos Lobos, porque os Lobos têm o mesmo problema dos javalis: o habitat deles é invadido pelo homem e ELES , tal como o senhor, têm de COMER. Isto está mais do que provado. E não é a matá-los que se resolve o problema.

Engana-se muito quando diz “não falem os citadinos, mas os que estão no local”. Os citadinos têm a CIÊNCIA com eles, e os que “estão no local” só têm o prazer de MATAR. Não por manter os animais no seu habitat. Não, pela preservação dos habitats e das espécies. Só lhes serve MATAR. O que vale é que os caçadores são uma espécie em extinção. Com o fim deles, todos os animais viverão plenamente, nos respectivos habitats: o animal humano e o animal não-humano.

Daí que seja urgente proibir a caça e as montarias e a matança de animais. Lembre-se de que o Planeta Terra já era habitado por javalis e lobos e todos os outros animais não-humanos antes do aparecimento do homem.

E sabe quem é a medida de todas as coisas? Não é o homem que mata animais. É a Mãe Natureza, que manda tempestades, furacões, vulcões, ventanias, tsunamis e vírus agressivos para AVISAR que é ela que tem o PODER de destruir o HOMEM.

Pense nisto, antes de matar um animal, filho dessa Mãe Natureza.
De João-Afonso Machado a 10 de Fevereiro de 2021 às 20:14
A Senhora é fanática.
A reapcão contra o fanatismo é o medo.
Ao lê-la a reacção sdetodos nós, ou fica na indiferênça ou no medo.
Penso que na indiferênça, porqu ideias como as suas... Peerdoar-me-á, o silêncio de comentários.
Reveja os apoios no seu blog, sfff.
Os maiores cumprimentos
JAM
De Isabel A. Ferreira a 11 de Fevereiro de 2021 às 17:16
O senhor atreve-se a vir aqui chamar-me de FANÁTICA, quando o FANÁTICO é o senhor? Mas tal não me surpreende, e já estou habituada, porque os caçadores (entre outros predadores-humanos) têm por hábito PROJECTAR nos outros os seus próprios defeitos e frustrações. Leia Freud a este propósito. A isto chama-se “Projecção Freudiana”, e ficará a perceber porquê.
Essa é a projecção típica dos caçadores, dos tauricidas, dos torcionários, de todos aqueles que têm um instinto primitivo, e andam no mundo a cometer crueldades. Está provado pelas Ciências da Mente, que estudam os desvios do comportamento. Uma pessoa que não sofra de um desvio comportamental, não anda por aí aos tiros a seres vivos indefesos, até porque a CAÇA foi um expediente do Homem Primitivo, antes do conhecimento da Agricultura.

A caça e a colecta foram os primeiros modos de subsistência do Homo Sapiens. Eram caçadores e colectores, vivendo numa sociedade na qual toda ou a maior parte do sustento era obtido pela caça de animais selvagens e a colecta de plantas silvestres. Estas actividades foram herdadas directamente do mundo animal, particularmente dos primatas. E esta fase prolongou-se até à revolução neolítica, a partir da qual uns evoluíram, e outros continuaram ainda mais primitivos, até aos dias de hoje. Porque os caçadores-colectores, caçavam, NÃO para se divertirem, mas para se alimentarem.

(Nem sei porque é que estou a perder o meu precioso tempo a esclarecê-lo, com tantos pormenores.)
Veja que é o senhor que gosta de MATAR COBARDEMENTE seres vivos INDEFESOS, não sou eu. O senhor é que é fanático por MATAR, e usa argumentos descabidos, para justificar esse GOSTO MÓRBIDO. Tudo isto está estudado pela Psiquiatria e pela Psicologia.

A reacção contra o fanatismo é o medo, diz o senhor, sem sequer saber o que disse. O senhor está a morrer de medo de perder o seu divertimento favorito: o de MATAR COBARDEMENTE INDEFESOS SERES VIVOS? É isso que quer dizer?

Ao lerem-me (lêem porque querer ler, não são obrigados) reagem deste modo primário; e não ficam indiferentes, e a prova é os comentários que me dirigem, a maioria deles, de anónimos, e tão grosseiros que não são publicáveis. Ao menos, o senhor desabafa com termos publicáveis e com um nome. E por isso publico-lhe os comentários e até lhe agradeço pela “delicadeza” dos adjectivos.

Nada tenho que rever no Blogue. Está muito bem e de boa saúde. Tem um território que abrange 149 países. E o que permito que se veja é apenas a ponta do iceberg. Saiba que num só dia já tive 45 mil visualizações e centenas e centenas de comentários. Obviamente impossível de os publicar a todos. Tive de perder alguns dias para os ler, e poucos foram publicáveis, por conter linguagem bastamente ordinária, como é apanágio de caçadores e afins.

Mas o que me move aqui não é ter muitos comentários, ou muitos seguidores. O que me move é a luta pelo direito à VIDA de todos os seres vivos, humanos e não-humanos; pelos Direitos do Homem, pelos Direitos das Crianças, pelos Direitos dos Animais Não-humanos, pela preservação das espécies, do Planeta e do meio ambiente, pela abolição de práticas medievalescas, pela evolução das mentalidades, pela Civilização e Cultura. E muito recentemente pela Língua Portuguesa que pretendem destruir.

Não se fie naquilo que vê. Porque o iceberg é gigantesco e já contribuiu para o Bem, o Bom e o Belo que a VIDA, nas sociedades humanas e não-humanas, deve englobar. E isso é o que me interessa.
De João-Afonso Machado a 11 de Fevereiro de 2021 às 16:39
Minha senhora, como é possível defender-se isso quando hoje o Interior está completamente desrtificado, viem lá uns tantos velhos e as aldeias estão ao abandono.

Se quiser saber de coisas concretas, faça um estudo da implantação do javali em Portugal na década de 60 do século passado, e do lobo também.
O lobo quase se extinguiu; o javali decuplicou.
Cumprimentos
De Isabel A. Ferreira a 11 de Fevereiro de 2021 às 17:19
Ou eu percebi mal, ou o senhor, com este comentário, quer povoar o interior do País, completamente desertificado, com a matança de javalis?
Se as aldeias estão ao abandono, e se só lá vivem velhos, para que é preciso andarem os velhos, onde suponho que o senhor se encaixe, aos tiros aos javalis?

Os estudos estão realizados. Todos sabemos o que se passa. A caça é um negócio sujo que move muito dinheiro. Querem viver custa de dinheiro sujo de sangue de inocentes, inofensivos e indefesos animais? Isso é de gente com mentes deformadas.
Os javalis têm direito à vida, no seu habitat. Já lhe disse que se o homem-predador não invadir o habitat do javali, o javali não invade ao seu quintal.

O Lobo estava em extinção, porque o homem-predador os MATAVA. Agora o Lobo Ibérico é um animal protegido. Já não pode ser morto pelos ímpetos assassinos dos caçadores. Então viram-se para os javalis. O que têm é de dar ao gatilho, seja como for.

Atire a sua caçadeira a uma fogueira. Dedique-se a algo condizente com a VIDA. A algo civilizado. Plante hortas e pomares ou mande plantar, se já não tiver forças para a enxada). Não ande por aí a MATAR COBARDEMENTE javalis, que têm todo o direito à vida deles, como o senhor tem à sua. Ou acha que a sua vida é mais importante do que a de um javali? A vida de um javali é tão importante para ele, como a sua vida é para si.
Pense nisto. Ainda vai a tempo de evitar a infalível e implacável Lei do Retorno.

Veja o que diz o SÁBIO Victor Hugo:
“O caçador furtivo vive nas matas; o contrabandista nas montanhas ou no mar. As cidades produzem homens ferozes porque corrompem. A montanha, o mar e a mata, criam homens selvagens.”

São selvagens aqueles que MATAM pelo simples prazer de MATAR.
De João-Afonso Machado a 10 de Fevereiro de 2021 às 20:16
E sim, »mãe-narureza» tem sido benigna....
De Isabel A. Ferreira a 11 de Fevereiro de 2021 às 17:18
Não percebeu a minha mensagem da Mãe Natureza. Ela normalmente é benigna, mas ultimamente tem enviado mensagens muito turbulentas, que significam que o homem-predador NÃO ESTÁ no bom caminho. Saiba ler as mensagens que ela tem enviado.

O problema do homem é que a sua mentalidade não acompanha a velocidade do progresso tecnológico. Já se foi à Lua, mas caça-se, não do modo primitivo, com o objectivo da subsistência, mas para darem azo ao gosto do dedo no gatilho.

Comentar post

Mais sobre mim

Pesquisar neste blog

 

Setembro 2021

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
17
18
19
20
22
23
26
27
28
29
30

Posts recentes

Num Planeta devastado pel...

O escritor russo Liev Tol...

Nem tudo foram rosas na p...

Líder do PAN insultada e ...

«Querido Touro…Eu respeit...

População das Ilhas Faroé...

Um recado de Paz Romero, ...

Dizem que amanhã, na Figu...

Cristina Rodrigues, depu...

Denúncia – Animais de qui...

Arquivos

Setembro 2021

Agosto 2021

Julho 2021

Junho 2021

Maio 2021

Abril 2021

Março 2021

Fevereiro 2021

Janeiro 2021

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Direitos

© Todos os direitos reservados Os textos publicados neste blogue têm © A autora agradece a todos os que os divulgarem que indiquem, por favor, a fonte e os links dos mesmos. Obrigada.
RSS

Acordo Ortográfico

Em defesa da Língua Portuguesa, a autora deste Blogue não adopta o Acordo Ortográfico de 1990, devido a este ser inconstitucional, linguisticamente inconsistente, estruturalmente incongruente, para além de, comprovadamente, ser causa de uma crescente e perniciosa iliteracia em publicações oficiais e privadas, nas escolas, nos órgãos de comunicação social, na população em geral, e por estar a criar uma geração de analfabetos escolarizados e funcionais.

Comentários

Este Blogue aceita comentários de todas as pessoas, e os comentários serão publicados desde que seja claro que a pessoa que comentou interpretou correctamente o conteúdo da publicação. 1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome. 2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas". 3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias. Serão eliminados os comentários que contenham linguagem ordinária e insultos, ou de conteúdo racista e xenófobo. Em resumo: comente com educação, atendendo ao conteúdo da publicação, para que o seu comentário seja mantido.

Contacto

isabelferreira@net.sapo.pt