Quarta-feira, 8 de Julho de 2020

Os trogloditas do costume contra o fim dos apoios públicos às touradas

 

Não conseguiram captar a mensagem que lhes foi enviada: a esmagadora maioria dos Portugueses não se revê nesta prática cruel e violenta.

 

Continuam a achar que os impostos dos Portugueses são para esbanjar na tortura de seres vivos.

 

Aliás, eles acham que massacrar Touros na arena é chique. Trata-se de uma moda monárquica, que não devia ter cabimento numa democracia (se bem que pseudodemocracia), e até a esta distância, desde o tempo dos reis Filipes de Espanha (1580) -  os difusores deste costume bárbaro em Portugal - a vocação dos políticos portugueses para rastejar é evidenciada, nesta postura servil e inculta.

 

Tanta pobreza moral, cultural e social em Portugal, e vão esbanjar dinheiros públicos com parasitas que vivem, por aí,  à tripa forra!

 

TROGLODITAS.png

 

Deputados do PS, PSD, PCP, CDS-PP e Chega manifestaram-se  contra o fim dos apoios públicos às touradas, durante um debate sobre um projecto-lei de uma Iniciativa Legislativa de Cidadãos que juntou mais de 25 mil assinaturas, e projectos-leis do Partido Ecologista “Os Verdes” (PEV), do Bloco de Esquerda (BE), do Partido Pessoas–Animais–Natureza (PAN) e da deputada não inscrita Cristina Rodrigues, que defendem que  todas as actividades ligadas à tauromaquia não devem receber qualquer   financiamento por parte de nenhumas entidades públicas, especialmente do Governo, autarquias, institutos públicos ou empresas participadas pelo Estado.  

 

O sofrimento animal é o principal (mas não o único) argumento evocado pelos signatários dos projectos-lei.

 

Se vivêssemos num país onde o bem-estar animal estivesse acima de qualquer interesse troglodita, bastaria este argumento para que, “deputados da Nação”, eleitos por um povo maioritariamente avesso a esta prática boçal, grosseira, cruel e violenta, assente na maior ignorância, acabasse com esta mama institucional, porque isto arrasta Portugal na lama.

 

O principal argumento dos trogloditas, para serem contra o fim dos apoios públicos à tortura de Touros e Cavalos, é, por mais incrível que pareça, alegarem que a “tauromaquia é cultura” e não pode ser discriminada, quando sabemos que a tauromaquia é a acção de um psicopata activo para deleite de psicopatas passivos.

21436577_bvn7y.jpeg

(Vejam na imagem, o tipo de “cultura”  que é a tauromaquia)

Há uma, isto não é cultura, nunca foi nem nunca será. Há duas, quem vê nisto “cultura” tem o cérebro fora do sítio.

Origem da imagem:

https://www.facebook.com/ProVidaSEMtouradas/photos/p.2811075295599936/2811075295599936/?type=1&theater

 

Para a deputada social-democrata Fernanda Velez, “é falso” que a tauromaquia esteja a ser apoiada pelo Estado, que o número de espectadores de espectáculos tauromáquicos esteja a diminuir e que a maioria dos portugueses seja contra as touradas.

 

Esta senhora deputada está muito mal informada, e como deputada da Nação tinha o DEVER de ir para um debate com toda a informação, porque é verdadeiro que o Estado apoia a tauromaquia; os espectadores diminuíram substancialmente e até já há praças a serem demolidas (era só dar uma voltinha pelos jornais online; e a esmagadora maioria dos Portugueses é CONTRA esta prática bruta, pois se apenas 300 mil gatos-pingados assistem a touradas (e este numero já deve ter diminuído).


Não vale tudo, senhora deputada. E mentir é muito feio.

 

O PCP, através da deputada Alma Rivera, afirmou que as tradições culturais, como a tauromaquia, “não se extinguem por decreto e rejeitou “qualquer tipo de proibicionismo”.

 

Que tradição “cultural” é a tortura de Touros? Nem é tradição (é apenas um costume bárbaro espanhol) e muito menod cultural. O conceito de CULTURA para esta gente anda muito desfocado. E  por um punhado de votos, anda o PCP a fazer política de direita.

 

O deputado André Ventura, do Chega defendeu que “a tauromaquia é cultura”, então não É? É a cultura dos broncos, e apontou para os “milhares” de postos de trabalho” que dependem deste sector.

 

Os “milhares” de postos de trabalho que dependem da tortura de Touros, pediram lay-off? Estão todos a morrer à fome? Demonstre isso, senhor deputado.

 

No mesmo sentido, o deputado do CDS-PP Telmo Correia sublinhou que a tauromaquia “está profundamente enraizada no mundo rural” e considerou que os argumentos para acabar com ela são “populistas, demagógicos e inconstitucionais”.

 

Bem, do CDS/PP já se sabe o que esperar, é por isso que os resultados estão cada vez a baixar mais. E irão até à extinção. O que está enraizada no mundo rural é uma ignorância que chega a doer.

 

A última intervenção neste debate coube à deputada do PS e antiga autarca Maria da Luz Rosinha que defendeu o direito das autarquias continuarem a financiar este tipo de actividade e lembrou que “o acesso às artes deve ser igual para todos os cidadãos”, negando que a tauromaquia esteja a ser beneficiada.

 

Esta foi uma que esbanjou dinheiros públicos, na tortura de Touros, em Vila Franca de Xira, com tanta pobreza cultural, moral e social à sua volta.

 

Os argumentos dos trogloditas não são argumentos, são blasfémias, eivadas de uma desmedida insciência.

 

Sinto vergonha destes “deputados da Nação” que não sabem distinguir CULTURA de TORTURA, e vão para o Parlamento mal informados, e mentir descaradamente, como se todos os Portugueses fossem muito parvos.

 

Amanhã irá votar-se o fim ou a continuidade dos apoios públicos à TORTURA DE TOUROS. Uma vez mais, Portugal estará na berlinda, ou ganha ou perde a oportunidade de evoluir, e tirar o pé de dentro da caverna, onde o mantém atado com muitos grilhões.

 

Capture.PNG

Capture.PNG

 

Isabel A. Ferrreira

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 15:54

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Comentários:
De Maria VG a 8 de Julho de 2020 às 20:36
🇧🇷 Brasil - Desde aqui, tento ajudar, amigos portugueses com compaixão por animais. Participei da votação e escrevi a todos os partidos, dos quais só o PAN e o Verde me responderam. Escrevi isto:
“Tenho cidadania europeia, então peço, em nome de milhões de brasileiros,
que acabem com esses subsídios públicos à TAUROMAQUIA, pois isso deixa Portugal em situação muito abaixo do desenvolvimento que esperamos para um país europeu.
       Por favor, como cidadã europeia, desde aqui do Brasil peço também que acabem com touradas e todos os festejos com tortura animal, isso é uma imagem muito feia de Portugal, para nós que olhamos daqui de fora. Um país de boa imagem de evolução não demonstra apenas tecnologia, deve demonstrar também evolução social e emocional da sociedade, evitando qualquer violência com animais, com mulheres, com crianças ou idosos. A VERDADEIRA CULTURA E GASTRONOMIA DE PORTUGAL SÃO MARAVILHOSAS. ISSO NÃO INCLUI A TAUROMAQUIA. 
       O mundo moderno e sábio prevê proteção animal e do Meio Ambiente. Portugal deve ser melhor do que o Brasil, pois nós estamos no terceiro mundo. Portugal é o país desenvolvido, não?  Por favor, escutem-nos. É um apelo da maioria dos portugueses e de todo o mundo, incluindo nós aqui do imenso Brasil, que vemos a TAUROMAQUIA como algo sádico, feio, cruel, doentio e retrógrado. Se investirem em verdadeiros espetáculos de arte sem dor, sem sofrimento e sem sangue, com certeza o público aumentará. Cultivem a VERDADEIRA CULTURA, pois torturar animais é visto como diversão de público bruto, ignorante, sem cultura, sem educação e sem caráter. A tese de que TAUROMAQUIA é CULTURA já morreu em outro século. 
       Quem ainda gosta disso deve procurar refletir, evoluir e nunca mais assistir.
Respeitosamente, peço que não dêem subsídios públicos a algo que deixa Portugal com uma imagem atrasada, cruel e muito, muito feia. Coisa de homens com auto-estima baixo que ferem e humilham um touro para provar uma masculinidade que, na verdade, a maioria chama de covardia.”
De Isabel A. Ferreira a 9 de Julho de 2020 às 12:07
Obrigada Maria VG.
Obrigada por estar connosco nesta nossa luta.

Temo que os nossos deputados da Nação, que se candidatam ao serviço dos ganadeiros, não sejam racionais o bastante, para entenderem a sua, as nossas motivações.

Em Portugal, ainda há muito que evoluir.
E o povo tem de saber escolher melhor os seus representantes.

Votar em trogloditas é ser troglodita também.

Obrigada, pelo seu testemunho.
De Maria VG a 9 de Julho de 2020 às 15:18
É um prazer participar da sua luta e comentar seus maravilhosos textos, sempre muito bem elaborados, em causas tão nobres.
Aqui, no Brasil, acontece fatos com semelhanças. Temos os rodeios, as vaquejadas (coleos na Espanha, não sei como chamam em Portugal) e as provas de perseguição, derrubada e laçada de bezerros. Todos esses maltratam os animais, com altos riscos de lesão, muitos bezerros quebram o pescoço e saem paralíticos para o abate, muitas vacas têm lesão no rabo, que dá continuidade à sua coluna vertebral, dores terríveis, etc, etc. Graças a Deus, não chegam a ser tão cruéis quanto as touradas e festejos taurinos, porém protetores com certeza desaprovam rodeios e vaquejadas, que causam sofrimento físico e mental aos animais, enquanto que nossos governantes e legisladores são em maioria de uma bancada ruralista, ao lado de criadores e organizadores dessas atividades, colocadas em lei brasileira como Patrimônio Cultural Imaterial, embora não na lista da Unesco.
Enfim, com certeza, vocês de Portugal devem entender o que eu digo, é uma luta de protetores compassivos contra gigantes trogloditas no poder, infelizmente.
Minha solidariedade e afeto aos irmãos portugueses compassivos, evoluídos e de verdadeira caridade no coração. Abraços!
De Isabel A. Ferreira a 9 de Julho de 2020 às 16:54
Maria VG, agradeço-lhe, de coração.
No Brasil essas vacadas e bezerradas não são tão cruéis, quanto as touradas em Portugal, mas são muito violentas também.
É lamentável que os nossos países ainda não tivessem evoluído como a Nova Zelândia, que reconheceu todos os animais oficialmente como seres sencientes, talvez caso único no mundo. Veja aqui:

https://arcodealmedina.blogs.sapo.pt/a-nova-zelandia-reconheceu-oficialmente-626913

E nós, infelizmente, em Portugal, entendemos o que a Maria VG diz.
Umas vez mais obrigada pelo seu testemunho.
De Carlos Ricardo a 9 de Julho de 2020 às 02:21
Como deputado pelo PAN á Assembleia de Freguesia da Oeiras, muito vou ter de dizer aos colegas das bancadas que votaram contra o fim dos subsídios públicos ás touradas.
Depois conto...
De Isabel A. Ferreira a 9 de Julho de 2020 às 11:55
Fico a aguardar, Carlos Ricardo.
De Maria VG a 9 de Julho de 2020 às 15:46
Sim, fale mesmo. Mostre a eles meu comentário acima para este blog, e o abaixo, por favor. Meu repúdio a eles.
Diga-lhes que os brasileiros estão indignados e enojados com os partidos que querem subsídios à tauromaquia. Primeiramente, porque há muito o que se fazer para o povo com esse dinheiro, fato testemunhado por inúmeros brasileiros que aí moram. Em segundo lugar, diga-lhes que a imagem de Portugal está tremendamente feia. Que os brasileiros acham que não é nada de cultura, que somente há dois motivos para quem quer continuidade de tauromaquia :
1) Os que são ignorantes (tanto público, quanto políticos), que a nós nos parecem pessoas sem estudo, brutas, covardes, machistas, violentas, agressivas com pessoas também, com uma mente que não consegue evoluir e ajudar a desenvolver o país. Todos os portugueses que me falaram ser a favor da tauromaquia, me horrorizaram com linguagem chula e baixa, alto uso de palavrões, mentiras e argumentos rudes, vazios, grosseiros e completamente corruptos.
2) Outro motivo, é a imagem que passa ao exterior de quem quer a continuidade da tauromaquia é corrupto, com interesses enrustidos, que nem aqui de longe já não enganam mais. O que políticos ganham com a tauromaquia? Tomem vergonha na cara!
Estudei quando criança que na democracia , os políticos votam representando o povo. Façam sua obrigação, vocês ganham para isso! Já sabemos que a maioria do povo não quer tauromaquia. Sejam honestos : representem a maioria do povo!
Qual dos dois motivos é o de cada um?
Quanto aos dos partidos que lutam pelo fim dos subsídios e fim da tauromaquia, os brasileiros os admiram como pessoas com a verdadeira caridade no coração, o verdadeiro caminho de Deus não é sentar na igreja, é viver com amor e a não-violência, legisladores com a verdadeira política de representar a maioria , com honestidade e com mentes evoluídas.
Esta é a opinião do Brasil, do Terceiro Mundo, indignado e enojado com os países europeus nesse atraso doentio da Tauromaquia. E dou minha opinião com todo o direito, pois tenho dupla cidadania e sou cidadã europeia, dizendo a Portugal como está visto aqui de fora.E se formos falar das escolas de touradas e dos menores de 18 anos na plateia, então vou ter que falar tanto, que envergonharei os aficcionados. É um crime o que fazem com os menores! Organizadores e pais deveriam ser penalizados! Que vergonha para Portugal! Lembrem-se, aí não é o primeiro mundo? A educação não importa? Querem perpetuar a selvageria ensinando aos menores! Sou professora de crianças aqui no terceiro mundo, indignada e enojada com isso! Estamos todos enojados!!! Se continuar assim, o turismo sofrerá perdas irreparáveis....
Um abraço aos bons políticos!
Um abraço à Isabel!
De Isabel A. Ferreira a 9 de Julho de 2020 às 17:00
Maria VG, enviei estes seus comentários aos nossos políticos, para ver se eles acordam para a realidade.

O mundo precisa de políticos construtivos, e não de políticos que apoiam a tortura de seres vivos, como se fossem selvagens.

Felizmente, nem todos são assim. mas os que lutam pela evolução estão em minoria no Parlamento.

Eles nem sentem vergonha de se mostrarem ao mundo como trogloditas.
É lamentável.

Uma vez mais agradeço as sua palavras e o seu testemunho, e receba um abraço fraterno. Estamos juntas na mesma luta.

Comentar post

Mais sobre mim

Pesquisar neste blog

 

Agosto 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Posts recentes

Virologista chinesa garan...

«Touradas na RTP? NÃO!»

«Cultura contra Tortura!»

Se ao menos soubessem o q...

Farpas Blogue diz, TVI de...

«José Gomes Ferreira acus...

«O touro pode ser o melho...

O Touro que se vê na imag...

Pinto da Costa critica a ...

«Faz hoje dez anos que se...

Arquivos

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Direitos

© Todos os direitos reservados Os textos publicados neste blogue têm © A autora agradece a todos os que os divulgarem que indiquem, por favor, a fonte e os links dos mesmos. Obrigada.
RSS

Acordo Ortográfico

Em defesa da Língua Portuguesa, a autora deste Blogue não adopta o Acordo Ortográfico de 1990, devido a este ser inconstitucional, linguisticamente inconsistente, estruturalmente incongruente, para além de, comprovadamente, ser causa de uma crescente e perniciosa iliteracia em publicações oficiais e privadas, nas escolas, nos órgãos de comunicação social, na população em geral, e por estar a criar uma geração de analfabetos escolarizados e funcionais.

Comentários

Este Blogue aceita comentários de todas as pessoas, e os comentários serão publicados desde que seja claro que a pessoa que comentou interpretou correctamente o conteúdo da publicação. Serão eliminados os comentários que contenham linguagem ordinária e insultos, ou de conteúdo racista e xenófobo. Em resumo: comente com educação, atendendo ao conteúdo da publicação, para que o seu comentário seja mantido.

Contacto

isabelferreira@net.sapo.pt