Comentários:
De Aline Augusto a 23 de Agosto de 2018 às 00:40
Lúcida. Direta. Justa. Sóbria. Realista. Uma das mais brilhantes defesas da não-defesa do acordo ortográfico que, sim, só prejudicou diretamente a Portugal. Um retrocesso. Assim como significou um retrocesso a opção pelo - sim, Isabel, concordo com você - dialeto oriundo do Português que a língua vernácula brasileira se transformou, onde falar errado passa a ser a norma, e a norma culta permanece algo extirpado do ensino público. Odeio também o acordo ortográfico. E sou brasileira. Podia ter escrito em Português europeu, devido ao respeito que tenho e à familiaridade. Mas faço questão de, em meu dialeto, defender a cultura milenar portuguesa.
De Isabel A. Ferreira a 23 de Agosto de 2018 às 14:54
Obrigada, Aline Augusto, pela gentileza das suas palavras.

Alegro-me que defenda a cultura milenar portuguesa, no Dialecto Brasileiro, que não é designação minha, mas designação de ilustres linguistas portugueses e brasileiros. A diversidade linguística une mais do que uma pseudo-unificação, que jamais acontecerá.

Seguirei defendendo a Língua Portuguesa, e tudo farei para que o AO90 seja revogado, porque não serve a nenhum país da Lusofonia.

Bem-haja, e continue a defender a “nossa” (sua e minha) cultura milenar. Não é admissível que seja destruída pela ignorância dos políticos portugueses e brasileiros.

Comentar post