Comentários:
De Vasco Oliveira a 4 de Julho de 2018 às 11:57
Mas é o que lhe estou a tentar dizer, todas as terras ribatejanas têm esta tradição, grande parte do povo gosta portanto deixam na andar.
De Isabel A. Ferreira a 4 de Julho de 2018 às 12:06
Sim, o senhor está a insistir no erro.

Diga antes: todas as terras ribatejanas têm esse COSTUME BÁRBARO, portanto todas as terras ribatejanas são atrasadas civilizacionalmente. Aliás, o Ribatejo é uma região bastante atrasada.

Grande parte do povo GOSTA deste costume bárbaro? Pois está na hora de mudar o paradigma.

Está na hora de dizer a esse povo, que isso não é tradição, e não faz parte dos GOSTOS de gente civilizada, porque tudo o que implica maus tratos a animais não tem a ver com GOSTO, mas com ÉTICA.

Podemos dizer que GOSTAMOS mais de música clássica do que de música metálica. Aqui sim, é uma questão de GOSTO.

Mas quando se trata de VIDA, já não há gosto. Há ÉTICA.

Os políticos que consentem esta barbárie são mais trogloditas do que o povo, porque nem sequer lhe dão oportunidade de evoluir.
De Vasco Oliveira a 4 de Julho de 2018 às 12:11
Eu há não sei se hei de rir ou de chorar, não o considero um costume bárbaro, mas OK a senhora é que sabe da sua opinião.

De Isabel A. Ferreira a 4 de Julho de 2018 às 12:25
O senhor não precisa nem de rir, nem de chorar. Basta ficar lúcido.

Vamos lá a ver: não sou eu que considero COSTUME BÁRBARO a todas as actividades onde se torturam animais, para divertimento de trogloditas.

É o SENSO COMUM.

Além de que as tradições DIGNIFICAM o Homem. Os costumes bárbaros NÃO.

E a tortura de TOUROS não dignifica a HUMANIDADE, logo, não é tradição, nem aqui, nem na Cochinchina.

É que essa mentira da "tradição" de tão repetida, quase que virou verdade. Mas continua a ser uma grande mentira.

Comentar post