Quarta-feira, 19 de Março de 2014

A RTP CONTINUARÁ A TRANSMITIR TOURADAS EM 2014 MAIS DO QUE EM 2013? PARA QUEM?

 

As moscas, além de não gostarem de touradas, não vêem televisão…

 

 

Li algures que a RTP transmitirá mais corridas de touros em 2014 do que transmitiu em 2013, sendo já a primeira no próximo dia 2 de Maio, em directo da arena de Estremoz, uma terrinha onde a evolução ainda não bateu à porta.

 

Mas ainda há mais.

 

Dizem que estão agendadas corridas nas arenas da Póvoa de Varzim, (TV/Norte), de Angra do Heroísmo (Ilha Terceira, Açores), da Monumental de Albufeira (terrinhas onde se alapou a pobreza mental) e do campo pequeno, (aquele antrozinho de betinhos, marialvas e tias) onde (dizem) que este ano se comemorará o 50º aniversário da vergonhosa chamada “Corrida TV”…

 

Mas nós não acreditamos nisto.

 

Sabem porquê?

 

Porque a RTP é uma estação televisiva, de serviço de utilidade pública, e portanto, sendo de utilidade pública, não pode andar a esbanjar o dinheiro dos portugueses com programas que, além de não terem qualquer utilidade (nem pública nem privada), viola leis e regras bem definidas, no que diz respeito à violência transmitida a cores e em directo.

 

Apesar de vivermos num país sem autoridade e sem justiça, poderia ao menos haver um responsável ou outro, com um cérebro a funcionar em pleno, na RTP.

 

E é isso que esperamos que exista na estação televisiva de serviço púlico.

 

Ou não existirá?

 

Há uns poucos dias, a RTP transmitiu a Gala Prémios Lumen, com um espectáculo de grande qualidade, visto por 603 mil espectadores, bem contadinhos, onde se destacou a premiada Rita Blanco, que fez questão de lembrar ao presidente da estação, senhor Alberto da Ponte, a questão da protecção dos animais.

 

Não sei se o senhor Alberto da Ponte estava atento, mas aquela curta intervenção da Rita Blanco fez toda a diferença, naquele espectáculo. Foi como uma pedrada no charco.

 

Ou não seria?

 

Pensámos que a palavra de uma premiada e grande actriz, como é a Rita Blanco, pudesse ser levada a sério pelos cérebros iluminados, que julgamos existir na RTP.

 

Depois desta Gala e desta intervenção, não pretenderá o senhor Alberto da Ponte descer o nível da programação da RTP e transmitir uma carnificina, para uma minoria de portugueses incultos. Certo?

 

Já não serão os 603 mil espectadores, bem contadinhos. Nem pouco mais ou menos.

 

Contudo, se continuar a ser subserviente ao lobby da incultura, da carnificina, da ignorância, não tenha dúvida de que as audiências irão baixar manifestamente, até porque, este ano as campanhas que aí vêm contra quem arriscar apoiar e promover a tauromaquia serão implacáveis. 

 

Tourada é algo que não condiz com os Prémios Lumen.

 

Por falar nisso, não vimos lá ninguém da tauromaquia a ser distinguido…

 

Haveria algum motivo para esta tão grave lacuna?  

 

Se a tauromaquia faz parte da “cultura” portuguesa… como dizem, e se se premiou os melhores dessa cultura… por que um torcionário, desses, que são bons, mesmo muito bons a torturar bovinos, não recebeu um Prémio Lumen?


Francamente, senhor Alberto da Ponte, não queira descer ao nível dos curros.
***

(Pós publicação)

 
(Acabaram de me dizer que isto (das transmissões) é um bluff dos tauricidas. Se é... esperemos que seja, para bem da RTP e dos Portugueses e de um  Portugal Culto)

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 15:37

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Comentários:
De Carlos Ricardo a 21 de Março de 2014 às 02:21
Se é verdade ou não, não sei. Espero que não seja.
No entanto, com um presidente de nome Alberto da Ponte que aqui há tempos, durante a transmissão de uma tourada pela RTP afirmou que as touradas eram do agrado da grande maioria dos portugueses, tudo é possível.
Por outro lado, e isto não foi criticado por ninguém, houve uma outra gala, para comemorar os 57 anos da RTP, gala de luxo com passadeira vermelha e tudo...!!!
Ora, uma RTP, que diz que não tem dinheiro, onde quiseram fechar alguns canais e despedir funcionários, gastar um balúrdio numa gala para comemorar uma data esquisita (57 anos?!!!) é mais uma afronta ao povo espoliado dos seus parcos ordenados.
Só não percebo como é que certa gente aceitou estar presente, sabendo que esta gala foi paga com os dinheiros públicos, quando o país está (?) de tanga.
Essa gente, para mim, só tem um nome: Coniventes com a cleptocracia que nos governa!!!!
De Isabel A. Ferreira a 21 de Março de 2014 às 11:04
Absolutamente certo, Carlos Ricardo.

Estamos entregues a gente caótica.
De varudo a 19 de Abril de 2015 às 16:48
estas pessoas que sao contra as touradas sao parvas,que digam que nao gostom d'acordo,mas de là a querer que este espetaculo acabe,que vao aprender a respeitar o RESPEITO E O GOSTO DE CADA UM,ninguem os obriga là ir mas que calem a bouca em vez de dizer ageneiras,como eu ha milhoins de pessoas que gostam de touradas,sempre izistiu este espétaculo e que continue,quem nao gosta nao vai mas que calem essa bouca,So o que deviam reduzir era o numero de ferros que espétam nos touros.
Nao é ser MODERNO o facto de querer que as touradas acabem
QUE AS TOURADAS CONTINUEM EM TODO O LADO E NA TELEVISAO
De Isabel A. Ferreira a 20 de Abril de 2015 às 14:32
Eu só vou publicar o comentário deste varudo, porque é tão estúpido, tão estúpido, tão estúpido, que se torna grande ajuda para a Causa da Abolição da selvajaria tauromáquica.

Este perdeu uma oportunidade de ficar de BOUCA calada.

Mas quis armar-se ao esperto…

Venham mais destas brilhantes obras de “litratura” (de litro de vinho) da “COLTURA” BRONCA.

Os Touros e os Cavalos agradecem, e os abolicionistas também.
De Elisabete a 23 de Março de 2014 às 00:32
Demonstração do atraso em que estamos mergulhados. Portugal não é um país do 3º mundo, mas de um 5º mundo em queda vertiginosa. Somos governados por fascistas como nos anos 50 do séc. passado com o apoio da igreja católica como não poderia deixar de ser.
De Isabel A. Ferreira a 23 de Março de 2014 às 18:04
É um, retrocesso total, Elisabete.
Em vez de evolução dão-nos este atraso de vida.

De Ana Realinho a 5 de Maio de 2014 às 14:25
Boa tarde

Acompanho com alguma regularidade o seu blog. Sou abertamente anti-touradas. Recuso-me a acreditar que neste país, este espectáculo de tortura e morte, ainda é considerado por muitos como diversão. Sinto vergonha.

Concordo com quase todas as suas palavras. No entanto, mais no conteúdo do que na forma. Acredito que a sua revolta contra as touradas a faz diz coisas que nem sempre são as mais correctas.

Eu sou de Estremoz. E claramente a definição "Terrinha onde a evolução ainda não bateu à porta" revela alguma ignorância da sua parte. Relembro que Lisboa também tem o Campo Pequeno (como bem referiu). Deduzo que também seja considerada terrinha sem evolução. Não culpe a terra, nem as pessoas que dela fazem parte pelos erros de alguns.

A sua violencia verbal, na minha opinião, faz com que perca alguma credibilidade em relação a uma causa tão nobre, que tanto respeito e admiro e que acredito que defende como poucas pessoas neste pais.

Estou consigo nesta causa.

Cumps.

De Isabel A. Ferreira a 5 de Maio de 2014 às 18:07
Ana Realinho, agradeço o seu comentário.

Assim, poderei esclarecer aquilo que muitos não entendem logo à primeira.

Diz que a minha revolta contra as touradas me faz dizer coisas que nem sempre são as mais correctas.

Não lhe direi que tudo o que escrevo é a coisa mais correcta, porque não será verdade.

Pois! A Ana Realinho é de Extremoz, uma terra que conheço. E por conhecê-la, defini-a como uma «terrinha onde a evolução ainda não bateu à porta». Com conhecimento de causa.

Uma terra onde se permite a tortura de seres vivos para sádicos aplaudirem não é uma terra evoluída, nem que tenha micro-ondas em todas as casas (como já disse um aficionado), porque o micro-ondas faz parte de um outro tipo de evolução: a tecnológica.

Não precisa relembrar de que Lisboa (uma terrinha um pouco maior em extensão) tem a nódoa negra do campo pequeno a sujá-la de um modo aviltante.

Já sugeri ao actual presidente da Câmara (que considerava um senhor moderno) para que elevasse Lisboa a cidade anti-tourada. O campo pequeno continua lá, a manchar uma cidade que podia ser GRANDE e é pequena, como o campo, e como as outras terrinhas taurinas do interior que ainda não evoluíram.

(Nos pacotes turísticos de Lisboa as touradas no campo pequeno não constam)

Eu não culpo as terras (como poderia, se elas não são pessoas?) porque quem faz a grandeza ou a pequenez das terras são quem nela vive e luta para as fazer evoluir ou não, VOTANDO nas pessoas certas. Em Extremoz os políticos não fazer progredir a terra com essa política taurina, com transmissão na RTP de algo que não ajudou a terra, pelo contrário, sujou-a ainda mais.

É certo que há sempre excepções. Nem todo o povo será inculto. Não é.

Mas o povo culto de Extremoz já fez alguma coisa de positivo para banir essa vergonha primitiva da terra?

A própria Ana Realinho já se revoltou contra essa nódoa negra que faz de Extremoz uma terrinha pequena, quem ainda não evoluiu (só evoluirá quando deixar de ser primitiva – a tourada é um costume bárbaro primitivo, ou não é?).

Quanto à violência verbal… saberá a Ana Realinho o que é violência verbal?

Não podemos chamar urtigas às rosas, podemos?
Limito-me a utilizar as palavras adequadas às circunstâncias. E isso não é violência verbal. Não é agradável. Reconheço. Mas é a realidade. E a essa não posso fugir.

É essa minha função, como agitadora de consciências.

Às palavrinhas mansas ninguém dá atenção. E para fazer desabar uma estrutura, que está mal construída, é preciso ABANAR os alicerces. E é isso que faço.

A causa é nobre, sim. E já ganhei muitas batalhas. Ainda falta a última, mas essa também a ganharei.

Prometi aos meus amigos Touros e Cavalos defendê-los nem para isso tivesse de colocar as minhas “garras” de fora. E é isso que faço, porque não é fácil dirigir-me com poesia a mentes tacanhas. Não me percebem. Tem de ser com as palavras adequadas. Assim percebem-se. E agitam-se. Desassossegam-se. E é isso que pretendo.

Quanto à credibilidade, quem me conhece, conhece assim. Quem não me conhece tem duas opções: ou entende as minhas intenções; ou não vem ao Blog, para não se incomodar.

Precisamente porque defendo esta causa como poucas pessoas o fazem neste país, é que as estruturas já começam a ceder.

Obrigada, Ana Realinho.
De Carlos Ricardo a 21 de Abril de 2015 às 00:46
O "Sr" Varudo que escreveu aquilo lá de cima é uma vítima do acordo ortográfico assinado em 1534 !!
Embora crendo que ele não mais voltará a este blog, mesmo assim, faço-lhe uma pergunta, perante a frase dele "...vão aprender a respeitar o respeito e o gosto de cada um"
E se todos respeitássemos o gosto do Hitler de matar judeus ?

Isabel, ao menos deu para rir um bocadinho...
De Isabel A. Ferreira a 21 de Abril de 2015 às 14:39
Pois foi precisamente essa a minha intenção, Carlos Ricardo: RIRMO-NOS, que é a única coisa que podemos fazer, perante o que foi dito por tal personagem.

A pergunta aqui fica, para ver se o "Sr." Varudo consegue responder.





Comentar post

Mais sobre mim

Pesquisar neste blog

 

Maio 2021

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
13
14
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Posts recentes

«Costa segura Cabrita»

Quando a Língua e a Histó...

«Todos desejamos ser feli...

Muito oportuno e útil: o ...

Deputada Cristina Rodrigu...

O Poder do Dinheiro

Os muito terceiro-mundist...

Muita água correu debaixo...

Quando os ditadores se co...

Ecologistas espanhóis des...

Arquivos

Maio 2021

Abril 2021

Março 2021

Fevereiro 2021

Janeiro 2021

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Direitos

© Todos os direitos reservados Os textos publicados neste blogue têm © A autora agradece a todos os que os divulgarem que indiquem, por favor, a fonte e os links dos mesmos. Obrigada.
RSS

Acordo Ortográfico

Em defesa da Língua Portuguesa, a autora deste Blogue não adopta o Acordo Ortográfico de 1990, devido a este ser inconstitucional, linguisticamente inconsistente, estruturalmente incongruente, para além de, comprovadamente, ser causa de uma crescente e perniciosa iliteracia em publicações oficiais e privadas, nas escolas, nos órgãos de comunicação social, na população em geral, e por estar a criar uma geração de analfabetos escolarizados e funcionais.

Comentários

Este Blogue aceita comentários de todas as pessoas, e os comentários serão publicados desde que seja claro que a pessoa que comentou interpretou correctamente o conteúdo da publicação. Serão eliminados os comentários que contenham linguagem ordinária e insultos, ou de conteúdo racista e xenófobo. Em resumo: comente com educação, atendendo ao conteúdo da publicação, para que o seu comentário seja mantido.

Contacto

isabelferreira@net.sapo.pt