Terça-feira, 3 de Outubro de 2017

Eu chamo-lhes carrascos, Saramago chama-lhes monstros...

 

E vai tudo dar ao mesmo. Quem se deleita com o sofrimento dos Touros, numa arena, são os carrascos de Touros, são monstros. São também sádicos, psicopatas. Atrasados mentais (não confundir com deficientes mentais). Deformados mentais. São a escumalha da humanidade. E não há palavras mansas que possam descrever estes seres desumanos.

 

«Um animal não pode defender-se; se tu te regozijas com a sua dor, desfrutas da tortura, gostas de ver como sofre esse animal… então não és um ser humano, és um monstro!» (José Saramago)

 

Esta carapuça serve a todos os que praticam, aplaudem, apoiam e promovem a selvática prática tauromáquica.

 

SARAMAGO.jpg

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 17:57

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Segunda-feira, 28 de Agosto de 2017

MENSAGENS NOBRES A TODOS QUANTOS PRATICAM, APLAUDEM, APOIAM E PROMOVEM A TAUROMAQUIA EM TODAS AS SUAS VERTENTES SÁDICAS E SELVÁTICAS

 

Porque a insanidade e o sadismo não fazem parte de uma sociedade que se quer saudável, limpa e humana, aqui deixo alguns elementos para reflexão, principalmente dos governantes, que teimam em manter uma lei completamente insana, onde a crueldade, a violência e a tortura de seres vivos são permitidas, unicamente para encher os bolsos de trogloditas e divertir “gente” com graves deformações mentais.

 

Isto não é da Civilização, nem da Cultura, nem da Humanidade.

 

ARCA2.png

 

7793_527012044021880_1183585362_n[1].jpg

 

Por isso, nós, os anti-tourada, não nos calamos:

 

MENSAGEM.png

AUGUSTO CURY.png

 

Seja esse outro um ser humano ou um ser não humano. O sofrimento é o mesmo.

 

215273_610845265611333_678445051_n[1].jpg

13563_621197157936701_236437242_n[1] ORWELL.jpg

 

ORWELL.png

 

E por fim, aquela máxima que, se todos os seres humanos seguissem, o Planeta Terra seria um verdadeiro Paraíso.

 

0122-8-728 REGRA DE OURO.jpg

 

Pensem nisto, senhores governantes, únicos culpados do caos social, cultural e educacional em que Portugal está mergulhado.

 

E vós, Portugueses, abri os olhos, e nas próximas eleições autárquicas penalizem quem tanto tem penalizado o nosso país.

 

Isabel A. Ferreira

 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 11:51

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Domingo, 5 de Março de 2017

PARA A BESTA HUMANA AS CRIANÇAS NÃO PASSAM DE LIXO HUMANO

 

Esta é a imagem de uma criança síria atirada ao lixo, para morrer.

Isto não é um acto de um ser humano.

 

Há quem não goste que eu lhes chame bestas humanas, mas só uma besta humana é capaz de actos tão cruéis, com um ser tão indefeso e inocente.

 

O poder nas mãos destas bestas humanas é uma ameaça para todos os seres que vivem à face do planeta Terra.

 

 

Fonte:

https://www.facebook.com/adalbernardes/videos/967422970007747/?hc_ref=NEWSFEED

 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 18:29

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Sexta-feira, 24 de Fevereiro de 2017

Morte na arena

 

Esta imagem é terrível.

Nos olhos do Touro a morte espreita exactamente do mesmo modo que nos olhos do torturador de Touros.

 

MORTE NA ARENA.png

Repare-se bem: a expressão é a mesma. Animal Touro e animal homem morreram na arena, com uma diferença: o Touro, com honra, porque foi barbaramente torturado, até à morte; o tauricida, desonrado, porque morreu aos cornos do Touro, que cobardemente torturou.

 

Obviamente não aplaudo a morte do Touro.  Também não aplaudo a morte do carrasco. Mas não serei hipócrita ao ponto de dizer que a morte do torturador de Touros abala os meus sentimentos.

 

Não abala. Não consigo sentir nem tristeza, nem alegria. Deveria sentir algo? Poderia sentir compaixão, sim, se o tauricida estivesse ali forçado, a lutar pela vida, como lutavam os gladiadores no Circo Romano: ou matavam ou morriam. Os carrascos de Touros, não. Estão ali porque querem mostrar a uma plateia sádica, uma virilidade que não têm, diante de um animal INDEFESO. E isso é imperdoável.

 

É terrível quando a morte de uma criatura que se assemelha a um ser humano, mas não se comporta como um ser humano, não nos abala. Como não nos abala a morte de um terrorista, de um violador, de um pedófilo, de um assassino. 

 

Pelo contrário, a expressão dolorida do indefeso Touro esmaga-me. 

 

Esta imagem mostra-nos dois seres que já foram vivos e agora estão mortos e jazem no chão, desfeitos pela mesma morte, que os atacou de modo diferente.

 

Existe uma diferença brutal no modo como ambos foram mortos.

 

O Touro, indefeso, que não foi para a arena por sua livre e espontânea vontade, depois de barbaramente torturado, antes e durante a lide, foi morto propositadamente para gáudio de sádicos tauricidas.

 

O torturador de Touros, que foi para a arena por sua livre e espontânea vontade de torturar e matar um Touro, foi morto porque o Touro, muito legitimamente, reuniu as derradeiras forças para se defender do seu carrasco. E conseguiu.

 

O Touro morreu com Honra. O torturador morreu sem ela.

 

E é isto que os sádicos aplaudem e que governantes, com cérebros microscópicos, apoiam.

 

Isabel A. Ferreira

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 16:28

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Sexta-feira, 3 de Fevereiro de 2017

«NÃO GOSTO DE CAÇA: SEREI EXTREMISTA?»

 

Excelente artigo, de André Silva, deputado do PAN na Assembleia da República.

 

Apenas um Ser Humano, dotado de uma mente superior, lúcido e avançado no tempo, escreveria deste modo um artigo sobre uma prática que já não se justifica no século XXI D.C., e que só existe por dois motivos: interesses económicos obscuros e porque existem ainda criaturas que não evoluíram e carregam instintos assassinos que precisam de exorcizar, divertindo-se a MATAR cobardemente animais indefesos.

 

A caça, hoje em dia, é uma prática exclusiva de COBARDES

(I.A.F.)

 

ANDRÉ SILVA.jpg

 André Silva

 

Texto de André Silva

 

«Ofegava de exaustão e tropeçava nos galhos secos dos trilhos, nem se atrevia a olhar para trás. Saber qual seria o seu destino se os seus perseguidores o capturassem era o que lhe dava combustível para continuar, num movimento de auto preservação instintivo. Os filhos, desprotegidos, já tinham sido mortos. A aflição da perseguição durava já há muitas horas, a energia vital finava. Não percebia porque o queriam matar. Sentia o troar forte dos cavalos mesmo atrás de si, o ladrar dos cães, treinados para o efeito, e os brados eufóricos dos líderes da "corrida". Se o alcançassem seria encurralado e, sem defesa ou escapatória possível, seria espancado com paus até à morte pelos acossadores ou mordido e dilacerado pelos cães. Precisava continuar a correr pela vida…

 

A Lei da Caça vem dizer que a caça à raposa e ao saca-rabos pode ser exercida de salto, à espera e de batida, podendo ainda a raposa ser caçada a corricão. O processo de caça a corricão é aquele em que o caçador se desloca a pé ou a cavalo para capturar espécies cinegéticas com o auxílio de cães de caça, com ou sem pau, no qual podem ser utilizados até 50 cães.

 

Estes são os métodos, permitidos na Lei de Bases Gerais da Caça, para perseguir e matar raposas e saca-rabos. Estes são os métodos que os predadores humanos, ditos "evoluídos", utilizam para conviverem e se divertirem aos fins-de- semana numa actividade que lhes proporciona "prazer de viver", conforme ouvimos dizer frequentemente. Uma área económica "muito importante", lá vão tentando convencer-nos também, o mesmo é dizer que estes modos medievais de nos relacionarmos com as outras formas de vida dão lucro. Ah, e defendem que o fazem sempre em harmonia com a natureza, como não poderia deixar de ser. E fazem sempre questão de nos lembrar que não há ninguém que goste mais de animais do que aqueles que os perseguem, os espancam e os matam. Haverá conceitos de harmonia e de equilíbrio mais elevados que aquele que se baseia em divertimento e confraternização em torno de rituais de violência contra seres sensíveis?

 

A caça à raposa é uma actividade legal no nosso país. Mas significa que é eticamente correcta? Diz-nos a História da humanidade que uma das maiores manifestações de violência são leis injustas que subjugam os mais fracos e indefesos aos interesses dos que detêm poder.

 

Carimbar de extremistas e fundamentalistas as opiniões e perspectivas diferentes das nossas é, desde sempre, a forma menos sofisticada e mais fácil de tentar manter tudo como está. Para quê mudar leis injustas e práticas violentas? Para não se colocar em crise as tradições, mesmo que isso signifique continuar a estimular crueldades injustificadas.

 

É irresistível a tentação de invocar conhecimentos científicos como argumentos em defesa de interesses políticos ou corporativos. São vários os argumentos que tentam justificar essa "nobre" actividade da caça à raposa e a utilização de substrato científico para tentar iludir os incautos é, por demais, "sedutora", porque tem funcionado. Para os argumentos de que a raposa não tem predadores, representando uma ameaça para outras espécies, existem várias explicações e soluções científicas. A gestão de um ecossistema, tanto quanto se sabe hoje, consiste em criar condições para que este se mantenha estável, sem perturbação antrópica. Esclarecendo, para não confundir os leitores: as populações de presas são moduladas pelas populações de predadores, mas o reverso também é verdadeiro. As populações de predadores também são moduladas pelas populações de presas. Quando a densidade populacional de predadores é muito elevada as presas diminuem a sua taxa de reprodução, o que tem como consequência a diminuição da população de predadores.

 

É o que se chama controlo retroactivo de predadores. Interferir com estes sistemas que são dinâmicos por definição dinâmicos só prejudica as suas dinâmicas naturais. A caça é uma das actividades que mais perturba a vida selvagem. Provoca perturbações nas populações locais das espécies-alvo, mas igualmente das espécies não visadas. Os seres humanos são reconhecidos pela fauna como potenciais predadores e quando detectam a sua presença, os animais adoptam comportamentos de fuga para sobrevivência. A energia disponível de um animal é finita e é gerida de acordo com as suas actividades vitais (procura de alimento, abrigo, defesa de território, reprodução, cuidados parentais, etc.). O aumento do gasto energético nos comportamentos de fuga causa diminuição da aptidão e redução do sucesso reprodutor. A sobrevivência dos juvenis depende principalmente dos cuidados parentais. Se os progenitores abandonam o ninho devido à perturbação antrópica, este abandono pode ser letal. A fuga representa um dispêndio energético suplementar imediato e, frequentemente, o abandono do ninho ou da prole.

 

É também importante sabermos que os distúrbios causados pela caça não só afectam as espécies-alvo, mas quase todas as espécies presentes no território de caça. O balanço não necessita de tender sempre para o lado dos predadores. Se não confundirmos a natureza da fauna com a parte oportunista e competitiva da natureza humana, talvez consigamos analisar estas questões com uma mente verdadeiramente aberta à mudança. E se não for possível aceitar a diferença de pontos de vista, éticos e científicos, respeitá-la com dignidade é uma aprendizagem bem mais nobre do que caçar outras espécies de forma cruel para manter interesses financeiros, tradições bolorentas e "prazeres" levianos.»

 

________

André Silva nasceu a 2 de Abril de 1976, formado em Engenharia Civil e vegetariano, é deputado e porta-voz do PAN, Pessoas - Animais - Natureza

 

Fonte:

http://www.sabado.pt/opiniao/convidados/andre_silva/detalhe/nao_gosto_de_caca_serei_extremista.html

 

 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 14:21

link do post | Comentar | Ver comentários (2) | Adicionar aos favoritos
Terça-feira, 25 de Outubro de 2016

É ISTO A TOURADA PROTEGIDA PELO ESTADO PORTUGUÊS…

 

O que se segue é uma descrição realista da descomunal crueldade e violência da selvajaria tauromáquica, que em Portugal é “servida à mesa” como uma refeição gourmet…

 

E depois a besta humana quer ser tratada do mesmo jeito que um Ser Humano

 

Por muito menos, Jesus Cristo chicoteou os vendilhões do templo.

 

Não me peçam tolerância para monstros desta envergadura... (IAF)

 

TORTURA.png

 

Texto de Pedro Martins Santos

 

«Debaixo de um calor de mais de 30º, sem vento e depois de terem permanecido mais de 12 h metidos numa divisória de metal de um camião onde mal se podem mexer, os 6 touros vão ser "lidados" na praça. Vão ser perfurados com ferros (bandarilhas) que medem 70 cm de comprimento, enfeitadas com papel de seda de variadas cores e rematadas com um ferro de 8 cm, com um arpão de 4 cm de comprimento e 20mm de largura, com farpas ou ferros compridos e ferros curtos que medem, respectivamente, 140 cm e 80 cm de comprimento, com ferragem idêntica à da bandarilha, mas com dois arpões enfeitados e rematados da mesma forma que as bandarilhas.

 

Os ferros que lhe penetram e rasgam o músculo, provocarão uma dor lancinante (o touro sente até uma mosca pousar-lhe no dorso - daí abanar com a cauda para a enxotar - porque não haveria de sentir dor se é feito de carne e osso como nós?). Depois de lhe serem cravados os ferros, exaustos e debilitados, enfraquecidos, vão ainda ser atormentados por 8 “homens” que o vão provocar, tentar imobilizar, saltar-lhe para cima e puxar-lhe violentamente a cauda (vértebras serão partidas) e humilhá-lo.

 

Depois será obrigado a recolher ao camião, como alguém me dizia hoje de manhã, "puxado e arrastado tão violentamente por cordas que se fica com a sensação que lhe vão arrancar os cornos".

 

No camião, ser-lhe-ão arrancados os ferros, a sangue frio, cortando a carne à volta do arpão com uma faca, deixando-lhe o dorso esburacado em carne viva...

 

Depois da "festa rija", quando os espectadores tiverem dificuldade em manter-se em pé, o touro vai ser levado para o matadouro, no mesmo camião onde não se pode mexer, deixando atrás de si um rasto de sangue e diarreia.

 

Hoje é sexta-feira.

Amanhã é sábado, os matadouros não trabalham.

Domingo também não.

 

Com sorte e, se não tiverem morrido até lá, os touros serão finalmente mortos na segunda-feira, depois de atordoados com choques eléctricos e pendurados de cabeça para baixo.

 

Terão Paz afinal.

 

É ISTO QUE A RTP TRANSMITE COM O MEU DINHEIRO??

 

por Pedro Martins Santos»

 

Fonte: 

https://m.facebook.com/RiseupPortugal/photos/a.439731719383613.94950.435456119811173/963380007018779/?type=1

 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 10:49

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Quinta-feira, 22 de Setembro de 2016

A SELVAJARIA TAUROMÁQUICA ESMAGA A CONSCIÊNCIA DO SER HUMANO

14317537_10207221609526277_6503988466953360127_n[1

Origem da foto: 

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10207221609526277&set=gm.1641346849490300&type=3&theater

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 15:39

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Sexta-feira, 9 de Setembro de 2016

Defender os animais não-humanos é defender a dignidade humana

 

Um texto escrito com a dignidade intrínseca a um verdadeiro Ser Humano.

 

Faço minhas as palavras de Ana Bacalhau.

 

171fc14b49a79ea979710de5b3402b30_L ANA.jpg

 

 

Por Ana Bacalhau (PAN)  

 

«Muitas vezes, aqueles que defendem os direitos dos animais são vistos como alguém que ama mais um animal do que o seu semelhante humano. Nada de mais errado.

 

A verdade é que as sociedades onde os direitos dos animais não estão protegidos são, por norma, sociedades que não respeitam os direitos humanos na sua totalidade. E porquê? Porque é através da forma como tratamos o outro que nos definimos e maltratar um animal é assistir ao rebaixamento do ser humano, à sua desumanização, à ignorância mais pura da sua própria condição. Porque o ser humano é, também ele, um animal. Com características que o distinguem dos outros, mas, no entanto, um animal. E ao não respeitar os restantes animais, não se está a respeitar a si próprio.

 

Portugal é um bom exemplo disto mesmo. Faltam leis e, mais importante ainda, falta uma cultura de cidadania bem arreigada, por isso, assistimos à constante violação de direitos, por falta de instrução, de cultura, de humanização. Tanto vemos cães e gatos acorrentados nas varandas dos prédios ou nos quintais das aldeias, como vemos lares de idosos em condições deploráveis. Tudo isto faz parte do mesmo problema. Enquanto não percebermos isso, falharemos em solucioná-lo, enquanto sociedade civil. E é a sociedade civil que tem de intervir para que se mudem as consciências. As leis têm de existir, mas o cumprimento delas está no coração de cada um.

 

Os animais não falam, não se podem defender. Por isso, é importante que nós os possamos defender, possamos ter uma voz activa por eles. Sem excessos, nem fundamentalismos. Apenas com muito amor.

 

Amo muito os animais, como amo muito o ser humano. Defendo-os, como se me defendesse a mim, porque, em última análise, me estou a defender a mim. À minha dignidade. À dignidade da espécie à qual pertenço.

 

Ana Bacalhau»

 

Fonte:

http://www.pan.com.pt/accoes/apoiantes/item/157-ana-bacalhau.html

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 11:21

link do post | Comentar | Ver comentários (2) | Adicionar aos favoritos
Sexta-feira, 12 de Agosto de 2016

CARTA EXPRESSAMENTE DIRIGIDA AOS QUE FAZEM A APOLOGIA DAS TOURADAS

 

(Quer tenham “canudos” universitários ou sejam incultos, encruados ou  simplesmente pré-humanos)

 

As palavras são da minha amiga Maria João Gaspar Oliveira, que as dirigiu à CMTV, na esperança de demover esta estação televisiva de transmitir a crueldade descrita nesta carta (caso a notícia do Farpas Blogue não seja falsa).

 

Faço minhas estas palavras, e dirijo-as aos que irracionalmente fazem a apologia das touradas.

 

Leiam a carta, porque depois de a lerem, se forem o “ser humano” que apregoam ser, mudarão de ideias, porque só um bloco de cimento armado não muda de ideias.

 

TORTURA.jpg

Este pescoço podia ser o teu, tauricida, e se fosse o teu, sofrerias exactamente os mesmos horrores que este desditoso animal, senciente e indefeso, sofre, quando lhe rasgam as carnes…

 

 

«Exmos. Senhores:

 

Mal posso acreditar que a CMTV venha a transmitir touradas, pois ainda estou convicta de que os vossos valores são incompatíveis com a barbárie e o lobby tauromáquico.

 

Em pleno século XXI, este "espectáculo" medieval é inconcebível e extremamente cruel. Os touros têm um sistema nervoso complexo. Há terminais nervosos nas zonas onde lhes cravam ferros pontiagudos, de 8 centímetros de comprimento, com arpões de 4 cm aguçados nas pontas. Os músculos que sustentam a cabeça são propositadamente rasgados, para o animal a baixar, tornando, assim, as investidas mais inofensivas... Os urros de dor que o touro solta quando, já num caixote exíguo, lhe arrancam as farpas, são bem elucidativos. Como se tudo isto fosse pouco, o animal, por vezes, chega a ficar com dores atrozes, febre e convulsões, durante um, dois ou mais dias, à espera de ser abatido!

 

Há também a considerar o sofrimento dos cavalos (morrem cerca de 200, por ano...), os quais, além de ficarem, de vez em quando, esventrados nas arenas, são feridos pelas esporas, os puxões das rédeas afectam-lhes a cervical, o freio atravessado sobre a língua provoca-lhes ferimentos nos lábios, gengivas, palato, os pré-molares quebram-se, e os ossos nasais deslocam-se.

 

Como pode o ser humano dito civilizado, divertir-se com tão cruel sofrimento? Só a compaixão pode construir um mundo mais justo e fraterno.

 

Peço também ao grupo Cofina que não esqueça as crianças, cujos pais não se apercebem desta "pedagogia" da tortura que as torna frias e insensíveis, privando-as do direito de crescer de forma saudável a nível físico, psíquico e afectivo, precisamente quando a sua personalidade está em formação.

 

A Corrida Vidas/Correio da Manhã fomenta também este flagelo e beneficia a indústria tauromáquica. É urgente que a CMTV tenha a coragem de denunciar a barbárie e não de a fomentar, colocando-se, assim, ao lado dos mais frágeis (como já o faz em relação às pessoas mais desfavorecidas e injustiçadas...), tendo também em conta quem luta contra a tortura, e que sofre brutalmente com a sua própria impotência, perante a barbárie.

 

Pedindo, encarecidamente, a V. Exas., que esse canal não transmita tal "espectáculo", agradeço o favor de me informarem se esta notícia tem algum fundamento, ou se se trata, apenas, de um boato do blogue tauromáquico "Farpas".

 

Convicta de que não solto um grito no deserto, mas sim um apelo bem ouvido e compreendido, subscrevo-me com estima e consideração.»

 

 

Maria João L. Gaspar de Oliveira – COIMBRA

 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 16:09

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Domingo, 7 de Agosto de 2016

TORTURA DE TOUROS E CAVALOS DEMONSTRAM O GRANDE ATRASO CIVILIZACIONAL DOS SERES PRÉ-HUMANOS

 

É urgente rever o conceito de Ser Humano. Os que evoluíram não podem ser metidos no mesmo saco dos que não evoluíram.

 

Existe uma abismal diferença moral, cultural e humana entre uns e outros

 

CORRIDAS DE TOUROS À CORDA

 

TOURADA À CORDA1.jpg

É a ignorância (e não o sonho da poesia de António Gedeão) que comanda a pobre e podre vidinha desta gentinha que assim brinca aos parvos com um ser senciente amarrado a uma corda...

 

«Estão do lado dos que erram os que afirmam que os touros utilizados nas corridas à corda não são vítimas de maus-tratos. Claro que o são pela ansiedade e pânico que sofrem na captura e afastamento do campo e da manada; pela violenta contenção da corda; pela excitação provocada pelo ruído e pela multidão ululante; pelo esgotamento e frequentes quedas e ferimentos e até mortes que acontecem aos touros» (Dr. Vasco Reis – Médico Veterinário)

 

É deplorável a ignorância e a irracionalidade dos que defendem a cruenta corrida de touros à corda.

 

***

OS CAVALOS NÃO PRECISAM DE MEDALHA!

 

«Obviamente, até o mais inculto dos homens concluiria que o cavalo, ou qualquer outro animal explorado, nunca escolheria, por vontade própria, uma vida de subserviência aos humanos» (Direitos dos Animais)

 

 

Esta é outra barbaridade, outro crime, outra imbecilidade da criatura pré-humana.

 

A subjugação e exploração animal são eticamente erradas. Os animais não existem para servir o animal humano.

 

***

ASSIM DEVEM VIVER OS MAGNÍFICOS SERES QUE SÃO OS CAVALOS: LIVRES NA NATUREZA

 

 

 


 

publicado por Isabel A. Ferreira às 14:23

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Mais sobre mim

Pesquisar neste blog

 

Outubro 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
17
18
24
25
26
27
28
29
30
31

Posts recentes

A sociedade portuguesa de...

O homem-predador está ao ...

Esta imagem mostrará ao M...

PORTUGUESES, PONHAM OS OL...

OS ANIMAIS NÃO-HUMANOS NÃ...

A TAUROMAQUIA NÃO É COMPA...

«Carta de Abraham Lincoln...

EM PORTUGAL EXISTE UMA LE...

A RACIONALIDADE É COMUM A...

Carta dos deveres do ser ...

Arquivos

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Direitos

© Todos os direitos reservados Os textos publicados neste blogue têm © A autora agradece a todos os que os divulgarem que indiquem, por favor, a fonte e os links dos mesmos. Obrigada.
RSS

Acordo Ortográfico

Em defesa da Língua Portuguesa, a autora deste Blogue não adopta o Acordo Ortográfico de 1990, devido a este ser inconstitucional, linguisticamente inconsistente, estruturalmente incongruente, para além de, comprovadamente, ser causa de uma crescente e perniciosa iliteracia em publicações oficiais e privadas, nas escolas, nos órgãos de comunicação social, na população em geral, e por estar a criar uma geração de analfabetos escolarizados e funcionais.

Comentários

Este Blogue aceita comentários de todas as pessoas, e os comentários serão publicados desde que seja claro que a pessoa que comentou interpretou correctamente o conteúdo da publicação. Serão eliminados os comentários que contenham linguagem ordinária e insultos, ou de conteúdo racista e xenófobo. Em resumo: comente com educação, atendendo ao conteúdo da publicação, para que o seu comentário seja mantido.

Contacto

isabelferreira@net.sapo.pt