Quarta-feira, 12 de Março de 2014

«NUNCA EM TEMPO ALGUM TIVEMOS TANTO PODER PARA MUDAR O MUNDO COMO HOJE»

 

 

 

Por Sérgio Ferreira

 

«Hoje, como nunca, a tua voz pode ser ouvida nos quatro cantos do mundo, milhares colocam opiniões em Blogs que são vistos por milhões, vídeos, imagens, frases, mensagens e tu continuas a achar que és pequeno?

 

Todos nós temos um poder enorme, sabemos que sozinhos não temos o poder de mudar o mundo, mas temos o poder de mudar o nosso mundo, de sermos o exemplo de como queremos que o mundo seja. Se te mantiveres firme e convicto nesse teu caminho é certo que terás seguidores.

 

E se continuares a ser um exemplo, outros seguirão passando a mensagem, resta-me  perguntar-te, que exemplo queres dar tu ao mundo?

 

Que queres tu ser alguém que movimenta multidões numa manifestação ou alguém que cria soluções e as implementa, mesmo que isso te faça parecer desfasado da realidade dos demais?

 

Alguém que faz as coisas acontecer ou alguém que critica os outros pelos resultados deles?

 

Alguém que tolera que nem todos tenhamos a mesma opinião, mas que sabe que todos temos algo de bom no nosso coração.

 

Quem queres ser?

 

Queres criar o teu caminho ou continuar a deixar as decisões nas mãos de outros?

 

Queres ser responsável pelos teus resultados ou preferes continuar a deixar o teu destino na mão dos outros e quando as coisas não te correm de feição continuar a deitar as culpas em cima dos outros?

 

Só tu podes decidir, então decide!!!

 

O que é que tu queres? Só tu o podes saber!!!»

 

***

Ora isto vem a propósito do seguinte comentário:


RH deixou um comentário ao post OS ANIMAIS SÃO SERES MÁGICOS... às 19:46, 2014-03-11.


Comentário:

 

«E porque prefere só ver esse lado? A sua sanha "anti-humanos" chega a ser doentia. Na verdade, o seu pensamento de fundo não é muito diferente daquele que presidiu a atrocidades cometidades ao longo da História. Já pensou nisso? Os regimes totalitários sempre tiveram um grande desprezo pela Humanidade.

 

Alguns valorizaram até mais os animais. Já reparou? E já reparou também que o ser humano tem a compaixão, a clemência e a misericórdia, algo que nenhum animal tem? E mais o conceito de justiça que nenhum animal tem? E a capacidade de ajudar conscientemente outras espécies que os animais em geral não têm? Olhe para animais e humanos no mesmo plano, sem essa raiva toda pela sua própria espécie. Conhece algum animal que a tenha? É essa a visão acertada. Pense um pouco nisso...»

 

***

 

Esta é a minha resposta ao comentário bizarro deste “psicólogo” de fim-de-semana.

 

Não entendeu nada das minhas anteriores mensagens. Mas não me admira.

 

Envio-lhe esta outra. Veja se consegue perceber alguma coisa agora.

 

E ainda que fosse verdade o que disse: que o ser humano tem a compaixão, a clemência e a misericórdia, algo que nenhum animal tem... E mais o conceito de justiça que nenhum animal tem... E a capacidade de ajudar conscientemente outras espécies que os animais em geral não têm... (ainda que isto fosse verdade (MAS NÃO É) não justifica que se torture cruelmente os animais não humanos... 

 

E PARA QUE SAIBA, ESTE É O MEU MUNDO:  

 

 
 

 

 

 

 

 

 

 

(Abrir o link)

 

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=807467109267383&set=a.147893271891440.28283.100000123032483&type=1&theater&notif_t=like

 

ESTA É A HUMANIDADE QUE AMO E RESPEITO

 

E OBVIAMENTE SOU ANTI-HOMEM PREDADOR

OBVIAMENTE NÃO O TORTURARIA NUNCA

OBVIAMENTE MATÁ-LO-IA APENAS EM LEGÍTIMA DEFESA

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 15:34

link do post | Comentar | Ver comentários (2) | Adicionar aos favoritos
Domingo, 9 de Março de 2014

DEFENDER A TOURADA À CORDA É DEFENDER A INCULTURA, A TORTURA E A BOÇALIDADE

 

A Associação Regional de Criadores de Touros da Tourada à Corda em Angra do Heroísmo é liderada desde o início do ano por uma nova geração, composta apenas por filhas de ganadeiros

 

 TRÊS PRECIOSAS CANDIDATAS AO PRÉMIO NOBEL DA INTELIGÊNCIA

ooo

 

Aqui estão as três preciosas meninas, filhas de ganadeiros açorianos, a defender a tourada à corda, pois claro, que é a única coisa que conhecem desde que nasceram.

 

Então a Marianinha, que apela à união entre os aficionados para combater os ataques anti-taurinos, diz que «cada um tem a liberdade de gostar ou não, mas a ideia que eles (os anti) transmitem é que não querem que o outro tenha a liberdade de gostar de touradas

 

Mas sabe, Marianinha, é que a tourada não tem nada a ver com liberdade, até porque amarram o bovino com cordas e este não fica com liberdade de se movimentar à vontade dele, ficando à mercê dos carrascos.

 

Não era esta liberdade?

 

Ah! Sim, a outra. Mas a outra também não entra aqui. Sabe porquê, Marianinha? Porque torturar um ser vivo não é do âmbito nem da liberdade, nem dos gostos, Mas da Ética, da Evolução, da Cultura Culta, da Civilização...


E sabe que o outro, de que fala, é também o bovino que torturam?

 

Não ensinaram à menina Marianinha os conceitos de liberdade, de gosto e de respeito? Pois não! Apenas ensinaram que a tortura é uma “tradição religiosa” e pronto. Tem de se fazer para agradar aos santinhos da igreja católica, por ocasião das festas a eles dedicadas.


E sabe, os santinhos devem adorar essa tortura! Quando os torcionários morrerem serão recebidos no céu com muitas palmas e flores, por terem tratado com compaixão os animais não humanos. Vai ser uma festa!

 

E a Marianinha acrescenta: «Isso é que está mal. Em primeiro lugar, somos humanos, temos de ter respeito pelo próximo e o que acontece é que essas pessoas não respeitam o próximo».


Por acaso a Marianinha sabe o que é ser humano? Também não sabe. Ser humano é ser compassivo, bondoso, caritativo, piedoso, misericordioso, clemente, benevolente, generoso, compreensivo, tudo o que quem tortura bovinos mansos não é.

 

O senhor padre não ensinou à Marianinha este conceito cristão? Se não ensinou, devia ter ensinado.

 

E se querem merecer respeito, têm de respeitar o próximo, e o próximo inclui os bovinos, que também são criaturas de Deus.

 

O senhor padre também não ensinou isto à Marianinha?

 

Pois… há muito falhanço nos ensinamentos que a igreja devia transmitir aos seus fiéis, e não transmite. E isso é um grande pecado!

 

Para finalizar, a Marianinha espera esta coisa espantosa: a isenção de taxas para as touradas à corda, já anunciada pela autarquia de Angra de Heroísmo, porque isto é uma mais-valia para os ganadeiros.

 

Pois claro! Para os ganadeiros. A menina puxa a brasa para a sua sardinha.

 

E a isenção de taxas para os comerciantes? Para o arroz, o pão e os restantes géneros alimentícios, por exemplo? Não seria mais adequado e não beneficiaria mais gente, gente que passa fome, para que os ganadeiros vivam na fartura?

 

O que vale é que os ganadeiros não levam para a cova os dinheiros que recebem, mas serão penalizados pela Lei do Retorno, pelo mal que fizeram às criaturas de Deus.

 

Esta é que é a grande e infalível verdade!

 

Fonte:

https://www.facebook.com/451257841614428/photos/a.451275978279281.101438.451257841614428/645146072225603/?type=1&theater

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 18:55

link do post | Comentar | Ver comentários (2) | Adicionar aos favoritos
Terça-feira, 4 de Fevereiro de 2014

A juventude taurina portuguesa desconhece o conceito de liberdade e de democracia, o que é admissível, dada a pouca ou nenhuma formação que recebem

 

Partilho esta imagem e vou esmiuçar o seu conteúdo, porque na página do Facebook, de onde a retirei, havia uma única permissão: partilhar.

 

 

 

Juventude taurina portuguesa, é da boa prática, do bom senso e da inteligência, antes de abordar qualquer assunto, ter a certeza de que se domina esse assunto.

 

«Não concordas com as touradas…»

 

Já aqui se disse ene vezes que as touradas não são uma questão de concordar ou de gostar, mas sim uma questão de atitude, de ética, de civilização, de evolução; são uma prática reprovável aos olhos da razão, da lógica, da ética, da inteligência, da compaixão, do saber partilhar, da sensibilidade e do bom senso.

 

Nenhum ser humano dotado do mínimo destes predicados, que acabei de mencionar, aceita a tourada como algo praticável em tempo algum, muito menos nos tempos que correm, que apesar de conturbados, já deixaram as trevas mofosas medievais e são iluminados por uma outra maneira de ver o mundo, mais condizente com a racionalidade humana.

 

«… respeita a LIBERDADE dos outros».

 

Liberdade… saberá a juventude taurina portuguesa o que é Liberdade?

 

Não! Não sabe. Confunde Liberdade com libertinagem.

 

A Liberdade implica o respeito pela vida do outro, seja qual for esse outro. A Liberdade de alguém acaba onde começa a liberdade do outro. Na condição de Liberdade não cabe a tortura.

 

Ora os que realizam o ignóbil costume de torturar seres vivos, para divertimento e ganhar dinheiro, não estão a respeitar a liberdade e a vida que todos os seres vivos têm,  e o seu direito de viver em liberdade, tranquilamente.

 

O que a juventude taurina portuguesa quis dizer foi «…respeitem a libertinagem irracional dos outros» (ou seja deles mesmos).

 

E isso e impraticável. Impossível, em Democracia.

 

A libertinagem é perversão. Envilecimento. Expressa, entre outras, a vil prática da tortura. E essa vil prática da tortura não cabe numa sociedade civilizada. Numa Democracia.

 

«Não temos de estar todos de acordo».

 

Pois não. Lá isso é verdade. Só que neste caso, como não se trata de ideias, ou de opiniões, ou de pensamentos, mas sim de um acto de tortura, censurável em todos os cantos e recantos do mundo civilizado, as coisas não são tão lineares assim.

 

Ninguém, em seu juízo perfeito, poderá estar de acordo com a tortura.

 

Imaginemos que um jovem taurino fosse apanhado por um psicopata que gostasse de ver sofrer o outro, e de lhe dar facadas e de ver jorrar sangue e delirar com o estrebuchar de um moribundo… Isto é tortura.

 

Pela vossa lógica, teríamos de aplaudir, de respeitar a liberdade deste psicopata… É assim?

 

Pois... «Esta é uma dádiva da Democracia».

 

Só que a Democracia implica o respeito pela Vida, seja de que ser vivo for. E isto é que é a verdadeira dádiva da Democracia. Uma dádiva nunca poderá incluir a liberdade de torturar um ser senciente.

 

E se não há respeito pela Vida, não há Democracia. Quando muito haverá nazismo.

 

«Partilho isto porque defendo a liberdade».

 

Não! A juventude taurina portuguesa não defende a Liberdade.

 

A juventude taurina portuguesa (uma vergonhosa minoria entre a verdadeira juventude portuguesa) defende a tortura, a psicopatia, o nazismo, tudo o que contradiz a Democracia e a sua dádiva: a Liberdade.

 

Estudem e reflictam antes de tornar pública qualquer coisa que vos venha à cabeça.

 

Não vos fica nada bem.


 Isabel A.  Ferreira

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 11:46

link do post | Comentar | Ver comentários (7) | Adicionar aos favoritos
Quarta-feira, 25 de Setembro de 2013

AOS AFICIONADOS QUE ME TRATAM POR “MINHA CARA”, E AO POPEYE TERCEIRENSE, EM PARTICULAR…

 

 

O que me apraz é o que pensam os sábios…

 

O que dizem os aficionados a meu respeito, não me diz respeito… só a eles interessa e a mais ninguém… A mais ninguém…

Podem crer…

 
 

Falam de mim pelas minhas costas?

Isso significa que a minha vida obviamente é mais interessante do que a vossa.

 
 
 
 
 
 
 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 16:48

link do post | Comentar | Ver comentários (7) | Adicionar aos favoritos
Segunda-feira, 29 de Julho de 2013

A razão separa os seres humanos dos seres desumanos

 

Eis um comentário que vou responder com um texto que escrevi, no meu livro Manual de Civilidade, e espero que o Tomás Tudela entenda que não é o dono do mundo, mas simplesmente uma pequena partícula do Universo, que se a Mãe Natureza quiser esmagar, esmaga sem que ele nada possa fazer.

 

Nem sei como é possível existir alguém que pense como o Tomás Tudela, nos tempos que correm… É de PASMAR!

 

 

Tomás Tudela, deixou um comentário ao post Feira medieval na freguesia de São Pedro de Sintra às 19:04, 2013-07-28.
 
Comentário:

A Isabel insiste em confudir seres humanos com os restantes animais e em colocá-los no mesmo patamar. Na comunidade internacional, a DUDA não tem o mesmo valor que a DUDH, e o mesmo se passa no nosso país e em muitos outros países. A DUDH é foi proclamada e aprovava pela ONU, com o apoio do nosso País. A DUDH consagra um conjunto de princípios que se impostos a todos os países pela comunidade internacional e está consagrada na nossa Constituição. Portugal não assumiu compromisso nenhum relativamente à DUDA. Eu não tenho o mesmo valor que um animal, por isso não faz sentido a Isabel tentar comparar a minha vida à vida dos animais. Os seres humanos não podem usar cavalos para o Hipismo, nem burros ou póneis para o trabalho? O entretenimento de crianças, neste caso, é o trabalho do dono do burro ou do pónei. Podemos ter cães em casa, ou isso é uma crueldade e um atentado à liberdade dos cães? Os animais não nascem com direitos invioláveis, dotados por qualquer entidade divina. Isabel, o facto de os animais nascerem selvagens ou livres não significa que tenham que o ser. Não significa que os seres humanos não os possam utilizar. Senão o ser humano também não podia utlizar as florestas, os campos, os mares ou os rios. Qual é o propósito desssa coisas? O propósito dessas coisas, tal como dos burros e dos póneis, é aquele que os seres humanos quiserem que seja. Os seres humanos são um fim em si próprios. Os animais têm o fim que os seres humanos lhes atribuam. A Razão separa-nos.

 

***

 

Primeira noção: O Respeito

 

«Não faças aos outros o que não gostas que te façam a ti»

 

A primeira noção a reter é a do respeito.

 

O que é o respeito?

 

É a consideração pelo outro. Quem é o outro? É tudo o que existe à nossa volta. Tudo o que faz parte do nosso mundo, da nossa vida: pessoas, animais, plantas, águas, ar, terra, enfim, todas as coisas, o que é nosso, por exemplo, a chávena por onde tomamos o leite, e o que não é nosso, ou seja, a chávena por onde o nosso irmão toma o seu leite.

 

O Respeito está na base do equilíbrio de todo o Universo. Se o Sol não respeitasse a Lua, se a Lua não respeitasse as estrelas, se as estrelas não respeitassem os planetas, se os planetas não respeitassem o Sol, o Sol talvez não respeitasse a Terra e provavelmente morreríamos queimados, num dia em que ele – o Sol – acordasse mal disposto.

 

A noção de Respeito está intimamente ligada ao princípio: «não faças aos outros o que não gostas que te façam a ti». 

 

Repara:

 

Se não gostas que te rasguem as carnes com um punhal ou com outra coisa qualquer, deves rasgar as carnes de outro ser com um punhal ou com outra coisa qualquer?

 

Se não gostas que cuspam no teu prato de sopa, deves cuspir no prato de sopa de quem contigo come à mesma mesa, ou na mesa ao lado?

 

Todas as pessoas têm Direitos. Todas as pessoas têm também Deveres. Só podes exigir que respeitem os teus direitos, se respeitares os direitos dos outros. E esse respeito que deves aos outros é apenas um dos teus muitos deveres.

 

Terás o direito de exigir respeito, se não respeitas o tudo que te rodeia?

 

Lembra-te de que não és a única criatura do mundo. Há os outros seres, com quem tens a obrigação de partilhar o Planeta, que não é apenas teu. Tu não és a medida de todas as coisas. O erro maior do homem foi um dia julgar-se o centro do mundo.   

 

Todavia, o homem não passa de mais uma criatura entre milhares de outras criaturas, que antes dele já existiam.

 

O equilíbrio do Universo depende também do teu equilíbrio.

 

Primeira condição para saberes respeitar: começa por te respeitar a ti próprio, dizendo: «Sou uma pessoa, não importa se feia, se bonita. O que importa é que sou uma pessoa, e devo respeitar o que sou, para ser digno de mim mesmo e, a partir daí, digno de todos os outros seres».

 

A noção de respeito aparecerá muitas vezes ao longo deste Manual, porque o respeito é a medida de todas as nossas atitudes.

 

in «Manual de Civilidade» © Isabel A. Ferreira

*

Tomás Tudela conclui: «Os seres humanos são um fim em si próprios. Os animais têm o fim que os seres humanos lhes atribuam. A Razão separa-nos

Engana-se, Tomás Tudela: os animais não têm o fim que os seres humanos lhes atribuem. Os animais, infelizmente, têm o fim que os seres desumanos e desprovidos de razão lhes atribuem. assim é que é. Não se esqueça de que o Planeta pertence aos animais não-humanos, que nele apareceram muito antes do homem.  O homem chegou para destruir o equilíbrio ecológico que então existia. Quando o homem desaparecer da face da Terra, os animais não-humanos continuarão a habitá-la e a viver então mais tranquilamente, livres da acção perniciosa do desumano e irracional homem-predador.

Isabel A. Ferreira

 

 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 12:12

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Sexta-feira, 1 de Março de 2013

«DIREITOS, DEVERES E OBRIGAÇÕES»

 

 

A estupidez de uma tourada à corda…que, ao contrário do que dizem, FERE o Touro, como pode ver-se na foto… Quanto sofrimento vemos no semblante do animal, e tudo para divertir uns INÚTEIS COVARDES!

 

«Quem cala consente, e quem é indiferente é cúmplice.

 

Os indiferentes, são uma larga maioria neste país, quando toca a touradas.

 

O lema é: não gosto, não vejo, não quero saber, mas respeito quem gosta.

 

A verdade é que com este tipo de atitudes estão a ser cúmplices de um espectáculo que não deveria continuar a ser legal neste país ou em qualquer outro país.

 

Senhores indiferentes, não se pode respeitar quem gosta. Quem gosta de assistir a um espectáculo deste tipo, que ao contrário do que dizem os aficionados, não é nenhum enfrentamento entre o homem e o touro e não é nenhum acto de coragem, não pode ser respeitado.

 

E por falar em coragem, que coragem?
 

Entre 1771 e 1987 morreram em praças de touros 55 toureiros (de acordo com dados da website ganaderos de lidia). Se tivermos em conta o número de touros mortos anualmente em todos os países com touradas, facilmente se verificará que as touradas mais não são que um extermínio de touros e não uma luta corajosa entre um homem e um touro.

 

Uma coisa é dizer não gosto de ópera, não vejo mas respeito quem gosta, porquanto na ópera não se torturam animais em nome do entretenimento.

 

Enterrar a cabeça na areia, tal como a avestruz é não ter a coragem de reagir contra aquilo que a maioria sabe que está errado, mas aceita porque é a liberdade dos outros. Meus senhores não é a liberdade dos outros, não é a liberdade de ninguém, porque a liberdade dos outros, quando toca ao sofrimento de um animal não é um direito.

 

Todos temos direitos e deveres, mas enquanto que torturar um animal não é um direito, mesmo que a lei o permita, proteger esse mesmo animal de não ser torturado, é um dever, uma obrigação de todos, mesmo dos indiferentes.

 

Prótouro

Pelos touros em liberdade»

 

http://protouro.wordpress.com/2012/10/03/direitos-deveres-e-obrigacoes/

 

***

 

OS INDIFERENTES NUNCA CONTRIBUÍRAM PARA A EVOLUÇÃO DO MUNDO.

 

SÃO COMO SONÂMBULOS, A VAGUEAR NA ESCURIDÃO.

 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 10:56

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Quarta-feira, 13 de Fevereiro de 2013

A TODOS OS TAURICIDAS, GANADEIROS, FORCADOS, AFICIONADOS, PSICOPATAS, SÁDICOS, GOVERNANTES E MEMBROS DA IGREJA CATÓLICA

 

 

ISTO É UMA DAS CENAS MAIS COVARDES PERPETRADAS POR CRIATURAS QUE SE DIZEM “HOMENS”, MAS NÃO PASSAM DE ESQUELETOS-COBERTOS-DE-CARNE-SEM-CÉREBRO

 

SE NÃO TÊM RESPEITO POR VÓS PRÓPRIOS, TENHAM AO MENOS RESPEITO POR UM SER INOCENTE E INDEFESO, QUE SENTE MEDO E SOFRE TAL COMO VÓS.

 

NÃO FINJAM SER HUMANOS

 

 

VIVAM, COM VERDADE, A HUMANIDADE QUE VOS FOI DADA AO NASCER E QUE PERDERAM À MEDIDA QUE FORAM CRESCENDO (EM TAMANHO), MAS NÃO NO CARÁCTER.

QUEM É CÚMPLICE DESTA CENA BÁRBARA NÃO MERECE O MÍNIMO RESPEITO.

RESPEITEM TODOS OS SERES, SE QUEREM SER RESPEITADOS.

 

EU NÃO VOS RESPEITO!

 

NÃO RESPEITO CRIATURAS SÓRDIDAS!

 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 12:04

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Quarta-feira, 25 de Janeiro de 2012

CRIANÇAS INSTIGADAS À VIOLÊNCIA COM O AVAL DO PARLAMENTO PORTUGUÊS

 

 

 

 

 

 
 

Os pais destas crianças só podem ser mal formados.

 

Que valores passarão a estas crianças?

 

E isto, a LEI portuguesa permite.

 

A instigação à violência não será açoitar psicologicamente uma criança?

 

É de pequenino que se começa a torcer o pepino.

 

O que serão estas crianças como adultos?

 

Onde está a coerência da Lei?

 

Em que país vivemos?

 

Que legisladores temos?

Que anormalidade é esta consentida por quem devia EDUCAR para a não-violência?

 

Que permissividade é esta?

 

Senhores Deputados da Assembleia da República, vejam os frutos da vossa cumplicidade com a crueldade e a violência, aceitando como NORMAL o massacre de seres vivos.

 

Terão alguma consciência do que estão a fazer no Parlamento?

 

 
 

ESTA É A MENSAGEM QUE OS LEGISLADORES E OS EDUCADORES DEVEM PASSAR ÀS
GERAÇÕES MAIS NOVAS.

 

SABIAM?

publicado por Isabel A. Ferreira às 15:05

link do post | Comentar | Ver comentários (2) | Adicionar aos favoritos

Mais sobre mim

Pesquisar neste blog

 

Março 2021

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Posts recentes

«Só a inércia e a cobardi...

O que os outros pensam d...

«O humano chão sagrado…»

A razão separa os seres h...

PRÓ-TOURADAS UMA ESPÉCIE ...

Isto é Amor

TAUROMAQUIA RIMA COM COBA...

SUÉCIA ENSINA RESPEITO PE...

MARCHA ANIMAL 2014

TOURADA EM VILA VIÇOSA FO...

Arquivos

Março 2021

Fevereiro 2021

Janeiro 2021

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Direitos

© Todos os direitos reservados Os textos publicados neste blogue têm © A autora agradece a todos os que os divulgarem que indiquem, por favor, a fonte e os links dos mesmos. Obrigada.
RSS

Acordo Ortográfico

Em defesa da Língua Portuguesa, a autora deste Blogue não adopta o Acordo Ortográfico de 1990, devido a este ser inconstitucional, linguisticamente inconsistente, estruturalmente incongruente, para além de, comprovadamente, ser causa de uma crescente e perniciosa iliteracia em publicações oficiais e privadas, nas escolas, nos órgãos de comunicação social, na população em geral, e por estar a criar uma geração de analfabetos escolarizados e funcionais.

Comentários

Este Blogue aceita comentários de todas as pessoas, e os comentários serão publicados desde que seja claro que a pessoa que comentou interpretou correctamente o conteúdo da publicação. Serão eliminados os comentários que contenham linguagem ordinária e insultos, ou de conteúdo racista e xenófobo. Em resumo: comente com educação, atendendo ao conteúdo da publicação, para que o seu comentário seja mantido.

Contacto

isabelferreira@net.sapo.pt