Sexta-feira, 27 de Dezembro de 2013

EM 2008, UM TRIBUNAL DE LISBOA PROÍBE A RTP DE EMITIR A "44.ª CORRIDA TV" - O QUE É QUE O GOVERNO PORTUGUÊS NÃO ENTENDEU NESSA MENSAGEM CLARÍSSIMA, PARA NÃO ACATAR ESSA PROIBIÇÃO?

 

Tourada: programa violento capaz de influir negativamente na formação da personalidade de crianças e adolescentes – conclusão de um tribunal, em 2008

 

De 2009 a 2013 o que aconteceu?

 

As escolas taurinas portuguesas continuaram a ensinar a “arte” de torturar bezerros ao vivo e a cores, a crianças algumas delas menores de seis anos…

 

 

 

Estava-se em 2008, e uma providência cautelar interposta pela ANIMAL foi julgada procedente pela 12.ª Vara Cível de Lisboa – 1.ª Secção, em sentença notável do tribunal, numa acção judicial pioneira da ANIMAL para restringir a exibição televisiva de touradas pela RTP, com vista a prevenir os perigosos efeitos deseducativos do visionamento de touradas para crianças e adolescentes e a mensagem de aceitação da violência contra animais como algo de normal e aceitável que estas enviam.

 

Este procedimento cautelar interposto pela ANIMAL fundou-se, desde logo, no disposto no n.º 4 do artigo 27.º da Lei n.º 27/2007, de 30 de Julho (Lei da Televisão), que estabelece que "quaisquer [...] programas susceptíveis de influírem de modo negativo na formação da personalidade das crianças ou de adolescentes, devem ser acompanhados da difusão permanente de um identificativo visual apropriado e só podem ser transmitidos entre as 22 horas e 30 minutos e as 6 horas". Como consequência desta decisão, a RTP está ordenada pelo tribunal a abster-se de emitir a "44.ª Corrida TV" nos termos em que a tinha programada e a tem anunciado.

 

A sentença proferida foi verdadeiramente notável, deixando apurada como matéria de facto provada um conjunto de alegações avassaladoras contra a exibição televisiva de touradas e contra os perigos que esta representa – justamente pela violência contra os animais que exibe, glorificando-a.

 

Ouvidas as testemunhas arroladas pela ANIMAL – contando-se entre estas testemunhas dois psicólogos clínicos e um biólogo e professor universitário de etologia (ciência que estuda o comportamento animal) –, o tribunal deu como provado que o visionamento de touradas televisionadas é, pelo menos, susceptível de ter uma influência negativa e deseducativa na construção e no desenvolvimento da personalidade de crianças e adolescentes, transmitindo-lhes a mensagem de que torturar um animal, fazer disso espectáculo e exibi-lo televisivamente (entrando estas imagens e esta mensagem pela "casa de crianças e adolescentes adentro" e em horários televisivos perfeitamente acessíveis a uns e outros) é aceitável e normal.

 

A ANIMAL alegou – e o tribunal deu como provado – que o visionamento de touradas, especialmente quando exibidas na televisão em horário irrestrito, expõe crianças e adolescentes a um processo de dessensitização relativamente ao sofrimento dos animais (e também ao sofrimento de humanos), sendo a inflicção de sofrimento ali apresentada como um espectáculo legítimo, aparentemente artístico, em que a tortura de animais é louvada como esteticamente apreciável e moralmente neutra, e cuja respeitabilidade é tão grande, que aquele espectáculo chega a ser emitido televisivamente e a horas irrestritas – de fácil acesso a crianças e adolescentes (sendo exemplo disso as 17h, hora para a qual estava programada a exibição desta tourada).

 

O tribunal deu também como provado que, ao mesmo tempo que o Estado Português, através dos manuais escolares aprovados pelo Ministério da Educação, incorpora no conjunto curricular de mensagens educativas e formativas nos vários níveis de ensino a mensagem de que as crianças e os adolescentes devem respeitar e proteger os animais e a natureza, contraditoriamente, o Estado não só autoriza ainda a prática de touradas – o que vai contra as mesmas mensagens educativas veiculadas nos manuais escolares e que constituem tema de tantos trabalhos de turmas e alunos por todo o país na disciplina de "área projecto" –, como também, através da estação de televisão estatal, exibe espectáculos de violência contra animais como é o caso das touradas, e fazendo-o a qualquer hora, transmitindo, assim, a mensagem negativa e absolutamente inversa ao que nas escolas se procura ensinar.

 

Neste contexto, o tribunal deu como provado que estas mensagens contraditórias geram confusão no quadro de valores que se pretende incutir às crianças, condenando, nas escolas, os maus tratos a animais, enquanto promove e glorifica, na televisão, esta violência. Ficou também provado que, dando-se o processo de aprendizagem essencialmente por imitação de comportamentos, as crianças e os adolescentes poderão ser susceptíveis de virem a imitar os comportamentos violentos que vêem glorificados nas touradas e que aí são apresentados como sinais de heroísmo, bravura e arte – não obstante o facto de serem comportamentos cruéis para com os animais.

 

Segundo Rita Silva, Vice-Presidente da ANIMAL, "No Ocidente, os países onde os animais são mais mal tratados e onde há uma maior indiferença das populações relativamente ao sofrimento dos animais são, por norma, países onde existe actividade tauromáquica permitida pelo Estado. Portugal é um desses casos, sem dúvida alguma, sendo um país onde ainda hoje os animais se encontram fortemente desprotegidos e onde ainda não são vistos, de um modo geral, com respeito.

 

Isso deve-se, sem dúvida alguma e em grande parte, ao facto do Estado permitir que em qualquer centro de qualquer cidade ou vila do país vários touros e outros animais sejam expostos a uma tortura extrema, com contornos de crueldade assustadores, no contexto de corridas de touros e outras práticas tauromáquicas que são promovidas e acolhidas como espectáculos e cuja popularidade é estimulada.

 

Nos últimos dez anos, sobretudo, a popularidade das touradas decresceu brutalmente em Portugal, fruto de campanhas a favor dos direitos dos animais, e, com isso, tem-se dado também o avançado declínio económico desta indústria sanguinária.

 

Os portugueses já não querem que as touradas possam acontecer em Portugal e querem que Portugal seja um país onde os animais sejam bem tratados e mais fortemente protegidos.

 

Mas o Estado não tem reflectido isso através das suas decisões e a RTP, desde logo, tem tido um papel vergonhoso ao insistir em promover e difundir um espectáculo deplorável que devia ser já proibido e que, pelo menos, deveria estar completamente vedado de ser promovido ou difundido pelas estações de televisão.

 

Não é de todo aceitável que estas, particularmente a RTP, continuem a insistir no processo de dessentização que faz com que os portugueses ainda hoje não tenham tanta empatia para com os animais e os seus direitos quanta deviam ter.

 

Esta decisão judicial notável e absolutamente pioneira no mundo virou, agora, uma importante página da história da abolição das touradas e esperamos que a RTP e outras entidades retirem daqui as devidas conclusões".

 

O tribunal ordenou à RTP que se abstivesse "de transmitir no próximo dia 08 de Junho de 2008, pelas 17.00 horas, a 44.ª Corrida TV, a partir da Praça de Touros Celestino Graça, fora do período compreendido entre as 22.30 horas e as 06.00 horas, e sem a difusão permanente de um identificativo visual apropriado, a sinalizar tratar-se de um programa susceptível de influir de modo negativo na personalidade das crianças ou de adolescentes".

 

Como elemento de dissuasão, o tribunal condenou a RTP, "em caso de infracção do disposto [...] [na sentença], numa sanção pecuniária compulsória, de € 15.000,00 (quinze mil euros)", além de ter notificado a RTP do previsto no artigo 391.º do Código de Processo Civil, que estabelece que "incorre na pena do crime de desobediência qualificada todo aquele que infrinja a providência cautelar decretada".

 

Miguel Moutinho, Presidente da ANIMAL, afirmou que "neste momento, tanto quanto a ANIMAL conseguiu apurar, já não surge no site da RTP, em RTP.pt, qualquer referência, em termos de programação, à 44.ª Corrida TV. Acreditamos que a atitude certa que a RTP deveria tomar seria a de não voltar a emitir quaisquer touradas.

 

Trata-se de um espectáculo que foi considerado violento e

inadequado para crianças e adolescentes por um tribunal. Trata-se de uma actividade profundamente condenável que já não tem aceitação social em Portugal, mas colhe, isso, sim, repulsa e contestação. Trata-se de algo que representa o que há de pior na maneira como os humanos vêem e tratam os outros animais.

 

Fonte:

http://blogdosbichos.blogs.sapo.pt/887288.html

 

***

O que dizer depois disto?

 

- Primeiro, que a RTP não aprendeu nada com esta decisão histórica de um tribunal.

 

- Segundo, que o governo português também não aprendeu nada com os fundamentos que levaram este tribunal a proferir esta sentença.

 

- Terceiro, apresentar touradas nas televisões às cinco da tarde ou à meia-noite, para os aficionados, tanto faz: as crianças, filhas de aficionados, vêem as touradas nem que seja às quatro horas da manhã.

 

- Quarto, se VER touradas na televisão, é, segundo o parecer deste tribunal «susceptível de ter uma influência negativa e deseducativa na construção e no desenvolvimento da personalidade de crianças e adolescentes, transmitindo-lhes a mensagem de que torturar um animal é aceitável e normal» o que dizer quando numa escola pública o toureio É ENSINADO a crianças, algumas menores de seis anos, com bezerrinhos a SEREM TORTURADOS a cores e ao vivo, com instrumentos perfurantes?

 

O que terá a dizer a 12.ª Vara Cível de Lisboa – 1.ª Secção, a este respeito?

 

Em Portugal existirão LEIS que protegem as crianças do homem predador?

publicado por Isabel A. Ferreira às 19:32

link do post | Comentar | Ver comentários (3) | Adicionar aos favoritos
Terça-feira, 10 de Dezembro de 2013

TAURICIDAS, APRENDAM A SER HUMANOS COM ESTES SERES MAGNÍFICOS

 

 Ricardo Horta, deixou um comentário ao post TAURICIDAS, APRENDAM A SER HUMANOS COM ESTES SERES MAGNÍFICOS às 02:46, 2013-12-11.

Comentário:

Quer milhentos vídeos de afectuosidade entre humanos e entre estes e animais? E milhentos outros de animais, inclusivamente da mesma espécie, à bulha na mais pura selvajaria? Por favor...

 

***

 

Bem, estou ver que ao Ricardo Horta a pele de tauricida caiu-lhe que nem uma luva.

 

A afectuosidade entre humanos, e entre humanos e não humanos, e entre não humanos entre si EXISTE. Obviamente.

 

Mas a afectuosidade entre tauricidas e humanos e entre tauricidas e não humanos NÃO EXISTE. Decididamente.

 

Quanto à “bulha” entre animais não humanos da mesma espécie e à “mais pura selvajaria” também NÃO EXISTE.

 

Os seres não humanos não andam à “bulha” nem praticam a “mais pura selvajaria”. Isso são atributos APENAS dos HOMENS PREDADORES (as criaturas MAIS SELVAGENS, no mau sentido, que existem à face da Terra), como também são os TAURICIDAS.

 

Não projecte nos animais não humanos as DEFORMIDADES MENTAIS do homem predador.

 

O que acontece entre os animais não humanos faz parte da luta deles (que não é nada fácil, depois da chegada do dito homo) pela sobrevivência.

 

E o homem predador faz a guerra, por ambição, mata, tortura, sequestra e viola seres humanos e não humanos por PURO PRAZER, e destrói o meio ambiente por mera cegueira mental… não por instintos de sobrevivência.

 

Ricardo Horta, não meça a RACIONALIDADE dos seres não humanos, que não têm os meios que o HOMEM tem para sobreviver, pelo mesmo alqueire com que mede a IRRACIONALIDADE do HOMEM PREDADOR.

Os conceitos MUDARAM. O homem já não é mais o CENTRO DO MUNDO. Ele é apenas uma pequena partícula no imenso universo, e se ele (homem) desaparecesse, o mundo dos animais não humanos continuaria a desenvolver-se com uma tranquilidade que hoje o homem predador lhes nega, por mera estupidez.

 

O Planeta Terra já existiu sem o homem, e foi um paraíso durante milhares de anos.

 

Chegou o homem (não o primitivo que a esse devemos tudo o que hoje temos de bom) e desestabilizou a harmonia do Planeta. E hoje este corre risco de VIDA, não porque os seres não humanos andam à “bulha e na mais pura selvajaria” (no seu dizer), mas simplesmente porque quem anda à “bulha e na mais pura selvajaria” é o HOMEM PREDADOR, entre eles os tauricidas, quem NÃO RESPEITAM os outros seres vivos, que connosco PARTILHAM o Planeta, o mesmo Sol e a mesma Lua, as mesmas estrelas, e têm as mesmas necessidades, emoções e sentimentos que qualquer ser humano.

 

Sugiro que repense o seu lugar neste mundo, Ricardo Horta, e não se julgue um ser superior a estes dois animais não humanos que vê neste vídeo.

 

Porque SEGURAMENTE não é superior a eles.

 


publicado por Isabel A. Ferreira às 17:55

link do post | Comentar | Ver comentários (2) | Adicionar aos favoritos
Quinta-feira, 20 de Junho de 2013

A foto mais "gay" que o aficionado de Coruche, João Filipe, já viu de alguém de Coruche…

 

(A foto mais "gay" dos forcadinhos de Coruche foi retirada da Internet. Então? Não são capazes de assumir o que são e o que fazem porquê?)

 

João Filipe disse sobre OS FORCADINHOS DE CORUCHE A AFRONTAR O POVO COM DINHEIROS PÚBLICOS na Quarta-feira, 19 de Junho de 2013 às 23:44: 

 

Acho estranho uma pessoa que se intitula culta "moderna" civilizada...não entender o conceito de respeitar cada um e cada qual conforme o é...Eu sou aficionado...sim sou mesmo...embora condene claro eu estar a pagar para os meninos bem irem para o Canada terem experiencias gay para meter no Facebook ...Voltando ao tema...Conforme eu respeito quem não gosta de Touradas ou festa brava, acho que se deve respeitar quem gosta...seria discutir o sexo dos anjos...razões argumentos e tal e tal...para quê? Numa sociedade dita civilizada e que aqui é tão falada...respeito seja por quem for é uma das bases...liberdade de escolha é outra...ninguém obriga a ir ver uma corrida...não veja...acha que o touro isto e o touro aquilo? Pois pergunto e se na fosse a tourada...ficava melhor sabendo que uma raça de animal foi extinta?Tenha calma no que diz...Não é dona da razão...assim como eu não o sou...mas esta a perder toda ao baixar de nível um tema que poderia ser bastante interessante de debater...claro com pessoas cultas, civilizadas e que mm não aprovando respeitam a opinião de cada um! Quantos aos meninos na foto mais gay que já vi de alguém de Coruche.. epá ganhem juízo e vejam lá se acham justo que quem tem dificuldades ate para comer veja onde é "afogado" o dinheiro que é "roubado" em impostos e afins...Sendo meninos bem, deveriam ser os primeiros a recusar esse dinheiro dos contribuintes...muito de vós nunca contribuíram em nada para a sociedade, mas tenham valores...Ser forcado é bonito, é de valor...há a camaradagem e amizade dignas de grandes senhores.. SFF portem-se como tal! Mais uma vez digo que so escrevo uma opinião, não crendo criticar directamente seja quem for...e uma opinião vale pelo que vale! Sem mais os meus cumprimentos

 

***

João Filipe, vamos por partes:

 

Primeiro: eu não me intitulo de culta “moderna” civilizada. Modéstia à parte, eu sou culta, moderna e civilizada. E por o ser, NÃO, não entendo o conceito de respeitar alguém que tortura, por prazer mórbido e repugnante, um ser vivo já moribundo devido á tortura prévia que sofreu.

 

O João Filipe é um aficionado e diz que condena «estar a pagar para os meninos bem irem para o Canada terem experiências gay para meter no Facebook». (Repare que é o João Filipe que o diz, não sou eu.)

 

O que fez o João Filipe para repudiar esta situação ridícula? Escreveu-me a mim, a condenar-me por eu o ter feito...?  Boa!

 

Voltando ao tema... Conforme eu respeito quem não gosta de touradas ou festa brava, acho que se deve respeitar quem gosta...seria discutir o sexo dos anjos...razões argumentos e tal e tal...para quê?

 

Segundo: pela enésima vez: isto não tem nada a ver com gostos. Tem a ver com Ética, com Cultura Culta, com Evolução, com Bom Senso, com Moral, com Lucidez, com Racionalidade, tudo o que falta aos aficionados.

 

Não se trata de gostar mais de vinho ou de laranjada. O que está aqui em causa é a vida de um animal como eu, como o João Filipe, como todos os que se dizem "homens", o qual SOFRE da mesma forma que EU. E então EU tenho o DEVER de interferir, dando a minha voz a esses seres magníficos, que não têm voz para se defenderem dos seus CARRASCOS.

 

«Numa sociedade dita civilizada e que aqui é tão falada...respeito seja por quem for é uma das bases...liberdade de escolha é outra... ninguém obriga a ir ver uma corrida... não veja... acha que o touro isto e o touro aquilo? Pois pergunto e se na fosse a tourada...ficava melhor sabendo que uma raça de animal foi extinta?»

 

Terceiro: numa sociedade CIVILIZADA não há lugar para esta prática de broncos, isto é, não há lugar para a tauromaquia, seja em que modalidade for.

 

Por isso, o respeito por quem pratica algo tão bárbaro, não é para aqui chamado, bem como a liberdade de escolha. Escolha de quê? Da TORTURA? Não, ninguém tem essa liberdade.

 

E se eu fosse muito sádica, e gostasse de ver torturar o João Filipe? Teria essa LIBERDADE? Dava-me essa LIBERDADE?

 

Já neste Blogue se disse, mas pela enésima vez tornarei a dizer: mais depressa se extinguirá o HOMEM-PREDADOR do que os Touros quando a tourada for abolida. O que disse a esse respeito só mostra uma tremenda IGNORÂNCIA da sua parte. Aliás é o argumento mais frágil e estúpido que os aficionados têm para apresentar.

 

«Tenha calma no que diz...Não é dona da razão...assim como eu não o sou...mas esta a perder toda ao baixar de nível um tema que poderia ser bastante interessante de debater...claro com pessoas cultas, civilizadas e que mm não aprovando respeitam a opinião de cada um!»

 

Quarto: Tenho calma no que digo?  Não sou dona da razão? Este é um tema bastante interessante para discutir com pessoas “cultas e civilizadas”como os aficionados…? Isto é para rir ou para chorar, João Filipe? Ou será uma anedota de mau gosto?

 

«Quantos aos meninos na foto mais gay que já vi de alguém de Coruche, epá ganhem juízo e vejam lá se acham justo que quem tem dificuldades ate para comer veja onde é "afogado" o dinheiro que é "roubado" em impostos e afins... Sendo meninos bem, deveriam ser os primeiros a recusar esse dinheiro dos contribuintes...muito de vós nunca contribuíram em nada para a sociedade, mas tenham valores... Ser forcado é bonito, é de valor...há a camaradagem e amizade dignas de grandes senhores. SFF portem-se como tal! Mais uma vez digo que so escrevo uma opinião, não crendo criticar directamente seja quem for...e uma opinião vale pelo que vale! Sem mais os meus cumprimentos»

 

Quinto: gostei da última parte do seu comentário. Tirando aquela de «ser forcado é bonito e de valor” (pois se não passam de uns cobardolas dos maiores, e é uma das coisas mais ridículas de uma tourada!), o resto poderia até ter sido escrito por mim.

 

Mas não. Foi escrito por um coruchense que conhecerá bem melhor os forcadinhos de Coruche, do que eu,  e se o João Filipe diz que: «Quanto aos meninos na foto mais gay que já vi de alguém de Coruche…» bem lá terá as suas razões para dizer o que diz…

 

Eu estou  aqui, no meu canto, muito caladinha…

 

Isabel A. Ferreira

 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 16:13

link do post | Comentar | Ver comentários (2) | Adicionar aos favoritos
Quarta-feira, 29 de Maio de 2013

TODA A VIDA ESTÁ RELACIONADA. RESPEITA-A! RESPEITA-TE!

  

Esta é para todos os governantes portugueses (incluindo a Igreja Católica) que no Parlamento e nas autarquias e nos altares dos templos teimam em manter a ignorância e a estupidez activas, ao apoiarem a carnificina de animais não humanos em todas as modalidades carniceiras que o homem predador criou para satisfazer o seu ego sádico.

 

Obrigatório ver.

 

 

Quem não demonstrar respeito até pelo menor ser da criação, seja animal ou vegetal, não demonstra respeito por si próprio.

Temos todos a mesma Mãe Vida.

 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 16:28

link do post | Comentar | Ver comentários (2) | Adicionar aos favoritos
Quinta-feira, 4 de Outubro de 2012

O ANO DE 2013 SERÁ O ANO DO FIM DOS RITUAIS TAUROMÁQUICOS EM TODO O MUNDO, E DA LIBERTAÇÃO DE TODOS OS ANIMAIS NÃO HUMANOS NO PLANETA

 

 

 

 

 

4 de Outubro de 2012.

 

Em todo o mundo, hoje, comemora-se o Dia Mundial do Animal.

 

Não é por acaso, que o escolhemos para darmos uma notícia que revolucionará a relação humana/não humana.

 

É a nossa prenda para todos os Animais Não Humanos que sofrem às mãos do homem predador.

 

Já é certo. Já é mais do que seguro.

 

Já é palpável.

 

Já quase podemos vislumbrar... num horizonte que se aproxima a grande velocidade...

 

O contraveneno, que aniquilará esta praga que uns poucos países ainda teimam em manter, com base em interesses económicos obscuros e sórdidos, está a ser preparado meticulosamente para não haver qualquer falha no processo de destruição definitiva desta execração, que contamina a Humanidade, e não é digna do Ser Humano.

 

E no dia marcado (que já está marcado) o mundo será surpreendido por algo inesperado, que fará com que Portugal, Espanha, França (os três tristes países terceiromundistas da Europa) e Venezuela, Colômbia, México, Peru e Guatemala (os atrasos de vida da América Latina), e alguns outros países onde os animais são utilizados como diversão, países esses que devem alguns milhares de Euros à Evolução, sejam obrigados a abolir tal prática, uma vez que não tendo os seus governantes competência intelectual para concluírem por si próprios o quão perverso é este ritual sádico, indigno de sociedades evoluídas, para aboli-lo voluntariamente, terão de passar pela vergonha que os espera, diante do mundo inteiro.

 

E nada, mesmo nada, nada conseguirá travar esta engrenagem que já está a revolutear, imparável, algures no nosso Planeta...

 

E não pensem os tauricidas que podem levar a cabo qualquer manobra de travagem do processo, porque não terão como travá-lo, pois se desconhecem, por completo onde, como e o quê está a engendrar-se... (e ficarão nessas trevas até que o acto seja consumado).

 

Só Deus conseguiria travá-lo, mas Ele, como sabemos, nunca se envolve no que os homens, a quem deu o livre arbítrio, se metem a fazer.

 

E, por enquanto, isto é tudo o que estamos autorizados a tornar público, e vem no seguimento do que lemos a propósito de umas certas intenções, que não passam disso mesmo, até porque são aldrabices de aficionados, que, coitados, estando a ver o barco a afundar-se tentam desesperadamente agarrar-se a bolhas de ar, pensando que são bóias de salvação.

 

 Isabel A. Ferreira

 

 

http://www.iwab.org/intropor.html

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 10:27

link do post | Comentar | Ver comentários (19) | Adicionar aos favoritos
Sexta-feira, 2 de Dezembro de 2011

OS BONS SELVAGENS...

 

 

 

 

 

Ser SELVAGEM é não ter os vícios do HOMEM PREDADOR.

 

Logo ser SELVAGEM é ser humano.

 

O homem predador não é humano.

 

É um monstro que anda neste mundo, à deriva, a espalhar o fel que lhe sai pelas narinas como um jorro de ignorância.

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 15:09

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Domingo, 13 de Novembro de 2011

A CRUELDADE

 

 

 

Compara-se muitas vezes a crueldade do homem à dos animais da selva, mas isso é um insulto aos animais da selva, porque estes não são cruéis. Não matam apenas por matar, nem para se divertirem, mas tão-só para subsistirem. Além disso atacam a sua vítima certeiramente e são rápidos no golpe para não lhe infligirem sofrimento algum.

 

A crueldade é uma invenção única do homem predador.

publicado por Isabel A. Ferreira às 14:56

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Mais sobre mim

Pesquisar neste blog

 

Julho 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Posts recentes

O homem-predador está ao ...

PLANETA TERRA EM ALERTA V...

O MUNDO ESTÁ DE LUTO

DIA HISTÓRICO: CAVALOS QU...

QUANTA DIFERENÇA ENTRE A ...

QUEM NOS DERA QUE O HOMEM...

O homem-predador está ao ...

QUANTA DESNECESSÁRIA CRUE...

UM CRIME COMETIDO NO SANT...

SE O TOURO FOSSE CRUEL CO...

Arquivos

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Direitos

© Todos os direitos reservados Os textos publicados neste blogue têm © A autora agradece a todos os que os divulgarem que indiquem, por favor, a fonte e os links dos mesmos. Obrigada.
RSS

Acordo Ortográfico

Em defesa da Língua Portuguesa, a autora deste Blogue não adopta o Acordo Ortográfico de 1990, devido a este ser inconstitucional, linguisticamente inconsistente, estruturalmente incongruente, para além de, comprovadamente, ser causa de uma crescente e perniciosa iliteracia em publicações oficiais e privadas, nas escolas, nos órgãos de comunicação social, na população em geral, e por estar a criar uma geração de analfabetos escolarizados e funcionais.

Comentários

Este Blogue aceita comentários de todas as pessoas, e os comentários serão publicados desde que seja claro que a pessoa que comentou interpretou correctamente o conteúdo da publicação. Serão eliminados os comentários que contenham linguagem ordinária e insultos, ou de conteúdo racista e xenófobo. Em resumo: comente com educação, atendendo ao conteúdo da publicação, para que o seu comentário seja mantido.

Contacto

isabelferreira@net.sapo.pt