Domingo, 11 de Março de 2012

VOZ DO CIDADÃO SOBRE A TRANSMISSÃO DAS TOURADAS PELA RTP – UM PROGRAMA QUE PATROCINOU A TORTURA DOS TOUROS E DOS CAVALOS

 

 

 

É este espectáculo que a RTP faz questão de transmitir, passando uma imagem de tortura, sofrimento e dor, fomentando a violência em mentes pouco evoluídas, que não sabem discernir entre a realidade e a virtualidade.

 

 

O programa foi nitidamente faccioso, tendo como pano de fundo a fatiota de um torturador de Touros, coisa de muito mau gosto.

 

Depois foram entrevistados mais prós do que antis. A aficionada, Gabriela Canavilhas esteve, como sempre, no seu pior. O Maestro Vitorino de Almeida poderia ter sido mais consistente nas suas ideias, mas disse demasiados "mas"...

 

O Senhor Provedor, no final, deu o recado que o mandaram dar, não se pronunciando ele próprio, sobre o assunto, com a desculpa de não ter conseguido juntar elementos suficientes para mais...

 

Então a RTP continuará a transmitir a tortura de Touros e Cavalos. Recomendou um pouco menos, para dar espaço a outros programas televisivos, talvez teatro, bailado, concertos... espectáculos menores à beira da Tortura de Touros e Cavalos... Enfim... É o que temos. Não dá para mais...

 

Na realidade a tourada é um serviço público de EXCELÊNCIA.

 

O programa começou com imagens de tourada, e com uma torturadora a benzer-se, várias vezes, como se Deus estivesse do lado de quem tortura as suas criaturas!

 

Tirando um senhor e uma professora de nome Silvana Costa, que falou muito claramente o que pensava sobre a violência da tourada, que não pode ser coisa pública, pois estamos a falar de um espectáculo real, e não virtual; o empresário esteve a puxar a brasa para a sua sardinha; e um outro a dizer que a tourada faz parte do serviço público, e que se devia mostrar também a forma como os Touros são criados.

 

Ora para quê? Nós sabemos que os Touros são muito bem tratados. Os veterinários/carniceiros andam sempre à roda deles, para que nada lhes falte. Pois um Touro vale muito dinheiro. Além disso é muito AMADO, tão amado que quando “está no ponto” é levado à força para uma arena, para ser sacrificado às mãos de quem o ama com um amor diabólico.

 

Um outro foi dizer que as filhas vão ver touradas e nunca precisaram de psiquiatra, depois vão vê-los no campo, com a Natureza, e é isso que deve ensinar-se às crianças. Pode torturar-se os animais, porque eles são muito bem tratados no campo. Diz-se isto às meninas e elas crescem a pensar que a “tortura” é uma coisa normal e boa para os animais. Depois ficam como a Gabriela Canavilhas: tontinhas.

 

A seguir a estas entrevistas veio o depoimento da senhora angolana que viveu nos Açores e é pianista (desconhecia que era angolana e viveu nos Açores, e isto diz-me alguma coisa) de nome Gabriela Canavilhas, com o seu ar de grandes artes, mas ainda não foi desta vez que conseguiu sair-se bem. Começou por ser igual a si própria: não conseguiu assumir-se como aficionada, nem responder à pergunta crucial do Senhor Provedor, em relação à citação de Gandhi:«a grandeza de uma nação pode ser julgada pelo modo como os seus animais são tratados». O que tinha a dizer sobre esta ideia?A senhora Canavilhas respondeu com: não sou aficionada...

 

Não? Então tem vergonha fr assumir-se publicamente? Quando todos nós sabemos que é uma acérrima aficionada? Porquê?

 

Além de não responder à questão do Gandhi, não conseguiu dizer a palavra “tourada”, chamou-lhe “prática da tauromaquia” e “festa brava”, pela qual tem muito respeito. Sim, a tortura de Touros e Cavalos é algo que merece muito respeito. Atenção!

 

E ela, como “agente da cultura” deve respeitar todas as expressões culturais, pondo ao mesmo nível da tauromaquia, os grupos folclóricos e a gastronomia. Isto é tudo cultura portuguesa.

 

As artes tauromáquicas, segundo a aficionada Canavilhas, são legítimas. A lei permite. E o que está na Lei é para se cumprir. Será?

 

É por isso que em Portugal não se faz justiça: cumprem-se leis caducas, injustas, inadequadas e mal amanhadas. E a justiça que se lixe!

 

Falou também o Hugo Andrade (o coordenador de programas) que é neutro. Respeita os anti (a defesa dos animais), respeita os pró (a tortura dos animais), e assim desrespeita, por completo, os Touros e Cavalos.

 

Ser neutro é ser indiferente. E ser indiferente nunca fez evoluir a humanidade.

 

Segundo o Hugo Andrade, as touradas devem ser transmitidas com todos os seus pormenores, para ENRIQUECER o espectáculo televisivo, e a tourada promovida pela Casa do Pessoal da RTP não é uma iniciativa da RTP. Atenção! Como se o pessoal da RTP não pertencesse à RTP, mas talvez à TVI, não?

 

Veio a seguir o Maestro Vitorino de Almeida, apesar de ter dito algumas coisas bem ditas, não esteve no seu melhor. Ele não gosta de touradas, mas...

 

Titubeou demasiado.

 

Disse que torturar os nossos irmãos vivos na tourada não é das coisas piores que se fazem aos animais. É contra a Tourada à Portuguesa, que é de uma violência atroz, então o arrancar das bandarilhas (com o animal ainda vivo) é uma coisa que não tem nome, é uma selvajaria!

 

Não nega que a tauromaquia é uma “arte”. Mas não disse de quê. Mas toda a gente sabe que a tauromaquia é covardia, é a arte da tortura. Sim. Não sei se foi isso a que o Maestro se quis referir, quando falou em “arte”. Não foi muito explícito.

 

Quanto à transmissão das touradas na RTP, não acha bem, mas fingir que ela não existe... Bem, ele muda de canal, por isso... ficámos sem saber o que pensa.

 

Eu também mudo de canal, aliás, mas penso que a tourada, por ser um espectáculo onde um animal é torturado AO VIVO, não devia ser transmitido, em hipótese nenhuma. Isso é fomentar a violência em mentes pouco evoluídas, que não sabem discernir entre a realidade e a virtualidade.

 

Por fim, o Senhor Provedor deu o veredicto: gostaria de ter tido outros elementos para se pronunciar sobre esta questão, mas não conseguiu, por isso, não ia defender o fim da transmissão da tourada na RTP, até porque no nosso país a tourada é um espectáculo legal e nos últimos anos as audiências aumentaram.

 

Bem, primeiro se não conseguiu os elementos de que precisava, ia procurar conseguir e depois fazia o programa; segundo, no nosso país a tortura de animais é legal, porque o Touro e o Cavalo não são considerados animais, mas simplesmente “excepções”, uma espécie que não vem em nenhum livro de Biologia. Só existe na legislação portuguesa.

 

Assim ficámos com a noção de que o Senhor Provedor é nitidamente a favor da tourada, por isso esteve tão caladinho até agora, e nunca respondeu às nossas solicitações.

 

Disse também que as sociedades modernas não convivem bem com as proibições...

 

Que proibições, Senhor Provedor?

 

Se eu vou numa estrada, e encontro um sinal de sentido proibido, como não convivo bem com as proibições, vou adiante, e marimbo-me para o sinal. Pode ser, não pode?

 

Aqui não se trata de proibir ou permitir coisa alguma.

 

Aqui trata-se simplesmente de não transmitir touradas na RTP. É só uma questão de discernimento. Não de proibição. Não será proibido torturar? Matar? Roubar?

 

Já entendo por que há tantos crimes em Portugal; porque a sociedade moderna não convive bem com a proibição...

 

E não se fique a pensar que em Portugal há muitos milhares de aficionados, como disse a aficionada senhora Canavilhas. Não é isso que demonstra a prática. Os aficionados são, cada vez mais, uma minoria.

 

Esta é que é a verdade.

 

Até a senhora Canavilhas tem vergonha de dizer em público que é AFICIONADA. Não devia. Pois se a tortura de Touros e Cavalos é uma arte maior e faz parte da cultura portuguesa, como ela defende...

Portugal está sob o efeito de uma a droga que tem esta sigla $$$$$$$$...

 

Quem pretender seguir o que se passou neste programa da Voz do Cidadão, basta ir ao seguinte link:

 

http://www.rtp.pt/programas-rtp/index.php?p_id=27812&e_id&c_id=6&dif=tv

 

Isabel A. Ferreira

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 18:04

link do post | Comentar | Ver comentários (2) | Adicionar aos favoritos

Mais sobre mim

Pesquisar neste blog

 

Fevereiro 2024

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
17
18
19
21
22
23
25
26
27
28
29

Posts recentes

AUTÁRQUICAS 2017

AFICIONADO DE TOURADA NOM...

FOI PIOR A EMENDA DO QUE ...

Carta Aberta a uma profe...

LINGUAGEM DE UMA “PROFESS...

DIZEM QUE A CORDA É O ACE...

O QUE SÃO 8.600 TAURICIDA...

A PRÓTOIRO "GARANTE" QUE ...

«Eles pavoneiam-se cobar...

Não sei se hei-de rir, se...

Arquivos

Fevereiro 2024

Janeiro 2024

Dezembro 2023

Novembro 2023

Outubro 2023

Setembro 2023

Agosto 2023

Julho 2023

Junho 2023

Maio 2023

Abril 2023

Março 2023

Fevereiro 2023

Janeiro 2023

Dezembro 2022

Novembro 2022

Outubro 2022

Setembro 2022

Agosto 2022

Junho 2022

Maio 2022

Abril 2022

Março 2022

Fevereiro 2022

Janeiro 2022

Dezembro 2021

Novembro 2021

Outubro 2021

Setembro 2021

Agosto 2021

Julho 2021

Junho 2021

Maio 2021

Abril 2021

Março 2021

Fevereiro 2021

Janeiro 2021

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Direitos

© Todos os direitos reservados Os textos publicados neste blogue têm © A autora agradece a todos os que os divulgarem que indiquem, por favor, a fonte e os links dos mesmos. Obrigada.
RSS

AO90

Em defesa da Língua Portuguesa, a autora deste Blogue não adopta o Acordo Ortográfico de 1990, nem publica textos acordizados, devido a este ser ilegal e inconstitucional, linguisticamente inconsistente, estruturalmente incongruente, para além de, comprovadamente, ser causa de uma crescente e perniciosa iliteracia em publicações oficiais e privadas, nas escolas, nos órgãos de comunicação social, na população em geral, e por estar a criar uma geração de analfabetos escolarizados e funcionais. Caso os textos a publicar estejam escritos em Português híbrido, «O Lugar da Língua Portuguesa» acciona a correcção automática.

Comentários

Este Blogue aceita comentários de todas as pessoas, e os comentários serão publicados desde que seja claro que a pessoa que comentou interpretou correctamente o conteúdo da publicação. 1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome. 2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas". 3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias. Serão eliminados os comentários que contenham linguagem ordinária e insultos, ou de conteúdo racista e xenófobo. Em resumo: comente com educação, atendendo ao conteúdo da publicação, para que o seu comentário seja mantido.

Contacto

isabelferreira@net.sapo.pt