Segunda-feira, 9 de Janeiro de 2012

"prótoiro" - finalmente os rostos da festa macabra

 

 

O estado-maior da federação "prótoiro" - De pé, da esquerda para a direita: Carlos Ramalhinho, Helder Milheiro, José do Carmo Reis, Costa Monteiro, Arlindo Telles e José Potier; sentados: Nuno Pardal representando a Associação Nacional de Toureiros, ex-Sindicato), Paulo Pessoa de Carvalho e  João Santos Andrade

 

Informação pública

 

Para que todos vós os conheçam, apresento o post publicado no Farpas Blogue, que se auto-designa como «Líder da informação taurina na Internet!».

 

Finalmente a PróToiro, Federação Portuguesa das Federações Taurinas, mostrou as caras e os nomes que dirigem esta plataforma defensora da tauromaquia e de todos os espectáculos e diversões com touros.

 

A Direcção da "PróToiro" - Federação Portuguesa das Associações Taurinas - nomeou ontem, dia 8 de Janeiro, uma Comissão Executiva que será composta pelos aficionados Diogo Costa Monteiro, advogado e até à data Secretário-Geral desta Federação, José do Carmo Reis, empresário agrícola e Hélder Carvalho Milheiro, gestor de recursos humanos, nos quais deposita toda a sua confiança e aos quais manifesta desde já todo o seu apoio. As funções da Comissão Executiva não serão remuneradas.

Carlos Ramalhinho, antigo forcado dos Amadores de Lisboa, desempenhará as funções de Assistente Executivo da referida Comissão.

"No seguimento do trabalho já realizado, a Comissão Executiva desenvolverá a sua acção no âmbito da promoção, divulgação e defesa da Tauromaquia, com o objectivo de preservar a Cultura, a Identidade e a Liberdade de todos os Portugueses
(*). Nenhum aficionado está dispensado de ser embaixador da Festa. Juntos somos mais fortes!" - sublinha-se em comunicado da Federação.

 

A Direcção da "PróToiro", recorde-se, é formada por João Ribeiro Telles (Presidente da Associação Nacional de Toureiros), Paulo Pessoa de Carvalho (Presidente da Associação Portuguesa de Empresários Tauromáquicos), José Fernando Potier (Presidente da Associação Nacional de Grupos de Forcados), Arlindo Teles (Presidente da Tertúlia Tauromáquica Terceirense) e João Santos Andrade (Presidente da Associação Portuguesa de Criadores de Toiros de Lide).

(*) Cultura, a Identidade e a Liberdade de todos os Portugueses???? Nem cultura, nem identidade, nem liberdade e muito menos de TODOS os Portugueses. Esta gente não tem discernimento para avaliar o que é cultura, identidade e liberdade. Vive num mundinho fechado, a cheirar a bosta, a urina, a álcoo, ao mofo de um passado dominados por trevas profundas, e acha que faz parte da sociedade moderna. 

 ***

Leio que esta Comissão tem por objectivo promover, divulgar e defender a Tauromaquia, no sentido de PRESERVAR, notem bem: a "cultura". E coisa espantosa: a identidade e a liberdade de TODOS os Portugueses!!!

Isto é de quem não faz a mínima ideia do que está a dizer. Também não admira, uma vez que a cegueira mental não os deixa ver nada à frente senão Touros para serem torturados e satisfazerem-lhes o instinto sádico que lhes queima as entranhas. Um negócio que enche os bolsos de uma minoria protegida pelo Estado português.

 

Francamente, CULTURA????

 

Bem, será com toda a certeza a cultura da estupidez, no seu grau mais refinado. Que também a há, por aí, mais do que aquilo que possamos imaginar, e que é nossa obrigação combater, para que Portugal não se torne na cloaca da Europa e do mundo.

 

Identidade e liberdade de TODOS os Portugueses?  

 

O que é isto???? Falam em nome de quem? Que disparate é este? Que despropósito, para não lhe chamar outras coisas piores...?

 

Tenham vergonha nessa cara que mostram aos Portugueses.

 

Sabem perfeitamente que apenas um punhadito de aficionados (20% dos Portugueses) se IDENTIFICA com esta selvajaria. Felizmente uma percentagenzinha tão insignificante da população portuguesa, que a única coisa que tem é poder económico, graças aos dinheiros públicos desviados do que é essencial para a sociedade: sáude, ensino, educação, CULTURA...

 

Liberdade? Que liberdade? A de torturar seres vivos em nome do vil metal e da vil diversão de sádicos?

 

Não têm esse direito.

Isso não é Liberdade.
Isso é castração mental.

 

Baseiam-se numa lei estúpida, que não considera os bovinos e os cavalos animais? Pois bem, se é estúpida não temos a obrigação de a respeitar. Eu não respeito leis PARVAS. Também não respeito os PARVOS. Não sou obrigada.

 

TODOS os Portugueses? TODOS? Isto é uma anedota? Ou uma idiotice?

 

Quando se sabe que a esmagadora maioria dos Portugueses é contra a selvajaria tauromáquica,  não se revendo nessa falta de lucidez e de inteligência, que conduz ao sacrifício inútil e macabro de um ser vivo biologicamente igual aos eu torturador.  

Que falta de conhecimentos de Biologia, de Zoologia, de Antropologia...

 

«Juntos somos mais fortes» - dizem vocês.

 

Ainda não se deram conta de que estão cada vez mais fracos, cada vez mais isolados, cada vez mais desacreditados, cada vez mais marginalizados, cada vez mais em vias de extinção?

 

ACORDEM para a realidade do Século XXI, depois de Cristo, onde não tem mais cabimento essa desordem mental que é torturar um Touro numa arena cada vez mais vazia. E vocês sabem disso. Não adianta negar. Não adianta mentirem a vós próprios. Os números falam por vós!

 

Respeitem os Touros.

Respeitem a inteligência dos Portugueses.

Respeitema  VIDA.

Respeitem-se a vós próprios, se querem ser respeitados.

EVOLUAM!

 

Isabel A. Ferreira

 

***

 

Para memória futura e para que conste no Livro Negro da Tauromaquia:

Aqui deixo o testemunho do medo dos aficionados e de como o insulto é o maior argumento deles para "defender" o indefensável.  

É esta a "coltura" da ordinarice que o Estado Português promove.
Venham mais destas, porque só abonam a favor da causa da abolição das touradas.

Vejam aqui:

http://arcodealmedina.blogs.sapo.pt/358058.html

 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 11:32

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Comentários:
De Pedro a 11 de Janeiro de 2012 às 11:36
Tanto ódio....não lhe fica bem.
Vá a www.zoomarine.pt e desanque quem está a aprisionar os pobres dos golfinhos, cobrando muito dinheiro. Pior do que isso: estão a educar as nossas crianças a fazer o mesmo.
ABAIXO O ZOOMARINE (quereo vê-la com a mesma energia que se debate contra os toiros, a ser contra o Zoomarine).
De Isabel A. Ferreira a 11 de Janeiro de 2012 às 14:30
ÓDIO, Pedro? ODIO?...

Não sabe ler os sentimentos, Pedro. O que sinto por esses individuos não é ÓDIO (isso é um sentimento demasiado baixo. Ódio sente um torturador de Touros pelo Touro, quando está a torturá-lo cruelmente..

O que sinto é simplesmente DESCONSIDERAÇÃO. Não lhes quero mal algum, mas não tenho qualquer consideração por eles, nem lhes devo qualquer respeito. Não sou obrigada a isso.

Quem quer ser respeitado, deve respeitar-se, primeiro a si próprio (o que não é o caso deles) e segundo respeitar o OUTRO, seja quem for esse outro (o que também não é o caso deles). Então que consideração hão-de merecer da minha parte?

Quanto ao ZOOMARINE nunca visitei tal lugar. Não sei se lá torturam os animais. Preciso VER, para poder pronunciar-me.

Luto pelos Tpuros e Cavalos com toda aminmha enerfgia, porque já VI massacrá-los numa arena. Uma vez. A primeira e a última. Por isso, sei do que falo.

Quando visitar o ZOOMARINE dir-lhe-ei o que penso. Mas se é um lugar de TORTURA, já sabe a minha opinião.

Como vê, Pedro, continuo a deixá-lo expressar as suas ideias, se bem que meio venenosas.
De João a 14 de Abril de 2012 às 10:39
Isabel, parabéns pela sua frontalidade. Assumiu a exposição de algo que está mal na sociedade portuguesa e só temos a agradecer. Continue nessa luta com a mesma força e determinação. O facto de o fazer não implíca que tenha que comprar todas as lutas com tudo o que está mal na sociedade. Ninguém pode estar em todo o lado da mesma forma.
Se o Pedro sente essa revolta contra o Zoomarine, pois siga nessa sua luta e enfrente o que tiver que enfrentar, não delegue nos outros as suas vontades. Tenha a coragem de seguir o que sente e de enfrentar os obstáculos que lhe surjam no caminho. Tem o exemplo da Isabel, aprenda alguma coisa com ela em vez de a críticar.
De Isabel A. Ferreira a 14 de Abril de 2012 às 13:47
Obrigada, João, pela gentileza das suas palavras.

O mal de muitas pessoas, é que se revoltam com determinadas coisas, mas depois não têm coragem de assumir uma luta, de dar a cara, de expor-se publicamente por uma causa. E criticam quem se indigna, mas grita alto a sua indignação.
De Pedro Oliveira a 5 de Maio de 2012 às 21:45
Eu que não ando em lutas, verifico aqui o seguinte:

A Isabel lança um ataque, em letras garrafais, com adjectivações carregadas e contra outros.

Evidentemente que tal empenho é em benefício dos animais (segundo a interpretação que a Isabel julgará, e que certamente é diferente de milhões de pessoas ao longo da história deste país) é estranhado pelo Pedro e por muitas pessoas por ser selectivo. Tal comportamento, segundo o entendimento geral e o entendimento científico (psicologia) leva a crer que o motor de tal atitude é mais de ordem emotiva.

Ainda há dias ouvi vários atacantes das touradas que, por serem atacantes, vestiram-se logo com as cores de "amigos dos animais". Contudo, à medida que a conversa foi chegando ao fim, e que foram vendo a cegueira onde andavam metidos, foram-se resignando. Ora, esses jovens apenas se tinham limitado a reagir (sentimentalmente) e nunca se deram ao trabalho de se tranquilizar, conhecer, aprofundar, ouvir, pensar... Por isso é tão fácil ser anti-touro (anti-tourada) num mundo que não conhece, sobretudo aqueles que menos conhecem do assunto, e que usam os meios mediáticos e de apelo directo ao sentimento, o chavão, a ofensa, e o espírito revoltoso, para ganharem espaço. Ora, como bem sabemos, os bem pensantes são sempre uma minoria...

Acho que por algum motivo os anti-touros (anti-touradas) preferem a campanha de rua e fogem ao estudo franco do caso.

Trata-se de uma revolução de uma minoria que por meio do terrorismo sentimental ganhou espaço e usa os animais contra os homens criadores de animais.
De Isabel A. Ferreira a 6 de Maio de 2012 às 14:45
Eu que não ando em lutas, verifico aqui o seguinte: A Isabel lança um ataque, em letras garrafais, com adjectivações carregadas e contra outros.

***
Primeiro, a Isabel não lança um ataque. A Isabel baseia-se na ÉTICA, na CULTURA CULTA, NA CIVILIZAÇÃO, NA EVOLUÇÃO, NO BOM SENSO, NA LUCIDEZ, NO RACIOCÍNIO, NA SENSATEZ, na CIÊNCIA e na SENSIBILIDADE para COMBATER a TORTURA de seres vivos, em pleno século de todas as evoluções, excepto das mentalidades que ainda estão apegadas a um passado bolorento.

***
Evidentemente que tal empenho é em benefício dos animais (segundo a interpretação que a Isabel julgará, e que certamente é diferente de milhões de pessoas ao longo da história deste país) é estranhado pelo Pedro e por muitas pessoas por ser selectivo.
***
Obviamente que o nosso empenho (E quando digo nosso é a esmagadora maioria dos portugueses, vocês são uma minoria insignificante – está comprovado) é em benefício de ANIMAIS NÃO HUMANOS INDEFESOS E INOCENTES contra o HOMEM PREDADOR, que em nome do LUCRO e unicamente em nome do LUCRO, os TORTURA.
***
Tal comportamento, segundo o entendimento geral e o entendimento científico (psicologia) leva a crer que o motor de tal atitude é mais de ordem emotiva. Ainda há dias ouvi vários atacantes das touradas que, por serem atacantes, vestiram-se logo com as cores de "amigos dos animais". Contudo, à medida que a conversa foi chegando ao fim, e que foram vendo a cegueira onde andavam metidos, foram-se resignando. Ora, esses jovens apenas se tinham limitado a reagir (sentimentalmente) e nunca se deram ao trabalho de se tranquilizar, conhecer, aprofundar, ouvir, pensar...
***
Tal comportamento (o nosso, os da linha da frente, não os da linha de trás) segundo a psicologia, não é de alguém que tem um desvio comportamental. Ao contrário dos que TORTURAM TOUROS que além de terem desvios comportamentais, são SÁDICOS e muito provavelmente (está a estudar-se o assunto) NECRÓFILOS.

***
Por isso é tão fácil ser anti-touro (anti-tourada) num mundo que não conhece, sobretudo aqueles que menos conhecem do assunto, e que usam os meios mediáticos e de apelo directo ao sentimento, o chavão, a ofensa, e o espírito revoltoso, para ganharem espaço. Ora, como bem sabemos, os bem pensantes são sempre uma minoria... Acho que por algum motivo os anti-touros (anti-touradas) preferem a campanha de rua e fogem ao estudo franco do caso. Trata-se de uma revolução de uma minoria que por meio do terrorismo sentimental ganhou espaço e usa os animais contra os homens criadores de animais.
***
SIM, é fácil ser CONTRA A TORTURA DE TOUROS, não pelos motivos bacocos que refere, pois TODOS NÓS SABEMOS MUITO BEM o que é um Touro, o que acontece ao Touro ANTES da lide, durante a lide e depois da lide, e como os que CRIAM TOUROS ENCHEM OS BOLSOS.
E se alguém aqui é TERRORISTA são vocês, os TORCIONÁRIOS. Nós não torturamos ninguém.
NÓS SÓ DEFENDEMOS OS DESVENTURADOS TOUROS E CAVALOS QUE CAEM NAS MÃOS DOS SEUS PIORES INIMIGOS: CRIATURAS PREDADORAS.

Venham mais destes comentários, pois só dizem da vossa insciência, o que é bastante bom para a Causa da Abolição das Touradas.
De Maria Carmo a 17 de Maio de 2012 às 22:13
Cara Isabel Ferreira,

Vim ter ao seu blogue através de um link publicado no facebook de uma entidade anti-touradas a que aderi.
Não vou comentar sobre o que escreveu porque é totalmente de acordo com o que penso, só lhe deixo aqui a memória da frase do texto de defesa da tourada que este grupo? entregou no Parlamento.
É a última frase do 1º parágrafo do tão importante documento: "Assim, ao destruirem a Tauromaquia, destroem um simbolo da superioridade da humanidade sobre a animalidade."
A animalidade, sim, mas de quem tem como divertimento o sofrimento e o sangue enquanto aplaudem de longe.

Cmps.
De Isabel A. Ferreira a 18 de Maio de 2012 às 09:12
Obrigada, Maria Carmo.
Realmente esta é uma frase bombástica, daquelas que, só por ela, se vê realmente de que lado está a animalidade: se da parte do Touro, se da parte dos seus torturadores.
De Kurcudilo a 14 de Agosto de 2012 às 14:31
Eu não gosto da festa brava e como tal não vejo. Contudo, custa-me a aceitar que o único cornudo que é mesmo obrigado a participar numa tourada, que não é pago e ainda por cima é bandarilhado, etc,etc, seja o touro...
De Isabel A. Ferreira a 14 de Agosto de 2012 às 18:07
O Touro, numa tourada, é o único ser que tem DIGNIDADE. O resto é escumalha: desde os que organizam, aos que toureiam, aos que aplaudem, aos que patrocinam e aos que apoiam.
De Sérgio Sabino a 16 de Agosto de 2012 às 11:06
Isabel A. Ferreira, respeito a sua opinião, pois nem todos gostamos das mesmas coisa e é isso que nos faz ser diversificados e o mundo continua a evoluir, porque se todos pensassem da mesma maneira, por certo já nem vida existiria.
Agora deixe-me só fazer um reparo neste seu blogue, porque é que você não se dedica mais e não entrega essa sua força a denunciar os políticos corruptos que temos neste país, políticos esses que destruíram as infra-estruturas do mesmo, que nos levou à grave/miserável situação em que chagamos...por ventura até faz parte de algum partido e certamente é um cidadã obediente e vota sempre que lhe dão ordem, arranje outro "entretêm" para ganhar protagonismo, pois para este lugar já existem demais.
Cordiais cumprimentos
De Isabel A. Ferreira a 16 de Agosto de 2012 às 15:58
A MINHA RESPOSTA AO SÉRGIO SABINO ESTÁ NESTE LINK:

http://arcodealmedina.blogs.sapo.pt/148051.html
De Carlos Rodrigues a 16 de Agosto de 2012 às 17:59
Há várias razões para ser antitouradas ou qualquer outra forma de tortura sobre animais ou sobre pessoas (que afinal todos somos animais e partilhamos mais de 97% de ADN).
1- Do ponto de vista Cristão não se deve fazer aos outros o que não queremos para nós. Assim, só podemos matar animais para alimentação, com o menor sofrimento possível, e nunca para diversão sanguinária. Quem não percebe isto, não se pode considerar um espírito superior, com uma ética e moral elevadas, ou ir a Fátima ou adorar a Deus - não faz sentido e é uma fraude religiosa. E se é agnóstico ou ateu, continua a prevalecer a questão ética.
2- Uma questão de tecnologia. Nós torturamos o touro ou caçamos por prazer porque sabemos fabricar aço. Se o touro tivesse inteligência suficiente para fazer ferramentas de aço, eu queria ver onde estaria a pseudo bravura dos dito aficionados?? Nesta circunstância o touro teria enormes possibilidades de matar em dois tempos qualquer atrevidote que o enfrentasse.
3- A tourada, ou qualquer outra atividade sanguinária, é em última instância a manutenção nos tempos modernos das matanças do coliseu da Roma imperial e da tortura e morte dos cristãos e escravos.
4- A tradição nem sempre está certa. Ainda há poucos séculos, era tradição escravizar humanos e enriquecer à custa disso. Assim surgiram muitas das fortunas atuais. Também era tradição acusar o vizinho de feiticeiro ou judeu, para este ser queimado vivo na fogueira. E muitos mais exemplos de má tradição podem ser apontados.
5- Para manter a supremacia dos maus, basta que os bons não façam nada. Assim faz todo o sentido enviar às arenas as forças policiais e afastar os pró-touradas, já que não querem viver de uma forma moral elevada, tal como se faz com os ladrões ou assassinos. E até para estes, nós condenamos a aplicação da pena de morte ou maus tratos.
6- O enriquecimento à custa de espetáculos de sangue. Os membros da Protoiro, e outros agentes deste tipo, são a favor da tourada porque esta é a forma de ganharem muito dinheiro à custa dos espetadores (moralmente ainda pouco elevados) que lhes pagam os bilhetes. Esta atividade dá dinheiro a criadores de touros, a cavalheiros e outros intermediários nesta maléfica diversão. Seria muito mais útil para a humanidade se desenvolvessem outras verdadeiras atividades criadoras de riqueza para o seu semelhante, sem o recurso ao sofrimento do que quer que seja.
7-Lembrem-se de duas simples verdades: bastava que os insetos se extinguissem para que em 50 anos toda a vida na terra se extinguisse... Se a humanidade acabasse, a vida na terra floresceria. A nossa vida não vale mais do que a de outra espécie qualquer e ainda assim o humano detem razão e capacidade de escolha. Consegue mudar o rumo da propria vida. Um animal não o consegue fazer e no entanto sente alegria, tristeza, DOR...

A tourada é sempre um atraso na nossa evolução e mais tarde ou mais cedo será abolida, como muitas outras más práticas.
O facto de muita gente gostar de tourada, só demonstra uma realidade observável na história: raramente as maiorias populares tiveram razão. As maiorias populares são facilmente hipnotizaveis e manipulaveis e é através destas técnicas que os pró-touradas ainda arrastam atrás de si os incautos e moralmente pouco elevados.

Cultura? Tradição? Os aficionados são simplesmente pessoas fracas e agarradas ao passado com puro medo de sair da sua zona de conforto e só se sentem bem a explorar o sofrimento. São pessoas com medo da mudança, da evolução, pobres em imaginação e criatividade e com medo de perderem esta fonte de dinheiro.

Por isso tenho pena de todos os que praticam e defendem as touradas... Não raiva nem vontade que morram... Apenas pena. Apetece dizer: perdoais-lhes que não sabem o que fazem...

Carlos Rodrigues
De Isabel A. Ferreira a 16 de Agosto de 2012 às 19:56
VER COMENTÁRIO DO CARLOS RODRIGUES NESTE LINK:

http://arcodealmedina.blogs.sapo.pt/148618.html
De Eu a 19 de Agosto de 2012 às 07:47
Alguém de um cigarro e um Xanax a histerica da Isabel Ferreira.
De Isabel A. Ferreira a 19 de Agosto de 2012 às 13:02
Esta não vou deixar passar, correndo o risco de não ser politicamente correcta.

Se tem necessidade de dar cigarros e xanaxes a alguém, vá dá-los às suas mulheres, à sua mãezinha, às suas filhas, às suas avós.

Entendeu? Ou precisa de mais explicações?

De Carlos Rodrigues a 20 de Agosto de 2012 às 15:59
Caros amigos

Há 59 anos que me mentem!! Vejam, eu recomendo.

Neste assunto, são dois documentários muito instrutivos.
Agradecia que reencaminhassem para todos os vossos contactos.

Carlos Rodrigues

http://www.youtube.com/watch?NR=1&feature=endscreen&v=_jufsDCmpj0

Agora, vejam no final, quantos milhões de euros o estado dá em subsídios para este espetáculo.
http://www.youtube.com/watch?v=6HFtLaPybyY
De Isabel A. Ferreira a 20 de Agosto de 2012 às 16:19
Boa, Carlos Rodrigues!
De Isabel A. Ferreira a 9 de Setembro de 2012 às 11:30
JOÃO RODRIGUES, QUANDO LHE APETECER VOMITAR OBSCENIDADES, JÁ LHE DISSE: VOMITE PARA CIMA DAS MULHERES DA SUA VIDA, ESTEJAM ELAS VIVAS OU MORTAS.

E ATIRE-SE A UMA FOGUEIRA, PARA VER SE QUEIMA TODA ESSA VERBORREIA DE QUE É FEItO O SEU LINGUAJAR DE TAURICIDA.

De Ricardo Guadalupe a 31 de Janeiro de 2013 às 13:52
Estive agora no facebook da protoiro, meti alguns comentários e os cobardes mideráveis apagaram-nos.

Toureiros e aficionados são frustrados sexuais, engandos pelas mulheres, impotentes, homossexuais com dificuldades de auto-aceitação.

Imbecis até à medula, exercem a CENSURA quando se lhes diz as verdades.

Se alguma destas bestas assassinas me aparecer à frente, terá de me ouvir dizer-lhes na cara o qusão cobardes são. Veremos se têm tanta coragem para me enfrentar como para torturar animais.
De Isabel A. Ferreira a 31 de Janeiro de 2013 às 14:24
Ó Ricardo, só comenta na página da prótoiro quem é psicopata.

Os lúcidos, se comentam, são imediatamente bloqueados.

Eu também estou bloqueada.

Quanto à sua definição de toureiros e aficionados subscrevo. Está à medida. Perfeitíssima.



De Lázaro Montezo a 15 de Julho de 2013 às 11:29
Quero felicitar a criação deste blogue, no entanto aproveito para informar a Isabel, como gestora do mesmo, que a nossa liberdade de expressão termina quando começa a estar em causa a liberdade dos outros.
Não vale a pena fomentar sentimentos de repulsa e ódio para com o próximo, claro que não somos obrigados a gostar dos nossos inimigos, mas isso não nos impede de sermos respeitadores e de querer o bem a estes.
Espero que todos nós um dia nos respeitemos e sejamos respeitados!
Sou um aficcionado da festa brava.
De Isabel A. Ferreira a 15 de Julho de 2013 às 12:04
Primeiro: o que está em causa neste Blog, não é a LIBERDADE DE EXPRESSÃO. O que está em causa neste Blog é a LIBERDADE DOS TOUROS E CAVALOS. O DIREITO que eles têm a uma vida livre e sã. Eles nasceram para ser LIVRES e não para serem torturados para divertir néscios.

Logo a vossa liberdade ACABA, quando começa a dos Touros e Cavalos, que são ANIMAIS, como todos nós.
Repulsa e ódio, sentem os aficionados pelos Touros e pelos Cavalos, para os torturarem como torturam e COM TANTO PRAZER.

Eu apenas sinto INDIGNAÇÃO contra as atitudes bárbaras de criaturas desumanas. Estou no meu direito.

Ao MEU PRÓXIMO dedico toda a minha AFEIÇÃO.

Acontece que quem aplaude e apoia a tortura NÃO É MEU PRÓXIMO. Nem sequer INIMIGO.

É ABSOLUTAMENTE NADA. ZERO. Nem lhes quero bem, nem lhes quero mal. É-me completamente INDIFERENTE.

A ABOLIÇÃO DA TOURADA está próxima.

Quando os aficionados se HUMANIZAREM… então falaremos de igual para igual.
De Lázaro Montezo a 16 de Setembro de 2013 às 13:00
Ok, queres que eu desça ao teu nível então. Muito bem! Olha minha vaca de merda, volta pó Brasil porque tu de tradição e cultura portuguesa não tens nada! És brasileira, não és portuguesa, portanto vai defender mas é os direitos dos índios da Amazónia que esses é que precisam! Apesar de duvidar seriamente que tenhas classe para defender tal povo, pois não sabes mesmo o que é cultura, costume e tradição.
Portugueses vocês?! Portugueses são aqueles que defendem a nossa identidade, costumes, tradições e soberania! Não vocês, lá por falarem português e ter um papel não significa que sejam portugueses. Ser português é muito mais que isso...é ter descendência remota de um povo de corajosos e bravos, que só se comprova com gerações anteriores. E vocês isto não têm! Bandalhos, ignorantes, cobardes, vendidos, corruptos, atrasados mentais, cornudos...a vossa revolta é terem cornos bem grandes e não os poderem mostrar na arena como faz o toiro.
De Isabel A. Ferreira a 16 de Setembro de 2013 às 14:19
Boa!

Eis um comentário que desde o "Ok" ao "toiro" só demonstra uma infinita idiotice, ignorância, imbecilidade, debilidade mental, estupidez, enfim, tudo o que um acéfalo aficionado é.

MAIS MIL PONTOS A FAVOR DA ABOLIÇÃO.
De Anónimo a 13 de Maio de 2014 às 01:06
Esse garoto mal educado Helder m . Respeite as pessoas. Quando um burro fala o outro baixa as orelhas. Nao te espetacem as farpas nesse lombo......
e mais nao digo...
De Rui a 13 de Maio de 2014 às 01:25
Hoje tive oportunidade de ver Hélder milheiro, no programa
Pros e contras, e estou convencido de ter visto, alguém que se fosse perseguido por mamutes ou tigres dentes de sabre, estaria no movimento pro pre histórico. nunca vi tanta ignorância demonstrada em tão pouco tempo. Só a riqueza que a morte dos touros provoca, pode ter tanta defesa cega. Eu proporia trocar os touros por gladiadores da romã antiga, e aí sim, teríamos dois opositores altamente treinados, e rapidamente a tourada terminaria.
De Isabel A. Ferreira a 13 de Maio de 2014 às 10:00
Eu ainda vou ver o programa (que o gravei, pois deito-me cedo e ergo-me cedo), mas não me admira nada que assim fosse.

Pois se os tauricidads não passam de cavernícolas!

Mas foi óptimo, assim conseguiu-se uns pontos gordos a favor da abolição das touradas.

Comentar post

Mais sobre mim

Pesquisar neste blog

 

Abril 2021

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
13
16
17
18
20
23
24
25
26
27
28
29
30

Posts recentes

PAN quer ouvir Ministra d...

PAN avança com proposta p...

«Crueldade... Realidade d...

Boas notícias! A Nova Zel...

Em Vila Franca de Xira: «...

Como os mortos não falam,...

Testes de toxicidade em a...

Enquanto o Povo dorme... ...

Março/09/2021: um dia ne...

«O último adeus» - "Enqua...

Arquivos

Abril 2021

Março 2021

Fevereiro 2021

Janeiro 2021

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Direitos

© Todos os direitos reservados Os textos publicados neste blogue têm © A autora agradece a todos os que os divulgarem que indiquem, por favor, a fonte e os links dos mesmos. Obrigada.
RSS

Acordo Ortográfico

Em defesa da Língua Portuguesa, a autora deste Blogue não adopta o Acordo Ortográfico de 1990, devido a este ser inconstitucional, linguisticamente inconsistente, estruturalmente incongruente, para além de, comprovadamente, ser causa de uma crescente e perniciosa iliteracia em publicações oficiais e privadas, nas escolas, nos órgãos de comunicação social, na população em geral, e por estar a criar uma geração de analfabetos escolarizados e funcionais.

Comentários

Este Blogue aceita comentários de todas as pessoas, e os comentários serão publicados desde que seja claro que a pessoa que comentou interpretou correctamente o conteúdo da publicação. Serão eliminados os comentários que contenham linguagem ordinária e insultos, ou de conteúdo racista e xenófobo. Em resumo: comente com educação, atendendo ao conteúdo da publicação, para que o seu comentário seja mantido.

Contacto

isabelferreira@net.sapo.pt