Quinta-feira, 29 de Dezembro de 2011

2012 – O ANO DE TODAS AS VIRAGENS NO SENTIDO DA ABOLIÇÃO DAS TOURADAS NO MUNDO

 

 

Países onde ainda existe a prática de massacrar Touros:

América Latina: MéxicoColômbiaPerú, Venezuela e Guatemala

Europa: Portugal, Espanha e França

 

Oito países onde os governantes são cúmplices da crueldade e

da tortura de seres vivos.

UMA VERGONHA!

 

Por todo o mundo assiste-se a uma ebulição das entranhas dos que, sendo lúcidos (felizmente uma esmagadora maioria) não concebem a estupidez e a ignorância que grassam entre aqueles que se deleitam e aplaudem a crueldade e a tortura sanguinárias (invenções do homem predador, e unicamente do homem predador, nenhum outro ser vivo as praticam) exercidas sobre um ser não humano, biologicamente igual ao ser humano, única e simplesmente para “fazerem dinheiro”, e só depois para diversão (dois motivos perversos).

 

E porque tal atitude não traduz a clarividência da Ética e da Lógica, nem se aproxima minimamente da Racionalidade, nem sequer seria preciso argumentar a favor da abolição do Massacre de Touros (vulgo tourada), que Yamid Amat Ruíz (um premiadíssimo jornalista colombiano) denominou de «a pior herança da selvajaria romana).

 

São demasiado óbvios os motivos para a condenação deste triste e cruel espectáculo.

 

Contudo, serão óbvios apenas para aqueles que sabem discernir as coisas. Para os que promovem, aplaudem e consentem tanta crueldade, tanto sofrimento, não é assim tão óbvio. O motivo, claro, esse é demasiado visível.

 

E aqui tenho de lamentar, em primeiro lugar, o silêncio e a conivência daqueles que se dizem “médicos veterinários” e não passam de cúmplices desta barbárie, manchando com as mãos sujas de sangue, os diplomas que conseguiram tirar sem o mínimo respeito pela ética profissional e pela missão de vida a que estão sujeitos. UMA VERGONHA!

 

Depois vêm os governantes, os legisladores, os padres da Igreja Católica. Cúmplices igualmente desta prática sangrenta.

 

E podemos perguntar: porquê uns e outros são cúmplices do negócio taurino? Não serão lúcidos? Lúcidos não são certamente, porque a lucidez não “bate” assim...

 

Toda esta falta de perspicácia prende-se com o desconhecimento. Primeiro o homem tem de conhecer-se a si próprio, para poder conhecer os outros. Depois tem de se reconhecer um animal, para poder saber o que sente um animal. A seguir tem de gostar de si próprio, para gostar dos outros. E depois tem de reconhecer todos os seres viventes como seus iguais no Planeta, para poder atingir as necessidades de uns e de outros, porque todos temos as mesmas necessidades básicas de vida. Se o homem assim procedesse não haveria nem guerras, nem fome, nem miséria moral (como a tortura de seres vivos, humanos e não humanos).

 

Mas uma tenebrosa ignorância impera. E há quem não se conheça, e quem não se reconheça como animal. O que é algo grave e está na base de muita malfeitoria.

 

Os pró-taurinos para justificarem a crueldade (como se a crueldade pudesse ser justificada!) do Massacre de Touros, utilizam três palavras:

 

Tradição – que é um argumento que cai por terra, porquanto todas as tradições consideradas bárbaras foram sendo abandonadas à medida que o homem foi tomando consciência dessa barbaridade. A isso chama-se EVOLUÇÃO. A selvajaria do circo romano foi abandonada. Porquê? Não será óbvio?

 

Festa: sim, a festa da ignorância, da crueldade, do tribalismo, da tradição retrógrada, do vazio de ética, do especismo, assentando tudo na resistência mas também no sofrimento atroz do Touro e do Cavalo. E, evidentemente, na covardia do torturador (vulgo toureiro).

 

Arte: do requinte da malvadez, onde nada falta: tortura, crueldade, dor, sofrimento, sangue, tormento, morte. Um quadro pintado a sangue.

 

Bem e se tudo isto não bastasse, temos as imagens pungentes dos Touros em grande sofrimento (que aqui deixo para recordarem esta “tradição”, esta “festa”, esta “arte” negras.

 

 

 


O ano de 2012 será o ano de todas as viragens. E aqueles que contribuíram para os maus-tratos de seres vivos, de qualquer ser vivo, de todos os seres vivos que por todo o mundo são massacrados, violentados, torturados todos os dias, vão sentir na pele o peso dos seus crimes. É inevitável.

 

Está escrito, algures, entre as estrelas. O mundo dos homens desmorona-se, mas a Lei do Universo continua infalível.

 

O ano de 2012 será o ano em que impunidade começará a ser enterrada.

 

Uma nova ordem, a ordem compassiva, surgirá no mundo.  

 

Governantes, olhem à vossa volta. Vejam a agitação dos povos, atentem nos espasmos do Planeta.

 

Sintam o cheiro da mudança.

 

E vocês, que torturam cruelmente os Touros por dinheiro, que aplaudem o Massacre de Touros por prazer, estejam atentos. Não ficarão impunes. E os vossos cúmplices sentirão a vergonha de verem os seus nomes ligados a esta “herança da selvajaria romana”.

 

Eu não aplaudirei a vossa queda.

 

Simplesmente saudarei a libertação dos meus irmãos não humanos.

 

 

 

 


Isabel A. Ferreira

publicado por Isabel A. Ferreira às 17:58

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Comentários:
De nazaré oliveira a 29 de Dezembro de 2011 às 18:19
Excelente, Isabel!
Bem hajas!

Cont dessa força fantástica!
As touradas e o massacre destes (e de outros) pobres seres vai acabar!

Um gde abraço e um Bom Ano para TODOS!
De Isabel A. Ferreira a 29 de Dezembro de 2011 às 19:45
Obrigada, Nazaré.
Há que acreditar. Algo me diz que vai ser assim.
O próximo ano será bom para os Touros.

Um bom ano para vocês também.
Beijinhos.

Comentar post

Mais sobre mim

Pesquisar neste blog

 

Setembro 2018

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
15
16
25
26
27
28
29
30

Posts recentes

A INEVITÁVEL EXTINÇÃO DA ...

SANTO CATÓLICO FESTEJADO...

O MUNDO ESTÁ DE LUTO

«OLHA-ME»

PRESIDENTE DA REPÚBLICA E...

O TOURO MEDIU BEM A COBAR...

LUCÍLIA GAGO SUBSTITUI JO...

JERÓNIMO DE SOUSA FOI À M...

«SOBRE O TOURO ACIDENTADO...

E DEPOIS NÃO GOSTAM DE SE...

Arquivos

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Direitos

© Todos os direitos reservados
RSS

ACORDO ORTOGRÁFICO

EM DEFESA DA LÍNGUA PORTUGUESA, A AUTORA DESTE BLOGUE NÃO ADOPTA O “ACORDO ORTOGRÁFICO” DE 1990, DEVIDO A ESTE SER INCONSTITUCIONAL, LINGUISTICAMENTE INCONSISTENTE, ESTRUTURALMENTE INCONGRUENTE, PARA ALÉM DE, COMPROVADAMENTE, SER CAUSA DE UMA CRESCENTE E PERNICIOSA ILITERACIA EM PUBLICAÇÕES OFICIAIS E PRIVADAS, NAS ESCOLAS, NOS ÓRGÃOS DE COMUNICAÇÃO SOCIAL, NA POPULAÇÃO EM GERAL E ESTAR A CRIAR UMA GERAÇÃO DE ANALFABETOS.

CONTACTO

isabelferreira@net.sapo.pt