Comentários:
De Dutra de Lacerda a 27 de Junho de 2011 às 12:52
A imagem que se vê é de Espanha.

A dos Açores é libertação do touro, e a violencia é contra as pessoas que se atravessam no caminho, pelo que uma corda o segura, para não o touro não matar alguém.

Ficou a demagogia como desafio, obstáculo, para cada um aprender a discernir, ou sucumbir.
Vai-se sucumbindo, na escolha da imagem, e palavras.

---

Que confundir a Tourada barbara Espanhola, com actividades distintas que carregam o mesmo nome, involuntáriamente, é escravidão.

É escravidão à palavra, como confundir a Alemanha Nazi com a Suécia Democrática por partilharem a casualidade de serem Nórdicos! Estaremos num asilo?!?

Quando é que as pessoas despertam do seu topôr verbalista?

Ou é expressão de violência contida?

De facto, assemelha-se ao espirito da inquisição, dos que querem ser santos a perseguir indiscriminadamente os cristãos, acusando-os de estarem endemoinhados.

Que o demonio não é o seu alvo, mas os cristãos perto.
De Isabel A. Ferreira a 27 de Junho de 2011 às 14:24
Dutra de Lacerda:

A imagem que se vê é de Espanha. Sim! E está lá propositadamente, para MOSTRAR que em Espanha já de diz BASTA AO MASSACRE DE TOUROS! E em PORTUGAL continua-se a insistir na BARBÁRIE, que cá não é mais branda do que lá. Não tente tapar o sol com a peneira. Sabemos o que fazem aos Touros antes e depois do massacre.

TORTURA É TORTURA em qualquer lado.

Desafio-o, Dutra de Lacerda, a convencer-me de que MASSACRAR TOUROS, SANGRAR TOUROS CRUELMENTE (ele é tão de carne e osso, quanto o Dutra e tem um sistema nervoso central, como o Dutra, e sente DOR tanto como o Dutra, e sangra como o Dutra sangraria se lhe espetassem nos costados umas farpas) é uma FESTA. É CULTURA. É um espectáculo CIVILIZADO.

Dê-me argumentos convincentes (e não um jorro de palavras sem sentido). Convença-me de que espetar farpas num Touro é como fazer-lhe uma carícia. E o Touro até gosta.

Convença-me, Dutra Lacerda, que a crueldade sobre um ser vivo é algo sublime. E eu darei o meu braço a torcer.
De Dutra de Lacerda a 29 de Junho de 2011 às 22:34
>TORTURA É TORTURA em qualquer lado. Desafio-o, Dutra de Lacerda, a convencer-me de que MASSACRAR TOUROS

Tontice, claro que não.

O que denuncio é a pervercidade que se esconde em:
> E em PORTUGAL continua-se a insistir na BARBÁRIE

Quando em Portugal isso foi proibido à 200 anos, e muita gente parece desejar o contrário.
Mas conseguiram um lei de excepção, que o permite, por causa de tais mentiras. (Não queriam se acusados "à toa).

Não há honestidade, há espirito inquisitorial.
E distorção de tudo que lhe seja adverso. Mesmo violenta, porque as verdadeiras razões se escondem.
De Isabel A. Ferreira a 1 de Julho de 2011 às 10:26
Dutra de Lacerda:

EM PORTUGAL CONTINUA a INSISTIR-SE NA PERVERSIDADE. UMA VERDADE COMPROVÁVEL.

Não conseguiu desmentir-me.
Não conseguiu convencer-me de nada.

O que aconteceu há 200 anos (refere-se à proibição do Massacre de Touros pelo Marquês de Pombal) não é para aqui chamado, uma vez que não está a cumprir-se esse decreto.

Desafio-o a desmentir-me.
Desonestidade existe por parte de quem hipocritamente diz que gosta de touros, mas faz deles um "brinquedo" e fere-os de morte.

E o resto da sua conversa, com diz a treta com a careta.

DESAFIO-O, Dutra de Lacerda, a fazer-me mudar de ideias em relação ao Massacre de Touros, com argumentos que me convençam de que isso a que chamam "festa brava" é CULTURA, é CIVILIZAÇÃO, É EVOLUÇÃO, é ALEGRIA, é um ACTO HUMANO...
De Dutra de Lacerda a 7 de Julho de 2011 às 00:46
Oh mulher,
Vá para Espanha.
Espanha precisa de si e voçê precisa de Espanha.
As matanças que a entusiasmam... são lá!
Entendeu?

Ou sou eu que não entendi o que a perturba?
Chiça...Não há pachorra!
De Isabel A. Ferreira a 7 de Julho de 2011 às 16:51
Dutra de Lacerda!

Poderia não colocar este comentário no meu blog.

Mas faço questão de o publicar. Sabe porquê? Porque ignorância tem limite. E a sua já passou desse limite.

Como pode entender o que quer que seja, se não sabe interpretar o que se escreve? Não tenho a mínima culpa disso.

Outra coisa: se não tem pachorra, NÃO venha ao meu blog ler os meus posts. Não é obrigado.

Ah! E mais uma coisa: o desafio que lhe fiz continua válido, mas ao que parece, como nem entende o que se escreve, como poderá ter argumentos para fazer as pessoas mudarem de ideia contra o MASSACRE DE TOUROS.

Aqui ou na Espanha, a pé ou a cavalo, com morte ou sem morte na arena, com cordas ou sem cordas, com largadas ou sem largadas, o MASSACRE é VISÍVEL a olho nu.

Comentar post