Quinta-feira, 19 de Setembro de 2013

É assim, a tourada à corda nos Açores... Uma vergonha que o mundo rejeita e condena...

 
 

Mais um cão envolvido numa tourada. Os melhores amigos dos animais não permitem isto!

Partilhem para demonstrar a dedicação e protecção animal das touradas.

 

Vergonha para os Açores!

 
 
 

A Andreia (sinalizada na imagem no rectângulo vermelho) diz: «coitadinho, ele está magoado (o cão) está a curar uma pata partida, foi uma sorte não lhe ter acontecido algo pior. Eu parecia maluca, só gritava: «foge, foge…»

 

Fonte:

 

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=547680885305456&set=a.451275978279281.101438.451257841614428&type=1&theater

 

***
E o que dizer destas imagens? (E muitas mais?)  

É só abrir este link e clicar em cima das imagens

 

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=1414593995425938&set=oa.211079782396976&type=1&theater

 
 

  

 
 
 
 
 
 
 
 
   
 
É "isto, a tão "celebrada cultura" açoriana?  

Vergonha!

E é  "isto" que governantes trogloditas apoiam.


Isabel A. Ferreira
 
 
 
publicado por Isabel A. Ferreira às 10:28

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Comentários:
De Anónimo a 19 de Setembro de 2013 às 12:21
Só mesmo uma deficiente mental como tu grande vaca é que podia publicar isto , és uma merda de pessoa e de ser humano não vales a merda que os animais cagam .
De Francisco Branco a 19 de Setembro de 2013 às 12:34
Apenas um comentário.
As pessoas bem formadas não falam do que não conhecem, ou então correm o risco de cada vez que abrirem a boca entrar mosca ou sair ...
Aqui na Terceira é costume dizer-se "tolos e toiros, só em cima de uma parede bem alta, e o pior é que só os toiros não sobem as paredes".
De Isabel A. Ferreira a 19 de Setembro de 2013 às 14:14
Este comentário é muito elucidativo, Francisco Branco.

Mas mais elucidativas são as imagens aqui publicadas.
Valem mais do que mil palavras (como se costuma dizer).

De Francisco Branco a 19 de Setembro de 2013 às 15:49
Só comentei porque não aceito os juízos que faz dos açorianos e em particular dos residentes na Terceira.
Reconheço-lhe o direito à opinião, mas os seus comentários vão para além disso. Emitem juízos fundamentalistas e eu não alimento fundamentalismos sejam de que natureza for. Para mim o fundamentalismo é uma aberração do pensamento e como tal não merece ser considerado.
Da minha parte não terá mais comentários.
De Isabel A. Ferreira a 19 de Setembro de 2013 às 16:17
É preciso ter muito descaramento para vir para aqui falar em fundamentalismos.

Olhe que não sou eu que TORTURO BOVINOS. E pelo que sei, não são os MADEIRENSES que vão TORTURAR BOVINOS para os Açores.

Não me reconhece direito algum a OPINIÕES, porque aqui NÃO DOU OPINIÕES.

Aqui faço CRÍTICAS e DENUNCIO ATITUDES REPROVÁVEIS E INDIGNAS DE SERES HUMANOS, reconhecidas como tais por TODO O MUNDO CIVILIZADO, em nome dos bovinos que não têm voz para se defenderem dos seus CARRASCOS.

Tenho esse DEVER. Temos esse DEVER.

E vê-se logo que nem sequer sabe o que é FUNDAMENTALISMO. É um termo que está muito na moda, então há que usá-lo, ainda que fora do seu contexto.

Aberração do pensamento é o que acreditam ser um divertimento “civilizado” e “cultura” , torturando indefesos e inocentes touros nas ABOMINÁVEIS TOURADAS À CORDA NOS AÇORES, nomeadamente na Ilha Terceira.

E quem é que precisa de comentários seus, esses sim, fundamentalistas?

Passe bem, Francisco Branco.
De Anónimo a 19 de Setembro de 2013 às 23:17
Tem toda a Razão Francisco esta tipa é uma desequilibrada mental !!
De Isabel A. Ferreira a 20 de Setembro de 2013 às 09:23
Sim, vocês é que TORTURAM TOUROS, e esta tipa é que é a desequilibarada mental.

Boa!

Só vem comprovar aquilo que escrevi num outro texto, que aqui deixo para que o Fernando leia:
A "Projecção Freudiana" nos aficionados:

http://arcodealmedina.blogs.sapo.pt/326500.html



De Elisabete a 19 de Setembro de 2013 às 13:49
Bem-haja Isabel, pelo excelente trabalho que está a fazer.
Estas imagens demonstram na totalidade a tradição "inocente" que são as touradas à corda em que os touros "não sofrem nada e são muito bem tratados". Aqui vê-se mesmo que é um verdadeiro "culto ao touro" além do embrutecimento de uma população que não quer progredir quando PODE E DEVE fazê-lo!
Isto é uma VERGONHA não só para os Açores como para Portugal inteiro.
E não nos esqueçamos que foram os espanhóis que instalaram esta calamidade...
De Isabel A. Ferreira a 19 de Setembro de 2013 às 14:06
As imagens desmentem o que os aficionados açorianos pretendem defender.

Amam os touros?
Os touros são bem tratados?

Que estranha forma de "amar"...

Isto além de ser uma VERGONHA mostra a demência de quem se dedica a este ritual bronco.
De Arsénio Pires a 19 de Setembro de 2013 às 13:57
As imagens dizem tudo.
Que bando de covardes, primitivos, insensíveis, psicopatas a raiar a insanidade mental merecedora de tratamento psiquiátrico.
Não há paciência para aturar este primitivismo troglodita!
Uma vergonha nacional.
Uma vergonha para a Humanidade!
De Isabel A. Ferreira a 19 de Setembro de 2013 às 14:00
Exactamente, Arsénio, mas eles insistem em chamar a isto "cultura".

Não conseguem discernir.
O que fazer, quando as pessoas NÃO QUEREM EVOLUIR?
De Carla Ferreira a 20 de Setembro de 2013 às 01:25
Como é que é possível em pleno século 21 ainda haver no mundo está pouca vergonha?

Eu como açoriana sinto me mesmo bastante envergonhada por haver uma ilha nos Açores que envergonha o resto das ilhas todas que não partilham desta demência.

Eles na Terceira acham "cultura" a tudo, mas na minha opinião, do arquipélago, são aqueles que mais necessitam de cultura.

´Triste ...
De Isabel A. Ferreira a 20 de Setembro de 2013 às 09:16
É triste, sim, Carla Ferreira.

E acredite que gostaria de colocar aqui fotografias lindas, condizentes com a beleza natural das ilhas, mas enquanto esta feiura existir, é preciso denunciá-la, para que os responsáveis por esta "coisa" desumana seja banida, para que a Ilha possa seguir o caminho da civilização.
De Elisabete a 21 de Setembro de 2013 às 23:52
Disse tudo e muito bem, Carla Ferreira. A Terceira não evoluiu. As pessoas continuam com a mesma mentalidade de há 40 anos atrás! Nada mudou ou mudou muito pouco, quase nada.
Eu que sou natural da ilha mencionada sinto uma imensa vergonha de semelhantes costumes. Os terceirenses pararam no tempo e teimam em não evoluir. O pior é que não aceitam as críticas que lhes são feitas, revoltam-se e insultam. No lugar de reflectirem agridem. As gerações mais novas seguem cegamente os passos das anteriores para manter a tradição quer seja da tourada ou da matança do porco em pleno dia de sol! A Terceira é uma ilha à deriva no Atlântico.
De Isabel A. Ferreira a 22 de Setembro de 2013 às 09:41
Obrigada, pelo seu testemunho, Elisabete.

sabemos que a maioria dos terceirences não têm capacidade intelectual para discernir as coisas.

A Elisabete faz parte de um oásis, que existe, e onde estão os terceirenses cultos, a lutar pela evolução da Ilha.

Bem haja!
De Miss_Moi a 20 de Setembro de 2013 às 16:06
Cara Isabel:
Antes de mais quero felicitá-la pelo trabalho que tem vindo a desenvolver neste blogue.
Digo-lhe que sou natural da Terceira e repudio veementemente as touradas. Os aficionados que falam em "cultura" e "tradição" mostram, apenas, que ficaram parados no tempo.
Lembre-se que as pessoas só têm a importância que lhes damos :)
Miss_Moi
De Isabel A. Ferreira a 20 de Setembro de 2013 às 16:47
Obrigada, pela sua gentileza.

É uma grande verdade: as pessoas só têm a importância que lhes damos.

De Andreia Pereira a 23 de Setembro de 2013 às 16:54
Todo este extremismo é algo que até a mim, defensora dos animais ACTIVA, não me limito a estar aqui a dizer "coitados", "pobres animais" e coisas do género! Não, ajudo-os, sou voluntária numa Associação, me enoja!
Mas desculpem, não posso deixar que um grupo de pessoas ignorantes (ignorante segundo o dicionário: Que ou quem não tem conhecimentos ou formação suficientes), fale daquilo que não sabe.
Senhora Elisabete, as touradas á corda na ilha Terceira nada têm a ver com os espanhóis, foram uma tradição trazida para esta ilha de Alenquer. Tradição esta que estava intimamente ligada ao culto do Espirito Santo.
Cara senhora Carla Ferreira, não sei de que ilha é, mas pode ter a certeza que por ser uma ilha dos Açores tenho a certeza que será uma ilha com as suas virtudes e especificidades. Agora vir dizer que “Eles na Terceira acham "cultura" a tudo, mas na minha opinião, do arquipélago, são aqueles que mais necessitam de cultura.”, demostra uma ignorância absoluta acerca do seu arquipélago. A ilha Terceira foi capital de Portugal por duas vezes (quantas vezes foi a sua ilha, senhora Carla?!), a cidade de Angra é Património Mundial da Unesco (que local da sua ilha o é, senhora Carla?), temos a cultura do Carnaval da Ilha Terceira (a maior expressão de teatro popular do Mundo), ambas as cidades têm nomes associados a causas heroicas, coisa que não acontece com mais cidade nenhuma do país. Estes são apenas alguns dos muitos exemplos que explicam a cultura que a Terceira e o terceirense possuem.
Não venho aqui defender as touradas, sou contra! Venho defender a minha terra e os meus conterrâneos que aqui, no meio de todas estas pessoas que tal como os burros têm duas palas nos olhos e só vêm para a frente, são ofendidas com um total desconhecimento da realidade!
Minha cara autora do blog, enquanto continuar a ofender todas as pessoas (todos os terceirenses, todos os barranquenhos, etc, etc) apenas e só porque fazem parte de uma mesma comunidade, nunca conseguirá ter razão. E tente perceber que muitas das pessoas que lhe dão razão, são tão ou mais ignorantes que você. Basta ver pelo que acima expliquei
De Isabel A. Ferreira a 24 de Setembro de 2013 às 15:55
Fernando Pereira, Oh! desculpe, queria dizer Andreia Pereira (acabei de ver agora um anúncio do homem das mil vozes, e confundi-me), pois então vamos a isto.

Primeiro, “extremismo” é um daqueles termos que lá por estar na moda, é preciso saber aplicá-lo, e neste contexto, o uso do termo é completamente descabido.

Segundo, a “Andreia” é tão defensora dos animais e ACTIVISTA, como eu sou defensora dos terroristas islâmicos e BOMBISTA SUICIDA. A sua conversa, não engana nem a uma criancinha acabada de nascer.

Pois o que há a dizer desta IGNORÂNCIA, aqui destacada? Há a dizer que a única ignorante aqui é a “Andreia” que não sabe o que é um animal, e também não sabe o que anda a fazer neste mundo.

A Senhora Elisabete responderá melhor do que eu, à questão que lhe coloca, pois ela é terceirense, também é ESTUDADA, e melhor do que eu conhece o que se passa na Ilha, mas adianto-lhe já que o costume bronco das touradas foi introduzido em Portugal, incluindo ilhas, pelos espanhóis.

Quanto à Senhora Carla Ferreira ela também responderá a estas questões, se assim o entender, mas adianto-lhe já também, que não estamos aqui a falar de HISTÓRIA nem de PERGAMINHOS, estamos a falar das ABOMINÁVEIS TOURADAS À CORDA, das quais tenho mais provas HORROROSAS para mostrar.

A “Andreia” não vem aqui defender as touradas, mas é o que está a fazer. E aqui quem tem duas palas nos olhos é a “Andreia”, que pensa que está a falar com alguém que não sabe ler nas entrelinhas.

Mas o que se passa é que quando a “Andreia” vai para o moinho com o milho, eu já de lá venho com a farinha.

A realidade das Touradas à Corda é só uma: violência, desrespeito, atrocidade, crueldade e tortura contra bovinos.

E para finalizar, primeiro não sou “cara” de nenhum aficionado.

Segundo, vá aprender a distinguir OFENSAS de VERDADES. Nada do que aqui escrevo sobre estas questões são ofensas. Os aficionados só podem ser adjectivados de uma maneira: da maneira certa.

Não gostam? Eu também não gosto de CRUELDADE, de TORTURA, DE IMBECILIDADE e todos os dias levo com isso na cara, ao ver as imagens das touradas onde elas se realizam, isto é, nas terrinhas mais atrasadas de Portugal, incluindo ilhas.

As pessoas que me dão razão, são pessoas lúcidas e HUMANAS, completamente o oposto da “Andreia”, que não sabe o que diz e pertence à classe desumana da espécie humana.

Pode enganar muita gente, mas a mim, o Fernando Pereira, Oh! desculpe, queria dizer a Andreia Pereira (outra vez?!) não me engana.
De Elisabete a 24 de Setembro de 2013 às 17:50
Cara Andreia,

Como natural da ilha Terceira nunca me senti atingida por nenhum texto que li neste blog da autoria de Isabel A. Ferreira. Na minha opinião acho que a autora do "Arco de Almedina" está a fazer um trabalho exemplar para alertar consciências para a realidade das touradas e do mau trato animal. Aqui encontro os argumentos que denunciam esta realidade atroz para com os animais e que me auxiliam a tomar uma posição radical em relação às mesmas, da qual não abro mão enquanto esta prática bárbara não for erradicada de Portugal e do mundo. E não me refiro só às touradas, mas em relação a tudo o que acontece com todos os animais por esse mundo fora.

Os terceirenses não têm que se sentir ofendidos quando são chamados de broncos porque este termo é empregue, unicamente, em relação àqueles que em verdade o são: os defensores das touradas. Mas isto já é assunto velho e batido. O pior, como já deve ter reparado nos comentários lamentáveis que essas pessoas aqui deixam, e como não têm argumentos para defender a sua opinião, atacam da pior maneira insultando e caluniando a autora do blog. Dizem coisas de fazer corar as pedras da calçada, coisas que não gostariam que chamassem às mães , filhas e mulheres deles! Sentiram-se ofendidos então é porque não sabem ler e o pior é que são orgulhosos pelos piores motivos.

A ilha Terceira foi capital de Portugal, sim, mas de que serve isso agora se não evolui?... A cidade de A.H . é património mundial e daí?... Vão continuar a viver à sombra desse título, e o resto, as mudanças necessárias de mentalidade, etc ?...
Ainda o que salva é o Carnaval da ilha - com as Danças e Bailinhos - o teatro popular - ainda bem que se tem mantido - onde é possível satirizar o quotidiano e os dramas da vida. Também podiam utilizá-lo para alertar consciências...

Com certeza a Andreia veio aqui porque deve ter lido os "folhetins" do sr . Tarcísio Pacheco no D. I. a defender da pior maneira o que ele gosta e a espalhar aos 7 ventos que a ilha toda havia sido insultada neste blog, quando não foi isso que aconteceu. Pelos vistos poucos são os que o apoiam pois comentários de apoio são poucos os registados no blog dele. Os que cá vêm instruídos pelas linhas que ele escreve é apenas para insultar. É triste.

Para terminar, bronco é igualmente o rei de Espanha e os tauricidas espanhóis de Tordesilhas, os ingleses que teimam em caçar raposas, os japoneses que matam tubarões e golfinhos, o governo canadiano que autoriza o massacre de focas bebés , a lista não acaba, é, infelizmente, demasiado longa. Bronco é todo aquele que não quer evoluir e teima em identificar-se com tradições arcaicas e cruéis. Se a Andreia não se enquadra em nenhum destes parâmetros não se sinta atingida e continue a defender os animais, como eu, a Isabel e muitos outros por esse mundo fora.
De Isabel A. Ferreira a 24 de Setembro de 2013 às 18:56
Brilhante, Elisabete. Brilhante. Outra coisa não era de esperar de si.

E obrigada, pela parte que me tocou.
De Mariana Silveira a 8 de Março de 2015 às 20:55
Boa noite! Venho por este meio informar-lhe que nós não magoamos os touros nas touradas à corda.
Primeiramente, estes são postos à prática para mostrar a sua bravura, aliás os animais magoam-se a si mesmos no asfalto mas quando o foguete é lançado para que os mesmos entrem na gaiola, as feridas são cuidadas e não, nós não os abatemos a seguir às touradas.
Em segundo lugar, as touradas à corda são Homem "contra" touro, sem espetos de ferro a magoarem o animal, sem cavalos a ajudarem os humanos e sem ser uma arena fechada onde não há hipótese de fuga ou defesa. A bem dizer é um confronto justo, pois só à contacto físico natural vindo das duas partes.
E finalmente, faça favor de se informar melhor sobre as tradições da MINHA ilha, porque nós não somos todos uns embriagados, uns incultos ou analfabetos! Sou uma terceirense muito orgulhosa e oxalá Deus lhe tire a ignorância que lhe transborda.
De Isabel A. Ferreira a 9 de Março de 2015 às 16:52
A resposta ao comentário da Mariana Silveira encontra-se no seguinte link:


http://arcodealmedina.blogs.sapo.pt/este-foi-o-comentario-mais-estupido-que-517579

Comentar post

Mais sobre mim

Pesquisar neste blog

 

Julho 2021

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Posts recentes

Pausa para descanso

«Tauromaquia: adiar não b...

Que Estado de direito é o...

«Touro como nós: a ciênci...

Incêndio que vitimou deze...

«Para onde caminhamos?» -...

Porque TODOS somos difere...

«Ilhas Faroé cumprem “tra...

«Prestar contas (só do qu...

Um alerta (vermelho) para...

Arquivos

Julho 2021

Junho 2021

Maio 2021

Abril 2021

Março 2021

Fevereiro 2021

Janeiro 2021

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Direitos

© Todos os direitos reservados Os textos publicados neste blogue têm © A autora agradece a todos os que os divulgarem que indiquem, por favor, a fonte e os links dos mesmos. Obrigada.
RSS

Acordo Ortográfico

Em defesa da Língua Portuguesa, a autora deste Blogue não adopta o Acordo Ortográfico de 1990, devido a este ser inconstitucional, linguisticamente inconsistente, estruturalmente incongruente, para além de, comprovadamente, ser causa de uma crescente e perniciosa iliteracia em publicações oficiais e privadas, nas escolas, nos órgãos de comunicação social, na população em geral, e por estar a criar uma geração de analfabetos escolarizados e funcionais.

Comentários

Este Blogue aceita comentários de todas as pessoas, e os comentários serão publicados desde que seja claro que a pessoa que comentou interpretou correctamente o conteúdo da publicação. 1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome. 2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas". 3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias. Serão eliminados os comentários que contenham linguagem ordinária e insultos, ou de conteúdo racista e xenófobo. Em resumo: comente com educação, atendendo ao conteúdo da publicação, para que o seu comentário seja mantido.

Contacto

isabelferreira@net.sapo.pt