Comentários:
De Isabel A. Ferreira a 30 de Julho de 2013 às 18:35
Francisco Reis, sinto muito decepcioná-lo, com o que vou transmitir-lhe.

A tauromaquia não pertence a Portugal, nem Portugal pertence à tauromaquia.

A tauromaquia é um costume bárbaro, importado de Espanha, por ocasião da invasão filipina.

Nada tem a ver com tradição portuguesa. Os portugueses, por norma, têm o hábito de importar o “lixo” dos outros países. Foi o que aconteceu. Nada na Tourada é português. Nada.

Pois concordo consigo quando diz que a nossa liberdade termina quando começa a do outro.
A liberdade de um aficionado termina quando começa a liberdade dos Touros e dos Cavalos, que também têm direito à liberdade, à vida e ao bem-estar deles. É um direito de todos os seres vivos, que nenhum humano pode cercear.

O Jornal i (ao qual não pertenço, é preciso que se diga) fez uma manchete extraordinariamente REALISTA, Francisco Reis. Nem mais nem menos.
REALISTA. Com números verdadeiros e não sonhados.

É aceitável que um aficionado não goste das verdades relativas à tourada, que está morta, pois o que anda por aí é apenas um cadáver de lábios pintados, para parecer vivo.

Aconselha-me a ler a prótóiro? Um bando de frustrados desesperados, que anda a tentar infiltrar a tourada onde ela nunca existiu, com aldrabices? Um bando totalmente descredibilizado e inútil? Conheço muito bem as mentiras dessa gente. Não presta para nada. São mentirosos por natureza.

Quanto aos números que apresenta está muito enganado. Mas muito enganado mesmo.

Nas touradas, o número de espectadores é mínimo. As que a RTP transmite têm um pouco mais de gente, porque gostam de aparecer na TV. Mas ficarão para a História como os maus da fita. Disso não se livram, porque as imagens não deixam dúvidas.

De qualquer modo 400 mil pessoas? Onde? Nem nas arenas todas do mundo junta tal número a ver TORTURAR SERES VIVOS.

Cada vez mais há menos gente a ver tourada. Isso é um facto indesmentível. Visível, nas arenas quase vazias. Nos fiascos de cada dia. Nas fotos que circulam por aí. Basta ver.

E para finalizar digo-lhe que as touradas têm os dias contadíssimos, sim. E o Jornal i sobreviverá a esse holocausto, evidentemente, para divulgar o dia em que a tauromaquia será enterrada definitivamente em Portugal, com uma grande festa.

Porque já BASTA de IGNORÂNCIA. De TREVAS. De tanta ESTUPIDEZ!

Os Portugueses querem um país CIVILIZADO e AREJADO. Não um país a cheirar a mofo.

Sinto muito, decepcioná-lo. Mas esta é a grande verdade.
De Francisco a 30 de Julho de 2013 às 23:38
Drª Isabel A. Ferreira
Se Portugal pertence ou não à tauromaquia, ou a tauromaquia pertence a Portugal, esse é dos pontos em que cada um tem a sua opinião! Respeito a sua, apesar de não concordar!
Permita-me corrigi-la mas o registro mais antigo de algo semelhante às touradas atuais aparece em 1135, e não aquando das invasões Filipinas. Nessa época, porém, o toureiro era um nobre que enfrentava o touro montado a cavalo e armado de uma lança.
Permita-lhe que lhe acrescente que os forcados, presentes numa corrida de toiros, são algo tipicamente português que remonta de 1836, no reinado de D. Maria II.
Concordo quando diz que os toiros e os cavalos têm direito ao seu bem-estar e isso acontece! Os toiros vivem 4 a 5 anos no campo onde não lhes falta nada. No pleno paraíso! Ao fim desse tempo está criado, e tem que ser abatido para formar carne, assim como quase todos os animais. Se as corridas de toiros acabassem, o toiro bravo acabava também, porque essa raça é criada unicamente para as touradas e isso tem que ser aceite! Não dá lucro para um ganadeiro utilizar um toiro apenas para fazer carne porque não é uma carne muito apreciada pela maioria da população como deve saber.
O Jornal i apresenta estudos que NINGUÉM comprovou!
Faz parte das regras da boa educação, e permita que lhe diga pedindo desculpa, que não será de certeza boa educação insultar assim a PRÓTOIRO. Não concordamos? Certo, tudo bem, mas temos que respeitar.
Gostam de aparecer na TV? Por amor de deus mas para aparecer na TV basta ir a um desses programas da tarde ou da manhã e ainda se ganha dinheiro.
Permita-me que reedifique mas 400mil pessoas a assistir em casa.
Permita-me recordá-la de uma situação que se passou a mais de 2 anos em Santarém! A monumental de Santarém encheu, e repito, encheu para ver 4 corridas de toiros em 2 dias. Por 1 euro. De relembrar que a mesma consegue levar mais de 12 mil pessoas. E não pode dar o argumento de que as corridas são baratas e todos vão, porque quem é contra, não vai, nem que seja “de borla”.
Por ultimo convido-a a ver esta imagem (clicar no link) http://farpasblogue.blogspot.pt/2012/02/ana-batista-estreia-se-amanha-na-plaza.html onde demostra, no México, uma praça de toiros “à cunha” que tem lugar para 46.815 espectadores (sentados).
Lamento mas creio que a tauromaquia não está com os dias contados! Ainda não é desta. Tenho pena.
Dados de suporte:
http://super.abril.com.br/alimentacao/como-surgiu-tourada-443551.shtml
http://pt.wikipedia.org/wiki/Forcado
http://pt.wikipedia.org/wiki/Pra%C3%A7a_de_touros_M%C3%A9xico
Com todo o respeito
Francisco Reis
De Isabel A. Ferreira a 6 de Agosto de 2013 às 15:30
A resposta ao comentário de Francisco Reis está no seguinte link:

http://arcodealmedina.blogs.sapo.pt/313841.html

Comentar post