Quinta-feira, 25 de Julho de 2013

FEIRA MEDIEVAL NA FREGUESIA DE SÃO PEDRO DE SINTRA

 

Dizem às crianças: «Os animais são nossos amigos». E as crianças, que sabem perguntar, perguntam: «Se os animais são nossos amigos, por que é que os adultos não são amigos dos animais

 

Que resposta terão para dar a esta pergunta tão apropriada?

 

 

 

CARTA AOS AUTARCAS SINTRENSES

 

Exmo. Senhor Presidente da Câmara Municipal de Sintra

Exmo. Senhor Presidente da Junta de freguesia de S. Pedro de Sintra

Exma. Senhora Presidente da Assembleia de Freguesia de Sintra

 

Excelências,

 

Começo por felicitar-vos pela majestosa feira Medieval de Sintra, realizada anualmente na freguesia de S. Pedro de Sintra, e aprecio a valorização que é dada ao artesanato, bem como a promoção de ofícios da época e danças populares, entre outros motivos de interesse recreativo.

 

No entanto, gostaria de sugerir, para futuras Feiras Medievais nesta ou noutra Freguesia do Vosso Conselho (p. ex. na Feira Setecentista de Queluz), a exclusão da exploração de animais para actividades de “entretenimento”, nomeadamente o uso de póneis para recreação de crianças, e o desfile de burros.

 

Não é de todo necessária a presença destes animais nas Feiras, posto que a Época Medieval tem várias formas de ser dignamente retratada, sem necessidade de recorrer á exploração de Animais.

 

Sabemos que a exploração de animais era um costume medieval, mas não há necessidade de “mostrar” a parte negativa dessa época.

 

A Feira proporciona às crianças e adultos diversas formas de divertimento e actividades lúdicas isentas de exploração, e ficará bastante mais rica sem este tipo de actividades.

 

A utilização de póneis para divertimento é perfeitamente prescindível, uma vez que os animais são sujeitos a um extremo cansaço de horas de trabalho, em prol da vontade humana, deambulando entre as centenas de visitantes, no meio de ruído e confusão, num ambiente totalmente desaconselhado para a presença de animais.

 

Igualmente os burros mirandeses, expostos à curiosidade de todos, sujeitos ao mesmo stress, deveriam ser protegidos deste ambiente nocivo, e cada vez mais afastados do conceito de “burro de carga”.

 

Nos tempos que correm, já não há necessidade disso, e o cansaço visível destes animais é absolutamente desaconselhado a crianças, às quais dizem que “os animais são nossos amigos”, e elas perguntam com propriedade: «Se os animais são nossos amigos, porque é que os adultos não são amigos dos animais

 

Relembro o Artigo constante na Declaração Universal dos Direitos dos Animais:

 

Artigo 10º

 “Nenhum animal deve de ser explorado para divertimento do homem.

 

1) – As exibições de animais e os espectáculos que utilizem animais são incompatíveis com a dignidade do animal.”

 

Sintra tem-se vindo a afirmar como uma vila progressista, moral, social e politicamente evoluída, que não deixa de cuidar da protecção dos animais, nomeadamente não autorizando espectáculos que envolvam a tortura física e/ou psíquico-emocional de animais.

 

Neste sentido, reitero a sugestão/apelo para que não seja permitido o uso destes animais nas Feiras Medievais, nem em qualquer outra actividade promovida ou realizada, no conselho, mantendo este, deste modo, uma imagem digna e moderna que tem perante a sociedade, munícipes e outros, ou seja, a imagem de uma Vila que se preocupa com o bem-estar de todas as espécies.

 

Agradecendo a atenção de V. Exas., apresento os meus melhores cumprimentos,

 

Isabel A. Ferreira

 

***

publicado por Isabel A. Ferreira às 15:20

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Comentários:
De Tomás Tudela a 26 de Julho de 2013 às 22:08
A Declaração Universal dos Direitos dos Animais não é uma lei nem tem qualquer valor jurídico. É uma simples declaração de valores da UNESCO. O uso de burros ou póneis para entreter humanos da forma como é feita nesta feira não é em nada degradante e há muito poucas pessoas em Portugal que o considerariam reprovável. Para além de que é muito provável que os animais quase ou nada sofram por serem usados naquelas actividades. Eu não tenho a certeza, obviamente, mas ainda menos certeza se tem de que eles sofrem, ou melhor, sofrem o suficiente para que se proíba estas actividades.
É ir ao extremo, pedir para se proibir estas actividades. O uso dos cavalos no hipismo é quase 100% igual a isto, bem como as exposições de cães. Nada disto é prejudicial e muito menos degradante para os animais.
De Isabel A. Ferreira a 28 de Julho de 2013 às 18:05
Tomás Tudela, a Declaração Universal dos Direitos dos Animais tem tanto valor como a Declaração Universal dos Direitos do Homem, ou como a Declaração dos Direitos das Crianças, e um País ao assinar esses documentos assume um COMPROMISSO LEGAL, MORAL, SOCIAL, HUMANO, que não é cumprido pelo homem predador.

Mas como já não se fazem HOMENS como antigamente, cuja palavra era LEI, temos o que temos. Nem, sequer as LEIS que estão nos códigos civil e penal são cumpridas, neste país cheio de gente incompetente, corrupta e irracional.

Quanto ao uso de animais seja para o que for… Só lhe digo esta: o Tomás Tudela não nasceu para estar num jardim zoológico ou para fazer trabalhos forçados num campo de concentração. Verdade?

Pois NENHUM animal não humano nasceu para DIVERTIR criaturas DESUMANAS.

Basta tirar o animal do seu habitat natural para isso já ser uma VIOLÊNCIA.

Ponha-se o Tomás Tudela no lugar deles. Não sofre nada, segundo a sua teoria.

Tudo o que seja UTILIZAR ANIMAIS para DIVERTIR BRONCOS é DESUMANO e PREJUDICIAL E DEGRADANTE para eles. TUDO.

O pipismo é outra aberração. Os Cavalos não nasceram para andar montados.

Enfim, o mundo estava cheio de animais que viviam placidamente, no paraíso. Até que chegou o animal homem, e esse paraíso passou a inferno, com muitos diabos a torturá-los, de muitas formas.
De Tomás Tudela a 28 de Julho de 2013 às 19:04
A Isabel insiste em confudir seres humanos com os restantes animais e em colocá-los no mesmo patamar. Na comunidade internacional, a DUDA não tem o mesmo valor que a DUDH, e o mesmo se passa no nosso país e em muitos outros países. A DUDH é foi proclamada e aprovava pela ONU, com o apoio do nosso País. A DUDH consagra um conjunto de princípios que se impostos a todos os países pela comunidade internacional e está consagrada na nossa Constituição. Portugal não assumiu compromisso nenhum relativamente à DUDA.

Eu não tenho o mesmo valor que um animal, por isso não faz sentido a Isabel tentar comparar a minha vida à vida dos animais.

Os seres humanos não podem usar cavalos para o Hipismo, nem burros ou póneis para o trabalho? O entretenimento de crianças, neste caso, é o trabalho do dono do burro ou do pónei. Podemos ter cães em casa, ou isso é uma crueldade e um atentado à liberdade dos cães?

Os animais não nascem com direitos invioláveis, dotados por qualquer entidade divina.

Isabel, o facto de os animais nascerem selvagens ou livres não significa que tenham que o ser. Não significa que os seres humanos não os possam utilizar. Senão o ser humano também não podia utlizar as florestas, os campos, os mares ou os rios. Qual é o propósito desssa coisas? O propósito dessas coisas, tal como dos burros e dos póneis, é aquele que os seres humanos quiserem que seja.

Os seres humanos são um fim em si próprios. Os animais têm o fim que os seres humanos lhes atribuam. A Razão separa-nos.
De Isabel A. Ferreira a 29 de Julho de 2013 às 12:22
A resposta a este comentário está no seguinte link:

http://arcodealmedina.blogs.sapo.pt/309274.html
De Rogerio Correia a 29 de Julho de 2013 às 15:38
tomás tudela, és um acefalo atrasado mental filho da puta sem hipótese de recuperação. A tua irracionalidade atinge os píncaros da demência. Vê se morres depressa.
De antonio a 29 de Julho de 2013 às 17:59
Isabel para quem tanto censura por dizer que lhe faltam ao respeito este comentário aqui deixado por este sr já merece ser publicado , enfim ....
De Isabel A. Ferreira a 29 de Julho de 2013 às 19:54
Eu censuro as obscenidades e a estupidez, António.

Decidi publicar este comentário, para mostrar que existem pessoas que criticam os broncos de um modo muito mais acentuado do que eu.

E que não sou só eu que critico os broncos.

Entendeu o meu ponto de vista, António?

E comentários como este são às carradas nas redes sociais.

Comentar post

Mais sobre mim

Pesquisar neste blog

 

Julho 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

Posts recentes

Fim de subsídios público...

Depois da saída do PAN, p...

Viva o “colete encarnado”...

Crime urbanístico em Piód...

Governantes escolhidos po...

Adaptação de uma definiçã...

«Ainda não vimos nada!»

Tortura, não é Cultura! T...

«"Testes de Bravura a Cam...

Vitória! Cancelado o even...

Arquivos

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Direitos

© Todos os direitos reservados Os textos publicados neste blogue têm © A autora agradece a todos os que os divulgarem que indiquem, por favor, a fonte e os links dos mesmos. Obrigada.
RSS

Acordo Ortográfico

Em defesa da Língua Portuguesa, a autora deste Blogue não adopta o Acordo Ortográfico de 1990, devido a este ser inconstitucional, linguisticamente inconsistente, estruturalmente incongruente, para além de, comprovadamente, ser causa de uma crescente e perniciosa iliteracia em publicações oficiais e privadas, nas escolas, nos órgãos de comunicação social, na população em geral, e por estar a criar uma geração de analfabetos escolarizados e funcionais.

Comentários

Este Blogue aceita comentários de todas as pessoas, e os comentários serão publicados desde que seja claro que a pessoa que comentou interpretou correctamente o conteúdo da publicação. Serão eliminados os comentários que contenham linguagem ordinária e insultos, ou de conteúdo racista e xenófobo. Em resumo: comente com educação, atendendo ao conteúdo da publicação, para que o seu comentário seja mantido.

Contacto

isabelferreira@net.sapo.pt