Terça-feira, 16 de Julho de 2013

«O novo estilo forcado, um modelo de alta-costura»

 

Com este programa PIROSÍSSIMO (Olé) a SIC prestou um péssimo serviço não só à tauromaquia (o que serve sobremaneira a causa abolicionista), como àquela fatia de portugueses (que vêem televisão) dando-lhes a PAROLICE de que tanto gostam, como obviamente e essencialmente a uns bezerrinhos, que, não tendo culpa alguma da demência dos ditos "homens", foram torturados em nome da ESTUPIDEZ.

 

E tudo por causa das audiências. Uma estação de televisão que precisa de se servir de estratégias indignas para criar um público, esgotou, por completo, todas as suas capacidades criativas.

 

A SIC bateu no fundo.

 

 

Subscrevo inteiramente este texto da Prótouro.

 

Por Prótouro

 

«Com o alto patrocínio dos mais afamados estilistas da actualidade, a SIC acaba de nos apresentar o novíssimo modelo da jaqueta de ramagens para os forcados.

 

Para apresentar o novo modelito, nada mais, nada menos, que o valente e brioso forcado, que fez furor na praça de touros do Campo Pequeno, José Castelo Branco.

 

Um misto muito bem imaginado de camisinha de folhos, jaqueta bordada com berloques, um largo cinto preto sobre a tradicional faixa dos forcados e uns leggings estilo cavaleiro tauromáquico a terminar com botas de cano alto.

 

Sem querer tirar o mérito ao estilista que desenhou a nova indumentária  e que de ora em diante será usada por todos os grupos de forcados, nós substituiríamos o barrete por um chapéu de penachos de modo a condizer com as botas.

 

A SIC, ao transmitir este desfile de pindéricos, conseguiu três coisas absolutamente inéditas, ser número um na tabela de audiências, encher quase por completo o Campo Pequeno, coisa que não acontece há muito e finalmente pôr os aficionados contra a “prótoiro” que achou e acha que este programa é óptimo para a divulgação da “festa”.

 

A verdadeira intenção da SIC, com este programa, não foi promover a tauromaquia ou enaltecer a figura do forcadito, foi sim a de aumentar audiências e sabiam à partida que usando uma figura tão controversa como o José Castelo Branco, o conseguiriam.

 

A SIC usou e abusou de animais, num programa altamente deplorável, em que até se deram ao luxo de usar um bezerro obrigando-o, literalmente, a investir contra pessoas que se encontravam numa esplanada improvisada no meio da arena. Como consequência, o animal tropeçou numa mesa e cadeiras, caiu e sentou-se na arena. Quando se levantou coxeava de uma das patas.

 

Não venham agora afirmar que nenhum animal foi maltratado durante o programa porque todos o foram.

 

O conceito de maltrato animal não se resume a espetar farpas e bandarilhas. O maltrato começa quando os animais são retirados do seu habitat, enfiados num camião e posteriormente largados numa praça de touros, um local completamente estranho para os mesmos. Só mesmo pessoas com uma mente muito limitada, podem afirmar que no programa os animais não foram maltratados.

 

Para tudo há limites e querer ser líder de audiências numa guerra de canais televisivos não quer dizer que vale tudo. A SIC com este programa provou que é administrada por pessoas que não têm qualquer tipo de moral.

 

Prótouro

 

Pelos touros em liberdade»

 

Fonte:

http://protouro.wordpress.com/2013/07/16/o-novo-estilo-forcado-um-modelito-de-alta-costura/comment-page-1/#comment-1607

 

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 11:39

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Comentários:
De Gustavo a 16 de Julho de 2013 às 14:51
Já todos sabemos que este blog não é mais do que a caixa de ressonância dessa coisa estranha que é a prótouro.
Mas isto do programa, que naturalmente jamais verei, criou grandes dúvidas em mim. É que os seus maiores opositores são exactamente os aficionados!
Afinal qual é a sua posição: Apoia o programa por descredibilizar a prática taurina, ou opõe-se porque são utilizados animais (de forma, julgo, inócua) no seu decorrer?
De Isabel A. Ferreira a 16 de Julho de 2013 às 15:15
Francamente, não entendo.

Não escrevo de um modo literário, nem poético, nem erudito, já por causa das coisas.

Escrevo simples, vou buscar as palavras ao Português vernáculo (o mais acessível a quem não é muito instruído) e nem assim PERCEBEM.

Que em Portugal, desde os membros da governação central e da outra, até ao cidadão que tem apenas a quarta-classe, sofre-se de uma ILITERACIA assustadora, eu já sabia.

Mas assim tanto, quando se deixa o eruditismo para trás, com o objectivo de chegar à maioria dos leitores que poderão deambular por este Blog, francamente, não compreendo.

GUSTAVO GOUVEIA, por que carga de água, começa o seu comentário com esta afirmação absolutamente bacoca: «Já todos sabemos que este blog não é mais do que a caixa de ressonância dessa coisa estranha que é a prótouro.»?

Que “coisa estranha” é essa? De onde tirou a “caixa-de-ressonância”?

Depois, eu não tenho OPOSITORES.

Eu apenas sou a voz dos BOVINOS e dos CAVALOS, que não têm voz para se defenderem.

E pelo que já escrevi sobre esta aberração chamada “Olé”, o Gustavo Gouveia, qual foi a parte que não percebeu?

Não fui bastante clara nos meus juízos?

Ou isto é apenas uma provocação de quem não tem mais nada para fazer?
De Gustavo a 16 de Julho de 2013 às 17:52
Provavelmente a última. Isso porque sou pouco instruído. Iletrado.
E está aqui exposta a razão pela qual a senhora escreve como uma criança provinciana e simplória. Não é por ter apenas 11 anos e residir onde Deus perdeu as botas, cingiu-se afinal simplesmente ao lema KISS para que todos a entendam nesta senda muito importante de proibir corridas.
Mas Agora no último comentário, conseguiu-me impressionar. pois então que é a "Voz dos bovinos". Menos mal, eles precisavam mesmo de uma.
Suponho que saiba mugir.
De Isabel A. Ferreira a 16 de Julho de 2013 às 18:41
Disse tudo neste seu comentário, Gustavo Gouveia. Não sei se é instruído, se é iletrado. Mas uma coisa sei: é alguém que LÊ POUCO ou mesmo NADA.

Pois… emprestei a minha voz aos BOVINOS E CAVALOS para os defender dos seus carrascos, uma vez que eles não têm voz para o fazer. Como já emprestei (e ainda empresto) a minha voz aos mais desfavorecidos humanos (adultos e crianças e velhinhos) que não tinham (e não têm) como chegar aos “grandes” para dizerem de sua justiça.

Cada um faz o que pode e sabe.

E se quer saber mais, sei imitar muitas vozes de animais, sim. Mugir também. É um dom, que nem todos têm.
De Anónimo a 16 de Julho de 2013 às 23:52
és muito rude Isabel. Achas mesmo que é este blog que vai acabar com a tauromaquia. pelo menos com uma pessoa como tu a frente deste projeto ele nunca terá sucesso
De Isabel A. Ferreira a 17 de Julho de 2013 às 09:47
Este comentário é uma ANEDOTINHA.

Se mostrar a REALIDADE DE UM COSTUME BÁRBARO protagonizado por bárbaros, para bárbaros e chamar os bois pelo nome é ser rude, então eu sou rude. MUITO RUDE. RUDÍSSIMA.

Quanto a achar que este Blog vai acabar com a tauromaquia, não tenho essa pretensão, mas que vai AJUDAR a ENTERRÁ-LA, até porque ela já está MORTA (só vocês é que não vêem) ai isso não tenho dúvida.

Pois… uma pessoa como eu…

Não gostam, pois não? Nunca ninguém vos tinha confrontado com a REALIDADE DA TORTURA e com a PSICOPATIA DA TAUROMAQUIA, pois não?

Viveram anos a fio a pensar que estavam a fazer uma proeza, e que eram heróis, e que eram valentes…

Agora já sabem que não passam de sádicos, de covardes, de psicopatas todos aqueles que aplaudem, apoiam e praticam este COSTUME BÁRBARO (que nunca foi, nem será tradição portuguesa).

Acabou a era da loucura. Tradição é outro assunto.
De Elisabete a 17 de Julho de 2013 às 16:52
Olhe, anónimo, a autora deste blog, Drª Isabel A. Ferreira não está só, tem muita gente a acompanhá-la e eu sou uma delas. A tauromaquia vai acabar e já falta pouco e também ergo e continuarei a erguer a minha voz contra todos os maus tratos contra animais e também pessoas!
O nº de anti-touradas é muito superior ao de atuais tauricidas.
Assinado: Elisabete Sales
De Isabel A. Ferreira a 17 de Julho de 2013 às 17:04
Obrigada pelo seu apoio, Elisabete.

Somos milhões no mundo inteiro. E em Portugal somos milhares.

A tauromaquia está acabada.
A razão está do nosso lado.
E a razão sempre venceu.

Comentar post

Mais sobre mim

Pesquisar neste blog

 

Fevereiro 2024

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
17
18
19
21
22
23
24
25
26
27
28
29

Posts recentes

«Bicadas do Meu Aparo: “P...

Na passagem do 97º aniver...

Aleixei Navalny, um símb...

Os Defensores dos Direito...

Legislativas 2024 - Movim...

Os Polícias são traidores...

João Moura condenado: jus...

24 de Janeiro de 1944: ao...

«Bicadas do meu aparo: “S...

Por que é que não há dinh...

Arquivos

Fevereiro 2024

Janeiro 2024

Dezembro 2023

Novembro 2023

Outubro 2023

Setembro 2023

Agosto 2023

Julho 2023

Junho 2023

Maio 2023

Abril 2023

Março 2023

Fevereiro 2023

Janeiro 2023

Dezembro 2022

Novembro 2022

Outubro 2022

Setembro 2022

Agosto 2022

Junho 2022

Maio 2022

Abril 2022

Março 2022

Fevereiro 2022

Janeiro 2022

Dezembro 2021

Novembro 2021

Outubro 2021

Setembro 2021

Agosto 2021

Julho 2021

Junho 2021

Maio 2021

Abril 2021

Março 2021

Fevereiro 2021

Janeiro 2021

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Direitos

© Todos os direitos reservados Os textos publicados neste blogue têm © A autora agradece a todos os que os divulgarem que indiquem, por favor, a fonte e os links dos mesmos. Obrigada.
RSS

AO90

Em defesa da Língua Portuguesa, a autora deste Blogue não adopta o Acordo Ortográfico de 1990, nem publica textos acordizados, devido a este ser ilegal e inconstitucional, linguisticamente inconsistente, estruturalmente incongruente, para além de, comprovadamente, ser causa de uma crescente e perniciosa iliteracia em publicações oficiais e privadas, nas escolas, nos órgãos de comunicação social, na população em geral, e por estar a criar uma geração de analfabetos escolarizados e funcionais. Caso os textos a publicar estejam escritos em Português híbrido, «O Lugar da Língua Portuguesa» acciona a correcção automática.

Comentários

Este Blogue aceita comentários de todas as pessoas, e os comentários serão publicados desde que seja claro que a pessoa que comentou interpretou correctamente o conteúdo da publicação. 1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome. 2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas". 3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias. Serão eliminados os comentários que contenham linguagem ordinária e insultos, ou de conteúdo racista e xenófobo. Em resumo: comente com educação, atendendo ao conteúdo da publicação, para que o seu comentário seja mantido.

Contacto

isabelferreira@net.sapo.pt