Sexta-feira, 12 de Julho de 2013

Uma verdade incontornável: a esmagadora maioria dos portugueses não se interessa por touradas

 

 

Dos 308 municípios portugueses apenas 39 são trogloditas, uma insignificância, até porque são localidades pequenas, excepto Lisboa (a vergonha do Sul) e Póvoa de Varzim (a vergonha do Norte).

 

 

 

Fonte destes dados: Inspecção Geral das Actividades Culturais (IGAC)

 

«Os números não enganam - SOMOS A ESMAGADORA MAIORIA!

Durante anos ouvimos dizer que a tauromaquia faz parte do quotidiano e da identidade nacional, mas as estatísticas oficiais são claras em relação à importância que os cidadãos portugueses dão às touradas. Segundo os dados oficiais da IGAC (Inspecção Geral de Actividades Culturais) 94,2% dos portugueses não assistem a touradas.

 

Nos últimos 10 anos o número de touradas em Portugal caiu mais de 30%.»

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 15:57

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Comentários:
De Gustavo a 13 de Julho de 2013 às 13:00
Isto é uma estupidez gigante. Se 95 % dos Portugueses não assistem a jogos de Badminton, deve este ser proibido?

http://arcodealmedina.blogs.sapo.pt/303482.html
De Isabel A. Ferreira a 13 de Julho de 2013 às 17:11
Estupidez gigante é o seu comentário.

O que tem o badmínton a ver com TORTURAR BOVINOS PARA DIVERSÃO?

Ainda não se apercebeu do que está em causa?

O badmínton é um DESPORTO SAUDÁVEL e RECOMENDÁVEL.

A tortura de bovinos é um COSTUME BÁRBARO e PERVERSO, absolutamente CONDENÁVEL, que deve ser ABOLIDO da face da Terra, para bem dos Bovinos e também da Humanidade, que se livra de um lixo que conspurca a sociedade.

De Frederico Barreiros Mota a 15 de Julho de 2013 às 21:20
Face a este post, apraz-me fazer dois comentários:

1 - Portugal tem actualmente 308 concelhos e não 804 como refere. (http://www.anmp.pt). Os 41 municípios que refere, citados no mesmo site da ANMP, faltam vários concelhos com actividades taurinas, como Ponte de Lima, Caldas da Rainha, Idanha-a-Nova, Coimbra, Castelo de Vide, Chamusca, Constância, Elvas, Évora, Figueira da Foz, Marinha Grande, Montemor-o-Novo, Nazaré, entre muitos outros (repare que estes que referi foram apenas os que me lembrei, assim de repente).

2 - Segundo o IGAC, a seguir ao futebol, a Corrida de Toiros é o espectáculo que mais assistências tem. Não contanto, naturalmente, com os intervenientes noutras actividades taurinas, consideradas "francas" como largadas de toiros, entradas de toiros, as "vacas das cordas", a capeia arraiana ou garraiadas.

Fazer crer que a Tauromaquia não é representativa da cultura tradicional portuguesa é uma falácia. Em 2009, 757 mil pessoas assistiram a corridas de toiros (8% da população portuguesa). Ainda que admitamos que actualmente este número é bastante menor, devido aos constrangimentos financeiros da maioria da população, o número de assistências continua superior à de outros espectáculos como o Teatro. (http://www.jn.pt/Domingo/Interior.aspx?content_id=1631671). Acresce o facto do programa "Olé" transmitido pela SIC no passado sábado ter registado um record de audiência, na ordem do 1milhão e meio de espectadores.

Quer queira quer não, a cultura taurina está enraizada em Portugal. Ainda que uma percentagem muito significativa da população não participe em actividades taurinas, as que se expressam negativamente quanto à sua proibição são sim, a esmagadora maioria: 32.7% de aficionados, acrescidos de 32.8% de não aficionados, mas que são contra a proibição por si defendida; restam 20.6% de indiferentes e, pasme-se, 11.0% de "anti-taurinos". (http://ww2.atct.org.pt/informacao/noticias/detalhe/2012-dezembro/6881-sondagem-de-opiniao-sobre-tauromaquia-em-portugal)

Portanto, resta-me concluir que, além de maniqueísta, a Sra. é falaciosa.


Falácia: acção de enganar com má intenção; engano, logro; sofisma ou engano que se faz com razões falsas ou mal deduzidas. (http://www.priberam.pt/dlpo/Default.aspx?pal=fal%C3%A1cia)
De Isabel A. Ferreira a 17 de Julho de 2013 às 15:59
1 - Portugal tem actualmente 308 concelhos e não 804 como refere. (http://www.anmp.pt). Os 41 municípios que refere, citados no mesmo site da ANMP, faltam vários concelhos com actividades taurinas, como Ponte de Lima, Caldas da Rainha, Idanha-a-Nova, Coimbra, Castelo de Vide, Chamusca, Constância, Elvas, Évora, Figueira da Foz, Marinha Grande, Montemor-o-Novo, Nazaré, entre muitos outros (repare que estes que referi foram apenas os que me lembrei, assim de repente).

- REALMENTE OS MUNICÍPIOS PORTUGUESES SÃO 308 E JÁ CORRIGI O MEU ERRO.

QUANTO A ESSES MUNICÍPIOS QUE ACRESCENTA, FAZEM UMA OU DUAS TOURADAS POR ANO, E NÃO SÃO SIGNIFICATIVOS, O QUE NÃO SIGNIFICA QUE NÃO SEJAM CONDENÁVEIS. ATÉ A MINHA COIMBRA.

2 - Segundo o IGAC, a seguir ao futebol, a Corrida de Toiros é o espectáculo que mais assistências tem. Não contanto, naturalmente, com os intervenientes noutras actividades taurinas, consideradas "francas" como largadas de toiros, entradas de toiros, as "vacas das cordas", a capeia arraiana ou garraiadas.

- ESSA SUA “ESTATÍSTICA” É MUITO ANTIGA. HOJE EM DIA OS RECINTOS DAS TOURADAS ESTÃO MEIO VAZIOS. É SÓ PROCURAR AS NOTÍCIAS QUE SE TEM DADO NESTE BLOG, SOBRE OS FIASCOS ATRÁS DE FIASCOS DOS ÚLTIMOS TEMPOS, NOMEADAMENTE EM 2013, QUE TEM SIDO UM ANO NEGRO E AZIAGO PARA A TAUROMAQUIA. E AINDA BEM.

Fazer crer que a Tauromaquia não é representativa da cultura tradicional portuguesa é uma falácia. Em 2009, 757 mil pessoas assistiram a corridas de toiros (8% da população portuguesa). Ainda que admitamos que actualmente este número é bastante menor, devido aos constrangimentos financeiros da maioria da população, o número de assistências continua superior à de outros espectáculos como o Teatro. (http://www.jn.pt/Domingo/Interior.aspx?content_id=1631671). (1/8/2010)

Acresce o facto do programa "Olé" transmitido pela SIC no passado sábado ter registado um record de audiência, na ordem do 1milhão e meio de espectadores.

- FALÁCIA É O QUE O SENHOR ESTÁ A TENTAR PASSAR AQUI. OS NÚMEROS QUE APRESENTA ESTÃO SUPER ULTRAPASSADOS. JÁ NADA É O QUE ERA. O LINK QUE INDICA É DE 1 DE AGOSTO DE 2010. PORTANTO, DESACTUALIZADÍSSIMO.

QUEM, PRETENDE ENGANAR COM ESSA TRETA ANTIGA?

O PROGRAMA “OLÉ” SÓ TEVE A AUDIÊNCIA QUE TEVE PORQUE O POVINHO PORTUGUÊS É PAROLINHO E ADORA VER O JOSÉ CASTELO BRANCO A FAZER FIGURINHAS PARVAS E RIDÍCULAS… NÃO FOI PARA VER PEGA DE TOUROS… SE NÃO FOSSE O CASTELINHO O PROGRAMA TERIA SIDO UM FIASCO… PORQUE NÃO TEVE PONTA POR ONDE SE LHE PEGASSE… AINDA POR CIMA COM GARRAIOS… FOI A IGNORÂNCIA E A PIROSICE NO SEU MAIS ALTO GRAU.

Quer queira quer não, a cultura taurina está enraizada em Portugal. Ainda que uma percentagem muito significativa da população não participe em actividades taurinas, as que se expressam negativamente quanto à sua proibição são sim, a esmagadora maioria: 32.7% de aficionados, acrescidos de 32.8% de não aficionados, mas que são contra a proibição por si defendida; restam 20.6% de indiferentes e, pasme-se, 11.0% de "anti-taurinos".
(http://ww2.atct.org.pt/informacao/noticias/detalhe/2012-dezembro/6881-sondagem-de-opiniao-sobre-tauromaquia-em-portugal)

- ESTE LINK QUE APRESENTA NÃO EXISTE OU ESTÁ DESACTUALIZADO. ALÉM DISSO ESTAS PERCENTAGENS QUE APRESENTA É QUE SÃO ALTAMENTE FALACIOSAS. PROCURE NESTE BLOG OS NÚMEROS DE 2013: ACTUALMENTE, APENAS MENOS DE 20% DOS PORTUGUESES É AFICIONADA

PROCURE ACTUALIZAR-SE. FICOU PARADO NO PASSADO?

E VEM CHAMAR “CULTURA TAURINA” A UM COSTUME BÁRBARO, HERDADO DE BÁRBAROS, PARA BÁRBAROS?

EVOLUA. ISSO ESTÁ FORA DE MODA. É PAROLICE.

Portanto, resta-me concluir que, além de maniqueísta, a Sra. é falaciosa.

Falácia: acção de enganar com má intenção; engano, logro; sofisma ou engano que se faz com razões falsas ou mal deduzidas. (http://www.priberam.pt/dlpo/Default.aspx?pal=fal%C3%A1cia)

- POR FIM, COMO SOU ADEPTA DO AMOR COM AMOR SE PAGA, ENVIO-LHE ESTE LINK, COM OS MEUS MELHORES CUMPRIMENTOS.

http://www.priberam.pt/dlpo/Default.aspx?pal=fal%u00e1cia
De Francisco a 16 de Julho de 2013 às 00:49
Portugal tem 308 municípios, incluindo as regiões autónomas e não 804 como referiu!
De Isabel A. Ferreira a 16 de Julho de 2013 às 09:39
Correcto, Francisco.

De facto, nos meus apontamentos tenho 308. Não sei de onde fui tirar os 804.

Já corrigi o erro.

Agradeço-lhe a chamada de atenção.
De Francisco a 16 de Julho de 2013 às 01:02
Santarém , Vila Franca de Xira, Portalegre, Beja, Coruche...nao me pareçe que mereçam ser considerados como "localidades pequenas"
De Isabel A. Ferreira a 16 de Julho de 2013 às 09:34
São pequeníssimas em evolução e mentalidade e civilização e cultura e em decadência moral.

Quer mais?

Porque o que faz uma terra ser GRANDE não são os quilómetros quadrados, nem muitas lojas, muito comércio, muita agitação, muito povo...

A grandeza de uma terra mede-se pela forma como trata os seus animais (esta frase é de Mahatma GANDHI).

E eu concordo com ele plenamente.
De Frederico Barreiros Mota a 16 de Julho de 2013 às 19:15
Pode explicar-me o que quer dizer com "pequeníssímas em (...) decadência moral"?

O métrica da grandeza das cidades não pode unicamente caracterizar-se pela forma como são tratados os animais, ainda que tenha sido o Gandhi a dizer isso. Eu começava pela forma como são tratados os animais inteligentes (mas afinal o que é a inteligência senão, "nada de especial"?). E cultura, cultura é um traço agregador, mas identitário. A Tauromaquia é certamente mais cultural que o estilo de vida que apregoa: a uniformização das sociedades, muito ao estilo marxista.
De Isabel A. Ferreira a 16 de Julho de 2013 às 19:46
Não costumo dar explicações de “borla”, Frederico Barreiros Mota.

Ou percebe o que significa «pequeníssimas em (...) decadência moral» ou não, percebe.

Se souber o que cada palavra significa, chegará lá. Se não chegar, pode consultar um dicionário, se faz favor. A linguagem está acessível.

Sim, a inteligência é comum a muitos animais humanos e não humanos. Nada de especial. O porco, que é um animal muito desprezado, na hierarquia da inteligência ocupa o terceiro lugar.

Se quiser saber exactamente sob o ponto de vista académico o que é Cultura e Civilização e as suas diferenças, procure neste Blog um artigo de um catedrático da Universidade de Coimbra, que o elucidará.

Quanto à métrica, que valor tem medir a grandeza de um povo pelo modo como são tratados os humanos? Que também não são lá muito bem tratados, mas… os não humanos é que dão a medida exacta dessa grandeza.

A sua última frase demonstra uma INCULTURA atroz.

A tauromaquia, que está no rol das psicopatias graves, ser mais cultural do que o estilo de vida que apregoo, um estilo de vida NATURAL, que nada tem a ver (e aqui vocês são todos iguais a pensar deste modo) com estilos marxistas ou nazistas, ou fascistas ou direitistas, ou esquerdistas.

NADA. NADA. MESMO NADA.

Pense um pouco.SE faz favor.



Comentar post

Mais sobre mim

Pesquisar neste blog

 

Abril 2021

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
13
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

Posts recentes

Boas notícias! A Nova Zel...

Em Vila Franca de Xira: «...

Como os mortos não falam,...

Testes de toxicidade em a...

Enquanto o Povo dorme... ...

Março/09/2021: um dia ne...

«O último adeus» - "Enqua...

Estão a aparecer cordeiro...

Este monstro marinho, cha...

«Morreu [o Touro] Marism...

Arquivos

Abril 2021

Março 2021

Fevereiro 2021

Janeiro 2021

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Direitos

© Todos os direitos reservados Os textos publicados neste blogue têm © A autora agradece a todos os que os divulgarem que indiquem, por favor, a fonte e os links dos mesmos. Obrigada.
RSS

Acordo Ortográfico

Em defesa da Língua Portuguesa, a autora deste Blogue não adopta o Acordo Ortográfico de 1990, devido a este ser inconstitucional, linguisticamente inconsistente, estruturalmente incongruente, para além de, comprovadamente, ser causa de uma crescente e perniciosa iliteracia em publicações oficiais e privadas, nas escolas, nos órgãos de comunicação social, na população em geral, e por estar a criar uma geração de analfabetos escolarizados e funcionais.

Comentários

Este Blogue aceita comentários de todas as pessoas, e os comentários serão publicados desde que seja claro que a pessoa que comentou interpretou correctamente o conteúdo da publicação. Serão eliminados os comentários que contenham linguagem ordinária e insultos, ou de conteúdo racista e xenófobo. Em resumo: comente com educação, atendendo ao conteúdo da publicação, para que o seu comentário seja mantido.

Contacto

isabelferreira@net.sapo.pt