Comentários:
De Joana Ribeiro a 15 de Agosto de 2014 às 23:10
Compreendo que não gostem de touradas pois eu também não gosto. Uma coisa é os cavaleiros andarem a espetar ferros no coitado do animal e outra são os forcados que não lhes fazem mal nenhum. Acho uma plena injustiça falarem assim do Nuno porque se acontecesse a um dos vossos também não iriam gostar. Se ele voltaria a fazer isso de novo, só ele tem a ver com isso era a paixão dele!
É como se vocês se atirassem do penhasco atados numa corda e as cordas se partissem. Aquilo tinha muita adrenalina e tinham gostado e diziam que voltavam a fazer o mesmo. Não sejam injustos para os outros nem lhes desejem mal pois o feitiço vira-se contra o feiticeiro. O melhor mesmo é arranjarem vida própria e deixarem a do Nuno!
De Isabel A. Ferreira a 16 de Agosto de 2014 às 10:31
Joana Ribeiro, a Joana não compreende nada, porque a tourada não é uma questão de gostos. É uma questão de Ética. De Civilização. De Evolução. De Cultura Culta. Tudo o que os aficionados desconhecem, porque herdaram a ignorância dos antepassados, e optaram por não evoluir, e continuarem a ser ignorantes. E essa é a pior das ignorâncias.

Uma coisa é os cobardes montadores de cavalos (cavaleiros são outra coisa mais digna) andarem a espetar ferros no coitado do animal e outra coisa são o COBARDES FORCADOS a torturar um bovino já ferido, mais morto do que vivo, a sangrar e a sofrer dores ATROZES. E isto é COBARDIA DA MAIS PURA.

Veja, Joana Ribeiro, se a Joana Ribeiro estivesse caída no chão, esfaqueada e a sangrar, e se um bando de forcados (que não fazem mal nenhum) começasse a puxar-lhe os cabelos (corresponde ao rabo do bovino) e a cabeça, e andasse à roda consigo, e o sangue sempre a jorrar… e a faca (que ainda não foi retirada) a rasgar-lhe as carnes ainda mais… A Joana está mais morta do que viva, e ainda assim esse bando de COBARDES vão atormentá-la…

Isso é algo de MONSTROS, não de gente. Certo? É que um bovino, não é diferente da Joana. São ambos mamíferos, animas, e com um ADN semelhante.

Se o Nuno não quer (não quisesse) ser criticado, não abraçasse a “profissão” de CARRASCO COBARDE. E se quiser ser um HERÓI, agora que está tetraplégico, que LUTE pela abolição desta vergonhosa maneira de estar no mundo, e seja um HOMEM. Ainda vai a tempo.

Pois o feitiço já virou contra o feiticeiro. O Nuno cobardemente andou a torturar touros moribundos, até que um reuniu as derradeiras forças para fazer justiça, uma vez que a justiça dos homens é parca ou não existe.

Mas o Nuno aprendeu a lição? Não aprendeu. Porquê? Porque está cercado de energúmenos. E ele, como lhe falta massa cinzenta, não consegue VER. Além de tetraplégico ficou CEGO MENTAL.

A VIDA proporcionou-lhe um a oportunidade de se redimir das suas iniquidades, deixando-o viver, ainda que confinado a uma cadeira de rodas. Mas ele, como não VÊ, se conseguisse voltar à arena, faria exactamente o mesmo. Isso a Lei do Retorno não perdoará. E ele ainda terá muito mais para sofrer.

Pois NÓS temos vida própria. Não andamos no mundo só para ver andar os outros, e LUTAMOS por um mundo LIVRE DE TORTURA e de TORTURADORES. Isso já é bastante.

A vida do Nuno não lhe pertence. Se ele não quer ser criticado, que seja HOMEM. Ninguém critica um HOMEM.

Vocês, que gostam de tortura e sangue arranjem um VIDA MAIS PRÓPRIA DE SERES HUMANOS.

O mundo não precisa de VAMPIROS.

Comentar post