Quinta-feira, 10 de Janeiro de 2013

MAIS UMA PÉROLA, DESTA VEZ DE UM AFICIONADO CHAMADO JOAQUIM GRAVE, QUE SE DIZ “VETERINÁRIO”… NA TERRA DO NUNCA, TALVEZ!...

 

 

Quando li o texto, não queria acreditar!

 

O que li é de uma tão inenarrável cretinice, que não pode ter vindo de alguém que se diz “veterinário”, de alguém que frequentou uma Universidade. Não pode ser. É impossível!

 

Este sujeito enganou-se. Devia ter frequentado uma escola onde a disciplina principal foi a Estupidez, e pensou que era uma Faculdade de Medicina Veterinária.

 

Espero que não esteja ligado à Ordem dos Médicos Veterinários Portugueses, porque se está, e sendo a VERGONHA da classe, a Ordem será um órgão sem brio e prestígio.

 

É por estas e por outras como estas que a tauromaquia está a afundar-se vertiginosamente.

 

Obrigada, Joaquim Grave, pela excelente contribuição que deu com esta declaração parva, para a aceleração da Abolição das Touradas.

 

E não se esqueça: enterrá-la-emos até ao final deste ano de 2013. Por isso, lá se vai o seu sonho de ser Deus e CRIAR um Touro à medida da sua ganância e da sua ignorância.

 

Mas vamos ler o texto, que vem publicado no blog PRÓTOURO, e o qual eu subscrevo inteiramente:

 

O VETERINÁRIO QUE SE CRÊ UM DEUS

 

«O veterinário Joaquim Grave, numa entrevista dada dia 9 de Janeiro a um website tauromáquica, crê-se um deus, senão atente-se nestes desvarios:

 

"Procuro criar o toiro dos meus sonhos, não no sentido de criar, produzir, alimentar, mas sim no sentido de criar um animal novo, único, uma obra, um ser diferente que se comporte como eu quero, como eu sinto".

 

"O toiro murteira grave está em contínua evolução, é assim que entendo o meu toiro. Procuro que seja cada vez mais bravo, mais entregado, mais enclassado, mas sempre sério e sobrado de trapío. De momento, é muito sério e exige que se lhe façam as coisas bem-feitas; de uma forma geral tem trapío suficiente para as praças mais exigentes".

 

"Busco doentiamente a bravura, privilegiando a fijeza, o humilhar, a repetição com motor, a transmissão, a entrega e a duração, isto é, o animal que luta até ao fim, que morre investindo".

 

O que ele devia buscar urgentemente, era ajuda para curar a doença de que padece, a de acreditar que que pode manipular a seu belo prazer animais para encher os bolsos.

 

Prótouro

Pelos touros em liberdade»

 

http://protouro.wordpress.com/2013/01/10/o-veterinario-que-se-cre-um-deus/comment-page-1/#comment-867

 

(Leiam os comentários que vêm no link).

publicado por Isabel A. Ferreira às 19:21

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos
Comentários:
De Rui C. Barbosa a 10 de Janeiro de 2013 às 19:40
As palavras desta ignorante pessoa que se diz veterinário até me fizeram rir, mas infelizmente isto não tem graça nenhuma. É a verdadeira revelação da personalidade doentia e bafienta que mantém a tauromaquia neste triste país.
De Isabel A. Ferreira a 10 de Janeiro de 2013 às 19:59
Absolutamente doentia, Rui.
Não sei como um sujeito destes anda à solta por aí.
É completamente doido.
De Arsénio Pires a 10 de Janeiro de 2013 às 20:50
Nem sequer é grave e que o sr. Grave diz neste excelente artigo! Para além do jargão usado que torna certas frases imperceptíveis (ou serão delírio de fase terminal da psicopatia de que padece?), devemos agradecer ao sr. Grave pelo excelente contributo à nossa causa anti-touradas.
E da classe do sr Grave que se fazem os grandes defensores da tradição tauromáquica! Já sabíamos mas temos mais uma prova!
Realmente, só pena nos merecem estes tauricidas!
De Isabel A. Ferreira a 10 de Janeiro de 2013 às 20:59
Não é grave o que o Grave diz, mas é muita pretensão louca querer criar um Touro à medida do seu delírio psicopata.

Mas é como diz, Arsénio, isto só vem contribuir para a Causa da Abolição.

Pobres mentes tauricidas, que não vêem o que se passa ao redor delas!
De Anónimo a 11 de Janeiro de 2013 às 01:59
Este Sr Grave esteve na TVI aqui há uns tempos no programa do Luis Goucha "Você na TV". Eu também lá estive.
Foi interpelado por outro veterinário (anti touradas) sobre a sua ética médica veterinária.
Vejam, no link abaixo esse diálogo e as vergonhosas respostas do Sr. Grave
http://www.youtube.com/watch?v=MZ0oEsnNqKk&feature=youtu.be.
De Isabel A. Ferreira a 11 de Janeiro de 2013 às 09:58
Obrigada pelo seu contributo.

Este Grave (que nem senhor me apetece chamar-lhe, quanto mais veterinário) devia ser mandado para uma ilha deserta, picar o chão.

Que vergonha!
E a Ordem dos Médicos Veterinários Portugueses o que faz? NADA.
De Carlos Ricardo a 12 de Janeiro de 2013 às 01:54
O comentário de 11 Janeiro às 01h59 que por motivos desconhecidos apareceu como "Anónimo" é feito por mim - Carlos Ricardo
De Isabel A. Ferreira a 12 de Janeiro de 2013 às 12:40
Obrigada, Carlos Ricardo.

Comentar post

Mais sobre mim

Pesquisar neste blog

 

Junho 2021

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
16
17
19
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

Posts recentes

«Músico dos Átoa foi forc...

Toureiro de Córdoba arre...

Não só a tauromaquia tem ...

Deputada Cristina Rodrigu...

Neste “10 de Junho” Marce...

Hoje celebrarei, a três t...

O mundo rural * português...

«A propósito da tauromaqu...

Touradas na RTP (segundo ...

A HIPOCRISIA do mundo, ne...

Arquivos

Junho 2021

Maio 2021

Abril 2021

Março 2021

Fevereiro 2021

Janeiro 2021

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Direitos

© Todos os direitos reservados Os textos publicados neste blogue têm © A autora agradece a todos os que os divulgarem que indiquem, por favor, a fonte e os links dos mesmos. Obrigada.
RSS

Acordo Ortográfico

Em defesa da Língua Portuguesa, a autora deste Blogue não adopta o Acordo Ortográfico de 1990, devido a este ser inconstitucional, linguisticamente inconsistente, estruturalmente incongruente, para além de, comprovadamente, ser causa de uma crescente e perniciosa iliteracia em publicações oficiais e privadas, nas escolas, nos órgãos de comunicação social, na população em geral, e por estar a criar uma geração de analfabetos escolarizados e funcionais.

Comentários

Este Blogue aceita comentários de todas as pessoas, e os comentários serão publicados desde que seja claro que a pessoa que comentou interpretou correctamente o conteúdo da publicação. Serão eliminados os comentários que contenham linguagem ordinária e insultos, ou de conteúdo racista e xenófobo. Em resumo: comente com educação, atendendo ao conteúdo da publicação, para que o seu comentário seja mantido.

Contacto

isabelferreira@net.sapo.pt