Segunda-feira, 9 de Março de 2020

«Parlamento: Assembleia da Res… Privada»

 

«Com todas estas ligações a negócios privados, muitos dos parlamentares alienaram a lealdade para com o povo que os elegeu e transformaram-se em fiéis serventuários dos grupos económicos a que estão associados e que lhes garantem generosas tenças. Estes deputados (e os partidos que os acolhem) desonram o seu mandato e arruínam a democracia.»

 

Quem o diz é Paulo Morais. Sem papas na língua. E se nós, cidadãos mais atentos a esta submissão da maioria dos nossos parlamentares aos grupos de pressão, quer sejam económicos ou outros, já sabemos destas ligações impróprias a representantes do povo português, outros há que ainda não se deram conta disso, e é preciso que comecem a abrir os olhos.

 

Este texto serve para isso mesmo: abrir os olhos a quem os mantém fechados, por opção. É que VER dá muito trabalho.

 

Paulo Morais.jpg

 

Texto de Paulo de Morais

 

«O rol de deputados em situação de conflito de interesses (de que apresento aqui apenas alguns exemplos) é interminável e faz-se sentir em todas as áreas da governação.

 

Promiscuidade entre política e negócios: esta continua a ser a característica mais marcante do Parlamento português. A maioria dos deputados tem ligações profissionais e empresariais que influenciam e contaminam a actividade parlamentar. Os conflitos de interesses são recorrentes e frequentes nas comissões parlamentares.

 

Por exemplo, na Comissão de Economia, Inovação, Obras Públicas e Habitação, o seu presidente, António Topa, tem interesses em empresas que actuam na área do imobiliário, a Epifei e a Tocortal. À mesma comissão pertence o deputado Emídio Guerreiro, dirigente da bem-sucedida construtora Garcia, Garcia, SA. Qual é o problema? É que na sua condição de deputados, Topa, Guerreiro e outros têm acesso a informação privilegiada que podem canalizar para as empresas que servem; e podem ainda influenciar a legislação, em função dos interesses do sector da construção ou da promoção imobiliária a que estão ligados.

 

Por outro lado, na Comissão de Saúde, que superintende a actividade do Governo que maior fatia do Orçamento do Estado despende, encontramos o dirigente social-democrata Maló de Abreu, que administra a Maló Clinic Group, a Pharmashop e outras empresas do sector da saúde. Ao mesmo tempo que fiscaliza a actividade do Governo, tem acesso a verbas do Orçamento do Estado. Na mesma situação se encontra a socialista Ana Ribeiro da Silva, que preside à Associação Nacional AVC e aos corpos dirigentes do Centro Social Zulmira Pereira Simões, entidades potencialmente beneficiárias dos dinheiros do Estado.

 

Se mudarmos de área, a saga do conflito de interesses continua. Mais alguns exemplos: o social-democrata Paulo Rios de Oliveira, com interesses na Campo Grande – Comunicação e Marketing, integra a Comissão de Comunicação e Cultura; pertencente à Comissão de Ambiente, o deputado social-democrata Hugo Oliveira defende e faz lobby a favor dos interesses da Associação de Termas de Portugal e das empresas suas associadas, enquanto o seu colega de partido, Nuno Carvalho, se dedica, através da sociedade Neoasfalto, à indústria de betumes ecológicos; na Comissão de Agricultura, o socialista Joaquim Barreto preside à Mútua de Basto – ao mesmo tempo que, enquanto deputado, fiscaliza a ministra da Agricultura, defende interesses privados que beneficiam de apoios da sua fiscalizada.

 

Os conflitos de interesses que dominam a Assembleia da República sentem-se com maior intensidade nos maiores partidos, mas percorrem todo o hemiciclo parlamentar. Atingem até os partidos de um só deputado, como o Chega. André Ventura, que pertence à Comissão de Orçamento e Finanças, trabalha para a influente consultora Finpartner. Assim, o deputado Ventura pode recolher no Parlamento informação privilegiada sobre questões fiscais, de máximo interesse para os clientes da Finpartner, que presta assessoria em questões… fiscais. Quem melhor para assessorar os privados do que quem está no âmago das decisões públicas?

 

O rol de deputados em situação de conflito de interesses (de que apresento aqui apenas alguns exemplos) é interminável e faz-se sentir em todas as áreas da governação. E tudo isto se passa com o beneplácito duma inútil Comissão Parlamentar para a Transparência, cujo presidente, Jorge Lacão, profere inúmeras e continuadas proclamações públicas a favor da transparência. A acção desta comissão não passa pois de pura cosmética.

 

A situação é já desmoralizante, face ao que se conhece por agora. Mas, inexplicavelmente, ainda há deputados cujos interesses não foram sequer revelados – volvidos mais de 120 dias sobre o início da legislatura, ou seja, mais do dobro do prazo admitido para a sua divulgação. É o caso do centrista João Gonçalves Pereira ou dos socialistas Joaquim Barreto, Hugo Pires e Carlos Pereira, entre outros.

 

Com todas estas ligações a negócios privados, muitos dos parlamentares alienaram a lealdade para com o povo que os elegeu e transformaram-se em fiéis serventuários dos grupos económicos a que estão associados e que lhes garantem generosas tenças. Estes deputados (e os partidos que os acolhem) desonram o seu mandato e arruínam a democracia.»

 

Fonte:

https://www.publico.pt/2020/03/03/politica/opiniao/parlamento-assembleia-res-privada-1905684?fbclid=IwAR2lEunkvKcJSeOInUlk_pprpbmaCoYSYh8k3bdygshw9Tzwikq82K-8wwY

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 14:53

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Portugal tem um pé bem fincado no terceiro-mundo, e isto diz dos governantes que tal permitem e nada têm do que se orgulhar. Uma vergonha!

 

ESTE português ENVERGONHA-NOS 😭

 

Tortura bovinos em touradas em Portugal, tortura e mata bovinos em touradas noutros países, nomeadamente em Espanha. Pratica com bezerras, conforme documenta esta foto. Uma Vergonha!

 

[Foto: Treino na passada terça-feira numa propriedade de Armando João Moura. Publicada no blogue tauromáquico Farpas]

 

Os Moura.jpg

Fonte:

https://www.facebook.com/antitouradas/photos/a.567835069916727/3046231385410404/?type=3&theater&ifg=1

 

***

Bezerrada à corda nos Açores

 

Se a estupidez matasse esta gente estaria toda morta, incluindo as desventuradas crianças que têm o azar de nascer nestes antros. E não há autoridade alguma neste País, com um atraso civilizacional bem patente nestas imagens, que retirem estas crianças destes antros de crueldade e violência. Elas Nascem e crescem para serem os monstros do futuro. Que pouca sorte a delas!

 

Bezerrada nos Açores.jpg

Bezerrada1.jpg

Uma cria com poucos dias de vida é usada para divertimento de crianças e adultos. 😠

Diz Não, Assina a Petição:

http://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=PT89816

 

Fonte:

https://www.facebook.com/eu.digo.nao.a.vaca.das.cordas/photos/pcb.2206341116135169/2206341062801841/?type=3&theater&ifg=1

 

***

 

Uma imagem que diz tudo da desumanização de certos animais (mal) ditos humanos.

Esta criança nunca será criança. E como adulto será mais um monstro a espalhar crueldade e violência pelo mundo.

Isto é normal? Não é.

Isto é humano? Não é.

Por onde andará a Comissão Nacional de Promoção dos Direitos e Protecção das Crianças e Jovens?

Que governo será este que permite tamanha violação dos Direitos das Crianças e dos Direitos dos Animais?

Enquanto isto acontecer, Portugal é um país com um pé no terceiro-mundo.

 

Iamagem tenebrosa.jpg

Imagem tenebrosa. Assustadora! Surrealista! Violenta! Cruel! Inconcebível!

 

"É natural", dizem os aficionados.

 

"É bonito ver que que o miúdo leva jeito para tourear"...

 

Como poderá ser natural levar uma criança a assistir a actos que infligem crueldade?

 

Ouvir uma criança de 3 ou 4 anos dizer que não é bom porque não tem sangue é, no mínimo, assustador!

 

E saber que há "escolas" para crianças "aprenderem" a torturar animais... bebés é arrepiante!

 

Bem perto de nós, em Vila Franca de Xira, há uma dessas "escolas" e tem até o apoio da Câmara Municipal.

 

É doentio promover esta barbaridade! Insensibilizar crianças pode ser considerado maus-tratos. Como podem estes pequenos seres discernir entre o certo e o errado se é para eles natural espetar farpas nas costas de animais bebés?!

 

"Se todo animal inspira ternura, o que houve, então, com os homens?" (Guimarães Rosa)

 

Fonte:

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10218740290252166&set=a.2938584117461&type=3&theater&ifg=1

 

Que VERGONHA senhores governantes e deputados da Nação, afectos a estas práticas bárbaras e lesivas da saúde mental das crianças! Que VERGONHA!

 

Isabel A. Ferreira

 

publicado por Isabel A. Ferreira às 12:18

link do post | Comentar | Adicionar aos favoritos

Mais sobre mim

Pesquisar neste blog

 

Abril 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

Posts recentes

«Uma vergonha nacional»

«Práticas para quem está ...

Carta do todo-poderoso Co...

«A guerra ibero-holandesa...

Em “despacho relâmpago” à...

«Mesmo em Isolamento Cont...

Uma questão de Português:...

«Coronavírus: o cisne ne...

«Estatutos do Homem», de ...

PAN quer resposta urgente...

Arquivos

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Direitos

© Todos os direitos reservados Os textos publicados neste blogue têm © A autora agradece a todos os que os divulgarem que indiquem, por favor, a fonte e os links dos mesmos. Obrigada.
RSS

Acordo Ortográfico

Em defesa da Língua Portuguesa, a autora deste Blogue não adopta o Acordo Ortográfico de 1990, devido a este ser inconstitucional, linguisticamente inconsistente, estruturalmente incongruente, para além de, comprovadamente, ser causa de uma crescente e perniciosa iliteracia em publicações oficiais e privadas, nas escolas, nos órgãos de comunicação social, na população em geral, e por estar a criar uma geração de analfabetos escolarizados e funcionais.

Comentários

Este Blogue aceita comentários de todas as pessoas, e os comentários serão publicados desde que seja claro que a pessoa que comentou interpretou correctamente o conteúdo da publicação. Serão eliminados os comentários que contenham linguagem ordinária e insultos, ou de conteúdo racista e xenófobo. Em resumo: comente com educação, atendendo ao conteúdo da publicação, para que o seu comentário seja mantido.

Contacto

isabelferreira@net.sapo.pt